Navegando Posts marcados como Santos

San Lorenzo 1 x 3 Santos

Data: 06/04/2021, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – 3ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio El Nuevo Gasometro, em Buenos Aires, Argentina.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL).
Auxiliares: Miguel Roldán e Sabastián Vela (ambos da COL).
Cartões amarelos: Diego Rodríguez (SL).
Gols: Lucas Braga (06-1), Ángel Romero (26-2) e Marinho (45-1, de pênalti); Ângelo (49-2).

SAN LORENZO (ARG)
Devecchi; Andrés Herrera, Alejandro Donatti, Braghieri, Bruno Pittón; Palacios (Óscar Romero), Diego Rodríguez (Elías), Juan Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Franco Troyansky (Nicolás Fernández).
Técnico: Diego Dabove

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Pirani (Soteldo); Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos jogou bem e venceu o San Lorenzo por 3 a 1, no Estádio El Nuevo Gasometro, na partida de ida da terceira fase da Libertadores. O Peixe marcou dois gols na primeira etapa, com Lucas Braga e Marinho, de pênalti. No segundo tempo, os mandantes diminuiu com Ángel Romero, ex-Corinthians. Na reta final, Ângelo fez o terceiro para os brasileiros.

O time comandado por Ariel Holan teve um excelente início na Argentina, avançando o bloco de marcação e conseguindo abrir o placar logo aos seis minutos. Sendo consistente na defesa, o Santos não passou sufoco na defesa e ainda conseguiu ampliar com Marinho batendo pênalti.

Na etapa final o Santos teve uma queda de rendimento e perdeu o controle do jogo. Além de diminuir a produção ofensiva, os comandados de Holan viram Romero diminuir o placar. Apesar disso, o time mostrou concentração nos minutos finais e segurou o triunfo na Argentina, marcando o terceiro com Ângelo no fim.

As duas equipes voltam a se enfrentar na terça-feira da semana que vem, às 21h30, no Mané Garrincha. O Peixe avança para a fase de grupos com uma vitória, um empate ou uma derrota por um gol de diferença.

O jogo:

Elétrico, o Santos tomou conta das ações ofensivas dos primeiros minutos. Em duas oportunidades, o time recuperou a bola e encontrou Marcos Leonardo, que não conseguiu finalizar as jogadas. Já aos seis minutos, Luan Peres roubou a bola no meio-campo e soltou para Lucas Braga pela esquerda. O jogador balançou para cima da marcação, trouxe para dentro e acertou um belo chute para abrir o placar.

Após marcar o gol, o Peixe diminuiu o ímpeto ofensivo, mas conseguiu segurar a vantagem. A primeira chegada do San Lorenzo veio apenas aos 32 minutos, com Pittón pegando sobra dentro da área e finalizando para fora. Na sequência, Troyansky recebeu cruzamento da direita e testou muito próximo da trave.

Aos 44 minutos, Pirani recebeu na intermediária e fez belo lançamento para Marcos Leonardo. O atacante foi derrubado pelo goleiro do San Lorenzo, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Marinho mandou no canto alto direito e ampliou o placar.

No retorno do vestiário, foi o Santos que teve a primeira oportunidade no ataque. Pará avançou pela direita e cruzou na medida para Lucas Braga, que cabeceou e exigiu defesa de Devecchi. Em seguida, o San Lorenzo respondeu com Pittón de cabeça, parando e João Paulo, e Ramírez finalizando de fora da área à esquerda.

Aos 26 minutos, o time argentino conseguiu diminuir o placar. Fernández avançou pela direita, cruzou e encontrou Ángel Romero na área, após Pará não conseguir cortar a bola. O ex-jogador do Corinthians dominou e finalizou no canto para marcar.

Além de segurar a vitória, o Santos marcou o seu terceiro gol. Primeiro, Soteldo arriscou de fora da área e Devecchi espalmou para o lado. No rebote, Ângelo cortou para dentro, chutou e viu o goleiro do San Lorenzo deixar a bola escapar, passando rente à trave. No último lance, o garoto de 16 anos aproveitou nova rebatida de Devecchi e apenas empurrou para as redes, sacramentando a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Holan diz que Santos fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada

O Santos deu um grande passou em busca da classificação para a fase de grupos da Libertadores ao vencer o San Lorenzo por 3 a 1, na Argentina. Após o apito final, Ariel Holan analisou o desempenho da equipe e disse que o Peixe fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada. No primeiro tempo, o Peixe abriu dois gols de vantagem, com tentos de Lucas Braga e Marinho, de pênalti.

“Eu acho que a equipe fez uma boa partida, mas o San Lorenzo é um bom time. Tem excelentes jogadores e, como mandante, é um time muito complicado. Eu valorizo muito a vitória, mas ainda temos um jogo, espero que possamos repetir em Brasília o bom jogo que fizemos hoje”, afirmou Holan.

“Sim (foram os melhores 45 minutos), mas recém começamos. Creio que, pelo tamanho do San Lorenzo, foram os nossos melhores momentos desde que assumi o time”, completou.

Holan também comentou sobre a confusão no gol marcado pelo San Lorenzo, visto que a defesa do Santos mostrou uma desorganização pontual no lance.

“Foi uma jogada estranha, porque o Felipe Jonatan sentiu uma dor na perna, e pensamos que ele havia falado para fazer a substituição. Neste momento, o árbitro reiniciou rápido e estávamos mal posicionados. Foi uma pena, porque até aquele momento o time estava jogando muito bem. Creio que, com muito amor próprio, o San Lorenzo conseguiu avançar, mas também conseguimos contra-golpear. Por sorte, fizemos diferença desta forma”, analisou o treinador.

No fim da coletiva, Holan pediu a palavra e mandou um recado especial para Sandry, que teve o rompimento do ligamento cruzado do joelho direito constatado nos últimos dias e permanecerá, no mínimo, seis meses longe dos gramados.

“Só queria mandar um abraço ao Sandry. Infelizmente, é muito jovem e teve esta infelicidade da lesão no ligamento cruzado, mando a ele um forte abraço”, finalizou.

Após treinos em Atibaia, Holan vê Santos em evolução e no caminho certo

Jogando um futebol convincente durante considerável parte da partida, o Santos derrotou o San Lorenzo por 3 a 1 e deu um importante passo rumo à fase de grupos da Libertadores. O bom desempenho do time em campo coincide com a primeira apresentação da equipe após um longo período de treinos.

Sem poder treinar na cidade de Santos, o Peixe foi para Atibaia e realizou sua preparação para o duelo da Libertadores no Hotel Bourbon. Durante quase duas semanas, Ariel Holan pôde implementar detalhes do seu modelo de jogo com mais paciência, a partir de muitas repetições nas atividades.

Após o jogo na Argentina, o técnico do Santos avaliou positivamente a atuação da equipe no Estádio El Nuevo Gasometro, elogiando a postura dos jogadores em campo.

“Valorizo muito que o time quis permanentemente jogar, mesmo com a pressão do San Lorenzo. Para mim, isso é muito importante, porque temos que seguir jogando desta maneira, melhorando jogo após jogo”, afirmou o técnico.

Antes da sequência em Atibaia, Holan não havia tido uma semana livre para treinar o Santos. Até o momento, o técnico esteve a beira do campo em cinco partidas da equipe, com três vitórias, um empate e uma derrota.

Lucas Braga corresponde, e Holan ganha boa dor de cabeça no Santos

Marcando três gols no San Lorenzo fora de casa, o Santos deu um importante passo em busca da vaga na fase de grupos da Libertadores. Jogando pela esquerda, Lucas Braga foi a aposta de Ariel Holan para o ataque e não decepcionou, marcando o primeiro gol do Peixe na partida.

Com um Santos postado para recuperar a bola e acelerar, Lucas Braga foi uma importante válvula de escape pelo lado do campo. Correspondendo no jogo decisivo, o atacante plantou uma boa dor de cabeça no treinador argentino.

Isso porque Holan tem diversas opções para montar o setor ofensivo do time para a sequência da temporada. O único titular absoluto é Marinho, que voltou de lesão no joelho esquerdo e atuou contra o San Lorenzo pela primeira vez em mais de dois meses.

Soteldo, que é uma importante peça da equipe, não foi escalado por ter ficado de fora das semanas de treino em Atibaia, devido ao problema logístico na Venezuela. Uma alternativa seria escalar o venezuelano por dentro, como um meia, função essa que já foi exercida pelo camisa 10 anteriormente.

Outro nome que pede cada vez mais espaço é Ângelo. O atacante de 16 anos, que se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores, pode encontrar dificuldade no início por jogar prioritariamente pela direita, setor ocupado por Marinho.

Caso queira tornar o time mais móvel, Holan pode escalar o Peixe sem uma referência no ataque, como Kaio Jorge e Marcos Leonardo. Nesse cenário, Marinho, Soteldo, Lucas Braga e Ângelo disputariam as três vagas da frente.

Lucas Braga acredita que os dias de treino facilitaram a implantação do modelo de Holan

Autor do primeiro gol da vitória do Santos, Lucas Braga concedeu entrevista coletiva após a vitória sobre o San Lorenzo. O jogador avaliou positivamente as semanas de treino do Peixe em Atibaia, dizendo que foram importantes para que Ariel Holan implementasse de maneira mais efetiva as duas ideias.

“Como a gente teve um tempo bacana para trabalhar, isso nos ajudou bastante a colocar em prática. Claro que ainda falta um pouco de ritmo de jogo para todos nós, mas isso vem naturalmente”, afirmou o atacante.

Lucas Braga ainda comentou sobre os méritos do Santos na importante vitória sobre o San Lorenzo na Argentina.

“A gente colocou em prática aquilo que o professor nos pediu: a calma para jogar e a posse de bola, os gols saíram naturalmente. Quando a gente manteve a postura em campo, facilitou para nós”, disse o jogador.

Ângelo se torna o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores

Nesta terça-feira, Ângelo quebrou um recorde ao balançar as redes na vitória sobre o San Lorenzo: o atacante se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol pela Libertadores, com 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

Ângelo saiu do banco de reservas já na reta final da partida, substituindo Marinho. Na primeira tentativa, parou em defesa do goleiro do San Lorenzo. No entanto, já nos acréscimos, aproveitou o rebote de Devecchi e marcou o gol histórico.

Ângelo fez o seu primeiro jogo como profissional do Santos quando tinha apenas 15 anos, no Brasileirão do ano passado, contra o Fluminense. Desde então, o jogador disputou 15 partidas, marcando o seu primeiro gol pelo time principal nesta terça.

Ariel Holan parabeniza Ângelo por feito histórico: “Muito orgulho”

A vitória do Santos por 3 a 1 sobre o San Lorenzo, na Argentina, pelo jogo de ida da terceira fase da Libertadores, ficou marcada, principalmente, pelo feito histórico do atacante Ângelo. O garoto se tornou o jogador mais jovem a marcar no torneio, com apenas 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

E o acontecimento rendeu elogios do técnico Ariel Holan. Em suas redes sociais, o comandante argentino parabenizou o atleta e afirmou estar muito orgulhoso.

“Parabéns Ângelo, jogador mais jovem a marcar na Libertadores. Muito orgulho!!!”, comentou o treinador.

Ângelo, por sua vez, agradeceu o treinador: “Obrigado professor, vamos por mais!!!”.


Deportivo Lara 1 x 1 Santos

Data: 16/03/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – 2ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio Olímpico de La UCV, em Caracas, Venezuela.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Victor Carillo (PER).
Cartões amarelos: Meleán e Anzola (DL); Jean Mota e Sandry (S).
Gols: Soteldo (36-1); Anzola (16-2).

DEPORTIVO LARA (VEN)
Curiel; España, Anzola, Rodríguez e Sifontes; Meleán (Castillo), Bueno e Segovia; Castellanos (Castillo), Gómez e Sánchez (Salazar).
Técnico: Martín Brignani

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry (Gabriel Pirani) e Jean Mota (Vinicius Balieiro); Ângelo (Lucas Braga), Soteldo e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos leva susto em empate com o Deportivo Lara, mas avança na Libertadores

O Santos empatou com o Deportivo Lara (VEN) por 1 a 1 na noite desta terça-feira, em Caracas, e avançou na Pré-Libertadores. O gol do Peixe foi marcado por Soteldo e Anzola empatou. Na Vila Belmiro, o Alvinegro levou a melhor, com um 2 a 1 no placar.

O Santos foi melhor durante quase todo o tempo, mas levou um susto, novamente na bola aérea defensiva. Nos minutos finais, o Peixe conseguiu administrar o resultado para se classificar e até ficou perto do segundo gol.

O Alvinegro está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Santos já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

O jogo

O Santos foi amplamente superior ao Deportivo Lara no primeiro tempo, mas não construiu a posse de bola em 70% em oportunidades claras de gol.

Sem sofrer na defesa e bem organizado em campo, o Peixe precisou da individualidade de Soteldo para abrir o placar. O camisa 10 acertou o ângulo em cobrança de falta perfeita aos 36 minutos.

Aos 41, o goleiro João Paulo saiu mal do gol e Rodríguez não aproveitou. No minuto 45, Soteldo cruzou e Marcos Leonardo furou.

O Santos continuou melhor na etapa final. Logo aos oito minutos, Soteldo tabelou com Felipe Jonatan e passou para Ângelo, que ficou perto de ampliar para os visitantes.

O Peixe seguiu no campo de ataque e parecia tranquilo, até que o fantasma do jogo aéreo voltou a aparecer. Aos 16 minutos, España desviou cruzamento e Anzola empatou.

O Lara se lançou ao ataque, abusou dos cruzamentos e não conseguiu virar. Foi o Santos quem esteve mais perto do gol nos minutos finais. O Peixe superou o susto e avançou na Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Holan revela problema de última hora e valoriza classificação: “Santos tinha toda a pressão”

Ariel Holan revelou que o Santos teve um problema de última hora antes do empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela partida de volta da segunda fase da Pré-Libertadores.

O elenco sentiu um problema estomacal no horário do almoço nessa terça, mas não teve nenhum desfalque. O Peixe fez um bom primeiro tempo e abriu o placar com Soteldo, mas levou o gol de Anzola novamente no jogo aéreo e correu risco até o fim.

“Libertadores é difícil. Santos tinha toda a pressão, Lara ia por um jogo histórico, deixar o finalista fora. Para nós toda a pressão para gerir. Tratamos de jogar como gostamos, com a posse. Mas como disse anteriormente, faltou profundidade. Apesar disso, equipe fez um bom jogo com a posse, mas no último terço faltou agressividade e velocidade para superar a defesa do Lara. É importante passar, temos muitos jovens que têm primeira experiência nessa competição tão difícil”, disse Holan.

“Que possamos recuperar os que ainda não jogaram para termos mais alternativas. São muitos jogos e ter alternativas é sempre bom. Madson, Marinho, Kaio Jorge… Pará fez esforço grande hoje. Muitos com problemas estomacais generalizados, que surgiram hoje. Por isso tudo valorizo muito a classificação, claro que anotando o que temos a melhorar”, completou.

O Alvinegro teve 70% da posse de bola na etapa inicial, mas pouco criou. Na visão de Ariel Holan, o problema foi a falta de profundidade.

“Tivemos a posse de bola, mas nos faltou profundidade. Se encontrássemos os passes profundos, o resultado da partida seria outro. Nos custou muito encontrar isso. Tivemos a posse durante todo o jogo, mas não tivemos a profundidade no último passe. Creio que isso temos que continuar melhorando”, afirmou.

“Lara estava muito retrancado, com linha de cinco. Temos que crescer no jogo de filtrar bolas e criar combinações para agregar profundidade na posse de bola”, concluiu.

O Santos está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Peixe já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

Soteldo elogia Santos do primeiro tempo contra o Deportivo Lara e diz: “Tinha que fazer a diferença no meu país”

Yeferson Soteldo gostou do primeiro tempo do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela segunda fase da Pré-Libertadores.

O Peixe foi melhor na etapa inicial e abriu o placar com golaço de falta do camisa 10, mas sofreu o empate no jogo aéreo e correu risco até o fim. Na ida, o Alvinegro venceu por 2 a 1 e a vantagem fez o Alvinegro avançar na competição continental.

“Muito feliz. Ajudar a equipe é sempre especial. Sabia que no meu país tinha que fazer diferença e ajudar o Santos a passar de fase”, disse Soteldo, nascido em Acarigua, na Venezuela.

“Temos que manter o que fizemos no primeiro tempo. Lara foi bem, se impôs no segundo tempo, mas no primeiro quase não tocou na bola. É assim”, completou.

O Santos enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG) na próxima fase. As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Holan pede tempo para Santos ser mais competitivo: “Jogamos mais do que treinamos”

Ariel Holan pediu paciência após o Santos empatar em 1 a 1 com o Deportivo Lara, na Venezuela, e avançar para a terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

O técnico chegou ao Peixe há duas semanas e precisa de mais tempo para aperfeiçoar o estilo de jogo.

“Presidente foi claro sobre esse primeiro semestre ser difícil. Temos equipe jovem, com muitos juvenis e faltando alguns dos mais experientes, como Marinho, Kaio Jorge e Madson. Quando tudo isso passar, teremos equipe muito competitiva. Precisaremos de algumas semanas, trabalhamos há pouco tempo. Jogamos mais do que treinamos”, disse Holan.

Yeferson Soteldo reforçou o discurso.

“Peça-chave do time? Ele (Holan) tem que falar. Quero sempre ajudar. De verdade, a cada jogo pegamos o que o técnico fala, a cada treino. E é falta de treino também. Muitos jogos seguidos e precisamos treinar mais para pegar esse sistema que ele quer meter na gente”, falou.

Soteldo diz que Holan pede o mesmo que Sampaoli no Santos: “Muito fácil para mim”

Ariel Holan quer que Yeferson Soteldo jogue como jogava sob o comando de Jorge Sampaoli no Santos em 2019: sempre pela ponta esquerda, à espera do mano a mano.

Com Cuca, até pela dificuldade em encontrar um meia, o camisa 10 atuou como armador, pela direita e até como falso 9. O ex-treinador costumava falar sobre a necessidade do venezuelano estar em todos os locais do campo.

Com Holan, Soteldo fica mais onde prefe atuar.

“Com Sampaoli era assim, sempre ficava aberto, muito fácil para mim. Com Cuca, ele queria que eu pegasse a bola sempre, sem demorar para tocar na bola. Holan quer que eu faça o mesmo que eu fazia com o Sampaoli. São coisas fáceis para colocar na cabeça e botar em prática”, disse Soteldo.

“São treinadores diferentes. A gente tem que acatar o que falam. Cuca era bom técnico também, Holan chegou e estamos gostando muito dele. Gosta de ficar com a bola e temos técnica para fazer isso”, completou.

Soteldo fez o gol do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara na noite desta terça-feira, na Venezuela. O Peixe se classificou para a terceira e última etapa da Pré-Libertadores, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Soteldo aperfeiçoa cobranças em treinos e faz primeiro gol de falta pelo Santos

Yeferson Soteldo marcou seu primeiro gol de falta pelo Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na última terça-feira, em Caracas, na classificação à terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

Foi o 20º gol de Soteldo em 101 jogos pelo Peixe, e o primeiro em cobrança de falta desde 2019. O camisa 10 treina quase que diariamente e tem se aperfeiçoado no fundamento.

Além das faltas diretas, o venezuelano também treina os cruzamentos e escanteios. O objetivo do meia-atacante de 23 anos é ser um jogador “completo”. A dificuldade óbvia está no cabeceio pelo fato de ter 1,60 m de altura.


Santos 2 x 1 Ituano

Data: 13/03/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Salim Fende Chavez
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Bruno Silva de Jesus.
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.
Cartões amarelos: Marcos Leonardo, Soteldo e Pará (S).
Gols: Lucas Braga (13-1), Branquinho (15-1) e Vinicius Balieiro (32-1).

SANTOS
John; Vinicius Balieiro, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan (Alex); Sandry (Alison), Pirani e Jean Mota (Pará); Ângelo (Soteldo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan

ITUANO
Edson; Jeferson, Léo Santos, Suéliton e Breno Lopes; Tárik (Bruno Lima), Fillipe Soutto e Fernando Medeiros (Roni); Branquinho (Fernandinho), Iago (Kadu) e Bruno Lopes (Victor Rangel).
Técnico: Vinicius Bergantin



Santos bate o Ituano e vence a primeira no Paulistão

Ariel Holan apostou em uma escalação repleta de jovens e conseguiu levar o Santos a sua primeira vitória no Campeonato Paulista na noite deste sábado.

Com a cabeça na decisão pela Libertadores da América, o Peixe fez 2 a 1 em cima do Ituano, na Vila Belmiro, em partida marcada por gols e grandes lances no primeiro tempo, mas pouca inspiração na etapa final.

O resultado levou o Peixe aos cinco pontos, mas ainda na terceira colocação do Grupo D. O time de Itu, que perdeu sua invencibilidade, é o líder do Grupo C, com sete pontos, mas terá de secar o Bragantino para manter o posto.

O jogo

O primeiro tempo foi daqueles de não deixar ninguém piscar. Era lá e cá, chances claras, times ofensivos e abertos.

O goleiro John foi fundamental para o Santos conseguir abrir o placar com Lucas Braga, de cabeça, após cobrança de escanteio.

Pouco depois, porém, não teve jeito para o arqueiro santista, que viu Branquinho mandar para as redes ao completar belo contra-ataque e passe de Bruno Lopes.

Antes do intervalo, Edson se chocou com Ângelo e a bola ficou limpa para Vinicius Balieiro colocar os mandantes na frente, novamente.

Ainda teve mais defesas de John, gol bem anulado de Marcos Leonardo e o zagueiro Léo Santos salvando o Ituano em cima da linha.

Ângelo não marcou, mas foi um dos grandes destaques pelas jogadas individuais em um grande primeiro tempo.

Na etapa final, o panorama mudou radicalmente. As equipes, aparentemente, cansaram. Foram muitas substituições e o Santos, principalmente, piorou. O ritmo caiu e as finalizações a gol também.

Soteldo entrou, chegou a 100 jogos com a camisa do Santos, mas esteve pouco inspirado. Ainda assim, serviu Lucas Braga duas vezes, mas o atacante desperdiçou ambas, cara a cara.

Apesar da queda, o jovem time do Santos garantiu os três pontos.

Bastidores – Santos TV:

Vinicius Balieiro comemora oportunidades no Santos: “Eles não têm medo de colocar a base”

Vinicius Balieiro marcou seu segundo gol em quatro jogos pelo Santos. O lateral de 21 anos garantiu a vitória alvinegra sobre o ituano neste sábado, pelo Campeonato Paulista, depois de brilhar também na Libertadores.

“Estou muito feliz porque venho me preparando muito forte por muito tempo para receber oportunidades, e estou feliz”, disse o jogador ao Premiere, antes de citar a marca santista de colocar os atletas oriundos da base para jogar.

“Esse é o diferencial do Santos. Eles não têm medo de colocar a base, e torcida sempre está com a gente, os Meninos da Vila”.

Jean Mota ganha confiança com Holan e espera repetir 2019 pelo Santos

Jean Mota foi titular do Santos neste sábado. Em meio a tantos jovens jogadores, o meio-campista foi responsável por dar equilíbrio ao meio de campo e um pouco de “casca” para uma equipe tão desfalcada e com a cabeça na Libertadores da América.

“Com 27 anos eu era o mais velho do time titular ali. É gratificante estar com essa meninada de ouro, jogadores que têm qualidade para um dia defenderem a Seleção Brasileira. Fico feliz de estar desfrutando e também passando um pouco de experiência em um momento como esse. É muito bom”.

Foi dele o passe que culminou com o segundo gol santista na vitória sobre o Ituano. No lance, Vinicius Balieiro aproveitou dividida de Ângelo com o goleiro Edson.

“Até falei com ele (Ângelo): ‘Poxa, você não gosta de fazer gol?’ Toquei a bola para ele, ele meio que parou um pouco, depois saiu e dividiu. Teve um outro lance também que ele limpou e eu gritei ‘chuta, chuta’. É um menino que tem muita qualidade. Quem sabe na terça ele não desencante”.

Pouco a pouco, o elenco do Santos vai conhecendo a filosofia do técnico Ariel Holan, que conseguiu levar o time à primeira vitória no Campeonato Paulista. E Jean Mota está inserido neste trabalho.

“Muito importante, uma nova filosofia, é tudo novo. Ter essa confiança do treinador para poder estar atuando, ajudando é gratificante. Espero continuar tendo essa confiança”.

Assim, quem sabe, Jean Mota não repete atuações como as de duas temporadas atrás, quando acabou eleito o craque do Paulistão.

“Espero que sim. Jogo a jogo, sempre evoluindo, procurando fazer aquilo que o treinador pede. Quem sabe no final a gente esteja na seleção do campeonato, como em 2019, mas é mais difícil, não estou como falso 9, não tenho tantas oportunidades de gol, fico mais na contensão, mas vou estar sempre brigando, jogo a jogo, para estar ajudando a equipe”.

Com chegada de Holan, Santos busca dominar seus adversários a partir da posse de bola; confira números

O Santos em seus últimos jogos tem mais a bola que seus adversários. Segundo o Footstats, a equipe tem a quarta maior média de posse de bola do Campeonato Paulista com 57.6%, atrás apenas de Bragantino, São Paulo e Palmeiras.

Se com o interino Marcelo Fernandes o Peixe já buscava propor o jogo, com a chegada de Holan o cenário não mudou. Em todos os jogos sob o comando do técnico chileno, o alvinegro praiano teve mais a bola que seus adversários.

Foram 54% de posse contra o São Paulo no Morumbi, 67% contra o Deportivo Lara e 63% contra o Ituano. Conhecido por ter um estilo de jogo ofensivo, Holan parece que não vai abdicar de controlar o jogo a partir da posse da bola para ter sucesso no Santos.

Santos pode garantir quase R$ 5 milhões com eventual vaga na Libertadores

Nessa terça-feira, o Santos vai visitar o Deportivo Lara, na Venezuela. Na Vila Belmiro, o Peixe venceu por 2 a 1 e embolsou US$ 350 mil, cerca de R$ 1,9 milhão, como prêmio pago pela Conmebol.

A eventual classificação à segunda fase do torneio continental vai garantir mais US$ 500 mil, aproximadamente R$ 2,7 milhões.

Ou seja, eliminar o Deportivo Lara, além de manter o time vivo na Libertadores, vai ajudar o clube no fluxo de caixa, com o recebimento de algo em torno de R$ 4,6 milhões.

Veja, abaixo, a premiação paga pela Conmebol por cada fase:
Fase 1: US$ 350 mil por jogo como mandante.
Fase 2: US$ 500 mil por jogo como mandante
Fase 3: US$ 550 mil por jogo como mandante.
Fase de grupos: US$ 1 milhão por jogo como mandante.
Oitavas de final: US$ 1,05 milhão
Quartas de final: US$ 1,5 milhões
Semifinais: US$ 2 milhões
Vice-Campeão: US$ 6 milhões
Campeão: US$ 15 milhões


Santos FC x AC Deportivo Lara
Santos Futebol Clube x Asociación Civil Deportivo Lara


Retrospecto:

02 jogos
01 vitória
01 empate
00 derrota
03 gols pró
02 gol contra
01 saldo

Resultados:

09/03/2021 – Santos 2 x 1 Deportivo Lara-VEN – Libertadores – Vila Belmiro
16/03/2021 – Santos 1 x 1 Deportivo Lara-VEN – Libertadores – Olímpico de La UCV


Santos 2 x 1 Deportivo Lara

Data: 09/03/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – 2ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Andres Matonte (URU).
Auxiliares: Carlos Barreiro e Horario Ferreiro (ambos do URU).
VAR: Enrique Caceres (URU).
Cartões amarelos: Alison e Vinicius Balieiro (S); Anzola e Gómez (DL).
Gols: Vinicius Balieiro (04-2), Anzola (06-2) e Kaiky (24-2)

SANTOS
João Paulo; Vinicius Balieiro, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison e Sandry (Pirani); Ângelo (Bruno Marques), Soteldo, Lucas Braga e Marcos Leonardo (Jean Mota).
Técnico: Ariel Holan

DEPORTIVO LARA (VEN)
Curiel; España, Anzola, Rodríguez e Sifontes; Meleán, Bueno, Segovia (Bryan), Barrios (Silva) e Gómez; Salazar (Sánchez).
Técnico: Martín Brignani



Base salva, Santos vence Deportivo Lara na Vila e abre vantagem na Libertadores

Em jogo duro, o Santos venceu o Deportivo Lara (VEN) por 2 a 1 na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro. Os gols foram de Vinicius Balieiro e Kaiky. Ambos marcaram pela primeira vez como profissionais. Os visitantes balançaram as redes com Anzola.

O Peixe abre uma vantagem mínima para o confronto da próxima terça, em Caracas, pela volta da segunda fase da Pré-Libertadores. Ainda há outra eliminatória antes da fase de grupos.

O Alvinegro desperdiçou chances e sofreu na bola parada defensiva. Com o gol fora, o Lara pode vencer por 1 a 0 em casa para avançar. Se empatar, o Santos passa.

O jogo

A primeira chance do Santos veio aos 11 minutos, em bonita jogada entre Ângelo e Marcos Leonardo. O lance terminou em peixinho do centroavante para boa defesa do goleiro Curiel.

No minuto 19, o Peixe desperdiçou uma chance claríssima. Soteldo deixou Felipe Jonatan sozinho quase na pequena área, mas o lateral-esquerdo preferiu tocar para Lucas Braga, que dominou mal. Segundos depois, Ângelo fez Curiel espalmar bola para escanteio.

O Deportivo Lara assustou quando o placar marcava 33 jogados. Bueno bateu falta de longe direto para o gol e João Paulo reagiu rápido para desviar para escanteio.

Santos melhor no geral, mas com muitas decisões erradas no campo de ataque.

O Santos não demorou a abrir o placar na etapa final. Aos quatro minutos, a boa jogada entre Sandry e Alison terminou em chute preciso de Vinicius Balieiro. Primeiro gol como profissional.

Só que o Peixe relaxou com a vantagem parcial… No minuto 6, Anzola aproveitou cobrança de escanteio e desviou no segundo pau. Luan Peres, Vinicius Balieiro e Lucas Braga falharam no lance.

Com o gol fora do Lara, o Santos se lançou ao ataque. Aos 19, Soteldo cruzou e Lucas Braga não alcançou na pequena área. No minuto 22, Anzola fez outro gol, mas a arbitragem anulou o que seria a virada. E a resposta não demorou.

Aos 24, Kaiky subiu bem após escanteio cobrado por Jean Mota e virou o jogo. Também foi o primeiro gol do zagueiro de 17 anos como profissional. Peixe na frente do placar na Vila Belmiro.

O Santos tentou melhorar o resultado e teve chances com Lucas Braga, Jean Mota e Pirani, mas parou em Curiel. Vantagem mínima antes da decisão em Caracas na semana que vem.

Bastidores – Santos TV:

Ariel Holan se anima após vitória do Santos com média de 21 anos: “Bom para o futuro”

O técnico Ariel Holan aprovou o desempenho do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores. Os gols foram marcados por Vinicius Balieiro e Kaiky.

O Peixe teve média de idade de 21,5 anos e superou um jogo duro para levar vantagem antes da decisão em Caracas na próxima terça. O Alvinegro pode empatar, enquanto o Lara avançaria com uma vitória simples.

“Estou muito feliz. Perdão por tentar falar português. Estou fazendo aulas e vou melhorar na próxima conversa. Feliz por Ângelo, Kaiky, Balieiro, Pirani… Média de idade de 21 anos hoje e feliz porque estamos trabalhando para o futuro do Santos”, disse o treinador.

“Estamos começando a trabalhar com todos os jogadores. Jogadores de experiência que nos faltam e vão ser muito importantes. E os jovens crescerão com o trabalho. Começamos agora e tenho muita confiança que os aspectos de jogo melhorarão com treinos e partidas. Foram poucos, quase nada, treinamentos. E não tenho dúvida que cresceremos muito. O rival se posicionou com cinco defensores. Colocamos quatro atacantes, mas pedimos para Sandry e Pirani ocuparem as costas dos meio-campistas rivais. Fizemos bem em alguns momentos, outros não. Em poucos dias a equipe trata de ter um sistema de jogo. Buscaremos que esse sistema seja o mais eficaz no menor tempo possível”, completou.

Holan se preocupa com bola aérea defensiva do Santos: “Estamos vendo alternativas”

O técnico Ariel Holan está preocupado com a bola aérea defensiva do Santos e busca alternativas para superar essa deficiência na equipe.

O Peixe sofreu gols em escanteio contra São Paulo e Deportivo Lara (VEN), em ambos os jogos sob o comando de Holan. O problema ocorre desde Cuca.

“Estamos pensando nisso, vendo como buscar alternativas e veremos nas próximas partidas como melhorar esse aspecto do jogo. Espero que consigamos já no próximo jogo”, disse Holan.

Com gol na Libertadores, Kaiky supera Rodrygo e bate recorde no Santos

Kaiky entrou para a história do Santos logo no seu segundo jogo como profissional. O zagueiro é o mais jovem a fazer um gol pelo Peixe na história da Libertadores.

Com 17 anos, um mês e 25 dias, Kaiky superou Rodrygo (17 anos, dois meses e seis dias) ao fazer o segundo gol do Peixe diante do Deportivo Lara (VEN) nessa terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores.

Kaiky é considerado futuro craque da posição desde a base e deve ser o parceiro de Luan Peres e substituto de Lucas Veríssimo sob o comando de Ariel Holan.

Recordista, Ângelo empolga Holan no Santos: “Será um grande jogador”

O técnico Ariel Holan está entusiasmado por trabalhar com Ângelo, atacante titular do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores.

O Menino da Vila foi um dos destaques do Peixe, principalmente no primeiro tempo, e chama a atenção do treinador. Aos 16 anos, dois meses e 16 dias, Ângelo se tornou o mais novo a defender o Alvinegro em uma Libertadores, superando Rodrygo.

“Acho que Ângelo será um grande jogador. Fez uma partida muito boa hoje. E com mais confiança, jogará cada vez melhor. Não somente melhor pelo lado, mas também por dentro. É tão jovem que temos que ir aos poucos. Estou muito feliz por ele. Vejo nele um jogador de uma projeção enorme”, disse Holan.

“Estou muito feliz com Ângelo. Muito. Trabalhou muito em pouco tempo e fez uma partida muito boa. É muito jovem, um guri. Pouco a pouco, jogará melhor”, completou.

A ideia de ter Ângelo também pelo meio, e não apenas pela ponta direita, foi levantada também pelo ex-técnico Cuca. Até agora, porém, o projeto de raio ficou pelo lado do campo.