Navegando Posts marcados como racismo

Grêmio 3 x 3 Santos

Data: 03/02/2021, quarta-feira, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO).
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartões amarelos: Kannemann, Diego Souza, Matheus Henrique, Victor Ferraz e Luiz Fernando (G); Sandry (S).
Cartão vermelho: Sandry (S, 41-2).
Gols: Kaio Jorge (07-1) e Diego Souza (36-1, de pênalti); Jean Pyerre (43segs-2) e Pepê (07-2), Arthur Gomes (22-2, de pênalti) e Madson (50-2, de pênalti).

GRÊMIO
Vanderlei; Victor Ferraz (David Braz), Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Lucas Silva (Thaciano), Alisson (Luiz Fernando), Jean Pyerre (Maicon) e Pepê; Diego Souza (Ferreirinha).
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
John; Pará (Vinicius Balieiro), Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Ivonei), Sandry e Jean Mota (Madson); Lucas Braga, Arthur Gomes (Ângelo) e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca



Santos sai na frente, leva virada do Grêmio e busca empate no fim com um a menos

O Santos empatou em 3 a 3 com o Grêmio nessa quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Peixe buscou o empate aos 50 minutos do segundo tempo com um a menos – Sandry foi expulso aos 41.

Os gols do Peixe foram de Kaio Jorge, Arthur Gomes e Madson. O Tricolor marcou com Diego Souza, Jean Pyerre e Pepê. O Alvinegro fez 1 a 0, levou 3 a 1 e conseguiu o 3 a 3 no fim.

Com o empate, o Santos assume a oitava colocação, com 46 pontos. O Grêmio é o sétimo, com 43. Na próxima rodada, o Tricolor visitará o Botafogo, na segunda-feira. O Peixe enfrentará o Atlético-GO, sábado, em Goiânia.

Grêmio e Santos fizeram um primeiro tempo equilibrado. O Peixe começou melhor, enquanto o Tricolor equilibrou as ações e terminou os primeiros 45 minutos em alta.

O Santos abriu o placar aos sete minutos, quando Luan Peres arrancou, deu um drible da vaca em Rodrigues e passou para Kaio Jorge só empurrar. 1 a 0 para o Alvinegro.

O Peixe levava a partida do seu jeito até que apareceu Jean Pyerre. O meia deu um lindo passe para Pepê, que foi derrubado por Pará na área. Diego Souza bateu no meio e John caiu no canto esquerdo. 1 a 1.

No minuto 42, Victor Ferraz tocou para trás e Alison tirou na pequena área. Instantes depois, Arthur Gomes cabeceou e obrigou Vanderlei a fazer grande defesa.

O Grêmio não demorou quase nada para virar. Bola de pé em pé até Pepê servir Jean Pyerre. E o meia deslocou o goleiro John com extrema categoria. Pará fez o pênalti e não estava em sua posição no segundo gol do Tricolor. 2 a 1.

O Santos baixou a guarda e não demorou a levar o terceiro. Aos sete minutos, nova jogada construída com facilidade, como Renato Gaúcho gosta, até Pepê deslocar John.

O Grêmio diminuiu o ritmo, tentou administrar o jogo e sofreu um susto aos 22 minutos. Matheus tocou com o braço na bola após cabeceio de Sandry. Arthur Gomes converteu o pênalti.

O Santos teve Sandry expulso aos 41 minutos, mas teve força para reagir. Luiz Fernando cometeu pênalti e Madson converteu aos 50 minutos. Um 3 a 3 heróico do Peixe.

Bastidores – Santos TV:

Madson valoriza poder de reação do Santos em empate com o Grêmio: “Luta segue”

Madson valorizou o poder de reação do Santos no empate em 3 a 3 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez 1 a 0, sofreu empate no primeiro tempo, 3 a 1 na etapa final e buscou o 3 a 3 nos acréscimos, com Madson em cobrança de pênalti.

“A gente sabia do peso desse jogo depois de perder título tão importante como a Libertadores, do jeito que foi, no último minuto. Tínhamos que dar resposta, a luta segue. Futebol é bom porque em dois ou três dias se pode mostrar valor”, disse Madson, ao Premiere.

“Voltamos meio desligados, Cuca fez um ajuste e equipe se reergueu com um a menos e com todas as dificuldades. Fui consagrado com um pênalti. Tive a responsabilidade de cobrar e bati bem. Pela circunstância, ponto a ser comemorado”, completou.

Com o empate, o Santos assume a oitava colocação, com 46 pontos. O Peixe voltará a campo para enfrentar o Atlético-GO, sábado, em Goiânia.

Luan Peres elogia preleção de Cuca no Santos e cita frase de Pará: “No futebol não tem lugarzinho para coitado”

Luan Peres comentou sobre o poder de superação do Santos para buscar o empate em 3 a 3 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, principalmente depois da derrota por 1 a 0 para o Palmeiras na final da Liberadores da América no último sábado, no Maracanã.

O Peixe saiu na frente, levou o 3 a 1 e alcançou o 3 a 3 nos acréscimos pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro assumiu a oitava colocação, com 46 pontos, e segue na briga por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

“Como Pará fala, no futebol não tem lugarzinho para coitado. Se entrássemos no marasmo, cabisbaixos, a gente levaria um sacode do Grêmio que não tem nada a ver com isso. Entramos focados, Cuca deu uma baita preleção e motivou muito a gente. Mostramos a nossa força, conseguimos o empate e se tivesse mais cinco minutos era mais para a gente ganhar do que eles”, disse Luan.

O Santos tem cinco compromissos pela frente na temporada: Atlético-GO (fora), Coritiba (casa), Corinthians (casa), Fluminense (casa) e Bahia (fora).

Arthur Gomes vê empate com gosto de vitória no Santos: “Temos que enaltecer o grupo”

Arthur Gomes comemorou o empate do Santos em 3 a 3 com o Grêmio na última quarta-feira, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez 1 a 0, levou o 3 a 1 e buscou o 3 a 3 nos acréscimos. Arthur marcou o segundo, de pênalti.

“O resultado foi muito importante, especialmente pela forma que foi o jogo. A gente saiu na frente, mas entramos um pouco desligados no segundo tempo e tomamos a virada. Buscamos o empate mesmo com um a menos, então temos que enaltecer o grupo. Viemos de uma derrota dolorida, na final da Libertadores, e todo mundo ainda está sentindo um pouco, mas foi um empate importante fora de casa e com gosto de vitória pela luta que tivemos e circunstâncias do jogo”, disse Arthur Gomes.

O atacante mira a vaga na próxima edição da Libertadores da América. O Santos precisa de uma boa sequência na reta final do Brasileirão.

“Futebol é confiança. A partir do momento que você consegue ganhar jogos e conquistar os pontos que precisa, você fica mais cascudo para administrar as partidas. Os cinco jogos que faltam do Campeonato Brasileiros serão decisivos e o nosso pensamento é colocar o Santos novamente na Libertadores e buscarmos os objetivos que o clube merece”, afirmou o jogador, que tem 95 partidas pelo clube, com 11 gols.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Atlético-GO, sábado, em Goiânia. Os outros jogos serão contra Corinthians, Coritiba e Fluminense – todos dentro de casa -, além do Bahia na última rodada, em Salvador.

Santos repudia fala racista de narrador da Rádio Grenal e cobra providências

O Santos emitiu uma nota oficial na noite desta quarta-feira para repudiar os termos racistas utilizados pelo narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal, na transmissão do empate em 3 a 3 com o Grêmio.

Haroldo pergunta ao repórter o nome do “crioulinho pela esquerda”. Era Lucas Braga. Na sequência, chama de “cidadão de dor”, “com todo o respeito”.

A empresa que cuida da carreira de Braga também se manifestou contra o fato.

“O Santos FC não vem por meio desta apenas lamentar ou repudiar os termos racistas utilizados pelo narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal. Não cabem mais lamentos ou notas de repúdio sobre racismo em pleno 2021. Cabe ação e mobilização. O Clube, através de seu Departamento Jurídico, tomará medidas cabíveis, da mesma maneira esperamos uma reação efetiva do veículo de comunicação empregador desse senhor e da própria comunidade que compõe a audiência de tal rádio. É no silêncio, na omissão, na relativização frente ao preconceito que o racismo cresce silenciosamente e se estabelece de forma estrutural em nossa sociedade. Basta de tolerância com racismo! Basta!”, publicou o Santos.

Discreto, Lucas Braga fica chateado e não se pronuncia após ato racista de narrador em jogo do Santos

Lucas Braga ficou abalado com o ato racista do narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal, durante a transmissão do empate em 3 a 3 entre Grêmio e Santos na última quarta-feira, em Porto Alegre. .

Haroldo pergunta ao repórter o nome do “crioulinho pela esquerda”. Era Braga. Na sequência, o chama de “cidadão de dor”, “com todo o respeito”.

Discreto, Lucas Braga não se pronunciou sobre o ocorrido. Quase todos do elenco santista lamentaram o fato.

“Ele ficou triste com a situação. Não só pelo comentário, mas pela repercussão. Ele é bem resolvido na questão da raça, mas não gosta de polêmica. Enfim, o narrador foi infeliz. No mundo atual não cabe mais esse tipo de comentário”, disse Fabio Braga, pai do atacante.

Cuca desconversa sobre futuro no Santos: “Tenho contrato e vou suar sangue em cada minuto”

O técnico Cuca desconversou sobre o futuro do Santos em entrevista coletiva nesta quarta-feira, após o empate com o Grêmio, em Porto Alegre, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O contrato termina no fim de fevereiro e a renovação é considerada difícil pela diretoria do Peixe. Ele já pensava em sair antes mesmo de perder a final da Libertadores da América para o Palmeiras no último sábado, no Maracanã.

“Eu tenho contrato com o Santos até dia 24 e vou suar sangue a cada minuto. Depois vemos o que faremos. Minha cabeça está boa, mesmo com coração dolorido. Estamos nos levantando juntos. Eles me levantam, eu levanto eles. É assim que funciona”, disse Cuca.

Cuca está na terceira passagem pelo Santos. São 15 vitórias, 13 empates e 12 derrotas em 40 jogos.

Lucas Veríssimo se despede do Santos rumo ao Benfica: “Coração pesado”

Lucas Veríssimo publicou uma despedida do Santos em suas redes sociais nesta quarta-feira. O zagueiro gravou um depoimento para um vídeo com momentos de sua passagem pelo Peixe.

Revelado pelo Alvinegro, Veríssimo jogará pelo Benfica (POR). A negociação foi concluída por 6,5 milhões de euros (R$ 43 mi): 2,5 milhões de euros (R$ 16 mi) agora, 2 milhões de euros (R$ 12,7 mi) em dezembro de 2021 e outros 2 milhões de euros (R$ 12,7 mi) em dezembro de 2022.

Lucas Veríssimo fez 187 jogos pelo Santos, com sete gols marcados. A estreia como profissional ocorreu em 2016. Ele tem 25 anos.

Marinho desabafa, valoriza vice e diz: “Obrigado ao Santos por me tornar quem sou hoje”

Marinho desabafou em publicação no Instagram no início da noite desta quarta-feira. O atacante do Santos havia saído da rede social para se concentrar antes da final da Libertadores da América contra o Palmeiras.

Eleito melhor jogador da competição continental, o camisa 11 valorizou o vice-campeonato e agradeceu ao Peixe em longo texto.

“Enfim, aqui estou a cada dia tendo que provar meu valor, sem esperar aprovação de A ou B! Não podemos nos crucificar demais quando nada dá certo, carregamos uma carga muito grande, nos preparamos diariamente, abdicamos de várias coisas, esperamos o momento pra chegar lá e vencer, ajudar, ser importante. Quando se tem um peso, uma responsabilidade gigante, e nos vemos falhar no dia mais importante da vida, ficamos mal, nos culpamos, nos sentimos frágeis, somos taxados de não servirmos mais. Parece que o que fizemos no percurso não valeu nada. É triste quando escutamos algo de quem não acompanha nossa caminhada. Ouvimos muitos comentaristas e respeito grande parte deles, mas muitos que nos criticaram não acompanham o nosso dia a dia, nossa luta. Faz parte julgar, mas esse julgamento precisa ser justo. Qual o nosso valor? Apenas quando vencemos? Ninguém vai apagar o trabalho, pois isso é a certeza de saber quem realmente somos. O maior vencedor nem sempre é quem ganha. Nas derrotas nos fortalecemos e aprendemos, pois só conseguimos vencer na vida quando se teve experiência na derrota”, disse Marinho.

“Ser vice-campeão da Libertadores não é demérito, é valorizar um trabalho que a maioria não acreditava, desdenhava ou até mesmo zombava da nossa capacidade e da grandeza do clube, do peso dessa camisa. Tenho orgulho do que fizemos, orgulho da família que criamos. Merecíamos esse título, nosso torcedor, por mais otimista que fosse, talvez não imaginava o quão longe chegaríamos, com toda dificuldade na temporada. Uma reflexão que fica: que não podemos desistir de quem sonha em ficar marcado, quem sonha em vencer, quem sonha em lutar, mesmo quando as circunstâncias parecem contrárias, só tenho que agradecer cada atleta, pessoal do staff, comissão técnica, funcionários do clube e torcedor. Todos que realmente acreditaram, mesmo quando não parecia ter luz no fim do túnel. O mais importante é saber que já somos mais que vencedores, vivenciamos o maior torneio do continente com outros gigantes que ficaram no meio do caminho, e o time improvável chegou a final por méritos, e não por acaso. O Santos é e continuará sendo um Gigante.
Obrigado ao Santos por me tornar quem sou hoje”, completou.

Com um edema ligamento colateral medial do joelho esquerdo, Marinho não tem prazo definido para voltar a jogar pelo Santos. O inchaço já diminuiu e a expectativa é de retornar ainda nessa edição do Campeonato Brasileiro.


Defensa y Justicia 1 x 2 Santos

Data: 03/03/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 1ª rodada
Local: Estádio Norberto Tomaghello, em Buenos Aires, Argentina.
Público e renda: N/D
Árbitro: Gustavo Tejera (URU).
Auxiliares: Nicolás Tarán e Carlos Barreiro (URU).
Cartões amarelos: Botta e Benítez (DJ); Luan Peres, Lucas Veríssimo, Evandro, Kaio Jorge e Carlos Sánchez (S).
Gols: Benítez (45-1); Jobson (26-2) e Kaio Jorge (39-2).

DEFENSA Y JUSTICIA (ARG)
Unsain; Breitenbruch, Rodríguez, Martínez e Benítez; Acevedo, Mainero (Márquez) e Neri Cardozo (Ojeda); Pizzini, Botta (Coacci) e Lucero.
Técnico: Hernán Crespo

SANTOS
Everson, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Luan Peres; Pará, Carlos Sánchez, Evandro (Jobson) e Diego Pituca; Eduardo Sasha; Yuri Alberto (Kaio Jorge) e Soteldo.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Alterações funcionam, e Santos vence Defensa y Justicia de virada na estreia

O Santos venceu o Defensa y Justicia por 2 a 1, de virada, noite desta terça-feira, em Buenos Aires, na estreia pela Libertadores da América.

O Peixe saiu atrás no fim do primeiro tempo, com gol de Benítez, e virou na etapa final, quando Jobson e Kaio Jorge balançarem as redes pela primeira vez com a camisa alvinegra, nos minutos 26 e 39.

O Santos fez bom primeiro tempo, principalmente na defesa, e alternou bons e maus momentos ofensivos. O Peixe de Jesualdo Ferreira fez um gol depois de três jogos, quase 400 minutos.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Mirassol, sábado, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Pela Libertadores, o próximo compromisso será diante do Delfín (EQU), na próxima terça, novamente na Vila – com portões fechados.

O jogo

O Santos entrou em campo com uma formação diferente: uma espécie de 3-4-1-2 com a bola, com três zagueiros, Pará e Diego Pituca como alas, Evandro e Carlos Sánchez atrás de Eduardo Sasha e Yuri Alberto e Soteldo à frente.

A variação do técnico Jesualdo Ferreira funcionou defensivamente na maior parte do tempo. No ataque, porém, a dificuldade do Peixe continuou e não houve finalização na direção do gol no primeiro tempo.

O Alvinegro sofreu o gol em seu melhor momento, já no fim da etapa inicial. Benítez aproveitou vacilo de Luan Peres e cabeceou forte aos 45 minutos para vencer Everson.

O Santos voltou pior para o segundo tempo. O Peixe passou a ficar mais desorganizado, ofereceu mais espaço ao Defensa y Justicia e chegou a ouvir “Olé”.

E, curiosamente, o Alvinegro chegou ao gol quando era pior em campo, cenário distinto em relação aos primeiros 45 minutos. Jesualdo insistia com Soteldo pela direita, lugar onde o camisa 10 rende menos. Foi só ele ir para a esquerda e em pouco tempo achou Jobson na área. O volante, novidade na etapa final, cabeceou bonito para empatar aos 26 minutos.

O gol fez o Santos crescer na partida e chegar à virada. Soteldo tentou jogada individual e a bola sobrou para Kaio Jorge, outro substituto. O Menino da Vila avançou, se livrou da falta e marcou o segundo.

A vitória dá sobrevida a Jesualdo no comando do Peixe. Além disso, o treinador teve sinais da necessidade de armar esquema mais “simples”. A virada veio com Jobson e Diego Pituca como volantes, Soteldo na esquerda, Eduardo Sasha na direita e Kaio Jorge como centroavante, funções de preferência dos atletas.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo exalta defesa do Santos e pede confiança: “Se acreditarem no trabalho, podem conquistar”

O técnico Jesualdo Ferreira exaltou a vitória do Santos, de virada, por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia na noite desta terça-feira, na Argentina, na estreia pela Libertadores da América.

O português exaltou o sistema defensivo do Peixe e pediu confiança no seu trabalho.

“Não se pode errar numa competição como a Libertadores, que tem seis jogos numa fase de grupos. Quando a equipe sabe defender, e as pessoas acham que saber defender não é uma virtude… Soubemos jogar o jogo de um jeito que não propiciou ao adversário. Soubemos tirar vantagem. Se eles acreditarem naquilo que estou fazendo e no meu trabalho, podem conquistar alguma coisa. O Paulista ou a Libertadores”, disse Jesualdo.

Jesualdo também comentou sobre o plano de jogo com três zagueiros e Evandro e elogiou Jobson e Soteldo.

“Nós tínhamos um plano para a partida. Começamos com ele. Mas tem detalhes que não conseguimos segurar. A entrada do Jobson deu mais força, mais potência no meio. O Soteldo tem de jogar nos dois lados. E creio que fez uma boa partida na direita, também, e depois foi dar uma assistência também para o segundo gol”, analisou.

“No primeiro tempo foi muito difícil para controlar o lado esquerdo da defesa. Corrigimos na segunda parte, mas o mais importante foi que com a passagem do Yuri para o meio e depois o Kaio (Jorge), os problemas que o Defensa não tinha passou a ter”, completou.

“Susto” na Argentina faz Jesualdo reforçar pedido por contratação no Santos

Jobson revelou sua “teimosia” para marcar seu primeiro gol pelo Santos, o de empate na virada por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia nesta terça-feira, na Argentina, pela estreia na Libertadores da América.

O volante entrou no segundo tempo para atuar entre os dois zagueiros, mas observou um caminho e aproveitou a chance após cruzamento de Soteldo.

“O professor tem uma experiência, conhece os jogadores. Ele sabe quem coloca, temos de confiar no trabalho dele. Temos de fazer o que ele pede… Eu tomei até uns puxões de orelha nos anos passados porque saía muito, mas vi um espaço. Fui um pouco teimoso. O professor estava gritando para ficar no meio dos zagueiros. Fui muito feliz e tenho de agradecer”, disse Jobson, em entrevista coletiva.

Pituca destaca ‘cara de Libertadores’ do Santos: “Grande segundo tempo”

Diego Pituca destacou a raça do Santos para virar e vencer o Defensa y Justicia por 2 a 1 na noite desta terça-feira, na Argentina, pela estreia na Libertadores da América.

O meio-campista comentou sobre as instruções no vestiário e a melhora na etapa final para ganhar com gols de Jobson e Kaio Jorge.

“Acredito que o primeiro tempo nós ainda estávamos assimilando a equipe deles, tentando entender o jeito que jogavam, e, claro, teve o nervosismo natural de uma estreia. No intervalo, o professor Jesualdo conversou com a gente, passou ideias e aí conseguimos por em prática o que for pedido. Fizemos um grande segundo tempo, com muito garra, com cara de Libertadores, com cara de Santos”, disse Pituca.

“Esse é o espírito, essa união do grupo precisa fazer a diferença. Vamos voltar pro Brasil, estudar o que erramos hoje, prestar atenção nos detalhes e buscar a evolução para os próximos jogos. O que mais importa agora são os três pontos, começar a Libertadores com vitória, com confiança e motivação para as próximas rodadas”, completou.

“Susto” na Argentina faz Jesualdo reforçar pedido por contratação no Santos

O “susto” do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia na última terça-feira, na Argentina, faz Jesualdo Ferreira reforçar o pedido por uma contratação.

O técnico quer um lateral-esquerdo para disputar posição com Felipe Jonatan. A ausência do titular, único especialista no elenco, quase causou estrago na estreia pela Libertadores da América.

O Peixe sofreu pelo lado esquerdo da defesa com Luan Peres como zagueiro por ali e Diego Pituca de ala. Jesualdo trouxe Eduardo Sasha para a ponta em busca de reforçar a marcação no setor.

“No primeiro tempo foi muito difícil para controlar o lado esquerdo da defesa. Corrigimos na segunda parte, mas o mais importante foi que com a passagem do Yuri para o meio e depois o Kaio (Jorge), os problemas que o Defensa não tinha passou a ter”, resumiu o treinador, em coletiva de imprensa.

Além da dificuldade financeira do clube, o Alvinegro tem o problema da janela internacional de transferências estar fechada nos principais países. Dessa forma, a procura precisa ocorrer no mercado interno ou com quem está sem contrato. E a inscrição na Libertadores só seria permitida numa possível oitavas de final.

Kaio Jorge, após 1º gol pelo Santos: “Um ano atrás eu estava assistindo a Libertadores na TV”

Kaio Jorge diz ter vivido uma das melhores noites de sua vida na última terça-feira, na vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia, na Argentina.

O atacante de 18 anos fez seu primeiro gol pelo Peixe, logo na sua primeira participação na Libertadores da América. O gol da virada e dos três pontos na estreia.

“Eu não sei nem como começar.. O primeiro a gente nunca esquece!! essa foi uma das melhores noites da minha vida. Sempre fui sonhador, mas jamais imaginei que os sonhos seriam realizados desse jeito, aos 18 anos, da maneira que aconteceu. Dois anos atrás eu estava sentado em frente à televisão assistindo o Santos jogar na Libertadores, ontem, eu entrei em campo com esse manto sagrado nessa mesma competição que eu sempre quis jogar. Fiz o gol, ajudei meus companheiros e de quebra ainda estamos levando três pontos para o Brasil. Muito feliz por isso, por esse momento. Obrigado, Deus! Obrigado família, amigos e companheiros de clube. Que esse sonho se transforme em mais sonhos, e que seja apenas o início de uma grande caminhada. Feliz demais”, publicou Kaio.

Promovido ao elenco profissional ainda em 2018, Kaio tem 12 partidas pelo Alvinegro e espera ganhar mais oportunidades na sequência da temporada.

Torcedores do Santos relatam racismo no jogo contra o Defensa y Justicia

Os santistas que estiveram no estádio Norberto Tomaghello, na Argentina, na última terça-feira, relataram gestos de cunho racista por parte de um torcedor do Defensa y Justicia. Em vídeo divulgado nas redes sociais, um homem faz imitações de macaco em direção aos brasileiros.

O vídeo não demorou para tomar grandes proporções nas redes sociais, e diversos torcedores passaram a cobrar uma postura da Conmebol, entidade organizadora da Libertadores.

Entre os clubes, o Santos ainda não se manifestou sobre o caso. O Defensa y Justicia, por sua vez, publicou um comunicado de repúdio às ofensas racistas, pedindo desculpas ao clube paulista. Os argentinos ainda ressaltaram que pregam o respeito e cordialidade com os torcedores visitantes.

Dentro de campo, o resultado foi positivo para os brasileiros. O Peixe conseguiu uma virada e venceu por 2 a 1 em sua estreia na Copa Libertadores.


Grêmio 0 x 0 Santos

Data: 18/09/2014, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 22ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 21.107 presente (18.834 pagantes)
Renda: R$ 481.563,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Celso Luiz da Silva e Marcus Vinícius Gomes (ambos de MG).
Cartões amarelos: Matheus Biteco e Ramiro (G).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Matías Rodríguez (Walace), Geromel, Rhodolfo e Pará; Ramiro, Fellipe Bastos (Riveros) e Matheus Biteco; Luan (Fernandinho), Lucas Coelho e Dudu.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Zeca; Arouca, Souza e Lucas Lima (Alan Santos); Gabriel (Stefano Yuri), Leandro Damião (Geuvânio) e Robinho.
Técnico: Enderson Moreira



Em noite de vaias a Aranha, Grêmio e Santos ficam no empate em jogo fraco

Apesar da recepção hostil da torcida adversária, goleiro faz boas defesas e tem participação importante para o resultado

Três semanas depois de sofrer ofensas racistas por parte de alguns torcedores do Grêmio, o goleiro Aranha voltou à Arena nesta quinta-feira, pelo Brasileirão. Muito vaiado pela torcida, o goleiro do Santos fez algumas boas defesas, que garantiram à sua equipe um empate por 0 a 0 em Porto Alegre, em um jogo fraco e repleto de erros de passe de ambos os times.

O episódio ocorrido com Aranha na partida do dia 28 de agosto, pela Copa do Brasil, tornou o jogo muito tenso na Arena. Na primeira etapa, o Grêmio teve mais chegadas perigosas, mas não chegou a pressionar. O jogo foi muito disputado e truncado, e o panorama seguiu parecido na etapa complementar, que viu o duelo decair ainda mais de nível técnico.

Com o empate, o Grêmio não entra no G-4, mas sobe uma posição: agora é quinto, com 36. O Santos permanece em nono, com 30. O Tricolor volta a jogar na Arena neste domingo, diante da Chapecoense. Já o Peixe enfrentará o Figueirense, na Vila Belmiro.

O jogo

Foi uma noite de reencontros na Arena. Não apenas de Aranha com a torcida do Grêmio, mas do técnico Enderson Moreira, hoje no Peixe, com o Tricolor, clube o qual dirigiu até o final de julho. Ambos foram muito vaiados pelos gremistas, bem como Leandro Damião, ex-centroavante do Inter. A surpresa no Grêmio foi a ausência de Barcos, desfalque de última hora por conta de dores na coxa. Lucas Coelho atuou em seu lugar.

Devido ao episódio ocorrido na Copa do Brasil, o jogo foi tenso e muito disputado, com poucas chegadas de perigo de lado a lado. No primeiro tempo, só o Grêmio teve conclusões a gol. Aos sete minutos, Dudu bateu na rede por fora após boa tabela com Lucas Coelho. O centroavante gremista ainda teve duas boas chances: aos 18, bateu a gol e Aranha salvou com a ponta dos dedos; aos 19, acertou a trave. O Santos só chegou à área gaúcha aos 14, em belo toque de Damião para Gabriel, mas Marcelo Grohe saiu do gol e evitou a conclusão.

O Grêmio tentou apertar o ritmo na volta do intervalo. Logo a um minuto, Lucas Coelho enfiou boa bola para Dudu completar, mas Aranha defendeu. O goleiro santista pegaria outra bola decisiva aos seis, quando Lucas Coelho recebeu lançamento livre na área e chutou fraco. Logo, porém, a partida caiu bruscamente de ritmo e os erros de passe de lado a lado é que imperaram. Só aos 34 houve uma chegada de relativo perigo, com Robinho ganhando de Geromel na velocidade, mas Grohe saiu bem e abafou a jogada.



Grêmio 0 x 2 Santos

Data: 28/08/2014, quarta-feira, 20h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 30.294 (28.091 pagantes)
Renda: R$ 814.899,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Auxiliares: Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (Esp.-SC).
Cartões amarelos: Ramiro e Pará (G); Edu Dracena, Alison e David Braz (S).
Gols: David Braz (37-1) e Robinho (42-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto (Matías Rodríguez); Walace (Matheus Biteco), Ramiro e Giuliano; Luan (Alán Ruiz), Barcos e Dudu.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Alan Santos), Gabriel (Leandro Damião) e Robinho (Rildo).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Grêmio desperdiça chances, Santos vence no Sul e abre vantagem

Com gols de David Braz e Robinho, time paulista fez 2 a 0 em duelo válido pela Copa do Brasil, nesta quinta-feira

O Santos deu um passo enorme para se classificar para as quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quinta-feira, o Peixe foi mais eficiente que o Grêmio: enquanto o Tricolor perdeu gols demais o jogo todo, a equipe santista chegou poucas vezes com perigo, mas as converteu e venceu por 2 a 0. Os gols foram marcados por David Braz e Robinho.

O Grêmio mandou em quase todo o primeiro tempo, mas perdeu chances demais e viu o Santos, nas duas chegadas que teve, abrir 2 a 0 nos minutos finais. Na etapa final, a pressão foi intensa do início ao fim, mas o Tricolor seguiu desperdiçando as inúmeras oportunidades criadas e acabou derrotado em casa.

Agora, o Grêmio só se classifica se vencer por três gols de diferença na volta, ou por dois gols, desde que marque ao menos três vezes. Os dois times voltam a se encontrar na quarta que vem, na Vila Belmiro. Pelo Brasileiro, o Tricolor recebe o Bahia na Arena, enquanto o Peixe visitará o Botafogo, no Maracanã. Ambos os jogos ocorrerão no domingo.

O jogo

Com forte apoio da torcida na Arena, o Grêmio tomou a iniciativa das ações. A primeira boa chegada veio aos quatro minutos, com Zé Roberto se projetando na área e chutando para defesa de Aranha. Dois minutos mais tarde, Giuliano recebeu de Barcos, fez fila na área santista e chutou raspando a trave. Aos 10, em mais uma boa jogada coletiva do Tricolor na frente da área rival, Giuliano chutou rasteiro, para fora, com Aranha dando apenas um golpe de vista.

O Santos tratava de cadenciar e jogar nos contragolpes. O primeiro veio aos 19, com Gabriel, mas Robinho escorregou na hora de finalizar e chutou torto. Na jogada seguinte, Dudu deu lindo de toque de calcanhar e ligou contra-ataque com Giuliano. O meia invadiu a área e passou para Luan, que chutou, livre, mas Mena tirou em cima da linha.

O Grêmio seguia melhor, jogando em alta velocidade. Aos 27, Dudu girou sobre a marcação e invadiu a área. O cruzamento rasteiro veio para Giuliano, mas Aranha defendeu no reflexo. Barcos tentou na sobra, a zaga cortou e Ramiro soltou a bomba, que explodiu na marcação. O Peixe, então, em sua primeira conclusão perigosa marcou: Lucas Lima cobrou escanteio, David Braz deu peixinho sozinho na área e fez 1 a 0. Aos 42, o segundo: Lucas Lima escapou pela direita e cruzou para Robinho. Ele chutou, a bola bateu em Werley, voltou para Robinho e entrou.

O Grêmio voltou do vestiário com Alán Ruiz e Matheus Biteco nos lugares de Luan e Walace, e sem o técnico Luiz Felipe Scolari, expulso ao final do primeiro tempo por reclamar de toque de mão de Lucas Lima no segundo gol do Peixe. Em sua primeira jogada, Ruiz deixou Rhodolfo na cara do gol, mas Cicinho impediu o arremate em grande recuperação. Aos 3, David Braz travou na hora em que Giuliano ia chutar, após ótima jogada de Dudu.

A pressão seguia forte. Aos 14, David Braz salvou de cabeça quando Rhodolfo chegava pelo alto. A seguir, Dudu recebeu pela esquerda e bateu para boa defesa de Aranha. Aos 17, Zé Roberto puxou contra-ataque e deu a Alán Ruiz, que bateu. A bola desviou na zaga e David Braz quase fez contra. Na jogada seguinte, Giuliano cruzou e Werley cabeceou com perigo. Aos 18, Barcos recebeu liberado na área e chutou, mas Aranha fez ótima defesa.

Aos 21, Alán Ruiz bateu falta rasteira e Aranha salvou com a ponta dos dedos. Aos 28, o goleiro santista foi corajoso ao disputar com Giuliano na pequena área após toque de cabeça de Rhodolfo. O zagueirão gremista subiu livre aos 34, mas deu de coco na bola e ela subiu demais. Aos 39, Rildo quase matou o jogo após entrar livre em contra-ataque, mas Marcelo Grohe salvou. Aos 44, foi Damião quem obrigou o goleiro gremista a um milagre.

Aranha relata ofensas racistas de torcedores do Grêmio na Arena: ‘Macaco’

“Negro fedido, preto, cambada de preto, depois começaram a fazer barulho de macaco”, contou o goleiro do Santos

A vitória do Santos por 2 a 0 diante do Grêmio na noite desta quinta-feira, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil, foi ofuscada pelo racismo. O goleiro Aranha foi vítima de ofensas no segundo tempo por torcedores localizados atrás de seu gol na Arena do clube gaúcho, e chamou a atenção do árbitro Wilton Pereira Sampaio sobre o ocorrido. Uma câmera da ESPN Brasil flagrou uma garota chamando o jogador de “macaco”.

Após o jogo, Aranha deu seu testemunho sobre a atitude vinda das arquibancadas. “Da outra vez que a gente veio jogar, estava passando campanha contra o racismo no telão, não é por acaso. Eu estava no gol, xingar, pegar no pé, normal. Quando gritaram ‘preto fedido e cambada de preto’, eu tentei aguentar. Mas quando começou o corinho fazendo barulho de macaco, eu não aguentei. ‘Negro fedido, seu preto, cambada de preto’, depois começaram a fazer barulho de macaco. Pedi para filmarem o que estavam fazendo. É difícil, é duro, nunca imaginei passar por isso. Acho que mais importante é mostrar e registrar o que aconteceu aqui. Tenho consciência de que isso não parte da maioria da torcida do Grêmio. Sei que a intenção é desestabilizar, mas sou maduro o suficiente para manter meu comportamento em campo”, disse o goleiro.

O goleiro explicou também por que retrucou as ofensas e disse que foi mal interpretado pelo árbitro da partida. “Ele (o árbitro) veio falar que eu estava provocando a torcida. Quando me chamaram de macaco, de preto, bati no braço e disse que sou preto, sim”, revelou Aranha, lembrando que o fato acontece com frequência no Sul. “Não são todos, mas sempre tem um racista. Está dado o recado para ficarem espertos para a próxima partida.”

Aranha é o segundo jogador do Santos a ser alvo de ofensas racistas este ano. O volante Arouca também foi chamado de “macaco” por torcedores do Mogi Mirim em jogo pelo Campeonato Paulista, em março.

A acusação de Aranha à torcida do Grêmio também não é fato isolado. No começo deste ano, o zagueiro Paulão, do rival Internacional, também relatou ofensas após um Gre-Nal pelo Campeonato Gaúcho, no fim de março.




Grêmio é excluído da Copa do Brasil após julgamento por injúrias raciais ( Em 03/09/2014 )

Condenado de forma unânime por ofensas de torcedores contra Aranha, clube ainda pode recorrer ao Pleno do STJD; árbitro que não relatou em súmula leva gancho

O Grêmio está excluído da Copa do Brasil. A decisão ocorreu após julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na tarde desta quarta-feira. Em quase quatro horas de sessão no Rio de Janeiro, os auditores resolveram, unânimes em 5 a 0, pela punição após denúncia feita pela procuradoria, baseada no artigo 243-G (e seus parágrafos) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O caso ocorrera na última quinta-feira, quando o goleiro do Santos Aranha foi alvo de injúrias raciais por parte de torcedores gremistas, no 2 a 0 do clube paulista, pelo jogo de ida das oitavas – a volta estava suspensa. Assim, o Peixe está classificado para as quartas do torneio e enfrenta o Botafogo, que venceu o Ceará nesta quarta-feira. A chave está paralisada até o julgamento no Pleno, uma vez que o Grêmio irá recorrer.

O clube foi multado em R$ 50 mil, mas não perdeu mando de campo por “ato discriminatório”. Os torcedores identificados praticando atos racistas serão impedidos de frequentar jogos do time gaúcho por 720 dias. A decisão não é definitiva. Cabe recurso, com novo julgamento em segunda instância no Pleno do STJD, a ser marcado em 15 dias.

O quarteto de arbitragem também fora denunciado pela procuradoria por não ter colocado o episódio relatado por Aranha na primeira versão da súmula. Wilton Pereira Sampaio acabou suspenso por 90 dias, enquanto os auxiliares pegaram gancho de 60 dias. O Grêmio ainda foi julgado por arremesso de objeto, e o Santos, por atraso na volta do intervalo, ambos levando multas de R$ 2 mil e R$ 4 mil, respectivamente.

Como foi o julgamento

O julgamento começou com o pronunciamento do presidente da sessão Fabricio Dazzi. Depois, a procuradoria apresentou provas em vídeo. Entre eles, reportagens de televisão e depoimento de Aranha. O mesmo foi feito pela defesa do Grêmio, que mostrou matérias de sites com as ações promovidas pelo clube, além de vídeos institucionais e depoimentos de jogadores, como Zé Roberto e Matheus Biteco.

O presidente Fábio Koff foi o primeiro a sentar perante os auditores para esmiuçar a posição do Grêmio sobre as injúrias raciais. Com larga experiência na magistratura, Koff tratou de exaltar os exemplos de ícones negros no clube e disse que a instituição foi “pioneira na integração racial”.

– Estou aqui para dizer que a decisão desta tarde ela tem uma importância histórica. A decisão atinge um clube com 111 anos de existência que atinge uma escolinha de 1,1 mil crianças, do qual um terço é de cor. O prejuízo causado a imagem do clube é irreparável. Se a pena ocorrer, deve ter sentido pedagógico e não ultrapassar limites – afirmou.

Koff também valorizou uma das ações de sua gestão, de cortar privilégios de organizadas. Na segunda, a direção anunciou a suspensão dos direitos da Geral do Grêmio.

– O Grêmio foi precursor em cortar subsídios de organizadas e dificultar o acesso de torcedores que se escondem num grupo. O Grêmio não dá ingresso, não paga ingresso, não facilita a vida – defende.

Também julgado, assim como seus auxiliares, por só relatar as injúrias raciais em adendo na súmula, o árbitro Wilton Pereira Sampaio afirmou que ficou “assustado” ao ver as imagens após a partida, no hotel. Em campo, confirma que não havia visto nem ouvido as ofensas e lembrou que em jogos da Copa do Brasil não há árbitros auxiliares atrás das metas.

– Não presenciamos nada, foi por meio de um relato do jogador. Após o término do jogo, nenhum atleta veio me questionar. Pensei que não havia sido nada. A gente sempre assiste ao jogo depois e fiquei assustado com o ocorrido. Por isso, incluí o adendo na súmula. Nós achamos que, aos 42 minutos do segundo tempo, com o Santos ganhando o jogo, achei que era uma tentativa de passar o tempo – relatou, em meio a forte cobrança dos auditores.

O árbitro negou que Aranha tivesse respondido aos torcedores com xingamentos:

– O atleta se virou para a torcida, bateu no braço e cuspiu no gramado.

– No momento em que nos viramos para a torcida, já não eram mais ofensas racistas, eram xingamentos normais de jogo – disse o auxiliar Carlos Berkenbrock, que falou depois de Pereira Sampaio.

O suprocurador geral Rafael Vanzin tomou a palavra para reafirmar que considera o Grêmio responsável. Segundo ele, episódios de cunhos racistas não são de hoje, e cita o caso envolvendo o zagueiro do Inter Paulão, alvo de injúrias raciais de um torcedor no Gauchão, também na Arena.

Ainda citou as postagens no Twitter, feitas pelo vice-presidente Adalberto Preis, em que alegou que Aranha fizera “grande encenação” no episódio. Por fim, pediu a exclusão do clube da Copa do Brasil, além de pena para o quarteto de arbitragem.

– As palavras de Patrícia Moreira, que ainda não prestou depoimento, assim como as imitações de macaco, são flagrantes – Rafael Vanzin. – E as medidas tomadas pelo Grêmio não são suficientes.

Na vez de os advogados do Grêmio defenderem o clube, a pauta foi a preocupação da instituição em campanhas sociais, a ajuda nas investigações policiais e a preocupação em afirmar que a ação foi obra de uma minoria.

– Não fechamos os olhos para o que vem acontecendo. Não vamos usar o Grêmio como bode expiatório, como uma caça às bruxas – disse o adovgado do Grêmio Gabriel Vieira. – O racismo é um problema social. Quantos auditores negros temos aqui? Nenhum.

– Quatro torcedores em meio a 30 mil. O Grêmio não pode ser responsabilizado. Eles, sim, precisam ser punidos – reforçou Michel Assaf Júnior, contratado pelo clube especialmente para este caso. – Não se pode confundir extrema gravidade com a repercussão do fato, nem reincidência.

Entenda o caso

O incidente no jogo entre Grêmio e Santos, na Arena do Grêmio, ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo, quando Aranha reclamou com o árbitro Wilton Pereira Sampaio, alegando ter sido vítima de xingamentos por parte da torcida. O juiz mandou a partida seguir, mesmo sendo alertado por jogadores do Santos dos incidentes que ocorriam fora de campo.

A jovem mostrada pelas imagens do canal ESPN foi afastada do trabalho no Centro Médico e Odontológico da Brigada Militar. Patrícia Moreira era funcionária de uma empresa terceirizada e prestava serviços de auxiliar de odontologia na clínica da polícia militar gaúcha. As imagens da torcedora ofendendo o goleiro santista começaram a circular pelas redes sociais logo após a partida. Aranha registrou boletim de ocorrência na 4ª Delegacia de Polícia na sexta.

Diante da repercussão, Patrícia evitou dormir em casa nos últimos dias. Ela se refugiou em residências de parentes e amigos para evitar retaliação. Pedras foram jogadas em direção a sua casa na noite de sexta-feira. O GloboEsporte.com visitou a região na tarde de sábado e ouviu os vizinhos. Amigos negros da menina de 23 anos garantem que ela não é racista. Até agora, seis pessoas foram intimidas a depor, entre elas Patrícia.


Mogi Mirim 2 x 5 Santos

Data: 06/03/2014, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: Estádio Romildo Ferreira, Romildão, em Mogi Mirim, SP.
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo
Cartões amarelos : Geuvânio, Cícero, Aranha e Rildo (S); Edson Ratinho (MM).
Gols: Fernando Baiano (22-1), Emerson Palmieri (42-1); Leandro Damião (11-2), Magrão (21-2), Rildo (23-2), Arouca (37-2) e Lucas Lima (45-2).

MOGI MIRIM
Reynaldo; Valdir, Wagner Silva (Henrique), Mirita e Leonardo; Olberdam, Everton Sena, Everton Heleno e Edson Ratinho; Serginho (Rivaldinho) e Fernando Baiano (Magrão)
Técnico: Márcio Goiano

SANTOS
Aranha; Cicinho, Jubal, Neto e Emerson Palmieri; Arouca e Cícero; Gabriel (Lucas Lima), Geuvânio (Rildo), Thiago Ribeiro e Leandro Damião (Stéfano Yuri).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Ataque segue brilhando, Santos goleia Mogi Mirim e garante classificação

Equipe chega a 30 gols no Campeonato Paulista e conquista uma vaga nas quartas de final da competição

Mais uma goleada, e o Santos voltou a vencer e mostrar o seu poderio ofensivo, que com 30 gols marcados, continua sendo o melhor ataque do Campeonato Paulista. A vítima da vez foi o Mogi Mirim, que mesmo atuando em casa, não resistiu e foi derrotado por 5 a 2. Os tentos foram marcados por Emerson, Leandro Damião, Rildo, Arouca e Lucas Lima. Fernando Baiano e Magrão descontaram.

Rildo e Lucas Lima marcaram os seus primeiros gols com a camisa do Santos, e mais uma vez vindo do banco de reservas, o atacante e o meia deram mais velocidade à equipe na segunda etapa, que mesmo com o placar vantajoso, não refletiu o que foi a partida, até os 25 minutos do segundo tempo.

A vitória garante a vaga antecipada às quartas de final para o Santos, que ao lado de São Paulo e Palmeiras já planeja um descanso nas próximas rodadas visando a fase final da competição. Durante o triunfo, os atacantes Geuvânio e Rildo, e o goleiro Aranha receberam o terceiro cartão amarelo e serão desfalques na próxima partida.

Já o Mogi Mirim, do presidente e jogador Rivaldo, permanece com 12 pontos, e mesmo com treinador novo segue na luta pela permanência na Primeira Divisão. Restando três partidas para o término da primeira fase, continua em uma situação delicada no campeonato, entretanto fora da zona de rebaixamento.

O jogo

Aos 14 minutos o primeiro grande momento da partida foi do time mandante. Em falha do lateral-direito Cicinho, o atacante Serginho invadiu a área santista e bateu de esquerda, para boa defesa de Aranha. A resposta veio no lance seguinte, quando Geuvânio recebeu de Gabriel, levou para a direita e, mesmo sem ângulo chutou. Bem posicionado, o goleiro Reynaldo mandou para escanteio.

Quem abriu o marcador foi o Mogi Mirim. Aos 22 minutos, Fernando Baiano marcou. Aproveitando a ausência de Émerson – que era atendido fora de campo -, o meia Everton Sena apareceu livre de marcação pelo lado direito e cruzou na medida para o centroavante completar a gol com estilo, após lindo toque de letra.

Aos 38 minutos, Arouca desperdiçou uma boa oportunidade para o Santos empatar a partida. O volante puxou um rápido contra-ataque, e avançou o meio de campo, com a vantagem de dois jogadores, porém errou o passe para Thiago Ribeiro, que estava esperando a bola um pouco mais para trás. No lance seguinte, Geuvânio fez fila, levou para o meio e chutou fraco, nas mãos do goleiro Reynaldo.

Depois de alguns bons ataques, o Santos chegou ao empate aos 42 minutos, por meio do lateral-esquerdo Emerson, que fez o seu gol na competição. Após arrancar pelo meio, o ala tocou para Thiago Ribeiro, que encontrou Gabriel dentro da área. Com um lindo toque de calcanhar, o atacante deixou Emerson na cara do gol, que já chegou fuzilando e empatando a partida.

No segundo tempo, a partida permanecia equilibrada, com a maioria das jogadas sendo realizadas no meio de campo. Porém, aos 10 minutos, Leandro Damião virou. Após Cícero soltar uma bomba de perna esquerda, e o goleiro espalmar para o meio da área, o atacante estava lá para aproveitar o rebote e marcar o seu terceiro gol com a camisa santista.

Aos 21 minutos, o empate do Mogi Mirim. Em falha grave da defesa do Santos, mais uma vez Everton Sena apareceu livre dentro da área e completou o cruzamento de cabeça. Aranha não conseguiu defender e acabou espalmando a bola nos pés de Magrão, que havia acabado de entrar no lugar de Fernando Baiano, e só precisou empurrar para as redes e igualar o marcador no Romildão.

No minuto seguinte, mais um jogador que veio do banco de reservas deixou a sua marca, dessa vez para o Santos, que voltou à frente no marcador. Rildo completou cruzamento de Cicinho com um chute rasteiro. Na comemoração, o atacante tirou a camiseta e levou o terceiro cartão amarelo na competição.

Aos 28 minutos, Leandro Damião quase marcou o seu segundo gol na partida. Thiago Ribeiro recebeu de Cicinho na linha de fundo e mandou na cabeça do atacante, que se antecipou a zaga, porém cabeceou para fora. A resposta do Mogi veio aos 32. Everton Heleno acertou uma bomba no ângulo esquerdo, mas Aranha voou para espalmar e evitar o empate.

Antes do fim da partida, deu tempo para Arouca marcar um lindo gol e ampliar o placar para o Santos. Aos 37 minutos, após novo cruzamento de Thiago Ribeiro, o volante aproveitou a sobra de Leandro Damião e emendou um voleio de primeira para fazer 4 a 2.

Aos 45 minutos, quando os torcedores já estavam indo embora, Lucas Lima fez o quinto do Santos. Cícero fez invertida perfeita para Cicinho, que dominou e encontrou o meia, que havia entrado a poucos minutos.

Volante Arouca, do Santos, é vítima de racismo em Mogi Mirim

Principal jogador do Santos na vitória por 5 a 2 sobre o Mogi Mirim (veja os gols ao lado), na noite desta quinta-feira, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista, o volante Arouca foi chamado de “macaco” após o duelo. A manifestação de racismo foi flagrada pela rádio “ESPN”. O camisa 5 preferiu não dar levar muito em conta o xingamento, apesar de ter se mostrado triste. O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol, Marcos Marinho, esperava que o episódio tivesse sido relatado na súmula para dar início a uma investigação, mas o árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo não fez nenhuma observação sobre o caso no relatório do duelo.

– Bom nem ouvir, nem dar ouvido a essas pessoas. Nem sei se pode chamar de pessoa. É uma situação difícil de comentar, mas acontece não só no futebol. Espero que alguém possa tomar providência muito severa porque isso é lamentável – comentou o jogador.

Após a partida, durante entrevista coletiva, o técnico Oswaldo de Oliveira se mostrou bastante irritado com a situação exatamente no dia que Arouca teve mais uma grande atuação e marcou seu segundo gol na temporada.

– Não é por não adiantar nada. Mas a minha resposta para isso é o silêncio.

Marcos Marinho, entretanto, prefere aguardar a súmula do jogo para saber que providências tomar.

– Amanhã mesmo vou verificar os relatórios. Se alguém presenciou e comunicou, vamos comunicar ao Tribunal de Justiça Desportiva. Existe uma punição ao clube com multas e até mando de campo em jogos no regulamento – disse, em entrevista à rádio Globo.

Apesar da “exigência” de Marcos Marinho, o árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo não relatou a manifestação racista na súmula. No relatório do jogo, ele citou apenas os acréscimos dados no primeiro e no segundo tempos. Além disso, escreveu “Nada houve de anormal” na parte destinada a ocorrências e observações.