Botafogo 2 x 0 Santos

Data: 13/06/2009, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público 6.717 pagantes
Renda R$ 83.208,50
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Aparecido Donizetti Santana (PR)
Cartões amarelos: Victor Simões (B); Roberto Brum (S)
Gols: Batista (36-2) e Laio (41-2).

BOTAFOGO
Renan, Alessandro, Emerson, Leandro Guerreiro e Eduardo; Fahel (Renato), Léo Silva (Thiaguinho), Batista e Lucio Flavio; Tony (Laio) e Victor Simões
Técnico: Ney Franco

SANTOS
Fábio Costa, Pará, Fabão, Fabiano Eller e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto (Roni), Paulo Henrique Ganso, Molina (Neymar) e Madson (Róbson); Kleber Pereira.
Técnico: Vagner Mancini.



Bota vence a primeira no Brasileiro e tira invencibilidade do Santos

O Botafogo conseguiu a sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro ao bater o Santos por 2 a 0, neste sábado, no Engenhão, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols da equipe carioca foram marcados por Batista e Laio. Com o resultado, o Peixe, irreconhecível ofensivamente, perdeu a invencibilidade e manteve os nove pontos. Já o Alvinegro carioca está fora da zona de rebaixamento, com seis.

“Disputei a bola com o Victor Simões. Acabou sobrando para o jogador deles. O futebol às vezes é decidido nos detalhes e precisamos trabalhar para não acontecer mais esses erros. Não criamos muitas chances de gol. Jogamos abaixo”, disse Fabão, que teve participação direta nos gols da equipe carioca.

“Foi meu primeiro jogo no Brasileiro e eu esperava por essa oportunidade. Tenho que agradecer muito a minha família e amigos. Esse momento é importante para mim e o time. Espero mais jogos como esse para somarmos mais pontos”, afirmou o emocionado Batista.

Os dois voltam à campo no próximo final de semana. Enquanto o Botafogo pegará o Vitória, no sábado, às 16h10, no Barradão, a equipe santista terá pela frente o Atlético-MG, domingo, às 18h30, na Vila Belmiro.

O fato de jogar em casa e a necessidade de conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro colocavam o Botafogo mais à frente no início do duelo. Porém, mesmo com o volume de jogo, o Alvinegro carioca não conseguia ameaçar de forma efetiva o gol de Fábio Costa até então.

Oportunidade mesmo do Glorioso só aos 25 minutos, quando Victor Simões assustou o goleiro santista. Enquanto isso, Paulo Henrique, Molina e Madson eram vigiados pelos jogadores cariocas. Renan era um mero espectador do duelo.

A superioridade do Botafogo quase foi traduzida aos 31. Fabiano Eller tirou a bola em cima da linha. Melhor ataque da competição, o Santos não conseguia trocar passes e Kleber Pereira trombava com os zagueiros da equipe carioca.

A supremacia carioca foi mantida na etapa final. Irreconhecível, o Santos se mostrava satisfeito com o empate e se concentrava em tentar coibir os avanços do Botafogo.

O jogo, que já era morno, caiu ainda mais no segundo tempo. As equipes erravam muitos passes no meio campo. Com isso, Renan e Fábio Costa não eram acionados.

O marasmo, porém, deu lugar a emoção a partir dos 26, quando o Santos teve a sua melhor chance. Após cruzamento da esquerda, Kleber Pereira cabeceou em cima do goleiro carioca.

Tudo levava a crer que o jogo seria 0 a 0 quando Batista, a novidade de Ney Franco para este duelo, fez o primeiro gol do Botafogo, aos 36. Cinco minutos mais tarde, em um lance bizarro de Fabão, Laio se antecipou a Fabio Costa e empurrou para o gol vazio.