Navegando Posts marcados como Vagner

Santos 2 x 2 Juventude

Data: 26/08/2001, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 7ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.926 pagantes
Renda: R$ 67.960,00
Árbitro: Giuliano Bozzano (SC).
Cartões amarelos: Fábio Costa e Vagner (S); Sidnei, Fernandão, Sidiney Souza e Edinho (J).
Cartão vermelho: Preto (S).
Gols: Vagner (01-1), Fernando (13-1) e Valdir (28-1); Leonardo Manzi (43-2).

SANTOS
Fábio Costa; Preto, Galván e Cléber; Valdir, Vagner (Elano), Válber, Renato e Léo; Robert e Viola.
Técnico: Geninho

JUVENTUDE
Diego; Edinho (Luciano Fonseca), Fernandão, Márcio Pereira e João Marcelo; Sidiney Souza (Ranielli), Sidnei (Luiz Fernando), Fernando e Michel; Dauri e Leonardo Manzi.
Técnico: Zé Teodoro



Santos empata, e torcida xinga Geninho

Equipe da Vila Belmiro fica duas vezes em vantagem diante do Juventude, mas cede igualdade a 2 minutos do fim

O Santos conseguiu o que o técnico Geninho pretendia (marcar um gol logo no início da partida), sofreu o empate, reagiu, mas, com um jogador a menos devido a uma expulsão, não conseguiu conter a pressão do adversário. No final, cedeu o 2 a 2 ao Juventude, na Vila Belmiro.

Após dois empates consecutivos em casa (no domingo anterior, o jogo contra o Botafogo-RJ terminou 0 a 0), a torcida santista canalizou sua revolta para Geninho, que desde a metade do segundo tempo já ouvia o coro “burro”.

Nos dez minutos iniciais, o Santos deu a impressão de que iria golear. O time marcou logo a 1min. Robert cobrou falta da esquerda, e Vagner, jogador mais alto do time (1,88m), concluiu de cabeça para a rede.

Aos 8min, sozinho diante do goleiro, Viola desperdiçou a chance de quebrar seu jejum de gols no Brasileiro.

O empate do Juventude, aos 13min, esfriou o Santos. O árbitro anotou pênalti de Cléber em Michel, marcação contestada pelos santistas. Fernando colocou no canto direito de Fábio Costa.

Um novo lance de bola parada deu origem ao segundo gol do Santos. Em outra cobrança de Robert, Galván ajeitou de cabeça para Valdir completar para o gol.

Apesar da expulsão de Preto, aos 37min, a equipe da Vila manteve os nervos sob controle.

Na segunda etapa, o Juventude passou a dominar a partida. Aos 24min, Viola foi derrubado, e os santistas pediram pênalti. O juiz marcou falta fora da área.

O técnico Zé Teodoro deu duas cartadas para tentar o empate. Colocou o atacante Leonardo Fonseca e os meias Luiz Fernando e Ranielli nos lugares do lateral Edinho e dos volantes Sidnei e Sidiney Souza, respectivamente. De imediato, as iniciativas de Zé Teodoro não produziram resultado e ainda abriram espaços para o ataque do time da casa.

Mas quase no fim do jogo, aos 43min, a equipe gaúcha conseguiu o que queria. Luciano Fonseca dominou e cruzou da direita, Leonardo Manzi ganhou a disputa de cabeça com a defesa e marcou o gol de empate.

Pacato, técnico tem discussão com torcedores

De comportamento normalmente pacato, Geninho não conteve os nervos devido à pressão da torcida do Santos por causa do terceiro empate em quatro jogos na Vila Belmiro pelo Brasileiro.

“A torcida está muito exigente e tem se manifestado de maneira não condizente com a realidade. Em vez de se manifestar contra o juiz, que errava, se preocupava em pressionar o time e em xingar o técnico. Está cheio de gente torcendo contra.” Ainda no primeiro tempo, o treinador bateu boca com torcedores que o xingavam.

Na segunda etapa, devido aos seguidos erros do time no setor ofensivo, o coro “burro, burro, burro” passou a ecoar pela Vila.


Santos 4 x 1 Araçatuba

Data: 10/04/1997, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.282 pagantes
Renda: R$ 75.570,00
Árbitro: Flávio de Carvalho
Cartões amarelos: Gilberto, Júnior Pedro Luís e Edinho Goiano (A); Alexandre e Ronaldão (S).
Cartão vermelho: Pedro Luís (A)
Gols: João Fumaça (02-1) e Flávio Guarujá (13-1); João Fumaça (02-2), Vágner (12-2, de pênalti) e João Fumaça (43-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Élder), Narciso, Ronaldão e Cássio; Baiano, Vágner, Alexandre (Caíco) e Robert (Sandro); Macedo e João Fumaça.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

ARAÇATUBA
Gilberto, Givaldo, Pedro Luís, Marcão e Cleomir; Edinho Goiano, Batista, Júnior e Juninho (Marcos Baiano); Itamar (Cristiano) e Flávio Guarujá (Magno).
Técnico: Sérgio Cosme



Santos goleia, mas ainda é 3º colocado

Com três gols de João Fumaça e outro de Vágner, o Santos venceu o Araçatuba por 4 a 1, ontem, na Vila Belmiro, em Santos. Apesar da vitória, o Santos permanece na terceira colocação do Grupo 1.

A Lusa venceu o clássico contra o São Paulo e mantém um ponto de vantagem sobre o Santos.

O goleador João Luís completa hoje 20 anos. Ele foi festejado pelos companheiros no vestiário.

O Santos iniciou a partida pressionando o Araçatuba e logo aos 2min inaugurou o marcador. Na demora do goleiro Gilberto para repor a bola em jogo, o juiz assinalou falta em dois lances. Alexandre tocou para Ânderson, que chutou forte. Gilberto espalmou, e a bola sobrou para João Luís, de cabeça, marcar 1 a 0.

O Santos permaneceu no ataque, criando oportunidades pela direita. O Araçatuba procurou reverter a pressão e aos 13min empatou. Juninho cobrou o escanteio pela direita, a zaga falhou, Flávio Guarujá se antecipou a Narciso e desviou a bola de Zetti.

O Santos voltou veloz para a etapa completar. Logo a 1min, João Luís desempatou após jogada de Macedo pela esquerda.

Aos 12min, Vágner ampliou ao cobrar pênalti cometido por Pedro Luís em Macedo. João Fumaça fechou o placar aproveitando o rebote da zaga.



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/1997/04/11/264//4881085

Santos 4 x 2 Mogi Mirim

Data: 30/03/1997, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 2ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.177 pagantes
Renda: R$ 97.180,00
Cartões amarelos: Vagner, Baiano e Zetti (S).
Gols: Macedo (05-1), Andradina (25-1) e Luis Cláudio (40-1); Vágner (07-2), Macedo (14-2) e Alexandre (34-2).

SANTOS
Zetti; Léo (Baiano), Sandro, Ronaldão e Cássio (Rogério Seves); Marcos Assunção, Vágner, Caíco (Alexandre) e Robert; Macedo e Alessandro.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

MOGI MIRIM
Marcos Garça; Paulão, Marcelo Batatais e Rogerinho (Luis Mário); Luis Cláudio, Branco (Ademir), Marcelo Lopes, Wellington (Ricardo Dias) e Leto; Marcão e Andradina.
Técnico: Oswaldo Alvarez



De virada, Santos derrota o Mogi na Vila

O Santos não mostrou o futebol de toque de bola exigido pelo técnico Wanderley Luxemburgo, mas teve garra e determinação para vencer, de virada, o Mogi Mirim por 4 a 2, ontem à tarde, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

O atacante Macedo foi um dos destaques da partida, marcando dois gols e dando o passe para o gol de Alexandre. Ele ofereceu os gols ao filho Lucas, que nasceu ontem.

A partida começou com o Santos pressionando e inaugurando o placar. Caíco recebeu pela direita, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para a entrada de Macedo, livre de marcação, chutar forte, sem chances para Marcos Garça.

O gol levou o Mogi Mirim à frente, criando boas oportunidades, principalmente pelo setor direito com Marcelo Lopes.

Aos 25min, o empate. Marcão se livrou de dois marcadores e a bola sobrou para Andradina, que chutou no canto direito de Zetti.

O técnico Luxemburgo reclamou com insistência do número de passes errados e do espaço dado ao adversário, que dominou tecnicamente o primeiro tempo.

Aos 40min, o Mogi virou o jogo. Em jogada pela direita, Marcão chutou cruzado e a defesa não impediu a passagem da bola, que foi tocada para o gol por Rogerinho.

Luxemburgo mexeu no time para o segundo tempo. As presenças de Baiano e Alexandre, respectivamente nos lugares de Léo e Caíco, deram poder ofensivo ao Santos.

Aos 7min, Vagner recebeu a bola na intermediária, avançou sozinho e, de fora da área, chutou forte de pé esquerdo. A bola entrou no ângulo esquerdo de Marcos Garça.

Com a saída de Rogerinho, machucado, o Mogi deu espaço pelo setor esquerdo da defesa.

Aos 14min, Alexandre fez o cruzamento para a área, o goleiro falhou e a bola sobrou para Macedo marcar o terceiro gol do Santos.

Aos 34min, Macedo tocou de calcanhar para Alexandre chutar de pé direito. A bola resvalou em Paulão e encobriu o goleiro, definindo o resultado do jogo.

Müller é apresentado e prevê nova fase

O atacante Muller foi apresentado ontem à tarde à torcida do Santos, mesmo com o clube não tendo oficialmente contratado o jogador. Müller jogava no Perugia, da Itália.

O Santos paga hoje US$ 1 milhão e parcela de mais US$ 1 milhão, por meio de fiança bancária, ao clube italiano.

Müller evitou dar entrevistas. “Deixa primeiro o Santos fechar o negócio. Depois, eu falo”, disse.

O jogador viu a vitória com dirigentes e Narciso e Ânderson, que cumpriram suspensão ontem.

Müller elogiou o time e o técnico Wanderley Luxemburgo. “O time está bem, vive uma nova fase. O Wanderley sabe o que faz. Ele é como um pai para mim.”

O jogador deixou empolgada a torcida. “Vamos ver se dá para estrear contra o Corinthians.” O jogo está marcado para domingo.



Santos enfrenta o Mogi e busca empatia da torcida

O técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, quer aumentar a “empatia” com a torcida no jogo de hoje contra o Mogi Mirim, na Vila Belmiro, em Santos.

“Nós temos de criar uma empatia para mostrar ao torcedor que nós os respeitamos e estamos buscando o melhor”, afirmou.

O treinador disse que o time vai voltar a ter a “marca de campeão” nos jogos que disputar na Vila Belmiro, reaberta na última quinta.

“Vai ser difícil o adversário conquistar o resultado aqui porque o Santos voltará a ter essa marca”, disse o treinador.

Um dos fatores que vão melhorar o desempenho do Santos na Vila é o novo gramado, no qual a diretoria investiu R$ 1 milhão. A nova grama foi estreada na quinta contra o Internacional e aprovada pelos jogadores, apesar de estar soltando algumas placas.

“Parece o tapete lá de casa, mas está soltando as placas porque a grama ainda não enraizou direito”, explica o zagueiro Sandro.

Segundo a diretoria, o gramado necessitaria de três meses para se fixar bem e não se soltar. “Mas não era possível esperar mais tempo”, disse o vice-presidente do Santos, Clodoaldo.

O estádio ficou fechado nove meses para reformas, que ainda não acabaram. A construção de um lance de arquibancadas ainda deve durar mais três meses.

Luxemburgo tem dois desfalques certos para a partida. Narciso e Anderson vão cumprir suspensão automática por terem levado o terceiro cartão amarelo.

Wagner e Marcos Assunção são dúvidas, mas é provável que retornem à equipe. Eles foram poupados contra o Internacional.

Luxemburgo afirmou que, se o jogo tivesse sido muito importante, Wagner e Assunção teriam jogado, mas preferiu poupá-los. Assim, há grande chance de que eles voltem à equipe hoje.

Com a saída de Anderson, Léo deve ocupar a lateral direita. Sandro deve substituir Narciso e formar dupla de zaga com Ronaldão.


Santos 3 x 2 Figueirense

Data: 18/03/1997, terça-feira, 18h30.
Competição: Copa do Brasil – 1ª Fase – Jogo de volta
Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo, SP.
Público: 2.582 pagantes
Renda: R$ 28.125,00
Árbitro: Wagner Tardelli de Azevedo (RJ)
Cartões amarelos: Sandro (S); Everaldo, Toto, Silva e Rafael (F).
Gols: Alexandre (05-1) e Silva (39-1); Macedo (01-2), Vágner (38-2) e Rafael (40-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Sandro, Ronaldão e Rogério Seves; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre e Robert; Macedo e Edgar Baez (João Fumaça).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FIGUEIRENSE
Carlos Alberto; Jackson (Walter), Leonardo, Everaldo e Marco Santos (Rafael); Vinícius, Marquinhos, Sandro Ventura e Nando (Carlinhos); Toto e Silva.
Técnico: Lauro Burigó



Santos bate o Figueirense, mas é vaiado

Às vaias da torcida (as quais o técnico Wanderley Luxemburgo disse não ter ouvido), o Santos venceu o Figueirense (SC), por 3 a 2, ontem, manteve sua invencibilidade no torneio e se classificou para duelar contra o Internacional de Porto Alegre na próxima fase.

A equipe paulista abriu o placar aos 5min. Macedo avançou e tocou para Alexandre, que marcou.

Alguns minutos de fraca atuação foram o suficiente para a torcida exigir a saída de Luxemburgo. O descontentamento aumentou aos 39min, quando Silva empatou.

No primeiro minuto do segundo tempo, Vágner chutou na trave, e Macedo marcou no rebote. O gol que selou a classificação saiu aos 38min: Vágner, de fora da área. O Figueirense marcou em seguida.

Santos 5 x 2 Inter de Limeira

Data: 09/03/1997, domingo, 15h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 7.718 pagantes
Renda: R$ 74.405,00
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Alexandre e Piá (S); Cléber Arildo, Silva e Edu Marangon (I).
Gols: Sérgio Araújo (08-1), Marcos Assunção (11-1), Alexandre (18-1) e Ronaldão (43-1); Sérgio Araújo (02-2), João Fumaça (44-2) e Vágner (50-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Narciso, Ronaldão e Cássio; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Piá) e Robert; Macedo (Ronaldo) e Edgar Baez (João Fumaça).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

INTER DE LIMEIRA
Leandro (Sérgio); Josias, Lica, Renato Carioca e Daniel Júnior; Emerson, Silva (Valdecir), Cléber Arildo (Hélio) e Edu Marangon; Paulinho (Washington) e Sérgio Araújo.
Técnico: Pepe



Santos goleia, é vice-líder, mas atacantes fracassam

O Santos goleou ontem a Internacional de Limeira, por 5 a 2, no primeiro jogo que fez em sua cidade em oito meses. O Santos chegou a 16 pontos e assumiu o segundo lugar do Grupo 1, com 16 pontos. Mas a dupla de ataque Macedo-Baez não marcou.

A Inter marcou aos 8min. O atacante Sérgio Araújo aproveitou um rebote da defesa e chutou no ângulo direito do goleiro Zetti.

Mas três minutos depois, o Santos empatou, numa cobrança de falta. Marcos Assunção bateu forte, a barreira da Inter se abriu e o goleiro Leandro não conseguiu chegar na bola, que entrou no seu canto esquerdo.

Aos 18min, o Santos virou o marcador, num chute longo de Alexandre, em que o goleiro Leandro falhou. O jogador comemorou imitando um frango, o que irritou a comissão técnica da Internacional de Limeira.

Mesmo em vantagem, o Santos mostrava erros no ataque, principalmente dos atacantes Macedo e do paraguaio Baez, que perderam várias chances.

Aos 43min, por fim, o zagueiro Ronaldão ampliou o placar de cabeça, após cobrança de falta da direita.
No intervalo, o goleiro Leandro foi substituído por Sérgio que, ao entrar em campo, foi atingido na cabeça por uma pilha e sangrou um pouco, mas, após ser atendido, pôde jogar.

No segundo tempo, a Inter adiantou seu time e logo aos 2min Sérgio Araújo descontou, aproveitando outro rebote, desta vez uma bola largada por Zetti.

Por causa do calor, o rendimento dos dois times caiu muito a partir do meio do segundo tempo. A Internacional ainda tentou pressionar, mas não conseguiu ameaçar o gol do Santos, que aproveitou os contra-ataques.

Aos 44min, João Fumaça recebeu livre na área e ampliou. Aos 50min, Vágner converteu um pênalti sofrido por Robert.

Técnico evita criticar diretoria

O técnico Wanderley Luxemburgo comemorou ontem a vitória do Santos sobre a Inter de Limeira por 5 a 2 e evitou falar sobre a falta de um atacante para reforçar o time. Há uma semana, ele havia feito duras críticas à diretoria.

“Tudo que tinha para ser discutido sobre isso já o foi. O importante é que conseguimos uma bonita vitória e começamos bem a segunda fase”, disse o treinador.

João Fumaça, revelação dos juniores, estava feliz com o primeiro gol marcado pelos profissionais.

Falta de água e xingamentos direcionados a Pepe

Mesmo depois do jogo, os jogadores da Internacional enfrentaram problemas. Faltou água em seu vestiário.
O jogador Silva, enquanto aguardava a volta da água, criticou a arbitragem. “Houve falhas da defesa, e o juiz foi muito omisso, prejudicando muito a Inter.”

O técnico Pepe se mostrou bastante insatisfeito com o comportamento da torcida, mas elogiou o talento dos jogadores santistas.

“O Santos tem um grande elenco. Se nós perdemos de 5 a 2 é porque tentamos o empate, não ficamos fechadinhos na defesa”, disse o treinador.

“Eu gosto muito mais do Santos do que essa cambada que passou os 90 minutos me xingando”, declarou o treinador, referindo-se à agressividade da torcida contra ele. Pepe desenvolveu sua carreira como jogador no Santos e é ex-técnico do time.



Santos volta a ser ‘local’, após oito meses de exílio ( Em 09/03/1997 )

O Santos volta a jogar em sua cidade hoje, após oito meses de “exílio”. O time enfrenta a Internacional, às 15h, no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista.

Desde 20 de junho de 1996, a equipe não se apresenta na cidade. O último jogo foi a vitória de 2 a 0 sobre o Real Madrid, da Espanha, na despedida do meia Giovanni. O estádio de Vila Belmiro, desde então, está fechado para reformas.

O Santos não perde para a Inter há 11 anos. O time de Limeira é dirigido pelo técnico Pepe, ex-jogador e técnico do próprio Santos.

Terceiro colocado no Grupo 1, o Santos tem de vencer para não se distanciar de Palmeiras e Guarani e manter-se à frente da Lusa. Apenas dois clubes de cada chave se classificam para a próxima fase.

O Santos faria ontem um treino de reconhecimento do gramado. O técnico Wanderley Luxemburgo manterá a mesma equipe da última partida.

O atacante paraguaio Edgar Baez terá mais uma chance. “Estou motivado e ansioso para marcar meu primeiro gol”, disse Baez.

Luxemburgo disse que o time “deve ter tranquilidade e impor o seu ritmo”.

Edu Marangon preocupa Luxemburgo

Anular o veterano meia Edu Marangon. Essa é a principal preocupação do técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, em relação ao time da Inter de Limeira.

Luxemburgo disse que o adversário deve jogar retrancado, explorando os contra-ataques iniciados pelos ainda eficientes lançamentos de Marangon.

Os dois atacantes, Paulinho e Sérgio Araújo, são muito rápidos, e Luxemburgo não quer que a bola chegue até eles.

“Também não podemos nos descuidar com as bolas cruzadas sobre a grande área”, disse o zagueiro Narciso, que, mais uma vez, substitui Sandro, machucado.

Luxemburgo lamenta novamente não contar com seu principal atacante: Alessandro. Ele se recupera de uma contusão muscular e só deve retornar no clássico contra o São Paulo, no próximo domingo.

A diretoria deu prazo até hoje para que o La Coruña, da Espanha, responda se concorda ou não em ceder o atacante Renaldo ao clube.

Adversário

A Internacional terá quatro desfalques na partida de hoje. O zagueiro Tonhão, o volante Zelito e o meia Beto receberam o terceiro cartão amarelo no último jogo, contra o Mogi Mirim.

Além deles, fica de fora o volante Charles Guerreiro, expulso no confronto do meio da semana.

Entram: Lica, na zaga, Emerson, Luís Henrique e Washington, no meio-campo.