Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) Reportagem do Fantástico.

Santos 5 x 0 Monte Azul

Data: 28/03/2010, domingo
Competição: Campeonato Paulista – 17ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Elcio Paschoal Borborema
Auxiliares: Marco Antônio de Andrade Motta Júnior e Marcio D Ávila Tragante.
Cartões amarelos: André Cunha, Bilica (MA), Paulo Henrique Ganso, Rodriguinho (S).
Cartão vermelho: Neto Maranhão (MA).
Gols: Marquinhos (12-1) e Ganso (34-1); Ganso (13-2), Marquinhos (19-2) e André (39-2).

SANTOS
Felipe; Pará, Bruno Aguiar, Durval (Zé Eduardo) e Léo (Rodriguinho); Arouca (Maikon Leite), Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique; Neymar e André.
Técnico: Dorival Junior

MONTE AZUL
Luiz Carlos. Mauro, Ávalos e Cléber Carioca; André Cunha; Rafael Fefo, Bilica (Franciscatti), Neto Maranhão e Dedê (Diogo); Borebi e Rafael Chorão (Silvinho).
Técnico: Márcio Bittencourt



Santos repete show, humilha Monte Azul e segue na liderança do Paulista

O Santos deu sinais de que não repetiria exibições recheadas de objetividade, dancinhas e jogadas de efeito, optando por futebol aplicado. Mas o segundo tempo foi bem diferente. A equipe alvinegra decidiu reativar a receita do futebol-arte, sobrou em campo, e goleou o Monte Azul, 5 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro.

As tradicionais comemorações bem humoradas foram minimizadas nesse jogo. O avô do atacante André faleceu no sábado. O clube havia liberado o jovem para acompanhar o enterro. Mas André pediu para atuar contra o Monte Azul. Autor do quinto gol, André preferiu não comemorar.

Com esta vitória, o Santos chega a 41 pontos ganhos, chegando à 13ª vitória no torneio, mantendo a liderança do Paulista. Foram 17 jogos disputados. Lesionado, Robinho assistiu ao duelo do camarote da Vila Belmiro.

O Santos provou porque é líder isolado do Paulistão. O começo morno na Vila Belmiro foi quebrado por Marquinhos, que em cobrança de falta abriu o marcador, anotando logo aos 12 minutos do primeiro tempo.

Com 34 min da etapa inicial, a equipe alvinegra já estava em vantagem por 2 a 0. Paulo Henrique marcou o segundo gol santista.

Apesar dos 2 a 0, o Santos atuava de maneira controlada, sem “show”. Muito superior em campo, o time da Vila evitava grandes esforços e apenas administrava o jogo ainda no primeiro tempo. Na zona de rebaixamento, o Monte Azul não esboçava qualquer tentativa de reação.

Se já estava quase impossível para o Monte Azul, a situação piorou aos 9 min da segunda etapa. Neto Maranhão cometeu falta violenta em Léo, recebendo o cartão vermelho.

O castigo pela expulsão de Neto Maranhão ocorreu pouco depois. Paulo Henrique Ganso aproveitou bate rebate na área, em jogada de escanteio, e ampliou o marcador.

Não bastasse a ausência de um atleta em campo, o Monte Azul fez o favor de dar um gol para o Santos. Marquinhos cobrou escanteio. A bola sairia pelo outro lado, mas o goleiro Luiz Carlos tentou tirar a bola, jogando para seu próprio gol.

Com 4 a 0 e notando que o sistema defensivo do time pouco trabalhava em campo, Dorival Junior decidiu tirar um volante (Arouca) e colocou um jogador ofensivo (Maikon Leite). Em seguida, Durval deu lugar a Zé Eduardo.

De pênalti, André marcou o quinto gol do Santos na partida.

Satisfeita, a torcida santista gritava olé. O sexto gol deveria ter ocorrido, mas a arbitragem errou ao anular o gol de André, que não estava em impedimento.

Marquinhos contém euforia e avisa que apenas título premiará futebol-arte

Destaque na goleada do Santos sobre o Monte Azul, 5 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro, o meia Marquinhos tratou de conter a inevitável euforia sobre o time da alvinegro, ainda mais após uma nova grande exibição, e acrescentou que somente o título dará sentido ao futebol-show apresentado no torneio.

São 54 gols marcados pelo Santos no Paulista, com 13 vitórias. O Santo André, com 43 gols, é o segundo no quesito gols marcados. Todos esses gols não valerão nada se o Santos não for campeão, avalia Marquinhos.

“Isso tudo não dá o título pra gente. Temos que pôr os pés no chão. Conseguimos boa vantagem. Vamos sair em luta pela primeira colocação, o que nos dá a vantagem de quatro resultados iguais. Esses gols não valerão nada se não conseguirmos o título”, disse Marquinhos ao Sportv.

Para as fases finais do Paulistão, o primeiro colocado da fase classificatória pode empatar duas vezes nas semifinais que chega às finais. O mesmo procedimento acontece nas finais. Restam duas rodadas para o término da 1ª fase.

“A gente será campeão com quatro 0 a 0 nas próximas fases”, complementou o atleta.

Com 41 pontos, o líder Santos ainda contou com o tropeço do vice-líder Santo André, derrotado diante do Mogi Mirim. Desta forma, são cinco pontos de vantagem sobre o segundo colocado.