Navegando Posts marcados como Juventude

Santos 0 x 0 Juventude

Data: 12/06/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha.
VAR: Rodrigo Nunes de Sá
Cartões amarelos: Luan Peres e Jean Mota (S); Elton, Guilherme Castilho e Capixaba (J).

SANTOS
John; Pará (Madson), Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota e Gabriel Pirani; Marinho, Marcos Guilherme e Kaio Jorge.
Técnico: Fernando Diniz

JUVENTUDE
Marcelo Carné; Michel, Vitor Mendes Rafael Forster e Alyson; Wescley, Elton, Guilherme Castilho, Capixaba (Bruninho) e Chico (Fernando Pacheco); Marcos Vinicios e Wescley (Matheus Jesus).
Técnico: Marquinhos Santos



Sem inspiração, Santos só empata com o Juventude na Vila Belmiro

O Santos jogou mal e só empatou em 0 a 0 com o Juventude neste sábado, na Vila Belmiro, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe criou quase nada diante do defensivo time de Caxias do Sul. O técnico Fernando Diniz tirou o zagueiro Luiz Felipe para a entrada de Marcos Leonardo no intervalo, mas não adiantou.

Com o resultado, o Alvinegro chega a quatro pontos no Brasileirão e é o nono colocado. O Juventude é o 13 na tabela, com dois.

O jogo

O cenário foi claro na primeira etapa: o Santos tentou o propor o jogo, enquanto o Juventude buscou os contra-ataques. Estratégia por estratégia, os visitantes foram melhores.

O Peixe pouco criou e teve muita dificuldade para ficar com a bola. A melhor chance só ocorreu nos acréscimos, em jogada individual do zagueiro Luiz Felipe. O cabeceio de Kaio Jorge passou perto.

Diniz colocou o Santos para frente no segundo tempo: o técnico tirou o zagueiro Luiz Felipe para a entrada do atacante Marcos Leonardo. Alison foi zagueiro na etapa final.

A alteração não adiantou. O Peixe esbarrou na retranca do Juventude e criou quase nada. O goleiro Marcelo Carné não fez sequer uma defesa. Nos minutos finais, o Alvinegro pediu pênalti de Rafael Forster em cobrança de falta de Kaio Jorge. A arbitragem nada marcou.

Diniz cita retranca do Juventude, mas lamenta “circulação baixa” e “pouca profundidade” do Santos

O técnico Fernando Diniz justificou o empate do Santos em 0 a 0 com o Juventude na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador falou sobre a retranca dos visitantes e dos defeitos do Peixe.

“Dois motivos principais: a postura do Juventude. Time se negou até a contra-atacar. Os dois da frente mais marcavam que jogavam e isso dificulta muito a competir. E o Santos teve circulação baixa, pouca profundidade. Juntando esses fatores, não tivemos muitas oportunidades”, disse Diniz.

Diniz avalia má fase de Marinho no Santos e despista sobre Camacho: “Assunto interno”

O técnico Fernando Diniz avaliou a má fase de Marinho. O atacante do Santos ainda não conseguiu repetir o desempenho da última temporada após uma lesão no joelho.

O treinador elogiou o camisa 11 após o empate do Peixe em 0 a 0 com o Juventude neste sábado, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

“O Marinho além de ser um grande jogador, é uma grande pessoa. Converso bastante com ele desde minha chegada, como converso com todos. A temporada que ele fez ano passado, as coisas aconteceram. Principalmente na Libertadores. A gente espera que as coisas aconteçam de forma automática. Ele é o nosso principal jogador, confiamos muito nele e sabemos que ele vai conseguir render o que rendeu no passado. É um jogador que pode decidir, está se empenhando muito nos treinamentos. É muito importante para nós todos aqui”, disse Diniz.

O técnico também comentou sobre Camacho, do Corinthians. A negociação pelo empréstimo do meio-campista está avançada.

Eu não vou falar de jogador que não está aqui ainda. Assunto interno (…) Caso ele venha, a gente fala do Camacho”, afirmou.

Jean Mota diz que Santos se preparou para retranca do Juventude: “Não conseguimos furar”

Jean Mota lamentou o insucesso do Santos para furar a retranca do Juventude. O Peixe só empatou em 0 a 0 neste sábado, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O meio-campista afirmou que o Santos se preparou para esse cenário, mas não conseguiu ser eficiente.

“A posse de bola não foi atrás com o goleiro, foi do meio para frente. Estavam os 10 atrás, praticamente dentro da área. Treinamos para isso, mas infelizmente não conseguimos furar a defesa deles”, disse Jean, ao Premiere.

Luan Peres recebe terceiro cartão amarelo e será desfalque do Santos contra o Fluminense

Luan Peres será desfalque do Santos contra o Fluminense na próxima quinta-feira, no Maracanã, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

O zagueiro recebeu o terceiro cartão amarelo na partida diante do Juventude neste sábado, na Vila Belmiro, pela terceira rodada da competição nacional.

As opções do técnico Fernando Diniz para substituir Luan são Danilo Boza, Kaiky e Robson ou o volante Alison. Alex não tem sido relacionado.


Santos 1 x 0 Juventude

Data: 08/09/2007, sábado.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Wagner dos Santos Rosa (RJ)
Auxiliares: Aristeu Leonardo Tavares (RJ) e Marlei Leite da Silva (MG).
Cartões amarelos: Régis, Vanzini, Barão, Luciano e Marabá (J).
Gol: Renatinho (39-2).

SANTOS
Roger; Baiano, Adaílton, Marcelo e Dionísio; Adoniran, Rodrigo Souto (Adriano), Vítor Júnior (Marcos Aurélio) e Rodrigo Tabata (Petkovic); Renatinho e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

JUVENTUDE
Michel Alves; Nunes, Régis e Leonardo Silva; Barão, Marcão, Vanzini (Marabá), Bruno (Ivo) e Zé Rodolpho; Renato e Tadeu (Luciano)
Técnico: Beto Almeida



No sufoco, Santos bate Juventude e consolida lugar no G-4

O Santos teve dificuldades para passar pela marcação do Juventude, mas venceu a equipe da Serra Gaúcha por 1 a 0, com gol controverso, na noite deste sábado, na Vila Belmiro, e termina a 25ª rodada do Campeonato Brasileiro com o terceiro lugar e uma vaga no G-4 assegurados.

“O importante é que o Santos está vindo somando pontos, e embora vencendo pela contagem mínima, estamos em uma boa toada e com ela vamos conquistar nosso objetivo de classificar para a Libertadores”, declarou o goleiro Roger.

Com a vitória, o clube da Baixada subiu aos 42 pontos. Esta é a segunda jornada que a equipe passa na zona de classificação à Copa Libertadores, na qual entrou ao bater outro gaúcho, o Internacional, também em casa, na última quarta-feira.

O resultado ainda mostra que o time comandado por Vanderlei Luxemburgo aprendeu a atuar diante de equipes que lutam para permanecer na elite do futebol brasileiro no próximo ano. No primeiro turno, o clube alvinegro havia caído diante de América-RN e Náutico, mas na reta final da competição nacional já bateu o atual lanterna e, agora, o Juventude.

O time de Caxias do Sul permanece na antepenúltima colocação com 26 pontos. A equipe recebeu, com o revés, um “balde de água fria” em sua ascensão, já que havia vencido Goiás, América-RN e o vice-líder Cruzeiro em seus últimos três jogos.

As duas equipes protagonizaram um primeiro tempo bastante movimentado, no qual as boas atuações dos goleiros Roger e Michel Alves impediram que o placar fosse alterado nos primeiros 45 minutos. O Santos tomou a iniciativa das jogadas ofensivas e teve mais posse de bola, mas os visitantes não jogaram recuados e também assustaram em lances de contra-ataque.

Para o segundo tempo, Luxemburgo promoveu a entrada do meia Petkovic na vaga de Rodrigo Tabata. A mudança não surtiu efeito e, aos poucos, a torcida santista começou a ficar impaciente e chegou a vaiar a equipe, que não desistiu do ataque.

Aos 39min, após cruzamento da direita, Renatinho ganhou a disputa com o goleiro Michel Alves. O zagueiro Régis ainda desviou com a cabeça antes de a bola entrar. O time do Juventude reclamou muito de falta do atacante santista, mas o árbitro deu o gol.

“Ao meu ver, foi falta do Renatinho no Michel, e ele não interpretou dessa maneira, o que prejudicou nosso time” falou o volante Marabá.

Na próxima rodada, o Santos tem pela frente o clássico contra o líder São Paulo. A partida será disputada no sábado, dia 15 de setembro, às 18h10, no Morumbi. Um dia depois, também às 18h10, o Juventude joga contra o Figueirense, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Juventude 0 x 2 Santos

Data: 17/06/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Árbitro: Willian Marcelo Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Hilton José Moutinho e Jorge Luiz Campos Roxo (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Alessandro (S), Lauro (J), Adriano (S) e Cláudio (J)
Gols: Cléber Santana (01-1) e Marcos Aurélio (31-1).

JUVENTUDE
Michel Alves, Ricardo, Leonardo Silva, Cedrola e Márcio Azevedo (Wescley); Marcão, Lauro, Beto e Bruno (Éber); Michel e Alex Alves (Cláudio)
Técnico: Flávio Campos

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Domingos e Carlinhos; Rodrigo Souto, Adriano, Cléber Santana e Pedrinho (Rodrigo Tabata); Renatinho (Moraes) e Marcos Aurélio (Marcelo).
Técnicos: Nei e Serginho Chulapa



Santos vence Juventude em Caxias e supera mau momento

O Santos deu o primeiro passo para superar o seu mau momento na temporada. Em meio à turbulência posterior à eliminação da Copa Libertadores, o time da Vila Belmiro visitou, neste domingo, o Juventude em Caxias do Sul, venceu por 2 a 0 e conseguiu se livrar da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos chegou aos sete pontos e pulou para a 14ª posição na tabela da Serie A, beneficiado pelos maus resultados de Grêmio, Náutico, Flamengo, Sport e América-RN na rodada. Já para o Juventude, o revés significou a permanência na casa dos seis pontos, na 15ª colocação, fora da área do perigo apenas pelos critérios de desempate (saldo de gols).

Para o Santos, mais importante que a vitória em si foi recuperar a auto-estima perdida nos últimos tempos. Desde a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR fora de casa, há três rodadas, o time alvinegro não conseguia ter bons resultados.

Logo depois do confronto diante dos paranaense veio o primeiro jogo da semifinal da Copa Libertadores, que terminou 2 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre. Na seqüência veio o empate por 1 a 1 com o Corinthians na Vila Belmiro e a vitória em casa por 3 a 1 sobre o time gaúcho, que marcou a eliminação do Santos do torneio continental.

Depois disso, além de perder para o Internacional no Beira-Rio por 1 a 0, o time alvinegro ainda viu Zé Roberto, seu principal astro, anunciar sua transferência para o futebol europeu e a torcida viver a expectativa de um possível desmanche.

Para o confronto em Caxias, os problemas não eram poucos. Maldonado, lesionado, Kléber, servindo a seleção brasileira, e até Vanderlei Luxemburgo (que chegou a indicar alterações para o seu auxiliar Serginho Chulapa pelo telefone), recuperando-se de cirurgia no apêndice, desfalcaram o Santos. O triunfo sobre o Juventude, então, pode significar uma reviravolta na temporada alvinegra.

Um dos motivos para acreditar nisso é a quebra de um tabu recente contra gaúchos. A última vitória do Santos no Rio Grande do Sul havia sido no Brasileiro de 2005, quando a equipe alvinegra venceu o Internacional por 1 a 0. De lá para cá, haviam sido cinco jogos, com quatro derrotas e apenas um empate.

E conseguir o feito não foi tão complicado assim. O passo inicial para o triunfo foi dado logo no primeiro minuto de jogo. Cléber Santana, em um chute de fora da área, abriu o placar e quebrou um jejum pessoal de mais de dois meses sem marcar gols (a última vez havia sido no dia 8 de abril, contra o Noroeste, ainda pela primeira fase do Campeonato Paulista).

O gol pegou o Juventude de surpresa, e a equipe da casa tentou partir para o ataque com tudo na tentativa igualar o marcador. Em um contra-ataque, porém, os visitantes fizeram o segundo com um belo voleio do atacante Marcos Aurélio.

Daí em diante, uma virada parecia algo distante para a equipe alviverde, e o Santos conseguiu dominar as ações no seu campo de defesa, mesmo quando o time gaúcho ameaçava fazer uma pressão. O resultado, então, acabou ficando 2 a 0 para os paulistas.

Na próxima rodada, o Santos fará o clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro, tentando consolidar sua reação no Campeonato Brasileiro com a primeira vitória em casa. Já o Juventude receberá o Figueirense buscando se manter longe da zona do rebaixamento.

Juventude 3 x 2 Santos

Data: 01/11/2006, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Público: 4.921
Renda: R$ 23.935,00
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Antônio Carlos, Fernando, Ederson, Bruno e Christian (J); Cléber Santana e Wellington Paulista (S).
Cartão vermelho: Luiz Alberto (S)
Gols: Christian (16-1) e Rodrigo Tabata (40-1); Igor (09-2, contra), Alexandre (12-2) e Raulen (25-2).

JUVENTUDE
André; Igor, Fabrício, Antônio Carlos e Wellington (Raulen); Renan, Fernando, Alexandre (Ederson) e Márcio Azevedo; Bruno (Leandrinho) e Christian.
Técnico: Ivo Wortmann

SANTOS
Felipe; André, Manzur, Luiz Alberto e Kléber; Heleno (Leandro), André Luis (Carlinhos), Cléber Santana e Rodrigo Tabata; Reinaldo e Wellington Paulista (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde em Caxias e segue sem vencer fora de SP

O Santos foi até Caxias do Sul e perdeu por 3 a 2 para o Juventude, nesta quarta-feira, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, e segue sem vencer jogos fora de seu Estado durante a competição.

A derrota praticamente elimina as chances da equipe de conquistar o título nacional, já que agora permanece 55 pontos, oito a menos que o líder São Paulo, que amanhã enfrenta a Ponte Preta, no Morumbi.

O time da Baixada segue lutando por uma vaga na Taça Libertadores, e por essa disputa foi beneficiado pelas derrotas de Grêmio e Vasco na rodada. O Juventude, com a vitória, foi a 42 pontos.

Para a partida de hoje, o técnico Vanderlei Luxemburgo não pôde contar com o meia Zé Roberto. Os zagueiros Ronaldo Guiaro e Domingos também foram desfalques. O primeiro foi suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos e o segundo cumpriu pena imposta pela Justiça Desportiva.

O técnico Vanderlei Luxemburgo desfez o esquema 3-5-2 e montou o time com dois zagueiros, colocando no meio-campo André Luiz, Heleno, Tabata e Cléber Santana.

O jogo

O Santos começou a partida acuado e via o Juventude ter mais atitude ofensiva. O time da casa criou boa chance aos 10min, quando após cobrança de escanteio, Fabrício cabeceou na trave, pegou o rebote e chutou para fora.

Mas o time gaúcho não demoraria para abrir o marcador. Aos 15min, Christian recebeu livre na esquerda e chutou forte, sem chances para o goleiro Felipe: 1 a 0.

O Santos assustou pela primeira vez aos 28min, quando Wellington Paulista arriscou de fora da área, e a bola bateu no travessão, e Rodrigo Tabata pegou o rebote, mas chutou travado.

O time paulista voltou melhor na segunda etapa e virou o placar. Aos 9min, Reinaldo deu bom passe para Rodrigo Tabata, que chutou por cobertura, e a bola bateu no travessão e no zagueiro Igor e entrou.

Mas o Juventude não deu nem tempo para os visitantes comemorarem. Três minutos depois, Alexandre recebeu bola dentro da área e chutou forte de esquerda: 2 a 2.

No momento em que o jogo ficou equilibrado, o time de Caxias conseguiu virar o marcador. Aos 25min, Raulen chutou forte de fora da área, e o goleiro Felipe não conseguiu defender: 3 a 2.


Santos 3 x 2 Juventude

Data: 23/07/2006
Competição: Campeonato Brasileiro – 13ª rodada
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.844 pagantes
Renda: R$ 130.000,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Aparecido Donizetti Santana e Gilson Bento Coutinho (ambos do PR).
Cartões amarelos: Rafael e Éder Ceccon (J); Maldonado, Dênis e Marco Antônio(S).
Gols: Fabiano (06-2) Éder Ceccon (16-2), Reinaldo (22-2, de pênalti), Éder Ceccon (24-2) e Reinaldo (27-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dênis, Manzur, Luiz Alberto e Kléber; Ávalos, Maldonado, Wendel, Rodrigo Tabata (André); Fabiano (Rodrigo Tiuí) e Reinaldo (Wellington Paulista).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

JUVENTUDE
André; Rafael, Fabrício e Antônio Carlos; Raulen (Wellington), Renan, Walker, Marcel, Alexandre (Éder Ceccon) e Zé Rodolpho; Christian.
Técnico: Ivo Wortmann



Santos derrota o Juventude e quebra série de quatro jogos sem vencer

Com dois gols do atacante Reinaldo, o Santos venceu o Juventude por 3 a 2, neste domingo, na Vila Belmiro, em jogo da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Santos entrou em campo buscando encerrar uma série de quatro partidas sem vencer –derrotas para Grêmio, Figueirense e São Caetano, além de empate com o Botafogo.

Com o resultado, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo chegou a 21 pontos na tabela de classificação –o São Paulo lidera com 29. o Juventude tem 17.

No primeiro tempo, em um jogo de forte marcação, as duas equipes tiveram dificuldades para criar chances de perigo. O Santos chegou duas vezes em chutes de fora da área do atacante Fabiano –um para fora e o outro defendido pelo goleiro André.

Já o Juventude tentava incomodar em cruzamentos buscando o atacante Christian, além das jogadas individuais de Marcel.

Aos 35min, o time gaúcho reclamou de uma entrada do goleiro Fábio Costa, dentro da área, no atacante Christian, que foi atingido e caiu após o choque. No entanto, o árbitro Heber Roberto Lopes deixou o lance seguir.

“Tivemos mais oportunidades do que eles, mas precisamos acertar nas finalizações. Temos que ter atitude para marcar os gols”, desabafou o volante santista Wendel, na saída para o intervalo.

Aos 7min da etapa final, o Santos abriu o placar. O meia Rodrigo Tabata recebeu lançamento e tocou com o peito para Fabiano, que bateu forte e marcou.

Após o gol, o time de Caxias do Sul apertou. Primeiro, aos 14min, Christian chutou forte e Fábio Costa defendeu. No minuto seguinte, Christian cabeceou e Fábio Costa evitou o gol numa grande defesa.

De tanto insistir, o Juventude empatou aos 16min. Christian cabeceou na trave e, no rebote, Éder Ceccon conseguiu empurrar para o gol, também de cabeça.

O Santos, no entanto, chegou ao segundo gol aos 23min, de pênalti sofrido por Wendel em uma disputa de bola com Antônio Carlos. Reinaldo bateu forte e marcou.

No entanto, o Santos teve pouco tempo para comemorar. No minuto seguinte, após cruzamento da esquerda, Éder Ceccon marcou de cabeça, 2 a 2.

Aos 27min, o Santos assegurou a vitória num lindo chute de fora da área de Reinaldo, sem chance de defesa para André.