Navegando Posts marcados como Marinho

San Lorenzo 1 x 3 Santos

Data: 06/04/2021, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – 3ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio El Nuevo Gasometro, em Buenos Aires, Argentina.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL).
Auxiliares: Miguel Roldán e Sabastián Vela (ambos da COL).
Cartões amarelos: Diego Rodríguez (SL).
Gols: Lucas Braga (06-1), Ángel Romero (26-2) e Marinho (45-1, de pênalti); Ângelo (49-2).

SAN LORENZO (ARG)
Devecchi; Andrés Herrera, Alejandro Donatti, Braghieri, Bruno Pittón; Palacios (Óscar Romero), Diego Rodríguez (Elías), Juan Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Franco Troyansky (Nicolás Fernández).
Técnico: Diego Dabove

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Pirani (Soteldo); Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos jogou bem e venceu o San Lorenzo por 3 a 1, no Estádio El Nuevo Gasometro, na partida de ida da terceira fase da Libertadores. O Peixe marcou dois gols na primeira etapa, com Lucas Braga e Marinho, de pênalti. No segundo tempo, os mandantes diminuiu com Ángel Romero, ex-Corinthians. Na reta final, Ângelo fez o terceiro para os brasileiros.

O time comandado por Ariel Holan teve um excelente início na Argentina, avançando o bloco de marcação e conseguindo abrir o placar logo aos seis minutos. Sendo consistente na defesa, o Santos não passou sufoco na defesa e ainda conseguiu ampliar com Marinho batendo pênalti.

Na etapa final o Santos teve uma queda de rendimento e perdeu o controle do jogo. Além de diminuir a produção ofensiva, os comandados de Holan viram Romero diminuir o placar. Apesar disso, o time mostrou concentração nos minutos finais e segurou o triunfo na Argentina, marcando o terceiro com Ângelo no fim.

As duas equipes voltam a se enfrentar na terça-feira da semana que vem, às 21h30, no Mané Garrincha. O Peixe avança para a fase de grupos com uma vitória, um empate ou uma derrota por um gol de diferença.

O jogo:

Elétrico, o Santos tomou conta das ações ofensivas dos primeiros minutos. Em duas oportunidades, o time recuperou a bola e encontrou Marcos Leonardo, que não conseguiu finalizar as jogadas. Já aos seis minutos, Luan Peres roubou a bola no meio-campo e soltou para Lucas Braga pela esquerda. O jogador balançou para cima da marcação, trouxe para dentro e acertou um belo chute para abrir o placar.

Após marcar o gol, o Peixe diminuiu o ímpeto ofensivo, mas conseguiu segurar a vantagem. A primeira chegada do San Lorenzo veio apenas aos 32 minutos, com Pittón pegando sobra dentro da área e finalizando para fora. Na sequência, Troyansky recebeu cruzamento da direita e testou muito próximo da trave.

Aos 44 minutos, Pirani recebeu na intermediária e fez belo lançamento para Marcos Leonardo. O atacante foi derrubado pelo goleiro do San Lorenzo, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Marinho mandou no canto alto direito e ampliou o placar.

No retorno do vestiário, foi o Santos que teve a primeira oportunidade no ataque. Pará avançou pela direita e cruzou na medida para Lucas Braga, que cabeceou e exigiu defesa de Devecchi. Em seguida, o San Lorenzo respondeu com Pittón de cabeça, parando e João Paulo, e Ramírez finalizando de fora da área à esquerda.

Aos 26 minutos, o time argentino conseguiu diminuir o placar. Fernández avançou pela direita, cruzou e encontrou Ángel Romero na área, após Pará não conseguir cortar a bola. O ex-jogador do Corinthians dominou e finalizou no canto para marcar.

Além de segurar a vitória, o Santos marcou o seu terceiro gol. Primeiro, Soteldo arriscou de fora da área e Devecchi espalmou para o lado. No rebote, Ângelo cortou para dentro, chutou e viu o goleiro do San Lorenzo deixar a bola escapar, passando rente à trave. No último lance, o garoto de 16 anos aproveitou nova rebatida de Devecchi e apenas empurrou para as redes, sacramentando a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Holan diz que Santos fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada

O Santos deu um grande passou em busca da classificação para a fase de grupos da Libertadores ao vencer o San Lorenzo por 3 a 1, na Argentina. Após o apito final, Ariel Holan analisou o desempenho da equipe e disse que o Peixe fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada. No primeiro tempo, o Peixe abriu dois gols de vantagem, com tentos de Lucas Braga e Marinho, de pênalti.

“Eu acho que a equipe fez uma boa partida, mas o San Lorenzo é um bom time. Tem excelentes jogadores e, como mandante, é um time muito complicado. Eu valorizo muito a vitória, mas ainda temos um jogo, espero que possamos repetir em Brasília o bom jogo que fizemos hoje”, afirmou Holan.

“Sim (foram os melhores 45 minutos), mas recém começamos. Creio que, pelo tamanho do San Lorenzo, foram os nossos melhores momentos desde que assumi o time”, completou.

Holan também comentou sobre a confusão no gol marcado pelo San Lorenzo, visto que a defesa do Santos mostrou uma desorganização pontual no lance.

“Foi uma jogada estranha, porque o Felipe Jonatan sentiu uma dor na perna, e pensamos que ele havia falado para fazer a substituição. Neste momento, o árbitro reiniciou rápido e estávamos mal posicionados. Foi uma pena, porque até aquele momento o time estava jogando muito bem. Creio que, com muito amor próprio, o San Lorenzo conseguiu avançar, mas também conseguimos contra-golpear. Por sorte, fizemos diferença desta forma”, analisou o treinador.

No fim da coletiva, Holan pediu a palavra e mandou um recado especial para Sandry, que teve o rompimento do ligamento cruzado do joelho direito constatado nos últimos dias e permanecerá, no mínimo, seis meses longe dos gramados.

“Só queria mandar um abraço ao Sandry. Infelizmente, é muito jovem e teve esta infelicidade da lesão no ligamento cruzado, mando a ele um forte abraço”, finalizou.

Após treinos em Atibaia, Holan vê Santos em evolução e no caminho certo

Jogando um futebol convincente durante considerável parte da partida, o Santos derrotou o San Lorenzo por 3 a 1 e deu um importante passo rumo à fase de grupos da Libertadores. O bom desempenho do time em campo coincide com a primeira apresentação da equipe após um longo período de treinos.

Sem poder treinar na cidade de Santos, o Peixe foi para Atibaia e realizou sua preparação para o duelo da Libertadores no Hotel Bourbon. Durante quase duas semanas, Ariel Holan pôde implementar detalhes do seu modelo de jogo com mais paciência, a partir de muitas repetições nas atividades.

Após o jogo na Argentina, o técnico do Santos avaliou positivamente a atuação da equipe no Estádio El Nuevo Gasometro, elogiando a postura dos jogadores em campo.

“Valorizo muito que o time quis permanentemente jogar, mesmo com a pressão do San Lorenzo. Para mim, isso é muito importante, porque temos que seguir jogando desta maneira, melhorando jogo após jogo”, afirmou o técnico.

Antes da sequência em Atibaia, Holan não havia tido uma semana livre para treinar o Santos. Até o momento, o técnico esteve a beira do campo em cinco partidas da equipe, com três vitórias, um empate e uma derrota.

Lucas Braga corresponde, e Holan ganha boa dor de cabeça no Santos

Marcando três gols no San Lorenzo fora de casa, o Santos deu um importante passo em busca da vaga na fase de grupos da Libertadores. Jogando pela esquerda, Lucas Braga foi a aposta de Ariel Holan para o ataque e não decepcionou, marcando o primeiro gol do Peixe na partida.

Com um Santos postado para recuperar a bola e acelerar, Lucas Braga foi uma importante válvula de escape pelo lado do campo. Correspondendo no jogo decisivo, o atacante plantou uma boa dor de cabeça no treinador argentino.

Isso porque Holan tem diversas opções para montar o setor ofensivo do time para a sequência da temporada. O único titular absoluto é Marinho, que voltou de lesão no joelho esquerdo e atuou contra o San Lorenzo pela primeira vez em mais de dois meses.

Soteldo, que é uma importante peça da equipe, não foi escalado por ter ficado de fora das semanas de treino em Atibaia, devido ao problema logístico na Venezuela. Uma alternativa seria escalar o venezuelano por dentro, como um meia, função essa que já foi exercida pelo camisa 10 anteriormente.

Outro nome que pede cada vez mais espaço é Ângelo. O atacante de 16 anos, que se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores, pode encontrar dificuldade no início por jogar prioritariamente pela direita, setor ocupado por Marinho.

Caso queira tornar o time mais móvel, Holan pode escalar o Peixe sem uma referência no ataque, como Kaio Jorge e Marcos Leonardo. Nesse cenário, Marinho, Soteldo, Lucas Braga e Ângelo disputariam as três vagas da frente.

Lucas Braga acredita que os dias de treino facilitaram a implantação do modelo de Holan

Autor do primeiro gol da vitória do Santos, Lucas Braga concedeu entrevista coletiva após a vitória sobre o San Lorenzo. O jogador avaliou positivamente as semanas de treino do Peixe em Atibaia, dizendo que foram importantes para que Ariel Holan implementasse de maneira mais efetiva as duas ideias.

“Como a gente teve um tempo bacana para trabalhar, isso nos ajudou bastante a colocar em prática. Claro que ainda falta um pouco de ritmo de jogo para todos nós, mas isso vem naturalmente”, afirmou o atacante.

Lucas Braga ainda comentou sobre os méritos do Santos na importante vitória sobre o San Lorenzo na Argentina.

“A gente colocou em prática aquilo que o professor nos pediu: a calma para jogar e a posse de bola, os gols saíram naturalmente. Quando a gente manteve a postura em campo, facilitou para nós”, disse o jogador.

Ângelo se torna o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores

Nesta terça-feira, Ângelo quebrou um recorde ao balançar as redes na vitória sobre o San Lorenzo: o atacante se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol pela Libertadores, com 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

Ângelo saiu do banco de reservas já na reta final da partida, substituindo Marinho. Na primeira tentativa, parou em defesa do goleiro do San Lorenzo. No entanto, já nos acréscimos, aproveitou o rebote de Devecchi e marcou o gol histórico.

Ângelo fez o seu primeiro jogo como profissional do Santos quando tinha apenas 15 anos, no Brasileirão do ano passado, contra o Fluminense. Desde então, o jogador disputou 15 partidas, marcando o seu primeiro gol pelo time principal nesta terça.

Ariel Holan parabeniza Ângelo por feito histórico: “Muito orgulho”

A vitória do Santos por 3 a 1 sobre o San Lorenzo, na Argentina, pelo jogo de ida da terceira fase da Libertadores, ficou marcada, principalmente, pelo feito histórico do atacante Ângelo. O garoto se tornou o jogador mais jovem a marcar no torneio, com apenas 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

E o acontecimento rendeu elogios do técnico Ariel Holan. Em suas redes sociais, o comandante argentino parabenizou o atleta e afirmou estar muito orgulhoso.

“Parabéns Ângelo, jogador mais jovem a marcar na Libertadores. Muito orgulho!!!”, comentou o treinador.

Ângelo, por sua vez, agradeceu o treinador: “Obrigado professor, vamos por mais!!!”.


Santos 2 x 0 Coritiba

Data: 13/02/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Auxiliares: Michael Correia e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Guilherme Biro, Robson, Hugo Moura e Nathan Ribeiro (C).
Gols: Marinho (38-1) e Marcos Leonardo (37-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Laércio (Ivonei), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry (Vinícius Balieiro), Marinho (Ângelo) e Soteldo; Kaio Jorge (Marcos Leonardo) e Lucas Braga (Jean Mota).
Técnico: Cuca

CORITIBA
Arthur; Jonathan, Nathan Ribeiro, Nathan Silva e Guilherme Biro (Ângelo); Hugo Moura, Matheus Bueno (Nathan) e Sarrafiore (Robson); Neílton, Luiz Henrique (Mattheus) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Gustavo Morínigo



Com golaço de Marinho, Santos vence, rebaixa o Coritiba e segue na briga por vaga na Libertadores

A briga por uma vaga na próxima edição da Libertadores segue intensa. Neste sábado, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos venceu o Coritiba por 2 a 0, em casa, e acirrou a disputa. Marinho, que estava retornando de lesão, e Marcos Leonardo anotaram os tentos do confronto.

Com o resultado, o Peixe pulou para a oitava colocação, com 50 pontos, um a mais que o Corinthians (9º), dois do Bragantino (10º) e três do Athletico-PR (11º). No entanto, todos esses times que perseguem o Alvinegro ainda jogam na rodada. Já o Coxa estacionou nos 28 pontos, na vice-lanterna, e, com isso, está matematicamente rebaixado à Série B.

O Santos volta a campo agora na próxima quarta-feira, quando recebe o Corinthians, às 19 horas (de Brasília), na Vila Belmiro, em partida atrasada da 33ª rodada.

O jogo

A primeira etapa começou com os anfitriões partindo para cima. Com um minuto de bola rolando, Marinho recebeu na entrada da área e arriscou chute cruzado que passou pela direita. Já aos 12, foi a vez de Luan Peres se arriscar no ataque e disparar uma bomba da intermediária. O estreante Arthur se esticou e defendeu em dois tempos.

A resposta dos visitantes saiu no minuto seguinte, e na mesma moeda. Hugo Moura ficou livre de frente para o gol e queimou forte finalização para a intervenção de João Paulo. Na sequência, Matheus Bueno tentou e tirou tinta da trave.

A partir de então, o jogo caiu de rendimento, com as duas equipes trocando passes no campo defensivo e encontrando dificuldades para criar. No entanto, quando o Peixe voltou ao ataque, foi fatal. Com o relógio marcando 38 minutos, Marinho arrancou pelo meio e passou para Lucas Braga, que devolveu com um lindo de letra para deixar o camisa 11 na cara do gol. O atacante, então, mostrou muita categoria ao tocar de cavadinha para o fundo da rede e marcar um golaço.

Em desvantagem, o Coritiba voltou aceso do intervalo. Com menos de um minuto, Mattheus aproveitou a sobra de bola e emendou uma bomba para a difícil defesa de João Paulo. Aos cinco, Robson cruzou da direita e Ricardo Oliveira se atirou de carrinho para levar muito perigo.

O Santos respondeu aos 19. Soteldo fez bela jogada individual pela esquerda e acionou Kaio Jorge, que, de primeira, cruzou rasteiro para Jean Mota finalizar no cantinho para a boa intervenção de Arthur. Cinco minutos depois, o goleiro voltou a brilhar, e mais uma vez em um arremate de Jean Mota.

Já aos 37, nada impediu que a bola entrasse. Após cobrança de falta, Laércio ganhou do arqueiro no alto e deixou Marcos Leonardo com o gol aberto. O garoto, então, teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o barbante e correr para o abraço.

Na sequência, o Alvinegro Praiano apenas controlou o resultado até o apito final do árbitro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca comemora reencontro com a vitória e destaca espírito do elenco: “Muito contente”

O Santos enfim quebrou a série de sete jogos sem vencer na temporada. Neste sábado, o Peixe derrotou o Coritiba, pela 36ª rodada do Brasileirão, e os três pontos também ajudaram o clube a permanecer vivo na disputa por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

Após a partida, o técnico Cuca celebrou o fim do jejum e destacou a boa atuação de seus jogadores.

“Um jogo bem jogado, a gente sabe que tem que ter calma, paciência, velocidade e trabalhar a bola para fazer uma marcação forte no campo de ataque e não deixar o adversário gostar do jogo. Isso tudo a gente fez. Lógico que em algum momento não dá, pois o jogo também tem importância para o adversário. No geral, fomos superiores e merecemos vencer. Depois de alguns jogos sem vitórias, hoje ela veio, nos coloca no oitavo posto, que pode nos levar a Pré-Libertadores. Mas existem muitos jogos pela frente para confirmar a classificação, cada jogo tem um caráter decisivo”, disse.

O comandante também ressaltou o espírito do grupo, que soube superar a amarga derrota na final da Libertadores de 2020, há duas semanas, e, mesmo em reta final de campeonato, está apresentado uma boa condição física.

“A gente está muito contente, o pessoal soube passar um momento ruim, que é a pôs perda da Libertadores e, de lá para cá, empatou com Atlético-GO e Grêmio, fora, jogando bem. E hoje ganhou bem, o que encaminha a acabar bem o Campeonato Brasileiro. Você não vê um jogador com câimbra, eles tão bem, esses dois/três jogos que a gente mesclou bem deu para dar uma recuperada”, comentou.

Marcos Leonardo celebra vitória e agradece elenco do Santos: “Me ajudam a crescer”

O Santos segue firme na briga por uma vaga na Libertadores de 2021. Neste sábado, o Peixe venceu o Coritiba por 2 a 0, em casa, pela 36ª rodada, e pulou para a oitava colocação do torneio. Autor do segundo gol da noite, o jovem Marcos Leonardo celebrou o triunfo e agradeceu o elenco santista pela ajuda em sua adaptação ao profissional.

“Agradecer ao elenco, que me ajuda a crescer cada dia mais, ainda mais nesse primeiro ano de profissional. Graças a Deus me adaptei bem. A gente sabia que hoje ia ser um jogo duro, pegado, conseguimos uma vitória importante no passo a passo em busca da Libertadores”, disse ao SporTV.

O atacante de apenas 17 anos subiu ao time principal em julho de 2020 e, desde então, realizou 20 partidas e marcou três gols.

Luan Peres diz que vice da Libertadores ficou no passado: “Agora é focar em classificar de novo”

Após sete jogos sem vencer na temporada, o Santos se reencontrou com o triunfo neste sábado, quando derrotou o Coritiba por 2 a 0, em casa, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

E segundo o zagueiro Luan Peres, os três pontos conquistados nesta noite foram muito importantes para ajudar o time a esquecer o revés na final da Libertadores de 2020 e manter o Peixe na disputa por uma vaga na próxima edição do torneio continental.

“Todo mundo sabe que a gente queria a Libertadores, é a maior competição da América. Todo mundo fica triste, o outro time também ficaria se perdesse, é normal. Nós tivemos méritos de chagar na final, infelizmente não veio o título, mas vida que segue, é passado. Agora é focar em classificar de novo. A vitória de hoje foi de suma importância e quarta-feira a gente da sequência a isso, para chegar na final de novo”, disse em coletiva.

Peixe afasta trauma da Libertadores e completa três jogos invicto antes do clássico

Após a derrota na final da Libertadores, o Santos conseguiu engatar uma boa sequência. Os três jogos sem perder foram importantes para manter o clima bom na equipe mesmo após a decepção vivida no Rio de Janeiro. E esta manutenção do ambiente coloca o Peixe na briga por uma vaga na principal competição do continente na próxima temporada.

O primeiro jogo após a final foi contra o Grêmio, e o empate na Vila em 3 a 3 pode ser considerado um bom resultado, principalmente tendo em vista que o time jogou sem seus dois principais jogadores, Marinho e Soteldo. Logo depois, conseguiu outro empate, desta vez fora de casa, contra o Atlético-GO, que vem se destacando como mandante.

A última partida, contra o Coritiba, marcou uma vitória importantíssima, que recolocou o Santos definitivamente na briga pela vaga no G8. O próximo jogo será justamente contra o principal adversário nesta briga: o Corinthians. O clássico está marcado para acontecer na Vila, onde o time tem mostrado sua força.

Se não bastasse a derrota na Libertadores, o Peixe ainda perdeu jogadores essenciais como Diego Pituca e Lucas Veríssimo, que foram para o Japão e para a Europa, respectivamente. Outro nome certo que deixará o clube é o técnico Cuca, grande responsável pelo ótimo ano do clube. O time vem demonstrando grande força, tem superado os obstáculos, e já mira novamente na principal competição da América.

Santos não recebe cartões amarelos e terá força máxima para “final” com Corinthians

Após vencer o Coritiba por 2 a 0, o Santos manteve o sonho de conquistar uma vaga para a próxima edição da Copa Libertadores vivo. E para ficar ainda mais perto do torneio continental, o Peixe busca uma vitória contra o Corinthians, na quarta-feira, às 19 horas (de Brasília), em partida atrasada da 33ª rodada.

O clássico terá um clima de decisão na Vila Belmiro. Isso porque ambos os times lutam pelo mesmo objetivo. No momento, o Alvinegro Praiano está em oitavo lugar, com 50 pontos, dois a mais que o Timão. No entanto, o clube do Parque São Jorge possuiu um jogo a menos, contra o Flamengo, e, caso vença, ultrapassa o rival.

E uma importante notícia para os torcedores santistas para este próximo duelo é que o Santos terá força máxima. O clube correu risco de perder alguns jogadores por conta de suspensão, mas o time do técnico Cuca conseguiu deixar a partida contra o Coxa sem receber cartões amarelos.

Dentre os atletas em questão, dois são titulares absolutos e cruciais para o desempenho da equipe. São eles: Soteldo e Kaio Jorge. Os dois atacantes estão entre os quatro atletas que mais participam dos gols do Peixe no Brasileirão, com oito e cinco contribuições, respectivamente.

Além da dupla, Alex, Lucas Lourenço, Marcos Leonardo e Arthur Gomes também poderiam perder o clássico caso recebem uma advertência do árbitro.

Santos chega para o último clássico da temporada com retrospecto negativo

A semana é decisiva para Santos e Corinthians. As duas equipes entram em campo na quarta-feira em confronto direto na tabela e realizando o último clássico paulista da temporada. Porém, o retrospecto pesa contra a equipe da Vila.

O Peixe disputou nove clássicos na atual temporada – foram quatro derrotas, quatro empates e apenas uma vitória. O último confronto ainda foi a derrota para o Palmeiras na final da Libertadores.

A única vitória do Santos aconteceu neste ano de 2021, pelo segundo turno do Brasileirão. Ainda antes da derrota na Libertadores para o rival alviverde, o time da Vila derrotou o tricolor do Morumbi por 1 a 0 – gol de Jobson.

“Não temos que pensar em vencer só porque é um clássico, mas porque é um jogo importante, decisivo, que nos deixa mais próximo do nosso objetivo, então temos que medir tudo isso”, destacou Cuca após a vitória sobre o Coritiba.

Colados na tabela, Santos e Corinthians duelam por vaga direta na Libertadores nesta quarta-feira, às 19h, na Vila Belmiro.

Confira todos os resultado em clássico do Santos na temporada 2020:

02/02/2020 – Corinthians 2 x 0 Santos – Paulista
07/10/2020 – Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileiro

29/02/2020 – Santos 0 x 0 Palmeiras – Paulista
23/08/2020 – Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileiro
05/12/2020 – Santos 2 x 2 Palmeiras – Brasileiro
30/01/2021 – Palmeiras 1 x 0 Santos – Libertadores/20

14/03/2020 – São Paulo x 2 x 1 Santos – Paulista
12/09/2020 – Santos 2 x 2 São Paulo – Brasileiro
10/01/2021 – São Paulo 0 x 1 Santos – Brasileiro/20


Santos 3 x 4 Goiás

Data: 24/01/2021, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro 2020 – 32ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ).
Cartões amarelos: Luan Peres, Kaio Jorge e Guilherme Nunes (S); Breno, Rafael Moura e Iago Mendonça (G).
Gols: Lucas Braga (06-1) e Kaio Jorge (37-1); Rafael Moura (09-2), David Duarte (14-2), Fernandão (30-2, de pênalti), Rafael Moura (31-2) e Marinho (41-2, de pênalti).

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Bruno Marques); Sandry (Guilherme Nunes), Diego Pituca (Jean Mota) e Soteldo; Marinho, Lucas Braga (Lucas Lourenço) e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

GOIÁS
Tadeu; Heron, David Duarte e Iago Mendonça; Breno (Taylon), Henrique Lordelo, Shaylon (Indio), Daniel Silva e Jefferson (Vinicius); Fernandão e Rafael Moura.
Técnico: Glauber Ramos



Santos abre 2 a 0, sofre virada no segundo tempo e perde para o Goiás na Vila

O Santos perdeu por 4 a 3 para o Goiás neste domingo, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols dos visitantes foram marcados por Rafael Moura (2), David Duarte e Fernandão. O Peixe fez com Lucas Braga, Kaio Jorge e Marinho.

O Peixe dominou o Esmeraldino no primeiro tempo. Em ritmo de treino, fez 2 a 0 com jogadas bem trabalhadas e foi para o vestiário com expectativa de uma goleada. Na etapa final, porém, tudo mudou.

O Goiás mexeu em peças e posicionamento, fez quatro gols o Alvinegro demorou muito a reagir. O tropeço do Santos teve o agravante da arbitragem: um pênalti num toque na mão de David Duarte não foi sinalizado. E o pênalti convertido por Fernandão teria sido cometido por Sandry fora da área. O Esmeraldino, em compensação, reclamou da penalidade máxima sofrida e convertida por Marinho.

Com a derrota, o Peixe fica na 10ª colocação, com 45 pontos. O Goiás foi para 18º, com 29 pontos, e segue na zona do rebaixamento. O Santos voltará a campo com reservas para enfrentar o Atlético-MG na terça-feira, no Mineirão. O Esmeraldino visitará o Fluminense no domingo, no Engenhão.

O Peixe roda o elenco antes da final da Libertadores da América contra o Palmeiras no próximo sábado, no Maracanã. E a última impressão deixada pelos titulares não foi nada positiva…

O jogo

O Santos dominou o Goiás desde o primeiro minuto e não fez força para abrir 2 a 0 no placar no primeiro tempo. O Peixe poderia até ter feito mais gols nos 46 minutos iniciais.

Aos cinco minutos, Soteldo cruzou para Diego Pituca cabecear e Heron salvou quase na linha. Segundos depois, o Alvinegro trabalhou de pé em pé, Marinho quebrou a marcação com um passe de letra, Pituca cruzou e Lucas Braga completou. 1 a 0.

Aos 13, Marinho tocou para Soteldo obrigar Tadeu a fazer boa defesa. No minuto 24, Kaio Jorge acionou Lucas Braga e a bola chegou em Marinho, que perdeu na pequena área. Quando o placar marcava 33, Fernandão recuou errado e Marinho errou o passe para Soteldo.

No minuto 37, o Santos finalmente ampliou. E a jogada foi novamente bonita. Soteldo cruzou, Lucas Braga ajeitou de cabeça e o aniversariante Kaio Jorge estufou as redes. 2 a 0.

O Santos ficou no vestiário. O Goiás voltou em outro ritmo e não demorou a empatar o jogo. Os visitantes marcaram com Rafael Moura e David Duarte, em cobranças de escanteio aos 9 e 14 minutos.

O Esmeraldino não parou de atacar e fez mais dois gols: Fernandão fez após pênalti duvidoso de Sandry, aos 30 minutos. Instantes depois, Rafael Moura superou Lucas Veríssimo e Luan Peres e encobriu John. Um golaço de cobertura na Vila Belmiro.

O Peixe demorou a esboçar reação e fez o terceiro com Marinho aos 41 minutos, em pênalti sofrido e convertido pelo camisa 11. Mas já era tarde. Vitória heroica do vice-lanterna.

Cuca lamenta falta de um meia e cogita mudança no Santos para final

Cuca segue incomodado com a falta de um meia pronto para ser titular do Santos. O técnico tenta achar alternativas no próprio elenco, mas ainda não conseguiu.

E isso ficou mais uma vez claro na derrota do Peixe por 4 a 3 para o Goiás no último domingo, na Vila Belmiro, quando o treinador novamente mudou a formação tática.

Contra o 3-5-2 do Goiás, Cuca armou o Santos no primeiro tempo com uma linha de três com Pará, Lucas Veríssimo e Luan Peres, Lucas Braga e Felipe Jonatan como alas, Sandry e Diego Pituca no meio-campo e Marinho, Soteldo e Kaio Jorge com liberdade na frente. Uma tentativa de sobrepor a ausência de um armador.

“É uma busca que a gente tem tido ao longo de toda a temporada. Marinho fez com o Kaio Jorge na primeira etapa (a armação), no segundo tempo mais aberto. São lições que a gente tira para o futuro”, disse Cuca.

O técnico foi perguntado se o fato do Palmeiras jogar com quatro meio-campistas pode fazer com que o Santos não atue com quatro atacantes.

“Pode, por isso vamos estudar bem. Tudo pode. Sábado eu tenho que ter um dia perfeito para ter chance de ser campeão. E é o que tentaremos fazer”, avaliou.

Se sacar um atacante, o mais cotado a sair é Lucas Braga. Dessa forma, o Santos teria Alison, Sandry e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge. A definição ocorrerá ao longo da semana.

O Santos enfrentará o Palmeiras pela final da Libertadores da América no próximo sábado, no Maracanã.

Santos sofre quatro gols na Vila Belmiro pela primeira vez em quase 10 anos

O Santos sofreu quatro gols na Vila Belmiro pela primeira vez em quase 10 anos. O fato ocorreu na derrota por 4 a 3 para o Goiás no domingo, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A última vez foi em julho de 2011, na célebre vitória do Flamengo de Ronaldinho Gaúcho por 5 a 4. Na ocasião, o Peixe abriu 3 a 0 e terminou derrotado em casa.

O Alvinegro levou quatro gols na Vila em apenas 10 oportunidades na história do Brasileirão. E duas vezes diante do Goiás. Veja abaixo:

Santos 3 x 5 Vasco – 1995
Santos 4 x 4 Bragantino – 1995
Santos 4 x 4 Atlético-MG – 1998
Santos 1 x 4 Corinthians – 1999
Santos 0 x 4 Palmeiras – 2004
Santos 2 x 4 Fluminense – 2007
Santos 0 x 4 Goiás – 2008
Santos 3 x 4 São Paulo – 2009
Santos 4 x 5 Flamengo – 2011
Santos 3 x 4 Goiás – 2020


Santos 1 x 1 Ceará

Data: 27/12/2020, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 27ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Rodolpho Taski Marques (PR).
Auxiliares: Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn (ambos do PR).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ).
Cartões amarelos: Diego Pituca e Felipe Jonatan (S); Cléber, Saulo Mineiro e Vina (C).
Gols: Marinho (10-1) e Samuel Xavier (36-1).

SANTOS
John; Lucas Braga, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Alison (Arthur Gomes), Diego Pituca e Sandry (Vinicius Balieiro); Marinho, Soteldo (Bruno Marques) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuca

CEARÁ
Fernando Prass; Samuel Xavier (Eduardo), Tiago, Klaus e Bruno Pacheco; Fabinho, Fernando Sobral (Kelvyn), Charles (Pedro Naressi) e Vina; Lima (Saulo Mineiro) Cléber (Felipe Vizeu).
Técnico: Guto Ferreira



Santos só empata com o Ceará e vê G-6 do Brasileirão mais distante

O Santos só empatou em 1 a 1 com o Ceará na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Peixe abriu o placar com Marinho. O Ceará empatou ainda no primeiro tempo com Samuel Xavier.

O empate distancia o Peixe do G-6 e representa a quarta partida sem vitória no Brasileirão. O clube da Baixada Santista é o oitavo, com 39 pontos, três a menos que o Grêmio, o sexto colocado e com um jogo a menos. O Vozão é o 10º, com 36.

O Santos começou melhor, mas perdeu intensidade após abrir o placar. No segundo tempo, o Peixe voltou melhor, porém, parou no goleiro Fernando Prass e na trave. O Alvinegro ainda teve um gol anulado de Arthur Gomes, por toque no braço, aos 37 minutos.

O jogo

O Santos começou melhor na Vila Belmiro e não demorou a abrir o placar. Marinho, sempre ele, fez o primeiro gol aos 10 minutos. Ele começou a jogada, forçou o erro de Fernando Sobral e a bola passou por Soteldo até a assistência de Diego Pituca.

Após o gol, o Peixe diminuiu o ritmo e viu o Ceará melhorar. Os visitantes foram ganhando campo e assustando o goleiro John, até que o empate chegou com Samuel Xavier, no minuto 36. Cléber cabeceou e o lateral-direito marcou no rebote.

Os minutos finais foram de uma partida franca, com ataques para os dois lados. Aos 45, Vina arrancou com liberdade e finalizou para grande defesa de John. A virada ficou por pouco.

O Santos voltou melhor para a etapa final. Sem espaço pelo meio, apostou nas jogadas pelo lado do campo e fez muitos cruzamentos. Em dois deles, o desempate quase saiu.

No minuto 35, Marinho bateu forte e Fernando Prass defendeu. A bola subiu e ainda tocou no travessão antes de sair para escanteio. Pouco tempo depois, Marinho cobrou escanteio fechado e Arthur Gomes, na pequena área, tocou com a cabeça (e com o braço) para o gol. Lance anulado com auxílio do VAR.

Nos minutos finais, o Santos se lançou ao ataque e tentou como deu. Mas o empate permaneceu no placar da Vila Belmiro.


Santos fecha novo patrocínio para o número do uniforme

O Santos acertou um contrato de três anos com a Konami para o número do uniforme. O produto estampado nos primeiros meses será o PES 2021, famoso game de futebol. A informação foi inicialmente publicada por A Tribuna.

A estreia do parceiro ocorre neste domingo, diante do Ceará, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. A empresa substitui a Orthopride, que rescindiu o vínculo em outubro, depois do anúncio da contratação de Robinho.

Pelo que a Gazeta Esportiva apurou, a Konami pagará R$ 1,5 milhão em janeiro e mais R$ 1,5 milhão durante o restante do contrato, válido até dezembro de 2023.

A Konami se junta a Philco, Oceano B2B, Tekbond, Foxlux, Casa de Apostas, Kicaldo, Unicesumar e Kodilar.


Santos 4 x 1 Grêmio

Data: 16/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (ambos da COL).
VAR: Nicolas Gallo (COL)
Cartões amarelos: John (S); Pinares, Pepê e Diego Souza (G).
Gols: Kaio Jorge (11segs-1), e Marinho (15-1); Kaio Jorge (09-2), Thaciano (35-2) e Laércio (38-2).

SANTOS
John; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Alison (Laércio), Sandry e Jobson (Guilherme Nunes); Marinho (Jean Mota), Lucas Braga e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

GRÊMIO
Vanderlei; Orejuela, Geromel, David Braz (Churín) e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Darlan (Pinares) e Jean Pyerre (Thaciano); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho



Com início fulminante, Santos goleia o Grêmio e está na semifinal da Libertadores

O Santos goleou o Grêmio por 4 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e está classificado para as semifinais da Libertadores da América. O Peixe havia empatado em 1 a 1 em Porto Alegre. O adversário será Boca Juniors ou Racing, da Argentina.

O Peixe contou com um início fulminante para se classificar. Kaio Jorge marcou aos 11 segundos e Marinho ampliou aos 15 minutos. No segundo tempo, Kaio fez mais um aos 9. Thaciano fez o de honra aos 35 e Laércio transformou o placar em goleada aos 38.

O Alvinegro de Cuca foi amplamente superior ao Tricolor de Renato Gaúcho desde o primeiro minuto e poderia até ter feito mais gols. O 4 a 1 ficou barato na Vila.

Nem o mais otimista torcedor do Santos esperava um começo tão avassalador. Após recuo ruim de Jean Pyerre e vacilo de David Braz, Kaio Jorge driblou Vanderlei e abriu o placar aos 11,4 segundos.

O Peixe não parou e, em 2 minutos, criou outras duas chances: Marinho finalizou cruzado para defesa de Vanderlei. Segundos depois, o camisa 11 tentou de novo de fora da área.

O Grêmio criou pela primeira vez aos 5 minutos. O Santos saiu jogando na pequena área, foi apertado por Diego Souza e Jean Pyerre apareceu sozinho na primeira trave, mas chutou por cima.

Quando o placar marcava 15 jogados, o Peixe deu uma aula de contra-ataque. Após escanteio do Grêmio, Marinho tocou para Sandry e disparou. O volante acionou Lucas Braga em profundidade e ele arrancou e cruzou para o próprio Marinho bater bonito e vencer Vanderlei. 2 a 0.

No minuto 26, o Santos quase fez o terceiro. Madson bateu lateral na área, Kaio Jorge desviou e Vanderlei espalmou. No rebote, Jobson chutou errado e a bola subiu. Aos 29, Lucas Veríssimo cabeceou com perigo.

O Grêmio chegou no minuto 30. Matheus Henrique tabelou com Pepê e chutou bem. O goleiro John desviou providencialmente e a bola ainda bateu no travessão.

E o início fulminante da etapa inicial foi repetido na final. Depois de Sandry e Marinho tentarem, Kaio Jorge apareceu novamente. O camisa 9 desviou após toque de cabeça de Madson em escanteio e fez o terceiro do Santos aos nove minutos.

Depois do terceiro gol e das saídas de Felipe Jonatan, Jobson e Marinho por cansaço muscular, o Peixe passou a administrar o resultado. E passou a sofrer um pouco na defesa.

O Grêmio assustava no jogo aéreo. Aos 30 minutos, David Braz cobrou falta com categoria e John espalmou. No escanteio, Diego Souza apareceu sozinho e cabeceou por cima. E aos 35, Ferreira cruzou e Thaciano cabeceou no segundo pau.

O Santos, porém, freou qualquer reação do adversário. Aos 38 minutos, Jean Mota cruzou e Laércio cabeceou. 4 a 1 no placar. E goleada na Vila Belmiro. Goleada merecida.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta Santos após goleada sobre o Grêmio: “Dinheiro é a última coisa que pensamos”

O técnico Cuca exaltou o elenco do Santos após a vitória por 4 a 1 sobre o Grêmio nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, com a classificação para a semifinal da Libertadores da América.

Cuca precisou poupar os titulares na derrota pelos mesmos 4 a 1 contra o Flamengo, no fim de semana. Os jovens receberam críticas e deram conta do recado hoje.

“Não jogamos o melhor futebol do Brasil, mas entendemos o adversário. Fomos guerreiros, humildes, marcamos forte. Foram sensacionais. O que me dói muito é expor a meninada no domingo como expus. Dói o coração. Não faz mal eu tomar quatro no Rio de Janeiro e arriscar 6 ou 8, mas tinha que dar o ideal para hoje, essa intensidade. Pus quatro caras cascudos, Alison, Luiz Felipe, Jean Mota e João Paulo. Flamengo super motivado, com uma única competição. Perco o Vinicius Balieiro e fica mais difícil. Não jogamos mal, mas tomamos quatro com meninos. E as críticas aparecem. Se eu escutasse, não jogavam. E hoje foram monstros. Esse jogo não foi ganho só hoje, foi trabalhado com a derrota dolorosa do Flamengo”, disse Cuca.

“Eu sabia do potencial deles. Nunca me queixei das dificuldades. Eu valorizo o que tenho. Quando Grêmio empatou em Porto Alegre, vem raiva muito grande porque guris não merecem. E conseguimos entender hoje. Se ganhássemos de 1 a 0, teríamos o mesmo início de hoje? Hoje eu entendi porque sofremos o gol lá. Tivemos início avassalador. Pegamos confiança, corpo e fizemos grande jogo”, completou.

O técnico ainda comentou sobre os desfalques – Pará, Diego Pituca e Soteldo, além de Jobson substituído no intervalo -, e valorizou o “desapego” ao dinheiro.

“Devíamos perguntar ao torcedor do Santos a alegria. Tanta dificuldade, pai do céu. Jogador com covid, que na hora H não pode jogar. E a gente vai criando opções no elenco. Não dormimos para pensar no Pituca, Pará, Jobson, Soteldo fora… A gente se pergunta e meninos aparecem. Passamos para eles a confiança e dão resultado desse. Fico muito feliz. Não sei se vamos para a final, mas estou muito orgulhoso. Última coisa que pensamos no Santos é dinheiro, até porque está curto. Mas temos alegria para trabalhar”, afirmou.

“Santos sempre chega, mas é pé no chão. Vamos passar Natal e ano novo maravilhosos. Sabíamos que não lutaríamos pelo título do Brasileirão, mas que estaríamos na parte de cima. Nosso elenco não é para três competições, temos time ajustado e muitos meninos. Mas jogo de hoje nos transforma. Grêmio, Olimpia, LDU… Meninos estão se transformando em homens dentro do campo. É a maior alegria do nosso trabalho”, concluiu.