Navegando Posts marcados como Monumental de Nuñez

River Plate 3 x 2 Santos

Data: 04/09/1997, quinta-feira, 21h40.
Competição: Supercopa da Libertadores – Grupo 3 – 2ª rodada
Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, Argentina.
Árbitro: Epifânio Gonzalez (PAR)
Cartões amarelos: Montserrat e Hernan Diaz (RP); Caio e Jean (S).
Cartões vermelhos: Sandro e Ronaldão (S).
Gols: Caio (12-1), Müller (22-1) e Escudero (41-1); Rambert (22-2) e Salas (29-2).

RIVER PLATE
Burgos; Hernan Diaz, Celso Ayala, Berizzo e Sorin; Montserrat, Gancedo, Escudero (Maiterra), Solari; Marcelo Salas e Rambert (Medina Bello).
Técnico: Ramon Díaz

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean, Ronaldão e Sandro; Narciso, Marcos Bazílio, João Santos (Arinelson) e Alexandre (Caíco); Muller e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos permite virada do River

Boca Juniors 1 x 4 Santos

Data: 08/08/1965, domingo.
Competição: Torneio Quadrangular de Buenos Aires – 1ª rodada
Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, Argentina.
Árbitro: Roberto Goicochea.
Expulsão: Rojas (B, 43-2).
Gols: Pelé (10-1), Pelé (26-1) e Coutinho (28-1); Menendez (28-2) e Coutinho (44-2).

BOCA JUNIORS (ARG)
Néstor Errea; José Silvero e Silvio Marzolini; Carmelo Simeone, Ernesto Grillo e Alcides Silveira; Ayres Moraes, Norberto Menendez, Alfredo Rojas, Alberto González e Oscar Pianetti.
Técnico: Néstor Rossi

SANTOS
Gilmar; Carlos Alberto e Mauro: Zito, Orlando e Geraldino; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Abel (Pepe).
Técnico: Lula



Santos vence o Boca por 4 a 1

Estreia do Santos no Torneio Quadrangular de Buenos Aires, que contava com as os dois mais famosos clubes mundiais, o Santos e o Real Madrid, e ainda os dois mais populares clubes argentinos, Boca Juniors e River Plate. O River é o atual líder do campeonato argentino e o Real Madrid o campeão espanhol.

O Boca não pode contar com seus quatro principais jogadores, convocados para seleção argentina: o goleiro Roma, o médio Rattin, o médio esquerdo Sacchi e o meia direita Ángel Rojas.

Fontes:
Estadão
Vídeo: Archivo DiFilm

Peñarol 2 x 1 Santos

Data: 31/03/1965
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Partida de desempate
Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, Argentina.
Público: 50.133
Renda: Cr$ 200.000.000,00 (aproximadamente)
Árbitro: Roberto Goycochea (ARG)
Gols: Joya (14-2), Pelé (30-2). Prorrogação: Sasia (07-2)

PEÑAROL
Mazurkiewicz; Forlán, Pérez, Varela e Caetano; Gonçalvez e Rocha; Ledesma, Silva, Sasía e Joya.
Técnico:

SANTOS
Laércio; Ismael; Mauro, Haroldo e Geraldinho; Zito e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula



Ocorrências: Por haver o tempo regulamentar terminado com empate em 1 a 1, houve prorrogação de 30 minutos. Aos 12 minutos da prorrogação, Mengálvio foi expulso por dar um pontapé em Gonçalvez.

Enquanto o Santos perdia para os uruguaios, seus reservas foram massacrados pelo Palmeiras no Pacaembu por 7 a 1 em partida válida pela 13ª rodada do Torneio Rio SP.

Dupla tristeza para torcida santista: a eliminação da Libertadores e a goleada alvi-verde.

Santos 3 x 0 Peñarol

Data: 30/08/1962, quinta-feira, 15h15.
Competição: Copa Libertadores – Final – Jogo 3 (extra)
Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, Argentina.
Público: 45.980
Renda: 5.365.400,00 pesos (Cr$ 26.827.000,00 aproximadamente)
Árbitro: Leopold Horn (HOL).
Gols: Caetano (11-1, contra); Pelé (03-2) e Pelé (44-2).

SANTOS
Gylmar; Lima, Mauro e Dalmo; Zito e Calvet; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula

PEÑAROL (URU)
Maidana; González, Lezcano e Cano; Caetano e Gonçalvez; Pedro Rocha, Sasía, Matosas, Spencer e Joya.
Técnico: Bella Guttman



Pelé faz dois e Santos ganha o título do Peñarol por 3 a 0

Santos campeão da América do Sul.

Fontes:
Estadão
Jornal Folha de SP


Assista abaixo ao compacto da Cinemateca Uruguaya com 38 minutos de duração.





Créditos:
Vídeos: Almir Espindola e Cinemateca Uruguaya

River Plate 2 x 1 Santos

Data: 06/02/1962, terça-feira à noite.
Competição: Triangular de Buenos Aires – 2ª rodada (última)
Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, Argentina.
Público: 90.000 aproximadamente
Renda: 8.817.640 pesos
Árbitro: Luís Ventre (ARG).
Gols: Onega (16-1) e Pando (21-1); Décio Brito (24-2).

RIVER PLATE (ARG)
Carrizo; Carlos Sainz, Delgado e Marcelo Echegaray; Vladislao Cap e José Varacka; Garcia (Delém), Martin Pando, Luis Artime, Ermindo Onega e Roberto.
Técnico:

SANTOS
Laércio; Lima, Olavo e Décio Brito; Zito e Formiga; Dorval (Tite), Mengálvio, Coutinho (Pagão), Pelé e Pepe.
Técnico: Lula



Surpreendido o Santos FC pelo River Plate: 2 a 1

Os santistas perderam a invencibilidade de 8 partidas na excursão internacional.

Fontes:
Jornal Folha de SP
Estadão