Navegando Posts marcados como Jobson

São Paulo 0 x 1 Santos

Data: 10/01/2021, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro 2020 – 29ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Braulio da Silva Machado.
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Alex dos Santos.
VAR: Heber Roberto Lopes.
Cartões amarelos: Alex, Vinicius Balieiro, João Paulo, Alisson (S); Pablo e Hernanes (SP).
Gol: Jobson (01-2).

SÃO PAULO
Volpi; Juanfran, Arboleda, Léo (Vitor Bueno) e Reinaldo; Luan (Hernanes), Daniel Alves, Gabriel Sara (Paulinho Boia) e Igor Gomes (Tréllez); Pablo (Carneiro) e Brenner.
Técnico: Fernando Diniz

SANTOS
João Paulo; Madson, Laércio, Alex e Jean Mota (Luan Peres); Jobson (Alison), Vinicius Balieiro (Diego Pituca) e Sandry; Arthur Gomes (Pará), Bruno Marques (Kaio Jorge) e Lucas Braga.
Técnico: Cuca



Santos vence e dá fim à invencibilidade do São Paulo como mandante no Brasileiro

A invencibilidade do São Paulo como mandante no Campeonato Brasileiro chegou ao fim neste domingo. Recebendo o Santos, com um time reserva por causa da semifinal da Libertadores, na próxima quarta-feira, contra o Boca Juniors, a equipe comandada por Fernando Diniz teve mais uma atuação aquém das expectativas, embora tenha melhorado no segundo tempo, e acabou perdendo por 1 a 0, gol de Jobson, no primeiro minuto da etapa complementar.

Somando sua segunda derrota consecutiva no Brasileirão, o São Paulo segue na liderança, mas pode ver o Internacional diminuir a vantagem para apenas três pontos, caso o time colorado vença o Goiás, daqui a pouco. Vale lembrar que se superasse o Santos neste domingo, o Tricolor abriria dez pontos de vantagem para o Flamengo, outrora seu principal concorrente pelo título nacional.

O Peixe, por sua vez, foi ao Morumbi sem muitas expectativas e acabou somando mais três importantes pontos no Campeonato Brasileiro para se manter na briga pelo G6. De quebra, a equipe comandada por Cuca venceu seu primeiro clássico na atual temporada.

O jogo

No primeiro tempo faltou qualidade no estádio do Morumbi. Enquanto o Santos, com sua equipe reserva, se mantinha firme na defesa, sem dar espaços para o São Paulo, que rodava a bola de um lado para outro, mas errava muitos passes, não encontrava brechas e tinha pouca profundidade. Justamente por isso, o torcedor que acompanhou a partida demorou para ver alguma jogada de perigo.

A primeira chance do jogo aconteceu apenas aos 18 minutos, em cobrança de falta de Daniel Alves, mas o camisa 10, como de costume, mandou por cima do gol, sem perigo para o goleiro João Paulo. O Santos, por sua vez, tratou de responder aos 23 minutos, de forma muito mais aguda. Lucas Braga enfiou para Arthur Gomes, que saiu em velocidade e bateu cruzado, da entrada da área, carimbando a trave de Tiago Volpi. No rebote, Juanfran ficou com a bola, titubeou, mas, no fim, tocou para o goleiro são-paulino, que saiu jogando.

Com o temporal que caiu na Zona Sul da capital paulista durante o primeiro tempo, o ritmo do jogo diminuiu com o tempo. A tônica continuou a mesma: São Paulo com a bola nos pés, mas sem saber o que fazer com ela. Mas, aos 31 minutos, o time de Fernando Diniz, enfim, levou perigo ao goleiro João Paulo. Gabriel Sara chegou na linha de fundo e tocou para Brenner dentro da área, que, por sua vez, acionou Daniel Alves, que chegou batendo de primeira, mandando rente à trave.

Depois, aos 36 minutos, foi a vez de o camisa 10 tricolor dar um passe magistral por elevação, encontrando Juanfran livre na área. O lateral-direito espanhol se esticou todo para alcançar a bola e até conseguiu, mas ela acabou parando nas mãos do goleiro santista. Antes do apito final, o Tricolor ainda teve uma oportunidade derradeira com Gabriel Sara, que já nos acréscimos matou no peito e bateu girando, mas errou a pontaria.

Quem esperava que o São Paulo iria reagir no segundo tempo se decepcionou. O Santos precisou de alguns segundos para abrir o placar e jogar um balde de água fria nos donos da casa. Daniel Alves errou na saída de bola, e Jobson recebeu pela esquerda, avançando aos trancos e barrancos após se atrapalhar tentando fazer o cruzamento e batendo de bico, no cantinho, colocando o Peixe em vantagem no Morumbi.

A partir daí o São Paulo acordou. Aos dez minutos, Juanfran tocou para Pablo, que chegou na linha de fundo e cruzou para Brenner, que bateu mascado, de primeira, facilitando o trabalho do goleiro John. No minuto seguinte, foi a vez de Gabriel Sara bater de trivela, dentro da área, livre, mas mandou para fora na intenção de acertar o ângulo.

Aos 16 minutos, o Tricolor teve uma nova grande chance de gol que surgiu pela direita. Juanfran se livrou da marcação na linha de fundo e cruzou rasteiro para Reinaldo chegar finalizando, mas o lateral-esquerdo isolou. O Santos seguia apostando no contra-ataque. Aos 30, Tiago Volpi teve de sair da meta para afastar o perigo, já que Lucas Braga vinha ganhando na velocidade na disputa com a marcação.

Passando a contar com Tréllez e Carneiro dentro da área, apostando nas bolas aéreas, Fernando Diniz viu o goleiro João Paulo fazer grande intervenção para evitar o empate aos 33 minutos, quando Arboleda cabeceou após cobrança de escanteio, mas o arqueiro santista espalmou para fora.

Antes do apito final, o São Paulo ainda teve a chance derradeira de empatar o jogo com Brenner. Aos 39 minutos, Juanfran novamente chegou na linha de fundo pela direita e cruzou na cabeça do jovem atacante, que testou forte, mas João Paulo realmente estava em um dia iluminado e garantiu a vitória santista no Morumbi.

Bastidores – Santos TV:

Cuca valoriza estratégia do Santos para vencer o São Paulo: “Sem grande desgaste”

O técnico Cuca exaltou a estratégia do Santos para vencer o São Paulo por 1 a 0 neste domingo, no Morumbi, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe entrou com apenas um titular – Lucas Braga -, e cinco entraram no segundo tempo: Kaio Jorge, Diego Pituca, Alison, Pará e Luan Peres.

O Alvinegro poupou seus principais jogadores e ainda deu ritmo para alguns antes de enfrentar o Boca Juniors (ARG) na quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo duelo de volta da semifinal da Libertadores da América. Em La Bombonera, empate por 0 a 0.

“A gente está muito feliz com essa vitória em clássico. No último jogo que empatamos (Palmeiras), falamos sobre a chance enorme de vencer um clássico e eu falei do próximo. E vencemos. Dentro da proposta que nós propusemos, fomos muito felizes. Cedemos poucos espaços ao São Paulo, que gosta de transição em toques, de envolver numericamente. Nos precavemos dentro do que foi possível, em cima dos dois treinamentos de sexta e sábado. Fizemos jogo bom dentro da proposta e saímos vencedores. São Paulo teve maior posse, maior finalização, mas fomos efetivos. Fizemos gol, bola na trave e fomos firmes atrás. Soubemos passar pelo momento ruim no jogo. Quando São Paulo colocou Carneiro e Tréllez e foi para a bola aérea, trabalhamos bem também”, disse Cuca.

“Fortalecemos a equipe no decorrer do jogo sem trazer um desgaste. Kaio Jorge e Diego Pituca jogaram 38 minutos, não terão grande desgaste. Teriam se tivessem jogado o dobro. Alison meia hora. Luan e Pará 25. Sandry e Lucas Braga jogaram o tempo todo, mas são jovens e têm recuperação mais rápida”, completou.

Santos quebra jejum de mais de um ano sem vencer clássicos

O Santos quebrou um jejum neste domingo, ao vencer o São Paulo por 1 a 0 no Morumbi, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe não saia vitorioso em um clássico há mais de um ano. Como a temporada se estende até fevereiro em função da pandemia do novo coronavírus, o Alvinegro obteve três pontos pela primeira vez.

O Santos venceu o Palmeiras por 2 a 0 na Vila Belmiro, em outubro de 2019, e passou 2020 “zerado”: três empates e quatro derrotas.

02/02/2020 – Corinthians 2 x 0 Santos – Paulistão
29/02/2020 – Santos 0 x 0 Palmeiras – Paulistão
14/03/2020 – São Paulo 2 x 1 Santos – Paulistão
23/08/2020 – Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileirão
12/09/2020 – Santos 2 x 2 São Paulo – Brasileirão
07/10/2020 – Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileirão
05/12/2020 – Santos 2 x 2 Palmeiras – Brasileirão

João Paulo valoriza vitória do Santos sobre o líder e diz: “Não deixei de me dedicar”

João Paulo foi um dos destaques do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo na tarde deste domingo, no Morumbi, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe entrou em campo com apenas um titular: Lucas Braga. No segundo tempo, entraram Kaio Jorge, Alison, Diego Pituca, Luan Peres e Pará.

João deve ser novamente titular no jogo de volta da semifinal da Libertadores da América contra o Boca Juniors em função do teste positivo de John para covid-19.

“Fico feliz, fiquei fora de alguns jogos, mas não deixei de trabalhar, de treinar, de me dedicar. É uma vitória importante para dar moral para quarta-feira. Fazia mais de um ano que não vencíamos um clássico, é importante vencer e vencer o líder do campeonato”, disse João Paulo, à Globo. Ele foi eleito o melhor em campo na transmissão.


Santos 3 x 1 Bahia

Data: 01/11/2020, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Helton Nunes e Johnny Barros de Oliveira (ambos de SC).
VAR: Rodolpho Toski Marques (PR)
Cartões amarelos: Madson, João Paulo, Marinho e Sandry (S); Juninho e Anderson Martins (B).
Gols: Madson (09-1), Marinho (25-1), Daniel (27-1) e Jobson (36-1).

SANTOS
João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Marinho, Soteldo (Ângelo) e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

BAHIA
Douglas; Nino Paraíba, Anderson Martins, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Ronaldo (Elias) e Daniel (Clayson); Élber (Marco Antonio), Fessin (Rossi) e Gilberto (Saldanha).
Técnico: Mano Menezes



Santos vence o Bahia na Vila e termina primeiro turno do Brasileirão no G-6

O Santos venceu o Bahia por 3 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Madson, Marinho e Jobson. O de honra para o Tricolor foi de Daniel.

Com a vitória, o Peixe termina o primeiro turno com 30 pontos, na sexta colocação – dentro do G-6, zona de classificação para a Libertadores da América. O Bahia é apenas o 15º, com 19 somados.

O Alvinegro dominou as ações desde o começo e foi letal no primeiro tempo, quando fez seus três gols. A equipe ainda contou com boa atuação de João Paulo e uma falha de Douglas para o time de Salvador.

O jogo

O Santos dominou a partida desde o início, mas o Bahia nunca deixou de ser perigoso, principalmente em contra-ataques. E o primeiro gol foi do Peixe, aos nove minutos, quando Soteldo cruzou e Madson apareceu de surpresa no segundo pau.

No minuto seguinte, João Paulo fez milagre após dar rebote em chute de Élber. Gilberto, quase na pequena área, bateu firme e o goleiro santista evitou o empate na Vila.

Depois do susto, o Santos se reorganizou e ampliou com Marinho, após bate-rebate em escanteio e assistência de Jobson, quando o placar marcava 25 jogados. O Tricolor, porém, diminuiu com Daniel dois minutos depois. Luan Peres furou e Daniel aproveitou.

O Peixe voltou a ficar tranquila na partida no minuto 36: Jobson cobrou a falta e o goleiro Douglas aceitou. 3 a 1 na etapa inicial.

O Bahia se lançou ao ataque na etapa final e, com um minuto, Gilberto obrigou João Paulo a fazer boa defesa. O atacante deixou o zagueiro Luan Peres no chão na jogada.

O Santos respondeu no sexto minuto, quando Marinho bateu falta com veneno e Douglas espalmou. Aos 16, o goleiro baiano fez outra boa intervenção em finalização de fora da área de Felipe Jonatan.

Aos 28, outra boa chance para o Bahia. O goleiro João Paulo errou feio na saída de bola e Daniel ficou sozinho na pequena área. O chute desviou e bateu na trave santista.

Nos minutos finais, o Santos recuou as linhas e administrou a vitória por 3 a 1 na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lembra de previsões antigas e valoriza 1º turno do Santos: “Muito contente”

O técnico Cuca exaltou a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Bahia neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª e última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

O Peixe construiu o placar na etapa inicial, com gols de Madson, Marinho e Jobson, e administrou o resultado – o Alvinegro abriu 2 a 0, viu o Tricolor diminuir e ampliou logo na sequência.

“Para essa análise do primeiro turno, temos que voltar ao começo da competição e vermos o que muitos analistas falaram. Santos estaria na segunda página, não entre os 10 primeiros. Estamos na primeira página, posição a nível de zona de Libertadores. Não é o que o Santos almeja, mas não estamos envolvidos só no Brasileirão. Copa do Brasil, Libertadores, mata-mata, viagem, elenco enxuto, formação de jovens”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Estou muito contente com o trabalho, o retorno dos jovens e dos mais experientes. Torcedor também deve estar feliz com o que esse pessoal tem apresentado. Vivo em outras duas competições e entre os seis primeiros do Campeonato Brasileiro, completou.

Com o triunfo neste domingo,, o Alvinegro terminou o primeiro turno na sexta colocação, dentro da zona de classificação para a Libertadores da América, com 30 pontos. Cuca prevê segundo turno ainda mais difícil.

“Projeto mais difícil no segundo turno é a negociação dos três pontos. Cada um terá uma luta, não se sabe se é jogar contra parte de cima ou de baixo. Equipes tradicionais com 19 ou 20 pontos e vão vender caro cada jogo. Temos que nos preparar. Sei que segundo turno vai ser mais difícil por estarmos em outras competições. Prevejo no segundo turno uma dificuldade maior no Campeonato Brasileiro. Tomara que eu esteja enganado”, concluiu Cuca.

Cuca elogia Jobson e pede paciência com Jean Mota ao torcedor do Santos: “Estamos recuperando ele”

O técnico Cuca analisou o desempenho de Jobson e Jean Mota após a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Bahia neste domingo, na Vila Belmiro, pela 19ª e última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

O treinador elogiou Jobson como meia e pediu paciência com Jean Mota ao torcedor santista.

“Jobson, por ter qualidade, visão de jogo e passe, atrás havia algum risco. E na frente não faz mal se passe não entrar. E os que entram geram possibilidade de gol, como foi no segundo gol, o do Marinho. Jogou bem, pega intensidade dentro de jogo, tem melhorado e é necessário no futebol de hoje. Sem intensidade, não se joga. Tem que unir qualidade e técnica com intensidade”, disse Cuca, sobre Jobson.

“Jean Mota é alvo de críticas da torcida, mas torcedor precisa entender que são as peças que temos. Com tolerância maior, futebol será melhor. Todos vão ler. Se não lerem, vão falar que ganhou nota 4, por exemplo. Existem outras valias, preenche espaço e faz coberturas que meninos não sabem fazer. Algumas peças vão correr um pouco mais para outros jogadores. Falta ritmo de jogo, é nítido. Foi artilheiro do Campeonato Paulista com ritmo maravilhoso, tudo que fazia dava certo. Estamos recuperando ele. Precisam ter mais paciência e tolerância com ele”, falou o técnico, sobre Jean Mota.

Cuca deve manter o meio-campo com Diego Pituca-Jobson-Jean Mota contra o Ceará, quarta-feira, no Castelão, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe precisa vencer em Fortaleza após o 0 a 0 na Vila Belmiro. Um novo empate levaria a eliminatória para os pênaltis.


Defensa y Justicia 1 x 2 Santos

Data: 03/03/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 1ª rodada
Local: Estádio Norberto Tomaghello, em Buenos Aires, Argentina.
Público e renda: N/D
Árbitro: Gustavo Tejera (URU).
Auxiliares: Nicolás Tarán e Carlos Barreiro (URU).
Cartões amarelos: Botta e Benítez (DJ); Luan Peres, Lucas Veríssimo, Evandro, Kaio Jorge e Carlos Sánchez (S).
Gols: Benítez (45-1); Jobson (26-2) e Kaio Jorge (39-2).

DEFENSA Y JUSTICIA (ARG)
Unsain; Breitenbruch, Rodríguez, Martínez e Benítez; Acevedo, Mainero (Márquez) e Neri Cardozo (Ojeda); Pizzini, Botta (Coacci) e Lucero.
Técnico: Hernán Crespo

SANTOS
Everson, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Luan Peres; Pará, Carlos Sánchez, Evandro (Jobson) e Diego Pituca; Eduardo Sasha; Yuri Alberto (Kaio Jorge) e Soteldo.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Alterações funcionam, e Santos vence Defensa y Justicia de virada na estreia

O Santos venceu o Defensa y Justicia por 2 a 1, de virada, noite desta terça-feira, em Buenos Aires, na estreia pela Libertadores da América.

O Peixe saiu atrás no fim do primeiro tempo, com gol de Benítez, e virou na etapa final, quando Jobson e Kaio Jorge balançarem as redes pela primeira vez com a camisa alvinegra, nos minutos 26 e 39.

O Santos fez bom primeiro tempo, principalmente na defesa, e alternou bons e maus momentos ofensivos. O Peixe de Jesualdo Ferreira fez um gol depois de três jogos, quase 400 minutos.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Mirassol, sábado, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Pela Libertadores, o próximo compromisso será diante do Delfín (EQU), na próxima terça, novamente na Vila – com portões fechados.

O jogo

O Santos entrou em campo com uma formação diferente: uma espécie de 3-4-1-2 com a bola, com três zagueiros, Pará e Diego Pituca como alas, Evandro e Carlos Sánchez atrás de Eduardo Sasha e Yuri Alberto e Soteldo à frente.

A variação do técnico Jesualdo Ferreira funcionou defensivamente na maior parte do tempo. No ataque, porém, a dificuldade do Peixe continuou e não houve finalização na direção do gol no primeiro tempo.

O Alvinegro sofreu o gol em seu melhor momento, já no fim da etapa inicial. Benítez aproveitou vacilo de Luan Peres e cabeceou forte aos 45 minutos para vencer Everson.

O Santos voltou pior para o segundo tempo. O Peixe passou a ficar mais desorganizado, ofereceu mais espaço ao Defensa y Justicia e chegou a ouvir “Olé”.

E, curiosamente, o Alvinegro chegou ao gol quando era pior em campo, cenário distinto em relação aos primeiros 45 minutos. Jesualdo insistia com Soteldo pela direita, lugar onde o camisa 10 rende menos. Foi só ele ir para a esquerda e em pouco tempo achou Jobson na área. O volante, novidade na etapa final, cabeceou bonito para empatar aos 26 minutos.

O gol fez o Santos crescer na partida e chegar à virada. Soteldo tentou jogada individual e a bola sobrou para Kaio Jorge, outro substituto. O Menino da Vila avançou, se livrou da falta e marcou o segundo.

A vitória dá sobrevida a Jesualdo no comando do Peixe. Além disso, o treinador teve sinais da necessidade de armar esquema mais “simples”. A virada veio com Jobson e Diego Pituca como volantes, Soteldo na esquerda, Eduardo Sasha na direita e Kaio Jorge como centroavante, funções de preferência dos atletas.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo exalta defesa do Santos e pede confiança: “Se acreditarem no trabalho, podem conquistar”

O técnico Jesualdo Ferreira exaltou a vitória do Santos, de virada, por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia na noite desta terça-feira, na Argentina, na estreia pela Libertadores da América.

O português exaltou o sistema defensivo do Peixe e pediu confiança no seu trabalho.

“Não se pode errar numa competição como a Libertadores, que tem seis jogos numa fase de grupos. Quando a equipe sabe defender, e as pessoas acham que saber defender não é uma virtude… Soubemos jogar o jogo de um jeito que não propiciou ao adversário. Soubemos tirar vantagem. Se eles acreditarem naquilo que estou fazendo e no meu trabalho, podem conquistar alguma coisa. O Paulista ou a Libertadores”, disse Jesualdo.

Jesualdo também comentou sobre o plano de jogo com três zagueiros e Evandro e elogiou Jobson e Soteldo.

“Nós tínhamos um plano para a partida. Começamos com ele. Mas tem detalhes que não conseguimos segurar. A entrada do Jobson deu mais força, mais potência no meio. O Soteldo tem de jogar nos dois lados. E creio que fez uma boa partida na direita, também, e depois foi dar uma assistência também para o segundo gol”, analisou.

“No primeiro tempo foi muito difícil para controlar o lado esquerdo da defesa. Corrigimos na segunda parte, mas o mais importante foi que com a passagem do Yuri para o meio e depois o Kaio (Jorge), os problemas que o Defensa não tinha passou a ter”, completou.

“Susto” na Argentina faz Jesualdo reforçar pedido por contratação no Santos

Jobson revelou sua “teimosia” para marcar seu primeiro gol pelo Santos, o de empate na virada por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia nesta terça-feira, na Argentina, pela estreia na Libertadores da América.

O volante entrou no segundo tempo para atuar entre os dois zagueiros, mas observou um caminho e aproveitou a chance após cruzamento de Soteldo.

“O professor tem uma experiência, conhece os jogadores. Ele sabe quem coloca, temos de confiar no trabalho dele. Temos de fazer o que ele pede… Eu tomei até uns puxões de orelha nos anos passados porque saía muito, mas vi um espaço. Fui um pouco teimoso. O professor estava gritando para ficar no meio dos zagueiros. Fui muito feliz e tenho de agradecer”, disse Jobson, em entrevista coletiva.

Pituca destaca ‘cara de Libertadores’ do Santos: “Grande segundo tempo”

Diego Pituca destacou a raça do Santos para virar e vencer o Defensa y Justicia por 2 a 1 na noite desta terça-feira, na Argentina, pela estreia na Libertadores da América.

O meio-campista comentou sobre as instruções no vestiário e a melhora na etapa final para ganhar com gols de Jobson e Kaio Jorge.

“Acredito que o primeiro tempo nós ainda estávamos assimilando a equipe deles, tentando entender o jeito que jogavam, e, claro, teve o nervosismo natural de uma estreia. No intervalo, o professor Jesualdo conversou com a gente, passou ideias e aí conseguimos por em prática o que for pedido. Fizemos um grande segundo tempo, com muito garra, com cara de Libertadores, com cara de Santos”, disse Pituca.

“Esse é o espírito, essa união do grupo precisa fazer a diferença. Vamos voltar pro Brasil, estudar o que erramos hoje, prestar atenção nos detalhes e buscar a evolução para os próximos jogos. O que mais importa agora são os três pontos, começar a Libertadores com vitória, com confiança e motivação para as próximas rodadas”, completou.

“Susto” na Argentina faz Jesualdo reforçar pedido por contratação no Santos

O “susto” do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia na última terça-feira, na Argentina, faz Jesualdo Ferreira reforçar o pedido por uma contratação.

O técnico quer um lateral-esquerdo para disputar posição com Felipe Jonatan. A ausência do titular, único especialista no elenco, quase causou estrago na estreia pela Libertadores da América.

O Peixe sofreu pelo lado esquerdo da defesa com Luan Peres como zagueiro por ali e Diego Pituca de ala. Jesualdo trouxe Eduardo Sasha para a ponta em busca de reforçar a marcação no setor.

“No primeiro tempo foi muito difícil para controlar o lado esquerdo da defesa. Corrigimos na segunda parte, mas o mais importante foi que com a passagem do Yuri para o meio e depois o Kaio (Jorge), os problemas que o Defensa não tinha passou a ter”, resumiu o treinador, em coletiva de imprensa.

Além da dificuldade financeira do clube, o Alvinegro tem o problema da janela internacional de transferências estar fechada nos principais países. Dessa forma, a procura precisa ocorrer no mercado interno ou com quem está sem contrato. E a inscrição na Libertadores só seria permitida numa possível oitavas de final.

Kaio Jorge, após 1º gol pelo Santos: “Um ano atrás eu estava assistindo a Libertadores na TV”

Kaio Jorge diz ter vivido uma das melhores noites de sua vida na última terça-feira, na vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia, na Argentina.

O atacante de 18 anos fez seu primeiro gol pelo Peixe, logo na sua primeira participação na Libertadores da América. O gol da virada e dos três pontos na estreia.

“Eu não sei nem como começar.. O primeiro a gente nunca esquece!! essa foi uma das melhores noites da minha vida. Sempre fui sonhador, mas jamais imaginei que os sonhos seriam realizados desse jeito, aos 18 anos, da maneira que aconteceu. Dois anos atrás eu estava sentado em frente à televisão assistindo o Santos jogar na Libertadores, ontem, eu entrei em campo com esse manto sagrado nessa mesma competição que eu sempre quis jogar. Fiz o gol, ajudei meus companheiros e de quebra ainda estamos levando três pontos para o Brasil. Muito feliz por isso, por esse momento. Obrigado, Deus! Obrigado família, amigos e companheiros de clube. Que esse sonho se transforme em mais sonhos, e que seja apenas o início de uma grande caminhada. Feliz demais”, publicou Kaio.

Promovido ao elenco profissional ainda em 2018, Kaio tem 12 partidas pelo Alvinegro e espera ganhar mais oportunidades na sequência da temporada.

Torcedores do Santos relatam racismo no jogo contra o Defensa y Justicia

Os santistas que estiveram no estádio Norberto Tomaghello, na Argentina, na última terça-feira, relataram gestos de cunho racista por parte de um torcedor do Defensa y Justicia. Em vídeo divulgado nas redes sociais, um homem faz imitações de macaco em direção aos brasileiros.

O vídeo não demorou para tomar grandes proporções nas redes sociais, e diversos torcedores passaram a cobrar uma postura da Conmebol, entidade organizadora da Libertadores.

Entre os clubes, o Santos ainda não se manifestou sobre o caso. O Defensa y Justicia, por sua vez, publicou um comunicado de repúdio às ofensas racistas, pedindo desculpas ao clube paulista. Os argentinos ainda ressaltaram que pregam o respeito e cordialidade com os torcedores visitantes.

Dentro de campo, o resultado foi positivo para os brasileiros. O Peixe conseguiu uma virada e venceu por 2 a 1 em sua estreia na Copa Libertadores.