Santos 1 x 1 Ceará

Data: 16/05/2010, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.998 pagantes
Renda: R$ 225.975,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Sousa Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG).
Cartões amarelos: Fabrício, Anderson, João Marcos (C) e Edu Dracena (S).
Gols: Washington (09-1) e Neymar (38-1).

SANTOS
Felipe; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Marquinhos (Madson) e Paulo Henrique; Neymar e André (Marcel)
Técnico: Dorival Júnior

CEARÁ
Diego; Diogo (Tony), Fabrício, Anderson e Ernandes; Michel (Junior Cearense), João Marcos, Careca e Erick Flores (Luizinho); Misael e Washington
Técnico: Paulo César Gusmão



Arbitragem ‘ajuda’ o Santos, que empata contra o Ceará na Vila Belmiro

O Santos avisou que não pensaria pelo menos neste domingo no Grêmio, rival desta quarta pela semis da Copa do Brasil. Na prática foi diferente. A equipe paulista não deu show, salvo alguns lampejos de Neymar, e teve a ajuda da arbitragem para empatar por 1 a 1 com o Ceará, na Vila.

O empate foi contestado pelo time nordestino, que reclamou de um gol mal anulado pela arbitragem (anotado por Anderson), além de negar ter havido pênalti que resultou no gol de Neymar.

“A gente teve um gol anulado onde não estava impedido. O pênalti, para nós, não existiu, foi muito duvidoso”, afirmou Juninho Cearense.

Já os santistas lamentaram pênalti perdido por Neymar aos 40 min do segundo tempo.

“Não tem como apagar a Copa do Brasil. Estamos totalmente focados porque, queira ou não, é jogo de vida ou morte. Não estávamos realmente em uma grande tarde. Mas cada jogo é uma história, e na quarta feira estaremos fortes, dando o máximo contra o Grêmio”, destacou o técnico Dorival Júnior.

Mesmo próximo do segundo jogo diante do Grêmio, pela Copa do Brasil, agendado para quarta-feira, Dorival Junior descartou usar mistão contra o Ceará, alegando que o time apresentou rendimento irregular nas últimas partidas. Léo e Robinho foram poupados.

No primeiro lance ofensivo da partida, Washington colocou o Ceará à frente no marcador. O estreante da equipe nordestina aproveitou mau posicionamento do zagueiro Durval na área e cabeceou sem marcação.

Desligado em campo, o Santos permitia os avanços do Ceará nos minutos iniciais do jogo. Lentos, Durval e Dracena perdiam seguidamente na corrida com o atacante Misael, que criava as jogadas da equipe visitante.

Pouco após o gol de Washington, o time cearense chegou a marcar o segundo, mas o árbitro anulou erradamente gol de Anderson.

Sem Robinho, poupado para a partida da Copa do Brasil, o Santos explorou as jogadas de ataque com Neymar, André e Arouca, que teve liberdade para avançar.

Mesmo sem brilho no 1º tempo, o Santos conseguiu o empate aos 38 min, em cobrança de pênalti batida por Neymar. O atacante recorreu a uma paradinha “dupla”, enganando o goleiro Diego.

No intervalo de jogo, Dorival solicitou à diretoria para que o gramado fosse molhado. O pedido foi atendido. A ideia era explorar chutes de longa distância.

Para a segunda etapa, Dorival decidiu colocar o meia Madson, entendendo que o time estava sonolento e arriscando poucas finalizações.

Assim como nos 45 min iniciais, a segunda etapa apresentou maior interesse do Ceará na busca pelo gol. Dentro da área, Washington perdeu ótima chance de desempatar o jogo.

Com exceção de Neymar, que incomodava a defesa do Ceará, o ataque santista esbarrava na marcação rival. Dorival optou por tirar o atacante André durante a segunda etapa, já pensando no duelo contra o Grêmio.

A partir dos 30 min do segundo tempo, o Santos “acordou”, passando a pressionar o Ceará. A blitz alvinegra resultou em penalidade. Em linda jogada, Neymar foi derrubado dentro da área. Na cobrança, e sem paradinha, o atacante chutou para fora.

Nos minutos finais, o Santos foi só ataque. Madson chutou para fora última oportunidade. Neymar recebeu cartão amarelo ao disputar bola com o goleiro Diego. O Ceará, em contragolpe, quase marcou o segundo, mas o chute de Misael bateu na zaga alvinegra.