Santos 0 x 1 Botafogo

Data:09/09/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 15.492 pagantes
Renda: R$ 352.440,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Helberth Andrade (MG).
Cartões amarelos: Edu Dracena e Danilo (S); Herrera, Fahel, Marcelo Mattos e Loco Abreu (B).
Gol: Loco Abreu (44-2).

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Danilo, Zezinho (Breitner) e Marquinhos (Madson); Neymar e Keirrison (Zé Eduardo).
Técnico: Dorival Júnior

BOTAFOGO
Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Marcelo Cordeiro; Leandro Guerreiro, Fahel (Caio), Marcelo Mattos, Renato Cajá e Maicosuel (Loco Abreu); Herrera (Edno).
Técnico: Joel Santana



Loco Abreu entra, faz golaço e garante vitória do Botafogo contra o Santos

Loco Abreu recuperou o moral no Botafogo. Após passar o primeiro turno em branco no Campeonato Brasileiro, discutir com Joel Santana, e amargar o banco de reservas, o atacante uruguaio entrou nos minutos finais do duelo contra o Santos, e garantiu a vitória por 1 a 0, na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, ao marcar um golaço aos 45 minutos do segundo tempo.

O temido ataque santista sucumbiu ao goleiro Jefferson. O goleiro do Botafogo, recentemente convocado por Mano Menezes, foi o outro responsável pela vitória no confronto direto pelo G-4.

Com o resultado, o Botafogo ultrapassou o adversário e foi aos 34 pontos, na 3ª colocação. O Santos caiu para a 5ª posição, com 31 pontos.

O jogo

Dorival Júnior e Joel Santana procuraram fazer suspense antes da partida. E realmente os dois treinadores surpreenderam nas escalações. O Santos contou com Zezinho como titular, e Zé Eduardo no banco de reservas. Enquanto o Botafogo entrou em campo com apenas um atacante: Herrera.

A esperança botafoguense era encaixar bons contra-ataques. Algo que pouco aconteceu no primeiro tempo. Já os santistas criaram as melhores oportunidades e estiveram mais próximos de abrir o placar. Neymar, Durval e Danilo deram chutes perigosos. Não à toa, Jefferson foi o destaque da primeira etapa.

O sufoco inicial santista não resultou em gol. E a equipe caiu de produção no trecho final da etapa. Sinal claro de que mudanças iriam ocorrer.

Na volta para a segunda etapa, Dorival sacou Marquinhos e Keirrison para as entradas de Zé Eduardo e Madson. A equipe ganhou em velocidade, e teve gás para imprimir uma nova pressão na partida.

Logo no primeiro minuto da etapa final, Zé Eduardo recebeu passe de Zezinho, e chutou forte. Novamente, Jefferson se destacou com uma bela defesa.

Antes dos 10 minutos, vendo o time cada vez mais pressionado, Joel colocou em campo um segundo atacante. Caio entrou no lugar de Fahel. Pouco depois, a tática foi novamente modificada com a saída de Herrera e a entrada de Edno.

As alterações não modificaram a intensidade da partida. Sem grandes oportunidades criadas, a última substituição de cada treinador foi gasta com as entradas de Breitner, no Santos, e Loco Abreu, no Botafogo.

O Santos buscou pressionar o adversário nos minutos finais. Como anteriormente, Jefferson evitou o pior. O goleiro fez novas defesas em chutes de Neymar e Zé Eduardo.

O prêmio ao camisa 1 do Botafogo foi dado por Loco Abreu aos 45 minutos. O atacante uruguaio recebeu na frente de Rafael, driblou o goleiro, e rolou para o fundo do gol, garantindo a vitória da equipe carioca.