Navegando Posts marcados como Ipatinga

Santos FC x Ipatinga FC
Santos Futebol Clube x Ipatinga Futebol Clube


Retrospecto:

04 jogos
01 vitória
03 empates
00 derrota
07 gols pró
03 gols contra
04 saldo

Resultados:

26/04/2006 – Santos 1 x 1 Ipatinga – Copa do Brasil – Vila Belmiro
03/05/2006 – Santos 1 x 1 Ipatinga – 3 x 5 nos pênaltis – Copa do Brasil – Ipatingão
18/05/2008 – Santos 4 x 0 Ipatinga – Brasileiro – Vila Belmiro
20/08/2008 – Santos 1 x 1 Ipatinga – Brasileiro – Ipatingão

Ipatinga 1 x 1 Santos

Data: 20/08/2008, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Municipal João Lamego Netto, o Ipatingão, em Ipatinga, MG.
Público: 1.086 pagantes
Renda: R$ 8.640,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Claudemir Maffessoni (SC).
Cartões amarelos: Henrique (I)
Gols: Cuevas (37-2) e Henrique (39-2).

IPATINGA
Fernando, Márcio Gabriel, Patrick (Léo Oliveira), Gian (Augusto Recife), e Beto; Henrique, Leandro Salino, Luís Fernando (Luciano Mandi) e Sandro Manoel; Kempes e Ferreira.
Técnico: Ricardo Drubscky

SANTOS
Douglas; Dionísio, Fabiano Eller, Domingos e Kleber (Carleto); Brum, Wendel, Bida e Robinho (Paulo Henrique); Lima (Cuevas) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes



Ipatinga e Santos empatam por 1 a 1 no duelo dos piores do Brasileiro

Ipatinga e Santos empataram por 1 a 1, nesta quarta-feira, em Minas, e demonstraram por que figuram nas duas últimas colocações do Campeonato Brasileiro.

Em um jogo tecnicamente fraco, os times deixaram o Ipatingão cabisbaixos. Não é para menos: o time mineiro segue na lanterna, 17 pontos, dois pontos atrás do Santos, penúltimo colocado.

O primeiro tempo evidenciou o posicionamento das equipes na tabela do Brasileiro. Santos e Ipatinga criaram boas chances na etapa inicial, mas falhavam nos arremates.

Com maior controle de jogo, o Santos teve duas excelentes oportunidades de abrir o placar, com Lima, que chutou no travessão, e Kleber Pereira, em chegada com perigo na área rival.

Recheado de jogadores com pouca rodagem no Santos, o time paulista apresentou falta de entrosamento. Estreante no Santos, o meio-campista Bida contribuiu ofensivamente, sendo o principal destaque do time. Já o meia Robinho ainda ressentiu de melhor condicionamento físico, após longo tempo afastado por lesão.

Um dos poucos medalhões do Santos em campo, o lateral-esquerdo Kleber deixou o campo na segunda etapa com uma lesão no tornozelo direito e é dúvida para o compromisso diante do Cruzeiro, no final de semana, na Vila.

Sem qualquer criação de jogadas no ataque, os times apostaram em jogadas pelo alto na área e em lances de bola parada. E foi no “chutão” que o Santos abriu o placar.

Em um chute da defesa santista diretamente para o ataque, o zagueiro do Ipatinga Léo Oliveira recuou erradamente. Esperto, Cuevas se antecipou para marcar.

Não houve nem tempo para comemoração. Na saída de bola após o gol, o Ipatinga conseguiu escanteio. Na batida, Henrique aproveitou rebote e empatou o duelo.

Nos acréscimos, Kleber Pereira por pouco não recoloca o Santos em vantagem, mas Fernando executou grande defesa.


Santos 4 x 0 Ipatinga

Data: 18/05/2008
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.396 pagantes
Renda: R$ 28.410,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR).
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO).
Cartões amarelos: Renato, Neto Baiano e William (I); Kléber Pereira e Marcinho Guerreiro (S).
Gols: Kléber (15-1); Kléber Pereira (21-2), Kléber Pereira (24-2) e Kléber Pereira (35-2).

SANTOS
Fábio Costa; Betão, Fabão, Marcelo (Anderson Sales) e Kléber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Molina (Rodrigo Tabata); Wesley (Tripodi), Kléber Pereira e Lima.
Técnico: Emerson Leão

IPATINGA
Fred; Edimar, Renato, Gian e Mariano; Jackson, Augusto Recife, Marcelo Costa e Ricardinho (Rodriguinho); William (Adeílson) e Neto Baiano (Marcelo Macedo).
Técnico: Giba



Kléber Pereira marca três, o Santos goleia e embala para a Libertadores

Após início sonolento, Peixe desencanta e faz 4 a 0 no Ipatinga

Com a cabeça na partida da próxima quinta-feira, diante do América do México, pela Libertadores, o Santos entrou em campo com todos os titulares neste domingo para encarar o Ipatinga, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Brasileirão, e não deu chance para o azar: 4 a 0, com três gols de Kléber Pereira. Kléber completou o placar.

Com o resultado o Peixe pula para o sétimo lugar, com três pontos, e empurra o Ipatinga para a lanterna da competição, com duas derrotas em dois jogos. No próximo fim de semana, o Tigre encara o Goiás, em Goiânia, e o Santos vai a Belo Horizonte jogar contra o Cruzeiro.


Santos 1 x 1 Ipatinga

Data: 26/04/2006, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.038 pagantes
Renda: R$ 60.491,00
Árbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE)
Auxiliares: Erich Bartholomeu Bandeira (PE) e Milton Otaviano dos Santos (RN)
Cartões amarelos: Neto, Cléber Santana, Reinaldo (S); Teco, Leandro Salino, Léo Silva, Camanducaia (I).
Gols: André (37-1); Cléber Santana (39-2).

SANTOS
Fábio Costa; Neto, Luiz Alberto, Manzur e Kléber; Fabinho, Wendel (Rodrigo Tabata), Cléber Santana e Léo Lima (Geilson); De Nigris (Magnum) e Reinaldo.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

IPATINGA
Rodrigo Posso; Dênis, Irineu, Teco e Marinho; Paulinho, Léo Silva, Leandro Salino e Enrico; Camanducaia (Gustavinho) e André.
Técnico: Ney Franco



Gol no fim mantém Santos ‘vivo’ na Copa do Brasil

A força da Vila Belmiro não foi suficiente para o Santos conseguir a vitória sobre o Ipatinga. Nesta quarta-feira, o clube praiano ficou no empate com a equipe mineira por 1 a 1, mas segue com boas chances de chegar às semifinais da Copa do Brasil. O resultado também pôs um fim à campanha de triunfos do time da Baixada em seu estádio.

Com o resultado, a equipe paulista precisa da vitória no dia 3 de maio, em Ipatinga, para assegurar a vaga. Caso o clube praiano empate por mais de dois gols, passa à próxima fase pelo número de vezes que marcou fora de casa. Se repetir o placar do jogo desta quarta-feira, o confronto será decidido nos pênaltis – 0 a 0 coloca o Ipatinga na semifinal.

A equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo começou melhor na partida, mas não conseguiu balançar as redes e levou o primeiro gol aos 37min da etapa inicial. André aproveitou rebote de Fábio Costa e completou para inaugurar o marcador. No segundo tempo, os anfitriões conseguiram o empate com pênalti de Cléber Santana.

A derrota acabou com o aproveitamento de 100% do Santos atuando em seu estádio. Nas 12 partidas que jogou (no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil) em 2006, o time alvinegro havia vencido todas elas.

O Ipatinga, por sua vez, havia triunfado em todos os jogos da competição. Foram seis vitórias, sendo cinco delas com três gols da equipe mineira. O número não se repetiu, mas o time do técnico Ney Franco mantém a invencibilidade.

A presença de Vanderlei Luxemburgo no banco de reservas só foi confirmada na última terça-feira, quando o departamento jurídico do time alvinegro conseguiu suspender a liminar imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva.

De acordo com o órgão, o treinador teria ofendido o arbitro Rodrigo Martins Cintra após o clássico contra o São Paulo, no dia 2 de abril, pelo Campeonato Paulista. Luxemburgo levou a punição de 60 jogos de suspensão, mas ele foi liberado do castigo até haver um novo julgamento e ficou livre para comandar sua equipe.

“Eles [Ipatinga] têm uma ótima equipe, com bons jogadores. Foi um time muito acertado dentro de campo, com atletas em ótimo estado físico. Dentro das circunstâncias, acredito que foi um resultado razoável”, declarou o comandante santista.

O clube da Baixada volta a campo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro neste domingo. O adversário será o Palmeiras, que empatou com o São Paulo por 1 a 1 nesta quarta-feira, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores.

O jogo

Com apenas três gols sofridos até então na Copa do Brasil, o Santos entrou em campo com a defesa menos vazada da competição. A principal preocupação do elenco santista era seguir com a boa forma atrás para ter uma boa vantagem no jogo da volta.

Luxemburgo optou pelo esquema 4-4-2 para chegar ao triunfo, deslocando Neto para a ala direita e tirando Ronaldo Guiaro da equipe titular. A alteração teve como objetivo segurar os laterais e também dar maior liberdade ao meio-de-campo para criar as jogadas.

Quando a bola rolou, ambas as equipes demonstraram pouca ofensividade, truncando o jogo na intermediária. A primeira chance real de gol só aconteceu aos 18min da primeira etapa. Léo Lima lançou Cléber Santana dentro da área, que quase mandou para as redes, mas a zaga chegou antes e conseguiu afastar para fora.

O lance motivou os anfitriões, que saíram mais para o jogo e passaram a dominar a posse de bola. A equipe de Ney Franco, porém, não recuou completamente e também começou a explorar os contra-golpes.

A equipe visitante saiu na frente aos 37min. Léo Silva bateu falta direto para o gol, mas o goleiro Fábio Costa, não conseguiu segurar a bola e cedeu rebote para André. O atacante só teve o trabalho de completar para abrir o marcador na Vila Belmiro

No começo da segunda etapa, os visitantes não ficaram presos ao campo de defesa e quase ampliaram o placar aos 8min. Denis deu bela arrancada na intermediária, passando no meio da zaga adversária e arriscou chute rasteiro, mas a bola bateu na trave santista e saiu da área.

A resposta do time da casa veio quatro minutos depois, em cobrança de falta de Cléber Santana, porém o goleiro Rodrigo Posso caiu no canto direito e impediu o empate.

O Santos passou a comandar as ações no ataque, mas mesmo assim errou muitos passes e encontrou um Ipatinga muito bem postado na defesa, que também arriscava nos contra-ataques. A equipe da Vila Belmiro chegou ao empate aos 39min em pênalti batido por Cléber Santana e deu números finais ao confronto.

Ipatinga 1 x 1 Santos – Pênaltis: 5 x 3

Data: 03/05/2006, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio Epaminondas Mendes Brito, o Ipatingão, em Ipatinga, MG.
Público e Renda: N/D
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Ildelfonso Trombeta (PR)
Gols: Kléber (23-1) e Henrique (42-1).
Pênaltis: Marcio Guerreiro, André, Enrico, Jaílton e Marinho Donizete fizeram para o Ipatinga; Léo Lima, Cléber Santana e Wellington Paulista fizeram para o Santos; e Kléber desperdiçou pelo Santos.

IPATINGA
Rodrigo Posso; Denis, Irineu, Teco e Ronildo (Marinho Donizete); Henrique (Gustavinho), Paulinho, Jaílton e Anderson Tôto (Marcio Guerreiro); Enrico e André.
Técnico: Ney Franco

SANTOS
Fábio Costa; Luiz Alberto (Domingos), Manzur e Ronaldo (Heleno); Neto, Maldonado, Cléber Santana, Léo Lima e Kléber; Magnum e Geílson (Wellington Paulista).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Nos pênaltis, Santos é eliminado pelo Ipatinga

Um trauma inédito e a desclassificação na Copa do Brasil. Com esse saldo, o Santos se despediu na noite desta quarta-feira da competição nacional ao perder nos pênaltis por 5 a 3 para o Ipatinga, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, no estádio Epaminondas Mendes Brito. No tempo regulamentar, a partida terminou empatada por 1 a 1 , mesmo placar do jogo de ida, na Vila Belmiro.

Além de fraquejar novamente no torneio eliminatório, o time paulista pela primeira vez é eliminado por um adversário que não pertence à elite do Campeonato Brasileiro. Nas sete edições anteriores que participou da Copa do Brasil, o Santos sempre teve como algoz algum rival que figurava entre os melhores clubes do país.

O Ipatinga, porém, modificou tal série, já que disputa a terceira divisão nacional, e ainda interrompeu por mais uma temporada o sonho da equipe alvinegra de faturar o título da Copa do Brasil, conquista inédita em sua história. O máximo que o clube conseguiu foi alcançar as semifinais em 1998 e 2000.

Agora, na próxima fase, o Ipatinga encara o Flamengo na disputa por um lugar na grande decisão. A equipe mineira tenta repetir os feitos de Paulista e Santo André, campeões do torneio em 2005 e 2004, respectivamente, quando surpreenderam os favoritos.

Nesta quarta-feira, o Santos sentiu na pele uma das principais armas do adversário. Afinal, atuando em casa, o Ipatinga ficou sem perder de fevereiro de 2005 a abril deste ano, quando foi superado pelo Cruzeiro na final do Campeonato Mineiro e ficou com o vice do Estadual.

Com apenas o Brasileiro pela frente nas próximas semanas, o Santos volta todas suas atenções para seu próximo compromisso na competição, neste fim de semana. Pela quarta rodada, a equipe paulista recebe o Fortaleza no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, já que ainda cumpre perda de mando de campo.

O jogo

Eliminado se o 0 a 0 persistisse, o Santos entrou em campo desclassificado, como advertiu Luxemburgo durante a semana. Por isso, o time paulista precisou tomar a iniciativa no setor de criação desde o início do confronto, diante de um adversário bem posicionado que explorou as jogadas rápidas.

Com dificuldades para trocar passes próximo à área dos anfitriões, a equipe alvinegra passou a apostar nos cruzamentos, sobretudo com o ala Kleber. Aos 23min, por exemplo, Geílson aproveitou jogada do camisa 3 e cabeceou à esquerda de Rodrigo Posso. O atacante também teve chance em chute pelo meio e em outra bola aérea que ele completou sobre a marcação.

Sem muitas opções, o Santos insistiu nos lances pelas laterais até conseguir abrir o marcador, o que aconteceu aos 23min. Cléber Santana bateu cruzado da direita e Rodrigo Posso rebateu na direção de Kléber, que, dentro da área, finalizou de cabeça para estufar as redes da equipe mineira.

O gol dos visitantes forçou o Ipatinga a se arriscar mais no jogo, mostrando postura mais ofensiva em relação ao início da partida. Enrico, aos 32min, recebeu passe de Anderson Tôto pela esquerda e disparou cruzado. Fábio Costa, em dois tempos, fez a defesa. O avanço dos mineiros deu maior espaço ao Santos, que quase fez o segundo em contra-ataque com Geílson.

Nos últimos minutos, o Ipatinga partiu com maior ímpeto. Aos 40min, Jaílton deu trabalho a Fábio Costa, que desviou forte disparo da entrada da área pela linha de fundo. Dois minutos mais tarde, porém, o goleiro nada pôde fazer. Após escanteio da esquerda, Henrique subiu mais que a defesa e cabeceou no canto esquerdo para deixar tudo igual: 1 a 1.

Na etapa final, a partida ficou aberta desde o começo. A primeira boa chance foi do time mineiro, aos 7min, mas Fábio Costa defendeu chute cruzado da direita e viu a bola tocar em Kléber, que evitou a virada dos anfitriões. Kléber, em cobrança de falta, e Magnum, com cruzamento, tentaram dar o troco, sem sucesso.

Aos 23min, o Santos assustou a torcida mineira. Léo Lima cobrou falta na área, Rodrigo Posso saiu mal do gol e Cléber Santana, livre, cabeceou para fora, desperdiçando ótima oportunidade. Conforme o tempo passou, o time paulista mostrou maior desejo de evitar a disputa por pênaltis, mas encontrou dificuldade para criar chance real de gol.

O Ipatinga também se atirou ao ataque e teve falta perigosa aos 42min, mas Enrico chutou sobre a barreira. Com o placar inalterado, a decisão da vaga foi para os pênaltis.

Nos tiros livres, Marcio Guerreiro abriu a contagem para os mineiros, Léo Lima igualou e André recolocou o Ipatinga em vantagem. Kléber, então, desperdiçou sua cobrança, mantendo o adversário na frente por 2 a 1.

Então, Enrico e Jaílton converteram para o Ipatinga, enquanto Cléber Santana e Wellington Paulista fizeram para o Santos: 4 a 3. Na última cobrança dos anfitriões, Marinho Donizete marcou e fechou o triunfo por 5 a 3, tornando desnecessária a batida de Fábio Costa.

Algozes do Santos na Copa do Brasil:

1996 – Atlético-PR – 1ª fase
1997 – Internacional – oitavas
1998 – Palmeiras – semifinal
1999 – Goiás – 2ª fase
2000 – Cruzeiro – semifinal
2001 – Bahia – 2ª fase
2002 – Internacional – 2ª fase
2006 – Ipatinga – quartas