Navegando Posts marcados como Mané Garrincha

Santos 2 x 2 San Lorenzo

Data: 13/04/2021, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – 3ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Esteban Ostojich (URU).
Auxiliares: Carlos Barreiro Jara e Martin Soppi.
Cartões amarelos: Alison, Marcos Leonardo, João Paulo e Marinho (S); Peruzzi, Di Santo e Diego Rodríguez (SL).
Cartão vermelho: Rojas (SL).
Gols: Marcos Leonardo (21-1); Pará (05-2), Di Santo (13-2) e Angel Romero (32-2).

SANTOS
João Paulo; Madson (Luiz Felipe), Kaiky, Luan Peres e Pará; Alison, Felipe Jonatan e Pirani (Jean Mota); Marinho (Lucas Braga), Soteldo (Copete) e Marcos Leonardo (Kaio Jorge).
Técnico: Ariel Holan

SAN LORENZO (ARG)
Devecchi; Peruzzi, Alejandro Donatti, Gattoni, Rojas; Diego Rodríguez (Elias), Juan Ramírez, Oscar Romero; Angel Romero, Di Santo e Nicolás Fernández (Melano).
Técnico: Diego Dabove



Santos empata com o San Lorenzo e avança à fase de grupos da Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos empatou com o San Lorenzo por 2 a 2 e, como havia vencido na Argentina, garantiu a classificação para a fase de grupos da Libertadores. O Peixe abriu dois gols de vantagem, com Marcos Leonardo e Pará, e ainda viu Rojas ser expulso e deixar os argentinos com um a menos. No entanto, os visitantes reagiram e empataram com Di Santo e Angel Romero.

O primeiro tempo foi movimentado em Brasília, com as duas equipes tendo chances para marcar. Quem aproveitou foi o Santos, que abriu o placar com um belo gol de Marcos Leonardo, bancado por Ariel Holan no time titular, mesmo com o retorno de Kaio Jorge.

A situação, em tese, ficou mais tranquila para o Peixe aos cinco minutos do segundo tempo, quando Rojas foi expulso e deixou os argentinos com um a menos. Os comandados de Holan aproveitaram a vantagem e ampliaram logo em seguida, com Pará. O San Lorenzo reagiu rapidamente com Di Santo, de cabeça, e conseguiu empatar com Angel Romero, em chute de fora da área. Mesmo com o susto, o Alvinegro conseguiu se segurar e garantir a classificação.

O Santos fará a sua estreia pelo grupo C da Libertadores na terça-feira da semana que vem, contra o Barcelona-ECU, na Vila Belmiro, às 19h15. Pelo Campeonato Paulista, o próximo compromisso do time é contra a Ponte Preta, na quinta-feira, às 20h, em Campinas.

O jogo

Com a nova formação, o Santos teve Pará pela esquerda como um lateral mais defensivo, enquanto Madson apoiava com mais intensidade pela direita. O Peixe começou tendo o domínio da posse, mas foram os argentinos que chegaram com perigo primeiro. Di Santo completou cruzamento para fora, e Óscar Romero finalizou de longe à direita do gol.

Logo em seguida, Marinho bateu escanteio pela direita e exigiu boa defesa de Devecchi, quase marcando um gol olímpico. Aos 21 minutos, o Santos abriu o placar em Brasília. Pressionado pelo San Lorenzo, o time saiu tocando desde trás e conseguiu sair com liberdade no ataque. Felipe Jonatan avançou com a bola e lançou para Marcos Leonardo, que invadiu a área e, sem ângulo, acertou um chute de rara felicidade para marcar.

Após sofrer o gol, o San Lorenzo levou muito perigo com cabeceio de Donatti, com a bola passando perto da trave. O Santos respondeu com Soteldo, que arrancou com a bola dominada, invadiu a área e parou em defesa de Devecchi. Por fim, os argentinos ainda assustaram com duas finalizações no mesmo lance, porém João Paulo apareceu bem nos dois arremates.

O San Lorenzo voltou ligado no segundo tempo e assustou logo nos dois primeiros minutos. Óscar Romero finalizou de fora da área e exigiu defesa de João Paulo, que espalmou. Na sequência, Nicolás Fernández pegou um rebote dentro da área e desperdiçou uma grande oportunidade.

Aos cinco minutos, o Santos ficou com um homem a mais em campo. Em contra-ataque, Marinho arrancou com a bola e saiu na cara do goleiro, sendo parado por Rojas, que deu um carrinho fora da área e recebeu o cartão vermelho direto. Na cobrança, Soteldo bateu por cima do travessão.

Aos 11 minutos, o Peixe ampliou o marcador. Soteldo avançou pela esquerda com liberdade e viu Pará passar pela esquerda. O lateral recebeu na área e bateu de primeira, com a perna direita para fazer o segundo do time. No lance seguinte, o San Lorenzo diminuiu o placar em mais um lance de bola aérea, o pesadelo do Alvinegro na temporada. Após cruzamento da direita, Di Santo ganhou de Luan Peres por cima e testou firme para marcar.

Aos 32 minutos, o San Lorenzo empatou em Brasília. Romero trouxe a bola para dentro e arriscou chute rasteiro de fora da área. João Paulo até tocou na bola, mas não conseguiu evitar que ela entrasse. O time argentino não diminuiu o ritmo e quase virou com uma testada de Óscar Romero, defendida pelo goleiro do Peixe. O gêmeo do jogador ex-Corinthians ainda voltou a exigir intervenção de João Paulo, na última chance do San Lorenzo na partida.

Bastidores – Santos TV:

Marinho se desculpa por “atitude péssima” e revela que pediu perdão a Holan

Marinho esteve nos holofotes no empate do Santos com o San Lorenzo nesta terça-feira, e não pelo bom desempenho na partida. Após ser substituído, o atacante saiu irritado do campo e não quis cumprimentar o técnico Ariel Holan.

Depois de esfriar a cabeça, o jogador do Peixe utilizou o seu Instagram para se desculpar pela atitude. Marinho escreveu que saiu chateado, mas deixou claro que sabe que não é insubstituível, revelando que já pediu perdão a Holan em frente ao elenco no vestiário.

Marinho teve atuação discreta no empate por 2 a 2, não participando de nenhum dos gols e sendo substituído por Lucas Braga.

Holan diz que Santos poderia ter matado o jogo e julga atitude de Marinho como “normal”

O Santos empatou por 2 a 2 com o San Lorenzo nesta terça-feira e garantiu a classificação para a fase de grupos da Libertadores. Apesar da vaga carimbada, o Peixe decepcionou na partida. Mesmo com um a mais, o time permitiu que os argentinos marcassem dois gols e deixassem tudo igual, sofrendo uma pressão no final.

Após o jogo, Ariel Holan não escondeu o descontentamento com o placar final do confronto. Na visão do técnico, o Santos teve oportunidades para matar a partida antes de sofrer o primeiro gol.

“Foi um jogo que poderia ter terminado muito antes. Tivemos as situações em contra-ataques, quando estava 2 a 0. Quando o San Lorenzo sentiu que ficaria de fora, fez muitos esforços para pressionar com dez e ir à frente. Nós não finalizamos os contra-golpes, e o San Lorenzo fez o primeiro gol, depois o segundo… O jogo complicou um pouco, mas creio que temos muito a aprender com esse jogo, acho que será muito útil para seguir melhorando como time”, analisou o treinador.

Holan também comentou brevemente sobre a atitude de Marinho, que deixou o campo irritado ao ser substituído. O atacante não quis cumprimentar o técnico na beira do gramado.

“É normal, o Marinho é um jogador muito importante para o nosso time e é lógico que não sairia contente do campo. Isso é lógico”, afirmou o comandante.

Após a partida, Marinho utilizou o seu Instagram para se desculpar pela “atitude péssima”. O atacante revelou que já pediu perdão a Holan em frente aos jogadores no vestiário.

Holan explica por que não utilizou Ivonei contra o San Lorenzo

Nesta terça-feira, o Santos empatou por 2 a 2 com o San Lorenzo e garantiu a vaga na fase de grupos da Libertadores. O técnico Ariel Holan fez modificações na equipe em relação ao jogo de ida, escalando Felipe Jonatan no meio-campo e deslocando Pará para a esquerda, enquanto Madson foi o lateral-direito.

Ivonei, que retornou recentemente de uma lesão na coxa esquerda, ficou no banco de reservas e nem sequer entrou no segundo tempo. Na entrevista coletiva, Holan explicou por que não utilizou o meio-campista.

“O Ivonei vem de uma lesão e não jogou depois disso. Trabalhamos com o Felipe (Jonatan) em Atibaia, para que ele pudesse ser uma opção. Com Madson pela direita, ganharíamos altura. Era muito importante para que nós conseguíssemos nos defender melhor contra o San Lorenzo, um time que é muito alto”, afirmou o técnico.

Holan garantiu que a alterativa com Felipe Jonatan no meio-campo não foi um improviso. O treinador vive a expectativa de contar com Ivonei 100% fisicamente o quanto antes, visto que Sandry permanecerá fora dos gramados por, no mínimo, seis meses.

“Não foi uma improvisação, e sim algo que trabalhamos. Com Pirani pela direita e Sandry, que lamentavelmente não está. Balieiro está com um problema no joelho, Ivonei vem de uma lesão, esperamos que ele possa jogar na próxima partida”, finalizou Holan.

João Paulo acredita que Santos irá aprender com o ‘apagão’ contra o San Lorenzo

O Santos garantiu a classificação para a fase de grupos da Libertadores na terça-feira, mas o desempenho da equipe na segunda etapa foi preocupante. Mesmo com um a mais, o Peixe permitiu que os argentinos empatassem a partida e pressionassem o Alvinegro na reta final.

Após o jogo, o goleiro João Paulo afirmou que o Santos irá tirar lições da queda de rendimento abrupta na segunda etapa do jogo disputado em Brasília.

“Muito pela postura do San Lorenzo, precisando do resultado eles atacaram mais. Eles deixaram muitos contra-ataques para a gente, mas não matamos o jogo. A gente vai poder aprender com os nossos erros, para que possamos melhorar e fazermos outros grandes jogos”, disse o goleiro.

João Paulo também comentou sobre o gol de bola aérea sofrido pelo Peixe, algo bastante recorrente na temporada da equipe. O arqueiro deixou claro que o time já sabia que enfrentaria dificuldades em cruzamentos.

“O San Lorenzo tinha como maior perigo a bola aérea, por ser um time muito alto. Somos um time rápido e de posse de bola, mas de baixa estatura. No primeiro jogo, a gente não sofreu tanto, mas sabia que teria mais dificuldade no segundo. Fizeram os gols em falhas nossas, mas o mais importante é aproveitar a nossa classificação”, finalizou.

Pará celebra gol ‘à la Bebeto’ e presta homenagem ao aniversário do Santos

Autor de um dos gols no empate entre Santos e San Lorenzo, Pará celebrou sua atuação e a classificação da equipe para a fase de grupos da Libertadores.

O lateral brincou que seu gol lembrou o de Bebeto pela Seleção Brasileira contra os Estados Unidos na Copa do Mundo de 1994.

“Eu sou um atleta que não tenho costume de fazer tantos gols na minha carreira. E acabou saindo um maravilhoso com a chapada ‘à la Bebeto’, devagar e no cantinho. Mas brincadeiras à parte, fico mais feliz ainda pela nossa classificação, pois a gente precisava muito passar para essa fase de grupos e o gol acabou ajudando”, afirmou em declarações publicadas pelo site do Santos.

O camisa 4 também aproveitou para prestar sua homenagem pelo aniversário de 109 anos do Peixe.

“Quando eu fiz o gol já veio na memória o Peixe completando esses 109 anos de muita glória e muita tradição. Um clube gigante e que já revelou vários craques para o futebol, sendo que eu tive o privilégio de jogar com alguns deles. Tenho a honra de fazer parte dessa história e espero permanecer aqui por muito tempo para seguir brigando sempre por essa camisa”, disse.

Agora, o time de Ariel Holan passa a trabalhar para a maratona de jogos que está por vir, com compromissos do Paulistão e da Libertadores. De acordo com Pará, é momento da equipe mostrar sua força.

“Acredito que é sim a chance de mostrarmos a força do nosso elenco. Fizemos duas semanas muito boas de treinos lá em Atibaia. O professor Ariel é um treinador muito estrategista e bem capacitado para colocar em campo aqueles que estiverem em melhores condições. Estamos preparados para essa maratona e se tiver que jogar de dois em dois dias não terá problema para nós”, finalizou Pará.

Santos comemora o aniversário com classificação, dinheiro nos cofres e uniforme novo

Nesta quarta-feira, o Santos celebra 109 anos de vida. No aniversário do Peixe, o que não falta ao clube é motivo para comemorar: além de carimbar a vaga na fase de grupos da Libertadores, o Alvinegro garantiu a premiação por avançar na competição, valor que servirá de respiro para a saúde financeira da instituição.

Por mais que o time tenha caído abruptamente de rendimento do segundo tempo, mesmo com um a mais, o Santos segurou o empate e, como havia ganhado na Argentina, confirmou a classificação para a fase de grupos. O Peixe entrará no grupo C do torneio, que conta com Boca Juniors-ARG, Barcelona-ECU e The Strongest-BOL.

A estreia do Alvinegro na fase de grupos acontecerá na terça-feira da semana que vem, contra o Barcelona, na Vila Belmiro, às 19h15. Antes do duelo, a equipe ainda terá compromissos contra a Ponte Preta e Inter de Limeira, na quinta-feira e domingo, respectivamente.

Por avançar à fase de grupos da Libertadores, o Santos garantiu uma premiação de 1 milhão de dólares para cada partida como mandante. Assim, o clube embolsará 3 milhões de dólares (cerca de R$ 17 milhões), valor que será importante para a reestruturação financeira do Peixe.

Aproveitando a comemoração do aniversário do clube, a Umbro lançará o novo uniforme que será utilizado pelo time na sequência da temporada. Na terça-feira, a fornecedora esportiva divulgou um teaser, porém sem revelar grandes detalhes da vestimenta.


Santos 0 x 0 Flamengo

Data: 26/05/2013, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 63.501 pagantes
Renda: R$ 6.948.710,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marrubson Melo Freitas (DF).
Cartões amarelos: Henrique (S); Luiz Antônio (F).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Patito Rodríguez), Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo (Felipe Anderson); Neymar e Henrique (Gabriel).
Técnico: Muricy Ramalho

FLAMENGO
Felipe; Léo Moura, Renato Santos, Marcos González e Ramon; Luiz Antônio (Carlos Eduardo), Elias, Renato Abreu e Gabriel (Paulinho); Rafinha e Hernane (Marcelo Moreno).
Técnico: Jorginho



Na despedida de Neymar, Santos e Flamengo não saem do zero em Brasília

O craque santista pouco apareceu durante os 90 minutos e agora vai desfilar nos gramados europeus com a camisa do Barcelona

O que poderia ser uma grande festa, com o estádio Mané Garrincha, em Brasília, cheio e a despedida de Neymar, acabou em um empate sem gols entre Santos e Flamengo, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O craque santista pouco apareceu durante os 90 minutos e agora vai desfilar nos gramados europeus com a camisa do Barcelona. Os rubro-negros foram melhores e desperdiçaram diversas chances claras. Assim, as duas equipes somaram apenas um ponto neste início de Série A.

O primeiro tempo foi de muita correria, mas sem muita inspiração. O Flamengo criou as melhores chances, com Rafinha e Gabriel. Já na etapa final, os cariocas seguiram tendo as melhores chances, mas novamente não as aproveitaram para desespero da torcida, que era ampla maioria, presente no Mané Garrincha.

O jogo

O confronto começou com as duas equipes buscando o ataque. O Flamengo aproveitava melhor os espaços e chegava próximo ao gol. Os rubro-negros quase abriram o placar com 11 minutos. Após cruzamento na área, Rafinha apareceu livre e tocou, mas viu Rafael fazer grande defesa para salvar o Santos. Os paulistas tinham dificuldade de transpor a marcação adversária e Neymar pouca aparecia em campo.

O craque arriscou seu primeiro chute somente aos 17 minutos. Após tabela com Montillo, Neymar tentou colocar a bola no ângulo de Felipe, mas a viu ir por cima do travessão de Felipe. O lance acabou sendo o único dos paulistas, pois o Flamengo conseguia chegar com mais frequência ao ataque, mas esbarrava na defesa do Santos, que tirava o perigo.

Depois de um período com muita correria, mas poucas chances de gol, o Flamengo teve novamente grande chance marcar, aos 42 minutos. Hernane recebeu a bola na área, de frente para rafael. No entanto, o atacante preferiu tocar para Gabriel, mas o meio demorou muito para finalizar e acabou travado pela zaga santista. Renato Abreu ainda pegou o rebote, só que chutou por cima do travessão. Assim, o duelo foi para o intervalo com a igualdade no marcador no Mané Garrinha.

No segundo tempo, o panorama da partida seguiu o mesmo. O Santos não tinha organização no setor ofensivo e não incomodava o goleiro Felipe. O Flamengo conseguia chegar com mais facilidade ao ataque, mas também não ameaçava Rafael. Na melhor chance dos primeiros minutos, Elias arriscou de fora da área e a bola passou a direita do gol santista. A resposta do Santos aos nove minutos. Após cruzamento, Henrique escorou para Neymar, mas o atacante foi travado no momento da finalização.

O confronto melhorou e as duas equipes passaram a criar mais chances. Aos 23 minutos, Neymar cobrou falta e obrigou Felipe a voar para fazer a defesa. Já o Flamengo respondeu três minutos depois. Gabriel foi lançado na área, tocou por cima de Rafael, mas viu Durval aparecer para salvar os paulistas.

Os rubro-negros começaram a aproveitar mais os espaços e quase abriram o placar aos 32 minutos. Em contra-ataque rápido, Marcelo Moreno foi lançado e finalizou para grande defesa de Rafael, que salvou o gol com o pé. Dois minutos depois, foi a vez de Carlos Eduardo desperdiçar oportunidade. O atacante viu o goleiro santista falhar após cruzamento, mas chutou errado, para fora.

Nos minutos finais, as duas equipes ainda tentaram o gol da vitória, mas na base da vontade. Nenhuma conseguiu criar chance clara e o duelo acabou mesmo em um frustrante empate sem gols em Brasília.

Bastidores – Santos TV:

Após choro em último jogo pelo Santos, Neymar tenta fazer a ficha cair

Já na execução do Hino Nacional Brasileiro, o novo reforço do Barcelona começou a chorar por causa da despedida

O atacante Neymar não conteve as lágrimas antes de disputar o seu último jogo pelo Santos , o empate sem gols com o Flamengo, neste domingo, no Mané Garrincha. Já na execução do Hino Nacional Brasileiro, o novo reforço do Barcelona começou a chorar por causa da despedida.

“A ficha já está começando a cair. Está na garganta. Vou tomar água para ela cair realmente”, comentou Neymar, sorrindo, bem mais tranquilo ao final da sua partida derradeira pela equipe da Vila Belmiro.

Durante o jogo, o atacante não conseguiu se destacar. Recebeu poucas vezes a bola e arriscou algumas conclusões em cobranças de falta, mas sem precisão e força suficientes para vencer o goleiro Felipe. No intervalo, seu time demorou muito a voltar ao gramado do Mané Garrincha.

“Foi emocionante, no vestiário. Agradeci aos meus companheiros por todos os momentos juntos, de treinamentos a jogos, a concentrações, a viagens, a conquistas e até a derrotas. Torço muito por eles”, discursou Neymar.Em seu adeus, o astro ainda falava muito do Santos e pouco do novo clube. “Ainda não sei quando vou viajar a Barcelona. Vou ver isso direitinho”, explicou, sem antecipar emoções. “Vamos ver como será quando eu chegar lá e vestir a camisa.”

Vídeo: Neymar chora ao se despedir de companheiros no vestiário

Vídeo: Neymar se despede de amigos no CT Rei Pelé: “Eu vou mas eu volto”

Vídeo: #ObrigadoNeymar – Santos faz vídeo em homenagem a Neymar, que está de saída.
O clube reuniu imagens de diversas época da vida do camisa 11, desde os primeiros gols no futsal até o nascimento do seu filho, Davi Lucca

Neymar despede-se de torcida santista no Facebook

Craque narrou carta de despedida, veja no vídeo abaixo

“Galera !! Tô aqui reunido com amigos e familiares e eles me ajudaram a escrever algumas coisas aqui… É que não vou aguentar até segunda-feira… Minha família e meus amigos já sabem a minha decisão. Segunda-feira assino contrato com o Barcelona. Quero agradecer aos torcedores do Santos por esses 9 anos incríveis. Meu sentimento pelo clube e pela torcida nunca mudará. É eterno !! Só um clube como o Santos FC poderia me proporcionar tudo o que vivi dentro e fora de campo. Sou grato a maravilhosa torcida do peixe que me apoiou mesmo nos momentos mais difíceis. Títulos, gols, dribles, comemorações e as canções que a torcida criou pra mim estarão pra sempre em meu coração… Fiz questão de jogar a partida amanhã em Brasília. Quero ter a oportunidade de mais uma vez entrar em campo com o ‘manto’ e ouvir a torcida gritar meu nome… como diz o hino, ‘é um orgulho que nem todos podem ter…’ É um momento diferente pra mim, triste (despedida) e alegre (novo desafio). Que Deus me abençoe nas minhas escolhas… E estarei sempre em Santos !! #Toiss”

Gama 2 x 1 Santos

Data: 04/10/2000, quarta-feira.
Competição: Copa João Havelange (Campeonato Brasileiro) – Módulo Azul – 1ª Fase – 15ª rodada
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 3.490 pagantes
Renda: R$ 23.935,00
Árbitro: Léo Feldman (RJ).
Cartões amarelos: Sérgio Soares, Gérson, Nilson e Rodriguinho (G); André Luis e Robert (S).
Gols: Silva (20-1) e Dodô (31-1, de pênalti); Marcos Piauí (22-2).

GAMA
Nilson; Lima, Deda, Gerson e Rodriguinho; Cabila (Marcos Piauí), Gutemberg, Sergio Soares e Lindomar; Romualdo e Silva (Abimael).
Técnico: Jair Picerni

SANTOS
Carlos Germano; Marcelo Silva (Júlio Cesar), André Luis, Sangaletti (Preto) e Léo; Anderson Luiz, Renato (Gaúcho), Valdo e Robert; Caio e Dodô.
Técnico: Giba



Sem estrelas, Santos reabilita o Gama no DF

Desfalcado de suas principais estrelas (Rincón e Edmundo), o Santos perdeu do Gama, no Distrito Federal, por 2 a 1, pela Copa JH. A derrota deixa o time paulista no oitavo lugar da classificação, com 22 pontos.

Por ser um dos times que mais investiu neste ano, o Santos está com seu treinador, Giba, ameaçado. Ele vem sofrendo pressões da diretoria e pode deixar o cargo.

Na partida de ontem, o Gama, que também estava sob pressão, soube explorar o momento de tensão e se recuperou no campeonato, após ter sofrido duas derrotas consecutivas. A vitória deixa o time do Distrito Federal com chances de classificação à próxima fase. O Gama tem 21 pontos ganhos.

Os gols da partida foram marcados por Silva e Marcos Piauí, para o Gama, e Dodô, para o Santos.

A equipe da casa abriu o placar aos 20 minutos de jogo. Romualdo fez boa jogada pela esquerda e deixou Silva livre para marcar.

Em desvantagem, o Santos partiu um busca do empate, que saiu em uma arrancada de Léo pela esquerda. Ele viu a entrada de Robert e tocou. O meia santista foi derrubado dentro da área, e o árbitro Léo Feldmann marcou pênalti. Dodô empatou.

Mas o ímpeto santista diminuiu após o intervato da partida. O Gama, então, voltou a crescer em campo.

Aos 33min, Marcos Piauí, que estava havia acabo de entrar no time do DF, acertou um chute forte, de fora da área, sem chance de defesa para Carlos Germano. Antes de entrar, a bola ainda tocou nas duas traves.

O time paulista se abateu e não encontrou forças para reagir. Fora de campo, o Santos se atrasou e perdeu o vôo que o transportaria para São Paulo. A delegação passaria a noite em Brasília.

Santos pode ter volta de Edmundo sábado

É remota, mas existe a possibilidade do atacante Edmundo voltar a equipe do Santos no jogo do próximo sábado, contra a Ponte Preta, na Vila Belmiro.

O jogador, que se recupera de uma contratura muscular na perna direita, não jogaria ontem contra o Gama, mas voltou a se exercitar, fazendo exercícios em torno dos campos do CT santista.

Rincón, que se reapresenta hoje após um período de licença na Colômbia, desfalcará o time de novo porque cumprirá o segundo jogo de suspensão devido ao cartão vermelho que recebeu na derrota para o Flamengo (3 a 0).

Pelo regulamento da Copa João Havelange, a suspensão automática é dobrada a cada expulsão. O volante já havia recebido cartão vermelho no empate com o Juventude (1 a 1), em 23 de agosto.

Caso Edmundo não atue sábado, ele e Rincón, mais o zagueiro Claudiomiro, contundido, deverão retornar juntos à equipe no dia 14, contra o Vasco, em Santos.

O zagueiro Márcio Santos, afastado do grupo por indisciplina, não comparece ao CT para treinar em separado desde a última quinta-feira. O Santos aguarda o interesse de algum clube para negociar o atleta.


Gama 0 x 0 Santos

Data: 18/08/1999, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 5.002
Renda: R$ 48.254,00
Árbitro: Francisco Dacildo Mourão
Cartões amarelos: Jairo e Paulo Henrique (G); Marcelo Silva e Valdir (S).

GAMA
Marcelo Cruz; Paulo Henrique, Gérson, Jairo e Rochinha; Deda, Caçapa (Beto), Lindomar e Alexandre Gaúcho; Romualdo (Mazinho Loyola) e Sorato.
Técnico: Jair Picerni

SANTOS
Zetti; Michel, Andrei, Valdir e Gustavo Nery; Élson, Claudiomiro, Marcelo Silva e Lúcio (Fumagalli); Dodô e Paulo Rink (Adiel).
Técnico: Emerson Leão



Santos empata e amplia “jejum”

O Santos voltou a jogar mal ontem à noite e empatou em 0 a 0 com o Gama, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Com o resultado, a equipe paulista completou uma série de seis jogos sem vitórias, incluindo três amistosos na Europa, o que deve deixar mais tumultuado o ambiente na Vila Belmiro.

Jogando melhor e pressionando o adversário, o Gama teve mais oportunidades de gol. Com 5min, a equipe de Brasília já havia conseguido dois escanteios e duas faltas frontais ao gol de Zetti.

À margem do campo, o técnico santista, Emerson Leão, pedia para o seu time avançar e segurar a bola no campo de ataque.

O jogo ficou truncado e, até os 30min, nenhuma equipe havia criado oportunidade clara de gol.

Aos 37min, o Gama foi responsável pelo principal lance de perigo do primeiro tempo.

Caçapa iniciou contra-ataque pelo meio e lançou na esquerda para Alexandre Gaúcho, que chutou da entrada da área. Zetti rebateu, e Sorato, com o goleiro batido, completou por cima do gol.

O Santos voltou mais disposto para o segundo tempo, e o jogo melhorou. Depois de duas faltas cobradas para fora -uma por Dodô e outra por Andrei-, Paulo Rink perdeu, aos 9min, a melhor chance de gol santista.

O lateral Michel bateu falta pelo lado direito da área para Paulo Rink. O santista matou livre dentro da área e chutou para o goleiro Marcelo Cruz espalmar.

Leão mudou a equipe, substituindo Lúcio e Paulo Rink por, respectivamente, Fumagalli e Adiel, mas foi o Gama, por intermédio de contra-ataques, que perdeu boas chances de gol.

Aos 30min, Sorato não alcançou um cruzamento de Mazinho Loyola. Três minutos depois, Beto furou livre dentro da área, depois de passe de cabeça de Sorato.

No fim da partida, o Santos voltou a pressionar e teve um gol anulado pelo juiz Dacildo Mourão -alegou que Adiel colocou a mão na bola, dentro da área.

“O jogo foi péssimo, mas o resultado foi muito bom para o Santos”, disse Zetti ao fim da partida.

Jogadores santistas reclamam de campo esburacado

Os buracos no gramado do estádio Mané Garrincha foram alvo de reclamações dos jogadores e da comissão técnica do Santos.

“Desculpa falar, mas esse é o pior campo do Campeonato Brasileiro. O gramado está muito ruim”, disse o goleiro Zetti, no intervalo da partida de ontem.

O técnico Emerson Leão afirmou que o campo do estádio brasiliense é um “assassinato” para os jogadores. “Esse campo é um assassinato, vai ver os buracos.”

O meia-atacante Lúcio também criticou o estado do gramado. “As laterais estão com buracos. É um perigo para se contundir. Quem já sofreu com isso sabe”, disse o jogador santista.

No ano passado, o meia-atacante passou cinco meses sem jogar por causa de uma contusão que sofreu no tornozelo.

O estádio Mané Garrincha passou por reforma para receber jogos do Campeonato Brasileiro, mas o gramado ainda está ruim.

Segundo os responsáveis pela reforma, o campo já está em condições melhores do que no início da competição, quando o Gama estreou perdendo para o Corinthians (4 a 2).




Leão afasta dois atletas do Santos (Em 18/08/1999)

A derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR provocou o afastamento do zagueiro Jean e do volante Narciso do Santos, que enfrenta o Gama hoje, em Brasília.

O time não ganha há cinco jogos -incluído três amistosos na Europa- e necessita da vitória para sair do sétimo lugar no Brasileiro.

O técnico Emerson Leão afirmou que Narciso e Jean deixam o time porque se encontram em má fase técnica. Jean ficará hoje no banco de reservas, enquanto Narciso não tem prazo para retornar.

“O Narciso vai passar por pintura e funilaria. O Jean, só por funilaria”, disse Leão. “O Jean perdeu a confiança em si temporariamente. No caso do Narciso, há outras coisas. Ele precisa voltar a sentir o prazer de jogar.”

O jogador concorda que não está bem, mas diz estar jogando fora de sua posição. Ele afirmou que necessitará de pelo menos um mês para retornar.

“Meu problema é o posicionamento. Posso jogar como meia avançado, mas rendo mais como volante. Para trabalhar nessa nova função, preciso me preparar”, disse Narciso, que começou no Santos como zagueiro.

Para a vaga de Jean, a opção é Valdir, 22, um ex-júnior cuja posição original era a lateral direita.

Já o lugar de Narciso é disputado por Fumagalli e Marcelo Silva. Fumagalli, ex-júnior, foi um dos artilheiros do América na Série A-2 do Paulista. Silva é volante, recém-contratado do Juventus.

Além dos afastamentos, Leão foi personagem de outro fato delicado. A contratação do zagueiro Cláudio, 27, gerou novo foco de conflito entre ele e a diretoria.

O jogador começou ontem a fazer testes no clube e ficará por, pelo menos, seis meses, segundo o vice-presidente José Paulo Fernandes. A exemplo do que ocorreu com o goleiro Nei (ex-Corinthians), a contratação de Cláudio aconteceu à revelia do técnico.

Ontem, Leão disse que o jogador, parado há 70 dias e três quilos acima do peso, não estava contratado e que seria submetido a um “período de observação”.

Por seu lado, Fernandes disse que Cláudio já é um zagueiro em condições de entrar na equipe.

Em casa, o Gama aposta no atacante Sorato, autor de três gols na vitória sobre o Botafogo-SP.


Santos 2 x 1 Grêmio

Data: 26/06/1997, quinta-feira, 16h00.
Competição: Copa dos Campeões Mundiais – 1ª fase – 3ª rodada (última)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartão vermelho: Luis Carlos Goiano (G).
Gols: Alessandro (36-1); Luis Carlos Goiano (21-2) e Alessandro (30-2).

SANTOS
Marcelo Martelotti; Baiano, Sandro, Narciso e Cássio; Élder, Michel (Eduardo Marques), Caíco e Alexandre (Ronaldo Marconato); Alessandro e Macedo (Fernando Fumagalli).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GRÊMIO
Danrlei; Marco Antônio, Vágner Fernandes, Luciano e André Silva; Otacílio (André), Luis Carlos Goiano, Émerson e Robert; Alex e Maurício.
Técnico: Evaristo de Macedo



Santos vence e garante terceiro lugar na Copa dos Campeões

Com dois gols de Alessandro, time derrotou o Grêmio por 2 a 1, em Brasília

Ambas equipes não tinham mais chances de disputar a final da competição. Partida serviu para o técnico Luxemburgo dar oportunidade para jogadores visando a estreia no Brasileiro.

Com esta vitória o Santos terminou a Copa dos Campeões Mundiais na 3ª colocação. Foram 03 jogos, 01 vitória, 01 empate e 01 derrota; 02 GP, 04 GC, -2 saldo.

O Flamengo bateu o São Paulo na final por 1 a 0.

Fonte: Estadão