Navegando Posts marcados como Real Madrid

Santos FC x Real Madrid CF
Santos Futebol Clube x Real Madrid Club de Fútbol


Retrospecto:

03 jogos
01 vitória
00 empate
02 derrotas
05 gols pró
07 gols contra
-2 saldo

Resultados:

17/06/1959 – Santos 3 x 5 Real Madrid – Amistoso – Santiago Bernabeu, Madrid, Espanha
20/06/1996 – Santos 2 x 0 Real Madrid – Amistoso – Vila Belmiro, Santos, Brasil
05/09/2000 – Santos 0 x 2 Real Madrid – Amistoso – Santiago Bernabeu, Madrid, Espanha



O tira-teima que nunca aconteceu:

Quem foi melhor? O Santos de Pelé ou o Real Madrid de Di Stéfano?

Galeria de fotos:




Presidente do clube e empresário do atacante assinam contrato no início da madrugada e encerram novela que colocou torcida contra seu ídolo

O atacante Robinho vai vestir a camisa do Real Madrid. O Santos aceitou no início da madrugada de hoje a proposta de US$ 30 milhões (cerca de R$ 71 milhões) feita pelo clube espanhol.

O contrato já foi assinado, após reunião de cerca de duas horas em Santos, precedida por conversas telefônicas ao longo do dia.

Antes de sua apresentação no clube espanhol, marcada para o dia 26 de agosto, Robinho vai jogar pelo Santos. Ele já estará em campo amanhã, no clássico diante do Corinthians, sua vítima preferida, na Vila Belmiro.

Além do clássico, Robinho poderá fazer outros cinco jogos pelo Nacional -sua despedida seria contra o Figueirense, dia 21.

Para voltar atrás na sua vontade de receber US$ 50 milhões, valor da multa rescisória, o Santos alega um temor do caso parar na Justiça ou na Fifa e o clube receber menos dos US$ 30 milhões oferecidos pelo Real Madrid.

Robinho, 21, será o quarto brasileiro do clube, que já tinha Ronaldo e Roberto Carlos e que ontem fechou também com Júlio Baptista, ex-Sevilla.

O acordo a que chegaram os agentes de Robinho e o Santos põe fim a meses novela.

Ontem, o atacante completou um mês longe dos gramados. Sua última partida foi pela seleção: a final da Copa das Confederações, em 29 de junho, na qual o Brasil fez 4 a 1 na Argentina.

Logo após aquele jogo, o atacante santista manifestou abertamente, pela primeira vez, o desejo de sair do clube que o projetou e no qual conquistou, no papel de craque principal, dois títulos do Brasileiro (2002 e 2004).

O interesse do Real Madrid por Robinho teve início já no final do ano passado. Tanto o clube espanhol como o jogador davam como certo que Teixeira iria facilitar o negócio depois da eliminação santista na Libertadores. Por causa disso, o atleta e os dirigentes espanhóis evitaram comentar o assunto até a definição do time brasileiro no sul-americano.

Pelos planos iniciais dos cartolas do Real, o valor da negociação seria muito mais baixo. O clube pensava em gastar por volta de 12 milhões, ou metade do que vai investir para trazer o atacante, que se tornou um objeto de desejo ainda maior para o clube depois da chegada de Vanderlei Luxemburgo. Segundo Robinho, a presença de seu ex-treinador na Vila Belmiro foi um dos motivos, além do sequestro da mãe, para justificar sua vontade de jogar no Real.

Durante a novela, o filho de Florentino Pérez, o presidente do Real, veio ao Brasil ver um jogo de Robinho pela seleção, que pode vestir a camisa 10 caso Figo saia.

Agente e clube trocaram farpas antes de acordo

Antes de o acordo ser firmado, o Santos e os empresários de Robinho passaram o dia de ontem se alfinetando.

No início da tarde, o clube divulgou no seu site oficial que fora procurado pelo craque que estaria disposto a fazer uma proposta ao Santos para ganhar sua liberação para o Real Madrid.

Pela versão santista, Robinho prometeu defender o clube litorâneo até 31 de agosto, se o Santos aceitasse negociá-lo com o Real pelos US$ 30 milhões (R$ 71 milhões) já oferecidos.

Além disso, o clube alegou que Robinho exigiu compensação financeira de 40% sobre o valor pago pelo Real. Assim, Robinho embolsaria US$ 12 milhões, e o clube US$ 18 milhões.

Procurado à noite pela Folha, Wagner Ribeiro, agente de Robinho, negou parte da versão santista. “Foi o Santos quem nos procurou e não nós que fomos atrás.”

Em entrevista publicada ontem no jornal “A Tribuna”, de Santos, Pelé disse que “é melhor [o Santos] ficar com os US$ 30 milhões do que perder tudo.” O ex-jogador disse que também iria conversar com Marcelo Teixeira.

A venda do atacante para o Real Madrid foi oficialmente fixada em US$ 50 milhões, cabendo 60% desse valor (US$ 30 milhões) para o clube. O restante seria de Robinho, mas ele abriu mão para que o negócio fosse fechado. “Alcançamos valores que pretendíamos e contaremos com o atleta em mais alguns jogos”, disse o presidente santista, Marcelo Teixeira.

Cronologia da novela Robinho/ Real Madrid:

30.ago.04
Renovação de contrato. Em carteira, desde 2001, Robinho ganhava R$ 750 por mês, com multa rescisória de R$ 360 mil. Passa a receber R$ 207 mil, e multa vai a US$ 50 milhões.

6.nov.04
Mãe de Robinho é sequestrada, e jogador é afastado. Surge na mídia européia que o Real fez proposta por ele.

3.jan.05
Diário espanhol “As” anuncia proposta de US$ 18 milhões do Real Madrid. Marcelo Teixeira afirma que Robinho fica.

8.fev.05
Robinho confirma oferta. Três dias depois, Arrigo Sacchi, diretor do Real, diz que negócio está definido. Santos nega.

14.abr.05
No dia do aniversário do Santos, Teixeira anuncia que Robinho fica até a Copa-2006.

1º.jun.05
Robinho faz último jogo com a camisa do Santos. Vice-presidente do clube diz que “o Santos não precisa de dinheiro”.

3.jun.05
Santos entrega ao governo projeto para que Robinho fique no Brasil com ajuda estatal.

23.jun.05
Robinho diz não jogar mais pelo Santos. Real oferece 15 milhões e depois sobe para US$ 25 mi. Teixeira diz que há “falta de ética com o Santos.

1º.jul.05
Robinho volta ao Brasil e se nega a ir a treinos. Três dias depois, dá coletiva dizendo que já decidiu deixar o Santos.

21.jul.05
Real Madrid paga US$ 30 milhões por Robinho, mas CBF barra negociação de atleta.


Robinho triplica o salário e tem seguro na despedida

Robinho fará seus últimos jogos pelo Santos com o conforto de quem tem à espera um salário pouco superior a 2,5 milhões anuais (cerca de R$ 7,2 milhões). Esse é o valor que irá receber do Real Madrid em cada uma das cinco temporadas previstas no acordo com os espanhóis.

Seus vencimentos triplicarão: ganhará o correspondente a cerca de R$ 600 mil mensais. Atualmente embolsa R$ 207 mil por mês.

Já com o status de “galáctico” ele jogará protegido por um seguro de R$ 30 milhões, quantia paga por seu novo time aos santistas.

O Real, que arcará com as despesas do seguro, será reembolsado caso o atacante sofra uma grave contusão num dos seis jogos que deverá fazer antes de ingressar no novo clube. Ainda ontem os dirigentes espanhóis cuidavam para que o seguro já fosse válido no clássico com o Corinthians.

Uma das dificuldades de Robinho será esquecer, por enquanto, o que lhe aguarda em Madri. Ele terá direito a um apartamento e provavelmente um carro da Audi, patrocinadora da equipe.

O milionário salário será pago em duas vezes. O Real costuma fazer o pagamento de suas estrelas em apenas dois meses, janeiro e agosto.

Robinho poderá ter uma compensação por ter aberto mão dos 40% do valor da negociação a que tinha direito. Seus vencimentos serão maiores do que combinados anteriormente também para compensar o fato de ter desistido de receber US$ 15 milhões referentes a 30% do valor oficial da negociação -daria 10% a um de seus agentes, Wagner Ribeiro.

Para a transferência ser concretizada, o Santos exigiu que fosse oficializado o valor de US$ 50 milhões, com o jogador abrindo mão de sua parte. Assim o clube receberá R$ 30 milhões por meio da carta de crédito apresentada pelo Real quando a transferência for consumada.
No documento de venda está registrado que houve uma negociação, não um rompimento unilateral do contrato, evitando problemas na Fifa. Tudo porque a entidade veta transferências mediante o pagamento de multas com a temporada ainda em andamento.

A novela Robinho chegou ao fim nos primeiros minutos de ontem, após os contatos iniciais da sexta-feira apontarem ainda para um conflito na Fifa.

Porém Marcelo Teixeira ouviu de seus advogados que uma disputa dessas levaria pelo menos dois anos. Robinho também foi desaconselhado pelos advogados do Real a optar pelo litígio. Soube que deveria ser suspenso.

O presidente santista exigiu que ficasse claro no contrato que Robinho não poderia recorrer mais tarde à Justiça para receber 40% dos US$ 30 milhões. Um termo de quitação dado pelo atleta venceu essa desconfiança. Por volta das 22h30, Robinho foi chamado para assinar o documento.

Menos de duas horas depois, as diretorias dos dois clubes já tinham trocado os últimos faxes. Robinho então seguiu para a concentração santista, embora tema ser prejudicado hoje por ficar um mês sem jogar. Na maior parte desse período, ficou num hotel em São Paulo e bateu bola com amadores para treinar.

Na sexta-feira, as conversas telefônicas começaram às 14h. Participaram das tratativas pelo clube Marcelo Teixeira, Norberto Moreira da Silva, vice santista, Mário Mello, responsável pelo departamento jurídico, e o advogado Marcos Motta, contratado para apreciar o caso.

Eles mantiveram contatos com Juan e Marcel Figer, dois dos agentes do jogador, e com dois vices do Real Madrid.

Não é só Robinho que pensa nos rendimentos futuros. Teixeira fez questão que ficasse registrado no contrato o direito do clube de receber 5% dos valores das futuras transferências do atacante.

É um benefício assegurado pela Fifa aos clubes responsáveis pela formação de jogadores.


Real Madrid 2 x 0 Santos

Data: 05/09/2000, terça-feira, 16h45.
Competição: Amistoso – XXII Troféu Santiago Bernabeu
Local: Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid, Espanha.
Público e Renda: N/D
Árbitro: García Aranda
Gols: Sávio (38-2, de pênalti) e Munitis (42-2).

REAL MADRID
César; Michel Salgado (Helguera 80′), Hierro (Karanka 58′), Iván Campo (Julio César 58´) e Roberto Carlos (Solari 46´); Celades, Makelele, Figo (McManaman 46´), Guti (Rivera 58′); Sávio e Tote (Munitis 44′).
Técnico:

SANTOS
Pitarelli; Preto (Julio César 85′), Sangaletti, Claudiomiro (Márcio Santos 72′) e Léo; Ânderson Luís, Rincón, Renato e Robert (Caio 79′); Dodô e Edmundo.
Técnico: Giba



Santos joga sem três titulares na Espanha

Sem o goleiro Carlos Germano, o lateral Michel e o meia Valdo, machucados, o Santos perdeu para o Real Madrid, em amistoso no estádio Santiago Bernabeu, em Madri (Espanha).

O jogo que colocou em disputa o Troféu Santiago Bernabeu foi a apresentação oficial da equipe da casa para o campeonato da Liga Espanhola 2000/2001, no qual o Real estreará domingo, contra o Valencia. A partida também marcou a estréia do meia português Luís Figo no time espanhol.

O técnico Giba decidiu improvisar o zagueiro Preto na lateral direita, no lugar de Michel. O substituto de Valdo será foi o volante Anderson. Sem o goleiro Carlos Germano, no gol foi mantido Pitarelli, que atuou no empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, no último sábado.

Real Madrid e Santos se enfrentaram pela terceira vez na história dos dois clubes. Na primeira, em 1959, em Madri, o Real venceu o time de Pelé por 5 a 3. Em 1996, na despedida do meia Giovanni, o Santos ganhou por 2 a 0 na Vila Belmiro.

Pela exibição, o Santos recebeu uma cota de US$ 100 mil. Os dirigentes pretendem ainda aproveitar a viagem para sondar a possibilidade de contratar reforços. O clube procura especificamente um lateral direito. O presidente da Federação Paulista de Futebol, Eduardo José Farah, acompanha a delegação santista, como convidado.

O retorno da delegação santista está previsto para 07/09 com chegada ao Brasil na quinta-feira. Na sexta, o time treinará no CT do clube e, em seguida, viajará para Recife (PE), onde enfrentará o Santa Cruz, no sábado, pela Copa João Havelange.

O jogo

A equipe do técnico Giba foi derrotada pelo Real Madrid por 2 a 0 jogando mal e quase não teve chances de marcar. A equipe brasileira apenas se defendeu e acabou tomando dois gols no final da partida.

Edmundo, maior estrela santista, teve atuação apagada. No Real, se destacaram Figo pela direita e principalmente Roberto Carlos pela esquerda. Foram os responsáveis pelos melhores ataques do time espanhol que chegou várias vezes à área santista mas concluia errado. Contudo, nos últimos cinco minutos, o Real Madrid decidiu o jogo. Aos 42′, Makelele sofreu pênalti do zagueiro Sangaletti. Sávio cobrou e abriu o Placar. Três minutos depois, Manitis chutou forte e marcou o segundo.


Santos 2 x 0 Real Madrid

Data: 20/06/1996, quinta-feira, 18h30.
Competição: Amistoso
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.120 pagantes
Renda: R$ 22.485,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP).
Gols: Camanducaia (49-1) e Jamelli (46-2, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Claudio, Sandro, Narciso, Marcos Adriano; Gallo (Cerezo), Baiano (Marcos Paulo), Robert (Marcelo Passos) e Jamelli; Macedo (Camanducaia) e Giovanni (Batista).
Técnico: José Teixeira

REAL MADRID
Contreras; Chendo, Sanz, Vaqueriza e Lasa (Molina); Quique, Fernando Redondo (Guti, depois Rincón), Martine (Gomez) e Milla; Ivan Perez e Zamorano (Jaime).
Técnico: Fábio Capello


Jogo de despedida do meia Giovanni, vendido ao Barcelona da Espanha por US$ 7.7 milhões, o maior valor pago por um jogador na história do futebol brasileiro.



Giovanni dá adeus hoje ao Santos ( Em 20/06/1996 )

O meia Giovanni se despede hoje da torcida santista em um amistoso, a partir das 18h30, contra o Real Madrid (Espanha), no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Na chegada ontem cedo do meia ofensivo ao Aeroporto Internacional de Cumbica (Guarulhos), foi o empresário Juan Figger, responsável pela venda do passe do jogador ao Barcelona por US$ 7,8 milhões, quem melhor definiu a negociação.

“Foi a maior transação envolvendo um jogador sul-americano. Superou a venda de Maradona que, na época, custou US$ 4,5 milhões”, disse Figger.

Giovanni assinou contrato por cinco temporadas e receberá salário anual de US$ 1 milhão, livre de imposto de renda.

“A conversação com os dirigentes do Barcelona foi cansativa, mas dentro do esperado. O Barcelona fez todos os esforços”, disse Giovanni. “Assinei por cinco anos e eles ainda terão a prioridade de renovação. Caso não demonstrem interesse, recebo o passe livre”, disse.

Amigos

Em Santos, ao passar em frente ao Centro de Treinamento do Santos, Giovanni parou o carro e foi rever os amigos. “Não posso esquecer deste grupo. Passei uma fase maravilhosa na Vila Belmiro”, confessou.

O jogador se colocou à disposição do técnico José Teixeira para a partida contra o Real Madrid.

“Os dirigentes do meu novo clube não colocaram nenhum empecilho na minha participação nesse amistoso. Estou à disposição do professor Teixeira”, disse.

Giovanni se mostrou empolgado com a receptividade que encontrou em Barcelona. “Deu para sentir o fanatismo do espanhol pelo futebol. Isso é muito bom, motiva qualquer jogador”, disse.

O ex-craque do Santos declarou que sempre teve “o sonho de jogar em um grande clube europeu”. Ele espera repetir no Barcelona o futebol refinado que empolgou o técnico Bobby Robson, do Barcelona, que sugeriu a sua contratação.

“Confio no meu futebol e na força do Barcelona, mas só o tempo dirá se eu serei bem-sucedido”, disse Giovanni.

Mudança

O jogador viaja entre os dias 18 e 20 de julho para a cidade espanhola, onde tratará pessoalmente da mudança da sua família. No dia 25, se apresenta no estádio Nou Camp ao técnico Bobby Robson para início dos treinamentos.

Além de Giovanni, o Barcelona contratou para a próxima temporada o francês Blanc e os espanhóis Luiz Enrique e Pizzi.

Dirigente não revela valor da transação

O presidente do Santos, Samir Abdul-Hak, não quis divulgar o valor oficial da transação do passe de Giovanni com o Barcelona em entrevista coletiva que concedeu ontem à tarde na Vila Belmiro.

Disse apenas que “foi a maior transação já feita por um clube brasileiro”.

O procurador de Giovanni, José Martins, que disse ter visto o contrato firmado entre o Santos e o Barcelona, afirmou que o clube paulista recebeu US$ 7,8 milhões.

Segundo ele, o Barcelona pagará US$ 5 milhões até o final de julho, US$ 1 milhão em novembro ou dezembro e a última parcela, US$ de 1,8 milhão, em fevereiro de 97.

Martins disse que o Santos vai pagar US$ 200 mil a Giovanni como parte dos 10% a que ele tem direito. Os US$ 600 mil restantes ficam por conta do Barcelona.





Fonte: Estadão

Real Madrid 5 x 3 Santos

Data: 17/06/1959, quarta-feira, 19h45.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid, Espanha.
Público: 70.000 pessoas
Árbitro: Leo Horn (HOL).
Gols: Pelé (09-1), Mateus (15-1), Mateus (17-1) e Mateus (37-1); Pepe (11-2, de pênalti), Puskás (16-2), Coutinho (19-2) e Gento (38-2).

REAL MADRID (ESP)
Berasaluce; Marquitos (Atienza) e Casado; Santisteban, Santamaría e Ruiz; Francisco Gento, Mateus (Puskás), Di Stéfano, Luis del Sol e Gaínza (Julio Gento).
Técnico: Luis Carniglia

SANTOS
Carlos; Getúlio, Pavão e Dalmo; Ramiro e Zito; Dorval, Álvaro (Afonsinho), Pagão (Coutinho, 20-1), Pelé e Pepe.
Técnico: Lula



Capitulou o Santos ante o Real Madrid

O Santos era o atual campeão paulista. O Real Madrid havia conquistado dias antes a sua 4ª Taça dos Campeões Europeus (Champions League). Pelé aos 18 anos e Di Stefano aos 32. Coutinho acabara de completar 16 anos.

Um torcedor atirou uma garrafa que acertou a cabeça de Pepe, que caiu desfalecido. O autor da agressão foi preso.

A partida foi dedicada em homenagem a Miguel Muñoz, que estava encerrando sua carreira.

Real Madri continua invicto em seu campo diante de equipes brasileiras

Reforços para o Santos: Formiga e Jair viajam amanhã para Lisboa

Real Madrid confirma: Pelé interessa mesmo

Em 1959, Di Stéfano (32) e Pelé (18)

No amistoso em 1959, Di Stéfano (32) e Pelé (18)





Fontes:
Estadão
Jornal Folha de SP
– As.com