Cruzeiro 0 x 0 Santos

Data: 02/06/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 15.708 pagantes
Renda: R$ 532.867,50
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas e César Augusto de Oliveira Vaz (ambos do DF)
Cartões amarelos: Elicarlos, Fabrício, Henrique e Jonathan (C); Paulo Henrique, Durval, Neymar e Zezinho (S)
Cartão vermelho: Marcel (S)

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan, Gil, Thiago Heleno e Diego Renan (Sebá); Fabrício, Marquinhos Paraná, Henrique e Elicarlos (Pedro Ken); Eliandro (Roger) e Thiago Ribeiro.
Técnico: Adilson Batista

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Rodriguinho, Wesley, Marquinhos (Zezinho) e Paulo Henrique; Neymar (Madson) e André (Marcel).
Técnico: Dorival Júnior



Cruzeiro é o primeiro a frear ataque do Santos, mas só empata no Mineirão

O poderoso ataque do Santos, com 120 gols marcados na temporada, passou em branco pela primeira vez. O feito foi conseguido pelo Cruzeiro, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, o time mineiro não conseguiu marcar e a partida terminou empatada por 0 a 0.

Após a partida, o técnico Adílson Baptista anunciou que está deixando o comando do Cruzeiro. O treinador se despedirá do time no domingo, depois do confronto com o Atlético-GO.

O jogo foi de baixa qualidade técnica. Ambas as equipes tiveram poucas chances para marcar. O time mandante ficou perto da vitória, após a expulsão do centroavante santista, Marcel, aos 25 minutos, mas o alvinegro conseguiu segurar a igualdade.

Com o resultado, Santos e Cruzeiro seguem juntos na tabela. As equipes somam nove pontos cada e ocupam a 5ª e 6ª posição respectivamente.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Vasco, domingo, na Vila Belmiro. Já o Cruzeiro duela com o último colocado, Atlético-GO, no mesmo dia, no Serra Dourada.

Adilson Batista e Dorival Júnior tinham como objetivo aumentar o moral no clube com uma vitória na partida. Para isso, os dois treinadores surpreenderam nas escalações. O time mineiro entrou em campo sem o experiente meia Roger, e com Elicarlos em seu lugar. Já Dorival promoveu a estreia do goleiro Rafael, formado nas categorias de base do clube. Felipe ficou no banco de reservas.

As duas opções surtiram efeito defensivamente nos 45 minutos oficiais. Elicarlos ajudou a segurar o poderoso ataque santista na primeira etapa. Já Rafael teve pouco trabalho, mas demonstrou segurança, e não cometeu falhas.

O duelo teve qualidade técnica abaixo do esperado para o primeiro tempo. As duas criaram poucas chances. O alvinegro teve uma ótima oportunidade logo aos 7 minutos, na única finalização do time no primeiro tempo. André apareceu livre na frente de Fábio, chutou forte, mas o goleiro cruzeirense fez uma ótima defesa.

O time mandante teve mais posse de bola, e chegou constantemente no ataque. Porém, a equipe também pouco assustou. A exceção foi uma cobrança de escanteio de Thiago Ribeiro que terminou com uma cabeçada de Gil no travessão, aos 30 minutos.

As equipes seguiram sem empolgação nos minutos finais da primeira etapa, e foram para o intervalo empatando sem gols.

Apesar da baixa qualidade demonstrada pelos times, ambos os treinadores não promoveram modificações na volta para o segundo tempo. O posicionamento tático das equipes, no entanto, foi alterado. As equipes passaram a atacar com mais frequência.

Um lance polêmico aconteceu aos 9 minutos. Eliandro foi derrubado pelo goleiro Rafael dentro da área, em um lance que tentou encobri-lo de cabeça. O árbitro, nada marcou.

Irritado com a baixa produção ofensiva, Dorival Júnior optou por realizar duas alterações antes dos 20 minutos. Zezinho e Marcel entram em campo nos lugares de Marquinhos e André, respectivamente. Mas o que modificou o panorama do jogo foi a expulsão do centroavante Marcel aos 25 minutos, após entrada dura em Jonathan.

Adilson Batista colocou o jovem atacante Sebá no lugar do lateral Diego Renan e trouxe o time mineiro ainda mais para frente. O sacrificado do lado santista foi Neymar, substituído por Madson.

Encurralando o Santos no campo defensivo, o Cruzeiro esteve mais perto do triunfo. Entretanto, a equipe mineira sequer conseguiu uma finalização, e a partida terminou empatada sem gols.