Atlético-PR 0 x 2 Santos

Data: 30/07/2003, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada (jogo atrasado)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, PR.
Público: 23.464 pagantes
Renda: R$ 311.336,00
Árbitro: Edilson Soares da Silva (RJ)
Auxiliares: Manoel do C. Ferreira Pires (RJ) e Carlos H. Alves de Lima (RJ)
Cartões amarelos: Alessandro, Adriano, Jadson, Ricardinho e Fernandinho (A); Pereira, Léo, Paulo Almeida e Reginaldo Araújo (S).
Gols: Nenê (07-2) e Renato (13-2).

ATLÉTICO-PR
Diego; Juliano (Fernandinho), Rogério e Igor; Alessandro, Leomar, Luciano Santos (Michel), Jadson (Ricardinho) e Fabrício; Adriano e Ilan
Técnico: Osvaldo Alvarez

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo, Pereira (Preto), Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego (Daniel); Robinho (Nenê) e Fabiano
Técnico: Emerson Leão



Santos passa pelo Atlético-PR e é vice-líder do Brasileiro

Jogando de maneira inteligente e apostando nos contragolpes em velocidade, o Santos conquistou um importante resultado ao vencer o Atlético-PR por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba, em partida adiada da 14ª rodada (dia 22 de junho) do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos assume a segunda colocação isolada do Brasileiro. A equipe alvinegra chega aos 44 pontos, deixando o São Paulo em terceiro, com 41. O Cruzeiro continua na liderança, com 46.

Já a equipe time paranaense segue sem vencer há três jogos (derrotas para o Guarani em Campinas e Santos em casa, além de um empate diante do Paysandu em Curitiba) e permanece com 26 pontos, na 17º colocação na tabela de classificação.

As duas equipes entraram em campo reforçadas. No Atlético, o zagueiro Rogério Corrêa e o atacante Ilan voltaram depois de cumprir suspensão, enquanto o meia Adriano retornou depois de renovar seu contrato com o clube.

No Santos, as novidades foram Diego, Robinho, Paulo Almeida e Alex, que estavam servindo a seleção brasileira, além de Fábio Costa e Fabiano, que já cumpriram os quatro jogos de suspensão impostos pelo STJD. Em compensação, a equipe alvinegra não pôde contar com Ricardo Oliveira, negociado com o futebol espanhol.

No primeiro tempo, o Atlético manteve mais a posse de bola, mas o Santos foi mais perigoso nos contra-ataques. Na segunda etapa, o time santista provou que não sentiu a ausência de Ricardo Oliveira e fez dois gols em 13min, matando o adversário e garantindo a vitória.

O Santos volta a campo no próximo sábado, contra o Grêmio, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Já o Atlético-PR busca a reabilitação contra o Vasco, domingo, em São Januário, às 18h, pela 23ª rodada, a última do primeiro turno do Brasileiro.

O jogo

O Atlético começou melhor e criou a primeira chance aos 9min. Jadson cruzou da direita e, depois de bate-rebate, a bola sobrou para Igor, que chutou rasteiro, mas Alex salvou o Santos no meio do caminho.

Mesmo mantendo a posse de bola, o Atlético afunilava as jogadas pelo meio da área e errava passes, dando o contragolpe ao Santos, que era perigoso nos seus avanços em velocidade.

Aos 21min, Diego fez um belo lançamento para Elano, que saiu na cara do goleiro Diego, mas o atleticano conseguiu fazer a defesa. Na seqüência da jogada, Elano dominou e cruzou para Fabiano, que subiu livre, mas cabeceou à direita do gol.

Quatro minutos depois, Fabiano recebeu com liberdade, pela esquerda da área, e mandou de canhota, mas o tiro saiu por cima do gol. Aos 39min, o Atlético, que não conseguia invadir a área santista, criou boa chance em chute de fora da área de Ilan. A bola pegou grande efeito e ia entrando no canto esquerdo, mas Fábio Costa conseguiu espalmar.

Ilan fez boa jogada aos 41min e foi derrubado na entrada da área. Fabrício cobrou a falta e a bola passou com perigo, à direita da trave alvinegra. Aos 43min, Alex soltou a bomba em cobrança de falta e Diego fez outra defesa importante.

O Santos abriu o placar logo aos 7min da segunda etapa. Nenê fez boa jogada pela esquerda e sofreu falta rente à linha de fundo. Na cobrança ensaiada, Elano rolou para o próprio Nenê, que bateu da marca de pênalti no ângulo esquerdo, sem chances de defesa.

O time da casa quase empatou aos 9min. Depois de bobeira da dupla Alex e Preto, a bola ficou com Ilan, que limpou a jogada e rolou para Jadson, livre, na pequena área. No entanto, o meia não entendeu e acabou não alcançando a bola.

O erro atleticano foi fatal. Aos 13min, o capitão Renato avançou em alta velocidade pela intermediária, tabelou com Fabiano e chutou forte de pé direito, rasteiro, no canto esquerdo de Diego, marcando o segundo gol santista.

Depois de fazer 2 a 0, o Santos se fechou e esperou o Atlético em seu campo. O time paranaense tentou o ataque de forma desordenada e deu espaços para os contragolpes santistas, como aos 25min, quando Fabiano perdeu bela oportunidade depois de cruzamento de Reginaldo Araújo.

A partir dos 35min, o panorama do jogo não se modificou, mas o ritmo da partida caiu. O resultado adverso gerou protestos da torcida atleticana, principalmente contra o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão.