Grêmio 4 x 3 Santos

Data: 12/05/2010, quarta-feira.
Competição: Copa do Brasil – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 38.475 torcedores
Renda: R$ 819.403,50
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Enio Pereira de Carvalho (DF).
Cartões amarelos: Rodrigo, Ozeia, Hugo, Adílson e Edílson (G); Durval, Robinho, Marquinhos, Léo e Arouca (S).
Gols: André (15-1) e André (20-1); Borges (12-2), Borges (18-2), Jonas (22-2), Borges (30-2) e Robinho (38-2).

GRÊMIO
Victor; Ozeia, Rodrigo e Mário Fernandes (Joílson); Edílson, Adílson, Willian Magrão (Fábio Rochemback), Douglas (Maylson) e Hugo; Jonas e Borges.
Técnico: Silas

SANTOS
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Maranhão); Arouca, Marquinhos (Rodrigo Mancha) (Rodriguinho), Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André.
Técnico: Dorival Jr.



Grêmio reage no 2º tempo, vira contra o Santos e vence com três de Borges

Foi um jogo alucinante. Com um segundo tempo quase impecável, o Grêmio venceu o Santos por 4 a 3 nesta quarta-feira no estádio Olímpico com direito a três gols de Borges e ficou em uma situação bem confortável nas semifinais da Copa do Brasil.

O resultado dá ao Grêmio a chance de empatar na partida de volta na Vila Belmiro. O vencedor do duelo entre as duas equipes enfrenta quem levar a melhor entre Atlético-GO e Vitória.
O jogo

A partida começou muito movimentada no Olímpico. Apesar de não ser incisivo, o Santos conteve o ímpeto do Grêmio nos minutos iniciais da partida. E abriu o placar justamente em lance característico do time gaúcho: em cobrança de escanteio, com André.

Como se diz no jargão do futebol, o Grêmio ‘sentiu o golpe’ após levar o gol. E o Santos, até então implacável na partida, não perdoou em um contra-ataque onde Paulo Henrique Ganso achou André, que tocou na saída de Victor e fez o segundo, colocando o time da Vila Belmiro em ótima situação na partida.

Depois do gol, o Santos naturalmente recuou, e o Grêmio foi para cima, criando grandes chances. E aí foi a hora de Felipe – um dos destaques do primeiro tempo – aparecer com belíssimas defesas em quatro lances.

O principal deles foi aos 23min, quando Willian Magrão recebeu belo passe dentro da área e foi derrubado por Durval. Pênalti, que Jonas bateu mal e Felipe defendeu, evitando o gol do Grêmio e mantendo o 2 a 0 que perdurou até o fim da etapa, que teve alguns de seus torcedores saindo do estádio desolados com o resultado.

“Dentro de casa não podemos sofrer contra ataques. Demos muito espaço para eles, isso não pode acontecer”, decretou o atacante Borges na saída para o intervalo. “Já poderíamos ter matado o jogo. Vamos seguir com esse ritmo”, ponderou Edu Dracena.

O Santos voltou cauteloso do intervalo. O técnico Dorival Júnior, inclusive, colocou um volante de contenção logo no início da etapa, quando Rodrigo Mancha entrou no lugar de Marquinhos.

Em lance isolado, o Grêmio descontou o placar e inflamou a sua torcida: aos 12min, Edu Dracena tirou mal e a bola sobrou limpa para Borges. O atacante do Grêmio não perdoou: 2 a 1 Santos.

Agora em falha de Rodrigo Mancha, o Grêmio saiu em um rápido contra-ataque e fez mais um, com Borges. Irritado, Dorival Júnior trocou o jogador por Rodriguinho. Mais irritado ainda, o volante deu soco no banco após sair.

Logo depois, o Grêmio tornou a partida ainda mais empolgante ao marcar um golaço aos 22min. O atacante Jonas soltou a bomba da entrada da área e acertou o ângulo de Felipe.

O Santos sentiu demais o golpe. Por isso, o quarto gol era questão de tempo. O que acabou acontecendo aos 31min: Jonas achou Borges em posição duvidosa, e o atacante fez o seu terceiro gol no jogo.

Mas o Santos conseguiu achar um gol que pode mudar a história do segundo jogo na Vila Belmiro. Em belíssimo passe de Ganso, Robinho matou no peito e emendou a bomba fuzilando Victor: 4 a 3.

“No primeiro tempo erramos muito. No segundo, a gente fez o que sempre costuma fazer e poderia ter feito até mais do que quatro”, disse Borges.

Já Robinho ressaltou o gol que fez no final da partida, que na sua opinião pode mudar a história do confronto entre as duas equipes na Vila Belmiro.

“Fiz um gol importantíssimo. Nos dá uma chance maior. Temos boas condições de matar esse confronto na Vila Belmiro”.

Presidente do Grêmio provoca: “O Santos sabe com quem está lidando agora”

Sobrou confiança no Grêmio após a virada sobre o Santos nesta quarta-feira. Depois de começar perdendo por 2 a 0, o time do técnico Silas fez quatro gols no segundo tempo e acabou vencendo por 4 a 3. Para o presidente Duda Kroeff, a virada no Olímpico foi um bom “cartão de visitas” do Grêmio para o Santos.

“Nossa vantagem é mais moral. O Santos sabe com quem está lidando agora”, disse o presidente do Grêmio ao final da partida. “Vamos para lá para ganhar de novo. Este time de brio suficiente para ganhar de novo na Vila”, completou.

Com a vitória por 4 a 3, o Grêmio joga pelo empate na Vila Belmiro. O Santos passa com vitória por um gol de diferença, até 3 a 2. Para o presidente do Grêmio, nada disso importa: a meta é vencer na Vila Belmiro, já que com a virada desta quarta o Grêmio mostrou que nenhuma missão é impossível.

“Jogamos contra o xodó do Brasil e vencemos, saindo com um 2 a 0 atrás. Foi uma prova de maturidade muito grande. Agora não tem nada que a gente não possa fazer”, vibrou Duda Kroeff.

O dirigente atribuiu o mau primeiro tempo à “sorte” que o Santos teve nos minutos iniciais da partida. “O Santos é um grande time, principalmente em termos ofensivos. Não acho que tenhamos entrado mal. O Grêmio se armou bem mas o Santos teve sorte no início do jogo, até um pênalti perdemos”, destacou.