Navegando Posts marcados como Marcelo

Santos 1 x 1 Corinthians

Data: 03/06/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.736 pagantes
Renda R$ 138.730,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Ednilson Corona e Emerson Augusto de Carvalho (ambos de SP)
Cartões amarelos: Domingos (S), Rosinei (C), Marcelo Oliveira (C) e Edson (C)
Gols: Zelão (22-1); Marcelo (32-2).

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Domingos, Marcelo e Carlinhos; Adriano, Maldonado (Renatinho), Pedrinho (Marcos Aurélio) e Cléber Santana (Rodrigo Souto); Rodrigo Tabata e Moraes
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CORINTHIANS
Felipe, Fábio Ferreira, Zelão e Betão; Edson (Pedro), Marcelo Mattos, Rosinei, Willian e Marcelo Oliveira; Everton Santos e Clodoaldo (Bruno Octávio)
Técnico: Paulo César Carpegiani



Santos e Corinthians empatam em clássico movimentado

Em um confronto bastante disputado e com chances de gol para ambos os lados, Santos e Corinthians precisaram se contentar com uma igualdade. Neste domingo, as duas equipes mostraram muita vontade em campo e, apesar de atuar com um time misto, o clube da Baixada arrancou um empate por 1 a 1, na Vila Belmiro.

Com o resultado, o Corinthians chegou aos oito pontos na classificação, ocupando agora a terceira colocação. Já o Santos ficou com quatro pontos, em 16° lugar, fora da zona de rebaixamento da Série A.

“Assistimos a um grande jogo com todo mundo marcando forte. Não fomos muito bem no primeiro tempo, mas acertamos no segundo e conseguirmos um ponto importante”, afirmou o zagueiro Domingos após o apito final.

A igualdade desta tarde manteve um tabu favorável à equipe da Baixada. Isso porque o clube do Parque São Jorge não consegue vencer o rival há cinco partidas. No total, foram quatro derrotas e um empate (deste domingo). A última vez em que o Corinthians venceu o Santos foi na goleada de 7 a 1, no dia 6 de novembro de 2005, pelo Campeonato Brasileiro.

De olho no segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores, que acontecerá nesta quarta-feira, contra o Grêmio, Vanderlei Luxemburgo mandou a campo uma equipe com apenas quatro titulares: Fábio Costa, Alessandro, Maldonado e Cléber Santana. Rodrigo Souto e Marcos Aurélio ainda entraram após o intervalo.

Paulo César Carpegiani, por sua vez, passou a semana inteira preparando o Corinthians para o clássico deste domingo. O treinador, no entanto, não pôde contar com o centroavante Finazzi, com dores musculares, e assim teve que alterar a equipe titular pela primeira vez na competição. O recém-contratado Clodoaldo ficou encarregado da função realizando sua estréia com a camisa alvinegra.

No início do duelo, os anfitriões dominaram a posse da bola e tentaram adotar uma postura mais ofensiva. Mas com o decorrer do jogo, o Corinthians igualou as ações no ataque e conseguiu sair na frente com Zelão, aos 22min, após falha de Fábio Costa.

Depois do gol, a partida ficou mais movimenta e também mais aberta. Mais organizado em campo, o time de Carpegiani esteve perto de ampliar momentos depois de abrir o placar. No entanto, o Santos melhorou nos instantes finais do primeiro tempo e também criou oportunidades claras, sem conseguir concluí-las com sucesso.

Na etapa final, o time da casa voltou com ritmo renovado, tentando pressionar o adversário. Os visitantes também chegaram assustar Fábio Costa, mas de maneira discreta. A pressão santista fez efeito aos 32min, quando Marcelo selou o empate de cabeça. Este foi o primeiro gol sofrido pelo time do Parque São Jorge na competição. O clube da Baixada seguiu melhor até o apito final, mas não foi o suficiente para decretar a virada.

“Estávamos desligado no fim, mas isso acontece. Agora precisamos trabalhar melhor para que isso não se repita. Desperdiçamos a vitória”, lamentou o zagueiro Zelão, um dos principais destaques do clássico.

Santos 2 x 3 América-RN

Data: 19/05/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.093 pagantes
Renda: R$ 30.084,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)
Cartões amarelos: Dionisio (S); Edson Borges, Marcos Alexandre, Vasconcelos e Geovane (A).
Cartão vermelho: Geovane (A)
Gols: Marcelo (02-1), Edson Borges (42-1); Edson Borges (02-2), Edson Borges (09-2) e Marcos Aurélio (22-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dionisio, Domingos, Marcelo e Carlinhos; Adriano, Vinícius (Cleber Santana), Rodrigo Tabata e Pedrinho; Jonas (Marcos Aurélio) e Moraes (Renatinho).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

AMÉRICA-RN
Renê; Eduardo, Edson Borges, Márcio Santos e Márcio Goiano; Marcos Alexandre, Célio, Adriano Peixe e Souza (Leandro Sena); Anderson Ataíde (Vasconcelos) e Rogélio (Geovane).
Técnico: Lori Sandri



Zagueiro do América-RN brilha, e Santos perde a segunda no Brasileiro

Novamente com um time formado predominantemente por reservas, o Santos decepcionou e foi derrotado pela segunda vez no Campeonato Brasileiro de 2007 – já havia perdido para o Sport na primeira rodada. Desta vez, na Vila Belmiro, na noite deste sábado, o algoz foi o América-RN, que ganhou da equipe alvinegra por 3 a 2, com três gols do zagueiro Edson Borges, destaque do duelo.

“Eu usei um pouquinho do que eu tenho de melhor, que é o meu tamanho e soube subir de cabeça. Consegui aproveitar também o posicionamento da defesa de Santos e fui feliz”, disse o defensor, que marcou pela primeira vez em sua carreira três gols em um jogo e é, no momento, um dos artilheiros do Brasileiro, ao lado de Alex Mineiro (Atlético-PR) e Josiel (Paraná).

Com o resultado, o Santos permanece sem nenhum ponto e entre os últimos da competição nacional. Já a equipe potiguar, que havia perdido para o Vasco na primeira rodada, chega aos três pontos.

Esta foi a primeira derrota do Santos para o América-RN em campeonatos brasileiros e também foi o segundo revés santista na Vila Belmiro no ano – havia perdido para o São Bento pelo Paulista -, e a primeira vitória do América-RN na sua volta à elite após nove anos fora da primeira divisão.

Agora, o Santos se concentra na disputa da Copa Libertadores da América. Na quarta-feira, às 21h45, o time alvinegro recebe na Vila Belmiro o América-MEX pela partida de volta das quartas-de-final da competição continental. Como empatou sem gols fora de casa, a equipe comandada por Luxemburgo precisa apenas de uma vitória simples para chegar à semifinal.

Devido ao jogo pela Libertadores, Luxemburgo escalou uma equipe formada predominantemente por reservas. Apenas Fábio Costa, Marcelo e Domingos, dos que atuaram como titulares no México no meio da semana, iniciaram a partida deste sábado. Com isso, Moraes, que marcou gol decisivo na conquista do Estadual deste ano, ganhou chance entre os 11 que entraram em campo.

Mas no começo do jogo, nem parecia que o Santos estava sem seus principais jogadores. Logo aos 2min, o zagueiro Marcelo aproveitou cruzamento de Rodrigo Tabata e escorou de cabeça para o gol. A bola ainda tocou em Márcio Santos antes de entrar, mas para o árbitro, o zagueiro alvinegro foi o autor. “Eu acho que foi meu o gol, com certeza, o que vale é a intenção”, comentou o defensor.

Após o gol, o time da casa diminuiu o ritmo e o América-RN tomou a iniciativa das jogadas ofensivas. Assim, o time potiguar conseguiu o empate ainda na etapa inicial. Aos 42min, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Edson Borges tocar para a rede, fazendo o primeiro gol alvirrubro em sua volta à elite do futebol brasileiro.

Na etapa complementar, o América-RN voltou melhor e virou o jogo. Logo aos 2min, Souza cobrou falta na cabeça de Edson Borges, que fez seu segundo gol na partida. Apenas sete minutos depois, novamente o zagueiro anotou, aproveitando novo levantamento na área alvinegra.

Luxemburgo, então, mudou o Santos. Entraram os titulares Marcos Aurélio e Cleber Santana e, aos 22min, o primeiro aproveitou boa jogada de Tabata para tocar para o gol vazio, diminuindo o placar. Contudo, apesar de pressionar no fim, os mandantes não conseguiram a igualdade.

“O torcedor vai ter que entender que é um campeonato de pontos corridos, no qual temos totais possibilidades de reagir. Não se pode vir aqui e falar que jogamos mal, pois enfrentamos um grande time”, disse Vanderlei Luxemburgo.

Ponte Preta 2 x 4 Santos

Data: 01/04/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 8.992 pagantes
Renda: R$ 117.884,00
Árbitro: Milton Etsuo Bellerini
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Roger, Aranha, João Marcos (P) e Adaílton (S)
Gols: Rodrigo Tabata (12-1) e Gabriel (40-1); Marcelo (14-2), Finazzi (21-2), Cléber Santana (35-2) e Moraes (42-2).

PONTE PRETA
Aranha; Gabriel, Anderson e Émerson; André Cunha, Ricardo Conceição, Pingo, João Marcos e Rafael Fusca (Castor); Finazzi e Roger.
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS
Fábio Costa; Marcelo, Adaílton e Leonardo (Rodrigo Souto); Pedro, Adriano, Cléber Santana, Pedrinho (Marcos Aurélio), Rodrigo Tabata e Kléber; Jonas (Moraes).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos supera Ponte Preta e mantém vantagem sobre o São Paulo

O Santos segue na liderança isolada do Campeonato Paulista. Neste domingo, em Campinas, uma equipe mista comandada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo fez 4 a 2 na Ponte Preta e manteve-se quatro pontos à frente do arqui-rival São Paulo, segundo colocado do certame.

“A vitória de hoje [domingo] foi difícil, apesar de termos ganhado de quatro. Mas ela foi muito importante para o cronograma que traçamos para os próximos jogos”, analisou o treinador alvinegro.

Além de assegurar a vantagem na ponta da tabela, o time da Baixada praticamente eliminou a equipe campineira da competição. Com o revés, a Ponte caiu para a oitava posição, com 26 pontos – seis a menos que o Bragantino, quarto colocado -, restando apenas duas rodadas para o fim da primeira fase do torneio.

Para esta partida, o Santos contou com os reforços de Kléber e Cléber Santana, que ficaram fora da vitória sobre o Corinthians, na última quarta-feira, por 2 a 1, na Vila Belmiro.

Em campo, o time santista mostrou força logo aos 12min do primeiro tempo. Rodrigo Tabata avançou pelo lado esquerdo da área da Ponte e, mesmo sem ângulo, acertou o canto do gol de Aranha, em chute cruzado, colocando os visitantes em vantagem no marcador.

Após o gol, a Ponte Preta lançou-se ao ataque, mas não conseguiu chegar ao empate em razão das boas defesas do goleiro Fábio Costa e da precisão de Pedro e Kléber. Os laterais tiraram, cada um deles, uma bola de cima da linha e impediram o gol da Ponte.

Aos 40min, no entanto, os donos da casa finalmente conseguiram superar Fábio Costa. Gabriel desviou cobrança de falta de Roger e igualou o placar no Moisés Lucarelli, resultado mantido até o final da primeira etapa.

No segundo tempo, a Ponte não conseguiu manter o ritmo forte, e a partida ficou equilibrada. Aos 14min, porém, o Santos recuperou a vantagem com Marcelo. O zagueiro aproveitou cruzamento de Rodrigo Tabata e cabeceou, para fazer seu primeiro gol como profissional.

A Ponte chegou a empatar novamente, com Finazzi, que aproveitou sobra de escanteio e fez seu 11° gol no Campeonato Paulista. Aos 35min, entretanto, Marcos Aurélio aproveitou falha da zaga adversária e foi derrubado pelo goleiro Aranha dentro da área. Cléber Santana cobrou o pênalti com perfeição e pôs o time da Baixada de novo na frente do placar. O Santos ainda ampliou aos 42min, quando Moraes cabeceou livre, dentro da área, sem chances de defesa. Assim como Marcelo, este foi seu primeiro gol como atleta profissional.