Navegando Posts marcados como Itaquerão

Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 07/10/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Neo Química Arena, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhães de Miranda
Cartões amarelos: Roni e Danilo Avelar (C); Lucas Braga, Lucas Lourenço e John (S).
Gols: Madson (10-1) e Danilo Avelar (45-1).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Lucas Píton; Gabriel, Roni (Camacho) e Luan (Cazares); Gustavo Mantuan (Mateus Vital), Léo Natel (Gustavo Mosquito) e Jô (Boselli).
Técnico: Dyego Coelho

SANTOS
João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson, Madson e Lucas Braga (Ivonei); Jean Mota (Tailson) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuquinha (auxiliar técncico)



Santos sai na frente, mas Corinthians arranca o empate em Itaquera

Corinthians e Santos ficaram no empate por 1 a 1, nesta quarta-feira, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Neo Química Arena. O Timão acumulou, com isso, quatro partidas seguidas sem vencer, enquanto o Peixe aumentou a série de invencibilidade para 11 jogos.

Com a igualdade, o Corinthians chega aos 15 pontos, ainda muito perto da zona de rebaixamento, na 14ª colocação, que ainda pode mudar até o fim da rodada. Já o Santos é o quinto colocado, com 21 pontos, e também pode cair na tabela.

O jogo

Fora de casa, sem seus principais jogadores e com o desfalque até de Cuca no banco de reservas. Nada disso foi problema para o Santos no primeiro tempo. O domínio amplo a partir do apito inicial foi coroado com um gol logo aos 10 minutos. Jean Mota cruzou da esquerda e Madson venceu Piton já dentro da pequena área.

O Corinthians, espaçado em campo, perdido, com a sexta escalação diferente em seis jogos sob o comando de Dyego Coelho, se mostrava preza fácil naquele momento.

Inexplicavelmente, o Peixe não soube aproveitar o momento e preferiu diminuir o ritmo. Assim, mesmo com enorme dificuldade, o Timão passou a ocupar mais o campo de ataque.

O castigo aos santistas veio no último lance agudo antes do intervalo. Gil ganhou de Luiz Felipe no alto, depois de cobrança de escanteio, e o goleiro João Paulo perdeu para Danilo Avelar no alto. Um gol bizarro, que gerou muita reclamação dos visitantes, consulta do VAR, mas, no fim, foi validado.

Na etapa final, o resultado de substituições dos técnicos foi favorável ao Corinthians, que apresentou evolução pelo que vinha fazendo em campo. O Santos se manteve organizado, mas passou a ficar mais tempo no campo de defesa, com dificuldade em chegar ao gol de Cássio.

A partida teve uma nova polêmica por causa de uma falta marcada pelo juiz em cima de Gustavo Mosquito. A princípio, a dúvida era se a infração tinha ocorrido dentro ou fora da área. O árbitro, porém, voltou atrás e não deu a falta após consultar o replay. Em tese, o VAR não pode ser usado para este fim.

A partir disso, o jogo não apresentou mais grandes emoções. Mateus Vital, nos acréscimos, exigiu uma linda defesa de João Paulo. E foi só.

Bastidores – Santos TV:

Após maratona, Santos ganha respiro na tabela: “Importantíssimo”

Após maratona de jogos e viagens, o Santos tem um respiro na tabela do Campeonato Brasileiro após o empate em 1 a 1 com o Corinthians na última quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada.

O Peixe terá quinta, sexta e sábado antes de enfrentar o Grêmio no domingo, às 16h. A partida ocorrerá diante do Atlético-GO, na quarta, novamente na Vila Belmiro.

O Santos teve três jogos consecutivos fora de casa em uma semana, com duas viagens longas: Olimpia, no Paraguai, Goiás, em Goiânia, e Corinthians, em São Paulo.

“Importantíssimo. Haja visto segundo tempo como não mantivemos o nível, marcar pressão, chegar com qualidade (no clássico). Tempo é fundamental para trabalhar. Temos que enaltecer os meninos, terminamos com cinco meninos. São polivalentes, de um lado e do outro e ajudam. É muito desgaste. Passamos muito tempo fora de Santos. 11 partidas de invencibilidade não é fácil. Temos que enaltecer o trabalho bem feito, essa dedicação dos meninos. Tudo isso nos deixa orgulhosos”, disse o auxiliar Cuquinha, em entrevista coletiva.

O Santos se reapresenta para treinamento na tarde desta quinta, no CT Rei Pelé. O Peixe não perde há 11 partidas e é o sétimo no Brasileirão, com 21 pontos.

Cuquinha nega ordem para recuar e elogia dedicação do Santos: “Bonito de ver”

Técnico do Santos na ausência de Cuca por suspensão, o auxiliar Cuquinha valorizou o empate em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe começou bem, abriu o placar e depois diminuiu o ritmo. O segundo tempo dos donos da casa foi melhor.

“Proposta foi vencer, fazer pressão e conseguir vitória no primeiro tempo. Fizemos isso bem até 30/35 minutos, foi caindo. Viagens, jogos, fomos sentindo. Tomamos o gol no fim do primeiro tempo e depois foi outro jogo. Não encaixamos bem, mas fizemos segundo tempo digno, com algumas oportunidades. Corinthians foi um pouco melhor no segundo tempo, nós muito melhores em 30 minutos. Resultado acabou justo. E não há nenhum pedido para recuar. Jogadores sentem um pouco, é normal”, disse Cuquinha.

“Corinthians pressionado, fora de casa, inúmeras baixas. Não podemos desprezar um ponto. Poderíamos ter ganho, mas não é fácil. Adrenalina toma conta dos guris, perna pesa, não dormem à noite. Estamos felizes com o resultado. Poderia ter sido melhor, mas foi um resultado justo”, completou.

Cuquinha também valorizou o esforço do elenco diante das dificuldades. O Santos utilizou sete Meninos da Vila ao longo do clássico: João Paulo, Kaio Jorge, Ivonei, Marcos Leonardo, Lucas Lourenço, Tailson e Wagner Leonardo.

“Nossa realidade é a final de domingo contra o Grêmio. Cada jogo é uma final. Se a gente se programar para depois, vamos perder parte do foco. Temos que somar pontos e estar na parte de cima, onde o Santos merece. Sabemos da dificuldade dentro e fora de campo, mas é trabalhar e enaltecer os meninos. Dedicação é algo bonito de ver, nunca falta. Se entregam, banco joga junto. Isso constrói 11 jogos de invencibilidade e quem sabe 12 ou 13 e assim por diante?”, concluiu o auxiliar.

Pituca vê bom clássico do Santos e diz: “Empate vai ajudar lá na frente”

Diego Pituca aprovou a atuação e valorizou o empate do Santos em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe teve nove desfalques: o técnico Cuca, Lucas Veríssimo, Marinho, Alison, Raniel, Carlos Sánchez, Soteldo, Arthur Gomes, Vladimir e Renyer.

“Entramos muito desfalcados, sim, mas quem entrou ajudou. Fizemos um bom jogo, sabíamos que seria difícil contra o Corinthians. Mas o empate vai nos ajudar lá na frente”, disse Pituca, ao Premiere.


Novorizontino 3 x 2 Santos

Data: 26/07/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 12ª rodada (última)
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Vinicius Furlan.
Auxiliares: Vitor Carmona Metestaine e Leonardo Tadeu Pedro.
Cartões amarelos: Adilson Goiano, Guilherme Queiroz e Nando (N); Anderson Ceará (S).
Cartão vermelho: Uribe (S) aos 06-2.
Gols: Marinho (16-1); Marinho (02-2), Cléo Silva (12-2), Guilherme Queiroz (17-2, de pênalti) e Batista (35-2).

NOVORIZONTINO
Oliveira; Lepu (Nandu), Bruno Aguiar, Adriano Mina e Reverson (Paulinho); Léo Baiano, Adilson Goiano (Bruno Soares) e Vinicius Kiss (Pereira); Guilherme Queiroz (Batista), Cléo Silva e Léo Santiago.
Técnico: Roberto Fonseca

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca (Anderson Ceará) e Jean Mota (Sandry); Marinho (Arthur Gomes), Soteldo (Tailson) e Uribe.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Santos é prejudicado pela arbitragem e sofre virada do Novorizontino

O Santos foi prejudicado pela arbitragem e empatou com o Novorizontino em 2 a 2 neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

Depois de abrir 2 a 0 com boa atuação, o Peixe teve Fernando Uribe expulso no começo do segundo tempo. O colombiano chegou forte no lance, por cima da bola, mas mal encostou no adversário. Era a chance do centroavante se firmar no elenco.

O Novorizontino diminuiu com Cléo e logo depois teve pênalti mal marcado pela arbitragem – o árbitro Vinicius Furlan viu mão, mas a bola bateu na barriga de Diego Pituca. Guiherme Queiroz converteu.

O Santos sentiu demais a expulsão, não se encontrou em campo e ainda sofreu a virada. Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

O Peixe enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final do Paulistão. O Novorizontino não tinha mais chance de classificação.

O jogo

O Santos dominou o primeiro tempo desde o minuto inicial. Com Jobson, a equipe melhorou a saída de bola e adiantou as linhas de marcação.

O Novorizontino, recuado, não ofereceu perigo a Vladimir. O Peixe, em compensação, fez 1 a 0 e poderia ter feito pelo menos mais dois.

Marinho abriu o placar, aos 16 minutos, em bonito chute de fora da área. Jobson e Uribe ficaram perto de ampliar antes do apito do árbitro.

O Santos não demorou a ampliar. Em contra-ataque perfeito, Soteldo clareou o lance, Uribe acionou Jean Mota e o meia rolou para Marinho empurrar ao gol vazio e marcar o segundo do Peixe e segundo dele na partida, aos dois minutos.

No minuto 6, porém, veio a ducha de água fria. Uribe entrou por cima e recebeu o cartão vermelho direto. É a terceira partida consecutiva com expulsão no Alvinegro: Jobson, Sánchez e agora Uribe na Arena Corinthians.

A expulsão mudou a partida. Aos 12 minutos, Cléo Silva recebeu livre pela direita e diminuiu. No minuto 17, o árbitro Vinicius Furlan marcou pênalti inexistente de Diego Pituca – a bola bateu na barriga. Guilherme Queiroz converteu e empatou.

O Santos não conseguiu se organizar, as alterações do técnico Jesualdo Ferreira não surtiram efeito e a virada veio. Aos 36, Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

Jesualdo lamenta expulsão de Uribe: “Santos fazia jogo muito bom”

O técnico Jesualdo Ferreira lamentou a expulsão de Fernando Uribe na derrota do Santos por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

O Peixe abriu 2 a 0 fazia boa partida, mas se perdeu depois do cartão vermelho para o centroavante. O segundo gol do Novorizontino saiu de pênalti inexistente.

“Não vou comentar muito de arbitragem, não está nos meus livros falar dessas coisas. Expulsão me pareceu exagerada e a bola não bateu na mão (de Diego Pituca). Mas não interessa. Santos tinha jogo muito bom, ganhando e jogando bem. Novorizontino tem time agressivo, foi feliz, jogou bem com um a mais. Segunda vez que isso acontece, também aconteceu aqui contra o Corinthians. Vamos ver se isso não continua nos próximos jogos, com 10 contra 11”, disse Jesualdo, ao Premiere.

O Santos teve Jobson expulso contra o São Paulo, Carlos Sánchez diante do Santo André e Uribe neste domingo. Nos três casos, o vermelho feio direto.

Jesualdo explica opção por Uribe, elogia Jean Mota e pede paciência com jovens do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira explicou a opção por Fernando Uribe na partida contra o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians. O Santos perdeu por 3 a 2, de virada.

Uribe foi titular, participou do segundo gol do Peixe e teve atuação regular até ser expulso no início da etapa final.

“Santos tem dois centroavantes. Temos que preparar os dois para os próximos jogos e futuro. No primeiro jogo, contra adversário fechado, Kaio (Jorge) também não teve muitas chances de ser importante, de acordo com sua capacidade. Tivemos muitos lances hoje, não pelo Kaio ou pelo Uribe, e não fizemos mais gols. Estamos no princípio depois da pausa, temos que trabalhar e valorizar os jogadores do atual elenco”, disse Jesualdo.

O treinador também elogiou Jean Mota, mantido após o interesse do Fortaleza, e pediu paciência com os jovens do Peixe.

“Jean Mota é muito especial, não tem posição física no campo. Não é meia nem atacante, também não vejo como 10. Quando equipe precisa de liberdade, alguém para ver jogo de frente com organização, pode ajudar. Bom chute e útil para elenco”, avaliou.

“Tem sido agradável verificar a evolução dos mais novos. Têm muita qualidade, mas é necessário ter paciência e tempo. Para serem melhores no futuro e importantes para o Santos”, concluiu.

Com a nona colocação geral, atrás de Bragantino, Palmeiras, São Paulo e Corinthians, o Santos enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final. A decisão ocorrerá na Vila Belmiro.

Capitão, Pará pede mais tranquilidade ao Santos após três expulsões: “Isso dificulta”

Capitão em função das ausências de Alison (poupado) e Carlos Sánchez (suspenso), Pará foi o capitão do Santos na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista.

O lateral-direito lamentou a terceira expulsão consecutiva. Depois de Jobson contra o São Paulo e Sánchez diante do Santo André, Uribe levou o vermelho direto neste domingo.

“Temos que ter mais tranquilidade. Terceiro jogo seguido com um a menos, isso dificulta. Fazíamos excelente jogo na minha opinião. Conseguimos fazer as jogadas treinadas, os gols. Estávamos tranquilos. Infelizmente aconteceu a expulsão, não sei se foi correta. Agora é tranquilidade, temos três dias para trabalhar. Enfrentaremos a Ponte Preta, é focar nossas forças para fazer um grande jogo e sairmos classificados”, disse Pará, ao Premiere.


Corinthians 2 x 0 Santos

Data: 02/02/2020, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: 40.669 pagantes (40.935 total)
Renda: R$ 2.355.356,04
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Daniel Paulo Ziolli.
Cartões amarelos: Janderson, Tiago Nunes e Cássio (C); Jobson (S).
Cartão vermelho: Janderson (C, 03-2)
Gols: Everaldo (01-1) e Janderson (01-2).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley; Camacho (Gabriel) e Cantillo; Everaldo (Mateus Vital), Luan (Lucas Piton) e Janderson; Boselli.
Técnico: Tiago Nunes

SANTOS
Everson; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson (Uribe), Diego Pituca e Sandry (Evandro); Kaio Jorge (Jean Mota), Eduardo Sasha e Raniel.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Corinthians joga bem e vence o Santos com gols de Everaldo e Janderson

Com um gol no inicio de cada tempo, o Corinthians venceu o Santos por 2 a 0, na manhã deste domingo, na Arena. Everaldo e Janderson balançaram as redes para o Timão, que voltou a vencer depois de dois tropeços no Campeonato Paulista. Os mandantes dominaram um frágil Peixe, que pouco conseguiu assustar, mesmo com o jogador a mais durante praticamente todo o segundo tempo.

Com a vitória, o Corinthians chegou aos sete pontos, alcançando a liderança do grupo D. Enquanto isso, o Santos estacionou nos sete pontos, ainda na primeira posição da chave A. O próximo compromisso do time é contra o Botafogo-SP, no dia 10, na segunda-feira, às 20h.

O jogo

O Corinthians pressionou o Santos desde o apito inicial e conseguiu abrir o placar antes mesmo do segundo minuto da partida. Cantillo fez bela inversão para Fagner, que trouxe para a esquerda e cruzou na área. A bola ficou oferecida para Everaldo, que dominou e chutou cruzado para vencer Everson. O atacante do Timão chorou na comemoração.

O Timão não diminuiu o ritmo e quase ampliou logo em seguida. Janderson desceu pela direita e cruzou na cabeça de Luan, que testou à direita do gol. Outro que perdeu grande chance para o Timão foi Sidcley. Outra vez Fagner apareceu bem pela direita e cruzou rasteiro até o lateral-esquerdo, que desperdiçou oportunidade incrível debaixo do gol.

O roteiro do início do segundo tempo foi igual ao da primeira metade. Antes do segundo minuto, Boselli recebeu a bola pela esquerda e lançou grande bola por cima da zaga até encontrar Janderson, que dominou e finalizou cruzado para ampliar. Na comemoração, o atacante subiu na plataforma que dá acesso à arquibancada para celebrar com a torcida. Como já tinha amarelo, recebeu o segundo cartão e foi expulso.

A primeira chance de perigo do Santos na partida veio em um escanteio. Pará bateu pela direita, Luan Peres cabeceou e a bola passou muito perto da trave. Mesmo com um a mais, o Peixe pouco conseguiu construir no ataque. O Corinthians voltou a levar perigo, dessa vez com Gabriel, que aproveitou sobra de bola dentro da área e finalizou rasteiro, exigindo defesa de Everson.

O Santos até chegou a balançar as redes com Uribe, mas o árbitro assinalou falta de Sasha em disputa com Fagner na origem da jogada. A partida terminou com o Corinthians controlando tranquilamente as ações defensivas.

Jesualdo mostra preocupação com intensidade do Santos e exalta marcação do Corinthians

Neste domingo, o Santos foi derrotado pelo Corinthians. Após o revés por 2 a 0, que marcou o fim da invencibilidade do Peixe no Campeonato Paulista, o técnico Jesualdo Ferreira concedeu entrevista coletiva na Arena em Itaquera e comentou a respeito de mais uma atuação discreta da sua equipe.

“Primeiro porque o Corinthians é uma boa equipe. Marcou o gol muito cedo e isso tem um peso muito grande, claro. Foram duas equipes que se encontraram em dois momentos diferentes. Sobre a intensidade, esse é um problema para a gente tratar internamente. Clássico é assim. Muito jogo ofensivo do Santos foi parado pela boa marcação do Corinthians”, comentou.

O comandante português ainda explicou o motivo pelo qual optou por escalar o Santos com três volantes.

“Minha intenção, em função do elenco, era aproveitar o melhor de cada um. Nós tivemos um dificuldade em um nível muito grande. Não se trata só dos três médios (Sandry, Diego Pituca e Jobson). Não houve nenhuma intenção que não fosse recuperar a bola no tempo certo e atacar”, destacou.

Com o resultado, o Santos está ameaçado na liderança do Grupo A. Isso porque a Ponte Preta, vice-líder, tem um ponto a menos que o Alvinegro Praiano e ainda não entrou em campo pela quarta rodada do Paulistão.

Everson elege ponto fraco do Santos na derrota para o Corinthians

Neste domingo, o Santos visitou o Corinthians e perdeu sua invencibilidade no Campeonato Paulista. Mesmo com os gols sofridos, Everson foi importante para garantir que a partida não terminasse com uma vantagem ainda maior para o Timão. Após a derrota, o goleiro elegeu o ponto fraco do Peixe durante o Clássico Alvinegro.

“Não suportamos a pressão. A gente sabia que o Corinthians pressionar bastante. Conseguiram fazer gol com um minutos e meio e isso dificultou todo o esquema tático na partida. Perder clássico é ruim, mas agora é levantar a cabeça e trabalhar para que no próximo a gente possa vencer”, comentou.

Mais uma vez, o técnico Jesualdo Ferreira não teve à disposição todos os atletas do elenco. Carlos Sánchez e Soteldo, dois dos principais jogadores, foram desfalques. Questionado a respeito do tema, o arqueiro minimizou.

“Não podemos encostar a cabeça ou colocar a desculpa que eles não jogaram. Temos um elenco, todos estão tendo oportunidades. Infelizmente não conseguimos fazer um bom jogo e agora é tirar um aprendizado desse clássico para que nos próximos não se repita os erros e possamos ganhar, porque é importante ganhar em clássicos”, destacou.

Raniel analisa derrota no Clássico Alvinegro: “Desestabilizou nossa equipe”

Depois de duas vitórias consecutivas, contra Guarani e Inter de Limeira, o Santos perdeu a sua invencibilidade no Campeonato Paulista diante do Corinthians. A equipe de Jesualdo Ferreira até teve mais posse de bola durante a segunda etapa do Clássico Alvinegro, mas pouco agrediu o Timão.

Após a derrota por 2 a 0, o atacante Raniel analisou a atuação do Santos.

“A gente sabe que aqui eles pressionam bastante, tem um bom ritmo de jogo, a gente tomou dois gols no início, querendo ou não, isso desestabiliza a nossa equipe. Infelizmente não foi o resultado que nós queríamos, mas agora é trabalhar e erguer a cabeça porque tem muita coisa pela frente”, destacou.

Com o resultado, o Santos está ameaçado na liderança do Grupo A. Isso porque a Ponte Preta, vice-líder, tem um ponto a menos que o Alvinegro Praiano e ainda não entrou em campo pela quarta rodada do Paulistão.

Luan Peres admite superioridade do Corinthians no Clássico Alvinegro

Apesar da derrota por 2 a 0 diante do Corinthians, o principal destaque do Santos foi Luan Peres. O zagueiro não só foi importante para dar consistência na saída de bola, como também evitou que o Timão fosse para o vestiário com uma vantagem ainda maior.

Em entrevista concedida na zona mista da Arena em Itaquera, o defensor admitiu que o rival foi merecedor do resultado.

“No primeiro tempo eles foram muito superiores a nós. Eles fizeram um a zero no começo, e isso foi total falta de atenção da nossa equipe. No segundo tempo tivemos mais posse de bola, mas era óbvio, estávamos com um jogador a mais, tínhamos que fazer isso”, comentou.

Questionado a respeito da escalação do técnico Jesualdo Ferreira, Luan Peres evitou polêmicas.

“O Jobson tem muita qualidade na saída. O Evandro também equilibra o meio campo e tem experiência e isso conta porque é clássico, mas as alterações foram opção do professor”, completou.

Everson defende trabalho de Jesualdo no Santos e comenta comparação com Sampaoli

Titular absoluto da meta do Santos, Everson sofreu dois gols na derrota do Peixe diante do Corinthians, mas foi importante para evitar que o placar fosse ainda mais elástico. O revés marcou a primeira derrota de Jesualdo Ferreira, que vem sendo criticado por alguns torcedores.

Em entrevista concedida na zona mista da Arena em Itaquera, o arqueiro saiu em defesa do treinador e projetou uma semana importante para o elenco assimilar suas ideias. Isso porque o Alvinegro Praiano só volta a campo na outra segunda-feira, às 20 horas (de Brasília), contra o Botafogo-SP.

“A próxima semana será muito importante para nós, porque teremos toda a semana para trabalhar, entender cada vez mais as ideias do professor Jesualdo e reproduzir nos jogos. As ideias dele são atuais, ele tem uma comissão técnica qualificada, todos os auxiliares dele também tem ideais novas de futebol. Só hoje que não conseguimos impor nossa metodologia de hoje, mas o trabalho dele é muito bom”.

Na noite em que Jesualdo conquistou a sua primeira vitória à frente do Santos, o treinador se incomodou quando foi comparado ao ex-comandante do Peixe, Jorge Sampaoli. Assunto esse que também foi abordado com o goleiro.

“Isso pode irritar ele, mas é impossível evitar. Foi um ano bom que nós tivemos, mas isso vem mais de vocês. Para nós jogadores não incomoda. Nós somos profissionais, tentamos nos adaptar o mais rápido possível à uma filosofia nova”, comentou.

Jesualdo explica ausências de Soteldo e Sánchez contra o Corinthians

A primeira derrota de Jesualdo Ferreira no comando do Santos foi justamente contra o Corinthians, neste domingo, na Arena em Itaquera. Como tem sido desde a sua chegada, o treinador português novamente não pôde contar com todos os atletas à sua disposição.

Após o revés, Jesualdo falou a respeito das ausências de dois dos seus principais destaques da equipe, Carlos Sánchez e Soteldo.

“Soteldo voltou recentemente da disputa do Pré-Olímpico e disse que estava muito cansado, que não tinha condições de jogar. Por conta disso, falei para ele ir descansar. Há momentos que é muito melhor preservar o jogador, que pode sofrer com uma lesão grave. Com o Sánchez foi a mesma coisa. A vida do clube não acabou hoje. Isso é futebol. Futebol também é relacionamento, conversa e entendimento”, comentou.

Sob a visão de Jesualdo, a condição física dos jogadores do Santos deve melhorar com o passar do tempo.

“Temos praticamente três semanas. Quando jogamos, também é parte do trabalho físico e tático da equipe. O trabalho que estamos fazendo não é para agora, é pensando na Libertadores e outras competições. Nesta semana cheia vamos focar na questão física, além da questão tática. Também vamos trabalhar o emocional e a confiança”, completou.


Corinthians 0 x 0 Santos

Data: 26/10/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 28ª rodada
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: 32.142 pagantes (32.416 total).
Renda: R$ 1.518.582,30
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
AUxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis (SP).
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Mauro Boselli e Gil (C); Jobson (S).

CORINTHIANS
Cássio; Michel, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf e Júnior Urso (Sornoza); Pedrinho, Mateus Vital (Janderson) e Vagner Love; Boselli (Gustavo).
Técnico interino: Leandro Silva (Cuca)

SANTOS
Everson, Pará, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca (Jobson), Evandro e Jean Mota; Tailson (Marinho), Soteldo (Felipe Jonatan) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Corinthians e Santos ficam no zero em clássico fraco na Arena

Corinthians e Santos fizeram um clássico na tarde desse sábado que nem de longe lembrou os tempos áureos do duelo paulista alvinegro. O empate por 0 a 0 não foi bom para nenhuma das equipes, mas representou bem o que se viu em campo, na Arena de Itaquera, no duelo válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe foi quem esteve mais perto do tão esperado gol. Soteldo acertou a trave e Marinho exigiu boa defesa de Cássio, ambas as tentativas em finalizações de média distância. Felipe Jonatan ainda chutou para fora uma oportunidade incrível nos acréscimos.

O Corinthians repetiu os velhos problemas. Teve pouco a bola, mal incomodou o goleiro adversário e sofreu coletivamente para criar qualquer coisa no ataque. Uma cobrança de falta de Sornoza e um chute de Love, já na parte final, foi tudo que os mandantes conseguiram na busca pelo gol.

Nem os desfalques de Lucas Veríssimo, Bruno Méndez e Fagner justificam o futebol apresentando por Corinthians e Santos.

Fábio Carille não pôde sequer ficar no banco de reservas em função de uma suspensão automática, o que não livra a barra do técnico corintiano, que teve toda a semana livre para tentar acabar com o jejum de vitórias do time. Em vão. Agora, são seis jogos em sequência sem sair de campo com os três pontos.

O resultado é pior ao Corinthians, que pode assistir o São Paulo abrir vantagem e ainda foi ultrapassado pelo Internacional, que venceu o Bahia. O Timão está fora do G4, com 45 pontos. Já o Peixe tem 52, confortável na terceira posição, mas com a chance desperdiçada de colar no Palmeiras.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli elogia Santos no clássico e justifica Sanchez na reserva

Com o uruguaio Carlos Sanchez na reserva, o Santos empatou com o Corinthians por 0 a 0 na tarde deste sábado, pelo Campeonato Brasileiro. O técnico Jorge Sampaoli, elogioso em relação ao desempenho de sua equipe em Itaquera, justificou a presença do experiente meio-campista no banco.

“Seria importante falar dos que atuaram. Jogaram atletas que se encaixavam muito a esse jogo. O Santos disputou uma grande partida e teve o controle. Precisávamos de jogadores de mais controle. Quando atuamos de outra forma, com atletas como o Carlos, que, em alguns momentos, acaba acelerando muito, iríamos ir e voltar”, disse.

Durante a partida, Jorge Sampaoli trocou Diego Pituca, Tailson e Soteldo por Jobson, Marinho e Felipe Jonatan – o primeiro saiu por entorse no tornozelo esquerdo. Assim, Carlos Sanchez acabou sem entrar em campo no clássico contra o Corinthians.

“A ideia era ter controle com Jean Mota e Evandro. Por isso, decidimos essa característica. Para dominar o jogo, como dominamos e, através do domínio, gerar situações. Sabemos da importância do Carlos. Não é que você desvaloriza (o atleta), mas sim valoriza o plano do jogo, de imposição e que se viu refletido no campo”, disse Sampaoli.

O Santos foi quem esteve mais perto de movimentar o marcador. Soteldo acertou a trave e Marinho exigiu boa defesa de Cássio, ambas em finalizações de média distância. Felipe Jonatan ainda chutou para fora uma oportunidade incrível já nos acréscimos da partida.

“Foi um dos melhores jogos do Santos como visitante no ano. Contra um time grande, fora de casa, com toda a torcida e se impôs do começo ao fim”, disse Sampaoli. “Carecemos um pouco do gol. Se não, com certeza, teríamos vencido. Mas a intenção do jogo tem a ver com dominar e foi isso que o time fez”, completou.

Marinho parabeniza Cássio por defesa e vê Santos ainda na luta

O atacante Marinho teve uma das principais chances no clássico entre Corinthians e Santos, encerrado com empate sem gols em Itaquera. Após a partida disputada na tarde deste sábado, o jogador parabenizou o goleiro Cássio e disse que seu time segue em busca do Campeonato Brasileiro, apesar da vantagem do Flamengo.

Colocado no lugar de Tailson no segundo tempo, Marinho bateu de fora da área e viu Cássio espalmar de mão trocada. O Santos esteve mais perto de inaugurar o marcador e também levou perigo ao gol corintiano por meio de Soteldo, que chegou a acertar a trave.

“Achei que seria gol. Uma batida daquela diferente, mas a gente sabe que tem um grande goleiro do outro lado e fez uma boa defesa. Achei que não fosse chegar, mas, pela envergadura… É muito rápido também nessas bolas. Parabéns para ele”, disse Marinho ao Premiere, sobre Cássio.

Com 52 pontos ganhos, o Santos permanece instalado na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo (64) e Palmeiras (54). Neste domingo, ainda pela 28ª rodada, o time rubro-negro recebe o CSA e a equipe alviverde pega o Avaí, o que pode aumentar a desvantagem do concorrente praiano.

Com mais 10 jogos por fazer no Campeonato Brasileiro, Marinho evita jogar a toalha. “A gente continua na luta, buscando ainda. Sabemos que o Flamengo está muito à frente, mas continuamos lutando, porque isso aqui é Santos”, declarou o atacante, otimista.

Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos entra em campo para encarar o Bahia às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio da Vila Belmiro. Dirigido por Roger Machado, o time de Salvador faz boa campanha e briga por uma vaga no G6.

Sampaoli deixa futuro em aberto no Santos: “Se não for útil, não estarei”

O técnico Jorge Sampaoli falou sobre seu próprio futuro após o jogo contra o Corinthians, encerrado com empate sem gols na tarde de sábado, pelo Campeonato Brasileiro. O argentino se disse satisfeito em Santos, mas aparentou certo incômodo pela falta de planejamento sobre 2020 e deixou no ar a possibilidade de sair.

“Na verdade, não conversei com o presidente sobre minha continuidade ou não. O presidente fala que o time no ano que vem tem que ser campeão, mas também fala que precisa diminuir o orçamento, porque o clube vai ter inconvenientes econômicos. Ainda não tenho claro”, disse Sampaoli, em Itaquera.

“Preciso ter claro o que clube quer fazer no próximo ano, o que quer fazer comigo, um planejamento com tempo. Se puder ser útil ao Santos no projeto que vem, estarei. Se não puder ser útil no que o clube quer fazer, não estarei”, esclareceu o treinador.

Jorge Sampaoli assumiu o comando do Santos após uma passagem turbulenta pela seleção argentina, encerrada com a Copa do Mundo da Rússia 2018. Atualmente, o time dirigido pelo treinador estrangeiro tem 52 pontos e figura no terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo e Palmeiras.

“Estou encantando com o lugar que tenho e com a cidade. Mas o Santos merece brigar pelo campeonato e, para isso, precisa do planejamento adequado que neste ano não teve. Devemos gerar um projeto promissor e contagiante, com uma ordem adequada”, disse Sampaoli, que ouviu de Paulo Autuori sobre as “dificuldades” esperadas para 2020.

“Tenho contrato por dois anos. Estou a cada partida animado por ver o Santos atuar como fez aqui, com os jogadores que temos. Depois, quando haja alguma reunião sobre o futuro, eu contarei. Mas, até agora, não existe nenhuma reunião comigo do presidente sobre o futuro”, reiterou.

Sampaoli cita Rodrygo e manifesta preocupação com lado financeiro

No dia em que empatou contra o Corinthians, além de falar sobre seu futuro no Santos, o técnico Jorge Sampaoli deixou transparecer preocupação com lado financeiro do clube para 2020. Ao comentar o assunto, ele lembrou a negociação do jovem Rodrygo com o Real Madrid.

“Não esqueçam que, nesse ano, o time teve a venda do Rodrygo e, no ano que vem, não terá. Economicamente, desconheço a situação do clube para ver quem terá que sair, quem terá que chegar e quanto se pode gastar. Não falei diretamente com o presidente para saber realmente o que ele vai fazer no próximo ano”, afirmou.

Contratado pelo Santos após passagem turbulenta pela seleção argentina, encerrada na Copa do Mundo da Rússia 2018, Sampaoli se disse satisfeito na cidade. Por outro lado, reiterou que ainda não teve um encontro com o presidente José Carlos Peres para planejar a próxima temporada e deixou seu futuro em aberto.

“Precisa corrigir um monte de erros desse ano e ver como aproveitar o dinheiro que o clube tem para enfrentar o ano que vem. Se não puder trazer ninguém e, ainda por cima, tiver que vender… Por isso, desconheço a realidade e não posso ficar falando de hipóteses”, afirmou.

Atualmente, o Santos tem 52 pontos e figura no terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo e Palmeiras. Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time dirigido por Jorge Sampaoli entra em campo para encarar o Bahia às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio da Vila Belmiro.

“Com o plantel que temos, estou feliz com o que fizemos neste ano. É minha primeira experiência no Brasil, não é fácil para um treinador argentino. Em quase 10 meses, consegui que o time jogue de uma determinada forma. Estou em uma cidade que me respeita muito, mas há que analisar muito bem o plantel”, ponderou.


Corinthians 2 x 1 Santos

Data: 31/03/2019, domingo, 16h00.
Competição Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de ida
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: 39.919 pagantes
Renda: R$ 2.467.185,50
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo.
VAR: Rodrigo Guarizo, auxiliado por Fabrício de Moura e Thiago Peixoto.
Cartões amarelos: Sornoza (C) e Alison (S).
Gols: Manoel (03-1), Derlis González (07-1) e Clayson (31-1).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso e Sornoza (Richard); Vagner Love (Pedrinho), Clayson (Mateus Vital) e Gustagol.
Técnico: Fábio Carille

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar (Lucas Veríssimo), Luiz Felipe e Felipe Jonathan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Soteldo) e Jean Mota; Cueva (Rodrygo) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli



Corinthians aproveita melhor as falhas e sai na frente do Santos na Arena

O Corinthians foi melhor em um jogo de falhas individuais na tarde deste domingo, na Arena, contra o Santos, pela partida de ida da semifinal do Campeonato Paulista. Contando com um gol de Manoel e outro de Clayson, o time do Parque São Jorge só não teve uma vantagem maior porque Cássio saiu muito mal do gol no lance em que Derlis anotou o gol solitário dos visitantes. A disputa segue bastante aberta.

A decisão será apenas na segunda-feira, dia 8 de abril, no estádio do Pacaembu. Como a Vila Belmiro está em reforma, o Peixe escolheu o estádio municipal paulistano para exercer o seu mando e vai precisar de uma vitória por um gol de diferença para levar aos pênaltis. Dois gols de diferença ou mais dão a vaga ao time da Baixada, enquanto o Timão joga por todos os outros resultados.

Ambos os times têm compromissos no meio da semana, porém. Os comandados de Fábio Carille seguem em uma sequência caseira e encaram a volta da terceira fase da Copa do Brasil, frente ao Ceará, na quarta-feira, na Arena. Um dia depois, Sampaoli e seu elenco visitam o Atlético-GO, pela ida da terceira fase da mesma competição.

O jogo

O jogo poderia ter começado praticamente 1 a 0 para o Corinthians, mas o ritmo foi tão alucinante que o 1 a 1 já estava no placar aos sete minutos da etapa inicial. O primeiro gol saiu em cruzamento de Sornoza, batendo falta pelo lado esquerdo do ataque, que achou Manoel livre entre os zagueiros. O desvio foi leve, mas o suficiente para superar Vanderlei, que mal se mexeu. Sem encostar na bola, porém, o Timão viu o Peixe ganhar escanteio, Jean Mota bater e Cássio falhar feio, espalmando para Derlis cabecear ao gol vazio.

O empate tirou o que poderia ser um ritmo avassalador do Timão, aproveitando a empolgação da torcida. Até os 30 minutos, apenas um chute forte de Jean Mota e uma cabeçada torta de Henrique foram lances de perigo. Em um lance sem grande esforços dos corintianos, porém, Luiz Felipe afastou mal a bola em duas oportunidades e deixou Clayson no mano a mano com Victor Ferraz. Mérito do corintiano de cortar para dentro e acertar um chute rasteiro, sem chances para Vanderlei.

O gol animou os donos da casa, que tentaram aproveitar para ampliar a vantagem antes do intervalo. Em outro bom lance de Clayson, o atacante limpou dois adversários e cruzou na área, a zaga afastou e Fagner chutou para o que seria o terceiro gol. Vanderlei, porém, já havia aberto mão de fazer a defesa para socorrer Felipe Aguilar, desacordado após choque com Danilo Avelar. O processo teve até entrada de ambulância no gramado para retirada do atleta, esfriando o ânimo até o fim da primeira etapa.

O segundo tempo da partida prometia um outro duelo com alta intensidade, mas, em vez da bola jogada por baixo, a etapa final mostrou um jogo muito mais físico. Sampaoli, que optou pela entrada de Rodrygo na vaga de Cueva, viu seu time sofrer para impor o seu ritmo de marcação. Sem trocar passes, o Timão apostou na ligação direta para Gustagol e Vagner Love, normalmente no mano a mano com os zagueiros.

A estratégia deu certo durante cerca de meia hora, com os atacantes levando vantagem sempre que a bola chegava no ataque, mas pecando na hora da finalização. Love chutou uma vez por cima do gol. Depois, Clayson tentou de bicicleta, Vanderlei espalmou e conseguiu afastar no limite antes de Love concluir. O domínio permaneceu até as substituições de Carille, que mandou a campo Pedrinho, Richard e Vital.

Com jogadores mais leves, o Peixe viu seu espaço aumentar e o Corinthians recuar. Soteldo entrou para dar mais velocidade e o Peixe pressionou nos minutos finais, com escanteios e seguidas bolas alçadas na área. Rodrygo, em bom lance, quase achou Derlis no meio da área, mas Cássio assegurou o triunfo corintiano.

Santos tem maior posse, mas falha nos arremates contra Corinthians eficiente

O Santos teve um domínio enganoso no clássico deste domingo contra o Corinthians, na derrota da primeira semifinal do Campeonato Paulista. No quesito posse de bola, foi superior, com 61,1% contra 39,9% do adversário. Mas o Peixe falhou muito nas finalizações e encontrou um adversário extremamente concentrado e eficiente em Itaquera.

O Corinthians foi mais vertical na partida. Finalizou mais, foram oito chutes e acertou cinco na direção da meta do goleiro Vanderlei – um aproveitamento de 62,5%. Marcou dois gols, que lhe dão uma vantagem para o compromisso de volta no Pacaembu. Clayson foi o destaque: além do gol, acertou mais um arremate na direção do gol adversário.

O Santos, por sua vez, teve sete finalizações na partida deste domingo. E acertou apenas um, justamente o gol do atacante Derlis González. Jean Mota, grande destaque santista no Estadual, tentou duas vezes, mas desperdiçou as chances. O meia-atacante não estava inspirado no confronto.

Sampaoli reconhece superioridade do Corinthians sobre o Santos

O Santos acabou derrotado por 2 a 1 no primeiro jogo pela semifinal do Campeonato Paulista, disputado na tarde deste domingo. Sem fazer rodeios nem usar termos rebuscados, o técnico Jorge Sampaoli reconheceu a superioridade do Corinthians durante o confronto em Itaquera.

“O jogo correu como o Corinthians quis e não como nós queríamos. Não encontramos o jogo que estamos acostumados e jogamos como o adversário quis. Não fizemos uma boa partida e, agora, precisamos nos preparar para o que vem”, disse Sampaoli.

Logo no começo da partida, após cruzamento de Sornoza, Manoel marcou de cabeça. Pouco depois, Derlis aproveitou falha de Cássio para empatar. Ainda no primeiro tempo, Luiz Felipe vacilou feio e Clayson anotou o gol que garantiu a vitória corintiana.

“Houve méritos do adversário. Reitero que a chave na análise do jogo é que o Corinthians jogou como quis: prevaleceu, ganhou muito bem e nos neutralizou. Não nos sufocou, mas incomodou e não tivemos resposta. Mérito do rival e incapacidade nossa para gerar ataques”, declarou Sampaoli.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Corinthians está marcado para as 20 horas (de Brasília) da próxima segunda-feira, no Estádio do Pacaembu. Empate beneficia o time paulistano, enquanto triunfo por um gol da equipe praiana leva a decisão aos pênaltis.

“Temos que trabalhar muito para conseguir surpreender um time que se defende com bastante gente. Eles se multiplicam para defender e precisamos de outras variações para atacar”, disse Sampaoli, que pega o Atlético-GO às 19h15 (de Brasília) de quinta-feira, fora de casa.

Substituto de Aguilar, Veríssimo projeta virada sobre o Corinthians

Escolhido pelo técnico Jorge Sampaoli para substituir Felipe Aguilar, Lucas Veríssimo assegura que a saída do colombiano não influenciou no rendimento do Santos diante do Corinthians. O defensor, derrotado em Itaquera neste domingo, manifestou confiança na virada com o mando de campo.

Após choque de cabeça com Danilo Avelar, Aguilar caiu no gramado e chegou a ficar desacordado, causando preocupação entre os jogadores. Sem condições de seguir, o colombiano deixou o campo de ambulância e acabou substituído por Veríssimo já nos acréscimos do primeiro tempo, com o placar em 2 a 1 para o Corinthians.

“Infelizmente, foi uma fatalidade e espero que ele esteja bem. Estávamos até procurando informações. Mas acredito que isso não tenha influenciado. Treinei na equipe titular durante a semana. Então, foi uma mudança que acabou acontecendo, mas nosso time se comportou bem”, declarou Veríssimo.

Avaliado por neurologista no Hospital Sírio Libanês, Aguilar passou por tomografia e não teve qualquer alteração clinica detectada. O defensor passa a noite internado e será reavaliado na manhã desta segunda para possível alta após realização de nova tomografia.

Durante o segundo tempo, com Lucas Veríssimo em campo, o Santos não conseguiu assustar o Corinthians. “Está aberto, mas era um jogo em que a gente podia dar mais. Vamos atuar dentro de casa agora e, se Deus quiser, fazer uma boa partida para sair com a vitória e a classificação”, projetou o zagueiro.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Corinthians está marcado para as 20 horas (de Brasília) da próxima segunda-feira, no Estádio do Pacaembu. Empate beneficia o time paulistano, enquanto triunfo por um gol da equipe praiana leva a decisão aos pênaltis.