Navegando Posts marcados como goleada

Santos 5 x 0 The Strongest-BOL

Data: 04/05/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo C – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Christian Garay (CHI).
Auxiliares: Raul Orellana e Claudio Rios (ambos do CHI).
Cartões amarelos: Kaiky (S); Arrascaita, Wayar (TS).
Gols: Marinho (01-1), Gabriel Pirani (25-1) e Balieiro (42-1); Lucas Braga (13-2) e Kevin Malthus (37-2).

SANTOS
João Paulo; Pará (Madson), Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan (Copete); Vinícius Balieiro (Kevin Malthus), Jean Mota e Gabriel Pirani; Marinho, Marcos Leonardo (Kaio Jorge) e Lucas Braga (Ângelo).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)

THE STRONGEST (BOL)
Daniel Vaca; Saúl Torres, Castillo, Valverde e José Sagredo; Wayar, Ramiro Vaca, Arrascaita (Churra); Cardozo (Pastor), Reinoso (Blackburn) e Willie Barbosa.
Técnico: Gustavo Florentín



Santos atropela o The Strongest na Vila e respira na Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos recebeu o The Strongest e goleou por 5 a 0, na Vila Belmiro, em partida válida pela terceira rodada do grupo C da Libertadores. Com gols de Marinho, Gabriel Pirani, Balieiro, Lucas Braga e Kevin Malthus, o Peixe somou os seus primeiros pontos na chave, respirando na competição.

O primeiro tempo foi um atropelamento. O The Strongest não viu a cor da bola, e o Santos encontrou muita facilidade para marcar os três primeiros gols. Todos, diga-se de passagem, bonitos. Na segunda etapa, apesar dos visitantes terem acertado a trave duas vezes, o Peixe foi preciso nas chegadas ao ataque e ampliou o placar, sacramentando a vitória.

Com o resultado, o Santos chegou aos três pontos no grupo C, na terceira posição. O próximo compromisso do time pela Libertadores é contra o Boca Juniors, na terça-feira da semana que vem, na Vila Belmiro, às 19h15.

O jogo

O Santos começou fulminante e nem deu tempo do The Strongest respirar. Logo no primeiro minuto, Pirani recebeu pela esquerda e encontrou belo passe para Marinho, que finalizou de direita para abrir o placar. Depois de marcar, o Peixe recuou as suas linhas para sair em contra-ataque, mas sem sofrer defensivamente.

Aos 25 minutos, o Santos chegou ao seu segundo gol em uma bonita jogada. Jean Mota fez um lindo lançamento para Felipe Jonatan, que encontrou Gabriel Pirani dentro da área. O meia chegou batendo de primeira e ampliou para os mandantes.

Sem tirar o pé do freio, o Santos continuou levou perigo, dessa vez com Marcos Leonardo exigindo defesa de Daniel Vaca. Aos 42 minutos, Balieiro pegou a sobra de uma bola dividida na intermediária, avançou e finalizou com precisão de fora da área para marcar o terceiro da equipe.

No retorno do intervalo, Marcelo Fernandes trocou Pará por Madson e Marcos Leonardo por Kaio Jorge. O Peixe manteve a postura e, aos 13 minutos, chegou ao quarto gol. Marinho costurou pelo meio e encontrou Lucas Braga pela esquerda, que ajeitou e, com o pé fraco, mandou no canto do goleiro.

Em seguida, o The Strongest chegou pela primeira vez com perigo no jogo. Castillo desviou de cabeça em cruzamento para a área e acertou a trave. O time boliviano ainda viria a carimbar novamente a trave, em finalização de Pastor da entrada da área.

Apesar dessa pequena pressão, o Santos voltou a balançar as redes aos 37 minutos. Madson desceu pela direita, cruzou para a área, e a defesa afastou. No rebote, Kevin Malthus pegou o rebote e acertou um bonito chute de fora da área para marcar o quinto.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes explica a opção por ter Jean Mota mais recuado no meio-campo do Santos

Nesta terça-feira, o Santos dominou o The Strongest do começo ao fim e goleou por 5 a 0, na Vila Belmiro. O Peixe começou a construir a vitória logo no primeiro minuto, quando Marinho abriu o placar, dando tranquilidade à equipe. Após o apito final, Marcelo Fernandes destacou a confiança que o time ganha depois da apresentação nesta noite, com os jovens jogadores fazendo parte do processo.

“Fizemos a estratégia para marcar um gol rápido, e veio até com um minuto de jogo. Essa molecada, que vem sofrendo com os resultados ruins, são os que mais sofrem. A gente tem uma rapaziada experiente que, tanto dentro quanto fora do campo, tem dado um alicerce legal para essa molecada”, afirmou Marcelo Fernandes.

“Essa vitória foi importante para que esses meninos entendam que faz parte de um processo, mas que dê confiança. Não dá tempo de comemorar nada, temos que descansar e nos reabilitar, porque quinta-feira tem um jogo muito decisivo”, completou.

Marcelo Fernandes também explicou por que optou por ter Jean Mota mais recuado no meio-campo quando o Santos tinha a bola, liberando Balieiro para apoiar e infiltrar.

“O Jean Mota é um meia de origem, mas nós sempre falamos de recuá-lo para segundo volante. Hoje, como iríamos enfrentar uma equipe que exploraria o contra-ataque, bem fechada, o Jean Mota já mostrou sua qualidade vindo de trás e de frente. Tem um passe longo e entrelinhas muito bom, e esse passe seria importante nesta partida. Acho que ele demonstrou isso, nossa estratégia foi muito bem feita”, finalizou.

Impulsionado pelas críticas, Marinho celebra a atuação coletiva do Santos

O Santos fez a sua primeira boa apresentação na Libertadores nesta terça-feira e goleou o The Strongest por 5 a 0, na Vila Belmiro. Autor de um dos gols da vitória, Marinho destacou a atuação coletiva do Peixe e comentou sobre as críticas que vinha recebendo.

“Na verdade, o mais importante é o resultado. Importante quando a equipe faz um jogo consistente, quando não só eu apareço. A gente tem se dedicado muito, a gente sabe que a situação não é das melhores, mas é só o trabalho que vai mudar isso”, afirmou Marinho à Conmebol TV.

“É como eu falo: as críticas não vêm para te parar, e sim para te impulsionar”, completou.

Marinho reconheceu que o Santos vinha de uma sequência com um futebol ruim, esperando que a goleada desta terça possa dar confiança ao time.

“Na verdade, nos dá a esperança de que a gente pode. Temos uma boa equipe. A gente vinha trabalhando, mas estava muito abaixo do que a gente pode apresentar. Hoje, ganha confiança para os próximos jogos, só tem decisão daqui para a frente”, finalizou.

Malthus celebra o primeiro gol pelo Santos e ainda quer ver o seu nome no muro do CT

O Santos atropelou o The Strongest por 5 a 0 nesta terça-feira, conseguindo respirar na Libertadores. A noite foi especial para Kevin Malthus, que marcou o seu primeiro gol como profissional do Peixe. Depois de sair do banco de reservas, o volante acertou um belo chute de fora da área para sacramentar o triunfo da equipe.

Em entrevista à Gazeta Esportiva, Malthus não escondeu a felicidade por balançar as redes. O jogador nem sequer cogitava que o seu primeiro gol pudesse sair em um jogo de Libertadores.

“Eu imaginava, ficava imaginando desde criança o meu primeiro gol como profissional, mas nunca imaginei que seria em uma Libertadores. Na verdade, nunca imaginei que jogaria uma Libertadores, ainda mais fazer um gol. Foi como eu imaginei, foi um grande gol. De fora da área, como eu costumo fazer, como é a maioria dos meus gols. Fico feliz, foi um grande sonho realizado”, afirmou o volante.

Na última semana, Malthus teve o seu contrato com o Santos renovado até 2026. Nascido em Belém do Pará, o jovem quer seguir os passos de conterrâneos que marcaram os seus nomes na história recente do clube da Vila Belmiro.

“Eu vou ficar aqui por muito tempo, se depender do meu contrato. Vou buscar sempre atingir novas metas e conquistas, trabalhar firme para conquistar o maior número de títulos possível. Fazer uma grande história aqui, assim como grandes ídolos da minha história fizeram, como o Giovanni e o Ganso. Buscar ser ídolo e ter o meu nome no muro do CT, além de dar muita alegria para a nossa nação”

Malthus também comentou sobre a pressão que o elenco tem sofrido neste início de temporada repleto de oscilações. Apesar da instabilidade, o jogador demonstrou que já sabe como lidar com as cobranças.

“Os mais velhos e experientes nos aconselham em muitas situações, principalmente nessa. Estamos passando por uma turbulência no clube. Eles nos aconselham a seguir trabalhando. Assim como você não liga para crítica, você também não pode ligar para elogio. Isso pode te derrubar, como também pode te levantar e te fazer ser ‘o cara’. Levo isso tudo pelo lado bom, para me levantar e me reerguer, melhorando a cada dia”, finalizou Malthus.

Interino pondera o cansaço, mas diz que o Santos vai para o clássico com “o que tem de melhor”

Depois de uma grande vitória sobre o The Strongest, o Santos precisa virar rapidamente a chave, já que, na quinta-feira, enfrenta o Palmeiras, no Allianz Parque, às 21h, pelo Campeonato Paulista. Apesar do curto intervalo de tempo entre os jogos, a tendência é que o Peixe vá para o clássico com uma equipe forte.

Após a goleada desta terça-feira, Marcelo Fernandes revelou que os jogadores adiantaram o processo regenerativo no vestiário. O técnico interino indicou que o Santos deve contar, pelo menos, com parte dos titulares no duelo com o Palmeiras.

“Para o clássico, vamos voltar amanhã de tarde, ver como estão todos. Já começamos o trabalho de reabilitação aqui dentro, todos estão fazendo esse trabalho o mais rápido possível. É um jogo importantíssimo, difícil, contra uma grande equipe. O Santos com certeza vai usar aquilo que tem de melhor”, afirmou Marcelo Fernandes.

“Logicamente, pensando na forma física e de como os jogadores estão, porque também temos outro jogo domingo e não podemos perder ninguém”, completou.

Apesar de estar focado na Libertadores, o Alvinegro vive situação delicada no Paulistão. A duas rodadas do fim da primeira fase do estadual, o Santos ocupa a terceira posição do grupo D, com dez pontos somados, quatro a menos do que o segundo colocado Guarani. Depois de enfrentar o Palmeiras, o time ainda terá pela frente o São Bento, no domingo, na Vila Belmiro.


Santos 4 x 1 Grêmio

Data: 16/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (ambos da COL).
VAR: Nicolas Gallo (COL)
Cartões amarelos: John (S); Pinares, Pepê e Diego Souza (G).
Gols: Kaio Jorge (11segs-1), e Marinho (15-1); Kaio Jorge (09-2), Thaciano (35-2) e Laércio (38-2).

SANTOS
John; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Alison (Laércio), Sandry e Jobson (Guilherme Nunes); Marinho (Jean Mota), Lucas Braga e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

GRÊMIO
Vanderlei; Orejuela, Geromel, David Braz (Churín) e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Darlan (Pinares) e Jean Pyerre (Thaciano); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho



Com início fulminante, Santos goleia o Grêmio e está na semifinal da Libertadores

O Santos goleou o Grêmio por 4 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e está classificado para as semifinais da Libertadores da América. O Peixe havia empatado em 1 a 1 em Porto Alegre. O adversário será Boca Juniors ou Racing, da Argentina.

O Peixe contou com um início fulminante para se classificar. Kaio Jorge marcou aos 11 segundos e Marinho ampliou aos 15 minutos. No segundo tempo, Kaio fez mais um aos 9. Thaciano fez o de honra aos 35 e Laércio transformou o placar em goleada aos 38.

O Alvinegro de Cuca foi amplamente superior ao Tricolor de Renato Gaúcho desde o primeiro minuto e poderia até ter feito mais gols. O 4 a 1 ficou barato na Vila.

Nem o mais otimista torcedor do Santos esperava um começo tão avassalador. Após recuo ruim de Jean Pyerre e vacilo de David Braz, Kaio Jorge driblou Vanderlei e abriu o placar aos 11,4 segundos.

O Peixe não parou e, em 2 minutos, criou outras duas chances: Marinho finalizou cruzado para defesa de Vanderlei. Segundos depois, o camisa 11 tentou de novo de fora da área.

O Grêmio criou pela primeira vez aos 5 minutos. O Santos saiu jogando na pequena área, foi apertado por Diego Souza e Jean Pyerre apareceu sozinho na primeira trave, mas chutou por cima.

Quando o placar marcava 15 jogados, o Peixe deu uma aula de contra-ataque. Após escanteio do Grêmio, Marinho tocou para Sandry e disparou. O volante acionou Lucas Braga em profundidade e ele arrancou e cruzou para o próprio Marinho bater bonito e vencer Vanderlei. 2 a 0.

No minuto 26, o Santos quase fez o terceiro. Madson bateu lateral na área, Kaio Jorge desviou e Vanderlei espalmou. No rebote, Jobson chutou errado e a bola subiu. Aos 29, Lucas Veríssimo cabeceou com perigo.

O Grêmio chegou no minuto 30. Matheus Henrique tabelou com Pepê e chutou bem. O goleiro John desviou providencialmente e a bola ainda bateu no travessão.

E o início fulminante da etapa inicial foi repetido na final. Depois de Sandry e Marinho tentarem, Kaio Jorge apareceu novamente. O camisa 9 desviou após toque de cabeça de Madson em escanteio e fez o terceiro do Santos aos nove minutos.

Depois do terceiro gol e das saídas de Felipe Jonatan, Jobson e Marinho por cansaço muscular, o Peixe passou a administrar o resultado. E passou a sofrer um pouco na defesa.

O Grêmio assustava no jogo aéreo. Aos 30 minutos, David Braz cobrou falta com categoria e John espalmou. No escanteio, Diego Souza apareceu sozinho e cabeceou por cima. E aos 35, Ferreira cruzou e Thaciano cabeceou no segundo pau.

O Santos, porém, freou qualquer reação do adversário. Aos 38 minutos, Jean Mota cruzou e Laércio cabeceou. 4 a 1 no placar. E goleada na Vila Belmiro. Goleada merecida.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta Santos após goleada sobre o Grêmio: “Dinheiro é a última coisa que pensamos”

O técnico Cuca exaltou o elenco do Santos após a vitória por 4 a 1 sobre o Grêmio nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, com a classificação para a semifinal da Libertadores da América.

Cuca precisou poupar os titulares na derrota pelos mesmos 4 a 1 contra o Flamengo, no fim de semana. Os jovens receberam críticas e deram conta do recado hoje.

“Não jogamos o melhor futebol do Brasil, mas entendemos o adversário. Fomos guerreiros, humildes, marcamos forte. Foram sensacionais. O que me dói muito é expor a meninada no domingo como expus. Dói o coração. Não faz mal eu tomar quatro no Rio de Janeiro e arriscar 6 ou 8, mas tinha que dar o ideal para hoje, essa intensidade. Pus quatro caras cascudos, Alison, Luiz Felipe, Jean Mota e João Paulo. Flamengo super motivado, com uma única competição. Perco o Vinicius Balieiro e fica mais difícil. Não jogamos mal, mas tomamos quatro com meninos. E as críticas aparecem. Se eu escutasse, não jogavam. E hoje foram monstros. Esse jogo não foi ganho só hoje, foi trabalhado com a derrota dolorosa do Flamengo”, disse Cuca.

“Eu sabia do potencial deles. Nunca me queixei das dificuldades. Eu valorizo o que tenho. Quando Grêmio empatou em Porto Alegre, vem raiva muito grande porque guris não merecem. E conseguimos entender hoje. Se ganhássemos de 1 a 0, teríamos o mesmo início de hoje? Hoje eu entendi porque sofremos o gol lá. Tivemos início avassalador. Pegamos confiança, corpo e fizemos grande jogo”, completou.

O técnico ainda comentou sobre os desfalques – Pará, Diego Pituca e Soteldo, além de Jobson substituído no intervalo -, e valorizou o “desapego” ao dinheiro.

“Devíamos perguntar ao torcedor do Santos a alegria. Tanta dificuldade, pai do céu. Jogador com covid, que na hora H não pode jogar. E a gente vai criando opções no elenco. Não dormimos para pensar no Pituca, Pará, Jobson, Soteldo fora… A gente se pergunta e meninos aparecem. Passamos para eles a confiança e dão resultado desse. Fico muito feliz. Não sei se vamos para a final, mas estou muito orgulhoso. Última coisa que pensamos no Santos é dinheiro, até porque está curto. Mas temos alegria para trabalhar”, afirmou.

“Santos sempre chega, mas é pé no chão. Vamos passar Natal e ano novo maravilhosos. Sabíamos que não lutaríamos pelo título do Brasileirão, mas que estaríamos na parte de cima. Nosso elenco não é para três competições, temos time ajustado e muitos meninos. Mas jogo de hoje nos transforma. Grêmio, Olimpia, LDU… Meninos estão se transformando em homens dentro do campo. É a maior alegria do nosso trabalho”, concluiu.


Santos 4 x 2 Sport Recife

Data: 28/11/2020, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 23ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires e Christian Passos Sorence (ambos de GO).
VAR: Braulio da Silva Machado (SC).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Jobson e Lucas Lourenço (S); Adryelson, Lucas Mugni e Marquinhos (SR).
Gols: Marinho (05-1, de pênalti), Lucas Braga (11-1), Marquinhos (27-1) e Leandro Barcia (45-1); Bruno Marques (25-2) e Soteldo (36-2, de pênalti).

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Lucas Lourenço (Soteldo); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca

SPORT RECIFE
Luan Polli; Adryelson (Jonatan Gomez), Iago Maidana e Chico; Patric, Ricardinho (Bruninho), Márcio Araújo (Ronaldo Henrique), Lucas Mugni (Mikael) e Junior Tavares; Marquinhos (Maxwell) e Leandro Barcia.
Técnico: César Lucena



Estreante brilha, e Santos vence o Sport após “apagão” na Vila Belmiro

O Santos venceu o Sport por 4 a 2 na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Marinho, Lucas Braga, Bruno Marques e Soteldo. Marquinhos e Leandro Barcia fizeram para o Leão.

O Peixe abriu 2 a 0 cedo, mas parou de jogar e sofreu o empate ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Alvinegro custou a encontrar espaços, porém, contou com o brilho de mais um Menino da Vila.

Bruninho, estreante como profissional, recebeu cruzamento de Marinho e cabeceou com categoria cinco minutos depois de entrar. Ainda deu tempo para Soteldo fazer o quarto e matar o jogo para os donos da casa.

Com a vitória, o Santos pula para a quinta colocação, com 37 pontos. O Sport é o 16ª, com 25.

O jogo

O início do Santos foi avassalador. Aos cinco minutos, Marinho cobrou falta, desvio com a mão na defesa do Sport e pênalti marcado. O camisa 11 converteu.

Logo depois, aos 11 minutos, Lucas Veríssimo acionou Lucas Braga após escanteio curto e o atacante não perdoou. Ambos os lances a favor do Peixe tiveram auxílio do VAR.

Daí para frente, porém, o Alvinegro parou. O Leão começou a ganhar confiança, dominou o meio-campo e diminuiu com Marquinhos, no minuto 27, em linda jogada de Patric.

Nos acréscimos, o Sport chegou ao empate. Lucas Mugni cruzou alto e Leandro Barcia, sozinho, cabeceou no contrapé de John. 2 a 2 na etapa inicial.

A etapa final começou de forma bem diferente. O Santos sem criatividade diante de um Sport bem fechado na defesa. E o Peixe precisou novamente de sua base para colocar emoção no confronto.

Aos 20 minutos, Cuca sacou Kaio Jorge para a entrada de Bruno Marques. E logo depois, aos 25, o centroavante aproveitou cruzamento de Marinho para desempatar logo na sua estreia como profissional.

O gol de Bruninho mudou a partida. Com mais tranquilidade, o Santos encontrou espaços e ampliou. Aos 34, Marinho aproveitou passe de Soteldo e sofreu pênalti. O venezuelano converteu e matou o jogo para o Peixe.

Bastidores – Santos TV:

Cuca elogia “determinação” do Santos para buscar vitória e explica John titular: “Meio certo”

Cuca elogiou a “determinação” do Santos para vencer o Sport por 4 a 2 na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe abriu 2 a 0 cedo, mas cedeu o empate ainda no primeiro tempo e precisou reagir na etapa final.

“Começamos muito bem. Fizemos gols nas primeiras oportunidades. Adversário se soltou um pouco mais, e numa jogada pela direita do Patric saiu o gol. Com 2 a 1 é outro jogo, adversário ganha confiança e corpo. O empate aconteceu em um contra-ataque de bola parada a nosso favor. No segundo tempo fiz mexidas, corrigimos algumas situações de posicionamento e movimentação. E fizemos segundo tempo precioso, bem ajustado, sem dar muitas chances ao Sport e criando. Fizemos terceiro e quarto e administramos bem o jogo. Com 2 a 0 tomar o empate o emocional vem para a conta, tem desgaste de jogo e viagem, mas nada disso influenciou. Foram determinados e souberam jogar o segundo tempo”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador também explicou a decisão por John titular, com João Paulo no banco de reservas depois da covid-19.

“É a história do meio certo e meio errado. O que fizéssemos estaríamos meio errado. E seria assim com John ou João Paulo. Pesamos o momento, o gol é delicadíssimo. Tive tantos problemas no Botafogo e levo como maior aprendizado na minha vida. Pensamos nesse jogo contra o Sport e mais decisivo ainda contra a LDU. João saiu por covid, por coerência teria que voltar, mas coerência e necessidade andam juntas. Hoje, o momento do John é confiança pura. De todos os companheiros dele. João saindo e retomando treinamentos, buscando titularidade. Optamos pelo momento do John e acho que acertamos”, explicou o técnico.

Cuca vê Bruninho como atacante ‘único’ no Santos: “Está preparado”

A estrela de Cuca brilhou durante a vitória do Santos por 4 a 2 sobre o Sport na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico promoveu a estreia de Bruno Marques, conhecido como Bruninho, como profissional. E o centroavante entrou aos 20 e fez o gol do desempate aos 25 minutos.

“Estamos vendo o Bruno há bastante tempo, conversando com ele. Está preparado, está no sub-23 e temos acompanhado o trabalho. Contra três zagueiros precisávamos de referência para ganhar essa bola, dispor aos demais. Sport defendia com linha de cinco, bem postado. Era mais difícil o caminho da velocidade. Conversamos com o Marinho sobre termos agora essa referência. E Bruno, com tempo de bola preciso, fez um bonito gol e nos ajudou muito. Fez paredes, protegeu, fez o pivô. Foi muito bem, ainda mais por ser estreia”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Bruninho tem 21 anos e 1,93 m de altura. O cabeceio, como no gol diante do Sport, é sua especialidade. As características são diferentes em relação aos concorrentes da posição: Kaio Jorge, Marcos Leonardo e Raniel.

Bruninho está emprestado pelo Lagarto (SE) até 31 de dezembro de 2020. O valor de compra combinado é de R$ 600 mil por 70% dos direitos econômicos.

Bruno Marques, do Santos, admite talento pelo alto: “Pode botar na área que vou ajudar”

Bruno Marques foi a grande novidade do Santos na vitória por 4 a 2 sobre o Sport na noite deste sábado, na Vila Belmiro, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O centroavante estreou como profissional com gol pelo Peixe, o terceiro. Ele entrou aos 20 e marcou de cabeça aos 25, na sua especialidade.

“Passou aquele filme na cabeça, um frio na barriga. Olhei o bandeirinha e saí correndo, queria comemorar mesmo! Joga na área que eu vou estar brigando. No Aspirantes fiz 5 gols de cabeça. Se eu puder ajudar, pode botar bola na área que eu vou ajudar a fazer o gol”, disse Bruno, ao Premiere.

“Eu já tinha sonhado que na estreia eu faria um gol. Entrei muito confiante e com muita fé que esse gol iria sair. Estou muito feliz, trabalhei muito, batalhas. Esperei muito por isso! Deus honrou”, completou.


Santos 4 x 0 Flamengo

Data: 08/12/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.310 pagantes
Renda: R$ 574.130,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos do PR).
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Filipe Luís, Gabigol, Rodinei (F).
Gols: Marinho (14-1), Carlos Sánchez (22-1); Eduardo Sasha (17-2) e Carlos Sánchez (39-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Jobson), Carlos Sánchez (Sandry) e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei (João Lucas), Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gerson, Willian Arão, Everton Ribeiro e Arrascaeta (Diego); Bruno Henrique (Vitinho) e Gabigol.
Técnico: Jorge Jesus



Santos faz a festa na Vila, goleia o Flamengo e garante o vice-campeonato

Acabou oficialmente o Campeonato Brasileiro de 2019. E o posto de vice-campeão, antes disputado por Palmeiras e Santos, terminou nas mãos do Peixe. Neste domingo, o Alvinegro Praiano recebeu o Flamengo na Vila Belmiro, pela última rodada da competição nacional, e goleou os cariocas por 4 a 0. Aos gritos de “olé” e “fica, Sampaoli”, o time santista deu show com gols de Carlos Sánchez, duas vezes, Marinho e Eduardo Sasha.

Com o resultado, a equipe paulista chegou a 74 pontos, garantiu a segunda colocação e fez sua melhor pontuação na história dos pontos corridos com 20 times. Além disso, o Santos também registrou a melhor campanha de um vice-campeão em Brasileiros com 20 clubes, formato adotado desde 2006.

Já o Rubro-Negro, que havia conquistado o título antecipado, terminou a competição com 90 pontos. Agora, o time carioca volta as atenções para a disputa do Mundial de Clubes, no Catar. A estreia está marcada para o dia 17 de dezembro contra o vencedor do duelo entre Al Hilal, da Arábia Saudita, e Espérance, da Tunísia.

O jogo

Em jogo que pouco valia para ambas as equipes, o clima leve já predominava antes do apito inicial. Completando 100 partidas disputadas com a camisa do Santos, o meio-campista Diego Pituca foi homenageado antes de a bola rolar. O volante ainda aproveitou para pedir a namorada em casamento.

Em campo, as duas equipes protagonizaram um início de confronto movimentado, com duas boas chegadas para cada lado nos primeiros 11 minutos. E o marcador foi aberto pelos donos da casa. Aos 14, Sánchez achou um belo passe para Soteldo nas costas de Rodinei. O camisa 10 dominou, parou e rolou para Marinho, que emendou de primeira, de canhota, para balançar as redes.

Oito minutos depois, Sánchez aproveitou a falha de Filipe Luís na saída de bola, fez o domínio na coxa, invadiu a área e bateu cruzado de direita para ampliar a vantagem santista. O Flamengo nem teve a chance de responder, já que foi dominado por um intenso Alvinegro Praiano. Regidos por uma atuação de gala do camisa 7 uruguaio, os paulistas poderiam ter ido para o intervalo com uma diferença ainda mais extensa no placar, mas pararam em Diego Alves.

Na segunda etapa, o Rubro-Negro voltou melhor que no primeiro tempo e equilibrou um pouco mais a partida. Aos dez minutos, Arrascaeta arrancou pelo meio e encontrou Vitinho na esquerda. O camisa 11 entrou na grande área, ajeitou para a canhota e finalizou, mandando perto da meta de Everson.

Apesar disso, o Santos mais uma vez foi às redes. Aos 17, Soteldo fez ótima jogada pelo esquerdo do ataque, passou por Rodinei e fez o cruzamento para Eduardo Sasha, que completou de cabeça para fazer o terceiro do Peixe. E mesmo com o placar confortável, os comandados de Jorge Sampaoli ainda marcaram pela quarta vez. Marinho aproveitou erro de Diego no ataque e abriu para Victor Ferraz. O lateral cruzou para Sánchez, que, livre, fechou a goleada.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli avalia goleada contra o Flamengo: “Era difícil pensar nesse resultado”

O Santos encerrou o Campeonato Brasileiro de 2019 com uma grande vitória sobre o Flamengo pelo placar de 4 a 0. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Jorge Sampaoli elogiou a atuação de sua equipe e falou sobre a preferência por jogar ofensivamente. Ele ainda admitiu que não esperava pela goleada contra o campeão.

“Eu não posso abandonar meu sentimento. É algo pessoal (o estilo ofensivo). Gosto de transições velozes e trabalho com isso. Hoje, como em outros jogos, o time teve muita valentia para jogar contra um time campeão que jogou completo. Era difícil pensar nesse resultado contra um rival tão poderoso”, declarou o argentino.

Sampaoli ainda comparou o desempenho contra o Rubro-Negro a outras partidas na competição. “Foi um jogo muito emocionante, por toda a intensidade da equipe contra o rival. Outros jogos também foram muito bons, como contra o Palmeiras. Contra o Flamengo no Rio também jogamos muito bem e perdemos no detalhe. Perdemos para o Athletico gerando muitas chances, assim como contra o Fortaleza. Temos uma convicção em nossa ideia de protagonismo”, disse.

O comandante também fez uma análise da temporada, abordando a evolução dos jogadores e da comissão técnica do Peixe durante a temporada.

“Depois de um ano extremamente exigente, encontramos uma forma de jogar em um campeonato muito competitivo. Nós como corpo técnico tivemos que aprender muito. Tivemos que construir um modo de protagonizar e a equipe conseguiu se manter nos primeiros lugares. Por sorte, neste último jogo, estabelecemos que temos que colocar nossa camisa no lugar mais alto possível”, finalizou o treinador.

Na mira do Palmeiras, Sampaoli revela reunião com Peres para definir futuro

Depois da goleada sobre o Flamengo e o encerramento do Campeonato Brasileiro, o torcedor do Santos volta as atenções para a situação do técnico Jorge Sampaoli, que ainda não definiu se permanecerá no clube para 2020. Em entrevista coletiva após a partida, o comandante afirmou que resolverá seu futuro em reunião com o presidente José Carlos Peres, marcada para esta segunda-feira.

“O que posso falar é que estou muito agradecido pelo carinho e por terem me abraçado no ano. O grupo de jogadores mostrou um espetáculo contra o campeão. Partida incrível. Agora sim vou começar a pensar no futuro. Até ontem não pude pensar em nada. Amanhã tenho reunião com presidente. Já falei previamente com ele, mas adiamos a reunião. Tudo que vivi nessa cidade tem que ser um ponto de partida. Este ano, os jogadores jogaram um futebol que produzimos como cultura. Foi um ano muito atrativo em uma competição muito difícil. Tentamos impor nossa forma de jogar até hoje. Agora vou pensar no futuro. Sou um profissional que sei até onde posso chegar com o que tenho. Tem processos de alegrias e de dores. Foi um dos lugares mais felizes que passei na minha carreira”, declarou o treinador, que tem contrato com o Peixe até o final do próximo ano.

Alvo do Palmeiras, Sampaoli também reforçou que ainda não recebeu propostas de outras equipes e desconversou sobre a possibilidade de trocar o Santos por um rival. “Não chegou nenhuma oferta concreta para mim. Vou avaliar meu futuro, mas minha prioridade é me reunir com o Peres e ver o que é melhor para o Santos”, disse.

“Os ídolos estão pintados na parede. Não tenho capacidade de estar pintado nas paredes do Santos. Trabalhei e lutei, mas tenho que pedir desculpas por ter perdido a linha em alguns jogos. Cada projeto oficial que chega até mim, tenho que analisar. Amanhã, o Santos determinará o projeto que teremos. Aí vou ver meu futuro. Ainda não analisei nenhuma possibilidade”, acrescentou.

Por fim, o argentino voltou a deixar claro que sua continuidade no comando do Alvinegro Praiano depende da formação de um elenco capaz de brigar por títulos. “Tenho que ser muito profissional. Não posso tomar uma decisão emocional, porque poderia me prejudicar. Tenho que ser honesto para saber se posso dar conta do que vem pela frente. Vamos esperar amanhã. Tenho muito claro o que tenho, o que preciso e o que esse grupo precisa de reforços para ser o que sempre foi: um clube muito respeitado na América do Sul”, concluiu o treinador.

Sánchez celebra goleada sobre o Flamengo e desconversa sobre Sampaoli

O Santos deu show na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. Na Vila Belmiro, a equipe comandada por Jorge Sampaoli aplicou uma goleada de 4 a 0 no campeão Flamengo e garantiu o segundo lugar na classificação final. Após a partida, o uruguaio Carlos Sánchez, autor de dois gols, comemorou a bela vitória e a temporada do Peixe.

“Fizemos uma grande trabalho. Não só neste jogo, mas em todo o campeonato. Sempre lutamos. Orgulhoso do time, que se entregou ao máximo em cada jogo. E hoje desfrutamos do jogo contra o campeão brasileiro e da Libertadores. Ter o estádio lotado foi uma motivação extra para darmos a vida no campo. Agora temos que descansar e pensar no próximo ano”, declarou o meio-campista em entrevista ao canal Sportv.

Sánchez ainda desconversou sobre a situação de Sampaoli, que ainda tem a permanência no Alvinegro Praiano indefinida. “É difícil adivinhar o futuro. Nós achamos que fizemos um grande trabalho com ele. Ele decidirá se fica ou não. Será lindo se seguirmos trabalhando com ele. Mas ele decidirá se é melhor ir embora ou seguir no ano que vem”, completou.

Com o grande triunfo sobre o Rubro-Negro, o Santos chegou a 74 pontos, garantiu a segunda colocação e fez sua melhor pontuação na história dos pontos corridos com 20 times. Além disso, o Peixe também registrou a melhor campanha de um vice-campeão em Brasileiros com 20 clubes, formato adotado desde 2006.


Santos 4 x 1 Cruzeiro

Data: 23/11/2019, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.905 pagantes
Renda: R$ 266.944,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: José Eduardo Calza e Lucio Beiersdorf Flor (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Marinho (S); Egídio (C).
Gols: Orejuela (13-1), Eduardo Sasha (22-1); Marinho (14-2), Soteldo (19-2) e Diego Pituca (44-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan (Luan Peres); Alison, Carlos Sanchez e Evandro; Marinho, Soteldo (Kaio Jorge) e Eduardo Sasha (Diego Pituca).
Técnico: Jorge Sampaoli

CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson, Robinho (Ezequiel) e Thiago Neves (Marquinhos Gabriel); David e Sassá (Joel).
Técnico: Abel Braga



Santos vira sobre o Cruzeiro e está na fase de grupos da Libertadores

O Santos assegurou sua classificação à fase de grupos da Copa Libertadores 2020 na noite deste sábado. No Estádio da Vila Belmiro, o time da casa chegou a sair em desvantagem contra o Cruzeiro, mas tomou o controle da partida e ganhou por 4 a 1.

Com 68 pontos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Já o Cruzeiro, com 36 pontos, fica no 16º lugar e pode terminar na zona de rebaixamento.

O jogo

O Cruzeiro conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro logo aos 13 minutos do primeiro tempo. Orejuela recebeu de Thiago Neves, invadiu a área, carregou para o meio e, aproveitando a passividade da marcação, finalizou de canhota para superar o goleiro Everson.

O Santos equilibrou rapidamente as ações e chegou ao empate aos 22 minutos da etapa inicial. Em boa trama do ataque, Sanchez cruzou forte e rasteiro da direita. Evandro dominou dentro da área e só ajeitou para chute de primeira de Eduardo Sasha.

Animado pelo gol de empate, o time alvinegro passou a mandar na partida e desperdiçou boas chances com Sanchez e Soteldo. Em jogada pelo lado direito, Marinho levou a melhor sobre Egídio e acertou a trave. Gustavo Henrique chegou a marcar de cabeça, mas o assistente assinalou impedimento.

Após criar uma série de oportunidades no primeiro tempo, o Santos conseguiu a virada aos 14 minutos da etapa complementar. Marinho arrancou pela direita, recebeu de Sanchez e não teve dificuldade para limpar a marcação de Egídio antes de bater com precisão.

Dono da partida, o time da casa converteu seu terceiro gol aos 19 minutos do segundo tempo. Em jogada pela direita, Sanchez recebeu de Marinho e cruzou rasteiro. Eduardo Sasha não chegou a tempo de completar, mas Soteldo apareceu para marcar.

O ritmo da partida diminuiu na parte final, mas o Santos ainda anotou o quarto gol aos 44 minutos do segundo tempo. Em cobrança de falta, Sanchez bateu direto para o gol. Após rebote do goleiro Fabio, Evandro cruzou da direita na medida para Diego Pituca completar.

Bastidores – Santos TV:

Após 1.000º do Santos nos pontos corridos, Soteldo quer conhecer Pelé

O Santos começou em desvantagem, mas goleou o Cruzeiro na noite deste sábado. Na semana em que ganhou uma camisa autografada de Pelé, o venezuelano Soteldo marcou o 1.000º gol do clube na história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos e manifestou o sonho de conhecer o Rei.

Antes do jogo, com Edinho em campo, o Santos homenageou Pelé pelos 50 anos de seu 1.000º gol, completados na terça-feira. Com a bola rolando, já no segundo tempo, Soteldo marcou o terceiro sobre o Cruzeiro, coincidentemente o 1.000º do clube no Brasileiro desde 2003

“Estou bastante contente, porque o Santos é um time muito grande e aqui jogou o melhor da história do futebol. Também gostaria agradecer pela camisa que me deu e dizer-lhe que quero conhecê-lo pessoalmente. Vamos contentes para a casa e descansar, porque temos outro jogo em breve”, disse Soteldo ao Premiere.

Curiosamente, o Cruzeiro chegou a sair na frente por meio de Orejuela logo no começo da partida. O Santos empatou rapidamente com Eduardo Sasha e, no segundo tempo, construiu a goleada sobre o ameaçado Cruzeiro através de Marinho, Soteldo e Diego Pituca.

“Fui defender minha seleção e, graças a Deus, ganhamos. Depois, já estava pensando nesse jogo e sabia que tinha que chegar para contribuir com meu time. Acho que consegui ajudar um pouco, porque estava muito desgastado pela viagem e pela mudança de horário. Pude marcar o gol e o time fez um jogo espetacular”, declarou.

Com 68 pontos ganhos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde ainda pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Pela 35ª rodada, a equipe praiana enfrenta o Fortaleza às 20 horas de quinta-feira, no Castelão.

Sampaoli lamenta saída de Autuori e mira recorde nos pontos corridos

O técnico Jorge Sampaoli ficou chateado com a decisão do superintendente de futebol Paulo Autuori de deixar o Santos. Com futuro incerto, o argentino traçou o objetivo de estabelecer a melhor campanha do time praiano no Campeonato Brasileiro por pontos corridos de 20 clubes.

Na última terça-feira, Autuori anunciou o plano de sair em dezembro, mas o Santos já comunicou seu desligamento imediato. Sutilmente, o superintendente de futebol mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres.

“Foi uma grande perda. Era uma relação que me gerava confiança, muito apego”, disse Sampaoli, sobre a saída de Autuori. “Ele tem bastante experiência e conhece mais o futebol daqui do que eu. Essa saída é difícil de substituir, não sei o que o clube fará”, completou o treinador.

Com mais quatro jogos por disputar no Campeonato Brasileiro, o clube dirigido por Jorge Sampaoli contabiliza 68 pontos ganhos. Fora da briga pelo título, o técnico argentino deseja bater o recorde do Santos no formato por pontos corridos de 20 clubes.

“Queremos superar os 71 pontos e estar na história do clube”, disse Sampaoli, citando a performance do clube na edição de 2016 do torneio nacional. “Só pensamos no jogo de quinta, difícil, e precisamos que ganhar para manter. Tenho muita expectativa pela partida do Palmeiras”, completou.

Quarteto dá liga e domina os gols do Santos no 2º turno do Brasileirão

O Santos tem 23 gols no segundo turno do Campeonato Brasileiro. E 19 deles (82%) foram marcados por Carlos Sánchez, Marinho, Soteldo ou Eduardo Sasha. Os números são do Footstats.

O quarteto superou o rodízio costumeiramente feito por Jorge Sampaoli e se tornou praticamente intocável. Evandro tem sido o “quinto elemento” do sistema ofensivo nas últimas rodadas, mas com patamar ainda diferente dos demais.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Jorge Sampaoli, orgulhoso, em entrevista coletiva.

Gustavo Henrique (2), Diego Pituca e Tailson fizeram os outros quatro gols do Peixe no segundo turno do Brasileirão. O artilheiro do Alvinegro é Sasha, com 13 anotados.

O quarteto ofensivo do Santos não estará completo na próxima rodada, contra o Fortaleza, quinta-feira, no Castelão. Marinho está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Tailson e Derlis González brigam pela vaga.

Santos anuncia saída imediata de Autuori e define substituto

Paulo Autuori não trabalha mais no Santos Futebol Clube. Após a goleada sobre o Cruzeiro, aplicada na noite deste sábado, o clube publicou nota em seu site oficial para anunciar o desligamento imediato do superintendente de futebol e definir William Thomas como sucessor.

Na entrevista em que comunicou a decisão de deixar o Santos ao final desta temporada, concedida na última terça-feira, Autuori sutilmente mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres. No sábado, o clube avisou que o profissional já está oficialmente desligado.

“O Santos FC informa que Paulo Autuori não faz mais parte do seu quadro de funcionários. O clube agradece os serviços prestados e deseja sorte no seguimento de sua carreira. William Thomas assume a função de superintendente de futebol, dando prosseguimento ao planejamento e projetos para 2020”, diz a nota oficial.

Entenda por que o 1º gol do Santos contra o Cruzeiro foi “mais comemorado” pela comissão técnica

O Santos fez quatro gols contra o Cruzeiro no último sábado, na Vila Belmiro, mas o primeiro da goleada foi “mais comemorado” pela comissão técnica em relação aos demais.

O técnico Jorge Sampaoli e os demais membros da comissão técnica enxergam a construção do gol como bom exemplo do trabalho realizado diariamente no CT Rei Pelé.

Lucas Veríssimo erra um passe vertical e rapidamente o time se posiciona a partir dos 22 minutos para roubar a bola. A interceptação de Eduardo Sasha faz com que Pará recupere e o ataque se inicia. De Marinho para Alison e Evandro recebe. O meia aciona Marinho e já se posiciona como um atacante. Marinho tabela por Pará por dentro enquanto Sánchez abre como ponta. O uruguaio encontra Evandro, já dentro da área. Sasha recua para receber a assistência e chuta com categoria.

Seis jogadores participaram em 30 segundos de um lance com sete no campo ofensivo e cinco dentro da área da Raposa.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Sampaoli, orgulhoso, na entrevista coletiva.

Felipe Araya Soto, um dos analistas de desempenho do Peixe, publicou um vídeo do gol e destacou o resgate do futebol antigo no clube.

“Dominar a bola, se organizar a partir dela, mover, desorganizar, desanimar com a posse de qualidade. O jogo desta equipe vem de tempos distantes”, escreveu o chileno.