Navegando Posts marcados como Kaio Jorge

Santos 4 x 1 Grêmio

Data: 16/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (ambos da COL).
VAR: Nicolas Gallo (COL)
Cartões amarelos: John (S); Pinares, Pepê e Diego Souza (G).
Gols: Kaio Jorge (11segs-1), e Marinho (15-1); Kaio Jorge (09-2), Thaciano (35-2) e Laércio (38-2).

SANTOS
John; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Alison (Laércio), Sandry e Jobson (Guilherme Nunes); Marinho (Jean Mota), Lucas Braga e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

GRÊMIO
Vanderlei; Orejuela, Geromel, David Braz (Churín) e Diogo Barbosa; Matheus Henrique, Darlan (Pinares) e Jean Pyerre (Thaciano); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho



Com início fulminante, Santos goleia o Grêmio e está na semifinal da Libertadores

O Santos goleou o Grêmio por 4 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e está classificado para as semifinais da Libertadores da América. O Peixe havia empatado em 1 a 1 em Porto Alegre. O adversário será Boca Juniors ou Racing, da Argentina.

O Peixe contou com um início fulminante para se classificar. Kaio Jorge marcou aos 11 segundos e Marinho ampliou aos 15 minutos. No segundo tempo, Kaio fez mais um aos 9. Thaciano fez o de honra aos 35 e Laércio transformou o placar em goleada aos 38.

O Alvinegro de Cuca foi amplamente superior ao Tricolor de Renato Gaúcho desde o primeiro minuto e poderia até ter feito mais gols. O 4 a 1 ficou barato na Vila.

Nem o mais otimista torcedor do Santos esperava um começo tão avassalador. Após recuo ruim de Jean Pyerre e vacilo de David Braz, Kaio Jorge driblou Vanderlei e abriu o placar aos 11,4 segundos.

O Peixe não parou e, em 2 minutos, criou outras duas chances: Marinho finalizou cruzado para defesa de Vanderlei. Segundos depois, o camisa 11 tentou de novo de fora da área.

O Grêmio criou pela primeira vez aos 5 minutos. O Santos saiu jogando na pequena área, foi apertado por Diego Souza e Jean Pyerre apareceu sozinho na primeira trave, mas chutou por cima.

Quando o placar marcava 15 jogados, o Peixe deu uma aula de contra-ataque. Após escanteio do Grêmio, Marinho tocou para Sandry e disparou. O volante acionou Lucas Braga em profundidade e ele arrancou e cruzou para o próprio Marinho bater bonito e vencer Vanderlei. 2 a 0.

No minuto 26, o Santos quase fez o terceiro. Madson bateu lateral na área, Kaio Jorge desviou e Vanderlei espalmou. No rebote, Jobson chutou errado e a bola subiu. Aos 29, Lucas Veríssimo cabeceou com perigo.

O Grêmio chegou no minuto 30. Matheus Henrique tabelou com Pepê e chutou bem. O goleiro John desviou providencialmente e a bola ainda bateu no travessão.

E o início fulminante da etapa inicial foi repetido na final. Depois de Sandry e Marinho tentarem, Kaio Jorge apareceu novamente. O camisa 9 desviou após toque de cabeça de Madson em escanteio e fez o terceiro do Santos aos nove minutos.

Depois do terceiro gol e das saídas de Felipe Jonatan, Jobson e Marinho por cansaço muscular, o Peixe passou a administrar o resultado. E passou a sofrer um pouco na defesa.

O Grêmio assustava no jogo aéreo. Aos 30 minutos, David Braz cobrou falta com categoria e John espalmou. No escanteio, Diego Souza apareceu sozinho e cabeceou por cima. E aos 35, Ferreira cruzou e Thaciano cabeceou no segundo pau.

O Santos, porém, freou qualquer reação do adversário. Aos 38 minutos, Jean Mota cruzou e Laércio cabeceou. 4 a 1 no placar. E goleada na Vila Belmiro. Goleada merecida.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta Santos após goleada sobre o Grêmio: “Dinheiro é a última coisa que pensamos”

O técnico Cuca exaltou o elenco do Santos após a vitória por 4 a 1 sobre o Grêmio nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, com a classificação para a semifinal da Libertadores da América.

Cuca precisou poupar os titulares na derrota pelos mesmos 4 a 1 contra o Flamengo, no fim de semana. Os jovens receberam críticas e deram conta do recado hoje.

“Não jogamos o melhor futebol do Brasil, mas entendemos o adversário. Fomos guerreiros, humildes, marcamos forte. Foram sensacionais. O que me dói muito é expor a meninada no domingo como expus. Dói o coração. Não faz mal eu tomar quatro no Rio de Janeiro e arriscar 6 ou 8, mas tinha que dar o ideal para hoje, essa intensidade. Pus quatro caras cascudos, Alison, Luiz Felipe, Jean Mota e João Paulo. Flamengo super motivado, com uma única competição. Perco o Vinicius Balieiro e fica mais difícil. Não jogamos mal, mas tomamos quatro com meninos. E as críticas aparecem. Se eu escutasse, não jogavam. E hoje foram monstros. Esse jogo não foi ganho só hoje, foi trabalhado com a derrota dolorosa do Flamengo”, disse Cuca.

“Eu sabia do potencial deles. Nunca me queixei das dificuldades. Eu valorizo o que tenho. Quando Grêmio empatou em Porto Alegre, vem raiva muito grande porque guris não merecem. E conseguimos entender hoje. Se ganhássemos de 1 a 0, teríamos o mesmo início de hoje? Hoje eu entendi porque sofremos o gol lá. Tivemos início avassalador. Pegamos confiança, corpo e fizemos grande jogo”, completou.

O técnico ainda comentou sobre os desfalques – Pará, Diego Pituca e Soteldo, além de Jobson substituído no intervalo -, e valorizou o “desapego” ao dinheiro.

“Devíamos perguntar ao torcedor do Santos a alegria. Tanta dificuldade, pai do céu. Jogador com covid, que na hora H não pode jogar. E a gente vai criando opções no elenco. Não dormimos para pensar no Pituca, Pará, Jobson, Soteldo fora… A gente se pergunta e meninos aparecem. Passamos para eles a confiança e dão resultado desse. Fico muito feliz. Não sei se vamos para a final, mas estou muito orgulhoso. Última coisa que pensamos no Santos é dinheiro, até porque está curto. Mas temos alegria para trabalhar”, afirmou.

“Santos sempre chega, mas é pé no chão. Vamos passar Natal e ano novo maravilhosos. Sabíamos que não lutaríamos pelo título do Brasileirão, mas que estaríamos na parte de cima. Nosso elenco não é para três competições, temos time ajustado e muitos meninos. Mas jogo de hoje nos transforma. Grêmio, Olimpia, LDU… Meninos estão se transformando em homens dentro do campo. É a maior alegria do nosso trabalho”, concluiu.


Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 09/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de ida
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Juan Benitez (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do PAR).
VAR: Eber Aquino (PAR)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa, Maicon e Matheus Henrique (G); Luan Peres, Jobson, Diego Pituca e Sandry (S).
Cartão vermelho: Diego Pituca (S).
Gols: Kaio Jorge (35-1); Diego Souza (56-2, de pênalti).

GRÊMIO
Vanderlei; Victor Ferraz (Churín), Geromel, Kannemann e Diogo Barbosa; Maicon (Darlan), Matheus Henrique e Pinares (Everton); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
John; Pará (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Sandry (Vinicius Balieiro) e Jobson (Alison); Marinho (Bruno Marques), Lucas Braga e Kaio Jorge (Madson).
Técnico: Cuca



Com gol sofrido no fim, Santos empata com o Grêmio em Porto Alegre pela Libertadores

O Santos empatou com o Grêmio em 1 a 1 a noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Kaio Jorge e Diego Souza.

Mesmo sem Soteldo, com covid-19, o Peixe controlou a partida desde os primeiros minutos e cedeu poucos espaços ao Tricolor. Nos minutos finais, porém, os donos da casa esboçaram reação e conseguiram um pênalti com o auxílio do VAR nos acréscimos. Bola no braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu com categoria.

Com o empate com gols, o Santos pode empatar por 0 a 0 na Vila Belmiro na próxima quarta para avançar à semifinal. Novo 1 a 1 levaria a decisão para os pênaltis. E quem vencer, obviamente, passa.

O jogo

O Santos não deixou o Grêmio controlar o jogo em momento algum. O Peixe adiantou as linhas e freou a pressão inicial dos donos da casa. A partir da metade do primeiro tempo, o Alvinegro passou a dominar.

O Santos finalizou seis vezes, contra apenas um chute do Tricolor. E a vantagem tática se transformou em gol aos 35 minutos. Pará cruzou, Vanderlei saiu errado, Felipe Jonatan desviou e Kaio Jorge completou.

A tônica continuou a mesma na etapa final. Um Grêmio pouco criativo diante de um Santos organizado e perigoso no contra-ataque. O Peixe seguiu finalizando mais que o adversário.

Sem espaço, o Tricolor abusou da bola parada e das finalizações de fora da área. Aos 21, David Braz cobrou falta de longe e obrigou John a fazer boa defesa.

Aos 23, o Santos respondeu. Diego Pituca finalizou de longe, Vanderlei espalmou e no rebote a bola sobrou limpa para Kaio Jorge, que bateu cruzado e a bola passou muito perto.

Nos minutos finais, o Peixe recuou, porém, o Grêmio seguiu praticamente inofensivo. Com a expulsão de Diego Pituca, os donos da casa avançaram e conseguiram o empate em um pênalti. Com auxílio do VAR, a arbitragem assinalou braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu aos 56 minutos da etapa final.

Cuca valoriza estratégia “corajosa” do Santos, mas lamenta pênalti “inconclusivo” no empate com o Grêmio

Cuca valorizou a estratégia do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe foi melhor na maior parte do tempo, mas sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, em pênalti polêmico convertido por Diego Souza após auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola após cruzamento.

“Grêmio joga um dos melhores futebol do Brasil, grande elenco, treinador com cinco anos à frente do clube. Quem vem aqui pensando em defender fatalmente perde. Então viemos para jogar, com coragem, e criamos chances, até mais que o Grêmio. Perdemos gols claros no segundo tempo que poderiam ter definido o confronto e fomos penalizados no fim com gol de empate. Não é a primeira vez, outro lance inconclusivo. Não vou falar de arbitragem, ficamos reféns de uma interpretação, lupa ou microcâmera para pegar detalhe que não está no sentimento do jogo. Se jogador quis tomar vantagem ou foi casual. Apesar do grande jogo do Santos, saio profundamente chateado com o resultado”, disse Cuca.

“Jogo teve de tudo, deixa sabor bom pelo que o time jogou. São poucos times que envolvem o Santos, sempre batemos de frente. Fica a frustração pelos gols perdidos em uma bela partida e maneira como tomamos o gol no fim do jogo, com um jogador expulso. Arbitragem mexe no emocional. Expulsa um do Grêmio e VAR retira, amarela e quase te expulsa. Grêmio não teve reais chances de gol, aquele momento de pensarmos que íamos empatar. Fizemos as trocas em cima do cansaço. Jogadores sentiram, foi muita intensidade nossa. Se antes do jogo soubéssemos que era 1 a 1, seria um baita resultado. E não foi um baita resultado pelo que jogamos”, completou.

Outro que reclamou da arbitragem foi Kaio Jorge. E o atacante foi mais incisivo.

“Na minha visão não foi pênalti. Árbitro mal viu o replay. Acho que meteram a mão na gente ali”, afirmou.

Kaio Jorge lamenta falta de “capricho” do Santos em empate com o Grêmio

Autor do gol, Kaio Jorge lamentou a falta de “capricho” do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe fez 1 a 0, teve chances de ampliar e sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, num pênalti convertido por Diego Souza com o auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola.

“Estamos muito vivos. Próximo jogo é na nossa casa”, disse Kaio.

“Fizemos excelente primeiro tempo e poderíamos ter feito mais gols. Na Vila temos que caprichar mais”, completou.


Santos 2 x 0 Internacional

Data: 14/11/2020, sábado, 16h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Junior (ambos do DF).
VAR: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Cartões amarelos: Kaio Jorge (S); Lindoso e Rodinei (I).
Gols: Ivonei (13-2) e Kaio Jorge (22-2).

SANTOS
John; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Wagner Leonardo; Vinicius Balieiro, Ivonei (Arthur Gomes) e Felipe Jonatan; Marinho, Lucas Braga (Marcos Leonardo) e Kaio Jorge (Tailson).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado (Praxedes), Edenilson (Lindoso), Marcos Guilherme (Fernández) e Maurício (D’Alessandro); Thiago Galhardo e Abel Hernández (Yuri Alberto).
Técnico: Abel Braga



Santos supera desfalques com Meninos da Vila e vence o Internacional

O Santos venceu o Internacional por 2 a 0 na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gols foram marcados por Ivonei e Kaio Jorge, ambos no segundo tempo.

O Peixe de Marcelo Fernandes não fez boa partida tecnicamente, mas ofereceu poucos espaços ao Inter e conseguiu superar o surto do covid-19 com muita entrega e aplicação tática. Com a vitória, o Alvinegro assume a quarta colocação, com 34 pontos. O Inter cai para segundo, com 36, sendo ultrapassado pelo Atlético-MG.

O Santos teve 15 desfalques, 11 deles por covid-19: Alison, Alex, Ângelo, Diego Pituca, Jean Mota, João Paulo, Jobson, Lucas Veríssimo, Madson, Sandry e Vladimir. Soteldo (seleção da Venezuela) e Sánchez, Raniel e Renyer (no departamento médico) também foram ausências. E a comissão técnica teve quatro baixas em função do novo coronavírus: Cuca, os auxiliares Cuquinha e Eudes e o preparador físico Omar Feitosa. Dos 23 relacionados, 16 passaram pelas categorias de base.

O Internacional não contou com nove jogadores: Nonato e Patrick (covid-19), Danilo Fernandes (indisposição estomacal), Heitor (suspenso), Rodrigo Moledo (aprimora condição física após lesão no púbis), Johnny (a serviço da seleção dos EUA), Renzo Saravia, Gabriel Boschilia e Paolo Guerrero (cirurgias no joelho direito). Para piorar, Edenilson precisou sair no início do jogo.

O jogo

Santos e Internacional fizeram primeiro tempo sofrível tecnicamente. As equipes não criaram uma chance clara de gol sequer e abusaram das faltas e dos lançamentos.

O Peixe, mesmo em casa, deixou o Inter com a bola e buscou contra-ataque. O Colorado não soube o que fazer com a posse e só obrigou o goleiro John a trabalhar uma vez.

A etapa final começou com mais emoção. O goleiro John fez grandes defesas em chute de Abel Hernández e cabeceio de Thiago Galhardo, entre os minutos 5 e 7.

E quando não conseguia criar nada em campo, o Santos achou um gol aos 13 minutos. Ivonei cobrou falta lateral direto para o gol e Marcelo Lomba aceitou. Primeiro gol do Menino da Vila logo na estreia como titular.

O gol fez ao Peixe e o segundo não demorou ao chegar. Após falha de Rodinei, o Alvinegro puxou contra-ataque. Lomba defendeu chutes de Marinho e Arthur Gomes, mas não evitou o gol de Kaio Jorge quando o placar marcava 22 jogados.

Com 2 a 0 no placar, o Santos viu o Internacional se desanimar e pouco sofreu até o apito final. Importante vitória do Peixe, que entra no G-4.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes elogia Cuca e agradece ao Santos: “Eu tenho muita sorte”

Marcelo Fernandes teve a responsabilidade de dirigir o Santos na vitória por 2 a 0 sobre o Internacional neste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A covid-19 acometeu o técnico Cuca, os auxiliares Eudes e Cuquinha e o preparador físico Omar Feitosa. Dessa forma, o auxiliar Marcelo Fernandes comandou o time ao lado de Bebeto Sauthier, coordenador da análise de desempenho.

Marcelo disse que tem “muita sorte” na coletiva de imprensa.

“Não existe substituição. É muito difícil. Estou aqui esperando para ele voltar, não vejo como substituição. Eu tenho muita sorte. Estive oito anos e trabalhei com grandes treinadores. Trabalho num grande clube e que me trouxe de volta. Hoje trabalho com outro grande técnico, o Cuca. Essa vitória é para eles e todos os jogadores. As coisas vão voltar ao normal e para mim é um privilégio fazer parte da comissão técnica dele”, disse Marcelo Fernandes.

Marcelo Fernandes explica Balieiro titular do Santos e diz: “Estratégia funcionou”

O Santos superou 15 desfalques para vencer o Internacional por 2 a 0 na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. E a principal novidade foi Vinicius Balieiro como titular.

O meio-campista de 21 anos subiu do sub-23 e fez a estreia já como titular. Ele foi um dos destaques da partida.

“Ideia foi de todos. Chegamos no trabalho para pensar em um time depois de perdermos muitos jogadores no setor. Estávamos vulneráveis na cabeça de área. E Vinicius vinha atuando muito bem no sub-23. Trouxemos ele, pensamos na estratégia e funcionou. Ele correspondeu e, assim como todos, fez grande partida”, disse Marcelo Fernandes.

“A gente dança conforme a música. Hoje a estratégia foi essa diante de time que propõe e esperava que o Santos fosse marcar como sempre marcamos. Hoje foi uma exceção, pensando em tudo que o Santos viveu. Jogar de peito aberto com líder do campeonato depois de tudo isso? Pensamos nessa estratégia e deu tudo certo”, completou.

O auxiliar assumiu a equipe diante de Cuca, Cuquinha e Eudes com covid-19. E foi humilde para mudar o estilo de jogo diante do líder do Brasileirão.

“Significa muito pela semana que tivemos, pela perda irreparável do nosso comandante, da comissão e de vários jogadores. Trabalho do Cuca foi mostrado hoje, por tudo que construiu durante o ano. Mostramos isso aqui, quando precisamos de todos. Estamos a dois pontos do líder e temos que pensar assim, grande”, afirmou.

“Estratégia foi montada em cima do seguinte: Felipe Jonatan por dentro fez várias partidas muito boas. Se não fosse ele, teríamos três jogos que não vinham atuando 90 minutos no meio-campo. Estávamos preocupados com ritmo de jogo, que seria de muita competitividade. A entrada do Wagner na esquerda, já feita com o Cuca, foi pensada na bola aérea. Precisávamos igualar com a bola aérea do Internacional. Escolha foi positiva, deu muito certo e vitória diz tudo. Mudamos o jeito de jogar e surpreendemos o Inter”.

Após espera de quatro anos, John brilha em vitória do Santos: “Grande jogo”

John foi um dos destaques da vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Internacional na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O goleiro esperou quatro anos por uma chance e fez pelo menos quatro defesas para ajudar o Peixe a vencer. Foi, inclusive, a primeira partida oficial. Aos 24 anos, só havia atuado em amistoso com o Benfica em outubro de 2016.

“A gente trabalhou bastante essa semana, fizemos um grande treino, a vitória é pra quem não pôde jogar, graças a Deus fizemos um grande jogo”, disse John, ao Premiere.

John substituiu João Paulo, um dos desfalques pelo surto de covid-19. A atuação do goleiro foi festejada pelos companheiros. Ele foi eleito pela transmissão o melhor em campo.

O Santos teve 15 desfalques, 11 deles por covid-19: Alison, Alex, Ângelo, Diego Pituca, Jean Mota, João Paulo, Jobson, Lucas Veríssimo, Madson, Sandry e Vladimir. O vírus “pegou” quatro da comissão técnica: Cuca, os auxiliares Cuquinha e Eudes e o preparador físico Omar Feitosa. Dos 23 relacionados, 16 passaram pelas categorias de base.

Soteldo (seleção da Venezuela) e Sánchez, Raniel e Renyer (no departamento médico) também foram ausências. A equipe foi dirigida por Marcelo Fernandes.


Coritiba 1 x 2 Santos

Data: 17/10/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ).
Auxiliares: Michael Correia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ).
Cartões amarelos: Nathan Silva, William Matheus, Hugo Moura e Ricardo Oliveira (C); Jobson e Lucas Braga (S).
Gols: Kaio Jorge (04-1) e Soteldo (26-1); Giovanni Augusto (28-2).

CORITIBA
Wilson; Natanael (Matheus Galdezani), Henrique Vermudt, Nathan Silva e William Matheus; Hugo Moura (Ricardo Oliveira), Matheus Sales (Matheus Bueno), Giovanni Augusto, Yan Sasse (Nathan) e Robson; Rodrigo Muniz (Neílton).
Técnico: Jorginho

SANTOS
João Paulo; Madson, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Arthur Gomes); Lucas Braga (Lucas Lourenço), Soteldo (Wagner Leonardo) e Kaio Jorge (Luiz Felipe).
Técnico: Cuca



Soteldo marca de cavadinha em despedida e Santos vence o Coritiba

Na noite deste sábado, o Santos foi até a capital paranaense e arrancou uma boa vitória por 2 a 1 contra o Coritiba no Couto Pereira, em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo balançou as redes em cobrança de pênalti, de cavadinha. Kaio Jorge anotou o outro gol santista, enquanto Giovanni Augusto diminuiu no segundo tempo.

Depois de uma semana complicada com a derrota para o Atlético-GO e a repercussão negativa da contratação de Robinho, a vitória traz um respiro para o clube. Com o resultado, o Peixe chega aos 27 pontos e sobe para a quinta colocação. Por outro lado, o Coritiba se mantém na zona do rebaixamento, com 16 pontos, em 17º lugar.

O jogo

Mesmo fora de casa, o Santos começou em cima do Coritiba e não demorou para balançar as redes. Logo na primeira chegada, aos quatro minutos, Soteldo acionou Felipe Jonatan pela esquerda, e o lateral cruzou na medida para Kaio Jorge apenas completar para o gol e abrir o placar.

Em desvantagem, o Coritiba quase igualou o placar aos 16, mas João Paulo fez excelente defesa no cabeceio de Rodrigo Muniz. Assim, o Peixe chegou ampliou o marcador aos 26, depois que a arbitragem assinalou mão de Hugo Moura dentro da área na checagem do VAR. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo foi para a bola e cobrou com cavadinha para anotar o segundo da equipe no jogo.

Para correr atrás do prejuízo, o Coritiba se lançou à frente para ocupar o campo de ataque. O time até criou boas oportunidades, mas tinha dificuldade na finalização. A melhor chance veio com Giovanni Augusto, que carimbou a trave santista aos 44.

Na volta do intervalo, o Coritiba tentava forçar jogadas pelas laterais, mas o Santos fortaleceu a marcação, mesmo sem abaixar as suas linhas. A partida ficou mais pegada, aumentando o número de faltas, mas o Peixe controlava os avanços do adversário.

Mesmo assim o Coxa conseguiu diminuir o placar em um verdadeiro golaço, aos 28 minutos. Giovanni Augusto recebeu passe de Neílton na entrada da área e bateu com precisão, mandando no ângulo de João Paulo.

A partir de então, o Coritiba se lançou ao ataque para tentar o gol de empate de qualquer maneira. Jorginho colocou Ricardo Oliveira em campo nos minutos finais, mas mesmo assim o Coxa não conseguiu balançar as redes, e o Santos confirmou a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Cuca destaca Santos como visitante: “Campanha formidável”

Cuca destacou o desempenho do Santos como visitante após a vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba no último sábado, no Couto Pereira, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe perdeu pela última vez fora de casa para o Palmeiras, por 2 a 1, no Allianz Parque, no dia 23 de agosto.

“A última partida que perdemos fora foi contra o Palmeiras, depois ganhamos cinco e empatamos uma se eu não me engano. É campanha formidável. Dentro das dificuldades, encontrando soluções. Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem. Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

O Santos de Cuca atuou 10 vezes como visitante, com seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Um aproveitamento de 66,7%.

Veja as partidas do Peixe fora de casa sob o comando de Cuca:

Internacional 2 x 0 Santos – Brasileiro
Sport Recife 0 x 1 Santos – Brasileiro
Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileiro
Ceará 0 x 1 Santos – Brasileiro
Botafogo 0 x 0 Santos – Brasileiro
Delfín 1 x 2 Santos – Libertadores
Olimpia 2 x 3 Santos – Libertadores
Goiás 2 x 3 Santos – Brasileiro
Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileiro
Coritiba 1 x 2 Santos – Brasileiro

Sandry ressurge no Santos e se anima por mais minutos com Cuca

Sandry foi a principal novidade do Santos nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. O volante estreou sob o comando de Cuca e ganhou a primeira “sequência”.

O Menino da Vila entrou no segundo tempo dos jogos contra Atlético-GO, na Vila Belmiro, e Coritiba, no Couto Pereira – um total de 30 minutos.

“Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem (contra o Coritiba). Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

Sandry tem 18 anos e esperou dois meses para estrear com Cuca. Com duas participações consecutivas, a expectativa é de se firmar como opção no meio-campo. Os concorrentes na posição são Diego Pituca, Jobson, Alison e Ivonei.

A última partida antes deste mês ocorreu na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino, no dia 26 de julho, pelo Campeonato Paulista. Sandry tem apenas quatro jogos em 2020.


Olimpia-PAR 2 x 3 Santos

Data: 01/09/2020, quinta-feira, 19h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 5ª rodada (penúltima)
Estádio: Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, Paraguai.
Árbitro: Nestor Pitana (ARG).
Auxiliares: Martin Soppi e Carlos Barreiro (URU).
Cartões amarelos: Recalde, Azcona e Leguizamon (O); Alex, Jobson e Raniel (S).
Gols: Carlos Sánchez (14-1), Recalde (21-1) e Recalde (33-1) e Marinho (38-1); Kaio Jorge (12-2).

OLIMPIA (PAR)
Azcona; Benítez (De La Cruz), Leguizamon, Alcaraz e Arias; Silva (Montenegro), Rojas, Domingo e Recalde (Otalvaro); Camacho (Roque Santa Cruz) e Pitta (Rojas).
Técnico: Daniel Garnero

SANTOS
João Paulo; Madson, Pará, Jobson (Ivonei), Alex Nascimento e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Alison); Marinho, Soteldo (Lucas Braga) e Kaio Jorge (Raniel).
Técnico: Cuca



Dupla desencanta, Santos vence o Olimpia e se classifica em 1º na Libertadores

O Santos venceu o Olimpia por 3 a 2 na noite desta quinta-feira, em calor de quase 40º em Assunção, no Paraguai, e se classificou para as oitavas de final da Libertadores da América como primeiro colocado do Grupo G, com 13 pontos.

Os gols do Peixe foram marcados por Carlos Sánchez, Marinho e Kaio Jorge. A vitória garante a vaga do Alvinegro com uma rodada de antecedência. Os santistas fecham a fase de grupos diante do Defensa y Justicia (ARG), na Vila Belmiro. O Olimpia pode ser eliminado se o Defensa vencer o Delfin, no Equador, no madrugada de sexta.

O resultado positivo do Santos contou com o fim de um jejum duplo. Carlos Sánchez e Kaio Jorge não marcavam há 23 e 15 jogos, respectivamente. O goleiro João Paulo fez defesas decisivas.

O jogo

O Olimpia foi melhor durante a maior parte dos primeiros 45 minutos, mas o Santos se mostrou efetivo a cada oportunidade no ataque.

Depois de uma pressão inicial do Olimpia, o Peixe abriu o placar aos 14 minutos. Felipe Jonatan cruzou, Madson se antecipou e sofreu pênalti de Recalde (guarde esse nome). Carlos Sánchez converteu e acabou com jejum de 23 partidas.

O Olimpia seguiu em cima do Alvinegro e empatou com… Recalde. Madson, importante no gol do Santos, vacilou na marcação pelo alto aos 21 minutos.

Aos 33, Recalde apareceu de novo. O paraguaio aproveitou espaço deixado em bote de Jobson, recebeu entre Pará e Madson e girou para bater no canto de João Paulo e virar.

O técnico Cuca mudou o esquema tático e abdicou da linha de cinco defensiva – Madson foi para a zaga e Jobson para o meio. Dessa forma, os santistas melhoraram. E o empate veio com Marinho, sempre ele, aos 38 jogados. O camisa 11 bateu falta na área, a bola passou por todo mundo e entrou.

A primeira chance da etapa final foi do Olimpia. Pitta finalizou bem e o goleiro João Paulo salvou com o pé aos seis minutos. Aos 8, Soteldo, sim, Soteldo, cabeceou bem e Azcona defendeu no canto.

E no minuto 12, o Santos virou. Marinho cruzou, Carlos Sánchez recebeu sozinho e rolou para Kaio Jorge. O Menino da Vila driblou o goleiro e marcou após 15 partidas.

Quando o placar marcava 24′, o goleiro João Paulo fez outra grande defesa em uma espécie de bicicleta de Leguizamón depois de cobrança de escanteio.

O Olimpia insistiu e João salvou novamente aos 33, quando Montenegro ganhou no alto de Alison e cabeceou forte. O goleiro santista buscou de mão trocada. No minuto 40, Recalde teve um gol anulado. Seria o terceiro dele.

Nos minutos finais, o Santos se segurou como deu e conseguiu a vitória e a classificação antecipada na Libertadores da América.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta classificação do Santos em semana turbulenta: “Estou muito feliz com esses meninos”

Cuca exaltou a classificação do Santos às oitavas de final da Libertadores da América em meio a uma semana turbulenta no clube da Vila Belmiro.

O presidente José Carlos Peres foi afastado enquanto responde a processo de impeachment. O vice Orlando Rollo assumiu de forma interina horas antes da viagem ao Paraguai, onde o Peixe venceu o Olimpia por 3 a 2 nesta quinta-feira e se classificou com uma rodada de antecedência e como primeiro do Grupo G.

“Sim, é uma semana turbulenta. Perdemos presidente e diretores, Matheus e Doria. Veio um novo presidente, o Rollo, outro diretor (Felipe Ximenes), outro comando. Temos que ficar alheios. Nós somos o Santos. Eles não são do Santos, eles são o Santos. Falo isso para os jogadores. Não é estádio ou diretoria, alegria e tristeza vêm dos jogadores. Estou muito feliz com esses meninos. Vamos perder, claro, mas vamos vender caro. São nove jogos sem perder, sem se queixar. E vamos seguir fazendo nosso melhor”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Sem Lucas Veríssimo e Luan Peres, suspensos, Cuca optou por uma linha de cinco com Madson, Pará, Jobson, Alex e Felipe Jonatan. Quando o Olimpia virou, o treinador mexeu para a linha de quatro com Pará, Madson, Alex e Felipe Jonatan, com Jobson no meio.

“Eu quis dar uma consistência maior para a defesa. Alex é menino da base, não tínhamos outro pela direita. Pusemos o Jobson com a sobra e Pará na contenção. Até começamos bem, mas ideia era ter saída de jogo, que não ocorreu. Tomamos o gol e fomos para o Plano B, com Madson como zagueiro e Jobson no meio. Ali o time se sentiu melhor”, explicou.

“Deu certo no começo, mas sofremos a virada e temos que mudar. Temos que enaltecer esses jogadores. Fizemos tudo isso sem treinar, não há tempo e eu não fico chorando. Estamos indo para o pau sem reclamar. Meninos estão evoluindo como profissionais dentro de uma competição dessa. Teve jogo jogado, aéreo, guerra. Típico de Libertadores. Somos a melhor equipe do campeonato junto com o Palmeiras”, concluiu.

Kaio Jorge minimiza jejum e diz: “Santos significa família”

Kaio Jorge minimizou o fim do jejum de 15 gols no Santos nesta quinta-feira, na vitória por 3 a 2 sobre o Olimpia, no Paraguai, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O centroavante marcou o gol da classificação antecipada às oitavas de final com o primeiro lugar do Grupo G.

“Essa questão de marcar um gol ou não é normal, mas vinha fazendo bons jogos e sabia que meu gol viria uma hora ou outra. Fico mais feliz de ajudar meus companheiros”, disse Kaio, antes de falar sobre a concorrência com Raniel.

“Todo mundo é titular, está para ajudar. É uma briga sadia, Cuca vai saber optar por quem colocar ali. Darei meu melhor para continuar jogando, completou.

Kaio também valorizou a raça do Santos sob calor de quase 40º em Assunção.

“Santos significa família. Jogamos desde o primeiro minuto com aquela união, vontade. Calor dificultou muito, mas somos o Santos e temos que ir para ganhar onde for”, afirmou.

Temos crescido jogo a jogo. Se estivéssemos desligados, poderíamos perder. Mas entramos focados desde o primeiro minuto e saímos com a vitória”, concluiu.