Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) Reportagem Fantástico.

Santos 2 x 1 São Paulo

Data: 07/02/2010 – 17h00
Competição: Campeonato Paulista
Local: Arena Barueri, em Barueri, SP.
Público: 14.519 pagantes
Renda: R$ 444.688,75
Árbitro: Marcelo Rogério (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto e David Botelho Barbosa
Cartões amarelos: Miranda, Xandão (SP); Edu Dracena, Wesley, Zé Eduardo (S).
Gols: Neymar (38-1, de pênalti); Roger (22-2) e Robinho (40-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Renato Silva, Xandão e Miranda; Jean, Richarlyson, Hernanes, Marcelinho Paraíba (Léo Lima) e Jorge Wagner; Dagoberto (Roger) e Washington (Cléber Santana)
Técnico: Ricardo Gomes

SANTOS
Felipe; Wesley, Edu Dracena, Durval e Léo; Rodrigo Mancha, Arouca, Marquinhos (Zé Eduardo) e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Germano) e André (Robinho)
Técnico: Dorival Júnior



Robinho faz golaço e dá vitória ao Santos contra o São Paulo

Atacante saiu do banco de reservas aos 12 minutos do segundo tempo para decidir o jogo com um gol de letra

O atacante Robinho só entrou em campo depois do intervalo do clássico deste domingo, mas teve tempo para marcar um golaço e garantir a vitória por 2 a 1 do Santos sobre o São Paulo, no fim da ‘turnê’ tricolor na Arena Barueri.

O Peixe abriu o placar com Neymar, que deu uma ‘paradinha’ para converter pênalti, no primeiro tempo. Já na etapa complementar, Roger empatou a partida de cabeça. Porém, nos minutos finais, o ‘Rei das Pedaladas’ mostrou por que é exaltado pela torcida santista. Após cruzamento da direita, o camisa 7 completou de letra para marcar um golaço.

O resultado levou o time de Dorival Júnior para a liderança do Campeonato Paulista, com 16 pontos, enquanto o Tricolor caiu para o quinto lugar, com 11.

Vantagem santista

Para tentar evitar a correria dos garotos do Santos, o Tricolor começou a partida apostando na velocidade de Dagoberto e Marcelinho Paraíba. Por isso, a equipe de Ricardo Gomes concentrou as jogadas em seu campo ofensivo durante os cinco minutos iniciais. Na primeira tentativa, Jorge Wagner encontrou Marcelinho na área, mas a finalização passou ao lado da meta de Felipe.

Na chance seguinte, o camisa 11 chutou rasteiro e viu o goleiro segurar sem problemas. Alternando entre a esquerda e a direita, Dagoberto sentiu a necessidade de buscar jogadas individuais, mas o Peixe conseguiu se segurar sem sustos até o momento de equilibrar a partida.

Com Neymar bem marcado, Paulo Henrique Ganso chamou a responsabilidade e criou boas oportunidades. Em uma amostra de sua habilidade, passou a bola por entre as pernas de Washington dentro da área, mas perdeu a jogada em seguida. Na resposta tricolor, Hernanes dominou pela esquerda, fez bela fila em diagonal e rolou na meia-lua para Marcelinho Paraíba completar. Mas a conclusão foi fraca, e Felipe se posicionou bem para segurar.

Em maioria, a torcida são-paulina se animou nas arquibancadas da Arena Barueri, mas levou sustos logo depois, já que Ganso voltou a arriscar jogadas individuais. O camisa 11 santista passou por Richarlyson pela direita, invadiu a área e fez a assistência para Marquinhos, que errou o alvo.

No lance seguinte, depois de cobrança de escanteio na esquerda, Ganso passou por um defensor e ainda deu dois dribles para se livrar de Jean, antes de cruzar rasteiro para André, que, mesmo livre na marca do pênalti, finalizou para fora, enquanto Rogério Ceni só teve tempo de ficar na torcida.

O Tricolor, por sua vez, voltou a trocar passes no sistema ofensivo, mas pecou duas vezes quando tentou invadir a área. Apesar do forte calor, o Santos puxou novo contragolpe perigoso. Léo recebeu com liberdade pela esquerda e cruzou para André, que ajeitou para Neymar cabecear, mas sem força para ameaçar Rogério.

Sem caprichar nas tentativas de fazer tabela (sua principal jogada das rodadas passadas), o São Paulo continuou esbarrando na defesa santista. Assim, Xandão percebeu a necessidade de chegar como surpresa e fez fila até a entrada da área, quando foi desarmado. Pouco depois, Jean arriscou de longe e observou o trabalho que Felipe teve para segurar em dois tempos.

Curiosamente, o Peixe abriu o placar contando com grande ajuda de um ex-são-paulino. O árbitro Marcelo Rogério assinalou pênalti de Miranda sobre Arouca, que está emprestado pelo Tricolor ao time da Vila Belmiro. Assim, aos 38 minutos, Neymar enganou Rogério Ceni com uma ‘paradinha’ e só empurrou para as redes. Depois de comemorar com a torcida, o garoto correu até o banco de reservas e recebeu os parabéns de Robinho.

Na última jogada de perigo da etapa inicial, o São Paulo levantou a torcida. Hernanes fez ótimo cruzamento da esquerda para Washington, que, livre, quase alcançou.

Robinho volta e brilha

O São Paulo voltou melhor para o segundo tempo e ameaçou com batida perigosa de Jorge Wagner. O Peixe ainda buscou alguns contragolpes sem perigo. Assim, aos dez minutos, a torcida santista vibrou como se tivesse saído um gol: Dorival Júnior chamou Robinho para conversar. Depois de quase cinco anos, o ‘Rei das Pedaladas’ voltou a campo com a camisa alvinegra, na vaga de André.

Mas Ricardo Gomes não perdeu tempo e também fez sua alteração. O ex-santista Cléber Santana entrou no lugar do atacante Washington. Com isso, Marcelinho Paraíba passou a se posicionar mais próximo do gol. A partir daí, as ações de Robinho passaram a ser um termômetro para as arquibancadas. O atacante avançou e pedalou na frente de Miranda, gerando a vibração dos visitantes. Mas o zagueiro se recuperou e tirou a bola, permitindo a resposta da maioria tricolor.

Porém, do outro lado, o time mandante aproveitou boa chance para chegar perto do empate. Jean recebeu assistência de Hernanes, passou por um marcador na área e bateu perto da meta de Felipe. No lance seguinte, na meia-lua, Edu Dracena fez falta para impedir que Richarlyson chegasse livre na área. Antes da batida da falta, Dagoberto deixou o campo para a entrada de Roger.

Na cobrança, Ceni rolou para Jean emendar com força, mas a bola bateu em Marquinhos. E o atacante que tinha acabado de entrar em campo brilhou, mas não foi Robinho. Aos 22, depois de cruzamento da direita, Roger subiu entre a zaga para cabecear para as redes.

Logo depois de sofrer o revés, Dorival Júnior sacou Marquinhos para a entrada de Zé Eduardo. Depois de uma boa defesa de Felipe em cobrança de falta de Marcelinho Paraíba, o Santos teve sua primeira chance com Robinho, que tabelou com Neymar e saiu livre para bater cruzado, mas Rogério Ceni se esticou para salvar o São Paulo.

O jogou ficou aberto e emocionante. Hernanes carregou a bola pela intermediária e arriscou a finalização, perto da meta adversária. Do outro lado, Robinho dominou na meia-esquerda e deu um toque rente à trave. Porém, aos 41 minutos, o ‘Rei das Pedaladas’ recebeu da direita e mandou de letra para dar a vitória do Peixe.