Navegando Posts marcados como técnico



Ariel Holan não é mais o técnico do Santos. Após mais uma derrota pelo Campeonato Paulista, o argentino pediu para ser desligado do Peixe, em um diálogo transparente com a diretoria. Andres Rueda, presidente do clube, detalhou o processo em entrevista nesta segunda.

“Ontem, conversando com o treinador após o jogo, de uma maneira muito transparente, ele nos solicitou que o jogo contra o Boca fosse o último à frente do time”, afirmou o presidente, que completou: “Agora de manhã, estamos vendo se ele realmente será o nosso técnico contra o Boca. Eu lembro que nós temos uma comissão permanente no clube”.

Rueda deixou claro que não tinha o objetivo de perder o técnico neste momento, mas revelou que a situação já estava bastante desgastada.

“Ponderamos, não era o que eu queria. O pessoal confunde projeto de três anos com contrato de três anos com o treinador. Existe uma quebra de contrato de qualquer parte. Ponderamos e de comum acordo aceitamos essa situação. Tentei reverter, não teve jeito. Houve até caso de fogos no apartamento dele. Soltaram rojão. Isso o deixou de uma maneira pouco confortável. Agora de manhã estamos vendo se realmente vai ser nosso técnico com o Boca ou se não vai ser nosso técnico com o Boca. Neste sentido, o clube tem uma coisa boa, uma comissão permanente”, disse o mandatário.

Por fim, Rueda garantiu que o Santos buscará trazer um treinador que tenha um perfil semelhante ao de Holan, sem que haja uma ruptura de projetos esportivos.

“O perfil não muda. Queremos um treinador que goste de jogar com a base, que jogue para a frente, que agregue tecnologia. Vamos fazer o possível para trazer o treinador mais rapidamente. A nossa comissão permanente existe para isso: suprir essas lacunas entre um técnico e outro”, pontuou Rueda.

“Eu lembro que quando escolhemos o Ariel para ser o treinador, a aceitação da torcida foi de praticamente 100%. A torcida entendeu, gostou da contratação. Era um nome bem cotado. De novo, ele tem um perfil que se encaixa no Santos. Simplesmente, as coisas não aconteceram como planejado”, finalizou.

Holan deixa o Santos após 12 partidas no comando da equipe, com quatro vitórias, três empates e cinco derrotas.


O Santos fechou a contratação de Ariel Holan para substituir Cuca. O técnico argentino ex-Universidad Católica (CHI) chega para um vínculo até dezembro de 2023.

À procura de auxiliares para a sua comissão técnica, Ariel Holan deve chegar ao Peixe até o fim dessa semana, com a estreia prevista apenas para o Campeonato Paulista. O contrato até dezembro de 2023 está apalavrado e será anunciado pelo clube nesta segunda-feira.

Holan gostaria de trazer da Universidad Católica o auxiliar Juan Esparis e o preparador físico Facundo Peralta, mas a dupla não deve vir ao Brasil. Esparis por questões pessoais, enquanto Peralta quer continuar no Chile.

Ariel Holan tem uma equipe particular de analistas de desempenho. A princípio, os três devem continuar com o argentino e não na folha salarial do Peixe. Esse tema, porém, ainda será debatido.

Holan estava no topo da lista do Santos desde o início da procura por um técnico, há mais de duas semanas. A pedida inicial foi alta. Na sequência, o clube conseguiu um “desconto” e passou a avançar na negociação. O valor da comissão técnica será de pouco menos de R$ 600 mil.

O Santos analisou outras opções, como Hernán Crespo, Tiago Nunes e Beccacece. No caso de Crespo, o salário de mais de R$ 1 milhão inviabilizou qualquer papo e ele foi para o São Paulo. Com Nunes e Beccacece, a preocupação foi a mesma: o relacionamento com o elenco. Ambos têm histórico de problemas com atletas e colegas.

Com Holan, o Alvinegro fica satisfeito por aliar projeto de futebol e bom convívio. Sair de Cuca, adorado pelos jogadores, para Tiago Nunes ou Beccacece poderia significar uma ruptura no dia a dia do CT Rei Pelé.

Holan tem 60 anos e foi aprovado pelo departamento de futebol e pela análise de desempenho. O argentino começou no Defensa y Justicia em 2015 e passou por Independiente e Universidad Católica. Antes, foi auxiliar e desempenho e técnico de hóquei sobre a grama.

A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões no Comitê de Gestão. Para alguns, o comandante seria o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento “venceu”.

Votação
O Comitê de Gestão deliberou sobre Ariel Holan por alguns dias. Mais do que maioria simples para a aprovação, o presidente Andres Rueda buscou um consenso.

Quem foi a favor ou contra a chegada de Holan expôs seus argumentos em grupo no Whatsapp. A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões. Para alguns, o comandante é o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento “venceu”.

Cuca
O Santos gostaria de ter Cuca para a partida contra o Bahia na próxima quinta-feira, em Salvador, no encerramento do Campeonato Brasileiro, mas o técnico foi liberado para cuidar de sua família. A mãe e uma das filhas estão internadas com covid-19.

Dessa forma, o auxiliar Marcelo Fernandes deve dirigir o Peixe. O Alvinegro empatou com o Fluminense na despedida de Cuca e está perto da classificação para a Pré-Libertadores.

Holan curioso
Enquanto deixou a questão financeira e contratual para seus representantes, Ariel Holan buscou informações sobre o Santos. Ele falou com colegas de profissão e perguntou ao Peixe sobre questões específicas, como quantidade de campos e uso da tecnologia no departamento de análise de desempenho.

Holan tem vontade antiga de trabalhar no Brasil e viu o Santos como ótima porta de entrada por sua história, presença de jogadores de destaque como Marinho e Soteldo e a predisposição a revelar jovens da base.

Ariel Holan está disposto a trabalhar com a realidade do Santos, de não contratar e correr o risco de perder outros atletas. Os reforços podem chegar só no segundo semestre.

Ariel Holan define auxiliar e preparador físico antes de chegar ao Santos

Ariel Holan definiu seu auxiliar técnico para o trabalho no Santos: Víctor Bernay, de 50 anos e também argentino, será o braço direito do novo comandante do Peixe.

Bernay foi auxiliar de Pedro Troglio em clubes como Gimnasia e Argentinos Juniors e, mais recentemente, dirigiu as categorias de base do Cerro Porteño (PAR) e chegou a assumir o time principal por alguns jogos após a saída de Miguel Angel Russo em 2019.

O preparador físico deve ser Diego Giacchino, argentino de 47 anos. Ele tem passagens por Independiente, Banfield e seleções do Irã e da Colômbia. A princípio, o treinador virá com apenas dois profissionais.

Ariel Holan gostaria de trazer da Universidad Católica o auxiliar Juan Esparis e o preparador Facundo Peralta, mas a dupla não virá ao Brasil. Esparis por questões pessoais, enquanto Peralta quis continuar no Chile.

E Holan tem uma equipe particular de analistas de desempenho. Em um primeiro momento, os três devem continuar com o argentino e não na folha salarial do Alvinegro.

Ariel Holan assinou com o Santos até dezembro de 2023. À espera da confirmação do voo para sexta ou sábado, ele deve ficar nas tribunas do Canindé diante do Santo André, no domingo, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. A estreia pode ocorrer na Vila Belmiro contra a Ferroviária, no dia 3.

Com o auxiliar Marcelo Fernandes, o Peixe enfrentará o Bahia nesta quinta-feira, em Salvador, pelo encerramento do Brasileirão, e depois o Santo André. Pará, Luan Peres, Felipe Jonatan, Alison, Soteldo e Lucas Braga ganharam folga e voltam na próxima terça-feira.

Ariel Holan é o 17º técnico estrangeiro da história do Santos

O Santos oficializou nesta segunda-feira a contratação do técnico Ariel Holan, que assinou um contrato válido até dezembro de 2023. Aos 60 anos, ele se torna o 17º comandante estrangeiro a assumir o Peixe na história e o quarto argentino.

O primeiro nome da lista foi Harold Cross, da Irlanda, ainda na era amadora do time, em 1912. Já os mais recentes foram Jorge Sampaoli, em 2019, e Jesualdo Ferreira, no início de 2020. O primeiro fez sucesso na Vila Belmiro, levando o clube a vice-liderança do Brasileirão. Já o português não correspondeu com as expectativas e foi demitido depois de apenas 15 jogos.

Já o treinador estrangeiro que mais durou no comando técnico santista foi Abel Picabéa. O argentino realizou 71 partidas, com 38 vitórias, 15 empates e 18 derrotas. Na sequência, aparece Dario Letona, com 64 compromissos. Fechando o top 3 está Sampaoli, com 61 embates.

Confira a lista completa de todos os estrangeiros que já dirigiram o Santos:

Era amadora
1912 – Harold Cross (Irlanda)
1916/1919 – Juan Bertone (Uruguai)
1919 – Ramón Platero (Uruguai)

Era profissional:
1934 – Pedro Mazullo (Uruguai)
1934/1935 e 1950 – Caêtano di Domenica (Itália)
1937 – Franz Gaspar (Hungria)
1939/1940 – Isaac Goldenberg (Áustria)
1940/1941 – Dario Letona (Peru)
1944 – Ricardo Diez (Uruguai)
1946/1947 – Abel Picabéa (Argentina)
1948 – Diego Ayala (Paraguai)
1951 – Luiz Comitante (Uruguai)
1954 – Giuseppe Ottina (Itália)
1977/1978 – Ramos Delgado (Argentina)
2019 – Jorge Sampaoli (Argentina)
2020 – Jesualdo Ferreira (Portugal)
2021 – Ariel Holan (Argentina)



Ariel Holan é apresentado no Santos e assume compromisso: “Equipe protagonista em todos os campos” ( Em 01/03/2021 )

Ariel Holan foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira como novo técnico do Santos. O argentino concedeu a entrevista coletiva ao lado do presidente Andres Rueda.

Com contrato até dezembro de 2023, Holan está entusiasmado com o desafio. Ele chegou ao Brasil na noite de sábado e, no domingo, esteve no Canindé para assistir ao empate em 2 a 2 com o Santo André, pela primeira rodada do Campeonato Paulista.

“Agradeço ao presidente pela confiança por me darem a honra de ser treinador do Santos. Santos para mim é um grande desafio. Ontem, quando andava pelo campo de jogo, pensava que ali jogou Pelé, Neymar e tantos outros. De uma história tão rica, bicampeão do mundo e tricampeão da América. E, sobretudo, com uma marca mundial. Estou muito feliz. É um compromisso com todos os torcedores sobre ter uma equipe protagonista em todos os campos. Uma equipe de acordo com a história do futebol brasileiro”, disse Holan, antes de fazer outra promessa.

“Meu compromisso também é de falar português ou portunhol. Terei meu professor nessa semana para me comunicar melhor com vocês”, completou.

O presidente Andres Rueda comentou sobre a escolha de Ariel Holan.

“Mais do que um técnico, trazemos ao Santos um parceiro. Sempre procuramos, dentro do perfil imaginado, um parceiro que nos ajude a implementar os processos falados na campanha. Metodologia e tudo que esperamos implementar especificamente no futebol. Teve muita especulação, o que é normal, mas só divulgamos os fatos concretizados. Até pela falta disso, muito se falou de nomes, notícias fakes, mas o processo andou como deveria. E hoje estamos aqui para apresentar a vocês. Processo foi normal como qualquer outro de seleção. Nossa ideia não era discutir nomes, mas perfis. Jogo ofensivo, pelo DNA do Santos, entendendo e gostando de trabalhar com a base. Terceiro que fosse um parceiro. Quarto, e fundamental, que entendesse a situação momentânea que o clube atravessa. Trazemos o Ariel com transparência. Conhece a situação e, quando tem transparência, evita-se qualquer choque no futuro”, avaliou.

“Outro ponto é que Ariel gosta muito de tecnologia. É moderno. Ele não quer esconder o jogo para ele, faz questão que o Santos coloque seus profissionais na comissão para formar novas gerações. Pessoal vai acompanhar, aprender e que no futuro possamos dar continuidade ao trabalho. Chega de sair um treinador e a gente começar do zero. Mais um ponto é que estava dentro da possibilidade financeira, obviamente. Não faremos loucuras e nem promessas que não serão cumpridas. É questão de honra”, emendou o presidente.

O primeiro treinamento de Ariel Holan ocorrerá nesta terça-feira, no CT Rei Pelé.


Diretoria surpreende e acerta contratação de Cuca, que estava sem clube desde que deixou o Palmeiras, em outubro do ano passado

Cuca é o novo técnico do Santos. O anúncio foi feito pela diretoria nesta segunda-feira, exatamente uma semana após a demissão de Jair Ventura. Cuca estava sem clube desde outubro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras. Será a segunda passagem de Cuca pelo Santos como treinador. Ele jogou no clube em 1993 (era meio-campista).

– Feliz com o acerto com o Santos após um ano sem trabalhar para poder resolver questões pessoais. Estou renovado e motivado por assumir este grande desafio. Muito feliz e muito confiante. Amanhã estarei aí – disse Cuca, por mensagem.

Coube ao executivo de futebol, Ricardo Gomes, fazer o anúncio da contratação de Cuca. O contrato vai até o fim do ano que vem.

– Estamos aqui (para anunciar) um acordo com o Cuca. Isso foi uma boa escolha para o clube, para o Cuca. A expectativa é tê-lo já no treino de amanhã (terça) e no jogo da quarta-feira (contra o Cruzeiro). O contrato é válido até dezembro de 2019 – disse Ricardo Gomes, em entrevista coletiva.

– Começamos a negociação hoje pela manhã. Depois de duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso (…) É um treinador competente, com experiência, com títulos. É ofensivo. Reúne todas essas qualidades para o nosso trabalho – completou o dirigente.

O anúncio da contratação de Cuca foi feito pelo Santos no Twitter às 14h02, 21 minutos após o GloboEsporte.com publicar esta matéria bancando o acerto. No post, o Peixe reproduz uma frase dita por Cuca, que usou a camisa 10 do time em sua passagem como jogador:

– Quando você entrava no vestiário da Vila Belmiro, tinha um armário lacrado, do Pelé. Vestir a camisa 10 é um baque. Toda sua infância passa dentro de você. Eu falo que muitas coisas têm seu preço e algumas o seu valor. Essa tem um valor inestimável.

O time está num momento decisivo da temporada: pega o Cruzeiro pelas quartas de final da Copa do Brasil na quarta-feira, luta para se afastar da zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e tem, em agosto, os dois duelos contra o Independiente, da Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Passagem ruim pelo Santos em 2008

Ex-jogador do Santos no início dos anos 90, Cuca treinou o time em 2008, em substituição a Emerson Leão. E não foi bem. Depois de ganhar destaque como comandante do Botafogo, ele só treinou o Peixe em 14 partidas, com três vitórias, quatro empates e sete derrotas. Com Cuca, o time esteve o tempo todo na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro – acabou se safando da degola na penúltima rodada.

A despedida do treinador ocorreu após derrota de 3 a 2 para o Atlético-MG na Vila Belmiro. Logo depois do jogo, Cuca fez um pronunciamento e anunciou seu desligamento:

– Conversei com a diretoria e entendemos que é o momento de sair do Santos. Não é da maneira como a gente queria. Queria tocar o campeonato até o final, começar a trabalhar um grupo zerado, como gostamos de fazer. Infelizmente não foi possível. Falta pouco mais de um turno, tempo hábil para se fazer uma remodelagem. Deixo as portas abertas para um outro profissional pode tocar esse trabalho.

Cuca foi substituído por Márcio Fernandes, que conseguiu evitar o rebaixamento – o Santos terminou aquele campeonato em 15º.



Ricardo Gomes explica contratação de Cuca no Santos: “Competente, com experiência e títulos”

O Santos surpreendeu ao anunciar a contratação de Cuca como novo técnico nesta segunda-feira. Em entrevista no CT Rei Pelé, o executivo de futebol do Peixe, Ricardo Gomes, comentou a escolha pelo comandante de 55 anos. O vínculo do treinador será válido até dezembro de 2019.

– É um treinador competente, com experiência, com títulos. Tem o anseio da torcida do Santos, de ser ofensivo. Ele reúne todas essas qualidades para nosso trabalho. (…) Ele teve vários convites e não aceitou – disse Ricardo Gomes.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Ricardo Gomes explicou a demora do Santos para acertar a chegada de Cuca e admitiu que o clube tinha outros dois nomes.

– O nome chegou há poucos dias. Saí daqui, na segunda, e falei que tinha dois nomes. Trabalhei nesses dois nomes. Depois, apareceu essa terceira possibilidade. Começamos a trabalhar. Não foi difícil. Hoje pela manhã, começamos a negociar. Em duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso. – comentou Ricardo Gomes.

O executivo do Santos afirmou confiar na capacidade de Cuca dar respostas rápidas nas competições.

– A busca por resultados é imediata. Essa parte da tabela não é o nosso lugar. Estamos longe da realidade. Não é a primeira vez que o Cuca passa por isso. Ele já provou competência. Conhece bem a situação, o time. Isso é importante. Vamos sair dessa.

O dirigente afirmou que vê em Cuca um estilo que casa com o elenco do Santos.

– O Cuca tem uma maneira de trabalhar que vai ajudar bastante. Acho que combina bastante com o modelo do Cuca de trabalhar: jogadores rápidos, o meio vai ficar ainda melhor para ele desenvolver o que pensa. Todo mundo vai sair mais forte.

Ricardo Gomes disse também que conta com o cumprimento de todo o período de contrato com Cuca – ou seja, até o final do ano que vem.

– Vou fazer de tudo para que o Cuca cumpra o contrato. Isso vai ser bom para mim, para o Santos e para o Cuca. Todos ganham nessa situação. Seria melhor (ele ter começado antes). Teria mais jogos e mais tempo para trabalhar. Temos uma pressa de resultados, de entrosamento, dos conceitos que ele vai implantar. Quero conversar com vocês em dezembro com tudo certo.


Técnico faz acordo e parcela multa de rescisão com Botafogo

Jair Ventura é o novo técnico do Santos. O Peixe anunciou, na manhã desta quarta-feira, a contratação do comandante para 2018. A rescisão com o Botafogo foi assinada na terça-feira, e Jair fez um acordo para parcelar a multa, de cerca de R$ 800 mil. O valor, porém, cai quase pela metade pois teve o abatimento de férias, 13º e premiações atrasadas.

O acordo foi feito pelo Botafogo diretamente com Jair, sem a participação do Santos, mas pessoas próximas ao treinador garantem que o Peixe é quem irá arcar com a multa, dividida em duas parcelas. O Alvinegro carioca informou ao GloboEsporte.com que ainda não recebeu.

As negociações com o comandante foram conduzidas pelo novo presidente do Santos, José Carlos Peres, e o executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira. Jair chega com o auxiliar Emílio Faro e o preparador físico Ednilson Sena, seus companheiros de trabalho na equipe carioca. Ele será apresentado oficialmente pelo Peixe nesta sexta-feira, juntamente com Gustavo Vieira.

Mesmo com o carinho pelo Botafogo, Jair Ventura estava preocupado com a próxima temporada. Fora da Libertadores e sem dinheiro, o clube carioca não pretende fazer grandes investimentos e vem perdendo peças importantes, como Roger, Victor Luis e Bruno Silva.

Jair Ventura tem 38 anos e chegou ao Botafogo em 2009, como auxiliar técnico de Ney Franco. Antes de ser efetivado, em agosto de 2016, trabalhou como preparador físico, técnico do sub-20 e treinador interino na equipe carioca.

Ele chamou a atenção do Santos por conta da boa temporada que fez com o Botafogo em 2017. Com um elenco limitado, conseguiu levar o time às quartas de final da Libertadores, semifinal da Copa do Brasil, além de ter mantido uma regularidade durante grande parte do Campeonato Brasileiro.

O técnico começa os trabalhos no Santos nesta quarta-feira, quando o elenco se reapresenta das férias. Ele terá 14 dias de preparação antes do seu primeiro compromisso oficial. O Peixe estreia no Campeonato Paulista em 17 de janeiro, contra o Linense, em Lins.


Treinador de 64 anos chega ao Peixe e assume a equipe a partir da próxima segunda-feira. Estreia será no clássico contra o Palmeiras, dia 14

O Santos anunciou a contratação do técnico Levir Culpi nesta quinta-feira. A negociação estava acertada desde a última terça após dois dias de longas reuniões entre diretoria e treinador. O novo comandante assume a equipe a partir da próxima segunda-feira e fará a estreia no clássico contra o Palmeiras, dia 14, na Vila Belmiro.

Levir esteve no Pacaembu na última quarta-feira na vitória por 1 a 0 do Santos sobre o Botafogo, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, mas deixou o estádio antes do gol de Victor Ferraz, nos acréscimos. Após a confirmação do clube, o técnico escreveu em suas redes sociais suas primeiras palavras como treinador do Peixe.

– Completo esse ano 50 anos de futebol e ganhei de presente o convite para treinar o Santos. Estou motivado com a oportunidade de ter pela frente uma Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro como objetivos. Juntos estaremos mais próximos das conquistas, separados não teremos chances. Falando num português bem claro: “Tamojunto” – escreveu o técnico.

Ao vivo em uma rede social, o treinador fez elogios à qualidade da equipe e convocou a torcida para ajudar nesse processo de recuperação no Campeonato Brasileiro. O Peixe ainda tem pela frente as quartas de final da Copa do Brasil, contra o Flamengo, e as oitavas da Taça Libertadores, sem adversário.

– O Santos tem um ótimo time. Se estivermos juntos, unidos, com a torcida do nosso lado, a chance de vitória é muito grande. Quero extrair o melhor de cada jogador, envolver todos ao máximo no trabalho. Vamos dar tudo de nós. Vamos para cima deles – disse.

Levir tem 64 anos e estava desempregado desde novembro de 2016, quando foi demitido do Fluminense. Nesse período, chegou a ser cotado para assumir a Chapecoense, Bahia e Internacional.

Com passagens por diversos clubes do futebol brasileiro, Culpi vai dirigir o Peixe pela primeira vez. Seus títulos de maior expressão são os da Copa do Brasil pelo Cruzeiro, em 1996, e pelo Atlético-MG, em 2014.