Navegando Posts marcados como Pituaçu

Bahia 3 x 0 Santos

Data: 29/05/2021, sábado, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio de Pituaçu, Salvador, BA.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ-FIFA)
Auxilares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ-FIFA) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Cartões amarelos: Patrick de Lucca, Matheus Bahia e Rossi (B); Marinho e Alison (S).
Gols: Thaciano (01-2), Thaciano (03-2) e Juninho (07-2).

BAHIA
Mateus Claus; Renan Guedes, Conti, Juninho e Matheus Bahia; Patrick de Lucca (Jonas), Daniel (Lucas Araújo) e Thaciano (Galdezani); Rossi, Rodriguinho (Maycon Douglas) e Gilberto (Thonny Anderson).
Técnico: Dado Cavalcanti

SANTOS
João Paulo; Pará (Marcos Guilherme), Kaiky (Madson), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota e Gabriel Pirani; Marinho, Lucas Braga (Ângelo) e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Fernando Diniz



Santos sofre pane no início do segundo tempo e perde para o Bahia por 3 a 0

O Santos perdeu por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Thaciano (2) e Juninho.

O Peixe fez um primeiro tempo regular, mas teve uma pane no início da etapa final. Em sete minutos, o Alvinegro viu três gols do Tricolor. Todos em falhas individuais na defesa.

Em má fase, o Santos voltará a campo para outra estreia: a Copa do Brasil. O Peixe visitará o Cianorte na terça-feira, no Paraná, pela terceira fase.

O jogo

O Santos teve a posse de bola, mas pouco criou. O Bahia, mesmo em casa, procurou contra-ataques. Ambas as estratégias não surtiram efeito.

Na melhor chance do Tricolor, Rodriguinho recebeu sozinho de Rossi e bateu para fora aos 40 minutos. O bandeirinha assinalou impedimento, mas o lance era legal e certamente seria confirmado no VAR se o meia acertasse o alvo. Foi um vacilo na marcação de Felipe Jonatan.

No minuto 45, Pirani cruzou, Lucas Braga fez o pivô e Marinho bateu forte, mas quase no meio. O goleiro Mateus Claus fez grande defesa para evitar a abertura do placar.

O Bahia voltou com tudo para a etapa final e fez dois gols com Thaciano em três minutos. No primeiro, Pará deu uma “pixotada” antes de Rossi dar a assistência. No segundo, Rossi driblou Luan Peres e foi garçom novamente para Thaciano. 2 a 0.

O Santos seguiu em pane e sofreu o terceiro aos sete minutos, quando Juninho apareceu sozinho para cabecear após escanteio curto. 3 a 0 num piscar de olhos.

O Peixe mexeu e até promoveu a estreia de Marcos Guilherme, mas passou longe de reagir e nada criou. Essa foi a oitava derrota alvinegra em 12 duelos como visitante na temporada.

Diniz evita apontar culpados por derrota do Santos na Bahia: “Perdemos como um todo”

O técnico Fernando Diniz tentou explicar o “apagão” do Santos na derrota por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Thaciano (2) e Juninho.

Depois de um primeiro tempo regular, o Peixe sofreu três gols em sete minutos e não conseguiu reagir.

“Primeiro tempo foi ok, melhor que o Bahia. Sólidos defensivamente, boa posse, acertando a saída. Em sete minutos levamos três gols e nos desestruturamos. A saída estava mais longe de mim e os três gols mudaram a história do jogo. Temos que melhorar a equipe, virar a chave e termos chance de um grande jogo em Cianorte”, disse Diniz.

“A gente vai melhorar trabalhando, sem procurar culpados. Não tivemos problemas só nas duas laterais. Perdemos como um todo, assim como ganhamos do Boca Juniors como um todo. Temos que melhorar no geral, com todos ajudando na organização defensiva. Não tem setor ou jogador que perdeu, foi uma equipe. E se tem um principal responsável, sou eu. Difícil especular, fazer uma explicação lógica pra três gols em sete minutos. Não poderia ter acontecido, erramos, e temos que corrigir para frente”, completou.

Madson lamenta desatenção do Santos: “Time que quer ser campeão não pode vacilar assim”

Madson lamentou a desatenção do Santos na derrota por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Depois de um primeiro tempo regular, o Peixe levou três gols do Tricolor em sete minutos e passou longe de reagir em Salvador.

“É bem difícil, principalmente por eu não estar em campo (no momento dos gols). Isso não pode acontecer. Santos tem que estar focado em 90 minutos pelo peso da camisa e nossas pretensões. Time que quer ser campeão não pode vacilar assim. Entregamos o jogo para o Bahia”, disse Madson, para a TNT Sports.

“Diniz tem seu jeito de jogar. Viemos e conseguimos implementar, tivemos muita posse de bola, mas falta o resultado. São três derrotas pesadas, clima fica pesado. Vamos procurar a melhor maneira de voltar a vencer. Santos não pode passar por isso”, completou o lateral-direito.


Bahia 0 x 1 Santos

Data: 13/07/2019, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador, BA.
Público: 18.853 torcedores
Renda: R$ 258.374,00
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Elton e Moisés (B). Felipe Aguilar, Soteldo, Diego Pituca e Eduardo Sasha (S).
Gol: Carlos Sánchez (41-2).

BAHIA
Douglas Friedrich; Ezequiel, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Élton, Ramires e Shaylon (Guerra); Artur, Arthur Caíke (Élber) e Fernandão (Gilberto).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique (Luiz Felipe); Victor Ferraz (Jean Mota), Carlos Sánchez, Diego Pituca e Jorge; Eduardo Sasha, Soteldo e Uribe (Marinho).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos melhora no 2º tempo e vence o Bahia com gol no fim em Salvador

O Santos venceu o Bahia por 1 a 0 na noite deste sábado, no Pituaçu, na 10ª rodada, na retomada do Campeonato Brasileiro depois da pausa para a Copa América. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final, em rebote de pênalti defendido pelo goleiro Douglas.

Após primeiro tempo morno, o Peixe melhorou na etapa final com alterações de Jorge Sampaoli. O técnico sacou Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com Lucas Veríssimo na lateral direita e Sasha de centroavante, a equipe passou a ser perigosa.

Com a vitória, o Alvinegro segue na vice-liderança, mas agora a três pontos do líder Palmeiras. O Bahia é o oitavo, com 15. Na rodada 11, o Santos enfrentará o Botafogo, dia 21, no Engenhão. O Tricolor receberá o Cruzeiro, na Fonte Nova, no sábado.

O jogo

É difícil falar sobre o primeiro tempo de Bahia 0 x 0 Santos. Não houve chance clara e apenas um susto ou outro para os goleiros Douglas Friedrich e Everson.

O Peixe teve 67% de posse de bola, mas pouco agrediu. Com três zagueiros e três atacantes, o meio-campo não funcionou e houve apenas duas chegadas: um chute de Victor Ferraz de fora da área e uma cobrança de falta de Sánchez perto da trave.

O Tricolor não fez valer o fator casa e só teve um lance de perigo, quando Arthur Caíke recebeu na pequena área e Gustavo Henrique fez corte providencial.

A primeira oportunidade importante do segundo tempo ocorreu aos 12 minutos, quando Shaylon aproveitou rebote e chutou para Everson espalmar. Aos 15, Jorge Sampaoli mexeu duas vezes e desmontou a linha de três zagueiros: saíram Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com isso, Lucas Veríssimo passou a ser lateral-direito e Sasha o centroavante.

As alterações surtiram efeito e o Santos teve as melhores chances da partida. Na primeira, aos 22, Soteldo cruzou e Sasha cabeceou para linda defesa de Douglas. Na segunda, no minuto 22, Lucas Veríssimo cabeceou no travessão depois de lançamento de Jean Mota.

Aos 37, foi a vez do Bahia assustar. Élber avançou pela direita e cruzou para Gilberto, de peito, finalizar por cima do gol. E na sequência… Gol do Santos.

Sánchez finalizaria após bate-rebate e foi derrubado por Guerra. O próprio uruguaio bateu o pênalti, Douglas defendeu, mas no rebote o gol do Peixe saiu.

Nos minutos finais, o Santos só administrou a importantíssima vitória no Pituaçu. O Peixe agora está a três pontos do Palmeiras por causa do empate do rival diante do São Paulo, no Morumbi.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli destaca postura do Santos em vitória contra o Bahia: “Sem se importar com o local”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, vê a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia como exemplo do principal objetivo para o segundo semestre: atuar com a mesma proposta dentro e fora de casa.

O Peixe teve quase 70% de bola e pouco sofreu diante do Tricolor no Pituaçu. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final.

“Primeiro tempo foi parelho, depois mudamos o sistema. Não sofremos no primeiro tempo. Terminamos muito bem, aqui é difícil ganhar”, disse Sampaoli.

“Vamos jogar cada partida como se fosse em casa, sem se importar para o local. Veremos no futuro (sobre título), mas ideia é ter a mesma proposta de casa”, completou.

Sánchez destaca “grande trabalho” e sorte no gol da vitória do Santos contra o Bahia

Carlos Sánchez foi fundamental na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O uruguaio sofreu o pênalti e bateu. O goleiro Douglas defendeu, mas o meia fez no rebote.

Sánchez destacou o trabalho feito pelo Peixe e admitiu a sorte depois de errar a penalidade.

“Fizemos grande partida, time se entregou ao máximo. Perdi o pênalti, mas por sorte fiz no rebote. Buscávamos os três pontos, não o empate. Nossa torcida incentivou ao máximo e nós jogamos o que tínhamos que jogar. Fizemos um grande trabalho”, disse Sánchez, ao Premiere.

Marinho elogia mentalidade do Santos e vê “encaixe perfeito” com Sampaoli

Marinho, uma das opções de Jorge Sampaoli no segundo tempo da vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia, no Pituaçu, destacou a mentalidade do time.

O atacante segue o coro do treinador e quer o Peixe sem se importar com o local das partidas.

“Time que quer ser campeão tem que jogar bem dentro e fora de casa. Jogamos muito bem, contra equipe qualificada, que vem numa crescente, que foi bem contra o Grêmio. Mostramos a força da nossa equipe”, disse Marinho, ao Esporte Interativo.

“Temos que pensar jogo a jogo. Palmeiras faz a parte dele, nós temos que fazer a nossa. Não tenho nada a falar (sobre gente que cravava o Palmeiras campeão)”, afirmou o agora camisa 11.

Por fim, Marinho destacou o “match” entre seu estilo de jogo e a estratégia de Sampaoli no Santos.

“Sampaoli usa muito a beirada do campo. Encaixei certinho no time e na forma de jogar. Para mim foi algo muito bom. Renato não usava muito (os pontas no Grêmio), mas aqui eu tenho encaixe perfeito no sistema de jogo. Combinação perfeita”, concluiu.


Bahia 0 x 0 Santos

Data: 20/05/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio Pituaçu, em Salvador, BA.
Público: 8.908 pagantes
Renda: R$ 154.875,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia e José Carlos Dias Passos (ambos do PR).
Cartões amarelos: Fabinho (B); Bruno Rodrigo (S).

BAHIA
Marcelo Lomba; Fabinho, Rafael Donato, Titi e Gerley; Fahel, Helder, Gabriel e Morais (Magno); Lulinha (Zé Roberto) e Ciro (Júnior).
Técnico: Paulo Roberto Falcão

SANTOS
Aranha; Galhardo (Maranhão), Bruno Rodrigo, David Braz (Vinicius) e Léo; Ewerton Páscoa, Gérson Magrão, Bernardo e Felipe Anderson; Rentería (Alan Santos) e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho



Debaixo de chuva, Santos e Bahia empatam sem gols

Escalado com reservas, time paulista mostra desentrosamento e fica sem balançar as redes pelo segundo jogo seguido

O Santos foi até Salvador na noite deste domingo para encarar o Bahia, no estádio de Pituaçu, com cinco caras novas entre seus titulares. Como era de se esperar, mostrou pouco entrosamento e ainda viu Borges perder dois gols no fim, empatando por 0 a 0 na estreia do Campeonato Brasileiro. Foi o segundo jogo seguido da equipe sem marcar gols.

Na próxima rodada, os paulistas recebem o Sport na Vila Belmiro, domingo, mas a cabeça de todos está no Vélez Sarsfield. Na quinta-feira, às 20h (de Brasília), os comandados de Muricy Ramalho precisam vencer por dois gols de diferença o time argentino para se classificarem às semifinais da Copa Libertadores.

O Bahia também não está totalmente voltado para o segundo confronto do Brasileirão, domingo, diante do São Paulo, no Morumbi. Na mesma quinta, ele encara o Grêmio a partir das 21h, precisando derrotar o rival por dois gols para avançar à semifinal, só que da Copa do Brasil. O embate será no estádio Olímpico.

O Jogo

Atrapalhado pela chuva torrencial que atingia a cidade de Salvador durante todo o dia, o jogo começou com a bola pipocando muito nos pés dos atletas e com os times não conseguindo armar grandes jogadas de ataque. Recheado de estreias (cinco no total), o Santos visivelmente diminuiu o ritmo para tentar colocar os reforços no ritmo do jogo.

Os melhores lances santistas, por sinal, saíram dos pés de um contratado: o meia Bernardo, que treina há um bom tempo no CT Rei Pelé, mas ainda não havia tido a oportunidade de entrar em campo. Aos 11, ele levantou bola na cabeça de David Braz, que carimbou a trave. Na sequência, outro levantamento, só que para Bruno Rodrigo, que mandou na rede pelo lado de fora.

Na resposta, os baianos contavam com a velocidade do participativo Lulinha, que só pecava no excesso de passes errados. Em falta sofrida por ele quase na linha da grande área, Gerley bateu firme e exigiu boa defesa de Aranha.

Depois, no entanto, a empolgação pareceu ter diminuído e o nível da apresentação caiu drasticamente. Uma má notícia para o Santos foi a lesão de David Braz, que, antes do intervalo, saiu machucado com suspeita de um estiramento na coxa.

Na etapa final, com a diminuição da chuva, a expectativa era de que o embate melhorasse, mas isso acabou não ocorrendo. Desentrosado, o Santos seguia sem ameaçar. Mais inteiro, o time da casa abusava dos lances pela lateral e das bolas jogadas na área.

Na melhor das oportunidades, no entanto, Ciro recebeu na frente e bateu cruzado, mas parou em Aranha. Substituto do centroavante, Junior, pouco depois, recebeu e, de primeira, mandou forte. A bola passou por cima do gol.

No fim, Borges ainda teve duas chances para desempatar, mas errou o chute na primeira vez, mandando rente à trave, e depois parou em boa defesa de Marcelo Lomba, já nos acréscimos.

Borges perde duas chances no fim, mas nega má fase

Atacante se mostrou incomodado quando questionado pelos poucos gols e lembrou que vem ficando na reserva

O Santos parecia conformado com o empate por 0 a 0 no Pituaçu e pouca força fazia para atacar o Bahia, mas, aos 43 minutos, uma bola cabeceada por Felipe Anderson acabou caindo nos pés de Borges, que girou sobre o zagueiro e bateu colocado. Tudo certo para uma redenção do atacante, mas a redonda acabou indo para fora, rente à trave de Marcelo Lomba.

O centroavante, que ainda perdeu outra oportunidade nos acréscimos, essa mais atrapalhado pelo zagueiro e com o goleiro próximo de si, se mostrou um pouco incomodado ao comentar sobre o lance na saída de campo, principalmente ao falar sobre uma “má fase”.

“Não tem esse negócio de má fase, não tem nada disso. Eu marquei um gol dois jogos atrás, estou na reserva por opção do treinador”, garantiu o jogador, lembrando o tento marcado na goleada por 8 a 0 diante do Bolívar, pela Copa Libertadores.

O atleta ainda disse que o resultado acabou ficando de bom tamanho apenas para o Bahia. “Tive duas chances: uma a bola não entrou e na outra o mérito foi do Lomba, porque eu toquei por cima dele e ela foi para fora”, encerrou.

Muricy vê time “no caminho certo” e elenco melhor que o de 2011

Técnico santista elogiou time, apesar do empate frustrante dos reservas contra o Bahia no domingo

A estreia do Santos no Campeonato Brasileiro acabou esvaziada no último domingo, com o pensamento alvinegro voltado para o duelo de quinta-feira diante do Vélez, nas quartas de final da Libertadores, e apenas reservas dentro de campo para encarar o Bahia.

Tendo em conta tudo isso, o técnico Muricy Ramalho considerou bom o resultado de 0 a 0 conquistado no Pituaçu. Para ele, ainda não se pode exigir muito dos atletas contratados. Cinco deles (Bernardo, Gerson Magrão, Ewerton Páscoa, David Braz e Rafael Galhardo) estrearam no fim de semana.

“O David entrou bem, mostrou a experiência que tem em alguns lances e conseguiu fazer um bom jogo. Sentiu um pouco o gramado pesado e teve que sair antes. Bernardo mostrou que bate muito bem na bola. Foi uma primeira impressão, mas temos que dar tempo para eles demonstrarem tudo que podem”, comentou.

Para o treinador, com os novos nomes focados no Nacional, apenas Gerson Magrão, a princípio, pode jogar a Libertadores, o clube larga na frente em relação à campanha feita no ano passado na competição.

“O Santos está melhorando o seu plantel. Nessa competição, se você não tiver plantel, você não consegue ir bem. Esse ano estamos melhores, sofremos demais em 2011 quando necessitamos de reposição. Estamos no caminho certo para fazer um bom Brasileiro”, analisou.

A carreira de Muricy dá o aval para as suas análises, já que ele ostenta um tetracampeonato nacional (2006, 2007, 2008 pelo São Paulo e 2010 pelo Fluminense). Além disso, o fato de o Santos já ter conquistado quase todos os títulos possíveis na Era Neymar, menos o Brasileirão e o Mundial, aumentam a vontade do clube da Vila Belmiro em erguer esta taça.

Bahia 1 x 2 Santos

Data: 21/08/2011, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador, BA.
Público: 32.157 pagantes
Renda: R$ 782.407,50
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Nadine Scharam Camara Bastos (SC).
Cartões amarelos: Léo e Adriano (S); Marcone, Fahel e Carlos Alberto (B).
Gols: Neymar (04-1), Junior (29-1) e Alan Kardec (36-2).

BAHIA
Marcelo Lomba, Marcos (Gabirel), Titi, Paulo Miranda e Ávine; Fahel, Marcone, Diones e Carlos Alberto; Jones (Ricardinho) e Júnior (Reinaldo).
Técnico: René Simões.

SANTOS
Rafael (Vladmir), Arouca, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Adriano, Henrique, Elano (Bruno Aguiar) e Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho.



Com gol salvador de Alan Kardec, Santos bate Bahia e deixa degola

Equipe santista sofre pressão, mas conquista primeira vitória fora de casa e sobe na tabela

O Santos sofreu uma forte pressão do Bahia no duelo deste domingo, no estádio Pituaçu, em Salvador, mas venceu o adversário por 2 a 1. Alan Kardec marcou o gol da vitória santista no final da partida e garantiu os três pontos que tiraram o time da Vila Belmiro da zona de rebaixamento.

Além de deixar a zona de risco, o Santos conseguiu vencer o jogo como visitante no Campeonato Brasileiro. Antes de vencer o Bahia, a equipe santista havia conquistado apenas um ponto. Agora, são seis derrotas, uma vitória e um empate, jogando fora de casa.

Siga o Twitter do iG Santos e receba notícias do time em tempo real

O Santos não contou com o goleiro Rafael no segundo tempo. Após fazer diversas defesas na primeira etapa e salvar o time de uma goleada, o camisa 1 sofreu um corte na testa em dividida com o meia Carlos Alberto e foi substituído por Vladmir no intervalo do jogo.

O jogo

A partida começou com o Bahia apostando na velocidade para surpreender o Santos. Logo aos dois minutos, Carlos Alberto puxou contra-ataque e lançou Ávine na esquerda, que finalizou forte da entrada da área, mas não acertou o gol. No entanto, um minuto depois, Borges deu encontrou Ganso livre dentro da área, o meia foi derrubado e o árbitro marcou pênalti.

Na cobrança, Neymar espantou o “fantasma” dos pênaltis desperdiçados da equipe santista, chutou forte e rasteiro no canto esquerdo do goleiro Marcelo Lomba para abrir o marcador. Apesar de sofrer o gol, o Bahia continuava perigoso. Júnior recebeu a bola sem marcação dentro da área, chutou forte e Rafael fez uma grande defesa.

No entanto, o Santos apostava nos contra-ataques. Aos seis minutos, Neymar entra livre dentro da área, driblou o goleiro e chutou em cima do zagueiro, no rebote Borges chutou para fora. A partida continuava movimentada. Aos 13 minutos, Júnior aproveitou cruzamento da esquerda e desviou de cabeça para o gol, mas a bola bateu na trave. Jones também arriscou de fora da área cinco minutos depois e assustou Rafael.

Aos 24 minutos, o Bahia teve um gol anulado pelo árbitro. Após cobrança de escanteio, Fahel cabeceia no chão e Rafael fez grande defesa, no rebote Júnior fez o gol em posição irregular. Os baianos continuavam pressionando o Santos. Jones invade a área e chuta cruzado para grande defesa de Rafael.

De tanto insistir, o Bahia empatou o jogo. Aos 29 minutos, Marcos fez boa jogada pela direita e chutou cruzado para defesa de Rafael, no rebote Júnior chutou da pequena área para empatar a partida. Na segunda etapa, o Santos voltou sem o goleiro Rafael, que sofreu um corte na testa e foi substituído por Vladmir.

Depois de sofrer muita pressão no primeiro tempo, o Santos quase desempatou o jogo no inicio da segunda etapa. Após a defesa do Bahia sair jogando errado, a bola sobrou para Ganso, que arriscou um chute da intermediária e a bola acertou o travessão. Porém, o Bahia continuam dominando as ações da partida.

Aos 17 minutos, Jones recebeu passe de Ávine dentro da área, ajeitou a bola para o pé direito e chutou cruzado, a bola passou perto do gol de Vladmir. Os baianos continuam buscando o segundo gol. Aos 28 minutos, Gabriel ficou a frente de Vladmir, mas chutou em cima do goleiro. Quatro minutos depois, Reinaldo recebeu lançamento de Ricardinho, invadiu a área e chutou forte, mas a bola subiu demais.

Apesar da pressão do Bahia, Alan Kardec pegou sobra dentro da área e chutou de primeira para fazer o segundo gol do Santos na partida. O resultado tirou o Santos da zona de rebaixamento.