Navegando Posts marcados como Kaio Jorge

Palmeiras 3 x 2 Santos

Data: 06/05/2021, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 11ª rodada (penúltima)
Local: Allianz Parque, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Fabrini Bevilaqua Costa.
VAR: José Cláudio Rocha Filho.
Cartões amarelos: Zé Rafael e Empereur (P); Gabriel Pirani, Jean Mota, Kaiky e Lucas Braga (S).
Gols: Viña (07-1), Kaio Jorge (13-1) e Willian (22-1); Kaio Jorge (07-2) e Lucas Esteves (32-2).

PALMEIRAS
Weverton; Mayke, Danilo Barbosa, Empereur, Viña; Felipe Melo (Danilo), Zé Rafael, Gustavo Scarpa, Giovani (Lucas Esteves); Wesley (Rafael Elias) e Willian.
Técnico: Abel Ferreira

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres, Felipe Jonatan; Balieiro, Jean Mota (Kevin Malthus), Gabriel Pirani; Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Kaio Jorge.
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Palmeiras vence o Santos no Allianz Parque e elimina o rival do Paulistão

Nesta quinta-feira, o Palmeiras venceu o Santos por 3 a 2, no Allianz Parque, em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. A vitória do Verdão elimina o Peixe do estadual e ainda deixa o Alviverde vivo na competição, enquanto o rival ainda corre o risco de ser rebaixado. Os gols dos mandantes foram marcados por Viña, Willian e Lucas Esteves, enquanto Kaio Jorge marcou os dois do Alvinegro.

O primeiro tempo foi eletrizante, com as duas equipes se lançando ao ataque. Com 22 minutos de bola rolando, o placar já estava 2 a 1 para o Verdão, com os sistemas ofensivos sendo eficientes e as defesas falhando. Logo no retorno do intervalo, o Peixe deixou tudo igual, após Wesley cometer pênalti infantil. Mesmo pressionado, o Alviverde conseguiu chegar ao terceiro gol com Lucas Esteves e ganhou um respiro na competição.

Com o resultado, o Palmeiras segue na terceira colocação do grupo C, com 18 pontos somados, a três do Novorizontino, segundo da chave. Na última rodada do Paulista, o time enfrenta a Ponte Preta, fora de casa, no domingo. Para fechar a sua participação no estadual, o Santos recebe o São Bento, na Vila Belmiro. A equipe tem dez pontos, na terceira posição do grupo D, e ainda corre risco de ser rebaixada. Se perder no domingo, o Peixe cairá para a Série A2.

O jogo

Com as duas equipes precisando vencer, o jogo começou movimentado no Allianz Parque. Na primeira chegada, Kaio Jorge cruzou para Gabriel Pirani, que bateu de primeira, e Weverton defendeu. Logo em seguida, Giovani quase marcou um golaço. Recebeu pela direita e arrancou com a bola dominada, costurando a defesa do rival. No entanto, finalizou mal quando chegou à área.

Aos sete minutos, o Palmeiras abriu o placar no clássico. Scarpa passou com muita facilidade por Luan Peres pela direita e cruzou na medida para Vinã, que testou com precisão e balançou as redes. O Santos não sentiu o gol e deixou tudo igual seis minutos depois, com Kaio Jorge. Marinho recebeu belo lançamento de Jean Mota pela direita, dominou no peito e deixou Viña para trás. O camisa 11 rolou encontrou o centroavante dentro da área, que dominou e finalizou no canto esquerdo para marcar.

Aos 22 minutos, Scarpa bateu escanteio rápido pela esquerda e surpreendeu a zaga do Santos, encontrando Willian. O atacante cabeceou, a bola tocou em Kaiky e foi morrer no gol. Precisando do resultado, o Peixe foi ao ataque. Pirani finalizou de fora da área e exigiu boa defesa de Weverton.

Marcelo Fernandes voltou com o Santos muito ofensivo, tirando Balieiro e colocando Marcos Leonardo. O Peixe fez uma pressão e, aos cinco minutos, teve um pênalti a seu favor. Wesley puxou a camisa de Kaio Jorge dentro da área, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, o centroavante mandou no canto direito e deixou tudo igual.

Logo em seguida, o Peixe quase chegou ao terceiro. Lucas Braga fez bela jogada pela esquerda e cruzou na entrada da área para Marcos Leonardo, que chegou batendo e acertou a trave. No lance seguinte, foi a vez de Ângelo ser lançado, avançar em velocidade e finalizar para fora. Pouco depois, o garoto voltou a arriscar pela direita, dessa vez parando em Weverton.

Mesmo inferior na segunda etapa, o Palmeiras chegou ao terceiro gol aos 32 minutos. Viña desceu pela esquerda e cruzou rasteiro para dentro da área. A bola passou por Rafael Elias e chegou em Lucas Esteves, que teve apenas o trabalho de empurrar para as redes e garantir a vitória.

Santos precisa empatar com o São Bento para evitar inédito rebaixamento no Paulistão

O Santos chegará na última rodada do Campeonato Paulista com risco de inédito rebaixamento para a Série A-2.

Após perder para o Palmeiras no Allianz Parque nesta quinta-feira, o Peixe precisa de um ponto contra o São Bento no domingo, na Vila Belmiro, para evitar a queda.

O Alvinegro é o antepenúltimo em um campeonato de 16 equipes, com 10 pontos, e terá um confronto direto com o São Bento, o penúltimo. O São Caetano já está rebaixado.

A necessidade de vitória no domingo compromete o planejamento para a Libertadores da América. O Santos deve ter titulares dois dias antes de enfrentar o Boca Juniors na terça, também na Vila, pela quarta rodada da competição continental.

Marcelo Fernandes cutuca Holan no Santos: “Peguei uma equipe que não chutava em gol”

O auxiliar Marcelo Fernandes cutucou o ex-técnico Ariel Holan após a derrota do Santos por 3 a 2 para o Palmeiras nesta quinta-feira, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista.

O interino disse que o Peixe não chutava a gol antes da queda do argentino. E destacou as 22 finalizações no clássico. Com o revés, o Peixe precisa empatar com o São Bento no domingo, na Vila Belmiro, para não ser rebaixado. O novo treinador será Fernando Diniz.

“Responsabilidade é de todos. Comando era do Holan, logicamente ele tinha a decisão e nós dávamos opinião. Agora, nessa responsabilidade de frente e eu assumo… Volto a dizer: peguei uma equipe há três rodadas que não chutava em gol. Hoje a equipe teve 22 finalizações. Procuramos o melhor para o Santos”, disse Marcelo Fernandes, antes de analisar o clássico.

“Estratégia é sempre vencer. Equipe jogou de igual para igual com o Palmeiras. 22 finalizações contra nove e não aproveitamos. Eles foram eficazes. Para domingo jogaremos com toda força. Descansaremos bastante para somar os três pontos no domingo… Troca de gestão, perda de jogadores, transfer ban, muitos meninos, técnico chegou com nova filosofia e houve uma troca. Tudo isso influencia. Molecada está querendo, agora é ter calma. Trabalhar bastante para um jogo normal que sempre fazemos em casa no domingo”, completou

O Santos deve ter Marcelo Fernandes contra o São Bento. Fernando Diniz pode estrear diante do Boca Juniors (ARG) na terça-feira, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

Alison e Marinho são dúvidas no Santos para decisão contra o São Bento

Alison e Marinho são dúvidas no Santos para a decisão contra o São Bento no domingo, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Paulista.

Alison sente dor no joelho esquerdo, enquanto Marinho foi substituído no clássico contra o Palmeiras devido a um incômodo na coxa esquerda. O atacante, inclusive, foi dúvida antes da bola rolar no Allianz Parque.

O Peixe espera contar com a dupla para o importante duelo. O Alvinegro precisa de um empate para evitar o rebaixamento inédito à Série A-2 do Estadual.

Se todos estiverem à disposição, a escalação será: João Paulo, Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota e Gabriel Pirani; Marinho, Lucas Braga e Kaio Jorge.

Má fase de Pará traz novamente à tona erro do Santos ao não inscrever Madson

No domingo, o Santos jogará pela permanência na primeira divisão do Campeonato Paulista. A má fase da equipe passa pelo momento de instabilidade de alguns jogadores da equipe, principalmente no sistema defensivo. Dentre eles, está Pará.

O lateral-direito não tem mais oferecido a solidez defensiva da temporada passada, deixando muitos espaços em suas costas. Tem sido frequente ver Pará sendo vencido em velocidade ou não conseguindo fazer a cobertura em cruzamentos. Além disso, não tem sido efetivo no apoio, cometendo erros técnicos.

O problema é que a comissão técnica do Santos não tem uma alternativa para a posição no Campeonato Paulista. Afinal, Madson não foi inscrito no estadual e, quando o clube percebeu o erro, já era tarde demais, visto que a lista A já estava preenchida por completo.

Em abril, o presidente Andres Rueda concedeu entrevista e assumiu a responsabilidade pelo deslize na não inscrição do jogador.

“Quem foi o responsável pela não inscrição do Madson no Paulista? O responsável e quem errou foi o presidente, o Rueda. No clube, quem é responsável por tudo de bom e tudo de errado é o presidente. É muito fácil quando acontecer algo bom dizer ‘fui eu’, e quando acontecer algo de errado dizer ‘foi o estagiário’. Eu cometi esse erro, coloco nas costas sem problema nenhum”, afirmou Rueda.

Nos jogos em que o Santos utilizou uma equipe alternativa, Sandro Perpetuo foi escalado na lateral direita. O jovem jogador, no entanto, ainda não tem a ‘casca’ necessária para atuar com maior frequência. No início da temporada, volante Vinicius Balieiro também foi testado na posição.

Frágil pelo alto, Santos tem a pior defesa do Campeonato Paulista

A situação do Santos é delicada no Campeonato Paulista. Com a derrota no clássico para o Palmeiras, o Peixe chega à última rodada da fase inicial com chance de ser rebaixado. A má fase da equipe passa pela fragilidade defensiva do Alvinegro na competição.

Com 11 jogos disputados pelo Paulista, o Santos já sofreu 19 gols. O time tem os piores números defensivos da competição, empatado apenas com o São Caetano, que também foi vazado 19 vezes. O Azulão, vale destacar, já está rebaixado, com apenas três pontos somados.

O Santos deixou o campo sem sofrer gol apenas uma vez no Campeonato Paulista, contra o Botafogo-SP, em um empate por 0 a 0. Uma grande dificuldade da equipe na temporada tem sido defender as bolas cruzadas na área. No clássico contra o Palmeiras, o Peixe voltou a sofrer dois gols de cabeça.

Vale lembrar que o Santos perdeu Lucas Veríssimo, que era o pilar do sistema defensivo e uma das lideranças técnicas da equipe. Sem poder contratar, por conta do transfer ban, o Santos teve que se virar com o elenco atual.

Com 11 jogos disputados pelo Paulistão, o Santos está na terceira colocação do grupo D, com dez pontos somados. Neste domingo, o time fará um jogo decisivo contra o São Bento, que é o concorrente direto na luta contra o rebaixamento. Caso perca para o time do interior, o Peixe cairá para a Série A2. O Alvinegro apenas escaparia do descenso se o Santo André também perdesse e visse o saldo de gols ficar pior do que o do Santos. No momento, o time do ABC leva a melhor: menos cinco a menos nove.


Grêmio 3 x 3 Santos

Data: 03/02/2021, quarta-feira, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO).
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartões amarelos: Kannemann, Diego Souza, Matheus Henrique, Victor Ferraz e Luiz Fernando (G); Sandry (S).
Cartão vermelho: Sandry (S, 41-2).
Gols: Kaio Jorge (07-1) e Diego Souza (36-1, de pênalti); Jean Pyerre (43segs-2) e Pepê (07-2), Arthur Gomes (22-2, de pênalti) e Madson (50-2, de pênalti).

GRÊMIO
Vanderlei; Victor Ferraz (David Braz), Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Lucas Silva (Thaciano), Alisson (Luiz Fernando), Jean Pyerre (Maicon) e Pepê; Diego Souza (Ferreirinha).
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
John; Pará (Vinicius Balieiro), Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Ivonei), Sandry e Jean Mota (Madson); Lucas Braga, Arthur Gomes (Ângelo) e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca



Santos sai na frente, leva virada do Grêmio e busca empate no fim com um a menos

O Santos empatou em 3 a 3 com o Grêmio nessa quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Peixe buscou o empate aos 50 minutos do segundo tempo com um a menos – Sandry foi expulso aos 41.

Os gols do Peixe foram de Kaio Jorge, Arthur Gomes e Madson. O Tricolor marcou com Diego Souza, Jean Pyerre e Pepê. O Alvinegro fez 1 a 0, levou 3 a 1 e conseguiu o 3 a 3 no fim.

Com o empate, o Santos assume a oitava colocação, com 46 pontos. O Grêmio é o sétimo, com 43. Na próxima rodada, o Tricolor visitará o Botafogo, na segunda-feira. O Peixe enfrentará o Atlético-GO, sábado, em Goiânia.

Grêmio e Santos fizeram um primeiro tempo equilibrado. O Peixe começou melhor, enquanto o Tricolor equilibrou as ações e terminou os primeiros 45 minutos em alta.

O Santos abriu o placar aos sete minutos, quando Luan Peres arrancou, deu um drible da vaca em Rodrigues e passou para Kaio Jorge só empurrar. 1 a 0 para o Alvinegro.

O Peixe levava a partida do seu jeito até que apareceu Jean Pyerre. O meia deu um lindo passe para Pepê, que foi derrubado por Pará na área. Diego Souza bateu no meio e John caiu no canto esquerdo. 1 a 1.

No minuto 42, Victor Ferraz tocou para trás e Alison tirou na pequena área. Instantes depois, Arthur Gomes cabeceou e obrigou Vanderlei a fazer grande defesa.

O Grêmio não demorou quase nada para virar. Bola de pé em pé até Pepê servir Jean Pyerre. E o meia deslocou o goleiro John com extrema categoria. Pará fez o pênalti e não estava em sua posição no segundo gol do Tricolor. 2 a 1.

O Santos baixou a guarda e não demorou a levar o terceiro. Aos sete minutos, nova jogada construída com facilidade, como Renato Gaúcho gosta, até Pepê deslocar John.

O Grêmio diminuiu o ritmo, tentou administrar o jogo e sofreu um susto aos 22 minutos. Matheus tocou com o braço na bola após cabeceio de Sandry. Arthur Gomes converteu o pênalti.

O Santos teve Sandry expulso aos 41 minutos, mas teve força para reagir. Luiz Fernando cometeu pênalti e Madson converteu aos 50 minutos. Um 3 a 3 heróico do Peixe.

Bastidores – Santos TV:

Madson valoriza poder de reação do Santos em empate com o Grêmio: “Luta segue”

Madson valorizou o poder de reação do Santos no empate em 3 a 3 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez 1 a 0, sofreu empate no primeiro tempo, 3 a 1 na etapa final e buscou o 3 a 3 nos acréscimos, com Madson em cobrança de pênalti.

“A gente sabia do peso desse jogo depois de perder título tão importante como a Libertadores, do jeito que foi, no último minuto. Tínhamos que dar resposta, a luta segue. Futebol é bom porque em dois ou três dias se pode mostrar valor”, disse Madson, ao Premiere.

“Voltamos meio desligados, Cuca fez um ajuste e equipe se reergueu com um a menos e com todas as dificuldades. Fui consagrado com um pênalti. Tive a responsabilidade de cobrar e bati bem. Pela circunstância, ponto a ser comemorado”, completou.

Com o empate, o Santos assume a oitava colocação, com 46 pontos. O Peixe voltará a campo para enfrentar o Atlético-GO, sábado, em Goiânia.

Luan Peres elogia preleção de Cuca no Santos e cita frase de Pará: “No futebol não tem lugarzinho para coitado”

Luan Peres comentou sobre o poder de superação do Santos para buscar o empate em 3 a 3 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, principalmente depois da derrota por 1 a 0 para o Palmeiras na final da Liberadores da América no último sábado, no Maracanã.

O Peixe saiu na frente, levou o 3 a 1 e alcançou o 3 a 3 nos acréscimos pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro assumiu a oitava colocação, com 46 pontos, e segue na briga por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

“Como Pará fala, no futebol não tem lugarzinho para coitado. Se entrássemos no marasmo, cabisbaixos, a gente levaria um sacode do Grêmio que não tem nada a ver com isso. Entramos focados, Cuca deu uma baita preleção e motivou muito a gente. Mostramos a nossa força, conseguimos o empate e se tivesse mais cinco minutos era mais para a gente ganhar do que eles”, disse Luan.

O Santos tem cinco compromissos pela frente na temporada: Atlético-GO (fora), Coritiba (casa), Corinthians (casa), Fluminense (casa) e Bahia (fora).

Arthur Gomes vê empate com gosto de vitória no Santos: “Temos que enaltecer o grupo”

Arthur Gomes comemorou o empate do Santos em 3 a 3 com o Grêmio na última quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez 1 a 0, levou o 3 a 1 e buscou o 3 a 3 nos acréscimos. Arthur marcou o segundo, de pênalti.

“O resultado foi muito importante, especialmente pela forma que foi o jogo. A gente saiu na frente, mas entramos um pouco desligados no segundo tempo e tomamos a virada. Buscamos o empate mesmo com um a menos, então temos que enaltecer o grupo. Viemos de uma derrota dolorida, na final da Libertadores, e todo mundo ainda está sentindo um pouco, mas foi um empate importante fora de casa e com gosto de vitória pela luta que tivemos e circunstâncias do jogo”, disse Arthur Gomes.

O atacante mira a vaga na próxima edição da Libertadores da América. O Santos precisa de uma boa sequência na reta final do Brasileirão.

“Futebol é confiança. A partir do momento que você consegue ganhar jogos e conquistar os pontos que precisa, você fica mais cascudo para administrar as partidas. Os cinco jogos que faltam do Campeonato Brasileiros serão decisivos e o nosso pensamento é colocar o Santos novamente na Libertadores e buscarmos os objetivos que o clube merece”, afirmou o jogador, que tem 95 partidas pelo clube, com 11 gols.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Atlético-GO, sábado, em Goiânia. Os outros jogos serão contra Corinthians, Coritiba e Fluminense – todos dentro de casa -, além do Bahia na última rodada, em Salvador.

Santos repudia fala racista de narrador da Rádio Grenal e cobra providências

O Santos emitiu uma nota oficial na noite desta quarta-feira para repudiar os termos racistas utilizados pelo narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal, na transmissão do empate em 3 a 3 com o Grêmio.

Haroldo pergunta ao repórter o nome do “crioulinho pela esquerda”. Era Lucas Braga. Na sequência, chama de “cidadão de dor”, “com todo o respeito”.

A empresa que cuida da carreira de Braga também se manifestou contra o fato.

“O Santos FC não vem por meio desta apenas lamentar ou repudiar os termos racistas utilizados pelo narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal. Não cabem mais lamentos ou notas de repúdio sobre racismo em pleno 2021. Cabe ação e mobilização. O Clube, através de seu Departamento Jurídico, tomará medidas cabíveis, da mesma maneira esperamos uma reação efetiva do veículo de comunicação empregador desse senhor e da própria comunidade que compõe a audiência de tal rádio. É no silêncio, na omissão, na relativização frente ao preconceito que o racismo cresce silenciosamente e se estabelece de forma estrutural em nossa sociedade. Basta de tolerância com racismo! Basta!”, publicou o Santos.

Discreto, Lucas Braga fica chateado e não se pronuncia após ato racista de narrador em jogo do Santos

Lucas Braga ficou abalado com o ato racista do narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal, durante a transmissão do empate em 3 a 3 entre Grêmio e Santos na última quarta-feira, em Porto Alegre. .

Haroldo pergunta ao repórter o nome do “crioulinho pela esquerda”. Era Braga. Na sequência, o chama de “cidadão de dor”, “com todo o respeito”.

Discreto, Lucas Braga não se pronunciou sobre o ocorrido. Quase todos do elenco santista lamentaram o fato.

“Ele ficou triste com a situação. Não só pelo comentário, mas pela repercussão. Ele é bem resolvido na questão da raça, mas não gosta de polêmica. Enfim, o narrador foi infeliz. No mundo atual não cabe mais esse tipo de comentário”, disse Fabio Braga, pai do atacante.

Cuca desconversa sobre futuro no Santos: “Tenho contrato e vou suar sangue em cada minuto”

O técnico Cuca desconversou sobre o futuro do Santos em entrevista coletiva nesta quarta-feira, após o empate com o Grêmio, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O contrato termina no fim de fevereiro e a renovação é considerada difícil pela diretoria do Peixe. Ele já pensava em sair antes mesmo de perder a final da Libertadores da América para o Palmeiras no último sábado, no Maracanã.

“Eu tenho contrato com o Santos até dia 24 e vou suar sangue a cada minuto. Depois vemos o que faremos. Minha cabeça está boa, mesmo com coração dolorido. Estamos nos levantando juntos. Eles me levantam, eu levanto eles. É assim que funciona”, disse Cuca.

Cuca está na terceira passagem pelo Santos. São 15 vitórias, 13 empates e 12 derrotas em 40 jogos.

Lucas Veríssimo se despede do Santos rumo ao Benfica: “Coração pesado”

Lucas Veríssimo publicou uma despedida do Santos em suas redes sociais nesta quarta-feira. O zagueiro gravou um depoimento para um vídeo com momentos de sua passagem pelo Peixe.

Revelado pelo Alvinegro, Veríssimo jogará pelo Benfica (POR). A negociação foi concluída por 6,5 milhões de euros (R$ 43 mi): 2,5 milhões de euros (R$ 16 mi) agora, 2 milhões de euros (R$ 12,7 mi) em dezembro de 2021 e outros 2 milhões de euros (R$ 12,7 mi) em dezembro de 2022.

Lucas Veríssimo fez 187 jogos pelo Santos, com sete gols marcados. A estreia como profissional ocorreu em 2016. Ele tem 25 anos.

Marinho desabafa, valoriza vice e diz: “Obrigado ao Santos por me tornar quem sou hoje”

Marinho desabafou em publicação no Instagram no início da noite desta quarta-feira. O atacante do Santos havia saído da rede social para se concentrar antes da final da Libertadores da América contra o Palmeiras.

Eleito melhor jogador da competição continental, o camisa 11 valorizou o vice-campeonato e agradeceu ao Peixe em longo texto.

“Enfim, aqui estou a cada dia tendo que provar meu valor, sem esperar aprovação de A ou B! Não podemos nos crucificar demais quando nada dá certo, carregamos uma carga muito grande, nos preparamos diariamente, abdicamos de várias coisas, esperamos o momento pra chegar lá e vencer, ajudar, ser importante. Quando se tem um peso, uma responsabilidade gigante, e nos vemos falhar no dia mais importante da vida, ficamos mal, nos culpamos, nos sentimos frágeis, somos taxados de não servirmos mais. Parece que o que fizemos no percurso não valeu nada. É triste quando escutamos algo de quem não acompanha nossa caminhada. Ouvimos muitos comentaristas e respeito grande parte deles, mas muitos que nos criticaram não acompanham o nosso dia a dia, nossa luta. Faz parte julgar, mas esse julgamento precisa ser justo. Qual o nosso valor? Apenas quando vencemos? Ninguém vai apagar o trabalho, pois isso é a certeza de saber quem realmente somos. O maior vencedor nem sempre é quem ganha. Nas derrotas nos fortalecemos e aprendemos, pois só conseguimos vencer na vida quando se teve experiência na derrota”, disse Marinho.

“Ser vice-campeão da Libertadores não é demérito, é valorizar um trabalho que a maioria não acreditava, desdenhava ou até mesmo zombava da nossa capacidade e da grandeza do clube, do peso dessa camisa. Tenho orgulho do que fizemos, orgulho da família que criamos. Merecíamos esse título, nosso torcedor, por mais otimista que fosse, talvez não imaginava o quão longe chegaríamos, com toda dificuldade na temporada. Uma reflexão que fica: que não podemos desistir de quem sonha em ficar marcado, quem sonha em vencer, quem sonha em lutar, mesmo quando as circunstâncias parecem contrárias, só tenho que agradecer cada atleta, pessoal do staff, comissão técnica, funcionários do clube e torcedor. Todos que realmente acreditaram, mesmo quando não parecia ter luz no fim do túnel. O mais importante é saber que já somos mais que vencedores, vivenciamos o maior torneio do continente com outros gigantes que ficaram no meio do caminho, e o time improvável chegou a final por méritos, e não por acaso. O Santos é e continuará sendo um Gigante.
Obrigado ao Santos por me tornar quem sou hoje”, completou.

Com um edema ligamento colateral medial do joelho esquerdo, Marinho não tem prazo definido para voltar a jogar pelo Santos. O inchaço já diminuiu e a expectativa é de retornar ainda nessa edição do Campeonato Brasileiro.


Santos 3 x 4 Goiás

Data: 24/01/2021, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro 2020 – 32ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ).
Cartões amarelos: Luan Peres, Kaio Jorge e Guilherme Nunes (S); Breno, Rafael Moura e Iago Mendonça (G).
Gols: Lucas Braga (06-1) e Kaio Jorge (37-1); Rafael Moura (09-2), David Duarte (14-2), Fernandão (30-2, de pênalti), Rafael Moura (31-2) e Marinho (41-2, de pênalti).

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Bruno Marques); Sandry (Guilherme Nunes), Diego Pituca (Jean Mota) e Soteldo; Marinho, Lucas Braga (Lucas Lourenço) e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

GOIÁS
Tadeu; Heron, David Duarte e Iago Mendonça; Breno (Taylon), Henrique Lordelo, Shaylon (Indio), Daniel Silva e Jefferson (Vinicius); Fernandão e Rafael Moura.
Técnico: Glauber Ramos



Santos abre 2 a 0, sofre virada no segundo tempo e perde para o Goiás na Vila

O Santos perdeu por 4 a 3 para o Goiás neste domingo, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols dos visitantes foram marcados por Rafael Moura (2), David Duarte e Fernandão. O Peixe fez com Lucas Braga, Kaio Jorge e Marinho.

O Peixe dominou o Esmeraldino no primeiro tempo. Em ritmo de treino, fez 2 a 0 com jogadas bem trabalhadas e foi para o vestiário com expectativa de uma goleada. Na etapa final, porém, tudo mudou.

O Goiás mexeu em peças e posicionamento, fez quatro gols o Alvinegro demorou muito a reagir. O tropeço do Santos teve o agravante da arbitragem: um pênalti num toque na mão de David Duarte não foi sinalizado. E o pênalti convertido por Fernandão teria sido cometido por Sandry fora da área. O Esmeraldino, em compensação, reclamou da penalidade máxima sofrida e convertida por Marinho.

Com a derrota, o Peixe fica na 10ª colocação, com 45 pontos. O Goiás foi para 18º, com 29 pontos, e segue na zona do rebaixamento. O Santos voltará a campo com reservas para enfrentar o Atlético-MG na terça-feira, no Mineirão. O Esmeraldino visitará o Fluminense no domingo, no Engenhão.

O Peixe roda o elenco antes da final da Libertadores da América contra o Palmeiras no próximo sábado, no Maracanã. E a última impressão deixada pelos titulares não foi nada positiva…

O jogo

O Santos dominou o Goiás desde o primeiro minuto e não fez força para abrir 2 a 0 no placar no primeiro tempo. O Peixe poderia até ter feito mais gols nos 46 minutos iniciais.

Aos cinco minutos, Soteldo cruzou para Diego Pituca cabecear e Heron salvou quase na linha. Segundos depois, o Alvinegro trabalhou de pé em pé, Marinho quebrou a marcação com um passe de letra, Pituca cruzou e Lucas Braga completou. 1 a 0.

Aos 13, Marinho tocou para Soteldo obrigar Tadeu a fazer boa defesa. No minuto 24, Kaio Jorge acionou Lucas Braga e a bola chegou em Marinho, que perdeu na pequena área. Quando o placar marcava 33, Fernandão recuou errado e Marinho errou o passe para Soteldo.

No minuto 37, o Santos finalmente ampliou. E a jogada foi novamente bonita. Soteldo cruzou, Lucas Braga ajeitou de cabeça e o aniversariante Kaio Jorge estufou as redes. 2 a 0.

O Santos ficou no vestiário. O Goiás voltou em outro ritmo e não demorou a empatar o jogo. Os visitantes marcaram com Rafael Moura e David Duarte, em cobranças de escanteio aos 9 e 14 minutos.

O Esmeraldino não parou de atacar e fez mais dois gols: Fernandão fez após pênalti duvidoso de Sandry, aos 30 minutos. Instantes depois, Rafael Moura superou Lucas Veríssimo e Luan Peres e encobriu John. Um golaço de cobertura na Vila Belmiro.

O Peixe demorou a esboçar reação e fez o terceiro com Marinho aos 41 minutos, em pênalti sofrido e convertido pelo camisa 11. Mas já era tarde. Vitória heroica do vice-lanterna.

Cuca lamenta falta de um meia e cogita mudança no Santos para final

Cuca segue incomodado com a falta de um meia pronto para ser titular do Santos. O técnico tenta achar alternativas no próprio elenco, mas ainda não conseguiu.

E isso ficou mais uma vez claro na derrota do Peixe por 4 a 3 para o Goiás no último domingo, na Vila Belmiro, quando o treinador novamente mudou a formação tática.

Contra o 3-5-2 do Goiás, Cuca armou o Santos no primeiro tempo com uma linha de três com Pará, Lucas Veríssimo e Luan Peres, Lucas Braga e Felipe Jonatan como alas, Sandry e Diego Pituca no meio-campo e Marinho, Soteldo e Kaio Jorge com liberdade na frente. Uma tentativa de sobrepor a ausência de um armador.

“É uma busca que a gente tem tido ao longo de toda a temporada. Marinho fez com o Kaio Jorge na primeira etapa (a armação), no segundo tempo mais aberto. São lições que a gente tira para o futuro”, disse Cuca.

O técnico foi perguntado se o fato do Palmeiras jogar com quatro meio-campistas pode fazer com que o Santos não atue com quatro atacantes.

“Pode, por isso vamos estudar bem. Tudo pode. Sábado eu tenho que ter um dia perfeito para ter chance de ser campeão. E é o que tentaremos fazer”, avaliou.

Se sacar um atacante, o mais cotado a sair é Lucas Braga. Dessa forma, o Santos teria Alison, Sandry e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge. A definição ocorrerá ao longo da semana.

O Santos enfrentará o Palmeiras pela final da Libertadores da América no próximo sábado, no Maracanã.

Santos sofre quatro gols na Vila Belmiro pela primeira vez em quase 10 anos

O Santos sofreu quatro gols na Vila Belmiro pela primeira vez em quase 10 anos. O fato ocorreu na derrota por 4 a 3 para o Goiás no domingo, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A última vez foi em julho de 2011, na célebre vitória do Flamengo de Ronaldinho Gaúcho por 5 a 4. Na ocasião, o Peixe abriu 3 a 0 e terminou derrotado em casa.

O Alvinegro levou quatro gols na Vila em apenas 10 oportunidades na história do Brasileirão. E duas vezes diante do Goiás. Veja abaixo:

Santos 3 x 5 Vasco – 1995
Santos 4 x 4 Bragantino – 1995
Santos 4 x 4 Atlético-MG – 1998
Santos 1 x 4 Corinthians – 1999
Santos 0 x 4 Palmeiras – 2004
Santos 2 x 4 Fluminense – 2007
Santos 0 x 4 Goiás – 2008
Santos 3 x 4 São Paulo – 2009
Santos 4 x 5 Flamengo – 2011
Santos 3 x 4 Goiás – 2020


Santos 4 x 1 Grêmio

Data: 16/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (ambos da COL).
VAR: Nicolas Gallo (COL)
Cartões amarelos: John (S); Pinares, Pepê e Diego Souza (G).
Gols: Kaio Jorge (11segs-1), e Marinho (15-1); Kaio Jorge (09-2), Thaciano (35-2) e Laércio (38-2).

SANTOS
John; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Alison (Laércio), Sandry e Jobson (Guilherme Nunes); Marinho (Jean Mota), Lucas Braga e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

GRÊMIO
Vanderlei; Orejuela, Geromel, David Braz (Churín) e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Darlan (Pinares) e Jean Pyerre (Thaciano); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho



Com início fulminante, Santos goleia o Grêmio e está na semifinal da Libertadores

O Santos goleou o Grêmio por 4 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e está classificado para as semifinais da Libertadores da América. O Peixe havia empatado em 1 a 1 em Porto Alegre. O adversário será Boca Juniors ou Racing, da Argentina.

O Peixe contou com um início fulminante para se classificar. Kaio Jorge marcou aos 11 segundos e Marinho ampliou aos 15 minutos. No segundo tempo, Kaio fez mais um aos 9. Thaciano fez o de honra aos 35 e Laércio transformou o placar em goleada aos 38.

O Alvinegro de Cuca foi amplamente superior ao Tricolor de Renato Gaúcho desde o primeiro minuto e poderia até ter feito mais gols. O 4 a 1 ficou barato na Vila.

Nem o mais otimista torcedor do Santos esperava um começo tão avassalador. Após recuo ruim de Jean Pyerre e vacilo de David Braz, Kaio Jorge driblou Vanderlei e abriu o placar aos 11,4 segundos.

O Peixe não parou e, em 2 minutos, criou outras duas chances: Marinho finalizou cruzado para defesa de Vanderlei. Segundos depois, o camisa 11 tentou de novo de fora da área.

O Grêmio criou pela primeira vez aos 5 minutos. O Santos saiu jogando na pequena área, foi apertado por Diego Souza e Jean Pyerre apareceu sozinho na primeira trave, mas chutou por cima.

Quando o placar marcava 15 jogados, o Peixe deu uma aula de contra-ataque. Após escanteio do Grêmio, Marinho tocou para Sandry e disparou. O volante acionou Lucas Braga em profundidade e ele arrancou e cruzou para o próprio Marinho bater bonito e vencer Vanderlei. 2 a 0.

No minuto 26, o Santos quase fez o terceiro. Madson bateu lateral na área, Kaio Jorge desviou e Vanderlei espalmou. No rebote, Jobson chutou errado e a bola subiu. Aos 29, Lucas Veríssimo cabeceou com perigo.

O Grêmio chegou no minuto 30. Matheus Henrique tabelou com Pepê e chutou bem. O goleiro John desviou providencialmente e a bola ainda bateu no travessão.

E o início fulminante da etapa inicial foi repetido na final. Depois de Sandry e Marinho tentarem, Kaio Jorge apareceu novamente. O camisa 9 desviou após toque de cabeça de Madson em escanteio e fez o terceiro do Santos aos nove minutos.

Depois do terceiro gol e das saídas de Felipe Jonatan, Jobson e Marinho por cansaço muscular, o Peixe passou a administrar o resultado. E passou a sofrer um pouco na defesa.

O Grêmio assustava no jogo aéreo. Aos 30 minutos, David Braz cobrou falta com categoria e John espalmou. No escanteio, Diego Souza apareceu sozinho e cabeceou por cima. E aos 35, Ferreira cruzou e Thaciano cabeceou no segundo pau.

O Santos, porém, freou qualquer reação do adversário. Aos 38 minutos, Jean Mota cruzou e Laércio cabeceou. 4 a 1 no placar. E goleada na Vila Belmiro. Goleada merecida.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta Santos após goleada sobre o Grêmio: “Dinheiro é a última coisa que pensamos”

O técnico Cuca exaltou o elenco do Santos após a vitória por 4 a 1 sobre o Grêmio nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, com a classificação para a semifinal da Libertadores da América.

Cuca precisou poupar os titulares na derrota pelos mesmos 4 a 1 contra o Flamengo, no fim de semana. Os jovens receberam críticas e deram conta do recado hoje.

“Não jogamos o melhor futebol do Brasil, mas entendemos o adversário. Fomos guerreiros, humildes, marcamos forte. Foram sensacionais. O que me dói muito é expor a meninada no domingo como expus. Dói o coração. Não faz mal eu tomar quatro no Rio de Janeiro e arriscar 6 ou 8, mas tinha que dar o ideal para hoje, essa intensidade. Pus quatro caras cascudos, Alison, Luiz Felipe, Jean Mota e João Paulo. Flamengo super motivado, com uma única competição. Perco o Vinicius Balieiro e fica mais difícil. Não jogamos mal, mas tomamos quatro com meninos. E as críticas aparecem. Se eu escutasse, não jogavam. E hoje foram monstros. Esse jogo não foi ganho só hoje, foi trabalhado com a derrota dolorosa do Flamengo”, disse Cuca.

“Eu sabia do potencial deles. Nunca me queixei das dificuldades. Eu valorizo o que tenho. Quando Grêmio empatou em Porto Alegre, vem raiva muito grande porque guris não merecem. E conseguimos entender hoje. Se ganhássemos de 1 a 0, teríamos o mesmo início de hoje? Hoje eu entendi porque sofremos o gol lá. Tivemos início avassalador. Pegamos confiança, corpo e fizemos grande jogo”, completou.

O técnico ainda comentou sobre os desfalques – Pará, Diego Pituca e Soteldo, além de Jobson substituído no intervalo -, e valorizou o “desapego” ao dinheiro.

“Devíamos perguntar ao torcedor do Santos a alegria. Tanta dificuldade, pai do céu. Jogador com covid, que na hora H não pode jogar. E a gente vai criando opções no elenco. Não dormimos para pensar no Pituca, Pará, Jobson, Soteldo fora… A gente se pergunta e meninos aparecem. Passamos para eles a confiança e dão resultado desse. Fico muito feliz. Não sei se vamos para a final, mas estou muito orgulhoso. Última coisa que pensamos no Santos é dinheiro, até porque está curto. Mas temos alegria para trabalhar”, afirmou.

“Santos sempre chega, mas é pé no chão. Vamos passar Natal e ano novo maravilhosos. Sabíamos que não lutaríamos pelo título do Brasileirão, mas que estaríamos na parte de cima. Nosso elenco não é para três competições, temos time ajustado e muitos meninos. Mas jogo de hoje nos transforma. Grêmio, Olimpia, LDU… Meninos estão se transformando em homens dentro do campo. É a maior alegria do nosso trabalho”, concluiu.


Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 09/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de ida
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Juan Benitez (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do PAR).
VAR: Eber Aquino (PAR)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa, Maicon e Matheus Henrique (G); Luan Peres, Jobson, Diego Pituca e Sandry (S).
Cartão vermelho: Diego Pituca (S).
Gols: Kaio Jorge (35-1); Diego Souza (56-2, de pênalti).

GRÊMIO
Vanderlei; Victor Ferraz (Churín), Geromel, Kannemann e Diogo Barbosa; Maicon (Darlan), Matheus Henrique e Pinares (Everton); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
John; Pará (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Sandry (Vinicius Balieiro) e Jobson (Alison); Marinho (Bruno Marques), Lucas Braga e Kaio Jorge (Madson).
Técnico: Cuca



Com gol sofrido no fim, Santos empata com o Grêmio em Porto Alegre pela Libertadores

O Santos empatou com o Grêmio em 1 a 1 a noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Kaio Jorge e Diego Souza.

Mesmo sem Soteldo, com covid-19, o Peixe controlou a partida desde os primeiros minutos e cedeu poucos espaços ao Tricolor. Nos minutos finais, porém, os donos da casa esboçaram reação e conseguiram um pênalti com o auxílio do VAR nos acréscimos. Bola no braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu com categoria.

Com o empate com gols, o Santos pode empatar por 0 a 0 na Vila Belmiro na próxima quarta para avançar à semifinal. Novo 1 a 1 levaria a decisão para os pênaltis. E quem vencer, obviamente, passa.

O jogo

O Santos não deixou o Grêmio controlar o jogo em momento algum. O Peixe adiantou as linhas e freou a pressão inicial dos donos da casa. A partir da metade do primeiro tempo, o Alvinegro passou a dominar.

O Santos finalizou seis vezes, contra apenas um chute do Tricolor. E a vantagem tática se transformou em gol aos 35 minutos. Pará cruzou, Vanderlei saiu errado, Felipe Jonatan desviou e Kaio Jorge completou.

A tônica continuou a mesma na etapa final. Um Grêmio pouco criativo diante de um Santos organizado e perigoso no contra-ataque. O Peixe seguiu finalizando mais que o adversário.

Sem espaço, o Tricolor abusou da bola parada e das finalizações de fora da área. Aos 21, David Braz cobrou falta de longe e obrigou John a fazer boa defesa.

Aos 23, o Santos respondeu. Diego Pituca finalizou de longe, Vanderlei espalmou e no rebote a bola sobrou limpa para Kaio Jorge, que bateu cruzado e a bola passou muito perto.

Nos minutos finais, o Peixe recuou, porém, o Grêmio seguiu praticamente inofensivo. Com a expulsão de Diego Pituca, os donos da casa avançaram e conseguiram o empate em um pênalti. Com auxílio do VAR, a arbitragem assinalou braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu aos 56 minutos da etapa final.

Cuca valoriza estratégia “corajosa” do Santos, mas lamenta pênalti “inconclusivo” no empate com o Grêmio

Cuca valorizou a estratégia do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe foi melhor na maior parte do tempo, mas sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, em pênalti polêmico convertido por Diego Souza após auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola após cruzamento.

“Grêmio joga um dos melhores futebol do Brasil, grande elenco, treinador com cinco anos à frente do clube. Quem vem aqui pensando em defender fatalmente perde. Então viemos para jogar, com coragem, e criamos chances, até mais que o Grêmio. Perdemos gols claros no segundo tempo que poderiam ter definido o confronto e fomos penalizados no fim com gol de empate. Não é a primeira vez, outro lance inconclusivo. Não vou falar de arbitragem, ficamos reféns de uma interpretação, lupa ou microcâmera para pegar detalhe que não está no sentimento do jogo. Se jogador quis tomar vantagem ou foi casual. Apesar do grande jogo do Santos, saio profundamente chateado com o resultado”, disse Cuca.

“Jogo teve de tudo, deixa sabor bom pelo que o time jogou. São poucos times que envolvem o Santos, sempre batemos de frente. Fica a frustração pelos gols perdidos em uma bela partida e maneira como tomamos o gol no fim do jogo, com um jogador expulso. Arbitragem mexe no emocional. Expulsa um do Grêmio e VAR retira, amarela e quase te expulsa. Grêmio não teve reais chances de gol, aquele momento de pensarmos que íamos empatar. Fizemos as trocas em cima do cansaço. Jogadores sentiram, foi muita intensidade nossa. Se antes do jogo soubéssemos que era 1 a 1, seria um baita resultado. E não foi um baita resultado pelo que jogamos”, completou.

Outro que reclamou da arbitragem foi Kaio Jorge. E o atacante foi mais incisivo.

“Na minha visão não foi pênalti. Árbitro mal viu o replay. Acho que meteram a mão na gente ali”, afirmou.

Kaio Jorge lamenta falta de “capricho” do Santos em empate com o Grêmio

Autor do gol, Kaio Jorge lamentou a falta de “capricho” do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe fez 1 a 0, teve chances de ampliar e sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, num pênalti convertido por Diego Souza com o auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola.

“Estamos muito vivos. Próximo jogo é na nossa casa”, disse Kaio.

“Fizemos excelente primeiro tempo e poderíamos ter feito mais gols. Na Vila temos que caprichar mais”, completou.