Navegando Posts marcados como América-SP

Santos 5 x 3 América-SP

Data: 11/05/1996, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 2º turno – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.477 pagantes
Renda: R$ 45.115,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Giovanni e Vágner (S); Marcelo, Carlinhos, Édson e Leonardo (A).
Cartão vermelho: Jamelli (S).
Gols: Macedo (06-1), Giovanni (16-1), Robert (22-1), Robert (38-1) e Adriano (12-1); Macedo (28-2), Édson (42-2, de pênalti) e Bira (46-2).

SANTOS
Edinho (Gilberto); Vágner, Sandro (Ronaldo Marconato), Narciso e Marcos Adriano; Gallo, Robert, Jamelli e Giovanni; Macedo e Camanducaia (Marcelo Passos).
Técnico: Orlando Amarelo

AMÉRICA-SP
Neneca; Bira, Marcelo, Leonardo e Carlinhos; Serginho Carioca, Édson, Luciano e Adriano (Berg); Cacaio e James (Ricardo).
Técnico: Benedicto Ambrósio (interino)



Santos goleia e Giovanni é novo artilheiro do Paulista

O Santos venceu o América por 5 a 3, ontem, na Vila Belmiro. O meia Giovanni marcou um gol e alcançou Luizão, do Palmeiras, na artilharia do Paulista, com 19 gols.

Com o resultado, o Santos somou seu 22º ponto no segundo turno da competição. O Palmeiras também soma 22 pontos, mas tem um saldo de gols superior.

O Santos começou a partida marcando a saída de bola do América, impedindo jogadas de ataque.

A defesa e o goleiro do América erraram muito, o que permitiu ao time santista abrir a vantagem de 4 a 1 no primeiro tempo.

O Santos dominou o jogo no segundo tempo e marcou mais um gol.

O América reagiu diminuindo a diferença marcando mais dois gols.

Santos perde três titulares após goleada no América

A goleada por 5 a 3 sobre o América anteontem na Vila Belmiro manteve o Santos na disputa por uma vaga para o quadrangular final do Campeonato Paulista.

A comemoração só não foi maior porque Giovanni e Vágner receberam o terceiro cartão amarelo e Jamelli foi expulso.

O técnico Orlando Pereira terá obrigatoriamente de mexer no time para a partida de quinta-feira contra o Guarani, na Vila Belmiro.

Marcelo Passos, Cláudio e Baiano são, respectivamente, os prováveis substitutos.

“Não gosto de abordar arbitragem. Mas esse gaúcho (Carlos Eugênio Simão) deveria ter ficado em Porto Alegre “, disse o técnico.

Para Orlando, o comportamento tático da equipe foi bom no primeiro tempo, mas ele disse não ter gostado da etapa complementar.

No segundo tempo, segundo o treinador, houve “exagero nas firulas, cada um queria decidir por conta própria. Demos espaço e a defesa falhou nos gols”, afirmou.

Giovanni

O meia Giovanni marcou seu 19º gol no campeonato e disputa a artilharia com Luizão, do Palmeiras.

“Vem muito mais pela frente. O Santos é um time ofensivo”, disse Giovanni.

O jogador não quer comentar sua possível transferência após o final do Paulista.

“Quero cumprir meu contrato até o último dia. Não quero mais saber dessa conversa de deixar a Vila Belmiro”, ressaltou.

A diretoria desmente ter recebido propostas da Parmalat (Palmeiras) e da Inter de Milão (Itália).

“Nossa intenção é reforçar o elenco para o Campeonato Brasileiro. Sou contra a venda do Giovanni”, disse o vice-presidente, Clodoaldo Tavares Santana.



Empolgado, Santos pensa em golear América na Vila ( Em 11/05/1996 )

O Santos quer golear hoje o América, às 16h, na Vila Belmiro. O time tem quatro gols a menos de saldo em relação ao Palmeiras neste turno e quer tirar a diferença.

O meia-atacante santista Giovanni quer superar Luizão na artilharia. “Vamos atrás de uma nova goleada”, afirmou Giovanni.

O técnico Orlando Pereira estuda a armação de um esquema totalmente ofensivo, com três atacantes (Macedo, Giovanni e Camanducaia) e apenas um volante (Gallo). O meio-campo, além de Gallo, teria Jamelli e Robert.

O único problema do técnico Orlando Pereira para escalar a equipe está na lateral-direita, pois Cláudio voltou a sentir uma contusão.
As opções do técnico se resumem a escalar Vágner ou Baiano na posição.

O volante Gallo -que está praticamente negociado com o Atlético-PR- afirmou que a equipe vive o seu melhor momento este ano e que precisa priorizar o ataque, para tirar a diferença no saldo de gols.

O Santos tem seis vitórias, contra sete do Palmeiras. Os dois times se enfrentam no dia 26, na penúltima rodada do segundo turno.

“Já analisamos todas essas possibilidades. Por isso, o que o Santos precisa, primeiro, é vencer todos os seus jogos, marcar muitos gols e torcer por mais um tropeço do Palmeiras. É difícil, mas não impossível”, afirmou Jamelli.

O adversário

O América terá o treinador de goleiros, Benedicto Ambrósio, dirigindo o time, pois o técnico Julio Cesar Leal pediu demissão ontem. O presidente do clube, Pedro Batista, não quer liberar o treinador, mas Leal afirma que não fica mais.

Leal deixou o clube depois que os jogadores se recusaram a viajar às 8h para Santos pelo não-pagamento de dez bichos (prêmios atrasados).

A única alteração será o lateral-direito Bira no lugar de Carlão.

Giovanni já promete ultrapassar Luizão

O meia-atacante Giovanni, como já havia feito na semifinal do Brasileiro do ano passado, voltou a prometer gols e disse que ultrapassará o artilheiro do campeonato, Luizão, do Palmeiras.

“Amanhã (hoje) eu alcanço o Luizão. Com sorte, quem sabe na segunda-feira eu já seja o principal artilheiro do campeonato?”, indagou Giovanni, que marcou já 18 gols, um a menos do que o centroavante palmeirense.

Para o atacante santista, a derrota do Palmeiras para o Guarani provou que o líder não é imbatível e que o Santos voltou a ter chances no campeonato.

“Acredito que o Santos chegue às finais do Paulista.”

Giovanni, que se recusou a comentar uma possível proposta da Inter de Milão (Itália), deverá ser um dos três atacantes, junto com Macedo e Camanducaia.



Fonte: Estadão
Vídeo: Wesley Miranda

América-SP 1 x 0 Santos

Data: 09/03/1996, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 10ª rodada
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 6.500 pagantes
Renda: R$ 55.725,00
Árbitro: José Mocellin
Gol: Adriano (33-2).

AMÉRICA-SP
Neneca; Carlão, Leonardo, Douglas e Vanderlei Jacomin; Serginho Carioca, Negão, Agnaldo (Cacaio) e Adriano; Serginho Fraldinha (Berg) e James (João Lima).
Técnico: Júlio César Leal

SANTOS
Edinho; Cláudio, Sandro, Narciso e Marcos Paulo; Gallo, Baiano (Batista), Giovanni e Robert; Clóvis (Marcelo Passos) e Vágner (Macedo).
Técnico: Candinho



América daz 1 a 0 e leva Santos à quarta derrota no Paulista

O América derrotou o Santos por 1 a 0, ontem, em São José do Rio Preto (450 km de São Paulo) e chegou a 11 pontos no Paulista.

O gol da vitória do América foi marcado por Adriano, que cobrou bem uma falta próxima à área, aos 34min do segundo tempo.

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes desperdiçando boas chances de gol.

A primeira oportunidade foi perdida por Clóvis, que chutou para fora, estando frente a frente com o goleiro Neneca, do América.

Aos 11min, Adriano recebeu pelo meio e chutou a bola no travessão do gol de Edinho.

Com um primeiro tempo muito lento, a resposta do Santos só foi dada aos 31min. Após um cruzamento da esquerda, Giovanni cabeceou na trave, com o gol aberto.

O América voltou melhor para o segundo tempo e passou a dominar a partida, envolvendo com facilidade a equipe santista, que parecia desorientada em campo.

As instruções transmitidas pelo técnico Candinho não traziam efeito para sua equipe e a substituição de Clóvis por Marcelo Passos também não deu resultado.

Após o gol de Adriano, aos 34min, a equipe santista não conseguiu reagir.



Santos quer equilíbrio psicológico ( Em 09/03/1996 )

O Santos acredita que um bom desempenho hoje, às 16h, contra o América, em São José do Rio Preto, será fundamental para o equilíbrio psicológico da equipe.

A goleada contra o Rio Branco (4 a 2, anteontem, na Vila Belmiro) parece ter dado “coragem” aos jogadores, que passavam por uma crise causada pela sucessão de maus resultados.

“Uma vitória hoje, fora de casa, coloca o Santos novamente nos eixos”, disse o lateral-direito Cláudio.

Hoje, o Santos não terá Jamelli e Marcos Adriano. O atacante recebeu o terceiro cartão amarelo e o lateral-esquerdo, contundido, ficará 15 dias parado.

Na lateral esquerda, o treinador confirmou a entrada de Marcos Paulo. No ataque, Candinho deve escalar o meia defensivo Batista.

O meia Vágner, que por contusão não enfrentou o Rio Branco, deve retornar no jogo de hoje.

Os jogadores acreditam que, no segundo turno do Paulista, o Santos voltará a mostrar o futebol apresentado no Brasileiro.

Para o meia defensivo Gallo, o problema da equipe é não conseguir repetir a escalação por dois jogos consecutivos.

O América tenta superar suas falhas defensivas. A equipe tem a pior defesa da competição, com 20 gols em nove partidas (média de 2,2 gols sofridos por jogo).

O lateral-esquerdo Wanderley, que não atuou contra o Botafogo por causa de dores musculares, volta ao time, no lugar de Itamar.

Robert acha que seu gol espantou a crise

O meia Robert, autor do gol mais bonito contra o Rio Branco, afirmou que o resultado de anteontem “serviu para espantar a bruxa que ronda a Vila Belmiro”.

Robert negou que a má fase do time tenha alguma relação com o técnico Candinho. Ele descartou a existência de desavenças dentro do elenco e afirmou que o grupo não tem reclamação contra a diretoria.

Pelé, que ontem esteve na Vila Belmiro, também elogiou o gol de Robert, mas disse estar preocupado. “Não podemos tapar o sol com a peneira. A vitória foi importante, mas o time não jogou bem. O gol de Robert salvou o espetáculo. Há muito não se via um gol como este”, disse.

Pelé também elogiou o técnico Zagallo, que levou o Brasil à conquista do Pré-Olímpico.



Fonte: Estadão

América-SP 1 x 1 Santos

Data: 07/05/1995, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Mário Alves Mendonça, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 6.289 pagantes
Renda: R$ 60.171,00
Árbitro: Roberto Perazzi
Cartão vermelho: Rodson (A, 42-2).
Gols: Giovanni (19-1); Edson Pezinho (28-2, de pênalti).

AMÉRICA-SP
Neneca; Renato Cruz, Renato Carioca, Márcio Baby (Marcelão) e Robinson (Rodison Maranhão); Serginho Carioca, Ednan, Roberto Alves e Édson Pezinho; Coutinho (Ricardo Oliveira) e Sandro.
Técnico: Júlio César Leal

SANTOS
Edinho; Silva, Marcelo Moura, Narciso e Marcos Paulo; Gallo, Carlinhos, Giovanni e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Jamelli.
Técnico: Joãozinho Rosa



Santos cede empate para América no segundo tempo

Santos e América empataram em 1 a 1, ontem, em São José do Rio Preto (451 km a noroeste de São Paulo).

Giovanni abriu o placar aos 19min do primeiro tempo. O gol do América foi de pênalti, aos 28min da etapa final.

Macedo tomou o terceiro cartão amarelo e não participa do próximo jogo do Santos, contra o Juventus, na quinta-feira.

O América pressionou no início do primeiro tempo, com boa atuação do meia Edson Pezinho.

Aos 19min, porém, foi o Santos que abriu o placar. Macedo cruzou para o complemento de Giovanni, em jogada que começou em uma falha do americano Robinson.

O América voltou a pressionar, mas só teve chance de marcar em erro na saída de bola do goleiro Edinho, aos 39min.

No segundo tempo, Macedo teve ótima atuação, criando várias oportunidades de gol.

Quando o Santos tentava o segundo gol, Jamelli pôs a mão na bola na área e o juiz Roberto Perazzi marcou pênalti. Após as reclamações dos santistas, Edson Pezinho cobrou o pênalti, empatando o jogo aos 28min.

Na etapa inicial o América havia reclamado de um pênalti que o juiz não teria marcado a seu favor.

O Santos, depois do gol do time da casa, partiu com tudo para o ataque, na tentativa de fazer o segundo da equipe. A equipe pressionou até o final, mas esbarrou na boa atuação do goleiro Neneca.

Aos 37min, ele evitou a vitória do Santos, defendendo forte chute de Camanducaia.

Aos 42min, Rodson, do América, foi expulso por falta no mesmo Camanducaia.

Técnico santista culpa o juiz

O técnico do Santos, Joãozinho, culpou o juiz Roberto Perazzi pelo empate de ontem, com o América.

Segundo o técnico, não houve o pênalti marcado no segundo tempo, que deu o gol a Edson Pezinho, aos 28min. “O estádio inteiro viu que não foi pênalti.”

O técnico disse que naquele momento da partida o Santos estava prestes a marcar o segundo gol. Ele não quis dizer se vai pedir à diretoria do Santos alguma providência contra o árbitro.

O técnico também negou que tenha orientado o time a forçar o terceiro cartão amarelo para que os jogadores com dois cartões fossem suspensos contra o Juventus e pudessem enfrentar o Palmeiras, no clássico de domingo.

“Sempre digo aos jogadores para nunca tomarem cartões. É melhor ter o mesmo time, porque assim jogamos mais entrosados.”

Ele afirmou que no lugar de Macedo, que tomou o terceiro cartão amarelo, Camanducaia deve entrar jogando contra o Juventus.

“Camanducaia entrou muito bem, criou diversas oportunidades de gol e só não fez mais por causa da boa atuação do goleiro Neneca”, disse o técnico.



Santos tenta evitar disparada do São Paulo ( Em 07/05/1995 )

Equipe enfrenta América às 16h, em Rio Preto, e torce por vitória do Corinthians no clássico do Pacaembu

Os jogadores do Santos consideram a partida de hoje contra o América, em Rio Preto, decisiva para as pretensões da equipe na fase de classificação do Campeonato Paulista.

O técnico Joãozinho conversou com o time e exigiu a vitória. “Estamos quase classificados para o octogonal”, disse. “Nossa preocupação agora é brigar pelo ponto extra com o São Paulo.”

O clube que ficar em primeiro lugar na fase de classificação conquista um ponto de bonificação para a próxima etapa. O São Paulo lidera o Paulista com 40 pontos. Santos e Portuguesa, que jogaria ontem contra Bragantino, têm 35.

“Como ainda temos o confronto direto contra o São Paulo, podemos ficar em primeiro”, declarou Joãozinho.

“Conversei com o time sobre a importância de um resultado positivo hoje. Se o Corinthians vencer o São Paulo, ficaremos mais perto da liderança.”

Marcelo Fernandes cumpre suspensão na partida desta tarde. Marcelo Moura vai formar a dupla de zaga com Narciso. O lateral Marcos Paulo volta ao time depois de ficar de fora do clássico com o Corinthians (terceiro cartão amarelo).

O meia-atacante Jamelli é um dos principais destaques do Santos. “Exerço função tática diferente da que desempenhava no São Paulo. Aqui eu preparo o lance para as investidas do Giovanni e Marcelo Passos”, disse. “O forte do Santos é o conjunto.”

No primeiro turno, o Santos ganhou do América por 3 a 0, no estádio da Portuguesa Santista. O da Vila Belmiro estava em reformas.

América vai jogar com 3 desfalques

O América não poderá contar hoje com três titulares. O atacante Wallace fraturou a tíbia (osso da parte interna da canela). O lateral Davi tem dores na virilha. O meia defensivo Negão sente a coxa direita.

Segundo o técnico Júlio César Leal, a contusão de Wallace, durante o treino coletivo de sexta-feira, traumatizou o elenco. “Tenho conversado com os jogadores para tentar acalmá-los.”

Coutinho substituirá Wallace. Edinan deve entrar em lugar de Negão. Márcio Baby no de Davi.

O técnico espera que o Santos atue fechado atrás, tentando explorar os contra-ataques. “Discordo dos que dizem que o Santos joga no ataque.”

O América está em nono lugar no Paulista, com 23 pontos.



Fonte: Estadão

Santos 3 x 0 América-SP

Data: 08/02/1995, quarta-feira.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 1º turno – 2ª rodada
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 2.993 pagantes
Árbitro: José Aparecido de Oliveira
Cartões vermelhos: Pestana e Cléber (A).
Gols: Marcelo Passos (05-1); Jamelli (13-2) e Giovanni (40-2).

SANTOS
Edinho; Ronaldo (Silva), Marcelo Moura, Maurício Copertino e Marcos Paulo; Cerezo (Gallo), Carlinhos, Giovanni e Marcelo Passos; Macedo (Demétrios) e Jamelli.
Técnico: Joãozinho Rosa

AMÉRICA-SP
Neneca; Ednan, Renato Carioca, Davi e Robinson (Renato Cruz); Serginho Carioca, Pestana, Negão (Sandrinho) e Flávio (Roberto Alves); Cléber e Cacaio.
Técnico: Júlio César Leal



Santos chega à segunda vitória consecutiva ao golear América

O Santos venceu ontem o América por 3 a 0 no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista.

Os gols foram marcados no segundo tempo. É a segunda vitória consecutiva do time, que só conseguiu jogar bem no segundo tempo.

Durante o primeiro tempo, o meio-campo do Santos —considerado pelo técnico Joãozinho como o ponto forte do time— não conseguiu armar nenhuma jogada ofensiva.

Na frente, Jamelli e Macedo receberam forte marcação. Macedo procurou jogar também pela esquerda, aproveitando que o número 11 do Santos, Marcelo Passos, atuou no meio-campo.

Sem criatividade e perdido na marcação do América, Giovanni foi o destaque negativo do time. Em razão disso, o Santos ficou sem força ofensiva, não levando perigo algum ao goleiro Neneca.

Aproveitando a falta de entrosamento do Santos, o América conseguiu duas boas chances de gol no primeiro tempo. Edinho garantiu o empate na primeira fase.

No segundo, Joãozinho substituiu o volante —meia com característica defensiva— Cerezo por Gallo e o lateral-direito Ronaldo por Silva.

Com as mudanças, a equipe santista dominou todo o segundo tempo. O primeiro gol foi marcado por Marcelo Passos, o seu terceiro no campeonato.

Em desvantagem, o América abriu o seu setor defensivo, permitindo que o ataque do Santos aproveitasse a velocidade de Jamelli e Macedo.

Em uma cobrança de falta, Jamelli marcou o seu primeiro gol no Santos.

No final do jogo, Giovanni —que perdeu um pênalti aos 8min do segundo tempo— desviou cruzamento rasteiro da esquerda e de calcanhar marcou o último gol do Santos.

Para o técnico Joãozinho, o resultado serviu para demonstrar que a defesa santista —sem tomar gols em dois jogos— é um setor “confiável”, enquanto o ataque, com mais entrosamento, tem “tudo para ser destaque no campeonato”.

Gramado apresenta bom estado

O gramado do estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista, acabou surpreendendo os jogadores. A chuva fraca que atingiu Santos ontem fez com que o campo não apresentasse grandes poças de água.

“O gramado melhorou muito e não comprometeu em nada o andamento do jogo”, afirmou o goleiro Edinho, do Santos.

Depois de sofrer três gols, o goleiro Neneca, do América, disse que o estado do gramado não foi o motivo pela derrota de seu time. Mesmo assim, as laterais e o meio campo, no segundo tempo, ficaram enlameados. Por causa disso, o jogo se concentrou pelo meio da grande área, tanto do Santos quanto do América.

“No segundo tempo, ficou difícil jogar tanto pela direita quanto pela esquerda do campo”, disse o atacante Macedo, do Santos.

Para o administrador do estádio da Portuguesa Santista, Pedro Anísio, o campo iria se transformar em um “completo lamaçal”, se a chuva tivesse sido forte.

“A sorte foi que choveu muito pouco hoje (ontem)”, disse.



Santos e América correm o risco de ter o seu confronto cancelado

Santos e América jogam hoje no gramado alagado do estádio Ulrico Mursa. Fortes chuvas atingem a região de Santos desde sexta-feira.

Apesar do estado do gramado, a Federação Paulista de Futebol confirmou, ontem à tarde, a partida.

O administrador do estádio (da Portuguesa Santista), Pedro Anísio, disse que o campo “está completamente alagado”. O jogo deveria ser realizado na Vila Belmiro, mas o gramado, em reforma, só ficará pronto dentro de 15 dias.

Segundo ele, às 16h de ontem o campo do Ulrico Mursa estava “com água pela canela”. Para Anísio, caso o gramado não fique 24 horas sem receber chuvas, não haverá condições de o jogo ser realizado.

Ontem, o administrador do Santos, Antônio Gaia de Oliveira, disse que a diretoria entraria em contato com a Federação Paulista para comunicar o problema.

O presidente do Santos, Samir Abdul Hak, afirmou que a realização da partida “deverá depender da vistoria do árbitro, momentos antes do jogo”.

Para o técnico santista Joãozinho, o estado do gramado do Ulrico Mursa “favorece o time do América, que jogará retrancado”. Em razão das chuvas, o time do Santos não treina coletivamente há dez dias.

“Isso é péssimo. Estamos no começo do campeonato e o time precisa ganhar entrosamento. Sem treinos, isso fica impossível”, afirmou.

Joãozinho confirmou que o time para enfrentar o América é o mesmo que deveria pegar o Corinthians, no último domingo —o clássico foi cancelado devido a problemas no gramado do Pacaembu.

A única alteração na equipe, em relação àquela que estreou vencendo o União São João, é a entrada de Moura no lugar de Narciso, que cumprirá suspensão.

O técnico terá no banco de reservas Gallo e Silva, que renovaram seus contratos. Joãozinho disse que eles não começam jogando “por estarem fora de forma”.

Este ano, o lateral Silva só participou de um treino coletivo. “Mesmo assim, acho que estou pronto para atuar”, afirmou.

O meia Marcelo Passos —artilheiro do time com dois gols— disse que gosta de jogar em gramados molhados. “Tenho um chute forte e, em campo molhado, a vida do goleiro fica difícil”, disse o jogador.


Santos 1 x 0 América-SP

Data: 30/07/1994, sábado
Competição: Copa Bandeirantes
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.726 pagantes
Renda: R$ 6.865,00
Árbitro: Amarcos Fábio Spironelli
Gol: Serginho Fraldinha

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo, Paulinho Kobayashi (Marcelo Fernandes) e Marcelinho Paraíba; Serginho Fraldinha e Neizinho (Macedo).
Técnico: Serginho Chulapa

AMÉRICA-SP
Neneca; Renato Cruz, Ivanildo, Renato Carioca e Cléber Pereira (Toninho). Serginho Carioca, Negão, Roberto Alves (Coutinho) e Edson Pezinho; Cléber e Cacaio.
Técnico: João Carlos


Vídeo: ASSOPHIS, postado por Wesley Miranda