Navegando Posts marcados como Coritiba

Santos 2 x 0 Coritiba

Data: 13/02/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Auxiliares: Michael Correia e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Guilherme Biro, Robson, Hugo Moura e Nathan Ribeiro (C).
Gols: Marinho (38-1) e Marcos Leonardo (37-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Laércio (Ivonei), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry (Vinícius Balieiro), Marinho (Ângelo) e Soteldo; Kaio Jorge (Marcos Leonardo) e Lucas Braga (Jean Mota).
Técnico: Cuca

CORITIBA
Arthur; Jonathan, Nathan Ribeiro, Nathan Silva e Guilherme Biro (Ângelo); Hugo Moura, Matheus Bueno (Nathan) e Sarrafiore (Robson); Neílton, Luiz Henrique (Mattheus) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Gustavo Morínigo



Com golaço de Marinho, Santos vence, rebaixa o Coritiba e segue na briga por vaga na Libertadores

A briga por uma vaga na próxima edição da Libertadores segue intensa. Neste sábado, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos venceu o Coritiba por 2 a 0, em casa, e acirrou a disputa. Marinho, que estava retornando de lesão, e Marcos Leonardo anotaram os tentos do confronto.

Com o resultado, o Peixe pulou para a oitava colocação, com 50 pontos, um a mais que o Corinthians (9º), dois do Bragantino (10º) e três do Athletico-PR (11º). No entanto, todos esses times que perseguem o Alvinegro ainda jogam na rodada. Já o Coxa estacionou nos 28 pontos, na vice-lanterna, e, com isso, está matematicamente rebaixado à Série B.

O Santos volta a campo agora na próxima quarta-feira, quando recebe o Corinthians, às 19 horas (de Brasília), na Vila Belmiro, em partida atrasada da 33ª rodada.

O jogo

A primeira etapa começou com os anfitriões partindo para cima. Com um minuto de bola rolando, Marinho recebeu na entrada da área e arriscou chute cruzado que passou pela direita. Já aos 12, foi a vez de Luan Peres se arriscar no ataque e disparar uma bomba da intermediária. O estreante Arthur se esticou e defendeu em dois tempos.

A resposta dos visitantes saiu no minuto seguinte, e na mesma moeda. Hugo Moura ficou livre de frente para o gol e queimou forte finalização para a intervenção de João Paulo. Na sequência, Matheus Bueno tentou e tirou tinta da trave.

A partir de então, o jogo caiu de rendimento, com as duas equipes trocando passes no campo defensivo e encontrando dificuldades para criar. No entanto, quando o Peixe voltou ao ataque, foi fatal. Com o relógio marcando 38 minutos, Marinho arrancou pelo meio e passou para Lucas Braga, que devolveu com um lindo de letra para deixar o camisa 11 na cara do gol. O atacante, então, mostrou muita categoria ao tocar de cavadinha para o fundo da rede e marcar um golaço.

Em desvantagem, o Coritiba voltou aceso do intervalo. Com menos de um minuto, Mattheus aproveitou a sobra de bola e emendou uma bomba para a difícil defesa de João Paulo. Aos cinco, Robson cruzou da direita e Ricardo Oliveira se atirou de carrinho para levar muito perigo.

O Santos respondeu aos 19. Soteldo fez bela jogada individual pela esquerda e acionou Kaio Jorge, que, de primeira, cruzou rasteiro para Jean Mota finalizar no cantinho para a boa intervenção de Arthur. Cinco minutos depois, o goleiro voltou a brilhar, e mais uma vez em um arremate de Jean Mota.

Já aos 37, nada impediu que a bola entrasse. Após cobrança de falta, Laércio ganhou do arqueiro no alto e deixou Marcos Leonardo com o gol aberto. O garoto, então, teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o barbante e correr para o abraço.

Na sequência, o Alvinegro Praiano apenas controlou o resultado até o apito final do árbitro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca comemora reencontro com a vitória e destaca espírito do elenco: “Muito contente”

O Santos enfim quebrou a série de sete jogos sem vencer na temporada. Neste sábado, o Peixe derrotou o Coritiba, pela 36ª rodada do Brasileirão, e os três pontos também ajudaram o clube a permanecer vivo na disputa por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

Após a partida, o técnico Cuca celebrou o fim do jejum e destacou a boa atuação de seus jogadores.

“Um jogo bem jogado, a gente sabe que tem que ter calma, paciência, velocidade e trabalhar a bola para fazer uma marcação forte no campo de ataque e não deixar o adversário gostar do jogo. Isso tudo a gente fez. Lógico que em algum momento não dá, pois o jogo também tem importância para o adversário. No geral, fomos superiores e merecemos vencer. Depois de alguns jogos sem vitórias, hoje ela veio, nos coloca no oitavo posto, que pode nos levar a Pré-Libertadores. Mas existem muitos jogos pela frente para confirmar a classificação, cada jogo tem um caráter decisivo”, disse.

O comandante também ressaltou o espírito do grupo, que soube superar a amarga derrota na final da Libertadores de 2020, há duas semanas, e, mesmo em reta final de campeonato, está apresentado uma boa condição física.

“A gente está muito contente, o pessoal soube passar um momento ruim, que é a pôs perda da Libertadores e, de lá para cá, empatou com Atlético-GO e Grêmio, fora, jogando bem. E hoje ganhou bem, o que encaminha a acabar bem o Campeonato Brasileiro. Você não vê um jogador com câimbra, eles tão bem, esses dois/três jogos que a gente mesclou bem deu para dar uma recuperada”, comentou.

Marcos Leonardo celebra vitória e agradece elenco do Santos: “Me ajudam a crescer”

O Santos segue firme na briga por uma vaga na Libertadores de 2021. Neste sábado, o Peixe venceu o Coritiba por 2 a 0, em casa, pela 36ª rodada, e pulou para a oitava colocação do torneio. Autor do segundo gol da noite, o jovem Marcos Leonardo celebrou o triunfo e agradeceu o elenco santista pela ajuda em sua adaptação ao profissional.

“Agradecer ao elenco, que me ajuda a crescer cada dia mais, ainda mais nesse primeiro ano de profissional. Graças a Deus me adaptei bem. A gente sabia que hoje ia ser um jogo duro, pegado, conseguimos uma vitória importante no passo a passo em busca da Libertadores”, disse ao SporTV.

O atacante de apenas 17 anos subiu ao time principal em julho de 2020 e, desde então, realizou 20 partidas e marcou três gols.

Luan Peres diz que vice da Libertadores ficou no passado: “Agora é focar em classificar de novo”

Após sete jogos sem vencer na temporada, o Santos se reencontrou com o triunfo neste sábado, quando derrotou o Coritiba por 2 a 0, em casa, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

E segundo o zagueiro Luan Peres, os três pontos conquistados nesta noite foram muito importantes para ajudar o time a esquecer o revés na final da Libertadores de 2020 e manter o Peixe na disputa por uma vaga na próxima edição do torneio continental.

“Todo mundo sabe que a gente queria a Libertadores, é a maior competição da América. Todo mundo fica triste, o outro time também ficaria se perdesse, é normal. Nós tivemos méritos de chagar na final, infelizmente não veio o título, mas vida que segue, é passado. Agora é focar em classificar de novo. A vitória de hoje foi de suma importância e quarta-feira a gente da sequência a isso, para chegar na final de novo”, disse em coletiva.

Peixe afasta trauma da Libertadores e completa três jogos invicto antes do clássico

Após a derrota na final da Libertadores, o Santos conseguiu engatar uma boa sequência. Os três jogos sem perder foram importantes para manter o clima bom na equipe mesmo após a decepção vivida no Rio de Janeiro. E esta manutenção do ambiente coloca o Peixe na briga por uma vaga na principal competição do continente na próxima temporada.

O primeiro jogo após a final foi contra o Grêmio, e o empate na Vila em 3 a 3 pode ser considerado um bom resultado, principalmente tendo em vista que o time jogou sem seus dois principais jogadores, Marinho e Soteldo. Logo depois, conseguiu outro empate, desta vez fora de casa, contra o Atlético-GO, que vem se destacando como mandante.

A última partida, contra o Coritiba, marcou uma vitória importantíssima, que recolocou o Santos definitivamente na briga pela vaga no G8. O próximo jogo será justamente contra o principal adversário nesta briga: o Corinthians. O clássico está marcado para acontecer na Vila, onde o time tem mostrado sua força.

Se não bastasse a derrota na Libertadores, o Peixe ainda perdeu jogadores essenciais como Diego Pituca e Lucas Veríssimo, que foram para o Japão e para a Europa, respectivamente. Outro nome certo que deixará o clube é o técnico Cuca, grande responsável pelo ótimo ano do clube. O time vem demonstrando grande força, tem superado os obstáculos, e já mira novamente na principal competição da América.

Santos não recebe cartões amarelos e terá força máxima para “final” com Corinthians

Após vencer o Coritiba por 2 a 0, o Santos manteve o sonho de conquistar uma vaga para a próxima edição da Copa Libertadores vivo. E para ficar ainda mais perto do torneio continental, o Peixe busca uma vitória contra o Corinthians, na quarta-feira, às 19 horas (de Brasília), em partida atrasada da 33ª rodada.

O clássico terá um clima de decisão na Vila Belmiro. Isso porque ambos os times lutam pelo mesmo objetivo. No momento, o Alvinegro Praiano está em oitavo lugar, com 50 pontos, dois a mais que o Timão. No entanto, o clube do Parque São Jorge possuiu um jogo a menos, contra o Flamengo, e, caso vença, ultrapassa o rival.

E uma importante notícia para os torcedores santistas para este próximo duelo é que o Santos terá força máxima. O clube correu risco de perder alguns jogadores por conta de suspensão, mas o time do técnico Cuca conseguiu deixar a partida contra o Coxa sem receber cartões amarelos.

Dentre os atletas em questão, dois são titulares absolutos e cruciais para o desempenho da equipe. São eles: Soteldo e Kaio Jorge. Os dois atacantes estão entre os quatro atletas que mais participam dos gols do Peixe no Brasileirão, com oito e cinco contribuições, respectivamente.

Além da dupla, Alex, Lucas Lourenço, Marcos Leonardo e Arthur Gomes também poderiam perder o clássico caso recebem uma advertência do árbitro.

Santos chega para o último clássico da temporada com retrospecto negativo

A semana é decisiva para Santos e Corinthians. As duas equipes entram em campo na quarta-feira em confronto direto na tabela e realizando o último clássico paulista da temporada. Porém, o retrospecto pesa contra a equipe da Vila.

O Peixe disputou nove clássicos na atual temporada – foram quatro derrotas, quatro empates e apenas uma vitória. O último confronto ainda foi a derrota para o Palmeiras na final da Libertadores.

A única vitória do Santos aconteceu neste ano de 2021, pelo segundo turno do Brasileirão. Ainda antes da derrota na Libertadores para o rival alviverde, o time da Vila derrotou o tricolor do Morumbi por 1 a 0 – gol de Jobson.

“Não temos que pensar em vencer só porque é um clássico, mas porque é um jogo importante, decisivo, que nos deixa mais próximo do nosso objetivo, então temos que medir tudo isso”, destacou Cuca após a vitória sobre o Coritiba.

Colados na tabela, Santos e Corinthians duelam por vaga direta na Libertadores nesta quarta-feira, às 19h, na Vila Belmiro.

Confira todos os resultado em clássico do Santos na temporada 2020:

02/02/2020 – Corinthians 2 x 0 Santos – Paulista
07/10/2020 – Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileiro

29/02/2020 – Santos 0 x 0 Palmeiras – Paulista
23/08/2020 – Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileiro
05/12/2020 – Santos 2 x 2 Palmeiras – Brasileiro
30/01/2021 – Palmeiras 1 x 0 Santos – Libertadores/20

14/03/2020 – São Paulo x 2 x 1 Santos – Paulista
12/09/2020 – Santos 2 x 2 São Paulo – Brasileiro
10/01/2021 – São Paulo 0 x 1 Santos – Brasileiro/20


Coritiba 1 x 2 Santos

Data: 17/10/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ).
Auxiliares: Michael Correia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ).
Cartões amarelos: Nathan Silva, William Matheus, Hugo Moura e Ricardo Oliveira (C); Jobson e Lucas Braga (S).
Gols: Kaio Jorge (04-1) e Soteldo (26-1); Giovanni Augusto (28-2).

CORITIBA
Wilson; Natanael (Matheus Galdezani), Henrique Vermudt, Nathan Silva e William Matheus; Hugo Moura (Ricardo Oliveira), Matheus Sales (Matheus Bueno), Giovanni Augusto, Yan Sasse (Nathan) e Robson; Rodrigo Muniz (Neílton).
Técnico: Jorginho

SANTOS
João Paulo; Madson, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Arthur Gomes); Lucas Braga (Lucas Lourenço), Soteldo (Wagner Leonardo) e Kaio Jorge (Luiz Felipe).
Técnico: Cuca



Soteldo marca de cavadinha em despedida e Santos vence o Coritiba

Na noite deste sábado, o Santos foi até a capital paranaense e arrancou uma boa vitória por 2 a 1 contra o Coritiba no Couto Pereira, em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo balançou as redes em cobrança de pênalti, de cavadinha. Kaio Jorge anotou o outro gol santista, enquanto Giovanni Augusto diminuiu no segundo tempo.

Depois de uma semana complicada com a derrota para o Atlético-GO e a repercussão negativa da contratação de Robinho, a vitória traz um respiro para o clube. Com o resultado, o Peixe chega aos 27 pontos e sobe para a quinta colocação. Por outro lado, o Coritiba se mantém na zona do rebaixamento, com 16 pontos, em 17º lugar.

O jogo

Mesmo fora de casa, o Santos começou em cima do Coritiba e não demorou para balançar as redes. Logo na primeira chegada, aos quatro minutos, Soteldo acionou Felipe Jonatan pela esquerda, e o lateral cruzou na medida para Kaio Jorge apenas completar para o gol e abrir o placar.

Em desvantagem, o Coritiba quase igualou o placar aos 16, mas João Paulo fez excelente defesa no cabeceio de Rodrigo Muniz. Assim, o Peixe chegou ampliou o marcador aos 26, depois que a arbitragem assinalou mão de Hugo Moura dentro da área na checagem do VAR. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo foi para a bola e cobrou com cavadinha para anotar o segundo da equipe no jogo.

Para correr atrás do prejuízo, o Coritiba se lançou à frente para ocupar o campo de ataque. O time até criou boas oportunidades, mas tinha dificuldade na finalização. A melhor chance veio com Giovanni Augusto, que carimbou a trave santista aos 44.

Na volta do intervalo, o Coritiba tentava forçar jogadas pelas laterais, mas o Santos fortaleceu a marcação, mesmo sem abaixar as suas linhas. A partida ficou mais pegada, aumentando o número de faltas, mas o Peixe controlava os avanços do adversário.

Mesmo assim o Coxa conseguiu diminuir o placar em um verdadeiro golaço, aos 28 minutos. Giovanni Augusto recebeu passe de Neílton na entrada da área e bateu com precisão, mandando no ângulo de João Paulo.

A partir de então, o Coritiba se lançou ao ataque para tentar o gol de empate de qualquer maneira. Jorginho colocou Ricardo Oliveira em campo nos minutos finais, mas mesmo assim o Coxa não conseguiu balançar as redes, e o Santos confirmou a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Cuca destaca Santos como visitante: “Campanha formidável”

Cuca destacou o desempenho do Santos como visitante após a vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba no último sábado, no Couto Pereira, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe perdeu pela última vez fora de casa para o Palmeiras, por 2 a 1, no Allianz Parque, no dia 23 de agosto.

“A última partida que perdemos fora foi contra o Palmeiras, depois ganhamos cinco e empatamos uma se eu não me engano. É campanha formidável. Dentro das dificuldades, encontrando soluções. Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem. Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

O Santos de Cuca atuou 10 vezes como visitante, com seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Um aproveitamento de 66,7%.

Veja as partidas do Peixe fora de casa sob o comando de Cuca:

Internacional 2 x 0 Santos – Brasileiro
Sport Recife 0 x 1 Santos – Brasileiro
Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileiro
Ceará 0 x 1 Santos – Brasileiro
Botafogo 0 x 0 Santos – Brasileiro
Delfín 1 x 2 Santos – Libertadores
Olimpia 2 x 3 Santos – Libertadores
Goiás 2 x 3 Santos – Brasileiro
Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileiro
Coritiba 1 x 2 Santos – Brasileiro

Sandry ressurge no Santos e se anima por mais minutos com Cuca

Sandry foi a principal novidade do Santos nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. O volante estreou sob o comando de Cuca e ganhou a primeira “sequência”.

O Menino da Vila entrou no segundo tempo dos jogos contra Atlético-GO, na Vila Belmiro, e Coritiba, no Couto Pereira – um total de 30 minutos.

“Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem (contra o Coritiba). Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

Sandry tem 18 anos e esperou dois meses para estrear com Cuca. Com duas participações consecutivas, a expectativa é de se firmar como opção no meio-campo. Os concorrentes na posição são Diego Pituca, Jobson, Alison e Ivonei.

A última partida antes deste mês ocorreu na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino, no dia 26 de julho, pelo Campeonato Paulista. Sandry tem apenas quatro jogos em 2020.


Coritiba 0 x 0 Santos

Data: 20/08/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: 9.262 presentes (8.426 pagantes e 836 não pagantes).
Renda: R$ 186.685,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse (ambos de SP)
Cartões amarelos: Márcio, Matheus Galdezani e Neto Berola (C); Lucas Lima (S).

CORITIBA
Wilson; Léo, Márcio, Walisson Maia e William Matheus; João Paulo, Alan Santos, Matheus Galdezani (Neto Berola) e Carleto (Filigrana); Iago Dias (Anderson) e Alecsandro.
Técnico: Marcelo Oliveira

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Zeca; Alison, Léo Cittadini e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke (Nilmar).
Técnico: Levir Culpi



Santos fica no zero com o Coxa e perde chance de encostar nos líderes

O Santos entrou em campo com a missão de tirar a diferença para os líderes do Campeonato Brasileiro, mas não soube aproveitar os tropeços dos rivais diretos. Cometendo muitos erros na hora de concluir e se safando de uma derrota por mais uma boa atuação de Vanderlei, o time da Baixada ficou no 0 a 0 com o Coritiba na noite deste domingo, no Couto Pereira.

Com o resultado, o Santos perde a chance de encostar no Grêmio, vice-líder, e no Corinthians, líder, que perderam pontos na rodada. Com 37 conquistados, o time continua três atrás dos gaúchos e dez atrás do rival, que entra em campo na próxima quarta, contra a Chapecoense, para fazer um jogo atrasado da 20ª rodada.

O jogo:

O primeiro tempo da partida mostrou o Santos bem postado no campo e com bastante espaço para criar as jogadas, principalmente pelo lado direito. Contando com bons passes de Lucas Lima e uma participação razoável de Léo Cittadini, o time paulista só não abriu o placar por incompetência da dupla Copete e Kayke.

O colombiano, que faz ótima temporada, teve talvez o seu pior primeiro tempo com a camisa santista, errando lances fáceis. No melhor deles, em contra-ataque de cinco santistas contra quatro do Coxa, ele tentou passe difícil, com a perna direita, e mandou nos pés do zagueiro.

O centroavante, porém, conseguiu ter um destaque negativo maior por perder duas boas chances de marcar. A melhor veio aos 25 minutos de bola rolando, após “casquinha” de Bruno Henrique. Esperto, ele tomou a frente do zagueiro e ficou cara a cara com Wilson, mas chutou mal, para fora. Depois, aos 45, recebeu na entrada da área e tentou de esquerda, mas mandou na bandeira de escanteio.

A etapa final começou com o Peixe tentando abrir vantagem logo de cara, talvez impulsionado pelas palavras do técnico Levir Culpi. Em boa performance, Lucas Lima deu duas boas enfiadas para Bruno Henrique, mas a zaga conseguiu travar na hora certa.

O Coxa, porém, conseguiu se acertar no ataque e passou a levar perigo. Iago, aos oito minutos, quase marcou ao chutar forte, no ângulo, mas parou em boa defesa de Vanderlei. Na resposta, Bruno Henrique recebeu pela esquerda, encarou a marcação e cruzou. A zaga afastou mal e a bola ficou com Léo Cittadini, que chutou por cima do gol.

O jogo caiu com o passar do tempo, à medida em que a chuva ficava mais forte, e só voltou a ter lances de perigo nos minutos finais. Neto Berola, porém, conseguiu mais atrapalhar do que ajudar o Coxa, perdendo três chances claras de marcar. Na melhor, em rebote da trave após chute de Alan Santos, ele preferiu segurar a bola em vez de chutar para o gol vazio.

Levir reclama da chuva e afirma que faltou “contundência” ao Santos

O técnico Levir Culpi ficou decepcionado mais com a falta de gols do que com o empate do Santos diante do Coritiba, na noite deste domingo, no Couto Pereira, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, ambas equipes mereciam balançar a rede, mas sofreram também com a chuva que caiu sobre a capital paranaense.

“É difícil, a chuva atrapalhou os dois times. Faltou contundência. O penúltimo passe faltou. Fizemos várias situações, mas foram poucas finalizações”, avaliou o treinador, que não abandonou o bom humor para fazer uma crítica ao futebol da etapa final.

“A melhor jogada talvez tenha sido a do nosso massagista. Ele entrou em campo e levou uma voadora, perdeu todos os utensílios. Acho que foi uma das melhoras jogadas (risos)”, disse Levir, reconhecendo que o ponto conquistado pelo Peixe ficou de bom tamanho.

“Não foi como nós queríamos, mas levando em consideração o que aconteceu no jogo, foi a lógica. O gramado estava alto, dificultou muito a atividade. Mas não faltou a parte física de ninguém. Foi muito equilibrado, acho que o jogo não merecia o 0 a 0, mas não tivemos competência de colocar a bola para dentro”, observou.

Mesmo com as ressalvas à criação de jogadas, Levir fez questão de exaltar o desempenho do meia Lucas Lima. Para ele, o que faltou mesmo ao time da Baixada foi um poder de fogo maios do trio formado por Bruno Henrique, Copete e Kayke, além de Nilmar, que entrou no segundo tempo.

“Lucas Lima é um jogador acima da média. Ele tem uma distribuição de bola excelente. Ele fez isso, distribuiu muito bem, mas faltou completar os lances. Mas ele produziu o normal, mas faltamos finalizar”, concluiu o comandante.


Santos 1 x 0 Coritiba

Data: 20/05/2017, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.921 pagantes
Renda: R$ 175.450,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Auxiliares: Rodrigo F. Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos de RJ).
Cartões amarelos: Vladimir Hernández, Thiago Maia, Leandro Donizete, Rafael Longuine e Copete (S); Neto Berola, Jonas e Matheus Galdezani (C).
Gols: David Braz (07-1).

SANTOS
Vanderlei; Matheus Ribeiro (Copete), Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Lucas Lima (Rafael Longuine); Vladimir Hernández (Jean Mota), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

CORITIBA
Wilson; Dodô, Werley, Walisson Maia (Marcio) e William Matheus; Jonas, Matheus Galdezani e Tomas Bastos; Henrique Almeida (Alecsandro), Kleber e Neto Berola (Getterson).
Técnico: Pachequinho



Vanderlei faz partida milagrosa, Santos segura pressão e vence Coxa

Após o empate heroico contra o The Strongest, na última quarta, pela Libertadores, os quase 6 mil torcedores que foram até a Vila Belmiro na tarde deste sábado, no duelo contra o Coritiba, esperavam um show de Bruno Henrique, Lucas Lima e cia. Porém, quem brilhou (e muito) foi Vanderlei. Inspirado, o goleiro santista teve uma atuação de gala, ‘fechou’ a meta durante toda a partida, fez pelo menos cinco defesas milagrosas e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo a primeira vitória do Peixe no Campeonato Brasileiro. O único tento do jogo foi marcado por David Braz, logo no início do primeiro tempo.

O jogo

O Santos começou o duelo com um motivo para comemorar e outro para lamentar. A notícia boa foi que logo aos sete minutos, Bruno Henrique escorou cruzamento de cabeça e a bola ficou livre para David Braz empurrar para o fundo da rede e abrir o placar na Vila Belmiro.

O problema é que logo na sequência, Lucas Lima precisou ser substituído por Rafael Longuine. O camisa 10 começou a sentir dores antes mesmo do Peixe marcar o primeiro e não aguentou ficar no gramado.

Atrás no placar, o Coxa se lançou ao ataque e passou a pressionar o alvinegro mesmo dentro da Vila Belmiro. O empate só não veio porque Vanderlei estava inspirado. Aos 12 minutos, o goleiro salvou o chuta de Kleber à queima roupa dentro da área.

Cinco minutos depois, o camisa 1 se esticou todo para defender o chute de William Matheus. No lance seguinte, o arqueiro apareceu mais uma vez e pegou cobrança de falta de Tomas Bastos.

Apesar do Coritiba estar bem melhor dentro de campo, foi o Santos que perdeu a chance mais clara do primeiro tempo. Aos 25 minutos, Vladimir Hernández fez bela jogada e deixou Ricardo Oliveira na cara do gol. O centroavante, porém, chutou em cima do goleiro Wilson e desperdiçou uma oportunidade inacreditável na Vila.

Após o tento perdido, o Peixe equilibrou as ações e jogo ficou aberto, com chances para os dois lados. Porém, o primeiro tempo terminou mesmo no 1 a 0 para o alvinegro.

A segunda etapa começou em um ritmo mais lento na Vila Belmiro. Porém, a tônica seguiu parecida com a do primeiro tempo, já que o Coxa seguia em cima e Vanderlei continuava salvando. Logo aos sete minutos, Matheus Galdezani fez fila na defesa santista e só parou no camisa 1, que teve seu nome gritado em todo o estádio.

Aos 11, porém, o Santos quase chegou ampliou em um contra-ataque. Ricardo Oliveira avançou pelo lado direito e cruzou para Bruno Henrique. Em velocidade, o atacante bateu no contrapé de Wilson, mas errou o alvo.

A chance perdida não melhorou o ímpeto do time santista, que seguiu sendo bastante pressionado pelo Coxa durante o segundo tempo. Aos 30 minutos, o alviverde finalmente conseguiu bater Vanderlei. Porém, após driblar o camisa 1 e sair na cara do gol, Matheus Galdezani foi travado por Zeca na hora do chute.

E quando parecia que Vanderlei não poderia brilhar mais na Vila, David Braz cometeu um pênalti infantil em Alecsandro. O próprio atacante foi para a cobrança a parou no goleiro santista, que decretou a vitória do Peixe na Vila.

Bastidores – Santos TV:

Vanderlei chora após atuação de gala e diz: “Se me convocar, estarei pronto”

Os torcedores do Santos que foram até a Vila Belmiro na tarde desta sábado ainda devem estar perplexos com a atuação de Vanderlei no embate contra o Coritiba. Impenetrável, o arqueiro santista teve uma atuação de gala, ‘fechou’ a meta durante toda a partida, fez pelo menos cinco defesas milagrosas e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo a primeira vitória do Peixe no Campeonato Brasileiro.

Ovacionado por toda a Vila Belmiro, inclusive pelos torcedores do Coxa, seu ex-time, o camisa 1 não segurou a emoção na saída do gramado e chorou após o triunfo do alvinegro.

“A gente sempre sonha em fazer uma grande partida, ainda mais contra a minha ex-equipe. Tenho muitos amigos ali, um carinho grande. Estou muito feliz. Toda defesa para o goleiro é importante. O Coritiba valorizou muito a nossa vitória. Felizmente deu tudo certo”, falou o goleiro.

Após a atuação de Vanderlei, os companheiros de Santos fizeram questão de ‘cobrarem’ uma convocação do arqueiro para a Seleção Brasileira. Sempre comedido com as palavras, o camisa 1 pregou respeito ao técnico Tite, mas mandou um recado.

“A Seleção é o ápice de todo atleta, mas temos que respeitar os outros goleiros que estão lá. Não acho que falta marketing para mim. Acredito que para o atleta ser convocado, ele tem que fazer o melhor em campo. É difícil falar se esse é o meu melhor momento, mas se eu fosse o Tite me convocaria, pois tenho que acreditar no meu trabalho. Se ele me convocar algum dia, eu estarei pronto”, concluiu Vanderlei na saída do gramado.

Santistas clamam por Vanderlei na Seleção: “Merece ser titular”

Inevitavelmente, Vanderlei foi o nome mais comentado pelos jogadores do Santos na saída do gramado da Vila Belmiro após a vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, neste sábado, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Inspirado, o goleiro fez belas defesas durante a partida e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo o triunfo santista.

Após a partida, os atletas do alvinegro rasgaram elogios ao camisa 1 e praticamente cobraram uma convocação dele para a Seleção Brasileira. Quem puxou a fila foi Ricardo Oliveira.

“Ele está jogando assim há anos no Brasil. É nível de Seleção Brasileira. Não sei porque não é convocado. Não estou dizendo que os outros goleiros que estão na lá não merecem, mas vocês viram o que o Vanderlei fez hoje aqui. Merece demais estar na seleção”, comentou o centroavante.

O zagueiro David Braz, que cometeu o pênalti em Alecsandro e foi ‘salvo’ por Vanderlei, foi além e disse que o camisa 1 merece a titularidade na amarelinha.

“Nós respeitamos a opinião do Tite. Já trabalhei com ele e é um grande treinador. Tenho certeza que está olhando tudo. Um dia ele vai perceber que o Vanderlei merece uma oportunidade. Mostrou que pode ser titular da Seleção”, bradou o defensor santista, autor do único gol diante do Coxa.

Dorival minimiza má atuação do Santos na Vila e enaltece Vanderlei

Quando o goleiro é o principal destaque da sua equipe, isso significa que alguma coisa está errada. Neste sábado não foi diferente. Na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Coritiba, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o grande destaque foi Vanderlei, que fez várias defesas milagrosas durante o jogo e ainda pegou um pênalti de Alecsandro no fim.

O técnico Dorival Júnior admitiu que o alvinegro não teve uma boa apresentação contra o Coxa. O comandante, porém, vê a atuação ruim como normal, já que o Peixe vem de uma maratona de três jogos fora de casa (diante de Paysandu, Fluminense e The Strongest) e cerca de 13 mil quilômetros percorridos em apenas uma semana.

“O que esses jogadores se doaram e se dedicaram em busca do resultado… Eu só tenho que enaltecer. Eu não tenho como cobrar uma equipe que teve a semana e o desgaste que tivemos. Semana passada, contra o Fluminense, o Santos não deixou nada a desejar. Foi injusto o resultado, pois perdemos diversas oportunidades. Hoje realmente o Coritiba dominou. Tínhamos a consciência de que o Coritiba estava inteiro na partida. O Santos estava preparado para contra-atacar. Foi um jogo de uma entrega excepcional. Não tem como deixar de enaltecer o espírito que a equipe teve. O importante é a resposta que os jogadores tem dado, para que melhores resultados aconteçam”, explicou Dorival em coletiva na Vila Belmiro.

O comandante também aproveitou a entrevista para rasgar elogios ao ‘paredão’ Vanderlei. Além disso, o treinador também enalteceu o trabalho do reserva Vladimir e de Arzul, o preparador de goleiros do Peixe.

“Não é uma injustiça (ele não ter sido convocado). Dentro do país tem inúmeros goleiros com muitas qualidades. Vanderlei está entre esses e está muito regular. Fico feliz pelo esforço e trabalho. Temos um excelente profissional. O Arzul é um dos grandes profissionais que eu conheci dentro do futebol e tem feito um trabalho brilhante com os goleiros. Vladimir quando entra sempre dá uma resposta muito positiva. Muito do mérito é dos profissionais por trás disso também”, concluiu Dorival.

Braz admite pênalti em Alecsandro, mas diz: “Fui empurrado antes”

Mesmo sem fazer um bom jogo, o Santos segurava a pressão do Coritiba e conquistava a vitória parcial por 1 a 0, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro. Porém, aos 45 minutos do segundo tempo, o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães marcou pênalti de David Braz em Alecsandro. E quando o empate parecia certo, Vanderlei coroou sua bela apresentação e defendeu a cobrança do atacante do Coxa, garantindo o primeiro triunfo santista no Campeonato Brasileiro.

Antes de cometer a penalidade, David Braz estava sendo apontado como um dos heróis do alvinegro neste sábado, já que anotou o único tento do jogo, ainda no primeiro tempo. Aliviado após a defesa do arqueiro, o defensor do Peixe admitiu que cometeu a infração dentro da área, mas alertou que sofreu uma falta antes.

“Foi pênalti sim. Esses tipos de lance acontecem umas 100 vezes na partida. Ali o árbitro viu e marcou. Mas antes de ter segurado o Alecsandro, eu fui empurrado. Só que o Vanderlei foi lá e fez uma grande defesa”, comentou o zagueiro na saída do gramado.

Lucas Lima sente lesão, passará por exames e vira dúvida na Liberta

Os quase 6 mil santistas que foram até a Vila Belmiro no último sábado puderam ver Lucas Lima em campo por apenas quatro minutos. Na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Coritiba, o camisa 10 disputou um lance no meio de campo, se machucou sozinho e precisou ser substituído por Rafael Longuine.

A saída repentina do meia, que sentiu dores na parte posterior da coxa direita, preocupa a comissão técnica do Peixe. Ele passará por exames nesta segunda-feira para saber da gravidade da lesão e virou dúvida para o duelo contra o Sporting Cristal, na próxima terça, às 21h45 (de Brasília), na Vila, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores.

“Ele deu um tranco na chão. Espero que não seja nada”, disse o volante Renato na saída de campo.

Principal garçom do Santos no ano, com 11 assistências, Lucas Lima foi convocado na última sexta-feira para a Seleção Brasileira. Lembrado pelo técnico Tite, o camisa 10 foi chamado para os amistosos contra Argentina e Austrália, que serão disputado nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente, na cidade de Melbourne, na Austrália.


Coritiba 2 x 1 Santos

Data: 21/08/2016, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: 7.972 pagantes (8.838 total)
Renda R$ 177.455,00
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Auxiliares: Ailton Farias da Silva e Daniel Vidal Pimentel (ambos de SE).
Cartões amarelos: Neto Berola (C); Leo Cittadini, Gustavo Henrique e Jean Mota (S).
Gols: Ricardo Oliveira (14-2), Kléber (27-2) e Iago (41-2).

CORITIBA
Wilson, Dodô, Luccas Claro, Juninho e Benítez (Evandro); Edinho, João Paulo e Juan; Raphael Veiga, Kleber e Neto Berola (Iago).
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Léo Cittadini e Lucas Lima (Jean Mota); Vitor Bueno (Joel), Copete (Rodrigão) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior.



Santos cede a virada para o Coxa e vê o Palmeiras se afastar

O Santos desperdiçou a chance de chegar à vice-liderança do Campeonato Brasileiro ao ceder na capital paranaense a virada para o Coritiba, por 2 a 1, depois de estar vencendo no estádio Couto Pereira. Com 36 pontos, o Peixe está quatro pontos atrás do líder Palmeiras, na quarta colocação. Já o Coxa termina a rodada mais longe da zona de rebaixamento, com 25 pontos, na 14ª colocação.

Depois de uma primeira etapa sem bola na rede, a equipe paulista abriu o placar aos 14 minutos do segundo tempo, com Ricardo Oliveira, que aproveitou falha de João Paulo e com liberdade foi para o gol. Kléber, aos 27 minutos, mostrou oportunismo para deixar tudo igual. Mas Iago, aos 41 minutos, com um golaço, fechou a contagem.

O jogo

Sem se importar em ser um visitante indesejável, o Peixe começou a partida tentando pressionar e logo no primeiro minuto Caju encontrou Ricardo Oliveira entrando na cara do gol, mas a arbitragem parou o lance para anotar o impedimento. Mais lançamento, aos seis minutos, desta vez para Copete, e Wilson deixou meta para interceptar. Aos oito minutos, Lucas Lima recebeu, dominou e bateu cruzado, pela linha de fundo.

O Coxa tentou reagir e chegou pela primeira vez no ataque aos 14 minutos, com Raphael Veiga, que foi carregando a bola e resolveu soltar o tiro, por cima do gol, isolando. O jogo era morno e o Santos tinha dificuldade de sair jogando. Em cobrança de falta, aos 20 minutos, Vitor Bueno mandou à direita do alvo.

Grande tentativa de Ricardo Oliveira, aos 31 minutos, pegando de primeira e obrigando Wilson a fazer grande defesa. Vacilo da defensiva alviverde, aos 36 minutos, Dodô aproveitou para dominar e cruzar rasteiro para Kléber completar e Vanderlei operar um milagre diante do ex-time. Aos 44 minutos, Neto Berola partiu para a jogada individual, invadiu a área e foi travado na bola por Caju.

Para a etapa final, as equipes retornaram sem modificações. Contra-ataque santista, aos seis minutos, com Vitor Bueno, que carregou a bola, abriu espaço e arrematou forte, para fora, com desvio. As duas equipes dependiam dos erros do adversário para criar. Mas, aos 14 minutos, o erro foi falta. João Paulo tocou para trás e serviu Ricardo Oliveira, que só teve trabalho de tirar do goleiro para abrir o placar.

O gol deu mais tranquilidade ao Peixe, que podia esperar mais para usar o contra-ataque, enquanto o Coxa dominava as ações, mas sem conseguir chegar a meta adversária. Aos 26 minutos, Juan cobrou falta fechada na área alvinegra e Luiz Felipe subiu para afastar o perigo. Mas, aos 27 minutos, Evandro chutou, Vanderlei fez uma linda defesa, mas Kléber, com oportunismo, apareceu para balançar as redes.

O Coritiba jogava bem, especialmente após tomar e fazer seu gol. Aos 32 minutos, Evandro recebeu lançamento preciso e arrematou na trave. Na reposta, aos 39 minutos, Renato levantou, Gustavo Henrique desviou e Wilson foi tirar no ângulo para ceder escanteio. Porém, aos 41 minutos, Iago mandou um petardo, de longe, e estufou as redes para decretar a virada com um golaço.

Irritado, Ricardo Oliveira reclama de postura defensiva do Santos

O Santos parecia que iria conquistar mais três pontos no Campeonato Brasileiro até a metade do segundo tempo da partida contra o Coritiba, no Couto Pereira, quando vencia por 1 a 0. No entanto, o Peixe recuou muito na reta final e acabou sofrendo a virada dos donos da casa. Autor do gol alvinegro, o centroavante Ricardo Oliveira saiu de campo bastante irritado com a postura da equipe.

“O que aconteceu foi que recuamos e demos vida para o Coritiba. Foi isso que aconteceu, quer mais o quê? Fizemos 1 a 0, mas demos confiança para eles e levamos a virada”, disse o atacante.

Mais calmo, o volante Renato preferiu ponderar sobre a atuação do Santos. No entanto, o veterano lamentou a falta de pontaria do Peixe, que desperdiçou algumas boas oportunidades antes de sofrer o empate, apesar de também ter levado uma bola na trave.

“Tivemos oportunidade de fazer o segundo gol, mas infelizmente não conseguimos concluir em gol. Eles foram eficientes, fizéramos dois gols e a gente não conseguiu nosso objetivo que era a vitória”, afirmou o veterano.

Na próxima rodada, o Santos encara o Figueirense na Vila Belmiro, domingo, às 11h (de Brasília). Antes, porém, o Peixe recebe o Vasco, quarta-feira, às 19h30, pela Copa do Brasil. Já com o reforço de Thiago Maia, Zeca e Gabigol, campeões olímpicos pela Seleção Brasileira, o volante Renato pregou foco no jogo eliminatório e valorizou a volta dos atletas.

“São jogadores importantes e vão nos ajudar até o final do campeonato. Já temos um jogo importante na quarta, pela Copa do Brasil, então temos que virar o chip para que possamos fazer um bom jogo em casa, conseguir a vitória e só depois pensar no Figueirense em casa”, concluiu.

Após virada, Dorival pede Santos mais agressivo nos próximos jogos

Não foi só o torcedor do Santos que se desapontou com o resultado e com a atuação da equipe na derrota para o Coritiba por 2 a 1, de virada, neste domingo. O técnico Dorival Júnior fez críticas ao desempenho do Peixe, especialmente considerando-se que o Alvinegro teve uma semana livre para treinos, e pediu por uma equipe mais agressiva nas próximas partidas.

“Esperava uma melhora maior depois da semana de trabalhos, mas não aconteceu. A luta é pela melhor colocação possível, estar entre os primeiros. Não podemos bobear como hoje ou em um ou outro jogo anterior. Temos que ter uma postura mais agressiva se quisermos brigar por algo maior. Perder pontos importantes nos penaliza, como já está acontecendo, por uma colocação melhor. Temos que ter um time forte, competitivo, que lute com maior intensidade pelos resultados que temos deixado ao longo do caminho”, disse o comandante.

Até a metade do segundo tempo, o Santos vencia o jogo por 1 a 0 e, se tivesse mantido o resultado durante os 90 minutos, terminaria a rodada na segunda colocação, apenas um ponto atrás do líder Palmeiras. Com a derrota, porém, o Peixe caiu para a quarta posição e, caso o Corinthians vença o Vitória nesta segunda, o time de Dorival Júnior deixará o G4.

“Não pode acontecer o que aconteceu ao longo da partida. Tínhamos o jogo bem administrado, trabalhando a bola depois do primeiro gol, criando oportunidades, mas passamos a ter dificuldades. Coritiba começou a pressionar, entrando no nosso campo, tirando saída de bola e complicando transição. A partir desse momento eles prevaleceram e tiveram méritos. Os últimos minutos foram decisivos na definição do resultado”, finalizou.