Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) reportagem do Globo Esporte.

Vitória 2 x 1 Santos

Data: 04/08/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa do Brasil – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Barradão, em Salvador, SP.
Público: 35.000 pessoas
Renda: R$ 1.531.252,90
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Erich Bandeira (PE)
Cartões amarelos: Rafael, Robinho, Edu Dracena, Pará e André (S); Bida, Anderson Martins, Walace e Elkson (V).
Gols: Edu Dracena (44-1); Walace (12-2) e Júnior (32-2).

VITÓRIA
Viáfara, Nino (Gabriel), Wallace, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja, Bida (Adaílton) e Ramom (Renato); Elkeson, Schwenck e Júnior.
Técnico: Ricardo Silva

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Marcel), Robinho (Rodriguinho) e André (Marquinhos).
Técnico: Dorival Júnior



Santos marca no Barradão e fatura título inédito mesmo perdendo para o Vitória

Com um gol marcado por Edu Dracena na primeira etapa o Santos garantiu o inédito título da Copa do Brasil mesmo perdendo para o Vitória, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Barradão, em Salvador. O confronto decisivo terminou com triunfo alvinegro por 3 a 2 no placar agregado.

A vitória por 2 a 0 na partida de ida na Vila Belmiro pesou a favor do Santos. O time segurou a pressão da equipe baiana durante boa parte do primeiro tempo, e foi para o intervalo com a cômoda vantagem de 1 a 0 no jogo. O Vitória virou com gols de Walace e Júnior, e foi aplaudido pela torcida.

Para ficar com o título, o Santos superou Naviraiense-MS, Remo-PA, Guarani, Atlético-MG, Grêmio e Vitória.

Essa foi a segunda conquista do alvinegro na temporada (o clube foi campeão paulista em maio), e a primeira nacional de uma geração que vem encantando o país.

O jogo

Para iniciar a partida, os dois treinadores optaram por esquemas ofensivos, com 3 atacantes. De última hora, o técnico da equipe baiana, Ricardo Silva, confirmou a entrada de Júnior, o artilheiro do time na competição, com 6 gols, optando pela saída do meia Fernando. Já Dorival Júnior manteve André como titular. O centroavante, vendido ao Dínamo de Kiev-UCR, faz sua última partida pelo Santos.

Com ímpeto diferente do apresentado na Vila Belmiro, a equipe mandante partiu para cima do adversário desde os minutos inicias. A pressão, no entanto, não foi revertida em gol devido à falta de pontaria. Elkson, Júnior e Schwenck erraram finalizações marcantes.

O Vitória seguiu com amplo domínio do jogo em boa parte do primeiro tempo. Já o Santos esperava para encaixar contra-ataques, e também teve boas oportunidades para abrir o placar.

Com o passar do tempo, o nervosismo foi tomando conta da equipe baiana. Passes errados começaram a ser frequentes, mas apesar disso outras chances foram criadas. A torcida baiana chegou inclusive a comemorar um gol de Schwenck, em impedimento, e corretamente anulado por Carlos Eugênio Simon, aos 33 minutos.

No trecho final da primeira etapa, um lance que parecia perdido mudou a história do confronto.Neymar não conseguiu entrar na área driblando, saiu dela por falta de opção, mas Anderson Martins o seguiu até cometer uma falta na lateral esquerda. Na cobrança, o jovem atacante santista cobrou, a zaga rebateu na primeira, mas no segundo levantamento para a área, Edu Dracena subiu e marcou o gol de cabeça, aos 44 minutos.

O gol silenciou o Barradão, e fez os gritos dos 3.500 santistas presentes no estádio parecer mais alto. E assim continuou durante todo o intervalo.

“Ainda temos chance, é só não desanimar. A equipe precisa entrar focada na virada”, disse Schwenck.

“Precisamos entrar com uma determinação maior ainda, e colocar na cabeça que nada está definido”, destacou o zagueiro santista, Edu Dracena.

Com o Vitória precisando marcar quatro gols para ficar com o título não restou outra opção. A equipe baiana partiu para o ataque desde o reinício da partida e teve logo uma boa oportunidade para marcar o primeiro. No entanto, Júnior desperdiçou novamente.

Animados, os baianos seguiram pressionando até conseguir o gol de empate. Ele foi marcado aos 12 minutos, quando o zagueiro Walace teve calma na área para dominar de peito e chutar no canto esquerdo de Rafael.

Mais três gols eram necessários para o Vitória, no entanto o segundo demorou muito para sair. Aos 32 minutos, Neto Coruja deu bom passe para Júnior. Desta vez, o atacante não desperdiçou e tocou por cima de Rafael.

Com sabedoria, o Santos tratou de conduzir os minutos finais de jogo em banho-maria. A torcida antecipou os gritos de “é campeão” apenas nos minutos finais do jogo. E ao fim da partida, os jogadores santistas festejaram a saborosa derrota por 2 a 1.