Naviraiense 0 x 1 Santos

Data: 24/02/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa do Brasil – Primeira fase – Jogo de ida
Local: Estádio Morenão, Campo Grande, MS.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Luiz Souza Santos Renesto (PR).
Cartões amarelos: Adriano Lajes (N); Maranhão (S).
Gols: Marquinhos (36-2).

NAVIRAIENSE
Aldo; Giordan, Jaime, Junior Camaçari, Adriano Lajes; Buru, Maílson, Jean (Marcelo), Fábio; Biro e Cristiano (Célio Lima).
Técnico: Paulo de Rezende.

SANTOS
Felipe; Maranhão (Marquinhos), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Paulo Henrique; Neymar, Robinho (Madson) e André (Zé Eduardo).
Técnico: Dorival Júnior.



Santos vence Naviraiense pela vantagem mínima e materializa sonho do adversário

O sonho de atuar no histórico alçapão santista foi alcançado pelo modesto Naviraiense-MS. Mesmo com o “time ideal” em campo, o Santos não conseguiu cumprir seu objetivo em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, na noite desta quarta-feira. A equipe venceu o adversário por 1 a 0, mas não evitou a realização da segunda partida da primeira fase da Copa do Brasil, na Vila Belmiro.

Os dirigentes do clube fundado em novembro de 2005 prometiam premiações elevadas aos jogadores e comissão técnica em caso de derrota por um gol de diferença. E o que se viu em campo foi uma equipe determinada a surpreender o atual líder do Campeonato Paulista.

Como era esperado, o Santos massacrou o adversário em termos de posse de bola. Porém, poucas chances claras de gol foram criadas no primeiro tempo. A melhor delas, desperdiçada por Neymar, aos 19 minutos, gerou revolta de Paulo Henrique Ganso, que esperava o passe dentro da área.

Os outros dois atacantes santistas, André e Robinho, também perderam boas oportunidades, e o alvinegro não conseguiu abrir vantagem antes do intervalo.

“Precisamos soltar a bola rapidamente e acertar o passe final. Estamos errando bastante” reclamou Ganso ao final da primeira etapa.

“Faltou mais ímpeto ofensivo. Eles executaram uma marcação muito forte que nos inibiu. Precisamos modificar esse panorama” comentou Dorival Júnior.

Embalado pelo misto de torcedores de outros grandes clubes de São Paulo, o Naviraiense animava sua torcida a cada minuto passado sem sofrer gol na segunda etapa. Aos poucos, o sonho de disputar o segundo jogo se tornava realidade.

O alvinegro não conseguia nem ao menos pressionar o adversário. Irritado, Dorival Júnior mexeu duplamente na linha de frente da equipe aos 14 minutos. Madson e Zé Eduardo entram nos lugares de Robinho e André, respectivamente. A saída do camisa 7 resultou em vaias para o treinador.

Os novos jogadores tiveram oportunidades para marcar pouco depois de entrarem em campo, mas seguiram com o mesmo problema dos demais companheiros: a falta de pontaria.

A última tentativa de Dorival foi modificar a tática do time. Aos 27 minutos, o treinador substituiu o lateral-direito Maranhão pelo meio Marquinhos. Com a alteração, o volante Wesley passou a atuar improvisado na ala.

Cinco jogadores, Marquinhos, Ganso, Neymar, Madson e Zé Eduardo, atuavam do meio para frente constantemente. Apesar disso, o gol da vitória só saiu graças a uma cobrança de falta, aos 36 minutos. Madson cruzou a bola na área e Marquinhos subiu livre para marcar.

Os pouco mais de dez minutos finais foram de apreensão total por parte do Naviraiense. O clube não se importava em perder a partida desde que fosse pela desvantagem mínima. E foi o que aconteceu. O duelo terminou 1 a 0 para o Santos, e o segundo jogo não foi evitado. O sonho de jogar na Vila Belmiro será realizado no dia 10 de março.