Navegando Posts marcados como Rychely

Figueirense 2 x 1 Santos

Data: 29/06/2011 – 21h50
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC.
Público: 5.322 pagantes
Renda: R$ 60.005,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Júlio César Rodrigues Santos (RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS).
Gols: Aloísio (04-1), Rychely (06-1) e Aloísio (31-1).

FIGUEIRENSE
Wilson; Bruno, João Paulo, Edson Silva (Roger Carvalho) e Juninho; Ygor, Túlio, Maicon e Fernandes (Rhayner); Aloísio (Coutinho) e Héber.
Técnico: Jorginho

SANTOS
Rafael, Pará (Tiago Alves), Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Adriano, Arouca, Danilo e Roger Gaúcho (Felipe Anderson); Rychely (Renan Mota) e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho



Em ressaca e sem estrelas, Santos demonstra perde por 2 a 1 para o Figueirense

O Santos não apresentou a mesma vibração marcante da Libertadores, e sim, uma ‘ressaca’ provavelmente originada pelo tricampeonato conquistado na semana passada. Melhor para o Figueirense. A equipe catarinense fez ótima exibição, controlou o jogo, e teve facilidade para vencer o adversário sem os craques Paulo Henrique Ganso e Neymar por 2 a 1, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

O estilo de jogo apresentado pelo Santos na Libertadores passou longe da realidade vivida em Florianópolis. Afinal, Roger não é Paulo Henrique Ganso, e Rychely, apesar do gol, passa longe de Neymar. O alvinegro ainda sentiu os desfalques de Jonathan, Léo e Elano.

O domínio do Figueirense começou cedo, com o primeiro gol de Aloísio logo aos 4 minutos. O ‘lapso’ santista na partida veio dois minutos depois com o gol de empate. Só que o gol em nada abalou o time mandante.

O Figueirense mandou bola na trave, encurralou o Santos, e foi um time de poucas falhas na partida. Já o Santos parecia não ter a mesma motivação, e em falha defensiva coletiva, algo raro no mata-mata da Libertadores, sofreu o segundo gol de Aloísio no jogo, aos 31 minutos do segundo tempo.

No segundo tempo, Muricy Ramalho não ousou, trocou um meia por outro logo no reinício, posicionou Adriano como terceiro zagueiro, e deu liberdade aos laterais. Nada que fizesse o panorama do jogo mudar.

A vitória do Figueirense foi tranquila apesar da diferença mínima. A equipe catarinense se orgulha de estar no G-4, com 13 pontos. Já o Santos, com 5, ronda perto da zona de rebaixamento, e se defende do momento ruim na competição com o fato de ter dois jogos a menos.

Santos 3 x 1 Avaí

Data: 05/06/2011 – 18h30
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Público: 4.109
Renda: R$ 64.420,00.
Árbitro: José de Caldas Souza (DF).
Auxiliares: César Augusto Vaz e Carlos Emanuel Manzolillo (DF).
Cartões amarelos: Roger (S); Marcinho Guerreiro, Gustavo Bastos, Julinho e Fabiano (A).
Gols: Borges (09-1); Borges (06-2), Maurício Alves (42-2) e Rychely (47-2).

SANTOS
Rafael, Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Alex Sandro; Arouca, Danilo (Roger), Adriano, Alan Patrick (Bruno Aguiar); Zé Eduardo (Rychely) e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho.

AVAÍ
Aleks, Cassio, Bruno, Gustavo Bascos; George Lucas, Marcinho Guerreiro, Fabiano, Estrada (Fabio Santos) e Julinho; Marquinhos Gabriel (Robinho) e William (Maurício Alves).
Técnico: Silas.



Borges marca dois gols em sua estreia e comanda vitória do Santos contra o Avaí

Muricy pediu a contratação de Borges argumentando que o atacante “conhece a área”. O reforço do Santos justificou o recado dado pelo treinador: marcou dois gols em sua estreia pelo clube, os dois na pequena área, e comandou a vitória sobre o Avaí por 3 a 1, na Vila Belmiro, pelo Brasileirão.

O triunfo deixou o Santos com quatro pontos no Nacional e aumentou a instabilidade do time catarinense, que segue sem pontuar em três rodadas.

Borges chegou para ser o centroavante do Santos. O atacante Zé Eduardo, em crise de gols e que até pagará promessa em Aparecida do Norte depois de marcar um gol, rumará para o Genoa, da Itália, em agosto.

Na primeira jogada de Borges na pequena área, aos 9 min da 1ª etapa, o novo reforço mostrou por que foi contratado. Alan Patrick cobrou escanteio. Zé Eduardo desviou e Borges completou para o gol.

“Fico feliz. É importante estrear fazendo gols”, comentou Borges, que colocou a bola na barriga em referência aos filhos que irão nascer. “O gol é para meus filhos [Matheus e Gabriel, gêmeos] que estão por vir”, se referindo ao primeiro gol no jogo.

Muricy escalou vários titulares para o compromisso na Vila. Léo, Edu Dracena, Jonathan, Elano e Neymar não atuaram.

Léo, Ganso e Jonathan se recuperam de lesões; Elano e Neymar estão com a seleção brasileira. Edu Dracena foi expulso no empate diante do Cerro. Muricy escalou Bruno Rodrigo neste domingo justamente para testar o zagueiro, que deverá atuar nas finais da competição das Américas.
Já o Avaí também não teve o goleiro Renan, negociado para o Corinthians, e Marquinhos, que se transferiu para o Grêmio.

Com exceção do lance que resultou no gol de Borges, o primeiro tempo foi lento, sem emoções e com o Avaí sem esboçar reação mesmo em desvantagem.

O segundo gol santista ocorreu aos 8 min da segunda etapa, novamente em jogada de bola parada (agora em cobrança de falta) e com Borges marcando. O lance gerou reclamação pelo lado do Avaí, alegando que o camisa 9 estava impedido.

A saída de Marquinhos deixou marcas no meio-campo do Avaí, que não conseguia criar jogadas de perigo na área santista.

Mesmo sem pressionar, o time da Vila empurrava o adversário para a defesa e poderia ter feito mais. Borges quase marcou seu terceiro gol no jogo, mas Aleksander fez ótima defesa.

A dois minutos do fim, o Avaí diminuiu. George Lucas cruzou e Maurício Alves se antecipou para desviar a bola. O time de Santa Catarina se animou e partiu para o ataque em busca do empate. Mas no contragolpe, o Santos sacramentou o êxito. Rychely recebeu na área e concluiu para o gol.