Navegando Posts marcados como Vélez Sarsfield


Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) reportagem Sportv.

Santos 1 x 0 Vélez Sarsfield – 4 x 2 nos pênaltis

Data: 24/05/2012, quinta-feira, 20h00.
Competição: Copa Santander Libertadores – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.908 pagantes
Renda: R$ 677.502,00
Árbitro: Roberto Silvera (URU).
Auxiliares: Mauricio Espinosa e Miguel Nievas (ambos do URU).
Cartões amarelos: Alan Kardec, Adriano, Arouca e Neymar (S); Fernández e Cabral (VS).
Cartão vermelho: Barovero (VS).
Gols: Alan Kardec (32-2). Nos pênaltis: Alan Kardec, Ganso, Elano e Léo (S); Martínez e Sebá Domínguez. Perderam: Canteros (VS, por cima) e Papa (VS, defesa do Rafael).

SANTOS
Rafael; Henrique (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Adriano (Renteria), Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho

VÉLEZ SARFIELD-ARG
Barovero; Peruzzi, Sebá Domínguez, Ortiz e Papa; Cubero, Zapata, Fernández (Canteros) e Cabral (Bella); Martínez e Obolo (Montoya).
Técnico: Ricardo Gareca



Santos elimina o Vélez nos pênaltis e encara o Corinthians na semi

Nos pênaltis, Alan Kardec, Paulo Henrique Ganso, Elano e Léo fizeram os gols da classificação do Santos na Libertadores

Após o arquirrival Corinthians garantir uma vaga na semifinal da Copa Libertadores, a classificação contra o Vélez era uma questão de honra para o torcedor santista. Nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, o time de Muricy Ramalho não decepcionou: venceu por 1 a 0 e eliminou o time argentino nas cobranças de pênalti: 4 a 2.

Com um jogador a mais desde os 39 minutos do primeiro tempo, o Santos marcou o gol da vitória na etapa final, com Alan Kardec. Nas penalidades, Kardec, Elano, Ganso e Léo fizeram os gols da classificação – o goleiro Rafael pegou a cobrança de Papa e Canteros chutou para fora.

As semifinais do torneio continental serão disputadas nos dias 13 e 20 de junho. Como o Corinthians fez melhor campanha na fase de grupos, o segundo jogo será no Pacaembu. A princípio, a primeira partida deve ser realizado na Vila Belmiro.

Agora, no próximo domingo, a equipe do técnico Muricy Ramalho busca a primeira vitória no Campeonato Brasileiro, contra o Sport, na Vila Belmiro. Convocados para a seleção, Neymar e Rafael vão desfalcar a equipe em três rodadas do Nacional. Já Paulo Henrique Ganso será submetido a uma artoscopia no joelho direito e deve ficar três semanas afastado.

O jogo

O Santos não perdeu tempo e quase abriu o placar no primeiro minuto da partida. Elano cobrou falta na área, nenhum jogador conseguiu desviar de cabeça e a bola tirou tinta da trave esquerda de Marcelo Barovero.

A jogada de perigo animou a torcida que lotou a Vila Belmiro. No entanto, por causa da forte marcação do time argentino, o Santos voltou a ameaçar apenas aos 19 minutos. A zaga do Vélez rebateu mal, Neymar ficou com a bola e chutou para fora.

Na melhor jogada do primeiro tempo, aos 39 minutos, Neymar recebeu lançamento de Elano e, fora da área, sofreu falta dura do goleiro. Como o atacante tinha tudo para marcar o gol, o árbitro não pensou duas vezes e expulsou Marcelo Barovero.

Devido à expulsão, o técnico Gareca sacou o atacante Obolo para a entrada do goleiro Montoya. Na cobrança da falta, Elano chutou para fora.

No segundo tempo, o Santos partiu com tudo para aproveitar a vantagem numérica. Logo aos dois minutos, Adriano soltou a bomba de fora da área e o goleiro espalmou para escanteio. Mesmo com todos os jogadores no campo de defesa, o Vélez respondeu aos oito minutos. Fernandez chutou de muito longe e quase encobriu o goleiro Rafael.

Após o Santos ficar quase 15 minutos sem criar uma chance de perigo, Muricy Ramalho resolveu mudar o time e colocou o atacante Rentería na vaga do volante Adriano.

E mais: Neymar já ganhou relógio, carro e até iate em apostas com o pai

A mudança, por pouco, não surtiu efeito aos 27 minutos. Rentería foi calçado por Ortiz dentro da área, mas o árbitro não marcou o pênalti.

Dois minutos depois, Alan Kardec perdeu uma chance incrível. O atacante ficou livre na cara do gol e chutou em cima do goleiro Montoya.

A torcida ficou revoltada com o gol perdido, mas o atacante precisou de apenas quatro minutos para dar a volta por cima. Aos 33, Kardec recebeu passe de Ganso dentro da área e tocou com estilo no canto do goleiro: 1 a 0.

Depois do gol, o Vélez ficou ainda mais fechado na defesa, fez muita cera e conseguiu administrar a derrota por 1 a 0.

Nos pênaltis, Alan Kardec, Ganso, Elano e Léo fizeram para o Santos. Pelo Vélez, Seba e Martinez converteram a cobrança. Já Canteros chutou para fora e Papa parou na mão de Rafael.

Bastidores – Santos TV:

Léo desabafa após brilhar e marcar gol decisivo nos pênaltis

Lateral-esquerdo do Santos, de 37 anos, desabafou e se disse desrespeitado devido à sua idade

O veterano lateral Léo, que atualmente é reserva do Santos, foi decisivo nesta noite de quinta-feira, na classificação do Santos sobre o Vélez Sarsfield na Libertadores. O jogador de 37 anos entrou no 2º tempo, deu passe para o gol de Alan Kardec e converteu a cobrança que garantiu a vaga do time paulista para as semifinais. Após a partida, Léo desabafou e se disse desrespeitado pela sua idade.

“A gente trabalha muito. Muita pena, muita gente olha pra mim, com 37 anos e acha que eu não posso produzir. Existe um desrespeito muito grande quando o atleta tem essa idade. Tem que analisar o que você faz dentro de campo. Eu, por exemplo, fiquei machucado e já falaram que o Léo estava velho. Tem jogador de 20 anos que se machuca e ninguém fala nada”, declarou o lateral santista.

Léo substituiu Juan, que teve atuação apagada e deu novo fôlego à equipe de Muricy Ramalho. Cinco minutos depois de sua entrada, deu belo passe para Alan Kardec marcar o único gol do jogo. Nos pênaltis, bateu a quarta cobrança do Santos e selou a classificação do time para as semis da Libertadores. O adversário dos santistas na próxima fase será o arquirrival Corinthians.

O lateral, que surgiu no Santos na geração de Diego e Robinho em 2002, também falou de sua dedicação nos treinos, mesmo sem atuar entre os titulares da equipe de Muricy Ramalho.

“Eu me dedido, eu treino. Eu estava preparado e pude ajudar fazendo o gol da classificação”, disse Leó, que ainda admitiu que tem esperanças de ser titular nos próximos jogos do Santos. “Quem sabe eu possa aparcer, sempre com os pés no chão e trabalhando com dedicação”, concluiu o veterano lateral.

Neymar responde provocação de assessor do Vélez: “Respecto es bueno”

Carlos Martino, assessor de imprensa do Vélez, provocou o Santos ao fazer alusão à morte de Chico Formiga

Após a classificação do Santos para as semifinais da Libertadores contra o Vélez Sarsfield, Neymar respondeu à provocação do assessor de imprensa do time argentino, Carlos Martino. Antes do duelo desta quinta, o integrante do Vélez fez uma brincadeira com a notícia da morte de Chico Formiga, ex-técnico do Santos que lançou os primeiros meninos da Vila.

“Respecto es bueno y a nosotros nos gusta. Obrigado Chico Formiga!!”, postou Neymar em sua conta no Twitter.

Martino publicou uma foto em sua conta no microblog de uma notícia do jornal “A Tribuna” de Santos, que mostra uma foto do caixão de Chico Formiga coberto com a bandeira do Santos e fez a piada: “Publicar isso é um prognóstico para hoje?”, postou Martino.

Antes do início da partida, o Santos divulgou uma nota em seu site repudiando a atitude do assessor de imprensa argentino, porém pediu para os torcedores santistas não agissem de maneira violenta contra o ato de Martino.



Vídeos: (1) Reportagem Globo Esporte e (2) Melhores momentos.

Vélez Sarsfield 1 x 0 Santos

Data: 17/05/2012, quinta-feira, 22h00.
Competição: Copa Santander Libertadores – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio José Amalfitani, em Buenos Aires, Argentina.
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR).
Auxiliares: Rodney Aquino e Dario Gaona (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Papa, Cerro e Peruzzi (VS); Rafael, Juan, Neymar, Adriano e Edu Dracena (S).
Gols: Obolo (35-1).

VÉLEZ SARSFIELD-ARG
Barovero; Peruzzi, Cubero, Sebastián Domínguez e Papa; Augusto Fernández, Cerro (Canteros), Zapata e Cabral (Bella); Martínez (Ramírez) e Obolo.
Técnico: Ricardo Gareca

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Borges).
Técnico: Muricy Ramalho



Vélez consegue anular Neymar e vence o Santos por 1 a 0

Com marcação eficiente, time argentino não deixou o craque santista jogar e largou na frente nas quartas de final da Libertadores

O Vélez conseguiu anular o atacante Neymar e largou na frente nas quartas de final de final da Copa Libertadores. Com gol do atacante Obolo, o time argentino derrotou o Santos por 1 a 0, nesta quinta-feira, no estádio José Amalfitani, em Buenos Aires.

Com uma marcação eficiente, a equipe comandada pelo técnico Ricardo Gareca não deu espaço para o melhor jogador do futebol brasileiro. Nas poucas vezes que arrancou com a bola, Neymar foi parado com falta.

Agora, na próxima quinta-feira, o Vélez pode até perder por um gol diferença se balançar a rede no Brasil. A diretoria do Santos ainda não definiu o local, mas a partida deve ser realizada na Vila Belmiro. Por conta do desgaste da viagem para a Argentina, Muricy Ramalho deve poupar seus titulares na estreia do Campeonato Brasileiro, domingo, contra o Bahia.

O jogo

Apoiado pela barulhenta torcida que praticamente lotou o José Amalfitani, o Vélez começou a partida pressionando o Santos. No entanto, a primeira jogada realmente de perigo saiu apenas aos 15 minutos. Cabral arriscou de fora da área e tirou tinta da trave esquerda do goleiro Rafael.

Cinco minutos depois, o Santos respondeu. Neymar passou por dois marcadores e sofreu falta. Como a bola ficou com o time visitante, o árbitro deu vantagem, Ganso chutou no canto e o goleiro Barovero fez a defesa.

Melhor em campo e dominando a posse de bola, o Vélez voltou a ameaçar aos 30 minutos. Aberto pela esquerda, Martínez tabelou com Cabral, invadiu a área e chutou em cima de Rafael. Um minuto depois, o goleiro santista fez a primeira defesa difícil da partida. Fernando chutou cruzado e o camisa 1 precisou se esticar todo para espalmar a bola.

Passivo em campo, o Santos ficou atrás no placar aos 35 minutos. Papa recebeu passe de Fernandéz, correu até a linha de fundo e cruzou com desvio de Elano. Ligado no lance, o atacante Obolo apareceu livre na primeira trave e desviou de cabeça para o fundo da rede: 1 a 0.

“O que está nos atrapalhando é o campo. A bola está muito viva e o domínio está complicado. Agora, temos que conversar para agredir mais no segundo tempo e marcar o gol”, disse Rafael, na saída para o vestiário.

Após uma boa conversa com o técnico Muricy Ramalho no intervalo, o Santos resolveu jogar bola no segundo tempo. Aos quatro minutos, em cobrança de escanteio, Elano quase marcou um gol olímpico.

Quando o Vélez voltou a equilibrar a partida, Muricy Ramalho resolveu promover a primeira substituição da partida. Aos 13 minutos, Alan Kardec saiu para a entrada de Borges.

Apesar da substituição, o Vélez criou duas boas oportunidades para ampliar a vantagem. Primeiro, em cobrança de escanteio, Obalo subiu mais que todo mundo e testou para fora. Depois, Fernández recebeu de Martínez e mandou de voleio para difícil defesa de Rafael.

Depois, o time argentino diminuiu o ritmo, reforçou a marcação e terminou a partida sem ser ameaçado pelo adversário brasileiro.

“A gente não conseguiu jogar”, admite Neymar

Atacante diz que o Santos não fez uma boa partida na derrota contra o Vélez, mas mostra confiança para o jogo de volta

Anulado pela marcação eficiente do Vélez, o atacante Neymar admitiu que o Santos ficou devendo na derrota de 1 a 0 contra o time argentino, nesta quinta-feira, em Buenos Aires. Sem espaço, o melhor jogador do futebol brasileiro não criou jogadas de perigo.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Nosso time não fez uma bela partida. Nem sempre as coisas dão certo. Hoje (quinta-feira) foi um dia que a gente não conseguiu jogar”, disse Neymar, ainda no gramado do estádio José Amalfitani.

Apesar do resultado negativo, o camisa 11 mostrou confiança para o duelo de volta. Agora, o Santos precisa vencer por dois gols de diferença para garantir a vaga nas semifinais da Libertadores. Se o time brasileiro vencer por 1 a 0, o jogo será decidido nos pênaltis.

“Não apresentamos o futebol que estamos acostumados, mas temos condições de reverter esse 1 a 0 jogando em casa”, acrescentou o craque.

Considerado um dos jogadores mais experientes do Santos, o meia Elano também fez coro às palavras de Neymar. “Não é um resultado impossível de ser revertido. Vamos jogar em casa e temos condição de ficar com a vaga”, comentou.


Santos Futebol Clube x Club Atlético Vélez Sarsfield


Retrospecto:

05 jogos
01 vitória
02 empates
02 derrotas
02 gols pró
05 gols contra
-1 saldo

Resultados:

06/12/1969 – Santos 1 x 1 Vélez Sarsfield – Amistoso – Buenos Aires
30/10/1996 – Santos 1 x 2 Vélez Sarsfield – Supercopa da Libertadores – Uberlândia
14/11/1996 – Santos 1 x 1 Velez Sarsfield – Supercopa Libertadores – José Amalfitani
17/05/2012 – Santos 0 x 1 Vélez Sarsfield – Libertadores – José Amalfitani
24/05/2012 – Santos 1 x 0 Vélez Sarsfield – 4 x 2 nos pênaltis – Libertadores – Vila Belmiro

Galeria de fotos:

Vélez Sarsfield 1 x 1 Santos

Data: 14/11/1996, quinta-feira, 22h10.
Competição: Supercopa dos Campeões da Libertadores – Semifinais – Jogo de volta
Local: Estádio José Amalfitani, em Buenos Aires, Argentina.
Árbitro: Oscar Velázquez (PAR).
Gols: Posse (25-1) e Robert (32-2).

VELEZ SARSFIELD-ARG
Chilavert; Guillermo Morigi, Víctor Hugo Sotomayor, Mauricio Pellegrino, Raúl Cardozo; Claudio Husáin, Marcelo Gómez, Christian Bassedas, Patricio Camps (Flavio Zandoná); Fernando Pandolfi (Omar Asad), Martín Posse (Sebastián Méndez).
Técnico: Osvaldo Piazza

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Sandro (Ronaldo Marconato), Narciso e Marcos Adriano; Marcos Assunção, Carlinhos (Andradina), Vágner (Robert) e Jamelli; Camanducaia e Alessandro.
Técnico: Orlando Amarelo



Santos é eliminado pelo futuro campeão da Supercopa.

Fonte: Estadão

Santos 1 x 2 Vélez Sarsfield

Data: 30/10/1996, quarta-feira, 22h00.
Competição: Supercopa dos Campeões da Libertadores – Semifinais – Jogo de ida
Local: Estádio João Havelange, Parque dos Sabiás, Uberlândia, MG.
Público: 2.534 pagantes
Renda: R$ 17.561,00
Árbitro: José Luiz da Rosa (URU).
Gols: Posse (12-1) e Alessandro (22-1); Chilavert (45-2, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Jean, Narciso e Marcos Adriano (Carlinhos); Marcos Assunção, Vágner (Robert) e Piá; Alessandro, Camanducaia e Jamelli.
Técnico: José Teixeira

VÉLEZ SARSFIELD-ARG
Chilavert; Marcelo Herrera, Sebastián Méndez, Mauricio Pellegrino, Raúl Cardozo; Claudio Husáin, Marcelo Gómez (Flavio Zandoná), Guillermo Morigi, Christian Bassedas, Martín Posse, Patricio Camps.
Técnico: Osvaldo Piazza



Santos perde do Vélez com gol do goleiro Chilavert

Peixe não consegue conter o organizado Vélez Sarsfield e leva gol no último minuto do jogo

A semifinal da Supercopa dos Campeões da Libertadores da América não poderia ter tido um início pior para o Santos. Jogando em casa, o time santista perdeu o jogo diante dos argentinos. Na partida de volta, marcada para 14/11 o Peixe precisará vencer para levar a disputa para as cobranças de pênaltis, como já ocorreu diante do Nacional de Medellin na fase anterior. Se a vitória vier com mais de um gol de diferença, não haverá necessidade de cobranças de pênaltis, e o Santos passará, pela primeira vez em sua história, para a decisão desse certame.

O Peixe começou dominando mas aos 12′ fez o Vélez fez o primeiro gol através de Posse, que avançou pela direita, invadiu a área e quase sem ângulo, enganou o goleiro Edinho, conferindo o primeiro tento.

Dez minutos depois, Alessandro dividiu com o goleiro Chilavert dentro da área e ganhou, ficando sozinho diante do gol e só teve o trabalho de empurrar para a rede.

Na segunda etapa o jogo continuou equilibrado, mas o Vélez continuou melhor organizado e mais tranqüilo em campo. E apesar do equilíbrio, os argentinos conseguiram a vitória no último minuto com um pênalti cometido por jean e batido pelo goleiro Chilavert, que já havia cobrado três faltas durante a partida.