Navegando Posts marcados como eliminado

Barcelona-EQU 3 x 1 Santos

Data: 26/05/2021, quarta-feira, 21h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo C – 6ª rodada (última)
Local: Estádio Monumental Isidro Romero, em Guayaquil, Equador.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Andres Rojas (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (ambos da COL).
Cartões amarelos: Carcelén e Castillo (B);Kaiky, Kaio Jorge e Lucas Lourenço (S).
Gols: Damián Diaz (14-1) e Lucas Braga (46-1); Damián Diaz (08-2) e Montaño (31-2).

BARCELONA DE GUAYAQUIL
Burrai; Castillo, León, Riveros e Quiñonez; Carcelén (Oyola), Molina e Martínez (López); Hoyos (Montaño), Díaz (Gabriel Cortês) e Garcés (Mastriani).
Técnico: Fabián Bustos

SANTOS
João Paulo; Pará (Madson), Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Vinicius Balieiro (Kevin Malthus), Ivonei (Lucas Lourenço) e Gabriel Pirani; Ângelo (Marcos Leonardo), Lucas Braga e Kaio Jorge (Copete).
Técnico: Márcio Araújo (interino)



Santos perde para o Barcelona, cai na Libertadores e vai à Sul-Americana

O Santos perdeu por 3 a 1 para o Barcelona de Guayaquil nesta quarta-feira, no Equador, e está eliminado da Libertadores da América.

O Barcelona abriu o placar com Damián Diaz e o Peixe empatou ainda no primeiro tempo com Kaio Jorge. Na segunda etapa, Diaz desempatou e Montaño ampliou.

O Alvinegro precisava vencer e ainda torcer para o Boca Juniors não derrotar o The Strongest. E os argentinos ganharam por 3 a 0 em La Bombonera. Nada deu certo para os santistas.

Com seis pontos e o terceiro lugar do grupo, o Santos vai para as oitavas da Sul-Americana. O The Strongest somou os mesmos seis, mas perdeu no saldo de gols. Barcelona e Boca avançam na Libertadores.

O Peixe voltará a campo para estrear no Campeonato Brasileiro contra o Bahia no sábado, na Fonte Nova.

O jogo

O Santos começou bem a partida em Guayaquil, mas logo o Barcelona equilibrou o jogo e passou a ser protagonista dentro de sua casa.

Aos 13 minutos, Lucas Braga arrancou e serviu Kaio Jorge, mas o atacante parou no goleiro Burrai. No contra-ataque, Damián Diaz aproveitou o vacilo de Felipe Jonatan e abriu o o placar.

Castillo e Carcelén tiveram chances de ampliar, mas a bola não entrou. O Santos melhorou nos minutos finais e empatou com Kaio. Lucas Braga finalizou, Burrai espalmou e o centroavante marcou no rebote. 1 a 1 no intervalo.

O Santos voltou mais ofensivo para a etapa final, mas sucumbiu em novo erro de Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo abandonou a marcação e Damián Diaz fez o segundo dele aos oito minutos.

O desempate do Barcelona esfriou qualquer reação do Santos. O Peixe pouco criou e ainda sofreu o terceiro, com Montaño, aos 31 minutos. Desta vez a falha na marcação foi de Luan Peres.

O Santos perdeu a quarta partida em seis na Libertadores e se despediu de forma melancólica da competição continental após o vice na última temporada.

Auxiliar vê lado bom em eliminação do Santos: “Vai preparar os jovens”

O auxiliar Márcio Araújo viu o lado bom da eliminação do Santos na Libertadores da América após a derrota por 3 a 1 para o Barcelona (EQU) no Equador.

Como o técnico Fernando Diniz foi suspenso por duas partidas, Márcio dirigiu o Peixe e foi para a entrevista coletiva.

“Time muito jovem. Média parece que é de 22 anos. É um trabalho excepcional nesse sentido. Resultado é insatisfatório, claro, mas vamos colher frutos com esses jovens no futuro. Não podemos olhar só o momento. Precisamos de equilíbrio, moderação… Temos Kaiky, Ângelo, Pirani, Kaio Jorge, Marcos Leonardo, Lucas Braga, Kevin… Muitos jovens. A desclassificação na Libertadores vai preparar os jovens para o que vem na frente. É difícil o vice-campeão, um time grande, ser desclassificado. Mas é um processo de recuperação e vamos melhorar”, disse o auxiliar.

O Santos vai para as oitavas de final da Sul-Americana, campeonato que nunca conquistou. O sorteio será na próxima terça-feira.

O Alvinegro estreará no Campeonato Brasileiro contra o Bahia no próximo sábado, na Fonte Nova. Na terça-feira, o primeiro confronto da Copa do Brasil com o Cianorte no Paraná.

Santos tem pior aproveitamento, defesa e saldo entre os clubes da Série A

O Santos tem o pior aproveitamento entre os 20 clubes da Série A. O Peixe obteve 40,9% dos pontos disputados na temporada.

O Alvinegro venceu sete, empatou seis e perdeu nove em 22 jogos disputados. Esse rendimento é de equipes rebaixadas para a Série B nos últimos anos.

O Santos tem também a pior defesa entre os 20 times: 33 gols sofridos, uma média de 1,5 por partida. Com 28 gols pró, o saldo é de -5.

Eliminado da primeira fase do Campeonato Paulista e da Libertadores da América, o Peixe estreia no Campeonato Brasileiro contra o Bahia, sábado, em Salvador. E o primeiro jogo pela Copa do Brasil será na terça-feira, diante do Cianorte, no Paraná.

O Alvinegro conhecerá na terça o adversário nas oitavas de final da Sul-Americana. Ainda não há datas definidas.


Ceará 1 x 0 Santos

Data: 04/11/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio do Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxilar: Jorge Eduardo Bernardi e José Eduardo Calza (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Vina, Leandro Carvalho e Pedro Naressi (C); Diego Pituca e Marinho (S).
Cartão vermelho: Sandry (S).
Gol: Vina (24-2).

CEARÁ
Fernando Prass; Eduardo, Tiago, Luiz Otávio e Bruno Pacheco (Kelvyn); Fabinho, Charles (Pedro Naressi) e Vina; Léo Chú (Leandro Carvalho), Fernando Sobral e Rafael Sobis (Felipe Vizeu).
Técnico: Guto Ferreira

SANTOS
João Paulo; Madson, Luiz Felipe (Pará), Luan Peres e Felipe Jonatan (Lucas Lourenço); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca



Ceará vence o Santos com golaço de Vina e avança às quartas da Copa do Brasil

O Ceará venceu o Santos por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, no Castelão, e avançou às quartas de final da Copa do Brasil. O gol (um golaço) foi marcado por Vina.

Depois do empate em 0 a 0 na Vila Belmiro, o Peixe fez um primeiro tempo de igual para igual em Fortaleza, mas caiu de rendimento na etapa final e sofreu o gol aos 24 minutos.

O Santos se lançou ao ataque, mas não teve reação. Desorganizado, viu o Vozão administrar bem o resultado, garantir a vaga nas quartas e embolsar R$ 3,3 milhões em premiação.

O jogo

Ceará e Santos fizeram um primeiro tempo muito movimentado, apesar do 0 a 0. O Peixe teve mais posse de bola (62%), mas o Vozão também criou chances de gol.

A primeira oportunidade foi santista, aos oito minutos, quando Jean Mota descolou bom passe para Soteldo. O camisa 10 bateud e esquerda, com perigo, à esquerda do gol de Fernando Prass.

No minuto 17, o Ceará respondeu. Léo Chú driblou Luiz Felipe e deixou Rafael Sóbis cara a cara com João Paulo. O goleiro saiu muito bem, fechou o ângulo e evitou o gol.

Quando o placar marcava 24 jogados, Luan Peres cruzou, Jobson ajeitou de cabeça e Soteldo emendou um voleio – bola assustou Prass novamente. A resposta chegou aos 32: Charles bateu sem ângulo e a bola raspou a trave de João Paulo.

O Santos voltou a ficar perto do gol aos 38, quando Fernando Prass saiu mal do gol e a bola sobrou para Marinho, que tentou de bicicleta. O gol estava aberto, mas a finalização saiu torta.

E no minuto 40, o Peixe teve sua melhor jogada. Kaio Jorge lançou Soteldo em contra-ataque. O venezuelano invadiu a área e, de frente para Prass, bateu de canhota por cima. Ainda deu tempo para Luiz Otávio, aos 44, perder chance clara de cabeça em escanteio.

O ritmo diminuiu na etapa final, principalmente pelo lado do Santos. Muita movimentação, marcação e poucas chances de gol. Até que Vina apareceu para o Ceará.

Aos 24 minutos, Fernando Sobral cruzou, Luan Peres tirou parcialmente e Vina emendou um lindo voleio. A bola foi na gaveta – o goleiro João Paulo nem se mexeu. 1 a 0.

O Santos se lançou ao ataque, mas de forma completamente bagunçada. O Ceará conseguiu administrar o resultado com certa tranquilidade nos minutos finais. Vozão nas quartas de final da Copa do Brasil. O sorteio ocorrerá na sexta-feira.

Cuca diz que Santos ‘se perdeu’ após o gol: “Caímos no jogo que o Ceará queria”

Cuca disse que o Santos se “perdeu” após sofrer o gol do Ceará, marcado por Vina, aos 24 minutos do segundo tempo, na eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O Peixe perdeu por 1 a 0 nesta quarta-feira, no Castelão, após o empate em 0 a 0 na Vila Belmiro. O Alvinegro pouco criou nos minutos finais da decisão.

“Primeiro tempo foi bem jogado, tivemos as ações, saída de bola até o último terço. Perdemos gols incríveis e não chutamos na direção do gol. Proposta era transição com velocidade. Não é time de contra-ataque, é que propõe. Se fizéssemos o gol, estaríamos mais perto da vitória. Não fizemos, tomamos o gol no segundo tempo em bola aérea. Houve discussão se teve falta ou não no Jean. Jogadores se perderam, ficaram nervosos. Ceará baixou as linhas, se defenderam bem. Não temos características para alçar bola e centroavante colocar bola para dentro. Tentamos o jogo com alternativas e praticamente não tivemos chances. Só uma bola com o Lucas Braga. De efetivo não tivemos depois do gol sofrido. Antes era jogo aberto e seria merecido um empate. Antes do gol”, disse Cuca.

“Ficou depois do gol (abaixo do máximo). Desequilibrou. E não temos jogo de força, jogadores de contato. Somos uma equipe leve. Jogamos a equipe para frente e fica pior. Perde-se a paciência de trabalhar a bola. Caímos no jogo que o Ceará queria”, completou.

Mais do que não avançar para as quartas de final, o Peixe deixa de receber R$ 3,3 milhões em premiação, dinheiro que seria fundamental para o pagamento dos salários de outubro.

Sem a premiação, a diretoria do Santos buscará formas de viabilizar o dinheiro suficiente para pagar a folha salarial. O quinto dia útil de novembro será na próxima segunda-feira. Não há, neste momento, recursos em caixa.


Santos 1 x 3 Ponte Preta

Data: 30/07/2020, quinta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de final – Jogo único
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Salim Fende Chavez.
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Fabrini Bevilaqua Costa.
VAR: José Claudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Marinho, Arthur Gomes e Pará (S); Jeferson (PP).
Cartão vermelho: Marinho (S) aos 42-1.
Gols: Marinho (05-1); Bruno Rodrigues (04-2), Moisés (15-2) e João Paulo (42-2).

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Jobson), Diego Pituca (Jean Mota) e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

PONTE PRETA
Ivan; Apodi, Henrique Trevisan, Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni; Dawhan, Jeferson (Moisés), Vinícius Zanocelo (Bruno Reis) e João Paulo (Danrley); Bruno Rodrigues e Alison Safira (Roger).
Técnico: João Brigatti



Marinho é expulso, Vladimir falha, e Santos é eliminado pela Ponte Preta

O Santos perdeu por 3 a 1 e foi eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista nesta quinta-feira, em plena Vila Belmiro.

O Peixe abriu o placar com Marinho, mas o próprio atacante caiu na pilha, recebeu dois cartões amarelos e foi expulso no fim do primeiro tempo.

Com um a menos em campo pela quarta vez consecutiva, o Alvinegro se desorganizou por completo e sofreu a virada na etapa final com gols de Bruno Rodrigues, Moisés e João Paulo. O goleiro Vladimir falhou nos dois primeiros lances.

O Peixe, eliminado em casa, agora aguarda pelo Campeonato Brasileiro. A Ponte Preta enfrentará o Palmeiras na semifinal do Paulistão.

O jogo

O Santos começou em cima da Ponte Preta, mas foi a Macaca quem assustou primeiro. Logo no segundo minuto de jogo, Jeferson cabeceou no travessão.

Aos 5, porém, o Peixe abriu o placar. Soteldo cruzou na cabeça de Marinho no segundo pau. O goleiro Ivan, vendido, só viu a bola morrer no fundo da rede.

Com a vantagem parcial, o Alvinegro passou a administrar, sem criar muitas chances e sem sofrer. Até que veio a quarta expulsão consecutiva…

Marinho, irritado com as faltas sem parar da Ponte, recebeu dois cartões amarelos. O segundo veio aos 42 da etapa inicial.

Com um a menos, assim como contra o Novorizontino, o Santos desabafou. A Ponte Preta virou em 15 minutos: Bruno Rodrigues empatou aos 4 e Moisés virou aos 15. Em ambos os casos, falha do goleiro Vladimir.

Jesualdo fez alterações, tentou fazer o Peixe reagir, e nada adiantou. A Ponte ficou mais perto do terceiro que os donos da casa do segundo.

Sem reação, o Santos não criou nada e ainda sofreu o terceiro gol. João Paulo, livre, teve tempo para ajeitar, pensar e chutar de fora da área para matar a classificatória.

Santos eliminado em plena Vila Belmiro.

Marinho pede perdão ao torcedor do Santos: “Expulsão infantil”

Marinho pediu perdão ao torcedor do Santos pela expulsão ainda no primeiro tempo da derrota por 3 a 1 para a Ponte Preta nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

O próprio Marinho abriu o placar, mas recebeu dois cartões amarelos e deixou o Peixe com um a menos. O Alvinegro foi eliminado nas quartas de final.

“Infelizmente, o futebol tem dessas coisas. O que era para ser uma noite especial, e começou assim, se tornou um pesadelo. Peço desculpas ao torcedor pela expulsão, que foi infantil e reconheço. Deveria ter tomado mais cuidado em um momento como aquele da partida. Só tenho que pedir desculpas ao grupo e à comissão técnica por isso. Todos batalharam muito nos últimos dias para que pudéssemos chegar à final e conquistar o estadual. Somos humanos e falhamos. Dessa vez, aconteceu comigo e em um momento decisivo. Perdão, do fundo do meu coração”, escreveu Marinho, no Instagram.

Juiz aponta xingamentos de Marinho, do Santos: “Você veio roubar aqui”

O árbitro Salim Fende Chavez apontou xingamentos de Marinho na súmula de Santos x Ponte Preta, pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

O camisa 11 foi expulso ainda no primeiro tempo da derrota do Peixe por 3 a 1. Incomodado com as faltas consecutivas da Macaca, ele recebeu dois cartões amarelos.

“Seu m…, ladrão, filho da p… Você veio roubar aqui. Foram 10 faltas em cima de mim, seu b…”, disse Marinho, de acordo com o juiz.

Autor do gol do Alvinegro, Marinho pode ser punido pelas palavras ditas ao árbitro. Sem ele em campo, os donos da casa sofreram a virada e acabaram eliminados.

Jesualdo diz que Santos merecia ir mais longe: “Não há motivo para desistir”

O técnico Jesualdo Ferreira acredita que o Santos deveria ter ido mais longe no Campeonato Paulista. O Peixe foi eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

O treinador lamentou o quarto jogo consecutivo com expulsão. Desta vez, Marinho recebeu o segundo cartão amarelo.

“Não era nada disso que eu esperava. Primeiro tempo competitivo, nosso adversário muito agressivo, violento. Arbitragem não comandou bem. Marinho sofreu várias faltas e nada aconteceu. E com 10, no segundo tempo, foi difícil. Esse é o quarto jogo que o Santos começa ganhando e depois não ganha, por ficar com 10. O psicológico pesou muito no segundo tempo. Acho que merecíamos ir mais longe. Muitos problemas, como todos sabemos, mas vamos ter de resolver internamente”, disse Jesualdo, ao SporTV.

“O que a equipe fez na semana passada, primeiro tempo de hoje… Não há motivo para desistir e achar que tudo está terminado”, completou.

O Santos agora aguarda pelo Campeonato Brasileiro. O Peixe enfrentará o Red Bull Bragantino no dia 9 de agosto, na Vila Belmiro.

Jesualdo pede compreensão no Santos

O técnico Jesualdo Ferreira pediu compreensão após o Santos ser eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista, em plena Vila Belmiro.

O português falou sobre nova expulsão, dessa vez de Marinho, e sobre o aspecto psicológico.

“Fizemos um gol, tivemos ocasião de fazer mais em jogo picado. Muita agressividade do nosso adversário. Juiz não controlou, tiraram vantagem disso com a expulsão do Marinho. Não tiramos mérito da Ponte Preta, que fez seu trabalho. No segundo tempo, houve queda psicológica, equipe não foi capaz de reagir e ficou à espera, foi reativa. Tínhamos esperança de ganhar e saímos de forma inglória. Não lembro de quatro expulsões seguidas, no primeiro tempo ou no começo do segundo”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

“Questão passa pelo grupo entender os caminhos a seguir. De fato há três competições. Não acabou. Santos tem muitos jogos e não pode perder sem começar de fato o trabalho. De 15 até 60 ou 70 falta muito. E há muito tempo a recuperar. Não admito que alguém desista porque eu não desisto. Estamos todos tristes, revoltados. Espero que o torcedor entenda o que jogador tem passado com essa pandemia e condições todas. Tivemos problemas e vamos tentar resolver internamente. Não vou arranjar desculpas. A verdade é que equipe perdeu, não merecia perder enquanto conseguiu jogar. Sobre ponto de vista psicológica, está mal. Contra o São Paulo, ganhávamos. Depois mesma coisa. É no mínimo preocupante, mas nos deixa na dúvida do que será. E será nosso trabalho descobrir”, completou.

Jesualdo Ferreira também falou sobre “justiça” na análise da eliminação.

“Continuar treinando bem para recuperar os jogadores. Se forem justos, vão estar de acordo comigo: fizemos sempre, enquanto tivemos 11, jogos bons. E com resultados bons. O que eu quero que aconteça é que seja uma norma. Que seja essa a ideia. Trazer todos para o primeiro patamar. Que é o que vínhamos fazendo antes das expulsões”, concluiu.

Vladimir ganha apoio de Jesualdo no Santos: “Plena confiança”

Vladimir ganhou o apoio do técnico Jesualdo Ferreira após falhar em dois dos três gols da Ponte Preta nos 3 a 1 contra o Santos na última quinta-feira, na Vila Belmiro.

O goleiro não demonstrou segurança na primeira decisão depois de assumir a vaga deixada por Everson, que entrou na Justiça contra o Peixe. O Alvinegro foi eliminado nas quartas de final.

“Vladimir está numa fase de adaptação. Estava sem jogar há muito tempo, jogou um jogo antes disso (da pandemia). Está se adaptando, precisa continuar trabalhando. Ele trabalha bem. Temos plena confiança”, disse Jesualdo.

Além da confiança de Jesualdo Ferreira, o Santos nem poderia contratar outro goleiro. O Peixe está bloqueado pela Fifa por causa da dívida com o Hamburgo, da Alemanha, por Cleber Reis.

Jesualdo não teme demissão no Santos: “Diretoria está à vontade”

O técnico Jesualdo Ferreira não teme a demissão no Santos após a eliminação para a Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista.

“Não temo nada. Diretoria está à vontade. Nem sequer me preocupa. Que façam o que quiserem”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

A Gazeta Esportiva ouviu membros da diretoria santista e, ao menos neste momento, não se fala em mudança no comando técnico.

Jesualdo tem contrato até 31 de dezembro e deve ter o vínculo rescindido ao menos até o fim do Campeonato Brasileiro, em fevereiro.

Jesualdo explica “sumiço” de Venuto e cita “desequilíbrio” no Santos

O técnico Jesualdo Ferreira explicou as poucas chances dadas ao atacante Lucas Venuto no Santos. Ele atuou apenas uma vez na temporada.

Venuto jogou por 11 minutos na derrota por 2 a 0 para o Ituano, em fevereiro. E entrou como lateral-direito.

“Temos tido poucos jogos. E porque na construção do plantel, há mais para algumas posições e menos para outras. Esse equilíbrio deve ser estabelecido”, disse Jesualdo.

O treinador português prefere outras opções além de Marinho e Soteldo: Raniel, Arthur Gomes, Tailson e até Renyer, alternativa antes de cirurgia no joelho.

Ao falar em “estabelecer equilíbrio no elenco”, Jesualdo sinaliza a possível saída de Lucas Venuto. Até o momento, porém, não houve proposta. O contrato termina em 31 de dezembro de 2022.


Santos 1 x 2 Atlético-MG

Data: 06/06/2019, quinta-feira, 20h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 16.857 pagantes
Renda: R$ 828.709,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Michael Correia (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Jean Lucas e Soteldo (S); José Welison, Adilson e Fábio Santos (A).
Gols: Gustavo Henrique (05-1) e Chará (36-1); Chará (39-2).

SANTOS
Everson, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Jean Mota), Gustavo Henrique e Jorge; Jean Lucas; Victor Ferraz, Carlos Sánchez (Soteldo), Diego Pituca e Marinho; Uribe (Eduardo Sasha).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-MG
Victor, Patric, Rever, Igor Rabello, Fábio Santos; José Welison (Adilson), Elias, Cazares e Luan (Geuvânio); Chará e Ricardo Oliveira (Alerrando).
Técnico: Rodrigo Santana



Atlético-MG vira, avança na Copa do Brasil e Santos é eliminado pela 3ª vez no Pacaembu em 2019

O Atlético-MG venceu de virada o Santos por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, e avançou para as quartas de final da Copa do Brasil. Os gols foram marcados por Chará, duas vezes. O do Peixe foi de Gustavo Henrique.

Essa foi a terceira eliminação do Santos no Pacaembu em 2019. Antes, o Peixe caiu para River Plate na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

As equipes voltam a se enfrentar no domingo, dessa vez pelo Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro, às 19h (de Brasília). O jogo é válido pela oitava rodada.

O jogo

O começo de jogo do Santos foi eletrizante. Com Marinho “on fire”, o Peixe pressionou o Atlético-MG e abriu o placar logo aos cinco minutos. Marinho cobrou escanteio com perfeição, na cabeça de Gustavo Henrique. O goleiro Vitor nem saiu do lugar.

O Alvinegro seguiu em cima e teve chance de ampliar com Diego Pituca, Jorge, Marinho e Sánchez, mas não o fez. E o Galo equilibrou o jogo.

Com Cazares cheio de espaço, o Atlético ensaiava o gol. Os lançamentos paravam em cortes providenciais da defesa santista. Até que Gustavo Henrique cochilou, Chará escapou e aproveitou saída equivocada de Everson para marcar.

Cada time ficou com uma “metade” da etapa inicial. O Atlético-MG foi para o vestiário com o empate e mais perto da virada do que do desempate do Santos.

Aos dois minutos, o árbitro fez a torcida comemorar ao expulsar José Welison por deixar o braço em Marinho. A decisão, porém, foi alterada depois da consulta no VAR e a cor do cartão mudou para amarelo.

A alteração de Jorge Sampaoli, tirar Aguilar para colocar Jean Mota, tornou o jogo ainda mais aberto. Aos 15, Cazares recebeu na área e buscou o ângulo – a bola passou com perigo. No minuto seguinte, Marinho e Jean Lucas levaram perigo em chutes da intermediária.

Quando o placar marcava 20 minutos jogados, Ricardo Oliveira recebeu um bolão de Cazares e bateu forte, mas no meio do gol, e Everson espalmou com segurança. E aos 25, mais uma chance atleticana: Luan bateu da entrada da área, Everson rebateu para frente e Chará se atrapalhou no rebote, quase na pequena área.

Aos 37, começou um momento decisivo do jogo. Lucas Veríssimo cabeceou muito perto do gol depois de cruzamento de Soteldo. Na sequência, Marinho recebeu na entrada da área, não viu Victor Ferraz sozinho e chutou no meio. E veio o castigo.

Jean Mota tentou chute improvável da intermediária, a bola bateu na defesa e o Galo puxou o contra-ataque. De Geuvânio, para Cazares, para Chará. De novo. Linha de passe na exposta defesa do Peixe no Pacaembu.

Todo aberto, o Santos buscou a reação, mas foi o Atlético-MG quem quase fez o terceiro, com Geuvânio. Everson salvou. No fim das contas, Galo nas quartas de final e a terceira eliminação do Peixe no Pacaembu em 2019.

Sampaoli evita desculpas, mas contesta diretoria do Santos por preço alto e decisão no Pacaembu

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, evitou dar desculpas para a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil diante do Atlético-MG, mas não poupou críticas à diretoria.

O Peixe não conseguiu transferir o mando de campo para a Vila Belmiro e colocou preço alto no Pacaembu, com arquibancadas a R$ 90. O resultado foi público total de 16.857.

“Jogamos domingo passado contra 60 mil pessoas do Ceará. Hoje estádio não estava de acordo para uma decisão. Dirigentes colocaram esse preço, a gente não é ouvido. Minha predileção pela Vila eu sempre disse, mas não creio que seja uma forma de esconder análise desportiva ou eliminação, mas sim tentar analisar o motivo do público do Santos não ir aos estádios”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sobre o jogo, o treinador santista viu injustiça em mais uma eliminação. Antes, o Peixe caiu para River Plate-URU na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

“Santos foi quem propôs mais, principalmente no segundo tempo. Tivemos muitos ataques, chutes e possibilidades não concretizados. Perdemos injustamente no contra-ataque, futebol é assim. A chave é o nervosismo para definir. Tiveram dois contra-ataques no segundo tempo depois de falhas na direito e depois na esquerda. Temos que ter tranquilidade quando gol vem, sem perder a forma. E isso ocorreu em outros jogos. A vontade tem que ser com fúria, mas com organização”, analisou.

Questionado sobre a ausência de Rodrygo, Sampaoli contemporizou. A CBF não desconvocou o atacante da seleção olímpica e o impediu de atuar.

“A federação tomou medida que correspondia. Se não pode jogar, não pode jogar. Não entendo, não posso criticar uma decisão pré-estabelecida”, concluiu.

Victor Ferraz vê falta de “capricho” e “competência” do Santos em eliminação

Capitão do Santos, Victor Ferraz viu falta de “capricho” e “competência” na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG nesta quinta-feira, no Pacaembu, com a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Essa foi a terceira queda do Peixe no Pacaembu em 2019. Antes, o Alvinegro foi derrotado para o River Plate-URU na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

“Acho que a gente voltou melhor (para o segundo tempo), conseguimos pressionar. A gente sabia que eles iam jogar buscando o contra-ataque. Acho que faltou capricho na frente, faltou acertar na tomada de decisão”, disse Victor Ferraz, ao Premiere.

“Não fomos competentes, deixamos a desejar e deixamos escapar uma classificação importante. É levantar a cabeça, domingo tem de novo”, completou o lateral-direito.

Presidente do Santos dispara contra CBF: “Conseguiu o que queria, fomos desclassificados”

O presidente do Santos, José Carlos Peres, disparou contra a CBF na noite desta quinta-feira, depois da eliminação para o Atlético-MG nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Peres disse que a confederação conseguiu o que queria por dois motivos: não permitir a decisão na Vila Belmiro e não desconvocar Rodrygo da seleção olímpica para o Torneio de Toulon, já em andamento na França.

“CBF conseguiu o que queria. Fomos desclassificados. Nos roubaram o direito de jogar na Vila Belmiro. CBF jogou para frente e não respondeu. Nosso ofício está lá. E de quebra convocaram o Rodrygo. Terceira vez que levam para o sub-23. CBF conseguiu aquilo que esperava, nos desclassificar”, disse Peres.

“CBF tem que explicar o motivo de não liberar. Tribunal não nos deu a liminar. CBF não respondeu. Esperamos pelo bom senso do STJD. Se não está inscrito, qual é a razão de não desconvocar?”, completou.

O presidente do Santos ainda disse que pode indenizar a CBF. Com a eliminação, o Peixe deixou de receber R$ 3,1 milhões.

“Se não tiver explicação plausível, é indenizar. Nos tiraram a classificação, que nos daria uma boa fatia (de dinheiro)”, concluiu.

Peres minimiza preço do ingresso em eliminação do Santos: “Não justifica 16 mil”

O presidente do Santos, José Carlos Peres, minimizou o preço dos ingressos para a partida que culminou na eliminação do Santos na Copa do Brasil, com a derrota de 2 a 1 para o Atlético-MG no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

A entrada mais barata custava R$ 40 (inteira), no tobogã. As arquibancadas custaram R$ 90. O resultado foi o público total de 16.857 no Pacaembu, com renda de R$ 828.709,00.

“Um grande time vence em qualquer lugar, na Vila Belmiro ou no Maracanã. Grande público não compareceu hoje. Existe uma crise, mas não justifica 16 mil”, disse o presidente.

“Quem paga salário? Temos que ter time forte. Sabia que teríamos dificuldades, adaptação, sistema diferente. Essa reclamação não cabe (do valor)”, completou.

O Santos, com Campeonato Brasileiro como competição restante em 2019, voltará a enfrentar o Atlético-MG, domingo, na Vila Belmiro, pela oitava rodada. Dessa vez a arquibancada (portões 1/2, 7/8 e 26) custa R$ 60. A geral santista está por R$ 40.

De “corretíssima” à “culpada” por eliminação: Santos racha com a CBF após elogios

O presidente do Santos, José Carlos Peres, mudou completamente o discurso sobre a CBF entre o dia 27 de maio, em reunião do Conselho Deliberativo e 6 de junho, com a eliminação na Copa do Brasil para o Atlético-MG.

Em meio ao aparente ruído entre o Peixe e a confederação, Peres fez elogios e minimizou a briga pela desconvocação de Rodrygo da seleção olímpica. Dias depois, foi para cima e rachou a com a confederação.

“Sub-23 não é Data FIFA. Não é oficial. Não quero puxar saco da CBF, mas tem sido corretíssima comigo. Não dá para comparar Rodrygo com outros liberados. Se é convocado para a seleção principal, ok, é diferente, mas eu perdi jogadores várias vezes por causa do Sul-Americano. Sou generoso. Pedi para liberar, não liberaram, mas era oficial. Agora o próprio jogador demonstrou que não quer ir. Iria para a principal, oficial, só isso. Não foi nenhuma afronta com a CBF. Eu trabalhei na gestão do Marco Polo (Del Nero) por seis anos na Federação Paulista. Quem almoçava comigo? (Rogério) Caboclo, então gerente financeiro, e o (Walter) Feldman. Presidente e secretário-geral. Estamos bem, mas cada um defende seu pedaço. Entendo, de coração, mas não posso ser prejudicado mais uma vez”, disse o presidente.

Após a eliminação, porém, o tom foi outro. Além de não poder escalar Rodrygo, Peres lembrou da confusão pelo mando de campo. A CBF chegou a anunciar a Vila Belmiro para as oitavas de final, mas voltou atrás e manteve o Pacaembu.

“CBF conseguiu o que queria. Fomos desclassificados. Nos roubaram o direito de jogar na Vila Belmiro. CBF jogou para frente e não respondeu. Nosso ofício está lá. E de quebra convocaram o Rodrygo. Terceira vez que levam para o sub-23. CBF conseguiu aquilo que esperava, nos desclassificar”, afirmou Peres.

“CBF tem que explicar o motivo de não liberar. Tribunal não nos deu a liminar. CBF não respondeu. Esperamos pelo bom senso do STJD. Se não está inscrito (no Torneio de Toulon), qual é a razão de não desconvocar?”, concluiu.

Por meio do SJTD, o Santos ainda tentará ter Rodrygo novamente contra o Atlético-MG e também diante do Corinthians, ambos os jogos na Vila Belmiro pelas rodadas 8 e 9 do Campeonato Brasileiro. Se não obtiver êxito, o camisa 11 pode ter se despedido diante do Internacional sem saber.


Santos 1 x 0 Corinthians – 6 x 7 nos pênaltis

Data: 08/04/2019, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 38.542 presentes (37.731 pagantes e 811 não pagantes).
Renda: R$ 1.477.585,00
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Luiz Alberto Andrini Nogueira.
VAR: Thiago Duarte Peixoto
Cartões amarelos: Alison, Diego Pituca, Sánchez e Kaio Jorge (S); Clayson e Cássio (C).
Gol: Gustavo Henrique (41-2).
Pênaltis: Santos: Converteram: Rodrygo, Soteldo, Sánchez, Derlis, Pituca, Alison; Perderam: Kaio Jorge (travessão) e Victor Ferraz (trave). Corinthians: Converteram: Vagner Love, Ramiro, Júnior Urso, Fagner, Sornoza, Danilo Avelar, Henrique; Perdeu: Boselli (defesa).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Aguilar, Gustavo Henrique e Diego Pituca; Alison, Carlos Sánchez e Jean Mota (Kaio Jorge); Cueva (Rodrygo), Soteldo e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli

CORINTHIANS
Cassio, Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza; Pedrinho (Vagner Love), Clayson (Ramiro) e Gustavo (Boselli).
Técnico: Fabio Carille



Corinthians tira Santos nos pênaltis e vai à terceira final seguida de Paulistão

Fiel ao estilo que o consagrou em tantas competições nos últimos anos, o Corinthians garantiu na noite dessa segunda-feira a vaga na final do Campeonato Paulista pelo terceiro ano seguido. Diante de um Pacaembu lotado de santistas, o Timão não se furtou a apostar na sua força defensiva para fazer valer a vantagem conquista em Itaquera, mas a estratégia deu certo só até os 41 minutos do segundo tempo, quando Gustavo Henrique ganhou bola alta, garantiu o triunfo do Peixe por 1 a 0 e levou tudo para os pênaltis.

Diante da marca da cal foram necessários 16 chutes. Boselli foi o único a parar em Vanderlei. Cássio dessa vez não foi herói, mas o Timão comemorou por causa das batidas na trave de Kaio Jorge e Victor Ferraz. Aliás, foi a terceira vitória corintiana nos pênaltis em 2019, dessa vez pelo placar de 7 a 6.

Disposto a encontrar um jeito de furar o sistema defensivo corintiano, Jorge Sampaoli resolveu inovar. Mandou Pituca para a lateral esquerdo e colocou Soteldo pela ponta, com Cueva no meio, mais próximo de Jean Mota.

O Corinthians, por sua vez, conseguiu segurar o ímpeto inicial dos mandantes com uma marcação alta que incomodou a saída de bola de Vanderlei. Aos poucos, porém, o time de Fábio Carille foi se restringindo a viver de bicões que procuravam por Gustagol.

A ideia de começar com Pedrinho não surtiu efeito no ataque. Sornoza foi quem mais comprometeu a marcação. Mesmo assim, a ausência de um centroavante foi sentida pelo Peixe, que erros passes em demasia na busca por um espaço.

Na única intervenção mais incisiva de um goleiro, Cássio evitou gol de Jean Mota já dentro da área em lance originado por falha de Pedrinho e chute torto de Cueva.

A chuva que não deu trégua até o intervalo não voltou para o segundo tempo. Pedrinho e Cueva também não. Vagner Love e Rodrygo, que teve a entrada solicitada por parte da torcida ainda no primeiro tempo, foram para o jogo.

Como era de se imaginar, a vantagem do Corinthians por ter vencido na Arena por 2 a 1 passou a ser respeitada mais do que nunca. Definitivamente as propostas ficaram escancaradas. O Santos se lançou e o Timão se encolheu, a espera de um contra-ataque mortal.

Com Ramiro no lugar de Clayson, esse cenário apenas se consolidou. O Corinthians errava todas as suas saídas de bola e indignava Fábio Carille na beira do campo. E nesse momento de dificuldade mais uma vez apareceu a figura de Cássio.

Famoso por seus atos em jogos decisivos, o camisa 12 corintiano voltou a ser crucial, principalmente em um chute forte, de dentro da área, de Rodrygo.

Cássio só não teve o que fazer aos 41 minutos, quando Victor Ferraz acertou um cruzamento na medida para Gustavo Henrique. Sem marcação, o zagueiro testou a bola para o chão e levou a torcida à loucura.

Antes do apito final só deu tempo para Boselli entrar na vaga de Gustagol, aparentemente com câimbras. Com o estádio todo de pé, veio o apito final e a aflição pela certeza que o finalista sairia apenas após a disputa de pênaltis.

Diante da marca da cal, de cara, Boselli parou em Vanderlei. Na sequência, Cássio tocou, mas não evitou o gol de Rodrygo. Vagner Love fez, mas Kaio Jorge mandou no travessão. Ramiro e Soteldo não desperdiçaram. Júnior Urso cobrou com categoria, assim como Sánchez. Os últimos da primeira sequência foram Fagner e Derlis. Ambos garantiram os seus gols e levaram. Sornoza, então, mandou no ângulo. Pituca também acertou. Avelar e Alison também. Henrique converteu e coube a Victor Ferraz ser o vilão na 16ª cobrança. O lateral acertou o pé da trave e acabou com as chances do Santos de chegar à final.

Agora, o time da Baixada Santista foca no duelo contra o Atlético-GO, quinta-feira, pela Copa do Brasil, quando mais uma vez o Peixe terá de correr contra o prejuízo por ter perdido fora de casa por 1 a 0. Já o Corinthians tem o São Paulo pela frente na luta pelo título do Estadual nos dois próximos domingos. Pela Copa do Brasil, o time também está classificado à quarta fase e apenas aguarda sorteio da CBF para descobrir seu adversário e as datas dos confrontos.

Sampaoli vê partida incrível e promete não trair jogo ofensivo do Santos

O técnico Jorge Sampaoli exaltou a forma de jogar do Santos na eliminação da semifinal do Campeonato Paulista nesta segunda-feira, no Pacaembu.

Depois da derrota por 2 a 1 em Itaquera, o Peixe criou várias chances, venceu por 1 a 0 e perdeu nos pênaltis.

“Prometo que nunca vou trair essa forma de jogar. Nunca vou jogar de outra forma que não seja a que jogamos hoje”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Tomara que esse resultado não nos faça cair, porque temos que nos preparar para o Brasileirão. Temos que ter valentia, capacidade, segurança e convicção para jogar dessa forma em qualquer lugar”, completou.

Sampaoli diz que a campanha no Paulistão serve de lição no Alvinegro.

“,Jogamos uma partida incrível, mas não nos classificamos. O Paulista nos serviu de aprendizado para que o jogador tenha em mente a ideia do treinador. Hoje foi uma festa no estádio”, concluiu.

Santistas reclamam da “retranca” do Corinthians: “Nem sempre o melhor vence”

Os jogadores do Santos reclamaram da “retranca” do Corinthians depois da eliminação da semifinal do Campeonato Paulista na noite desta segunda-feira, no Pacaembu.

Depois da derrota por 2 a 1 em Itaquera, o Peixe atacou durante todo o tempo, fez o gol da vitória com Gustavo Henrique no fim e perdeu nos pênaltis.

“O Corinthians não veio para jogar futebol, veio para defender. Ficou com os 11 ali atrás. Só o Santos jogou. Agora é levantar a cabeça, nem sempre o melhor vence”, afirmou Pituca.

Fora do Paulistão, o Santos voltará a campo para enfrentar o Atlético-GO na quinta-feira, na reinauguração da Vila Belmiro, pela volta da terceira fase da Copa do Brasil. Na ida, o Peixe perdeu por 1 a 0.

Victor Ferraz chora após eliminação no Santos: “Sonhei com a imagem de levantar a taça”

O capitão Victor Ferraz chorou em entrevista depois da eliminação do Santos na semifinal do Campeonato Paulista para o Corinthians, nesta segunda-feira, no Pacaembu.

Um dos melhores em campo, o lateral-direito deu a assistência para o gol de Gustavo Henrique, mas perdeu o último pênalti. Diante das câmeras, não aguentou o choro e contou de um “sacrifício” para chegar em boas condições na decisão.

“Para mim fica mais pesado. Eu sou um cara muito pressionado aqui né. Eu queria muito colocar o Santos em mais uma final e levantar mais um título pelo clube. Eu como capitão. Sonhei muitas vezes com essa imagem de levantar a taça. Tem até um episódio que posso contar para vocês. Tenho um filho pequeno, tem um ano e meio e muita energia. Eu preferi, junto com a minha esposa, em mandar ele para a Paraíba. Quando eu chego em casa tenho que brincar muito com ele, então eu ficava mais cansado ainda. Pra que eu pudesse estar completamente focado aqui”, disse Ferraz.

“Acabei sendo coroado com a assistência. Estava combinado de eu não bater porque eu fui o único jogador a ter jogado na quinta. Hoje o campo estava muito pesado, tivemos que correr atrás e eu tive que fazer duas funções. Então eles mesmo me optaram por me deixar para depois. Eu sou um cara que bate pênalti, nas decisões eu sempre bati. Mas eu só posso pedir desculpas ao torcedor. Tentei dar o meu melhor junto com meus companheiros. É levantar a cabeça. Hoje não tem como, fico muito triste. Mas quinta temos mais uma decisão. Com todo respeito ao Campeonato Paulista, que tem muita importância para mim, mas a Copa do Brasil é muito importante. Amanhã é trabalhar porque temos que dar a volta por cima na quinta-feira”, completou.

Sánchez diz que eliminação serve de alerta para o Santos desperdiçar menos chances

Carlos Sánchez diz que a principal lição do Santos depois da eliminação para o Corinthians é desperdiçar menos chances criadas nas próximas decisões.

O Peixe dominou o rival, mas venceu “só” por 1 a 0 e acabou derrotado nos pênaltis depois do 1 x 2 em Itaquera.

“Temos que concretizar as chances criadas. Isso é o que levamos de hoje. São todas finais, temos que agradecer pelo apoio a todo tempo. Usamos esse apoio para sempre procurar o gol rival”, disse Sánchez.

O uruguaio falou sobre o sentimento de jogar bem, mas sair de campo com a derrota.

“Triste porque jogamos bem, tivemos chances de gol. Criamos muito e se fizéssemos um gol antes, poderíamos ter jogado mais tranquilos. Gol demorou, mas tivemos atitude, nunca cruzamos os braços e fomos para cima”, afirmou, antes de falar sobre o tropeço na ida.

“Pecamos nisso, de não conseguir vantagem como visitante. Hoje foi tudo nosso, fizemos um grande jogo e não vencemos os pênaltis. Não podemos lamentar, mas sim temos que estar contentes pelo que fizemos”, concluiu.

Temos que concretizar as chances criadas. Isso é o que levamos de hoje. São todas finais, temos que agradecer pelo apoio a todo tempo. Usamos esse apoio para sempre procurar o gol rival.