Navegando Posts marcados como Soteldo

Deportivo Lara 1 x 1 Santos

Data: 16/03/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – 2ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio Olímpico de La UCV, em Caracas, Venezuela.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Victor Carillo (PER).
Cartões amarelos: Meleán e Anzola (DL); Jean Mota e Sandry (S).
Gols: Soteldo (36-1); Anzola (16-2).

DEPORTIVO LARA (VEN)
Curiel; España, Anzola, Rodríguez e Sifontes; Meleán (Castillo), Bueno e Segovia; Castellanos (Castillo), Gómez e Sánchez (Salazar).
Técnico: Martín Brignani

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry (Gabriel Pirani) e Jean Mota (Vinicius Balieiro); Ângelo (Lucas Braga), Soteldo e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos leva susto em empate com o Deportivo Lara, mas avança na Libertadores

O Santos empatou com o Deportivo Lara (VEN) por 1 a 1 na noite desta terça-feira, em Caracas, e avançou na Pré-Libertadores. O gol do Peixe foi marcado por Soteldo e Anzola empatou. Na Vila Belmiro, o Alvinegro levou a melhor, com um 2 a 1 no placar.

O Santos foi melhor durante quase todo o tempo, mas levou um susto, novamente na bola aérea defensiva. Nos minutos finais, o Peixe conseguiu administrar o resultado para se classificar e até ficou perto do segundo gol.

O Alvinegro está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Santos já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

O jogo

O Santos foi amplamente superior ao Deportivo Lara no primeiro tempo, mas não construiu a posse de bola em 70% em oportunidades claras de gol.

Sem sofrer na defesa e bem organizado em campo, o Peixe precisou da individualidade de Soteldo para abrir o placar. O camisa 10 acertou o ângulo em cobrança de falta perfeita aos 36 minutos.

Aos 41, o goleiro João Paulo saiu mal do gol e Rodríguez não aproveitou. No minuto 45, Soteldo cruzou e Marcos Leonardo furou.

O Santos continuou melhor na etapa final. Logo aos oito minutos, Soteldo tabelou com Felipe Jonatan e passou para Ângelo, que ficou perto de ampliar para os visitantes.

O Peixe seguiu no campo de ataque e parecia tranquilo, até que o fantasma do jogo aéreo voltou a aparecer. Aos 16 minutos, España desviou cruzamento e Anzola empatou.

O Lara se lançou ao ataque, abusou dos cruzamentos e não conseguiu virar. Foi o Santos quem esteve mais perto do gol nos minutos finais. O Peixe superou o susto e avançou na Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Holan revela problema de última hora e valoriza classificação: “Santos tinha toda a pressão”

Ariel Holan revelou que o Santos teve um problema de última hora antes do empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela partida de volta da segunda fase da Pré-Libertadores.

O elenco sentiu um problema estomacal no horário do almoço nessa terça, mas não teve nenhum desfalque. O Peixe fez um bom primeiro tempo e abriu o placar com Soteldo, mas levou o gol de Anzola novamente no jogo aéreo e correu risco até o fim.

“Libertadores é difícil. Santos tinha toda a pressão, Lara ia por um jogo histórico, deixar o finalista fora. Para nós toda a pressão para gerir. Tratamos de jogar como gostamos, com a posse. Mas como disse anteriormente, faltou profundidade. Apesar disso, equipe fez um bom jogo com a posse, mas no último terço faltou agressividade e velocidade para superar a defesa do Lara. É importante passar, temos muitos jovens que têm primeira experiência nessa competição tão difícil”, disse Holan.

“Que possamos recuperar os que ainda não jogaram para termos mais alternativas. São muitos jogos e ter alternativas é sempre bom. Madson, Marinho, Kaio Jorge… Pará fez esforço grande hoje. Muitos com problemas estomacais generalizados, que surgiram hoje. Por isso tudo valorizo muito a classificação, claro que anotando o que temos a melhorar”, completou.

O Alvinegro teve 70% da posse de bola na etapa inicial, mas pouco criou. Na visão de Ariel Holan, o problema foi a falta de profundidade.

“Tivemos a posse de bola, mas nos faltou profundidade. Se encontrássemos os passes profundos, o resultado da partida seria outro. Nos custou muito encontrar isso. Tivemos a posse durante todo o jogo, mas não tivemos a profundidade no último passe. Creio que isso temos que continuar melhorando”, afirmou.

“Lara estava muito retrancado, com linha de cinco. Temos que crescer no jogo de filtrar bolas e criar combinações para agregar profundidade na posse de bola”, concluiu.

O Santos está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Peixe já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

Soteldo elogia Santos do primeiro tempo contra o Deportivo Lara e diz: “Tinha que fazer a diferença no meu país”

Yeferson Soteldo gostou do primeiro tempo do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela segunda fase da Pré-Libertadores.

O Peixe foi melhor na etapa inicial e abriu o placar com golaço de falta do camisa 10, mas sofreu o empate no jogo aéreo e correu risco até o fim. Na ida, o Alvinegro venceu por 2 a 1 e a vantagem fez o Alvinegro avançar na competição continental.

“Muito feliz. Ajudar a equipe é sempre especial. Sabia que no meu país tinha que fazer diferença e ajudar o Santos a passar de fase”, disse Soteldo, nascido em Acarigua, na Venezuela.

“Temos que manter o que fizemos no primeiro tempo. Lara foi bem, se impôs no segundo tempo, mas no primeiro quase não tocou na bola. É assim”, completou.

O Santos enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG) na próxima fase. As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Holan pede tempo para Santos ser mais competitivo: “Jogamos mais do que treinamos”

Ariel Holan pediu paciência após o Santos empatar em 1 a 1 com o Deportivo Lara, na Venezuela, e avançar para a terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

O técnico chegou ao Peixe há duas semanas e precisa de mais tempo para aperfeiçoar o estilo de jogo.

“Presidente foi claro sobre esse primeiro semestre ser difícil. Temos equipe jovem, com muitos juvenis e faltando alguns dos mais experientes, como Marinho, Kaio Jorge e Madson. Quando tudo isso passar, teremos equipe muito competitiva. Precisaremos de algumas semanas, trabalhamos há pouco tempo. Jogamos mais do que treinamos”, disse Holan.

Yeferson Soteldo reforçou o discurso.

“Peça-chave do time? Ele (Holan) tem que falar. Quero sempre ajudar. De verdade, a cada jogo pegamos o que o técnico fala, a cada treino. E é falta de treino também. Muitos jogos seguidos e precisamos treinar mais para pegar esse sistema que ele quer meter na gente”, falou.

Soteldo diz que Holan pede o mesmo que Sampaoli no Santos: “Muito fácil para mim”

Ariel Holan quer que Yeferson Soteldo jogue como jogava sob o comando de Jorge Sampaoli no Santos em 2019: sempre pela ponta esquerda, à espera do mano a mano.

Com Cuca, até pela dificuldade em encontrar um meia, o camisa 10 atuou como armador, pela direita e até como falso 9. O ex-treinador costumava falar sobre a necessidade do venezuelano estar em todos os locais do campo.

Com Holan, Soteldo fica mais onde prefe atuar.

“Com Sampaoli era assim, sempre ficava aberto, muito fácil para mim. Com Cuca, ele queria que eu pegasse a bola sempre, sem demorar para tocar na bola. Holan quer que eu faça o mesmo que eu fazia com o Sampaoli. São coisas fáceis para colocar na cabeça e botar em prática”, disse Soteldo.

“São treinadores diferentes. A gente tem que acatar o que falam. Cuca era bom técnico também, Holan chegou e estamos gostando muito dele. Gosta de ficar com a bola e temos técnica para fazer isso”, completou.

Soteldo fez o gol do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara na noite desta terça-feira, na Venezuela. O Peixe se classificou para a terceira e última etapa da Pré-Libertadores, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Soteldo aperfeiçoa cobranças em treinos e faz primeiro gol de falta pelo Santos

Yeferson Soteldo marcou seu primeiro gol de falta pelo Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na última terça-feira, em Caracas, na classificação à terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

Foi o 20º gol de Soteldo em 101 jogos pelo Peixe, e o primeiro em cobrança de falta desde 2019. O camisa 10 treina quase que diariamente e tem se aperfeiçoado no fundamento.

Além das faltas diretas, o venezuelano também treina os cruzamentos e escanteios. O objetivo do meia-atacante de 23 anos é ser um jogador “completo”. A dificuldade óbvia está no cabeceio pelo fato de ter 1,60 m de altura.


Santos 2 x 1 Botafogo

Data: 17/01/2021, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro 2020 – 30ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: José Eduardo Bernardi e José Eduardo Calza (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Laercio e Soteldo (S); Kevin (B).
Gols: Soteldo (03-1) e Pedro Raul (45-1); Bruno Marques (36-2).

SANTOS
Vladimir; Pará, Laércio, Alex e Felipe Jonatan; Sandry (Jean Mota) e Diego Pituca; Marinho (Arthur Gomes), Soteldo (Madson) e Lucas Braga (Jobson); Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca

BOTAFOGO
Diego Loureiro; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luís; José Welison (Cicero), Caio Alexandre, Bruno Nazário (Lecaros) e Kelvin (Davi Araújo); Matheus Babi e Pedro Raul (Matheus Nascimento).
Técnico: Eduardo Barroca



Santos vence o lanterna Botafogo na Vila Belmiro

Cuca colocou em campo o que tinha de melhor neste domingo e levou o Santos à vitória em cima do Botafogo, por 2 a 1, na Vila Belmiro, em duelo válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Soteldo, de voleio, abriu o placar logo no início do confronto. Mas, antes do intervalo, Pedro Raul converteu pênalti cometido por Laércio.

Na etapa final, o jovem Bruno Marques aproveitou sua estatura e o bom cruzamento de Soteldo para, de cabeça, marcar o gol da vitória do Peixe.

O resultado levou o time paulista aos 45 pontos, na 8ª colocação, depois de 29 jogos. A equipe carioca estacionou nos 23 pontos, em 30 jogos, e segue na lanterna da competição.


Santos 3 x 0 Boca Juniors

Data: 13/01/2021, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores 2020 – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Auxiliares: Alexander Guzman e John Leon (ambos da COL).
VAR: Julio Bascuñan (CHI)
Cartões amarelos: Diego Pituca (S); Salvio e Izquierdoz (BJ).
Cartão vermelho: Fabra (BJ).
Gols: Diego Pituca (15-1); Soteldo (03-2) e Lucas Braga (05-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Alison (Vinicius Balieiro), Diego Pituca (Sandry) e Soteldo (Jobson); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

BOCA JUNIORS (ARG)
Andrada; Jara (Buffarini), Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Campuzano, González (Capaldo), Salvio (Mas) e Villa; Tévez e Soldano (Ábila).
Técnico: Miguel Angel Russo



Santos amassa o Boca Juniors e enfrentará o Palmeiras na final da Libertadores

O Santos foi amplamente superior ao Boca Juniors (ARG) e venceu por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo duelo de volta da semifinal da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Diego Pituca, Soteldo e Lucas Braga.

Com 3 a 0 no agregado, o Peixe enfrentará o Palmeiras na grande decisão do dia 30 de janeiro, no Maracanã, em partida única. O Alvinegro pode ser o primeiro tetracampeão do país.

O Santos foi melhor que o Boca desde o início e teve a vida facilitada com a expulsão de Fabra aos 10 minutos do segundo tempo, quando já estava 3 a 0 para o Peixe.

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos na Libertadores, os mesmos três gols em suas redes durante 50 minutos jogados na Vila Belmiro.

Em alta, o Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo no domingo, novamente na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Santos, assim como na vitória sobre o Grêmio, começou a partida em ritmo alucinante. No primeiro minuto, Marinho acertou a trave.

O Peixe continuou em cima a assustou com Kaio Jorge e Diego Pituca nos minutos 11 e 12. E o Boca não conseguiu mais resistir. Quando o placar marcava 15 jogados, Soteldo finalizou e a bola bateu na mão de López. Enquanto os jogadores reclamavam de pênalti, Pituca girou e fez o primeiro.

Com a vantagem parcial, o Boca Juniors se lançou mais ao ataque, mas não foi perigoso. Enquanto o Alvinegro passou a aproveitar os contra-ataques. Kaio Jorge e Marinho quase ampliaram nos minutos 43 e 44.

E o domínio do Santos se transformou em domínio no placar em poucos minutos. Aos 3, Soteldo recebeu de Felipe Jonatan e fez um golaço. Aos 5, Lucas Braga recebeu de Marinho e marcou o terceiro do Peixe.

Aos 10 minutos, Fabra pisou em Marinho e foi expulso, tornando a vida do Santos ainda mais fácil. Aos 13, porém, Salvio parou em grande defesa de João Paulo. Susto para os santistas.

O Santos voltou a se organizar e quase fez o quarto no minuto 23, quando Marinho recebeu de Pará e bateu perto da trave esquerda de Andrada. Aos 26, Villa cruzou, ninguém desviou e João evitou o gol do Boca no reflexo.

Nos minutos finais, o Santos administrou o resultado e esteve mais perto do quarto gol do que o Boca de diminuir. Classificação merecida para a final da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lembra premonição, destaca estratégia e diz: “Santos tem que comemorar dobrado”

Cuca voltou ao Santos em agosto de 2020 em momento difícil, com crise técnica e financeira. E na primeira reunião com o elenco, profetizou: “Vamos chegar na final da Libertadores da América”.

E o Peixe chegou ao eliminar o Boca Juniors com um sonoro 3 a 0 na Vila Belmiro nesta quarta-feira. O adversário da decisão no Maracanã será o Palmeiras.

“Falei para o pessoal que tínhamos o Brasileiro para estar entre os oito e que chegaríamos à final da Libertadores. Falei toda vez, me tornei chato. Hoje eu falei de novo que tínhamos que ganhar, não empatar. Senti isso desde o primeiro dia. Time está em oitavo e na final da Libertadores. Para mim é uma satisfação fora do comum. Dificuldades são muito grandes. A gente não pode contratar, tem dificuldade no pagamento, na premiação. E sempre jogamos abertos, eles não ficam de picuinha e cara virada. Por isso chegamos, eles fazem por amor. Em qualquer outra situação se rebelam, aqui é diferente”, disse Cuca.

“A gente vai para uma final e canta o hino, me boto no lugar de qualquer torcedor e estaria chorando. Além de dar a vida, com a dificuldade financeira, promovemos meninos e indo para uma final de Libertadores. É um sonho realizado. Temos que agradecer a Deus por nos honrar tanto. Temos feito coisas muito bonitas e se Deus quiser vamos conseguir esse título”, completou.

Ao ser questionado se é o melhor trabalho da sua carreira, Cuca falou que o Santos precisa “comemorar dobrado” diante das dificuldades.

“Não sei se é melhor, mas tive grandes trabalhos. Aqui a dificuldade é muito maior. Os motivos vocês sabem, mas é muito gratificante entregar ao torcedor uma final de Libertadores. Isso não tem preço, tem valor. É nosso combustível. Se entregar ao máximo para tirar o máximo deles e ver resultado acontecer. É tão legal, não é sempre que acontece isso. Normalidade não é essa. Normalidade é clube em dia e investindo mais chegar, aqui foi oposto. Temos que comemorar dobrado”, avaliou.

O treinador também falou sobre a estratégia para vencer o Boca. A previsão era de Soteldo como meia, mas o camisa 10 atuou aberto, com Lucas Braga ao lado de Kaio Jorge.

“Cada jogo é uma história. Hoje jogamos diferente, jogamos com Lucas Braga fazendo segundo homem com Kaio Jorge, e Soteldo aberto. Coisas pequenas podem mexer em uma engrenagem, adversário também nos estuda. Usamos outro esquema e isso mexe, usamos velocidade de dentro para fora, com técnica pelo lado. Diferente da Argentina. Poderia entrar com o Sandry, mas quisemos entrar para ganhar e não para segurar. Graças a Deus deu certo”, concluiu.

Cuca comenta preleção de Pelé antes do Santos eliminar o Boca Juniors

O técnico Cuca revelou que fez um pedido especial antes da partida entre Santos e Boca Juniors, que garantiu o Peixe na final da Libertadores. Maior ídolo da história do futebol, Pelé fez parte da preleção, o que, segundo o treinador, motivou ainda mais o elenco.

“Edinho é treinador do sub-23. Falei com o Edinho se o Pelé poderia falar um pouco com a gente. Não há motivação maior. Está debilitado, não se locomove sozinho. Ficou um pouco constrangido, mas insisti e ele falou com a gente depois da parte tática. Uma caixa de som, brincou com o pessoal. Falamos que ofereceríamos a vitória a ele. Quem diria? Oferecer uma vitória ao Pelé. É o maior orgulho que nós brasileiros temos no desporto geral. Não só no desporto, em tudo. É orgulho, é coisa boa. Ele dirigir palavras a nós. Falou de ter acima de tudo fé. Foi maravilhoso, todos aplaudimos e saímos para o jogo super motivados”.

O Rei Pelé participou da preparação do Santos para vencer o Boca Juniors (ARG) por 3 a 0 na Vila Belmiro e se classificar para enfrentar o Palmeiras na Libertadores da América.

Em entrevista coletiva, o técnico Cuca dedicou a vitória a Pelé.

“Agradeço ao Rei (Pelé) pelo que fez. Entrou ao vivo com o grupo na concentração. Como brasileiro falando, é o único orgulho que temos hoje, de falar que somos brasileiros pelo Pelé. Participou da nossa conquista nos motivando mesmo estando como ele está. É para você”, disse Cuca.

A festa no vestiário após a classificação para a final da Libertadores:

Soteldo lembra de ‘perrengues’ no Santos e manda recado ao Boca: “Aqui quem manda somos nós”

Eleito melhor em campo pela Conmebol, Soteldo lembrou dos “perrengues” do Santos após a vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O camisa 10 fez um dos gols da classificação do Peixe para enfrentar o Palmeiras na final da Libertadores da América.

“Me arrepia, a gente passou por muita coisa no começo do ano, mas Deus compensou hoje tudo o que a gente vem fazendo. É agradecer a Deus por esse prêmio que a gente ganhou, trabalhamos para isso, mas agora é trabalhar e pensar na final. Agradeço esse grupo, merecemos a classificação hoje”, disse Soteldo.

O venezuelano lembrou da ausência por covid-19 contra o Grêmio e mandou recado ao Boca.

“Feliz com o gol. Fiquei triste por não jogar contra o Grêmio, mas eu confiava nos meus companheiros. Esse time que a gente tem é muito forte”, afirmou.

“Na nossa casa não são bem-vindos, não vão jogar, aqui quem manda somos nós”, concluiu.

Marinho cobra salários atrasados do Santos a superintendente: “Quando vocês vão pagar a gente?”

Após vencer o Boca Juniors por um sonoro 3 a 0 e classificar para a final da Libertadores, o Santos parece ter problemas financeiros nos bastidores. Marinho aproveitou uma live realizada no Instagram para cobrar os salários atrasados.

Marinho comandou a live no Instagram após a classificação da equipe. A estrela do Santos chamou o superintendente de esportes, Felipe Ximenes, e perguntou: “Quando vocês vão pagar a gente?” – o diretor cravou: “Amanhã!”

O Santos deve direito de imagem, parte das férias e premiações atrasadas aos jogadores. Vale destacar que o direito de imagem é parte do salário para a maioria dos atletas.

Argentinos relatam foguetório de torcedores do Santos na frente do hotel do Boca Juniors

O embate entre Santos e Boca Juniors pela semifinal da Libertadores segue com polêmicas fora de campo. O jornal TyC Sports, da Argentina, informou nesta quarta-feira que torcedores do Peixe realizaram um foguetório nos arredores do local onde o elenco xenize está hospedado.

A publicação aponta que os fogos de artifício puderam ser ouvidos ao longo de toda a madrugada, atrapalhando o sono dos jogadores argentinos.

Esta não é a primeira polêmica envolvendo o duelo entre o Alvinegro e o Boca. Na semana passada, o Peixe relatou que o ônibus da delegação foi apedrejado na Argentina. A partida de ida também contou com problemas de arbitragem e com os testes de covid-19, com dois atletas do time brasileiro testando positivo logo após o jogo.

Boca Juniors sofre contra o Santos o mesmo número de gols de 11 jogos

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos da Libertadores da América. E o bom desempenho defensivo dos argentinos caiu por terra na Vila Belmiro.

O Boca sofreu os mesmos três gols em 50 minutos contra o Santos na derrota por 3 a 0 nesta quarta-feira. O Peixe avançou para enfrentar o Palmeiras na final da competição continental.

Palmeiras e Santos, inclusive, tiveram a melhor campanha da fase de grupos. A grande decisão será no dia 30 de janeiro, em partida única no Maracanã.

Cuca “agradece” bloqueio de contratações no Santos e destaca ascensão de jovens

Um dos grandes méritos do Santos para a arrancada até a final da Libertadores foi a boa utilização dos jovens da base. Sem poder contratar por conta de punições da Fifa, o Peixe precisou se voltar novamente para os atletas formados no clube, que não decepcionaram.

Em entrevista ao Sportv, o técnico Cuca comentou a situação e “agradeceu” a punição, que o fez dar mais oportunidades aos Meninos da Vila, que ajudaram a levar o clube a sua quinta final da principal competição do continente.

“Tivemos o transfer ban, não pudemos contratar e por isso eu digo que tudo que Deus faz é bom. Eu poderia não ter acertado em algumas contratações e os nossos jogadores não terem a mesma resposta desses meninos”.

O Santos chegou a se acertar com três reforços, que acabaram ficando em seus clubes: Elias (que rescindiu com o Bahia), José Welison (Botafogo) e Thaciano (Grêmio). Elias treinou por alguns dias no CT Rei Pelé.


Santos 4 x 2 Sport Recife

Data: 28/11/2020, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 23ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires e Christian Passos Sorence (ambos de GO).
VAR: Braulio da Silva Machado (SC).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Jobson e Lucas Lourenço (S); Adryelson, Lucas Mugni e Marquinhos (SR).
Gols: Marinho (05-1, de pênalti), Lucas Braga (11-1), Marquinhos (27-1) e Leandro Barcia (45-1); Bruno Marques (25-2) e Soteldo (36-2, de pênalti).

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Lucas Lourenço (Soteldo); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca

SPORT RECIFE
Luan Polli; Adryelson (Jonatan Gomez), Iago Maidana e Chico; Patric, Ricardinho (Bruninho), Márcio Araújo (Ronaldo Henrique), Lucas Mugni (Mikael) e Junior Tavares; Marquinhos (Maxwell) e Leandro Barcia.
Técnico: César Lucena



Estreante brilha, e Santos vence o Sport após “apagão” na Vila Belmiro

O Santos venceu o Sport por 4 a 2 na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Marinho, Lucas Braga, Bruno Marques e Soteldo. Marquinhos e Leandro Barcia fizeram para o Leão.

O Peixe abriu 2 a 0 cedo, mas parou de jogar e sofreu o empate ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Alvinegro custou a encontrar espaços, porém, contou com o brilho de mais um Menino da Vila.

Bruninho, estreante como profissional, recebeu cruzamento de Marinho e cabeceou com categoria cinco minutos depois de entrar. Ainda deu tempo para Soteldo fazer o quarto e matar o jogo para os donos da casa.

Com a vitória, o Santos pula para a quinta colocação, com 37 pontos. O Sport é o 16ª, com 25.

O jogo

O início do Santos foi avassalador. Aos cinco minutos, Marinho cobrou falta, desvio com a mão na defesa do Sport e pênalti marcado. O camisa 11 converteu.

Logo depois, aos 11 minutos, Lucas Veríssimo acionou Lucas Braga após escanteio curto e o atacante não perdoou. Ambos os lances a favor do Peixe tiveram auxílio do VAR.

Daí para frente, porém, o Alvinegro parou. O Leão começou a ganhar confiança, dominou o meio-campo e diminuiu com Marquinhos, no minuto 27, em linda jogada de Patric.

Nos acréscimos, o Sport chegou ao empate. Lucas Mugni cruzou alto e Leandro Barcia, sozinho, cabeceou no contrapé de John. 2 a 2 na etapa inicial.

A etapa final começou de forma bem diferente. O Santos sem criatividade diante de um Sport bem fechado na defesa. E o Peixe precisou novamente de sua base para colocar emoção no confronto.

Aos 20 minutos, Cuca sacou Kaio Jorge para a entrada de Bruno Marques. E logo depois, aos 25, o centroavante aproveitou cruzamento de Marinho para desempatar logo na sua estreia como profissional.

O gol de Bruninho mudou a partida. Com mais tranquilidade, o Santos encontrou espaços e ampliou. Aos 34, Marinho aproveitou passe de Soteldo e sofreu pênalti. O venezuelano converteu e matou o jogo para o Peixe.

Bastidores – Santos TV:

Cuca elogia “determinação” do Santos para buscar vitória e explica John titular: “Meio certo”

Cuca elogiou a “determinação” do Santos para vencer o Sport por 4 a 2 na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe abriu 2 a 0 cedo, mas cedeu o empate ainda no primeiro tempo e precisou reagir na etapa final.

“Começamos muito bem. Fizemos gols nas primeiras oportunidades. Adversário se soltou um pouco mais, e numa jogada pela direita do Patric saiu o gol. Com 2 a 1 é outro jogo, adversário ganha confiança e corpo. O empate aconteceu em um contra-ataque de bola parada a nosso favor. No segundo tempo fiz mexidas, corrigimos algumas situações de posicionamento e movimentação. E fizemos segundo tempo precioso, bem ajustado, sem dar muitas chances ao Sport e criando. Fizemos terceiro e quarto e administramos bem o jogo. Com 2 a 0 tomar o empate o emocional vem para a conta, tem desgaste de jogo e viagem, mas nada disso influenciou. Foram determinados e souberam jogar o segundo tempo”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador também explicou a decisão por John titular, com João Paulo no banco de reservas depois da covid-19.

“É a história do meio certo e meio errado. O que fizéssemos estaríamos meio errado. E seria assim com John ou João Paulo. Pesamos o momento, o gol é delicadíssimo. Tive tantos problemas no Botafogo e levo como maior aprendizado na minha vida. Pensamos nesse jogo contra o Sport e mais decisivo ainda contra a LDU. João saiu por covid, por coerência teria que voltar, mas coerência e necessidade andam juntas. Hoje, o momento do John é confiança pura. De todos os companheiros dele. João saindo e retomando treinamentos, buscando titularidade. Optamos pelo momento do John e acho que acertamos”, explicou o técnico.

Cuca vê Bruninho como atacante ‘único’ no Santos: “Está preparado”

A estrela de Cuca brilhou durante a vitória do Santos por 4 a 2 sobre o Sport na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico promoveu a estreia de Bruno Marques, conhecido como Bruninho, como profissional. E o centroavante entrou aos 20 e fez o gol do desempate aos 25 minutos.

“Estamos vendo o Bruno há bastante tempo, conversando com ele. Está preparado, está no sub-23 e temos acompanhado o trabalho. Contra três zagueiros precisávamos de referência para ganhar essa bola, dispor aos demais. Sport defendia com linha de cinco, bem postado. Era mais difícil o caminho da velocidade. Conversamos com o Marinho sobre termos agora essa referência. E Bruno, com tempo de bola preciso, fez um bonito gol e nos ajudou muito. Fez paredes, protegeu, fez o pivô. Foi muito bem, ainda mais por ser estreia”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Bruninho tem 21 anos e 1,93 m de altura. O cabeceio, como no gol diante do Sport, é sua especialidade. As características são diferentes em relação aos concorrentes da posição: Kaio Jorge, Marcos Leonardo e Raniel.

Bruninho está emprestado pelo Lagarto (SE) até 31 de dezembro de 2020. O valor de compra combinado é de R$ 600 mil por 70% dos direitos econômicos.

Bruno Marques, do Santos, admite talento pelo alto: “Pode botar na área que vou ajudar”

Bruno Marques foi a grande novidade do Santos na vitória por 4 a 2 sobre o Sport na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O centroavante estreou como profissional com gol pelo Peixe, o terceiro. Ele entrou aos 20 e marcou de cabeça aos 25, na sua especialidade.

“Passou aquele filme na cabeça, um frio na barriga. Olhei o bandeirinha e saí correndo, queria comemorar mesmo! Joga na área que eu vou estar brigando. No Aspirantes fiz 5 gols de cabeça. Se eu puder ajudar, pode botar bola na área que eu vou ajudar a fazer o gol”, disse Bruno, ao Premiere.

“Eu já tinha sonhado que na estreia eu faria um gol. Entrei muito confiante e com muita fé que esse gol iria sair. Estou muito feliz, trabalhei muito, batalhas. Esperei muito por isso! Deus honrou”, completou.


LDU 1 x 2 Santos

Data: 24/11/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Auxliares: Ezequiel Brailovsky e Julio Fernandez (ambos da ARG).
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Cartões amarelos: Vega, Alcívar, Aguirre e Ordoñez (L); Luiz Felipe, Wagner Leonardo, Felipe Jonatan e Soteldo (S).
Gols: Soteldo (06-1) e Jhojan Julio (46-1); Marinho (13-2).

LDU (EQU)
Gabbarini; Perlaza (Zunino), Caicedo, Ordoñez e Cruz (Ayala); Villarruel, Alcivar, Vega (Caicedo), Quintero (Aguirre) e Billy Arce; Jhohan Julio e Martínez Borja.
Técnico: Pablo Repetto

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Lucas Braga); Alison, Diego Pituca e Jean Mota (Wagner Leonardo); Marinho (Lucas Lourenço), Soteldo (Vinicius Balieiro) e Kaio Jorge.
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Santos vence a LDU na altitude de Quito e abre vantagem nas oitavas da Libertadores

O Santos venceu a LDU por 2 a 1 na noite desta terça-feira, no Estádio Casa Blanca, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Soteldo e Marinho. Os visitantes balançaram as redes com Jhojan Julio.

O Peixe superou os desfalques e a altitude de 2850 metros em Quito, no Equador. Depois de primeiro tempo com muitos espaços na marcação, o Alvinegro voltou melhor para a etapa final, quando desempatou e sofreu menos na defesa.

Como o gol fora de casa é qualificado na Libertadores, o Santos pode empatar ou até perder por 1 a 0 para avançar às quartas de final. A decisão ocorrerá na próxima terça, também às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro. 2 a 1 levaria a eliminatória para os pênaltis.

O Santos suportou a pressão inicial da LDU e aproveitou a primeira chance criada. Pará fez bonita jogada individual e cruzou para Soteldo fazer o gol aos cinco minutos.

A partir daí, a LDU dominou o jogo. Com a posse de bola e melhor fisicamente, a equipe dona da casa empilhou chances. No minuto 27, Perlaza bateu para boa defesa de John. E nos acréscimos, veio o empate.

O Santos cedeu um contra-ataque no último lance da etapa inicial. Billy Arce avançou e bateu para ótima defesa do goleiro John. No rebote, Jhojan Julio subiu mais que Diego Pituca e Marinho e empurrou para as redes de cabeça.

O Santos teve novamente a primeira chance. Dessa vez, porém, Gabbarini foi bem finalização forte de Marinho de fora da área aos dois minutos. Na sequência, Alcívar bateu forte e John segurou mais uma.

E quando o Peixe parecia longe do gol, Marinho apareceu. O atacante bagunçou a defesa da LDU e sofreu (e converteu) o pênalti. 2 a 1 em Quito para os brasileiros aos 13 jogados.

O Alvinegro ajustou a defesa e pouco sofreu. Quando a LDU assustou, o goleiro John defendeu. A saída de Jean Mota para a entrada de Wagner Leonardo foi decisiva para o resultado. John, Pará, Marinho e Soteldo foram os destaques da equipe de Marcelo Fernandes. Vantagem para a decisão na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes explica substituição decisiva no Santos e valoriza estratégia: “Deu tudo certo”

Marcelo Fernandes foi “ousado” na vitória do Santos por 2 a 1 sobre a LDU na noite desta terça-feira, em Quito, no Equador, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América.

O auxiliar, substituto de Cuca, tirou Jean Mota por cansaço no fim do primeiro tempo. Segundos depois, a LDU empatou. Na segunda etapa, porém, a alteração se mostrou decisiva. Com Wagner Leonardo na lateral e Felipe Jonatan no meio-campo, o Peixe pouco sofreu defensivamente.

“Jean Mota pela esquerda foi opção, para explorarmos a escapada do Soteldo por dentro também. Troca foi num momento preciso. Jean Mota deu tudo, é esforçado, grande futebol. Mas como lado direito da LDU estava forte, fizemos essa substituição. Foi uma alteração que eu falei com Jean e ele entendeu. Sofremos com muitas jogadas pela direita. Algum poderia sentir efeito da altitude. Jean tentou coibir essas jogadas, deu tudo, mas colocou a mão no joelho para buscar o ar e optamos pela saída. Cumpriu sua função perfeitamente. É menino de ouro, grande jogador, qualquer um poderia ter sentido a altitude”, disse Marcelo Fernandes.

O técnico ainda valorizou o planejamento do Santos. A estratégia foi comprometida pelo surto de covid-19, mas o Peixe conseguiu superar a altitude de 2850 metros mesmo assim.

“Tivemos a infelicidade do gol no fim do primeiro tempo depois da troca. Voltamos para o segundo tempo com a mesma estratégia, tentando ficar com a posse de bola. O que meninos fizeram hoje é de tirar o chapéu. Sempre honram a camisa. Fico orgulhoso de participar desse trabalho comandado pelo Cuca. Grupo é muito coeso e determinado. Estratégia era ficar com a bola e termos nossos extremos Marinho e Soteldo. E foi assim com o Marinho, que sofreu o pênalti e conseguimos vencer”, afirmou.

“Preparação foi feita lá atrás. Planejamento de vir no domingo. Tentamos adiar o jogo e não conseguimos, até poderíamos vir mais cedo. Tivemos o surto de covid, foi tarefa difícil. Preparação foi bem pensada há muito tempo, para vir dias antes pela ambientação. E com certeza deu tudo certo”, concluiu.

Como o gol fora de casa é qualificado na Libertadores, o Santos pode empatar ou até perder por 1 a 0 para avançar às quartas de final. A decisão ocorrerá na próxima terça, também às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro. 2 a 1 levaria a eliminatória para os pênaltis.

Marinho valoriza vantagem do Santos na Libertadores, mas diz: “Cabecinha no lugar e pezinho no chão”

Marinho valorizou a vantagem do Santos nas oitavas de final da Libertadores, mas destacou a necessidade de não se acomodar com o resultado. O Peixe venceu a LDU (EQU) por 2 a 1 na noite desta terça-feira, em Quito, e decidirá a vaga daqui a uma semana, na Vila Belmiro.

“Independentemente da altitude, Marcelo Fernandes falou para tentarmos vencer. LDU é equipe forte aqui, mas nós sabemos do nosso potencial. Foi grande jogo. Tivemos a felicidade de vencer. E vamos manter os pés no chão, trabalhando forte porque no Brasil também vai ser difícil. Cabecinha no lugar e pezinho no chão, disse Marinho” em entrevista coletiva.

“Comprometimento. Equipe fez o melhor, de acordo com a estratégia. Todos correram e se dedicaram. Todos abraçaram o trabalho, brigamos pela causa e fizemos grande jogo. Fomos merecedores dessa vitória”, completou.