Navegando Posts marcados como Novorizontino

Novorizontino 1 x 0 Santos

Data: 23/04/2021, sexta-feira, 22h15.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 7ª rodada
Local: Estádio Doutor Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Thiago Luis Scarascati.
Auxiliares: Evandro de Melo Lima e Bruno Silva de Jesus.
VAR: Vinicius Furlan.
Cartões amarelos: Murilo Rangel (N); Felipe Jonatan, Renyer e Luan Peres (S).
Gol: Jenison (03-2).

NOVORIZONTINO
Giovanni; Felipe Rodrigues, Robson, Bruno Aguiar, Paulinho; Léo Baiano (Adilson Goiano), João Pedro (Lepu), Murilo Rangel (Ricardo Luz); Danielzinho, Cléo Silva (Douglas Baggio) e Jenison (Guilherme Queiroz).
Técnico: Léo Condé

SANTOS
John; Pará, Kaiky, Luan Peres, Felipe Jonatan; Balieiro, Gabriel Pirani (Kaio Jorge), Jean Mota; Ângelo (Renyer), Lucas Braga e Marcos Leonardo.
Técnico: Ariel Holan



Santos cria muito pouco e é derrotado pelo Novorizontino

Nesta sexta-feira, o Santos visitou o Novorizontino e foi derrotado por 1 a 0, em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Paulista. O único gol do jogo foi marcado por Jenison, no início do segundo tempo. O time comandado por Ariel Holan foi pouco criativo e não conseguiu ser perigoso no ataque.

O primeiro tempo foi extremamente burocrático, com um cenário estabelecido do início ao fim: o Peixe teve uma posse infrutífera, enquanto o Novorizontino buscava contra-atacar em velocidade. Logo no retorno do intervalo, os mandantes marcaram o gol que garantiu a vitória. O Alvinegro até tentou se lançar ao ataque, mas seguiu com problemas de criação.

Com o resultado, o Santos estacionou nos nove pontos, na segunda colocação do grupo D. No domingo, o time recebe o Corinthians, na Vila Belmiro, às 20h. Pela Libertadores, o Peixe enfrenta o Boca Juniors, na terça-feira, às 21h30, na Argentina.

O jogo

A primeira etapa em Novo Horizonte foi de muita morosidade. Enquanto o Santos teve a bola e não conseguiu trazer efetividade à posse, os mandantes buscavam sair em velocidade nos contra-ataques. Nenhuma das equipes levou real perigo, mas o Novorizontino finalizou mais vezes: quatro a dois no placar de arremates.

O Novorizontino voltou com tudo do intervalo. Logo aos três minutos, os mandantes abriram o placar com Jenison. Léo Baiano invadiu a área com a bola dominada e cruzou por baixo para o centroavante, que bateu de primeira para marcar. Em seguida, Léo Baiano cabeceou após cruzamento e quase ampliou.

O Peixe tentou reagir e quase empatou com Marcos Leonardo. O centroavante foi lançado por Jean Mota e foi travado na hora do chute. Mesmo caído, conseguiu finalizar rente à trave esquerda. Holan até fez substituições ofensivas, inclusive colocando Kaio Jorge para jogar ao lado de Marcos Leonardo, porém a equipe seguiu rodando a bola e sendo pouco aguda até o final.

Holan vê pontos positivos no Santos, comenta sobre Soteldo e diz: “Temos que nos reforçar”

Nesta sexta-feira, o Santos teve uma atuação abaixo da crítica e foi derrotado por 1 a 0 pelo Novorizontino, em jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Paulista. Após a partida, o técnico Ariel Holan analisou o desempenho da equipe e comentou sobre o planejamento do Peixe para o restante da temporada.

Na visão do técnico argentino, o Santos conseguiu evoluir em alguns aspectos nesta noite. Apesar disso, ele deixa claro que permanece descontente com outros pontos apresentados pelo Alvinegro em campo.

“Hoje, quero destacar primeiro as coisas positivas que o time fez durante o jogo. Penso que a posse de bola até a chegada no campo rival foi muito melhor do que nos últimos jogos, em que os adversários recuaram tanto quanto o Novorizontino, que em nenhum momento disputou a bola. Creio que melhoramos muito, porque eles não tiveram contra-ataques. Melhoramos muito a bola parada defensiva, defendemos muito bem as poucas bolas que eles tiveram”, afirmou Holan.

“Mas também há muitas coisas para melhorar. Quando entramos no campo rival, temos que ter mais movimentação e mais velocidade nos passes. Também jogar com os atacantes no um contra um, assim como melhorar a bola parada no ataque”, completou.

Holan foi muito direto ao discorrer sobre a necessidade de fortalecer o elenco. Por enquanto, o clube da Vila Belmiro não pode fazer contratações, devido à punição da Fifa pelo não pagamento do passe de Soteldo ao Huachipato, do Chile.

“Obviamente, este time não é o mesmo que jogou a final da Libertadores, já disse muitas vezes. Não quero dar desculpas, mas a verdade é que não temos Veríssimo, Pituca, e provavelmente não teremos mais algum outro jogador. Temos que nos reforçar, temos que conseguir trazer jogadores do nível dos que se foram. Isso ajudará os jovens, que poderão seguir crescendo. Eles estão fazendo um esforço muito importante, mas são muitos jogos. Vamos jogar três jogos em cinco dias, muitos deles estão jogando os seus primeiros minutos pelo time principal”, disse o treinador.

Por fim, Holan falou brevemente sobre a situação de Soteldo, que recebeu uma proposta do Toronto FC, do Canadá.

“Eu não gosto de opinar sobre suposições. Soteldo está em fase de negociações e, quando o tema for resolvido, entre amanhã e segunda-feira, falaremos com Andres (Rueda), Jorge (Andrade), (Renato) Quaresma… Eles terão que falar entre eles também. Em vez de falar sobre suposições, vamos ver o que acontece”, finalizou.

Holan indica que Santos terá reservas no clássico contra o Corinthians

Nesta sexta-feira, o Santos esteve em noite pouquíssimo inspirada e foi derrotado por 1 a 0 pelo Novorizontino. Agora, o Peixe buscará se recuperar no clássico contra o Corinthians e, provavelmente, com um time repleto de reservas.

Após a partida disputada em Novorizonte, Ariel Holan comentou sobre a equipe que mandará a campo no confronto contra o rival. O técnico argentino não escondeu que está preocupado com o condicionamento físico dos jogadores.

“Eu, os jogadores e a comissão técnica sabemos da importância de um jogo contra o Corinthians, mas também temos que pensar que, em 48 horas, temos que jogar uma partida de Libertadores. Não é somente pelo nível do jogo, alguns jogadores não se recuperam em 48 horas. Hoje jogaram alguns que atuaram na terça, contra o Barcelona”, afirmou Holan.

“Primeiro, temos que ver como estão fisicamente, em que condições estão e, depois, montar os times mais competitivos possíveis para os dois jogos”, completou.

Santos passou em branco no ataque em metade dos jogos no Paulistão

Nesta sexta-feira, o Santos teve nova atuação decepcionante pelo Campeonato Paulista e foi derrotado por 1 a o pelo Novorizontino. Com problemas de criação, o Peixe chegou ao quarto jogo no estadual sem gols marcados.

O time comandado por Ariel Holan já havia passado em branco nas partidas contra São Paulo, Botafogo-SP e Ponte Preta. Como o Santos chegou ao seu oitavo jogo pelo estadual, a equipe marcou gols em apenas metade dos seus confrontos pela competição.

O Peixe tem apenas o nono melhor ataque dentre os 16 clubes que disputam o Paulistão, com sete tentos. Como também tem lidado com problemas defensivos (já são 13 gols sofridos), o Alvinegro tem um saldo de menos seis gols.

O cenário dos últimos jogos do Santos tem sido o mesmo: a equipe possui a bola, porém tem uma posse pouco objetiva, com os zagueiros e volantes tocando de maneira infrutífera. Contra o Novorizontino, o Peixe passou 90 minutos sem assustar o goleiro adversário.

Marcos Leonardo lamenta falta de objetividade do Santos e garante: “Não faltou raça”

Nesta sexta-feira, o Santos visitou o Novorizontino e foi derrotado por 1 a 0, em mais uma atuação decepcionante do time de Ariel Holan, que pouco conseguiu criar durante os 90 minutos.

Após o jogo, Marcos Leonardo analisou a falta de objetividade do Peixe em campo e garantiu que não faltou comprometimento ao time.

“Infelizmente, não foi o resultado que nós queríamos. Ficamos bastante com a bola no primeiro e segundo tempo, infelizmente não conseguimos criar muitas chances claras de gol. É continuar trabalhando forte cada dia no treino para melhorar. Domingo já tem uma luta grande, que é o clássico”, afirmou ao Premiere.

“Não faltou raça, não faltou dedicação, é o mínimo que estamos fazendo, jogando com a raça que essa camisa merece”, completou.

Santos acerta venda de Soteldo para equipe do Canadá

O Santos confirmou neste sábado a venda de Yeferson Soteldo ao Toronto FC, do Canadá. A negociação faz com que o Peixe seja liberado do transfer ban imposto pela Fifa. A punição era justamente por conta da dívida do clube com o Huachipato pela compra do venezuelano.

O Alvinegro repassou sua parcela da venda ao Huachipato. Para quitar o valor final, os brasileiros ainda irão pagar 500 mil dólares (cerca de R$ 2,7 milhões na cotação atual), divididos em parcelas a partir de junho.

O acordo ainda prevê que o Santos receba 12,5% de uma venda futura de Soteldo, caso o meia-atacante seja transferido para fora da MLS (Liga Norte-americana).

De acordo com o presidente Andres Rueda, a venda foi importante para o Peixe ser liberado da punição que impedia a chegada de novos reforços.

“Foi uma proposta que o Huachipato também aceitou e, principalmente, que o atleta queria. Não podíamos segurar o Soteldo, diante desse cenário. Na verdade, o Santos comprou, mas nunca pagou”, explicou o mandatário.

“Com este Transfer Ban resolvido, abrimos uma janela para podermos considerar a contratações pontuais, dentro da responsabilidade financeira que assumimos no Clube, de atletas para encorpar o elenco, dada a participação em muitas competições de forma simultânea”, completou.

Soteldo chegou ao Santos no início de 2019 e teve um total de 104 partidas, com 20 gols. Em sua mensagem de despedida ao jogador, Rueda agradeceu pelos serviços e desejou sucesso na nova etapa da carreira.

“Temos de agradecer ao Soteldo por esse período no Santos, que tanto nos trouxe alegrias e por sua combatividade em campo. Certamente gostaríamos que ficasse mais e fizesse história com a nossa camisa. Desejamos sorte em seu novo clube”, concluiu o presidente.


Novorizontino 3 x 2 Santos

Data: 26/07/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 12ª rodada (última)
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Vinicius Furlan.
Auxiliares: Vitor Carmona Metestaine e Leonardo Tadeu Pedro.
Cartões amarelos: Adilson Goiano, Guilherme Queiroz e Nando (N); Anderson Ceará (S).
Cartão vermelho: Uribe (S) aos 06-2.
Gols: Marinho (16-1); Marinho (02-2), Cléo Silva (12-2), Guilherme Queiroz (17-2, de pênalti) e Batista (35-2).

NOVORIZONTINO
Oliveira; Lepu (Nandu), Bruno Aguiar, Adriano Mina e Reverson (Paulinho); Léo Baiano, Adilson Goiano (Bruno Soares) e Vinicius Kiss (Pereira); Guilherme Queiroz (Batista), Cléo Silva e Léo Santiago.
Técnico: Roberto Fonseca

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca (Anderson Ceará) e Jean Mota (Sandry); Marinho (Arthur Gomes), Soteldo (Tailson) e Uribe.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Santos é prejudicado pela arbitragem e sofre virada do Novorizontino

O Santos foi prejudicado pela arbitragem e empatou com o Novorizontino em 2 a 2 neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

Depois de abrir 2 a 0 com boa atuação, o Peixe teve Fernando Uribe expulso no começo do segundo tempo. O colombiano chegou forte no lance, por cima da bola, mas mal encostou no adversário. Era a chance do centroavante se firmar no elenco.

O Novorizontino diminuiu com Cléo e logo depois teve pênalti mal marcado pela arbitragem – o árbitro Vinicius Furlan viu mão, mas a bola bateu na barriga de Diego Pituca. Guiherme Queiroz converteu.

O Santos sentiu demais a expulsão, não se encontrou em campo e ainda sofreu a virada. Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

O Peixe enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final do Paulistão. O Novorizontino não tinha mais chance de classificação.

O jogo

O Santos dominou o primeiro tempo desde o minuto inicial. Com Jobson, a equipe melhorou a saída de bola e adiantou as linhas de marcação.

O Novorizontino, recuado, não ofereceu perigo a Vladimir. O Peixe, em compensação, fez 1 a 0 e poderia ter feito pelo menos mais dois.

Marinho abriu o placar, aos 16 minutos, em bonito chute de fora da área. Jobson e Uribe ficaram perto de ampliar antes do apito do árbitro.

O Santos não demorou a ampliar. Em contra-ataque perfeito, Soteldo clareou o lance, Uribe acionou Jean Mota e o meia rolou para Marinho empurrar ao gol vazio e marcar o segundo do Peixe e segundo dele na partida, aos dois minutos.

No minuto 6, porém, veio a ducha de água fria. Uribe entrou por cima e recebeu o cartão vermelho direto. É a terceira partida consecutiva com expulsão no Alvinegro: Jobson, Sánchez e agora Uribe na Arena Corinthians.

A expulsão mudou a partida. Aos 12 minutos, Cléo Silva recebeu livre pela direita e diminuiu. No minuto 17, o árbitro Vinicius Furlan marcou pênalti inexistente de Diego Pituca – a bola bateu na barriga. Guilherme Queiroz converteu e empatou.

O Santos não conseguiu se organizar, as alterações do técnico Jesualdo Ferreira não surtiram efeito e a virada veio. Aos 36, Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

Jesualdo lamenta expulsão de Uribe: “Santos fazia jogo muito bom”

O técnico Jesualdo Ferreira lamentou a expulsão de Fernando Uribe na derrota do Santos por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

O Peixe abriu 2 a 0 fazia boa partida, mas se perdeu depois do cartão vermelho para o centroavante. O segundo gol do Novorizontino saiu de pênalti inexistente.

“Não vou comentar muito de arbitragem, não está nos meus livros falar dessas coisas. Expulsão me pareceu exagerada e a bola não bateu na mão (de Diego Pituca). Mas não interessa. Santos tinha jogo muito bom, ganhando e jogando bem. Novorizontino tem time agressivo, foi feliz, jogou bem com um a mais. Segunda vez que isso acontece, também aconteceu aqui contra o Corinthians. Vamos ver se isso não continua nos próximos jogos, com 10 contra 11”, disse Jesualdo, ao Premiere.

O Santos teve Jobson expulso contra o São Paulo, Carlos Sánchez diante do Santo André e Uribe neste domingo. Nos três casos, o vermelho feio direto.

Jesualdo explica opção por Uribe, elogia Jean Mota e pede paciência com jovens do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira explicou a opção por Fernando Uribe na partida contra o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians. O Santos perdeu por 3 a 2, de virada.

Uribe foi titular, participou do segundo gol do Peixe e teve atuação regular até ser expulso no início da etapa final.

“Santos tem dois centroavantes. Temos que preparar os dois para os próximos jogos e futuro. No primeiro jogo, contra adversário fechado, Kaio (Jorge) também não teve muitas chances de ser importante, de acordo com sua capacidade. Tivemos muitos lances hoje, não pelo Kaio ou pelo Uribe, e não fizemos mais gols. Estamos no princípio depois da pausa, temos que trabalhar e valorizar os jogadores do atual elenco”, disse Jesualdo.

O treinador também elogiou Jean Mota, mantido após o interesse do Fortaleza, e pediu paciência com os jovens do Peixe.

“Jean Mota é muito especial, não tem posição física no campo. Não é meia nem atacante, também não vejo como 10. Quando equipe precisa de liberdade, alguém para ver jogo de frente com organização, pode ajudar. Bom chute e útil para elenco”, avaliou.

“Tem sido agradável verificar a evolução dos mais novos. Têm muita qualidade, mas é necessário ter paciência e tempo. Para serem melhores no futuro e importantes para o Santos”, concluiu.

Com a nona colocação geral, atrás de Bragantino, Palmeiras, São Paulo e Corinthians, o Santos enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final. A decisão ocorrerá na Vila Belmiro.

Capitão, Pará pede mais tranquilidade ao Santos após três expulsões: “Isso dificulta”

Capitão em função das ausências de Alison (poupado) e Carlos Sánchez (suspenso), Pará foi o capitão do Santos na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista.

O lateral-direito lamentou a terceira expulsão consecutiva. Depois de Jobson contra o São Paulo e Sánchez diante do Santo André, Uribe levou o vermelho direto neste domingo.

“Temos que ter mais tranquilidade. Terceiro jogo seguido com um a menos, isso dificulta. Fazíamos excelente jogo na minha opinião. Conseguimos fazer as jogadas treinadas, os gols. Estávamos tranquilos. Infelizmente aconteceu a expulsão, não sei se foi correta. Agora é tranquilidade, temos três dias para trabalhar. Enfrentaremos a Ponte Preta, é focar nossas forças para fazer um grande jogo e sairmos classificados”, disse Pará, ao Premiere.


Santos 0 x 1 Novorizontino

Data: 15/03/2019, sexta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público e renda: 10.079/R$ 215.767,00
Arbitragem: Salim Fende Chavez
Auxiliares: Neuza Ines Back e Evandro de Melo Lima.
Cartões amarelos: Diego Pituca (S); Adilson Goiano, Jean Patrick e Matheus Sales (N).
Gol: Murilo (30-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Aguilar e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Cueva (Felippe Cardoso); Soteldo (Copete), Rodrygo (Eduardo Sasha) e Jean Mota.
Técnico: Jorge Sampaoli

NOVORIZONTINO
Vagner; Lucas Ramon (Dudu Vieira), Everton Sena, Edson Silva e Paulinho; Adilson Goiano, Matheus Sales, Jean Patrick (Danielzinho) e Murilo Henrique (Carlinhos); Cléo Silva e Felipe Marques.
Técnico: Roberto Fonseca



Santos joga mal, perde para o Novorizontino e é ultrapassado pelo Red Bull

O Santos jogou muito mal e perdeu por 1 a 0 para o Novorizontino na noite desta sexta-feira, no Pacaembu, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. O gol foi marcado por Murilo.

Com a derrota, o Peixe foi ultrapassado em um ponto pelo Red Bull Brasil na liderança do Grupo A e também na classificação geral do Paulistão. O Novorizontino segue na segunda colocação do Grupo B, agora com 19 pontos, e perto de se classificar às quartas de final.

Com vaga garantida nas quartas, mas agora atrás na briga pela liderança e a vantagem de decidir em casa, o Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo na quarta, em Ribeirão Preto, pela última rodada da primeira fase. O Novorizontino receberá a Ferroviária, no mesmo dia.

O jogo

O Santos iniciou bem o jogo e o gol parecia questão de tempo. Aos oito minutos, Rodrygo fez boa jogada e tocou para Cueva marcar. Matheus Sales, debaixo da trave, impediu.

Aos 15, foi a vez de Cueva deixar Rodrygo em boas condições. Depois de boa tabela, o camisa 11 finalizou em cima do goleiro Vagner.

Com as chances desperdiçadas, o Peixe diminuiu o ritmo e o Novorizontino melhorou. O castigo veio aos 30, depois de erro de Sánchez, drible fácil de Felipe Marques em Victor Ferraz e finalização precisa de Murilo para abrir o placar.

E quem esteve mais perto de marcar novamente foi o Novorizontino. No minuto 40, Diego Pituca errou, Felipe driblou Vanderlei e quis cavar o pênalti. A arbitragem não foi na dele.

O cenário da segunda metade do primeiro tempo se manteve na etapa final. O Santos sem criatividade diante de um Novorizontino concentrado e bem estruturado defensivamente.

Como o Peixe só chegava por cruzamentos, o técnico Jorge Sampaoli mudou o jeito de jogar e colocou três atacantes bons pelo alto: Felippe Cardoso, Copete e Eduardo Sasha. Não funcionou.

Nos contra-ataques, o Novorizontino foi quem mais esteve perto de marcar e teve três chances com Felipe. A única oportunidade dos donos da casa veio em cabeceio de Felipe, aos 45.

O Santos decepcionou os pouco mais de 10 mil presentes no Pacaembu, foi derrotado e ultrapassado pelo Red Bull Brasil na liderança do Grupo A e também na classificação geral do Paulistão.

Sampaoli diz que derrota não pode ‘confundir’ o Santos: “Sabemos o caminho”

O técnico Jorge Sampaoli não quer que a derrota por 1 a 0 para o Novorizontino “confunda” o Santos. O Peixe começou bem na noite desta sexta-feira, no Pacaembu, mas desperdiçou chances, sofreu o gol e não teve repertório para reagir.

“Perdemos os gols, arrancamos bem e com domínio. Não convertemos, eles fizeram e nos complicaram pois não fomos precisos. Dizer que falta centroavante depois de uma derrota pode parecer uma desculpa. Temos que continuar melhorando e nos prepararmos bem para os playoffs”, disse Sampaoli.

“Seguimos em formação, formando um grupo para chegar da melhor forma às definições do Paulista e Copa do Brasil e preparando para o Brasileirão, que é muito mais difícil. Esses eventos, dois jogos sem ganhar, não podem confundir a gente. Sabemos o caminho”, completou.

O treinador destaca a ansiedade da equipe e revela a busca de variações táticas para sofrer menos no mata-mata. O adversário das quartas de final será o Red Bull Brasil.

“Buscamos a todo tempo os caminhos e não encontramos. Estivemos no campo rival, não sofremos com transições, mas futebol tem disso. Ficamos ansiosos, não concretizamos as chances e se foi a partida. Hoje não fomos contundentes em nenhuma das duas áreas”, explicou.

“Estamos buscando variações e não teremos alguns selecionados contra o Red Bull. Escolhemos quem pode jogar melhor o futebol, se são mais altos ou baixos é consequência”, emendou.

Por fim, Sampaoli optou por valorizar o esforço dos jogadores ao invés de estimular a “caça às bruxas”.

“Não ganhar incomoda sempre. Nessa sociedade, quem ganha é bom e quem perde é descartável. Eu valorizo mais do que o resultado, o esforço dos jovens. Tratam de mudar o jeito e defender a ideia. Hoje não conseguimos, mas esforço foi o mesmo”, concluiu.

Luiz Felipe destaca variações táticas e vê Santos no caminho certo

Apesar da derrota por 1 a 0 para o Novorizontino, Luiz Felipe vê o Santos no caminho certo. O Peixe perdeu chances e não teve repertório para vencer a equipe do interior na noite desta sexta-feira, na Vila Belmiro.

O zagueiro, de volta ao time depois de lesão muscular na coxa direita, destaca as variações táticas para tentar não tornar o estilo de jogo “manjado” para os rivais.

“Temos confiança, sabemos do nosso trabalho correto e vamos manter nossa linha”, disse Luiz Felipe.

“Variamos nosso estilo de jogo, três ou dois zagueiros, três, dois e um volante. Sabemos que o adversário vai monitorar para aproveitar os nossos erros e temos que fazer o mesmo para fazer o adversário sofrer”, completou.

Homenagem a Coutinho



Novorizontino 2 x 1 Santos

Data: 07/03/2018, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, SP.
Público: 5.426
Renda: R$ 152.995,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Cartões amarelos: Alisson Safira, Jean Patrick, Rafael Ratão e Tallyson (N); Gustavo Henrique e Alison (S).
Cartão vermelho: Jean Patrick (N).
Gols: Juninho (19-1), Yuri Alberto (09-2) e Lucas Veríssimo (14-2, contra).

NOVORIZONTINO
Oliveira; Tony, Anderson Salles, Éder e Tallyson; Adilson Goiano, Jean Patrick e Jean Carlos (Lucas Siqueira); Cléo Silva, Juninho (Rafael Ratão) e Alisson Safira (Guilherme).
Técnico: Doriva

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Dodô; Alison; Arthur Gomes (Diogo Vitor), Léo Cittadini, Vecchio (Vitor Bueno) e Rodrygo (Eduardo Sasha); Yuri Alberto.
Técnico: Jair Ventura



Santos esbarra no gramado e perde para o Novorizontino

O Santos esbarrou na chuva e em um gramado de péssimas condições ao perder por 2 a 1 para o Novorizontino na noite desta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Com time técnico e oito garotos revelados nas categorias de base, o Peixe criou muito pouco. Com a vitória, os donos da casa garantiram a classificação e enfrentarão o Palmeiras nas quartas de final.

O técnico Jair Ventura poupou alguns titulares, como David Braz, Gabigol e Eduardo Sasha, e apostou na velocidade de Rodrygo, Arthur Gomes e Yuri Alberto na frente. Com campo pesado, a alternativa não deu certo.

O Novorizontino abriu o placar com Juninho no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Santos esboçou a reação ao empatar com Yuri Alberto aos nove minutos, mas Lucas Veríssimo (contra) desempatou logo na sequência. E mesmo com a expulsão de Jean Patrick aos 21′, o Peixe não teve forças para buscar o empate.

O jogo:

É difícil escrever mais de três parágrafos sobre o primeiro tempo em Novo Horizonte. A chuva e o gramado ruim fizeram com que o futebol fosse impraticável. Em 45 minutos, quatro finalizações foram contabilizadas. Duas para cada lado.

E na primeira, o Novorizontino fez o gol. Aos 19 minutos, Jean Carlos lançou Juninho, que bateu forte, a bola desviou em Lucas Veríssimo e matou o goleiro Vanderlei. Daniel Guedes e Alison, sem a ajuda de Arthur Gomes, foram envolvidos na triangulação.

Aos 21, a equipe da casa quase ampliou. Éder, na pequena área, chutou e Gustavo Henrique, com as costas, debaixo do gol, salvou. No mais, chutões e passes que esbarraram nas poças d’água.

O Santos voltou um pouco melhor para o segundo tempo e deu mostras de que poderia virar. Aos nove minutos, o estreante Dodô cobrou bem uma falta para a área, o goleiro Oliveira não afastou e Yuri Alberto empurrou para as redes. Aos 16 anos, o centroavante marcou pela primeira vez no debute como titular.

Quando o placar marcava 14′, porém, veio a ducha de água fria. Vecchio errou passe na intermediária, o Novorizontino invadiu a área com Alisson Safira e o chute cruzado explodiu em Lucas Veríssimo, que fez contra, retomando a vantagem para o time do interior.

Aos 21 minutos, o Santos teve uma boa notícia. Jean Patrick recebeu dois cartões amarelos em sequência por reclamação e foi expulso. Ele discutiu com o capitão Anderson Salles antes de ser advertido. Mesmo com a vantagem, porém, o Peixe esbarrou em pouca inspiração e gramado ruim.

Nos minutos finais, o alvinegro pressionou, mas não criou chances claras de gol e perdeu por 2 a 1 para o Novorizontino, classificado para as quartas de final do Campeonato Paulista, assim como o Santos.

Jair resume derrota do Santos: “Jogo foi por água abaixo”

Jair Ventura isentou o Santos de críticas após a derrota por 2 a 1 para o Novorizontino nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Para o técnico, as condições ruins do gramado encharcado prejudicam qualquer análise.

“Tentamos, criamos, tivemos mais posse, mais chances. Eles tiveram um chute no gol e fizeram. Foram eficientes e nós não fomos. Não conseguimos colocar a bola para dentro. Qualquer análise hoje seria injusta por conta da chuva. O jogo foi por água abaixo”, resumiu o treinador.

O Peixe poupou alguns jogadores, como David Braz, Gabigol e Eduardo Sasha. A opção por um ataque leve, formado por Rodrygo, Arthur Gomes e Yuri Alberto não deu certo por causa do campo.

“Iniciamos a partida com o nosso ataque mais leve. O time do Santos trabalha bem a posse de bola, time com mais gols com construção no campeonato, mas não teve jogo dentro desta estratégia de primeira e segunda bola e força. Realmente fomos prejudicados e saímos com a derrota”, completou o treinador.

Jair pede chegada de um camisa 9 ao Santos: “Estamos buscando”

Na visão do técnico Jair Ventura, a derrota por 2 a 1 para o Novorizontino, nesta quarta-feira, em Novo Horizonte, mostrou que o Santos precisa de um centroavante clássico, forte e que possa segurar a bola no ataque. Um legítimo pivô.

Em gramado encharcado, o Peixe teve o garoto Yuri Alberto como titular. Ele fez o gol, mas não tem essas características. Rodrigão não tem treinado bem e não foi relacionado por opção técnica.

“O jogo pediu um jogador mais forte, de área. Estamos buscando ainda no mercado. Alguém para jogos pesados, principalmente na Libertadores. Nacional e Estudiantes vão ser jogos pesados. Um jogo de chuva mostrou que teremos dificuldades. Vamos ter que achar alternativas dentro do elenco e mercado para suprir”, disse o treinador.

Gabigol é o centroavante titular. O camisa 10, porém, tem mobilidade e não faz um bom pivô, assim como Yuri Alberto. Com Rodrigão em baixa, o alvinegro buscará soluções no mercado. O clube teve interesse em Barcos, da LDU-EQU, Tréllez, hoje no São Paulo, e Ábila, do Boca Juniors-ARG, mas as negociações não evoluíram.

Dodô aprova estreia pelo Santos e vê “ambiente hostil” como teste

Dodô estreou pelo Santos na derrota por 2 a 1 para o Novorizontino nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Depois de nove meses sem atuar, o lateral-esquerdo teve atuação segura e aguentou os 90 minutos.

O ala superou o gramado ruim e a chuva para não comprometer. A última partida foi em maio de 2017, em derrota da Sampdoria por 7 a 3 contra a Lazio pelo Campeonato Italiano. Dodô entende que as condições adversas foram um bom teste visando a Libertadores.

“Não diria que faltou perna, mas com o campo assim ficou mais difícil de jogar. Nosso time gosta de ficar com a bola no pé, tocar a bola… Campo hoje era impraticável. Um ambiente hostil assim a gente vai encontrar na Libertadores. Foi válida a experiência para o nosso time, ainda mais para os mais jovens. Foi um jogo difícil, um campo difícil. Numa infelicidade fizemos um gol contra. Vale a experiência. Empenho não faltou”, disse Dodô, ao Premiere.

“É difícil avaliar pelo jogo. Estou feliz que consegui aguentar os 90 minutos fisicamente, ainda mais com o campo assim. Não senti nada. Essas duas semanas que fiquei trabalhando forte no CT valeram a pena”, completou.

Yuri Alberto comemora 1º gol pelo Santos: “Felicidade única”

Na estreia como titular, Yuri Alberto, de 16 anos, fez seu primeiro gol pelo Santos na derrota por 2 a 1 para o Novorizontino, nesta quarta-feira, no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Triste pelo tropeço, o Menino da Vila comemora o feito.

“Eu e minha família não imaginávamos que seria tudo tão rápido assim. Estou aprendendo e evoluindo a cada dia, a cada treinamento e a cada oportunidade que tenho. Já estava muito feliz em ser titular pela primeira vez. E ainda pude fazer meu gol. Sem dúvidas, foi uma felicidade única e a realização de um sonho meu e de minha família. Só fico triste por termos perdido em um dia tão especial para mim”, diz Yuri Alberto.

Com o gol, Yuri superou Gabigol por dois dias e se tornou o sexto mais novo a marcar na história do Peixe. Veja o ranking completo abaixo.

“É uma honra para mim ter meu nome ligado a números de jogadores que marcaram história aqui no Santos. A minha está apenas começando e eu quero muito seguir os passos de todos esses ídolos, com gols, vitórias e, claro, títulos. Quero muito agradecer
ao Jair Ventura e à comissão técnica pelos ensinamentos e pelas oportunidades que tenho tido. Estão me dando muito confiança, para que eu esteja conseguindo crescer e me superar”, afirmou o centroavante.

1º – Coutinho – 14 anos e 11 meses
17/05/1958 – Santos 7 x 1 Sírio Libanês-GO

2º – Pelé – 15 anos, 10 meses e 15 dias
07/09/1956 – Corinthians-SA 1 x 7 Santos

3º – Edu – 16 anos, 7 meses e 11 dias
17/03/1966 – Santos 4 x 0 Bangu-RJ

4º – Victor Andrade – 16 anos, 10 meses e 9 dias
08/08/2012 – Santos 4 x 2 Cruzeiro

5º – Diego – 16 anos,11 meses e 15 dias
13/02/2002 – Santos 4 x 2 Ji-Paraná-RO

6º – Yuri Alberto – 16 anos, 11 meses e 20 dias
07/03/2018 – Novorizontino 2 x 1 Santos

7º – Gabriel – 16 anos, 11 meses e 22 dias
21/08/2013 – Santos 1 x 0 Grêmio

8º – Rodrygo – 17 anos e 16 dias
25/01/2018 – Ponte Preta 1 x 2 Santos

9º – Neymar – 17 anos, 1 mês e 10 dias
15/03/2009 – Santos 3 x 0 Mogi Mirim

Santos confirma saída de Matheus Jesus rumo ao Japão

O Santos confirmou nesta quinta-feira a saída de Matheus Jesus. O volante será reforço do Gamba Osaka, time do técnico Levir Culpi no Japão. Sem espaço no Peixe, ele foi cedido pelo Estoril-POR até o fim deste ano. A informação foi antecipada pela Gazeta Esportiva nesta quarta-feira.

Matheus tinha contrato com o alvinegro até o fim do ano, mas o clube não teve interesse na permanência em definitivo e aceitou liberá-lo. Em 2018, ele fez apenas quatro jogos, um como titular, e acabou substituído no intervalo contra o Ituano, no Pacaembu.

O volante de 20 nem foi relacionado pelo técnico Jair Ventura para a partida contra o Novorizontino, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Jorge Ismael de Biasi. Ele aguarda pelo “ok” de seus representantes para viajar ao Japão nesta semana.


Santos 3 x 1 Novorizontino

Data: 29/03/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 12ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.195 pagantes
Renda: R$ 82.270,00
Árbitro: Salim Fende Chavez
Auxiliares: Risser Jarussi Corrêa e Vitor Carmona Metestaine
Cartões amarelos: Léo Cittadini, Yuri e Thiago Ribeiro (S); Guilherme Teixeira, Henrique Santos, Igor e Caíque (N).
Gols: Henrique (10-1) e Kayke (35-1, de pênalti); Kayke (13-2) e Thiago Ribeiro (42-2).

SANTOS
Vanderlei; Matheus Ribeiro, Cleber, Yuri e Jean Mota; Leandro Donizete, Léo Cittadini (Matheus Oliveira) e Rafael Longuine; Copete, Vladimir Hernández (Thiago Ribeiro) e Kayke (Arthur Gomes).
Técnico: Dorival Junior

NOVORIZONTINO: Michael; Railan, Jeci, Guilherme Teixeira e Igor; Vitor Tormena, Henrique Santos, Rodrigo e Caíque (Luis Henrique); Henrique (Klenisson) e Nilson (Artur).
Técnico: Silas



Kayke marca dois, Santos bate Novorizontino e confirma liderança

Os pouco mais de 3 mil torcedores que foram até a Vila Belmiro na noite desta quarta-feira, não assistiram a um grande jogo de futebol. Já classificados para as quartas de final do Campeonato Paulista, Santos e Novorizontino pouparam seus titulares e fizeram um jogo lento e de dar sono. Porém, o Peixe contou com a estrela de Kayke para sair com a vitória. Substituindo o titular Ricardo Oliveira, o atacante anotou dois tentos e ajudou o alvinegro a virar sobre o Tigre. Ainda sobrou tempo para Thiago Ribeiro marcar o terceiro e garantir a vantagem santista na próxima fase do Estadual.

Com a vitória, o Santos chegou aos 22 pontos e confirmou a liderança do grupo D do Paulistão. Agora, o alvinegro terá pela frente a Ponte Preta nas quartas de final da competição. O primeiro confronto acontece neste final de semana, em Campinas. Já o duelo de volta será na Vila Belmiro, entre os dias 8 e 9 de abril.

O jogo

Classificados e com reservas, Santos e Novorizontino começaram o duelo desta quarta-feira de uma forma bem lenta na Vila Belmiro, tanto que a primeira oportunidade real surgiu apenas aos 9 minutos. Após cruzamento de Jean Mota, a bola sobrou para Hernández. O colombiano bateu de fora da área e jogou pra fora, após desvio na zaga.

No lance seguinte, um novo escanteio cobrado por Jean Mota terminou com um gol do… Novorizontino. Isso mesmo! A zaga da equipe do interior afastou a cobrança do santista e a bola sobrou para o Yuri. O volante, porém, errou ao recuperar a redonda e armou o contra-ataque para o Tigre. Na sequência, o atacante Henrique recebeu livre, driblou Vanderlei e abriu o placar na Vila.

O Santos respondeu logo e quase empatou aos 11 minutos, Copete entrou na lateral esquerda da área e rolou para Vladimir Hernández. O baixinho se esticou para desviar, mas o goleiro Michael salvou o Novorizontino.

Após a chance desperdiçada, o Peixe passou a sentir a pressão por estar atrás no marcador. Nervoso, o alvinegro não conseguia trocar passes com facilidade e mostrava muita lentidão para entrar no campo de ataque.

Se as coisas estavam difíceis na base do toque de bola, um chute de longa distância acabou ajudando o Santos na reta final do primeiro tempo. Aos 34 minutos, Rafael Longuine arriscou de longe e Guilherme Teixeira deu uma ‘manchete’ na redonda. Pênalti para o Peixe e cartão amarelo para o zagueiro do Tigre. Na cobrança, Kayke bateu firme no canto direito, tirando do goleiro Michael e deixando tudo igual na Vila Belmiro antes do intervalo.

Se o primeiro tempo foi sofrível, apesar dos dois gols, os 10 minutos da segunda etapa conseguiram ser piores ainda. O Novorizontino, sem pretensões e satisfeito com o empate, apenas segurava a bola no meio de campo. Já o Santos, por sua vez, voltou do intervalo errando muitos passes e mantendo a lentidão para chegar ao ataque.

Porém, quando o alvinegro finalmente conseguiu fazer uma boa jogada, alcançou a virada no placar. Aos 13 minutos, Jean Mota fez longo lançamento para Vladimir Hernández, que dominou e tocou para Rafael Longuine. Inspirado, o meia driblou dois marcadores e deu lindo passe para Kayke. O atacante avançou dentro da área e soltou uma bomba para marcar o seu segundo tento na partida e colocar o Peixe em vantagem.

A virada animou um pouco a equipe comandada por Dorival Júnior. Mais confiantes, os santistas passaram a dominar o confronto. Aos 19 minutos, Matheus Ribeiro mandou um chutaço de longa distância. O goleiro Michael precisou se esticar todo para fazer linda defesa e salvar o Novorizontino.

Após o bom chute do lateral-direito, o Peixe diminuiu o ritmo novamente e passou apenas a administrar o marcador. Tanto que o lance que mais empolgou a torcida santista no minutos seguintes foi a saída de Nilson. Muito marcado pelo gol incrivelmente perdido contra o Palmeiras, na final da Copa do Brasil de 2015, quando ainda jogava no alvinegro, o atacante foi alvo de xingamentos e vaias dos torcedores quando foi substituído por Artur.

Antes do apito final, porém, ainda sobrou tempo para Jean Mota mandar belo lançamento para Copete e o colombiano achar Thiago Ribeiro sozinho dentro da área. O atacante só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede, marcando o terceiro e decretando a vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

Thiago Ribeiro vê retomada de confiança do Santos ‘na hora certa’

O Santos começou 2017 desanimando parte da torcida. Mesmo mantendo os principais nomes do elenco e ainda trazendo seis reforços, o alvinegro perdeu três clássicos, fez campanha ruim dentro da Vila Belmiro e penou para alcançar a vaga nas quartas de final do Campeonato Paulista. Porém, a vitória sobre o Novorizontino, nesta quarta-feira, garantiu a liderança do grupo D e a vantagem de fazer o jogo de volta em casa contra a Ponte Preta.

O triunfo sobre o time de Novo Horizonte, inclusive, foi o terceiro seguido do alvinegro na temporada. Para o atacante Thiago Ribeiro, autor do último gol santista nesta quarta, o Peixe retomou a confiança e o caminho das vitórias no melhor momento possível.

“Vencer é sempre bom. A primeira colocação ainda não estava decidida. É uma vitória a mais e nos dá a primeira colocação. Valeu muito. Os jogadores que entraram conseguiram corresponder. A gente sabe como é o futebol, cada vitória é uma confiança a mais. A gente cresceu na hora certa e agora é a hora de mostrar quem é quem, porque vai começar um campeonato diferente”, explicou o atacante na saída do gramado.

Decisivo, Kayke comemora chance de ‘mostrar a força do grupo’

Quando foi contratado por empréstimo no começo de janeiro, Kayke chegou ao Santos com o peso de ser o substituto ideal para Ricardo Oliveira. No começo do ano, porém, ele acabou sendo preterido por Rodrigão. Mas com o passar da temporada, o atacante retomou o posto de ‘sombra’ do camisa 9 e deu uma resposta positiva na noite desta quarta-feira, na vitória santista por 3 a 1 sobre o Novorizontino, pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista.

Já classificado para as quartas de final, o técnico Dorival Júnior decidiu poupar os titulares e deu a chance de Kayke, assim como outros nove reservas, começar jogando diante do time de Novo Horizonte. O atacante foi decisivo, marcou duas vezes e garantiu o triunfo do Peixe. Na saída do gramado, ele comemorou o placar e também exaltou o elenco do alvinegro.

“Foi um jogo importante para a gente (reservas). Mostra a força do grupo. Estou feliz pela atuação em conjunto com a equipe. Não é a primeira vez que esse time “reserva” mostra seu valor. Estamos preparados e por isso vestimos a camisa do Santos”, resumiu Kayke.

O técnico Dorival Júnior, por sua vez, elogiou o desempenho do atacante, que voltará para o banco de reservas no duelo contra a Ponte Preta, pelas quartas de final do Paulistão.

“Kayke é um atacante e naturalmente vive de gols. Porém, ele já tem sido muito útil durante as partidas que entra. E hoje e teve a felicidade de definir o resultado”, explicou o comandante.

Dorival vê campanha ‘aquém do esperado’ e Ponte como rival mais difícil

Santos não começou a temporada da melhor forma possível. Afinal, mesmo com a chegada de reforços, a equipe comandada por Dorival Júnior perdeu três clássicos, fez campanha fraca dentro da Vila Belmiro e só conseguiu garantir a vaga nas quartas de final do Campeonato Paulista no último final de semana. Porém, o alvinegro ‘deslanchou’ nas últimas rodadas, alcançou sua terceira vitória consecutiva ao bater o Novorizontino, nesta quarta-feira, e confirmou a liderança do grupo D do Estadual.

Mesmo com a retomada da ponta na reta final, Dorival Júnior acredita que a campanha do Peixe na primeira fase foi abaixo do esperado. Apesar disso, o comandante vê a equipe em uma ascensão no momento certo.

” É uma campanha que foi crescendo aos poucos. Perdemos alguns pontos que nos custaram muito caro. Em um ano e oito meses, nunca tivemos mais do que duas derrotas seguidas. Um pouco aquém do esperando, mas com um espírito de recuperação muito bom. E isso dá ânimo. Vejo a equipe em crescente. Mas agora é mata-mata”, explicou o treinador, em entrevista coletiva logo após a vitória desta quarta-feira.

Com o triunfo sobre o Novorizontino, o Santos chegou aos 22 pontos e confirmou a liderança do grupo D do Paulistão. Agora, o alvinegro terá pela frente a Ponte Preta nas quartas de final da competição. O primeiro confronto acontece neste final de semana, em Campinas. Já o duelo de volta será na Vila Belmiro, entre os dias 8 e 9 de abril.

Para Dorival, a Macaca é o adversário mais difícil entre todos os times que enfrentarão os grandes na próxima fase.

“Olhem os números da Ponte Preta. Isso não nos deixa nenhuma dúvida (de que é o rival mais difícil). Estávamos no grupo mais equilibrado até três rodadas. Ficamos até a última rodada brigando pela posição. A Ponte é um time que se reinventa muito fácil. Mudam os nomes, mas eles mantêm o ritmo de trabalho. Há cada ano que passa eles conseguem uma superação que os deixam sempre bem colocados no Brasileirão. Tenho muito respeito e também expectativa de que tenhamos dois bons jogos contra eles”, concluiu o comandante santista.

Santos cresce ‘na hora certa’ e vence três seguidas pela primeira vez no ano

O Santos finalmente retomou a confiança na temporada. Após um período de altos e baixos, com uma campanha fraca dentro da Vila Belmiro e três derrotas em clássicos, o alvinegro se viu com grandes riscos de ficar fora das quartas de final do Campeonato Paulista. Porém, uma sequência inédita de três vitórias seguidas no ano, contra São Bento, Santo André e Novorizontino, respectivamente, não só recolocou a equipe na zona de classificação, como garantiu a liderança do grupo D do Estadual.

Agora, o Peixe terá pela frente a Ponte Preta nas quartas. A Macaca, por sua vez, também vem de três jogos sem derrota e é vista como o adversário mais difícil dos clubes ‘grandes’ do estado. Mesmo assim, o técnico Dorival Júnior crê que a equipe cresceu ‘no momento certo’ e está pronta para as decisões do Paulistão.

“Eu já vinha falando que com o retorno de todos os jogadores dificilmente aconteceria algo que não o equilíbrio. E foi assim que aconteceu depois do jogo no Peru. Tivemos uma derrota para o Palmeiras que não mostrou o que foi o jogo nos 90 minutos. O Santos voltou a jogar com confiança. Entra em um momento decisivo com a confiança de que teremos bons jogos e dentro do padrão que estamos acostumados”, explicou o comandante.

“A gente vem de três vitórias seguidas, então já estamos no embalo. Cada vitória é uma confiança a mais e a cada derrota te tira a confiança, vem as críticas. Agora vem o mata-mata e é a hora de mostrar. É um campeonato totalmente diferente que vai começar agora”, ressaltou Thiago Ribeiro, autor do terceiro gol na vitória sobre o Novorizontino, nesta quarta-feira.