Santos 2 x 1 Rio Claro

Data: 14/02/2010, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 32.001 pagantes
Renda: R$ 775.450,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Vicente Romano Neto e David Botelho Barbosa
Cartões amarelos: Marco Aurélio, Neno, Vinícius e Alessandro Paraná (RC); Madson (S)
Cartão vermelho: Ernando (RC)
Gols: Jackson (39-1); André (24-1) e Giovanni (44-2).

SANTOS
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Wesley Santos (Madson); Rodrigo Mancha, Germano (Giovanni), Marquinhos (André) e Paulo Henrique; Neymar e Robinho
Técnico: Dorival Júnior

RIO CLARO
Sidney; Luciano, Ernando Vinícius; Neno (Lucas), Walker, Danilo Avelar (Alessandro Paraná), Davi, Maicon Souza (Willian Alves) e Marco Aurélio; Jackson
Técnico: Paulinho McLaren



Com gol salvador de Giovanni, Santos vira e continua líder

Peixe foi surpreendido pelo Rio Claro no Pacaembu, mas virou em duas jogadas de Neymar; Robinho jogou a partida inteira, porém ficou devendo.

O Santos sofreu, mas conseguiu voltar à liderança do Campeonato Paulista. Em uma partida dramática, o Peixe teve que lutar bastante, até o final, para alcançar a vitória sobre o Rio Claro, por 2 a 1, na tarde deste domingo de Carnaval, no Pacaembu.

O experiente ídolo alvinegro Giovanni foi o grande herói do confronto, marcando o gol da virada santista, o seu primeiro desde que retornou pela terceira vez à Vila Belmiro.

Essa vitória colocou o Santos isolado na liderança do Estadual, com 19 pontos ganhos. O Galo Azul segue na zona do rebaixamento, agora na penúltima colocação, com quatro pontos.

O jogo

Embalado pela sequência de quatro vitórias na competição, o Santos entrou em campo tentando fazer valer o seu favoritismo, tão falado durante a semana. Mas, como o técnico Dorival Júnior já havia previsto, o Rio Claro foi ao Pacaembu determinado a dificultar a vida dos santistas.

Com várias mudanças em sua equipe titular e com um esquema que privilegiava a marcação, com três zagueiros e três volantes, o Galo Azul neutralizava as ações ofensivas do Peixe e ainda encontrava tempo para assustar o gol de Felipe.

Aos seis, os visitantes assustaram, quando Davi subiu em meio à defesa alvinegra e, graças a um desvio de Edu Dracena, a cabeçada do meio-campista do Rio Claro acabou passando ao lado do gol de Felipe. Aos 26, foi a vez de Luciano assustar, em cobrança de falta que saiu rente à trave esquerda do Santos.

Com pouca criatividade e ainda vendo o seu adversário chegar com perigo nos contra-ataques, Dorival aproveitou que o meia Marquinhos deixou o jogo machucado, com um corte na testa, para colocar um centroavante. O garoto André entrou com a missão de incomodara a zaga do Galo Azul.

Mas, aos 39, a boa atuação dos visitantes foi recompensada. Maicon Souza evitou a saída de bola pelo lado esquerdo, driblou facilmente Pará e tocou em direção a Jackson, que dentro da pequena área, só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes: 1 a 0 para o Rio Claro.
Na volta para o segundo tempo, o Peixe criou uma boa chance de gol logo no primeiro minuto. Robinho fez boa jogada individual e tocou para Neymar, que ajeitou a bola dentro da grande área, porém, na hora da finalização, acabou chutando mal.

Mais determinado na etapa complementar, o Alvinegro Praiano passou a visitar constantemente a grande área do adversário. Aos 11, Robinho quase marcou, após cobrança de escanteio de Neymar. No entanto, o ‘Rei das Pedaladas’ não alcançou a bola. Dois minutos depois, o mesmo Robinho recebeu, parou e, na hora de chutar dentro da grande área, mandou a bola nas mãos do goleiro Sidney.

Procurando aumentar ainda mais o poderio ofensivo de sua equipe, com 13 minutos, Dorival sacou o jovem lateral esquerdo Wesley Santos para a entrada do ‘baixinho’ Madson. Germano também deixou a partida para a entrada de Giovanni.

As mudanças surtiram o efeito desejado e o Santos deixou tudo igual no placar aos 24 minutos. Em rápido contra-ataque, Giovanni lançou Neymar, que bateu na saída do goleiro Sidney. O arqueiro, que fechou bem o ângulo do camisa 17, não conseguiu evitar que o centroavante André fosse mais rápido que a zaga do Galo Azul e completasse para o gol vazio.

Com a expulsão do zagueiro Ernando, do Rio Claro, o Peixe passou a sufocar a zaga rival. E o resultado dessa pressão apareceu no final do jogo. Aos 44, Neymar arriscou um chute forte, bem defendido por Sidney de forma parcial. Bem posicionado, Giovanni mostrou tranquilidade e categoria para aproveitar a sobra e definir de cabeça, decretando a virada santista e a retomada da liderança do Alvinegro Praiano na tabela do Paulistão.