Navegando Posts marcados como Bahia

Bahia 3 x 0 Santos

Data: 29/05/2021, sábado, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio de Pituaçu, Salvador, BA.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ-FIFA)
Auxilares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ-FIFA) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Cartões amarelos: Patrick de Lucca, Matheus Bahia e Rossi (B); Marinho e Alison (S).
Gols: Thaciano (01-2), Thaciano (03-2) e Juninho (07-2).

BAHIA
Mateus Claus; Renan Guedes, Conti, Juninho e Matheus Bahia; Patrick de Lucca (Jonas), Daniel (Lucas Araújo) e Thaciano (Galdezani); Rossi, Rodriguinho (Maycon Douglas) e Gilberto (Thonny Anderson).
Técnico: Dado Cavalcanti

SANTOS
João Paulo; Pará (Marcos Guilherme), Kaiky (Madson), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota e Gabriel Pirani; Marinho, Lucas Braga (Ângelo) e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Fernando Diniz



Santos sofre pane no início do segundo tempo e perde para o Bahia por 3 a 0

O Santos perdeu por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Thaciano (2) e Juninho.

O Peixe fez um primeiro tempo regular, mas teve uma pane no início da etapa final. Em sete minutos, o Alvinegro viu três gols do Tricolor. Todos em falhas individuais na defesa.

Em má fase, o Santos voltará a campo para outra estreia: a Copa do Brasil. O Peixe visitará o Cianorte na terça-feira, no Paraná, pela terceira fase.

O jogo

O Santos teve a posse de bola, mas pouco criou. O Bahia, mesmo em casa, procurou contra-ataques. Ambas as estratégias não surtiram efeito.

Na melhor chance do Tricolor, Rodriguinho recebeu sozinho de Rossi e bateu para fora aos 40 minutos. O bandeirinha assinalou impedimento, mas o lance era legal e certamente seria confirmado no VAR se o meia acertasse o alvo. Foi um vacilo na marcação de Felipe Jonatan.

No minuto 45, Pirani cruzou, Lucas Braga fez o pivô e Marinho bateu forte, mas quase no meio. O goleiro Mateus Claus fez grande defesa para evitar a abertura do placar.

O Bahia voltou com tudo para a etapa final e fez dois gols com Thaciano em três minutos. No primeiro, Pará deu uma “pixotada” antes de Rossi dar a assistência. No segundo, Rossi driblou Luan Peres e foi garçom novamente para Thaciano. 2 a 0.

O Santos seguiu em pane e sofreu o terceiro aos sete minutos, quando Juninho apareceu sozinho para cabecear após escanteio curto. 3 a 0 num piscar de olhos.

O Peixe mexeu e até promoveu a estreia de Marcos Guilherme, mas passou longe de reagir e nada criou. Essa foi a oitava derrota alvinegra em 12 duelos como visitante na temporada.

Diniz evita apontar culpados por derrota do Santos na Bahia: “Perdemos como um todo”

O técnico Fernando Diniz tentou explicar o “apagão” do Santos na derrota por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Thaciano (2) e Juninho.

Depois de um primeiro tempo regular, o Peixe sofreu três gols em sete minutos e não conseguiu reagir.

“Primeiro tempo foi ok, melhor que o Bahia. Sólidos defensivamente, boa posse, acertando a saída. Em sete minutos levamos três gols e nos desestruturamos. A saída estava mais longe de mim e os três gols mudaram a história do jogo. Temos que melhorar a equipe, virar a chave e termos chance de um grande jogo em Cianorte”, disse Diniz.

“A gente vai melhorar trabalhando, sem procurar culpados. Não tivemos problemas só nas duas laterais. Perdemos como um todo, assim como ganhamos do Boca Juniors como um todo. Temos que melhorar no geral, com todos ajudando na organização defensiva. Não tem setor ou jogador que perdeu, foi uma equipe. E se tem um principal responsável, sou eu. Difícil especular, fazer uma explicação lógica pra três gols em sete minutos. Não poderia ter acontecido, erramos, e temos que corrigir para frente”, completou.

Madson lamenta desatenção do Santos: “Time que quer ser campeão não pode vacilar assim”

Madson lamentou a desatenção do Santos na derrota por 3 a 0 para o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Depois de um primeiro tempo regular, o Peixe levou três gols do Tricolor em sete minutos e passou longe de reagir em Salvador.

“É bem difícil, principalmente por eu não estar em campo (no momento dos gols). Isso não pode acontecer. Santos tem que estar focado em 90 minutos pelo peso da camisa e nossas pretensões. Time que quer ser campeão não pode vacilar assim. Entregamos o jogo para o Bahia”, disse Madson, para a TNT Sports.

“Diniz tem seu jeito de jogar. Viemos e conseguimos implementar, tivemos muita posse de bola, mas falta o resultado. São três derrotas pesadas, clima fica pesado. Vamos procurar a melhor maneira de voltar a vencer. Santos não pode passar por isso”, completou o lateral-direito.


Bahia 2 x 0 Santos

Data: 25/02/2021, quinta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador, BA.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Sidmar dos Santos Meurer e Rafael Trombeta (ambos do PR).
VAR: Rodrigo Carvalhães de Miranda (RJ).
Gols: Rossi (14-1); Alex (45-2, contra).

BAHIA
Douglas; Nino Paraíba, Ernando; Lucas Fonseca e Matheus Bahia (Juninho Capixaba); Gregore, Patrick e Ronaldo (Ramon); Rodriguinho (Daniel), Rossi (Thiago) e Gilberto (Alesson).
Técnico: Dado Cavalcanti

SANTOS
João Paulo; Fernando Pileggi (Gabriel Pirani), Luiz Felipe, Alex e Wagner; Vinicius Balieiro, Sandry (Tailson) e Jean Mota (Ivonei); Ângelo, Arthur Gomes (Allanzinho) e Bruno Marques.
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Bahia vence time reserva do Santos e se classifica para a Sul-Americana

O Bahia venceu o time reserva do Santos por 2 a 0 na noite desta quinta-feira, na Fonte Nova, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro. O gols foram marcados por Rossi e Alex (contra).

Com a vitória, o Tricolor de Aço sobe para a 14ª colocação e vai para a Sul-Americana. O Peixe, já classificado para a Pré-Libertadores, termina o Brasileirão em oitavo.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Santo André no domingo, no Canindé, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. O Bahia visitará o Salgueiro, pela Copa do Nordeste, no mesmo dia.

O Peixe seguirá com o auxiliar Marcelo Fernandes e time alternativo diante de Santo André e Ferroviária. Com os titulares, o novo técnico Ariel Holan deve estrear no clássico contra o São Paulo, dia 6, no Morumbi.

O jogo

A partida começou equilibrada, mas o Bahia contou com Rossi para abrir o placar. Na primeira chance, o atacante parou em João Paulo. Na segunda, acertou lindo voleio aos 14 minutos para colocar os mandantes na frente.

Depois do gol, o Santos melhorou e mereceu ao menos o empate antes do intervalo. Vinicius Balieiro (duas vezes) e Arthur (Gomes) desperdiçaram oportunidades claras.

Ângelo, com apenas 16 anos, foi o melhor do Peixe nos primeiros 45 minutos. O atacante deu muito trabalho ao Tricolor de Aço.

O Santos se lançou ainda mais o ataque com Gabriel Pirani na vaga de Fernando Pileggi e passou a dar mais espaço aos contra-ataques do Bahia na Fonte Nova.

Aos 13 minutos, Rodriguinho teve boa chance e parou em João Paulo. Quando o placar marcava 16 jogados, Bruno Marques ganhou pelo alto e cabeceou por cima.

A partida perdeu em intensidade e emoção nos minutos finais. O auxiliar Marcelo Fernandes rodou o elenco do Santos, deu chance a garotos e terminou a partida sem volantes, mas não foi o suficiente.

Já nos acréscimos, Thiago aproveitou erro de Luiz Felipe para disparar sozinho e cruzar. Alex desviou contra. 2 a 0, Bahia com os três pontos e a vaga na Sul-Americana.

João Paulo vê boa partida do Santos e lamenta falta de pontaria em derrota para o Bahia

O goleiro João Paulo aprovou a atuação do time reserva do Santos na derrota por 2 a 0 para o Bahia na noite desta quinta-feira, na Fonte Nova, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

Na visão do titular, o Peixe pecou pela pontaria. Só João e Sandry reforçaram a equipe alternativa do Alvinegro sob o comando do auxiliar Marcelo Fernandes.

“Fizemos boa partida, tomamos gol em uma desatenção. Pressionamos no segundo tempo, tivemos chances para empatar e não aproveitamos, infelizmente. No fim, encaixaram um contra-ataque e fizeram o gol”, disse João, ao Premiere.

Marcelo Fernandes valoriza base do Santos e vê boa impressão para Holan: “De encher os olhos”

Marcelo Fernandes elogiou os jovens jogadores do Santos após a derrota por 2 a 0 para o Bahia na noite desta quinta-feira, na Fonte Nova, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

Dos 16 utilizados na partida, 14 passaram pela base do Peixe. O Alvinegro já estava classificado para a Pré-Libertadores e terminou a competição em oitavo, com essa oportunidade de rodar o elenco e mostrar serviço para Ariel Holan.

“Tivemos uma conversa produtiva. Eu, Jorge, Arzul, todos os departamentos falaram. Ariel (Holan) é uma pessoa que sabe tudo que acontece no Santos. Nos deixou tranquilos, deixou ambiente leve. O que ele passou foi tranquilidade, para tocarmos o jogo, sabendo da dificuldade pela quantidade dos meninos. Falou que queria analisar os jogadores que aqui estão e meninos foram muito bem. Fizemos grande partida, independentemente do resultado. Não queríamos perder, o segundo gol foi de misericórdia com minha equipe toda na frente. E o primeiro gol foi de bola parada. Tivemos mais posse de bola, finalizações iguais e eles aproveitaram. Demos azar. Saio daqui muito feliz com o que esses meninos de 16, 17, 18 anos. É de encher os olhos do torcedor”, disse Marcelo.

“Prontos, sim, até porque têm maturação pela necessidade do clube. Maturação abrupta até. São garotos de personalidade. Terminamos com 10. É bom para o clube que vive problema sério extracampo em termo financeiro. Garotos valem outro, têm futuro brilhante. Santos está bem servido com os que vieram e os que não vieram. E o Ariel terá um grande grupo para trabalhar”, completou.

O Santos deve utilizar o Paulistão como laboratório, já que ainda está impossibilitado de contratar jogadores e vive situação financeira difícil.

“Fiquei feliz por todos. Todos que entraram deram algo produtivo e nos deram esperança. Sabíamos que alguns não tinham oportunidade e foi jogo bom para quebrar essa casca e entrarem de vez no profissional. Ângelo fez primeiro tempo primoroso, sabíamos que sentiria no segundo tempo. Todos foram bem e estou feliz pelos meninos”, avaliou Marcelo Fernandes.

“Ariel tem cuidado grande, estamos planejando tudo. Vai usar esses meninos porque é o perfil dele. Já usávamos com Cuca, que revelou vários da base e quebrou essa casca. Outros chegam… Quem ganha é o Santos e aqui estamos para dar respaldo ao Ariel. Se Deus quiser esse time vai dar liga e dar um futuro brilhante para o Santos. Demonstram personalidade, não se esconderam, não ficaram acuados. Meninos levaram gol de bola parada, tivemos várias oportunidades do empate. Levo de positivo o conjunto e acho que Santos está de parabéns pelo jogo, mesmo sem o resultado. Muita coisa positiva para começar o Campeonato Paulista”, concluiu.

Marcelo Fernandes elogia Ângelo após estreia como titular do Santos: “Primeiro tempo primoroso”

O auxiliar Marcelo Fernandes elogiou a atuação de Ângelo na derrota por 2 a 0 para o Bahia na noite desta quinta-feira, na Fonte Nova, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a estreia do atacante de 16 anos como titular.

O Menino da Vila foi destaque no primeiro tempo, quando acertou 11 dos 13 dribles tentados. Na etapa final, sentiu o ritmo e caiu de rendimento.

“Ângelo é um menino que já vinha galgando espaço, logicamente com tempo certo para poder entrar. É um garoto que, como todos os outros, é tratado com esperança. Alto nível de dribles, primeiro tempo foi de encher os olhos. Sabíamos que ele e outros sentiriam no segundo tempo por falta de jogos de 90 minutos, normal. Estou muito feliz com a partida do Ângelo e de todos que aqui vieram”, disse Marcelo Fernandes.

“Fiquei feliz por todos. Todos que entraram deram algo produtivo e nos deram esperança. Sabíamos que alguns não tinham oportunidade e foi jogo bom para quebrar essa casca e entrarem de vez no profissional. Ângelo fez primeiro tempo primoroso, sabíamos que sentiria no segundo tempo. Todos foram bem e estou feliz pelos meninos”, completou.

Holan conta com equipe particular e faz “lição de casa” antes de chegar ao Santos

Ariel Holan chegará ao Brasil no próximo sábado, mas os últimos dias têm sido de lição de casa para o novo técnico do Santos.

O argentino assistiu ao vivo aos jogos contra Fluminense e Bahia, viu gravações das partidas recentes do Campeonato Brasileiro e a decisão da Libertadores da América contra o Palmeiras, por exemplo.

Além dos videotapes dos jogos, ele recebeu material de treinamento do elenco profissional e já tem uma noção do que fazer e com quem pode contar. A definição, porém, ocorrerá na prática.

Enquanto isso, Ariel Holan conta com uma equipe própria para saber mais sobre as categorias de base. Três analistas de desempenho têm separado vídeos individuais de atletas promissores. Quatro deles largaram na frente: o zagueiro Kaiky, o lateral-direito Sandro, o meio-campista Kevin Malthus e o atacante Gabriel Pirani.

Holan mantém contato frequente com profissionais do Santos, como o auxiliar Marcelo Fernandes, o gerente Jorge Andrade e o analista Bebeto Sauthier. A ideia é não perder tempo enquanto está na Argentina. Por questões familiares para resolver, o técnico marcou a chegada para o fim de semana.

Ariel Holan só deve estrear contra o São Paulo no dia 6 de março, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Antes, o auxiliar Marcelo Fernandes será o comandante diante de Santo André e Ferroviária.

Holan chega ao Santos com os auxiliares Victor Bernay e Matías Cammameri e o preparador físico Diego Giacchino. O contrato é válido até dezembro de 2023.

Santos chama mais cinco jogadores da base para treinos com elenco profissional

O Santos chamou mais cinco jogadores das categorias de base para treinamentos com o elenco profissional a partir desta sexta-feira: o zagueiro Kaiky, os laterais-direitos Sandro e Mikael, o lateral-esquerdo Pedro Scaramussa e o meio-campista Kevin Malthus.

O quinteto se junta aos atacantes Allanzinho e Gabriel Pirani como as novidades da semana. A dupla treinou, viajou para Salvador e entrou durante a derrota por 2 a 0 para o Bahia na Fonte Nova, na última quinta-feira.

O Peixe estará recheado de Meninos da Vila em função da folga para boa parte do elenco: João Paulo, John, Pará, Luan Peres, Luiz Felipe, Felipe Jonatan, Alison, Sandry, Soteldo e Lucas Braga só retornam no dia 2 aos treinos.

Os demais desfalques são Kaio Jorge, Madson, Laércio, Raniel, Jobson e Sánchez (departamento médico), Marinho (covid-19) e Marcos Leonardo e Renyer (seleção sub-18).

Sob o comando do auxiliar Marcelo Fernandes, o Alvinegro terá time completamente reserva contra Santo André (domingo, no Canindé) e Ferroviária (quarta, na Vila Belmiro). O único não revelado na base para esses compromissos será Jean Mota. O meia recusou o recesso para mostrar serviço à nova comissão técnica.

Uma possível escalação é: Vladimir (Paulo Mazoti), Fernando Pileggi (Guilherme Nunes), Wellington Tim (Robson ou Kaiky), Alex e Wagner Leonardo; Vinicius Balieiro, Ivonei (Lucas Lourenço ou Pirani) e Jean Mota: Ângelo, Arthur Gomes (Allanzinho) e Bruno Marques.

O técnico Ariel Holan chega ao Brasil neste sábado e deve estrear apenas no clássico diante do São Paulo.


Santos 3 x 1 Bahia

Data: 01/11/2020, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Helton Nunes e Johnny Barros de Oliveira (ambos de SC).
VAR: Rodolpho Toski Marques (PR)
Cartões amarelos: Madson, João Paulo, Marinho e Sandry (S); Juninho e Anderson Martins (B).
Gols: Madson (09-1), Marinho (25-1), Daniel (27-1) e Jobson (36-1).

SANTOS
João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Marinho, Soteldo (Ângelo) e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

BAHIA
Douglas; Nino Paraíba, Anderson Martins, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Ronaldo (Elias) e Daniel (Clayson); Élber (Marco Antonio), Fessin (Rossi) e Gilberto (Saldanha).
Técnico: Mano Menezes



Santos vence o Bahia na Vila e termina primeiro turno do Brasileirão no G-6

O Santos venceu o Bahia por 3 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Madson, Marinho e Jobson. O de honra para o Tricolor foi de Daniel.

Com a vitória, o Peixe termina o primeiro turno com 30 pontos, na sexta colocação – dentro do G-6, zona de classificação para a Libertadores da América. O Bahia é apenas o 15º, com 19 somados.

O Alvinegro dominou as ações desde o começo e foi letal no primeiro tempo, quando fez seus três gols. A equipe ainda contou com boa atuação de João Paulo e uma falha de Douglas para o time de Salvador.

O jogo

O Santos dominou a partida desde o início, mas o Bahia nunca deixou de ser perigoso, principalmente em contra-ataques. E o primeiro gol foi do Peixe, aos nove minutos, quando Soteldo cruzou e Madson apareceu de surpresa no segundo pau.

No minuto seguinte, João Paulo fez milagre após dar rebote em chute de Élber. Gilberto, quase na pequena área, bateu firme e o goleiro santista evitou o empate na Vila.

Depois do susto, o Santos se reorganizou e ampliou com Marinho, após bate-rebate em escanteio e assistência de Jobson, quando o placar marcava 25 jogados. O Tricolor, porém, diminuiu com Daniel dois minutos depois. Luan Peres furou e Daniel aproveitou.

O Peixe voltou a ficar tranquila na partida no minuto 36: Jobson cobrou a falta e o goleiro Douglas aceitou. 3 a 1 na etapa inicial.

O Bahia se lançou ao ataque na etapa final e, com um minuto, Gilberto obrigou João Paulo a fazer boa defesa. O atacante deixou o zagueiro Luan Peres no chão na jogada.

O Santos respondeu no sexto minuto, quando Marinho bateu falta com veneno e Douglas espalmou. Aos 16, o goleiro baiano fez outra boa intervenção em finalização de fora da área de Felipe Jonatan.

Aos 28, outra boa chance para o Bahia. O goleiro João Paulo errou feio na saída de bola e Daniel ficou sozinho na pequena área. O chute desviou e bateu na trave santista.

Nos minutos finais, o Santos recuou as linhas e administrou a vitória por 3 a 1 na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lembra de previsões antigas e valoriza 1º turno do Santos: “Muito contente”

O técnico Cuca exaltou a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Bahia neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª e última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

O Peixe construiu o placar na etapa inicial, com gols de Madson, Marinho e Jobson, e administrou o resultado – o Alvinegro abriu 2 a 0, viu o Tricolor diminuir e ampliou logo na sequência.

“Para essa análise do primeiro turno, temos que voltar ao começo da competição e vermos o que muitos analistas falaram. Santos estaria na segunda página, não entre os 10 primeiros. Estamos na primeira página, posição a nível de zona de Libertadores. Não é o que o Santos almeja, mas não estamos envolvidos só no Brasileirão. Copa do Brasil, Libertadores, mata-mata, viagem, elenco enxuto, formação de jovens”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Estou muito contente com o trabalho, o retorno dos jovens e dos mais experientes. Torcedor também deve estar feliz com o que esse pessoal tem apresentado. Vivo em outras duas competições e entre os seis primeiros do Campeonato Brasileiro, completou.

Com o triunfo neste domingo,, o Alvinegro terminou o primeiro turno na sexta colocação, dentro da zona de classificação para a Libertadores da América, com 30 pontos. Cuca prevê segundo turno ainda mais difícil.

“Projeto mais difícil no segundo turno é a negociação dos três pontos. Cada um terá uma luta, não se sabe se é jogar contra parte de cima ou de baixo. Equipes tradicionais com 19 ou 20 pontos e vão vender caro cada jogo. Temos que nos preparar. Sei que segundo turno vai ser mais difícil por estarmos em outras competições. Prevejo no segundo turno uma dificuldade maior no Campeonato Brasileiro. Tomara que eu esteja enganado”, concluiu Cuca.

Cuca elogia Jobson e pede paciência com Jean Mota ao torcedor do Santos: “Estamos recuperando ele”

O técnico Cuca analisou o desempenho de Jobson e Jean Mota após a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Bahia neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª e última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

O treinador elogiou Jobson como meia e pediu paciência com Jean Mota ao torcedor santista.

“Jobson, por ter qualidade, visão de jogo e passe, atrás havia algum risco. E na frente não faz mal se passe não entrar. E os que entram geram possibilidade de gol, como foi no segundo gol, o do Marinho. Jogou bem, pega intensidade dentro de jogo, tem melhorado e é necessário no futebol de hoje. Sem intensidade, não se joga. Tem que unir qualidade e técnica com intensidade”, disse Cuca, sobre Jobson.

“Jean Mota é alvo de críticas da torcida, mas torcedor precisa entender que são as peças que temos. Com tolerância maior, futebol será melhor. Todos vão ler. Se não lerem, vão falar que ganhou nota 4, por exemplo. Existem outras valias, preenche espaço e faz coberturas que meninos não sabem fazer. Algumas peças vão correr um pouco mais para outros jogadores. Falta ritmo de jogo, é nítido. Foi artilheiro do Campeonato Paulista com ritmo maravilhoso, tudo que fazia dava certo. Estamos recuperando ele. Precisam ter mais paciência e tolerância com ele”, falou o técnico, sobre Jean Mota.

Cuca deve manter o meio-campo com Diego Pituca-Jobson-Jean Mota contra o Ceará, quarta-feira, no Castelão, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe precisa vencer em Fortaleza após o 0 a 0 na Vila Belmiro. Um novo empate levaria a eliminatória para os pênaltis.


Santos 1 x 0 Bahia

Data: 31/10/2019, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.634 pagantes
Renda: R$ 209.580,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Pará, Alison, Marinho, Jean Mota e Lucas Veríssimo (S); Gregore, João Pedro e Ronaldo (B).
Gol: Carlos Sánchez (08-2, de pênalti).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Evandro e Carlos Sánchez; Marinho (Tailson), Soteldo (Felipe Jonatan) e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

BAHIA
Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho, Moisés; Gregore (Ronaldo), Flávio e João Pedro (Marco Antonio); Élber (Rogerio), Artur e Gilberto.
Técnico: Roger Machado



Santos sofre susto, mas vence o Bahia e fica mais perto da Libertadores

O Santos venceu o Bahia por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, de pênalti.

O Peixe não foi brilhante, mas pouco sofreu na defesa e teve uma leve melhora na etapa final, suficiente para conquistar os três pontos em casa. O Tricolor teve um gol de Juninho anulado após auxílio do VAR.

O Alvinegro segue na terceira colocação, agora com 55 pontos, a seis do São Paulo e cada vez mais perto da Libertadores da América em 2020. O Bahia é o nono, com 41, distante da maior competição do continente.

O jogo:

O Santos passou longe de ter a mesma intensidade de outros momentos no Campeonato Brasileiro. O Peixe parecia achar que faria o gol a qualquer momento.

As principais chances do Alvinegro vieram em jogadas individuais. Soteldo, Sánchez e Jorge passaram perto e fizeram Douglas trabalhar. Eduardo Sasha, aos 17, marcou após bate-rebate, mas o árbitro de vídeo anulou por impedimento.

O Bahia marcou bem e só assustou o Santos uma vez, em finalização cruzada de Gilberto no quinto minuto da partida.

O Santos aumentou um pouco o ritmo na etapa final e abusava dos cruzamentos. Quando entrou na área por baixo, Marinho sofreu pênalti claro de Juninho. Carlos Sánchez converteu com categoria aos oito minutos.

O Peixe seguiu em cima do Bahia e esteve perto de abrir o placar aos 19, quando Sasha chutou na defesa do Tricolor duas vezes. Na sequência, Marinho cruzou e Evandro isolou.

O Alvinegro não soube administrar a vantagem como poderia e levou um susto. No minuto 38, Moisés ajeitou de cabeça e Juninho fez um golaço. O árbitro de vídeo anulou o lance por impedimento do lateral-esquerdo.

O Santos se recompôs nos minutos finais e garantiu a vitória suada na Vila Belmiro. Peixe longe do título, mas cada vez mais perto da Libertadores em 2020.

Bastidores – Santos TV:

Sánchez admite “um pouco de raiva”, mas entende opção de Sampaoli no Santos

Reserva no clássico contra o Corinthians, Carlos Sánchez voltou a ser titular e fez o gol do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Bahia nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao Esporte Interativo, Sánchez admitiu “um pouco de raiva”, mas disse entender o rodízio feito pelo técnico Jorge Sampaoli.

“Trabalho no dia a dia para que o técnico me escale. Depende dele. Temos que trabalhar sempre bem, sem cruzar os braços. Um pouco de raiva, mas temos que ter tranquilidade. Lutar, fazer um bom trabalho e depende da gente assimilar se jogar ou não”, disse Sánchez.

“Eu falo sempre com ele (Sampaoli). Temos boa relação. Se ele pensa em outro jogador que pode estar melhor ou com outra característica, tudo bem. Depende dele me colocar ou não. Quero somar. Apoiamos o trabalho dele”, completou.

Sánchez é artilheiro (com 15 gols) e garçom (com oito assistências) na temporada. O Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo, domingo, novamente na Vila.

Sampaoli pede “novo” Santos para 2020: “Não me encontro capacitado para fazer o que fiz neste ano”

O técnico Jorge Sampaoli voltou a fazer fortes críticas à diretoria do Santos na noite desta quinta-feira, após a vitória sobre o Bahia por 1 a 0, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador disse que não se preparado para repetir o trabalho deste ano, sem ter os pedidos atendidos pelo presidente José Carlos Peres na montagem do elenco.

“Se os melhores saírem e Santos precisa fazer um time novo com incapacidade financeira desse ano, será uma loteria. Não me encontro capacitado para fazer o que fiz nesse ano. Sofreria muito”, afirmou Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador coloca o futuro em aberto. Seu contrato termina em dezembro de 2020, mas a permanência, neste momento, parece improvável.

“Expliquei na coletiva anterior que não sabemos onde estaremos. Por decisão da diretoria, que rompe contratos, ou por decisão do próprio treinador. Nunca se sabe a realidade. É um clube que nesse ano me deu possibilidade e felicidade de estar aqui. Tenho muita alegria por passar ano aqui, me sinto um cidadão a mais, me fazem sentir assim, parte do povo de Santos. Essa felicidade me dá um grande compromisso com o clube e os jogadores que lutamos todos os dias para continuar acima”< disse Sampaoli. Minha realidade é vir ao Brasil, criar uma história e tratar de em dois anos o Santos ser campeão. Esse é meu sonho. Não sei o que passará ainda, não tenho tempo para pensar também. Temos que pensar no próximo jogo. Ninguém acreditava e esse grupo faz coisas muito importantes para o clube. Me obrigo a pensar no agora, não no depois. Há uma realidade que como pessoa física adoraria estar aqui. Viver em Santos foi o melhor que ocorreu comigo. Depois está o profissional, não quero enganar a torcida, vender situações que não existem”, emendou o treinador. Sampaoli ainda não teve uma conversa clara com o superintendente Paulo Autuori sobre reforços para 2020. Uma coisa até aqui é clara: o Santos tem pouco dinheiro para investir. “Tentei me reunir com Paulo (Autuori), mas não temos claro ainda o próximo ano, necessidades, balanço. Na próxima semana livre conversaremos sobre os jogadores que pensarão, não tenho claro. Me apresentaram projeto com dificuldade para 2020, mas não sei se clube pode gerar recursos para fazer essa campanha, para mim excelente, se transforme em título. Não tenho claro. Há diferença como cidadão de Santos e de resolver com sensatez e profissionalismo meu futuro”, concluiu. Sampaoli se frustra com Cueva e diz que peruano não era prioridade no Santos

Jorge Sampaoli disse na noite desta quinta-feira que Cueva não era prioridade no Santos e lamentou o descomprometimento do peruano.

O treinador admitiu não ter conseguido fazer o meia ser parte do processo e destacou a atuação do Flamengo no mercado da bola.

“Pedidos podem ter chegado a 100. Clube não conseguiu contratar as prioridades e fomos decantando. Para brigar por um campeonato precisamos fazer o que fez Flamengo. Trazer as necessidades e conservar os melhores. O resto é tudo mentira, enganar. Lamentavelmente Cueva não conseguimos colocar dentro desse universo comprometido com cidade, equipe e projeto. Tentamos, mas não conseguimos. Teve inconveniente pessoal que não fez com que fizesse parte de nós. Não concordo contigo sobre as contratações. A desordem é o que não pode ocorrer no próximo ano. Não podemos brigar até o último minuto para saber quem pode vir. Enquanto isso, outros se preparam muito bem para o campeonato”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva após a vitória contra o Bahia.

Fora dos planos do Peixe, Cueva viajou ao Peru e ficará pelo menos uma semana em seu país para resolver problemas pessoais e procurar clubes interessados.

Sampaoli explica discussão com torcedor do Santos e lamenta preço do ingresso na Vila

O técnico Jorge Sampaoli discutiu com um torcedor do Santos após o apito final da vitória por 1 a 0 sobre o Bahia na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O santista reclamou durante todo o tempo. Depois do Peixe confirmar a vitória, Sampaoli e o auxiliar Jorge Desio tiraram satisfação e pediram apoio.

“Sobre o torcedor, me incomodei porque qualquer pessoa que tente provocar alguém do Santos me incomoda. Esse torcedor é seguramente do Bahia com a camisa do Santos. Por isso fiquei incomodado”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador também criticou a diretoria pelo preço do ingresso na Vila – o mais barato foi R$ 40. O estádio recebeu 5.634 torcedores.

“A Vila estava no 50%, cada vez que vamos jogar fora diminuem os preços dos ingressos e aqui não. Há distância institucional com a torcida. Necessitávamos da Vila cheia, gente fervorosa apoiando a equipe. Temos limitações, mas precisamos da torcida e não contamos com isso”, completou o treinador.

Sampaoli não deve definir futuro no Santos antes do fim do Brasileirão; permanência é improvável

O técnico Jorge Sampaoli não deve definir o futuro no Santos antes do fim do Campeonato Brasileiro. O último adversário será o Flamengo, em 8 de dezembro.

Sampaoli espera saber quanto o Peixe poderá investir para 2020 e prioriza as últimas rodadas do Brasileirão em busca da vaga direta na Libertadores da América – o título é sonho distante.

Neste momento, pelas informações iniciais passadas pelo Alvinegro à comissão técnica, a tendência é de saída antes do fim do contrato, que termina em dezembro de 2020. Mais do que reforços, Jorge Sampaoli não vê chance de manutenção do atual elenco.

“Há uma realidade que como pessoa física adoraria estar aqui. Viver em Santos foi o melhor que ocorreu comigo. Depois está o profissional, não quero enganar a torcida, vender situações que não existem. Tentei me reunir com Paulo (Autuori), mas não temos claro ainda o próximo ano, necessidades, balanço. Na próxima semana livre conversaremos sobre os jogadores que pensarão (para reforçar o elenco), não tenho claro. Me apresentaram projeto com dificuldade para 2020, mas não sei se clube pode gerar recursos para fazer essa campanha (atual), para mim excelente, se transformar em título. Não tenho claro. Há diferença como cidadão de Santos e de resolver com sensatez e profissionalismo meu futuro”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva na última quinta-feira.

O Santos tem sérios problemas financeiros e deve, atualmente, dois meses em direito de imagem. O Peixe precisa diminuir a folha salarial para 2020 e não prevê grandes investimentos. Para piorar, precisa vender pelo menos um titular – Lucas Veríssimo e Soteldo são os mais cotados. Gustavo Henrique, em fim de contrato, e Jorge, emprestado pelo Monaco (FRA), devem sair.


Bahia 0 x 1 Santos

Data: 13/07/2019, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador, BA.
Público: 18.853 torcedores
Renda: R$ 258.374,00
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Elton e Moisés (B). Felipe Aguilar, Soteldo, Diego Pituca e Eduardo Sasha (S).
Gol: Carlos Sánchez (41-2).

BAHIA
Douglas Friedrich; Ezequiel, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Élton, Ramires e Shaylon (Guerra); Artur, Arthur Caíke (Élber) e Fernandão (Gilberto).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique (Luiz Felipe); Victor Ferraz (Jean Mota), Carlos Sánchez, Diego Pituca e Jorge; Eduardo Sasha, Soteldo e Uribe (Marinho).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos melhora no 2º tempo e vence o Bahia com gol no fim em Salvador

O Santos venceu o Bahia por 1 a 0 na noite deste sábado, no Pituaçu, na 10ª rodada, na retomada do Campeonato Brasileiro depois da pausa para a Copa América. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final, em rebote de pênalti defendido pelo goleiro Douglas.

Após primeiro tempo morno, o Peixe melhorou na etapa final com alterações de Jorge Sampaoli. O técnico sacou Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com Lucas Veríssimo na lateral direita e Sasha de centroavante, a equipe passou a ser perigosa.

Com a vitória, o Alvinegro segue na vice-liderança, mas agora a três pontos do líder Palmeiras. O Bahia é o oitavo, com 15. Na rodada 11, o Santos enfrentará o Botafogo, dia 21, no Engenhão. O Tricolor receberá o Cruzeiro, na Fonte Nova, no sábado.

O jogo

É difícil falar sobre o primeiro tempo de Bahia 0 x 0 Santos. Não houve chance clara e apenas um susto ou outro para os goleiros Douglas Friedrich e Everson.

O Peixe teve 67% de posse de bola, mas pouco agrediu. Com três zagueiros e três atacantes, o meio-campo não funcionou e houve apenas duas chegadas: um chute de Victor Ferraz de fora da área e uma cobrança de falta de Sánchez perto da trave.

O Tricolor não fez valer o fator casa e só teve um lance de perigo, quando Arthur Caíke recebeu na pequena área e Gustavo Henrique fez corte providencial.

A primeira oportunidade importante do segundo tempo ocorreu aos 12 minutos, quando Shaylon aproveitou rebote e chutou para Everson espalmar. Aos 15, Jorge Sampaoli mexeu duas vezes e desmontou a linha de três zagueiros: saíram Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com isso, Lucas Veríssimo passou a ser lateral-direito e Sasha o centroavante.

As alterações surtiram efeito e o Santos teve as melhores chances da partida. Na primeira, aos 22, Soteldo cruzou e Sasha cabeceou para linda defesa de Douglas. Na segunda, no minuto 22, Lucas Veríssimo cabeceou no travessão depois de lançamento de Jean Mota.

Aos 37, foi a vez do Bahia assustar. Élber avançou pela direita e cruzou para Gilberto, de peito, finalizar por cima do gol. E na sequência… Gol do Santos.

Sánchez finalizaria após bate-rebate e foi derrubado por Guerra. O próprio uruguaio bateu o pênalti, Douglas defendeu, mas no rebote o gol do Peixe saiu.

Nos minutos finais, o Santos só administrou a importantíssima vitória no Pituaçu. O Peixe agora está a três pontos do Palmeiras por causa do empate do rival diante do São Paulo, no Morumbi.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli destaca postura do Santos em vitória contra o Bahia: “Sem se importar com o local”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, vê a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia como exemplo do principal objetivo para o segundo semestre: atuar com a mesma proposta dentro e fora de casa.

O Peixe teve quase 70% de bola e pouco sofreu diante do Tricolor no Pituaçu. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final.

“Primeiro tempo foi parelho, depois mudamos o sistema. Não sofremos no primeiro tempo. Terminamos muito bem, aqui é difícil ganhar”, disse Sampaoli.

“Vamos jogar cada partida como se fosse em casa, sem se importar para o local. Veremos no futuro (sobre título), mas ideia é ter a mesma proposta de casa”, completou.

Sánchez destaca “grande trabalho” e sorte no gol da vitória do Santos contra o Bahia

Carlos Sánchez foi fundamental na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O uruguaio sofreu o pênalti e bateu. O goleiro Douglas defendeu, mas o meia fez no rebote.

Sánchez destacou o trabalho feito pelo Peixe e admitiu a sorte depois de errar a penalidade.

“Fizemos grande partida, time se entregou ao máximo. Perdi o pênalti, mas por sorte fiz no rebote. Buscávamos os três pontos, não o empate. Nossa torcida incentivou ao máximo e nós jogamos o que tínhamos que jogar. Fizemos um grande trabalho”, disse Sánchez, ao Premiere.

Marinho elogia mentalidade do Santos e vê “encaixe perfeito” com Sampaoli

Marinho, uma das opções de Jorge Sampaoli no segundo tempo da vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia, no Pituaçu, destacou a mentalidade do time.

O atacante segue o coro do treinador e quer o Peixe sem se importar com o local das partidas.

“Time que quer ser campeão tem que jogar bem dentro e fora de casa. Jogamos muito bem, contra equipe qualificada, que vem numa crescente, que foi bem contra o Grêmio. Mostramos a força da nossa equipe”, disse Marinho, ao Esporte Interativo.

“Temos que pensar jogo a jogo. Palmeiras faz a parte dele, nós temos que fazer a nossa. Não tenho nada a falar (sobre gente que cravava o Palmeiras campeão)”, afirmou o agora camisa 11.

Por fim, Marinho destacou o “match” entre seu estilo de jogo e a estratégia de Sampaoli no Santos.

“Sampaoli usa muito a beirada do campo. Encaixei certinho no time e na forma de jogar. Para mim foi algo muito bom. Renato não usava muito (os pontas no Grêmio), mas aqui eu tenho encaixe perfeito no sistema de jogo. Combinação perfeita”, concluiu.