Navegando Posts marcados como Copa Libertadores

San Lorenzo 1 x 3 Santos

Data: 06/04/2021, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – 3ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio El Nuevo Gasometro, em Buenos Aires, Argentina.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL).
Auxiliares: Miguel Roldán e Sabastián Vela (ambos da COL).
Cartões amarelos: Diego Rodríguez (SL).
Gols: Lucas Braga (06-1), Ángel Romero (26-2) e Marinho (45-1, de pênalti); Ângelo (49-2).

SAN LORENZO (ARG)
Devecchi; Andrés Herrera, Alejandro Donatti, Braghieri, Bruno Pittón; Palacios (Óscar Romero), Diego Rodríguez (Elías), Juan Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Franco Troyansky (Nicolás Fernández).
Técnico: Diego Dabove

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Pirani (Soteldo); Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos jogou bem e venceu o San Lorenzo por 3 a 1, no Estádio El Nuevo Gasometro, na partida de ida da terceira fase da Libertadores. O Peixe marcou dois gols na primeira etapa, com Lucas Braga e Marinho, de pênalti. No segundo tempo, os mandantes diminuiu com Ángel Romero, ex-Corinthians. Na reta final, Ângelo fez o terceiro para os brasileiros.

O time comandado por Ariel Holan teve um excelente início na Argentina, avançando o bloco de marcação e conseguindo abrir o placar logo aos seis minutos. Sendo consistente na defesa, o Santos não passou sufoco na defesa e ainda conseguiu ampliar com Marinho batendo pênalti.

Na etapa final o Santos teve uma queda de rendimento e perdeu o controle do jogo. Além de diminuir a produção ofensiva, os comandados de Holan viram Romero diminuir o placar. Apesar disso, o time mostrou concentração nos minutos finais e segurou o triunfo na Argentina, marcando o terceiro com Ângelo no fim.

As duas equipes voltam a se enfrentar na terça-feira da semana que vem, às 21h30, no Mané Garrincha. O Peixe avança para a fase de grupos com uma vitória, um empate ou uma derrota por um gol de diferença.

O jogo:

Elétrico, o Santos tomou conta das ações ofensivas dos primeiros minutos. Em duas oportunidades, o time recuperou a bola e encontrou Marcos Leonardo, que não conseguiu finalizar as jogadas. Já aos seis minutos, Luan Peres roubou a bola no meio-campo e soltou para Lucas Braga pela esquerda. O jogador balançou para cima da marcação, trouxe para dentro e acertou um belo chute para abrir o placar.

Após marcar o gol, o Peixe diminuiu o ímpeto ofensivo, mas conseguiu segurar a vantagem. A primeira chegada do San Lorenzo veio apenas aos 32 minutos, com Pittón pegando sobra dentro da área e finalizando para fora. Na sequência, Troyansky recebeu cruzamento da direita e testou muito próximo da trave.

Aos 44 minutos, Pirani recebeu na intermediária e fez belo lançamento para Marcos Leonardo. O atacante foi derrubado pelo goleiro do San Lorenzo, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Marinho mandou no canto alto direito e ampliou o placar.

No retorno do vestiário, foi o Santos que teve a primeira oportunidade no ataque. Pará avançou pela direita e cruzou na medida para Lucas Braga, que cabeceou e exigiu defesa de Devecchi. Em seguida, o San Lorenzo respondeu com Pittón de cabeça, parando e João Paulo, e Ramírez finalizando de fora da área à esquerda.

Aos 26 minutos, o time argentino conseguiu diminuir o placar. Fernández avançou pela direita, cruzou e encontrou Ángel Romero na área, após Pará não conseguir cortar a bola. O ex-jogador do Corinthians dominou e finalizou no canto para marcar.

Além de segurar a vitória, o Santos marcou o seu terceiro gol. Primeiro, Soteldo arriscou de fora da área e Devecchi espalmou para o lado. No rebote, Ângelo cortou para dentro, chutou e viu o goleiro do San Lorenzo deixar a bola escapar, passando rente à trave. No último lance, o garoto de 16 anos aproveitou nova rebatida de Devecchi e apenas empurrou para as redes, sacramentando a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Holan diz que Santos fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada

O Santos deu um grande passou em busca da classificação para a fase de grupos da Libertadores ao vencer o San Lorenzo por 3 a 1, na Argentina. Após o apito final, Ariel Holan analisou o desempenho da equipe e disse que o Peixe fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada. No primeiro tempo, o Peixe abriu dois gols de vantagem, com tentos de Lucas Braga e Marinho, de pênalti.

“Eu acho que a equipe fez uma boa partida, mas o San Lorenzo é um bom time. Tem excelentes jogadores e, como mandante, é um time muito complicado. Eu valorizo muito a vitória, mas ainda temos um jogo, espero que possamos repetir em Brasília o bom jogo que fizemos hoje”, afirmou Holan.

“Sim (foram os melhores 45 minutos), mas recém começamos. Creio que, pelo tamanho do San Lorenzo, foram os nossos melhores momentos desde que assumi o time”, completou.

Holan também comentou sobre a confusão no gol marcado pelo San Lorenzo, visto que a defesa do Santos mostrou uma desorganização pontual no lance.

“Foi uma jogada estranha, porque o Felipe Jonatan sentiu uma dor na perna, e pensamos que ele havia falado para fazer a substituição. Neste momento, o árbitro reiniciou rápido e estávamos mal posicionados. Foi uma pena, porque até aquele momento o time estava jogando muito bem. Creio que, com muito amor próprio, o San Lorenzo conseguiu avançar, mas também conseguimos contra-golpear. Por sorte, fizemos diferença desta forma”, analisou o treinador.

No fim da coletiva, Holan pediu a palavra e mandou um recado especial para Sandry, que teve o rompimento do ligamento cruzado do joelho direito constatado nos últimos dias e permanecerá, no mínimo, seis meses longe dos gramados.

“Só queria mandar um abraço ao Sandry. Infelizmente, é muito jovem e teve esta infelicidade da lesão no ligamento cruzado, mando a ele um forte abraço”, finalizou.

Após treinos em Atibaia, Holan vê Santos em evolução e no caminho certo

Jogando um futebol convincente durante considerável parte da partida, o Santos derrotou o San Lorenzo por 3 a 1 e deu um importante passo rumo à fase de grupos da Libertadores. O bom desempenho do time em campo coincide com a primeira apresentação da equipe após um longo período de treinos.

Sem poder treinar na cidade de Santos, o Peixe foi para Atibaia e realizou sua preparação para o duelo da Libertadores no Hotel Bourbon. Durante quase duas semanas, Ariel Holan pôde implementar detalhes do seu modelo de jogo com mais paciência, a partir de muitas repetições nas atividades.

Após o jogo na Argentina, o técnico do Santos avaliou positivamente a atuação da equipe no Estádio El Nuevo Gasometro, elogiando a postura dos jogadores em campo.

“Valorizo muito que o time quis permanentemente jogar, mesmo com a pressão do San Lorenzo. Para mim, isso é muito importante, porque temos que seguir jogando desta maneira, melhorando jogo após jogo”, afirmou o técnico.

Antes da sequência em Atibaia, Holan não havia tido uma semana livre para treinar o Santos. Até o momento, o técnico esteve a beira do campo em cinco partidas da equipe, com três vitórias, um empate e uma derrota.

Lucas Braga corresponde, e Holan ganha boa dor de cabeça no Santos

Marcando três gols no San Lorenzo fora de casa, o Santos deu um importante passo em busca da vaga na fase de grupos da Libertadores. Jogando pela esquerda, Lucas Braga foi a aposta de Ariel Holan para o ataque e não decepcionou, marcando o primeiro gol do Peixe na partida.

Com um Santos postado para recuperar a bola e acelerar, Lucas Braga foi uma importante válvula de escape pelo lado do campo. Correspondendo no jogo decisivo, o atacante plantou uma boa dor de cabeça no treinador argentino.

Isso porque Holan tem diversas opções para montar o setor ofensivo do time para a sequência da temporada. O único titular absoluto é Marinho, que voltou de lesão no joelho esquerdo e atuou contra o San Lorenzo pela primeira vez em mais de dois meses.

Soteldo, que é uma importante peça da equipe, não foi escalado por ter ficado de fora das semanas de treino em Atibaia, devido ao problema logístico na Venezuela. Uma alternativa seria escalar o venezuelano por dentro, como um meia, função essa que já foi exercida pelo camisa 10 anteriormente.

Outro nome que pede cada vez mais espaço é Ângelo. O atacante de 16 anos, que se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores, pode encontrar dificuldade no início por jogar prioritariamente pela direita, setor ocupado por Marinho.

Caso queira tornar o time mais móvel, Holan pode escalar o Peixe sem uma referência no ataque, como Kaio Jorge e Marcos Leonardo. Nesse cenário, Marinho, Soteldo, Lucas Braga e Ângelo disputariam as três vagas da frente.

Lucas Braga acredita que os dias de treino facilitaram a implantação do modelo de Holan

Autor do primeiro gol da vitória do Santos, Lucas Braga concedeu entrevista coletiva após a vitória sobre o San Lorenzo. O jogador avaliou positivamente as semanas de treino do Peixe em Atibaia, dizendo que foram importantes para que Ariel Holan implementasse de maneira mais efetiva as duas ideias.

“Como a gente teve um tempo bacana para trabalhar, isso nos ajudou bastante a colocar em prática. Claro que ainda falta um pouco de ritmo de jogo para todos nós, mas isso vem naturalmente”, afirmou o atacante.

Lucas Braga ainda comentou sobre os méritos do Santos na importante vitória sobre o San Lorenzo na Argentina.

“A gente colocou em prática aquilo que o professor nos pediu: a calma para jogar e a posse de bola, os gols saíram naturalmente. Quando a gente manteve a postura em campo, facilitou para nós”, disse o jogador.

Ângelo se torna o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores

Nesta terça-feira, Ângelo quebrou um recorde ao balançar as redes na vitória sobre o San Lorenzo: o atacante se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol pela Libertadores, com 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

Ângelo saiu do banco de reservas já na reta final da partida, substituindo Marinho. Na primeira tentativa, parou em defesa do goleiro do San Lorenzo. No entanto, já nos acréscimos, aproveitou o rebote de Devecchi e marcou o gol histórico.

Ângelo fez o seu primeiro jogo como profissional do Santos quando tinha apenas 15 anos, no Brasileirão do ano passado, contra o Fluminense. Desde então, o jogador disputou 15 partidas, marcando o seu primeiro gol pelo time principal nesta terça.

Ariel Holan parabeniza Ângelo por feito histórico: “Muito orgulho”

A vitória do Santos por 3 a 1 sobre o San Lorenzo, na Argentina, pelo jogo de ida da terceira fase da Libertadores, ficou marcada, principalmente, pelo feito histórico do atacante Ângelo. O garoto se tornou o jogador mais jovem a marcar no torneio, com apenas 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

E o acontecimento rendeu elogios do técnico Ariel Holan. Em suas redes sociais, o comandante argentino parabenizou o atleta e afirmou estar muito orgulhoso.

“Parabéns Ângelo, jogador mais jovem a marcar na Libertadores. Muito orgulho!!!”, comentou o treinador.

Ângelo, por sua vez, agradeceu o treinador: “Obrigado professor, vamos por mais!!!”.


Deportivo Lara 1 x 1 Santos

Data: 16/03/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – 2ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio Olímpico de La UCV, em Caracas, Venezuela.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Victor Carillo (PER).
Cartões amarelos: Meleán e Anzola (DL); Jean Mota e Sandry (S).
Gols: Soteldo (36-1); Anzola (16-2).

DEPORTIVO LARA (VEN)
Curiel; España, Anzola, Rodríguez e Sifontes; Meleán (Castillo), Bueno e Segovia; Castellanos (Castillo), Gómez e Sánchez (Salazar).
Técnico: Martín Brignani

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry (Gabriel Pirani) e Jean Mota (Vinicius Balieiro); Ângelo (Lucas Braga), Soteldo e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos leva susto em empate com o Deportivo Lara, mas avança na Libertadores

O Santos empatou com o Deportivo Lara (VEN) por 1 a 1 na noite desta terça-feira, em Caracas, e avançou na Pré-Libertadores. O gol do Peixe foi marcado por Soteldo e Anzola empatou. Na Vila Belmiro, o Alvinegro levou a melhor, com um 2 a 1 no placar.

O Santos foi melhor durante quase todo o tempo, mas levou um susto, novamente na bola aérea defensiva. Nos minutos finais, o Peixe conseguiu administrar o resultado para se classificar e até ficou perto do segundo gol.

O Alvinegro está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Santos já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

O jogo

O Santos foi amplamente superior ao Deportivo Lara no primeiro tempo, mas não construiu a posse de bola em 70% em oportunidades claras de gol.

Sem sofrer na defesa e bem organizado em campo, o Peixe precisou da individualidade de Soteldo para abrir o placar. O camisa 10 acertou o ângulo em cobrança de falta perfeita aos 36 minutos.

Aos 41, o goleiro João Paulo saiu mal do gol e Rodríguez não aproveitou. No minuto 45, Soteldo cruzou e Marcos Leonardo furou.

O Santos continuou melhor na etapa final. Logo aos oito minutos, Soteldo tabelou com Felipe Jonatan e passou para Ângelo, que ficou perto de ampliar para os visitantes.

O Peixe seguiu no campo de ataque e parecia tranquilo, até que o fantasma do jogo aéreo voltou a aparecer. Aos 16 minutos, España desviou cruzamento e Anzola empatou.

O Lara se lançou ao ataque, abusou dos cruzamentos e não conseguiu virar. Foi o Santos quem esteve mais perto do gol nos minutos finais. O Peixe superou o susto e avançou na Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Holan revela problema de última hora e valoriza classificação: “Santos tinha toda a pressão”

Ariel Holan revelou que o Santos teve um problema de última hora antes do empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela partida de volta da segunda fase da Pré-Libertadores.

O elenco sentiu um problema estomacal no horário do almoço nessa terça, mas não teve nenhum desfalque. O Peixe fez um bom primeiro tempo e abriu o placar com Soteldo, mas levou o gol de Anzola novamente no jogo aéreo e correu risco até o fim.

“Libertadores é difícil. Santos tinha toda a pressão, Lara ia por um jogo histórico, deixar o finalista fora. Para nós toda a pressão para gerir. Tratamos de jogar como gostamos, com a posse. Mas como disse anteriormente, faltou profundidade. Apesar disso, equipe fez um bom jogo com a posse, mas no último terço faltou agressividade e velocidade para superar a defesa do Lara. É importante passar, temos muitos jovens que têm primeira experiência nessa competição tão difícil”, disse Holan.

“Que possamos recuperar os que ainda não jogaram para termos mais alternativas. São muitos jogos e ter alternativas é sempre bom. Madson, Marinho, Kaio Jorge… Pará fez esforço grande hoje. Muitos com problemas estomacais generalizados, que surgiram hoje. Por isso tudo valorizo muito a classificação, claro que anotando o que temos a melhorar”, completou.

O Alvinegro teve 70% da posse de bola na etapa inicial, mas pouco criou. Na visão de Ariel Holan, o problema foi a falta de profundidade.

“Tivemos a posse de bola, mas nos faltou profundidade. Se encontrássemos os passes profundos, o resultado da partida seria outro. Nos custou muito encontrar isso. Tivemos a posse durante todo o jogo, mas não tivemos a profundidade no último passe. Creio que isso temos que continuar melhorando”, afirmou.

“Lara estava muito retrancado, com linha de cinco. Temos que crescer no jogo de filtrar bolas e criar combinações para agregar profundidade na posse de bola”, concluiu.

O Santos está na terceira etapa, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Só de eliminar o Lara, o Peixe já garante R$ 3 milhões na conta e fica a duas partidas de chegar à fase de grupos da maior competição de futebol do continente.

Soteldo elogia Santos do primeiro tempo contra o Deportivo Lara e diz: “Tinha que fazer a diferença no meu país”

Yeferson Soteldo gostou do primeiro tempo do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, em Caracas, pela segunda fase da Pré-Libertadores.

O Peixe foi melhor na etapa inicial e abriu o placar com golaço de falta do camisa 10, mas sofreu o empate no jogo aéreo e correu risco até o fim. Na ida, o Alvinegro venceu por 2 a 1 e a vantagem fez o Alvinegro avançar na competição continental.

“Muito feliz. Ajudar a equipe é sempre especial. Sabia que no meu país tinha que fazer diferença e ajudar o Santos a passar de fase”, disse Soteldo, nascido em Acarigua, na Venezuela.

“Temos que manter o que fizemos no primeiro tempo. Lara foi bem, se impôs no segundo tempo, mas no primeiro quase não tocou na bola. É assim”, completou.

O Santos enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG) na próxima fase. As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Holan pede tempo para Santos ser mais competitivo: “Jogamos mais do que treinamos”

Ariel Holan pediu paciência após o Santos empatar em 1 a 1 com o Deportivo Lara, na Venezuela, e avançar para a terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

O técnico chegou ao Peixe há duas semanas e precisa de mais tempo para aperfeiçoar o estilo de jogo.

“Presidente foi claro sobre esse primeiro semestre ser difícil. Temos equipe jovem, com muitos juvenis e faltando alguns dos mais experientes, como Marinho, Kaio Jorge e Madson. Quando tudo isso passar, teremos equipe muito competitiva. Precisaremos de algumas semanas, trabalhamos há pouco tempo. Jogamos mais do que treinamos”, disse Holan.

Yeferson Soteldo reforçou o discurso.

“Peça-chave do time? Ele (Holan) tem que falar. Quero sempre ajudar. De verdade, a cada jogo pegamos o que o técnico fala, a cada treino. E é falta de treino também. Muitos jogos seguidos e precisamos treinar mais para pegar esse sistema que ele quer meter na gente”, falou.

Soteldo diz que Holan pede o mesmo que Sampaoli no Santos: “Muito fácil para mim”

Ariel Holan quer que Yeferson Soteldo jogue como jogava sob o comando de Jorge Sampaoli no Santos em 2019: sempre pela ponta esquerda, à espera do mano a mano.

Com Cuca, até pela dificuldade em encontrar um meia, o camisa 10 atuou como armador, pela direita e até como falso 9. O ex-treinador costumava falar sobre a necessidade do venezuelano estar em todos os locais do campo.

Com Holan, Soteldo fica mais onde prefe atuar.

“Com Sampaoli era assim, sempre ficava aberto, muito fácil para mim. Com Cuca, ele queria que eu pegasse a bola sempre, sem demorar para tocar na bola. Holan quer que eu faça o mesmo que eu fazia com o Sampaoli. São coisas fáceis para colocar na cabeça e botar em prática”, disse Soteldo.

“São treinadores diferentes. A gente tem que acatar o que falam. Cuca era bom técnico também, Holan chegou e estamos gostando muito dele. Gosta de ficar com a bola e temos técnica para fazer isso”, completou.

Soteldo fez o gol do Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara na noite desta terça-feira, na Venezuela. O Peixe se classificou para a terceira e última etapa da Pré-Libertadores, quando enfrentará Universidad (CHI) ou San Lorenzo (ARG). As equipes jogarão nesta quarta, no Nuevo Gasómetro. Na ida, empate por 1 a 1 em Santiago.

Soteldo aperfeiçoa cobranças em treinos e faz primeiro gol de falta pelo Santos

Yeferson Soteldo marcou seu primeiro gol de falta pelo Santos no empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara (VEN) na última terça-feira, em Caracas, na classificação à terceira e última fase da Pré-Libertadores da América.

Foi o 20º gol de Soteldo em 101 jogos pelo Peixe, e o primeiro em cobrança de falta desde 2019. O camisa 10 treina quase que diariamente e tem se aperfeiçoado no fundamento.

Além das faltas diretas, o venezuelano também treina os cruzamentos e escanteios. O objetivo do meia-atacante de 23 anos é ser um jogador “completo”. A dificuldade óbvia está no cabeceio pelo fato de ter 1,60 m de altura.


Santos 2 x 1 Deportivo Lara

Data: 09/03/2021, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – 2ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Andres Matonte (URU).
Auxiliares: Carlos Barreiro e Horario Ferreiro (ambos do URU).
VAR: Enrique Caceres (URU).
Cartões amarelos: Alison e Vinicius Balieiro (S); Anzola e Gómez (DL).
Gols: Vinicius Balieiro (04-2), Anzola (06-2) e Kaiky (24-2)

SANTOS
João Paulo; Vinicius Balieiro, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison e Sandry (Pirani); Ângelo (Bruno Marques), Soteldo, Lucas Braga e Marcos Leonardo (Jean Mota).
Técnico: Ariel Holan

DEPORTIVO LARA (VEN)
Curiel; España, Anzola, Rodríguez e Sifontes; Meleán, Bueno, Segovia (Bryan), Barrios (Silva) e Gómez; Salazar (Sánchez).
Técnico: Martín Brignani



Base salva, Santos vence Deportivo Lara na Vila e abre vantagem na Libertadores

Em jogo duro, o Santos venceu o Deportivo Lara (VEN) por 2 a 1 na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro. Os gols foram de Vinicius Balieiro e Kaiky. Ambos marcaram pela primeira vez como profissionais. Os visitantes balançaram as redes com Anzola.

O Peixe abre uma vantagem mínima para o confronto da próxima terça, em Caracas, pela volta da segunda fase da Pré-Libertadores. Ainda há outra eliminatória antes da fase de grupos.

O Alvinegro desperdiçou chances e sofreu na bola parada defensiva. Com o gol fora, o Lara pode vencer por 1 a 0 em casa para avançar. Se empatar, o Santos passa.

O jogo

A primeira chance do Santos veio aos 11 minutos, em bonita jogada entre Ângelo e Marcos Leonardo. O lance terminou em peixinho do centroavante para boa defesa do goleiro Curiel.

No minuto 19, o Peixe desperdiçou uma chance claríssima. Soteldo deixou Felipe Jonatan sozinho quase na pequena área, mas o lateral-esquerdo preferiu tocar para Lucas Braga, que dominou mal. Segundos depois, Ângelo fez Curiel espalmar bola para escanteio.

O Deportivo Lara assustou quando o placar marcava 33 jogados. Bueno bateu falta de longe direto para o gol e João Paulo reagiu rápido para desviar para escanteio.

Santos melhor no geral, mas com muitas decisões erradas no campo de ataque.

O Santos não demorou a abrir o placar na etapa final. Aos quatro minutos, a boa jogada entre Sandry e Alison terminou em chute preciso de Vinicius Balieiro. Primeiro gol como profissional.

Só que o Peixe relaxou com a vantagem parcial… No minuto 6, Anzola aproveitou cobrança de escanteio e desviou no segundo pau. Luan Peres, Vinicius Balieiro e Lucas Braga falharam no lance.

Com o gol fora do Lara, o Santos se lançou ao ataque. Aos 19, Soteldo cruzou e Lucas Braga não alcançou na pequena área. No minuto 22, Anzola fez outro gol, mas a arbitragem anulou o que seria a virada. E a resposta não demorou.

Aos 24, Kaiky subiu bem após escanteio cobrado por Jean Mota e virou o jogo. Também foi o primeiro gol do zagueiro de 17 anos como profissional. Peixe na frente do placar na Vila Belmiro.

O Santos tentou melhorar o resultado e teve chances com Lucas Braga, Jean Mota e Pirani, mas parou em Curiel. Vantagem mínima antes da decisão em Caracas na semana que vem.

Bastidores – Santos TV:

Ariel Holan se anima após vitória do Santos com média de 21 anos: “Bom para o futuro”

O técnico Ariel Holan aprovou o desempenho do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores. Os gols foram marcados por Vinicius Balieiro e Kaiky.

O Peixe teve média de idade de 21,5 anos e superou um jogo duro para levar vantagem antes da decisão em Caracas na próxima terça. O Alvinegro pode empatar, enquanto o Lara avançaria com uma vitória simples.

“Estou muito feliz. Perdão por tentar falar português. Estou fazendo aulas e vou melhorar na próxima conversa. Feliz por Ângelo, Kaiky, Balieiro, Pirani… Média de idade de 21 anos hoje e feliz porque estamos trabalhando para o futuro do Santos”, disse o treinador.

“Estamos começando a trabalhar com todos os jogadores. Jogadores de experiência que nos faltam e vão ser muito importantes. E os jovens crescerão com o trabalho. Começamos agora e tenho muita confiança que os aspectos de jogo melhorarão com treinos e partidas. Foram poucos, quase nada, treinamentos. E não tenho dúvida que cresceremos muito. O rival se posicionou com cinco defensores. Colocamos quatro atacantes, mas pedimos para Sandry e Pirani ocuparem as costas dos meio-campistas rivais. Fizemos bem em alguns momentos, outros não. Em poucos dias a equipe trata de ter um sistema de jogo. Buscaremos que esse sistema seja o mais eficaz no menor tempo possível”, completou.

Holan se preocupa com bola aérea defensiva do Santos: “Estamos vendo alternativas”

O técnico Ariel Holan está preocupado com a bola aérea defensiva do Santos e busca alternativas para superar essa deficiência na equipe.

O Peixe sofreu gols em escanteio contra São Paulo e Deportivo Lara (VEN), em ambos os jogos sob o comando de Holan. O problema ocorre desde Cuca.

“Estamos pensando nisso, vendo como buscar alternativas e veremos nas próximas partidas como melhorar esse aspecto do jogo. Espero que consigamos já no próximo jogo”, disse Holan.

Com gol na Libertadores, Kaiky supera Rodrygo e bate recorde no Santos

Kaiky entrou para a história do Santos logo no seu segundo jogo como profissional. O zagueiro é o mais jovem a fazer um gol pelo Peixe na história da Libertadores.

Com 17 anos, um mês e 25 dias, Kaiky superou Rodrygo (17 anos, dois meses e seis dias) ao fazer o segundo gol do Peixe diante do Deportivo Lara (VEN) nessa terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores.

Kaiky é considerado futuro craque da posição desde a base e deve ser o parceiro de Luan Peres e substituto de Lucas Veríssimo sob o comando de Ariel Holan.

Recordista, Ângelo empolga Holan no Santos: “Será um grande jogador”

O técnico Ariel Holan está entusiasmado por trabalhar com Ângelo, atacante titular do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da segunda fase da Pré-Libertadores.

O Menino da Vila foi um dos destaques do Peixe, principalmente no primeiro tempo, e chama a atenção do treinador. Aos 16 anos, dois meses e 16 dias, Ângelo se tornou o mais novo a defender o Alvinegro em uma Libertadores, superando Rodrygo.

“Acho que Ângelo será um grande jogador. Fez uma partida muito boa hoje. E com mais confiança, jogará cada vez melhor. Não somente melhor pelo lado, mas também por dentro. É tão jovem que temos que ir aos poucos. Estou muito feliz por ele. Vejo nele um jogador de uma projeção enorme”, disse Holan.

“Estou muito feliz com Ângelo. Muito. Trabalhou muito em pouco tempo e fez uma partida muito boa. É muito jovem, um guri. Pouco a pouco, jogará melhor”, completou.

A ideia de ter Ângelo também pelo meio, e não apenas pela ponta direita, foi levantada também pelo ex-técnico Cuca. Até agora, porém, o projeto de raio ficou pelo lado do campo.


Palmeiras 1 x 0 Santos

Data: 30/01/2021, sábado, 17h00.
Competição: Copa Libertadores – Final – Jogo único
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: N/D
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)
Auxiliares: Ezequiel Brailovsky e Diego Bonfa (ambos da ARG).
VAR: Mauro Vigliano (ARG).
Cartões amarelos: Gustavo Gómez, Viña e Marcos Rocha (P); Lucas Veríssimo, Diego Pituca, Soteldo e Alison (S).
Gol: Breno Lopes (54-2).

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo, Zé Rafael (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Breno Lopes) e Raphael Veiga (Empereur); Rony (Felipe Melo) e Luiz Adriano.
Técnico: Abel Ferreira

SANTOS
John; Pará (Bruno Marques), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wellington Tim); Alison, Diego Pituca e Sandry (Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Madson).
Técnico: Cuca



Palmeiras vence o Santos com gol nos acréscimos e é campeão da Libertadores

O Palmeiras é bicampeão da Libertadores da América. O Verdão venceu o Santos por 1 a 0 neste sábado, no Maracanã. O gol de Breno Lopes foi marcado aos 53 minutos do segundo tempo.

O jogo foi truncado, nervoso, cheio de faltas fortes e contou com a expulsão de Cuca após confusão com Marcos Rocha. O técnico foi para a arquibancada e viu o gol do Palmeiras minutos depois.

O Santos perdeu a chance de ser o primeiro tetracampeão da Libertadores no Brasil. O Palmeiras volta a erguer a taça após 22 anos e vai para o Mundial. Vitória de quem acreditou até o fim e não esperou pela prorrogação ou pênaltis.

O jogo

O primeiro tempo da final da Libertadores da América foi decepcionante. Sobrou suor, mas faltou futebol. Nenhuma chance clara foi criada por Palmeiras e Santos.

Pilhadas, as equipes fizeram muitas faltas e disputaram cada pedaço do gramado. O mais caçado foi Marinho, principalmente no duelo com Viña travado desde o início. Lucas Braga chegou a aquecer, mas o camisa 11 pediu para voltar.

Esse equilíbrio também tem a ver com uma novidade de Cuca na escalação do Peixe: o técnico colocou Sandry no meio-campo e espelhou o esquema tático do Verdão. Os dois times tiveram três meio-campistas móveis e três atacantes.

O único momento de maior perigo foi aos 35 minutos, quando Raphael Veiga invadiu a área pela direita e bateu cruzado. A bola passou perto do goleiro John.

O cenário pouco mudou para a etapa final. Os primeiros minutos foram de esboço de mudança tática e alguma pressão, mas logo os times se anulavam em campo.

Aos 13, o Santos assustou o Palmeiras. Marinho cobrou falta e Lucas Veríssimo não alcançou de peixinho na pequena área. No minuto 18, Raphael Veiga bateu falta com perigo e a bola bateu na rede por cima de John.

Quando o placar marcava 31 jogados, o Peixe teve o momento de maior emoção até então. Diego Pituca chutou de fora da área para Weverton espalmar. No rebote, Felipe Jonatan bateu forte e a bola passou perto.

A partida caminhava para a prorrogação quando o clássico finalmente ganhou em emoção. Cuca escondeu a bola, foi derrubado por Marcos Rocha e acabou expulso. O técnico viu da arquibancada o gol de Breno Lopes aos 53 minutos do segundo tempo.

Rony recebeu com liberdade, cruzou no segundo pau e Breno Lopes subiu mais que Pará, aproveitou a indecisão de John e colocou a bola no ângulo. Palmeiras campeão.

Alison admite dor, mas “tira o chapéu” para o elenco do Santos

O Santos não conseguiu o quarto título da Copa Libertadores da América. Na tarde deste sábado, o Peixe sucumbiu diante do Palmeiras no Maracanã. Mesmo assim, Alison, o capitão alvinegro, não poupou elogios aos seus companheiros.

“Ninguém acreditou que a gente chegaria até aqui. Tem que tirar o chapéu. Fomos guerreiros pra caramba, uma responsabilidade absurda, uma final de campeonato. É dolorido, mas a gente precisa seguir”, comentou o camisa 5 ao SBT.

“A gente sabia que ia ser difícil, equilibrado e quem errasse menos ia acabar vencendo. Acabamos tomando um gol no final, ficou difícil, não tinha mais tempo. Lutamos até o fim e tem de tirar o chapéu pra essa rapaziada”, concluiu.

Marinho, do Santos, é eleito o melhor jogador da Libertadores de 2020

Apesar do Santos ter perdido a final da Copa Libertadores da América de 2020, o atacante Marinho recebeu o prêmio de melhor jogador da competição. O anúncio foi feito logo após a derrota do Peixe por 1 a 0 para o Palmeiras.

O camisa 11 foi peça fundamental para a campanha do Alvinegro Praiano no torneio continental. Ao todo, ele esteve presente em nove dos 13 jogos do clube, com quatro gols marcados e uma assistência.

O ‘Rei da América’ recebeu um anel personalizado da Conmebol. A joia, que foi inspirada no estádio do Maracanã, palco da decisão, conta com 30 gramas de ouro e 131 diamantes, além de uma safra e uma esmeralda.

Para conquistar o prêmio, o craque santista superou o seu companheiro de equipe Soteldo e os palmeirenses Weverton e Rony.

Marinho desabafa após derrota na final da Libertadores e diz que “trocaria prêmio individual pelo título”

O Santos perdeu a final da Libertadores neste sábado diante do Palmeiras, por 1 a 0. Um dos pilares da equipe da Vila, Marinho levou o prêmio de melhor jogador da competição. O atacante desabafou após a derrota e valorizou o trabalho da equipe santista.

“Trabalho em equipe, sem eles eu não desfrutaria de um prêmio individual. Eu trocaria pelo título. Eu também tenho que valorizar o trabalho. Eu me preparei muito, mas não consegui ser o Marinho que vinha sendo. Peço desculpa a quem confiou em mim para ser o diferencial do time. Cabeça erguida porque ninguém tira da gente que somos vencedores”, disse o atacante.

“Eu queria dedicar esse prêmio com o título, mas dedico a quem trabalhou junto. Do estafe à tia da cozinha. A torcida que confiou em nós. É um prêmio de todo mundo”, concluiu Marinho.

Diego Pituca pede desculpa por não cumprir promessa antes de sair do Santos

Diego Pituca pediu desculpa à torcida do Santos por não cumprir uma promessa: ser campeão antes de sair do Peixe. O meio-campista jogará pelo Kashima Antlers, do Japão.

O Peixe perdeu a final da Libertadores da América para o Palmeiras neste sábado, no Maracanã. O gol de Breno Lopes foi marcado aos 53 minutos do segundo tempo.

“Eu tinha uma promessa que não cumpri. Peço desculpa para a nação santista porque falei que ia sair com título. Lutamos, agora é levantar a cabeça. Parabéns ao Palmeiras”, disse Pituca, no SBT.

O jogador de 28 anos viajará ao Japão nos próximos dias. A proposta aceita foi de 1,6 milhão de dólares (R$ 8,1 mi) por 50%¨dos direitos econômicos que o Santos tem direito.

Luan Peres lamenta vice-campeonato, mas exalta o Santos: “Estamos muito orgulhosos”

O desfecho da Libertadores não foi como os torcedores santistas desejavam. Neste sábado, o Santos perdeu por 1 a 0 para o Palmeiras e ficou com o vice-campeonato. Logo após a final, o zagueiro Luan Peres lamentou a derrota, mas exaltou o Peixe e afirmou que o grupo está orgulhoso.

“Estamos muito orgulhosos. Queríamos ser campeões, mas só um vence. Estamos orgulhos pela campanha, ganhando da LDU na altitude, Grêmio, Boca Juniors. Muito feliz mesmo com a segunda colocação. Queríamos a primeira, mas é cabeça em pé. Ninguém imaginou que estaríamos aqui, mas o Santos é grande e precisa ser respeitado”, disse.

O gol da vitória palmeirense saiu apenas aos 53 minutos do segundo tempo, quando o embate já parecia se encaminhar para a prorrogação. E segundo o defensor do Alvinegro, o principal erro do time da baixada foi justamente a falta de atenção até o apito final do árbitro.

“Final se ganha, não se joga. Jogo truncado. Faltou atenção até o fim, mais finalizações. Não jogamos pior que o Palmeiras, no mínimo igual. Os dois tinham 50%. Infelizmente a bola deles entrou e a gente não. Um detalhe definiu a partida”, finalizou.

John diz que Santos sai do Maracanã de cabeça erguida

John não conseguiu defender a bola cabeceada por Breno Lopes nos acréscimos da final da Copa Libertadores da América, neste sábado, contra o Palmeiras. Mesmo assim, o goleiro do Peixe não se deixou abater.

“Um grupo jovem, que aprendeu muito hoje. Sofremos muito durante o torneio, passamos por muita coisa. Saímos de cabeça erguida, porque fizemos um grande trabalho”.

“A gente leva a família, esse grupo jovem, cheio de talentos. Time coletivo, que joga para ganhar. Hoje as coisas não aconteceram, mas saímos de cabeça erguida porque fizemos nosso melhor”.

Cuquinha diz que Cuca pode ter sido expulso por Santos ter eliminado o Boca

Pouco antes do gol palmeirense que decretou a derrota do Santos na final da Copa Libertadores da América, o técnico Cuca foi expulso para não permitir Marcos Rocha pegar a bola para cobrar um lateral.

Após o jogo deste sábado, Cuquinha, que é irmão e auxiliar de Cuca, contestou a decisão do árbitro argentino Patricio Loustau e lembrou que o Peixe eliminou o Boca Juniors na semifinal.

“Por que não olhou o VAR? A não ser que ficou chateado porque tiramos o clube de coração dele. Não estou afirmando…”.

“São cínicos no olhar, dá desgosto. Não respondem. Isso desestabilizou o time. Naquele momento, ele (Cuca) fez falta. Estávamos discutindo o lance e quase não vimos o gol. Quarto árbitro está na nossa frente querendo explicar não sei o quê. Mas já passou, parabéns ao Palmeiras. Nossa dor é imensa”.

O fato do lance ter tido o envolvimento de Marcos Rocha também deixou a comissão técnica santista bastante chateada, pois o lateral chegou ao Palmeiras por meio de Cuca e Cuquinha, quando ambos estavam no clube alviverde.

“Sentimento do Cuca é de tristeza. Ele não fez nada. Em outras ocasiões foi expulso merecidamente. Agora está triste porque não fez nada. Vimos as imagens e fica provado”.

“Dá certa dor porque foi o Marcos Rocha. Fomos buscar ele no América, ele estava emprestado e trouxemos antes do empréstimo. Não fez por querer, acho, mas fez. Ele poderia dizer que não fez, mas ali quem vai pensar no outro?”.

Cuca foi campeão Brasileiro com Marcos Rocha no Palmeiras antes de voltar a comandar o Santos.



Conmebol divulga seleção da Libertadores 2020 e brasileiros dominam lista ( Em 01/02/2021 )

A Conmebol divulgou nesta segunda-feira os jogadores eleitos para a seleção da Libertadores 2020. A lista conta com 11 atletas dos quatro times que disputaram as semifinais da competição.

Sem surpresas, o campeão Palmeiras é o time mais representado na lista, com seis jogadores: Weverton, Matías Viña, Gustavo Gómez, Gabriel Menino, Rony e Luiz Adriano.

Logo depois em número de jogadores, está o vice-campeão Santos, com três: Lucas Veríssimo, Soteldo e Marinho, que também foi eleito o melhor jogador da competição.

Eliminados nas semifinais pelos brasileiros, River Plate e Boca Juniors também são representados na lista. O lateral direito do River Plate, Gonzalo Montiel, e o atacante do Boca, Carlos Tevez, são os nomes escolhidos pela competição.

Desta forma, a seleção completa é a seguinte: Weverton; Montiel, Lucas Veríssimo, Gustavo Gómez e Viña; Gabriel Menino, Soteldo, Marinho e Rony; Tevez e Luiz Adriano.

Santos perde dois titulares e tenta manter Soteldo para a próxima temporada

O Santos se despediu de Lucas Veríssimo e Diego Pituca no último sábado, na derrota por 1 a 0 para o Palmeiras na final da Libertadores da América no Maracanã.

O zagueiro e o meio-campista titulares foram negociados com o Benfica (POR) e Kashima Antlers (JAP), respectivamente. Ambos jogaram a decisão sabendo do futuro no exterior.

Veríssimo foi vendido por 6,5 milhões de euros (R$ 43,1 mi), enquanto Pituca foi negociado por 1,6 milhões de dólares (R$ 8,75 mi).

O objetivo agora é evitar a perda de mais titulares, a exemplo de Soteldo. O Santos precisa de um acordo com o Huachipato (CHI) para pagar cerca de 11 milhões de dólares (R$ 60 mi) entre débito na compra, na recompra e juros mais multa. O Peixe não pagou nada na gestão de José Carlos Peres/Orlando Rollo e precisa de alguma solução com Andres Rueda.

No acordo anterior encaminhado por Rollo, o Santos devolveria Soteldo e o Huachipato retiraria da Fifa uma primeira cobrança de 7,2 milhões de dólares (R$ 40 mi) diante do calote do clube brasileiro. A equipe ainda pagaria 200 mil dólares (R$ 1,1 milhão) diretamente ao camisa 10 para quitar dívidas em luvas, premiação e direitos de imagem.

Por fim, o Santos ficaria com 10% do valor que exceder uma venda de Soteldo pelo Huachipato por no mínimo 8 milhões de dólares (R$ 45 mi). Essas condições foram aprovadas pelo Conselho Deliberativo em outubro, mas a negociação não avançou pois o camisa 10 não quer voltar para o Chile e prefere continuar no Brasil até definir seu futuro.

“Toda a parte comercial foi feita, mas o estafe do jogador não quer voltar para lá e colocamos ponto final. Ele não gostaria de voltar para lá, tem a condição financeira dele. Não confia no clube e não quer voltar nessas condições. Exige garantias que pelo jeito não estão dando”, disse Rueda, em entrevista recente.

“E podemos pensar nele ficar, por que não? Interessa, claro, é excelente jogador, técnica refinada, enturmada. Tudo pode acontecer”, completou.



Cuca analisa derrota do Santos para o Palmeiras e não vê relação com expulsão: “Coincidência horrível” ( Em 03/02/2021 )

Cuca analisou apenas nesta quarta-feira a derrota do Santos por 1 a 0 para o Palmeiras no último sábado, no Maracanã, pela final da Libertadores da América.

Como foi expulso durante a decisão, o técnico não foi autorizado pela Conmebol a conceder entrevista coletiva e foi substituído pelo auxiliar Cuquinha.

“Eu tenho muito orgulho desses meninos. É difícil assimilar ainda a dor do sábado, não pude dar entrevista pela expulsão. Perdemos Libertadores num jogo que nosso goleiro não fez uma defesa. Na história do Libertadores, difícil encontrar uma final sem o goleiro fazer uma defesa. Faz parte do amadurecimento, por mais duro que seja o golpe. Não tem coitadinho, é trabalhar e provar todo dia como hoje. Estávamos de ânimos retomados mesmo com desfalques e jogamos igual, buscando 3 a 3 com um a menos. Meninos estão de parabéns. Torcedor santista deve ter orgulho desses meninos”, disse Cuca, após o empate em 3 a 3 com o Grêmio, em Porto Alegre.

Cuca foi expulso instantes antes de Breno Lopes fazer o gol do Palmeiras aos 53 minutos do segundo tempo. O treinador, porém, não vê relação entre os fatos.

“Acho que não. Treinador sair expulso, da maneira injusta que eu saí, e se eu fizesse eu falaria… Não fiz nada. Dominei uma bola como sempre faço e quando me abaixei o jogador (Marcos Rocha) estava em cima e eu caí. Ele não fez o suficiente também para essa celeuma que o árbitro criou. E eu fui expulso. Não tomamos gol porque treinador foi expulso, foi coincidência horrível. Nada a ver com desestabilizar time”, avaliou.


Santos 3 x 0 Boca Juniors

Data: 13/01/2021, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores 2020 – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Auxiliares: Alexander Guzman e John Leon (ambos da COL).
VAR: Julio Bascuñan (CHI)
Cartões amarelos: Diego Pituca (S); Salvio e Izquierdoz (BJ).
Cartão vermelho: Fabra (BJ).
Gols: Diego Pituca (15-1); Soteldo (03-2) e Lucas Braga (05-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Alison (Vinicius Balieiro), Diego Pituca (Sandry) e Soteldo (Jobson); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

BOCA JUNIORS (ARG)
Andrada; Jara (Buffarini), Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Campuzano, González (Capaldo), Salvio (Mas) e Villa; Tévez e Soldano (Ábila).
Técnico: Miguel Angel Russo



Santos amassa o Boca Juniors e enfrentará o Palmeiras na final da Libertadores

O Santos foi amplamente superior ao Boca Juniors (ARG) e venceu por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo duelo de volta da semifinal da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Diego Pituca, Soteldo e Lucas Braga.

Com 3 a 0 no agregado, o Peixe enfrentará o Palmeiras na grande decisão do dia 30 de janeiro, no Maracanã, em partida única. O Alvinegro pode ser o primeiro tetracampeão do país.

O Santos foi melhor que o Boca desde o início e teve a vida facilitada com a expulsão de Fabra aos 10 minutos do segundo tempo, quando já estava 3 a 0 para o Peixe.

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos na Libertadores, os mesmos três gols em suas redes durante 50 minutos jogados na Vila Belmiro.

Em alta, o Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo no domingo, novamente na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Santos, assim como na vitória sobre o Grêmio, começou a partida em ritmo alucinante. No primeiro minuto, Marinho acertou a trave.

O Peixe continuou em cima a assustou com Kaio Jorge e Diego Pituca nos minutos 11 e 12. E o Boca não conseguiu mais resistir. Quando o placar marcava 15 jogados, Soteldo finalizou e a bola bateu na mão de López. Enquanto os jogadores reclamavam de pênalti, Pituca girou e fez o primeiro.

Com a vantagem parcial, o Boca Juniors se lançou mais ao ataque, mas não foi perigoso. Enquanto o Alvinegro passou a aproveitar os contra-ataques. Kaio Jorge e Marinho quase ampliaram nos minutos 43 e 44.

E o domínio do Santos se transformou em domínio no placar em poucos minutos. Aos 3, Soteldo recebeu de Felipe Jonatan e fez um golaço. Aos 5, Lucas Braga recebeu de Marinho e marcou o terceiro do Peixe.

Aos 10 minutos, Fabra pisou em Marinho e foi expulso, tornando a vida do Santos ainda mais fácil. Aos 13, porém, Salvio parou em grande defesa de João Paulo. Susto para os santistas.

O Santos voltou a se organizar e quase fez o quarto no minuto 23, quando Marinho recebeu de Pará e bateu perto da trave esquerda de Andrada. Aos 26, Villa cruzou, ninguém desviou e João evitou o gol do Boca no reflexo.

Nos minutos finais, o Santos administrou o resultado e esteve mais perto do quarto gol do que o Boca de diminuir. Classificação merecida para a final da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lembra premonição, destaca estratégia e diz: “Santos tem que comemorar dobrado”

Cuca voltou ao Santos em agosto de 2020 em momento difícil, com crise técnica e financeira. E na primeira reunião com o elenco, profetizou: “Vamos chegar na final da Libertadores da América”.

E o Peixe chegou ao eliminar o Boca Juniors com um sonoro 3 a 0 na Vila Belmiro nesta quarta-feira. O adversário da decisão no Maracanã será o Palmeiras.

“Falei para o pessoal que tínhamos o Brasileiro para estar entre os oito e que chegaríamos à final da Libertadores. Falei toda vez, me tornei chato. Hoje eu falei de novo que tínhamos que ganhar, não empatar. Senti isso desde o primeiro dia. Time está em oitavo e na final da Libertadores. Para mim é uma satisfação fora do comum. Dificuldades são muito grandes. A gente não pode contratar, tem dificuldade no pagamento, na premiação. E sempre jogamos abertos, eles não ficam de picuinha e cara virada. Por isso chegamos, eles fazem por amor. Em qualquer outra situação se rebelam, aqui é diferente”, disse Cuca.

“A gente vai para uma final e canta o hino, me boto no lugar de qualquer torcedor e estaria chorando. Além de dar a vida, com a dificuldade financeira, promovemos meninos e indo para uma final de Libertadores. É um sonho realizado. Temos que agradecer a Deus por nos honrar tanto. Temos feito coisas muito bonitas e se Deus quiser vamos conseguir esse título”, completou.

Ao ser questionado se é o melhor trabalho da sua carreira, Cuca falou que o Santos precisa “comemorar dobrado” diante das dificuldades.

“Não sei se é melhor, mas tive grandes trabalhos. Aqui a dificuldade é muito maior. Os motivos vocês sabem, mas é muito gratificante entregar ao torcedor uma final de Libertadores. Isso não tem preço, tem valor. É nosso combustível. Se entregar ao máximo para tirar o máximo deles e ver resultado acontecer. É tão legal, não é sempre que acontece isso. Normalidade não é essa. Normalidade é clube em dia e investindo mais chegar, aqui foi oposto. Temos que comemorar dobrado”, avaliou.

O treinador também falou sobre a estratégia para vencer o Boca. A previsão era de Soteldo como meia, mas o camisa 10 atuou aberto, com Lucas Braga ao lado de Kaio Jorge.

“Cada jogo é uma história. Hoje jogamos diferente, jogamos com Lucas Braga fazendo segundo homem com Kaio Jorge, e Soteldo aberto. Coisas pequenas podem mexer em uma engrenagem, adversário também nos estuda. Usamos outro esquema e isso mexe, usamos velocidade de dentro para fora, com técnica pelo lado. Diferente da Argentina. Poderia entrar com o Sandry, mas quisemos entrar para ganhar e não para segurar. Graças a Deus deu certo”, concluiu.

Cuca comenta preleção de Pelé antes do Santos eliminar o Boca Juniors

O técnico Cuca revelou que fez um pedido especial antes da partida entre Santos e Boca Juniors, que garantiu o Peixe na final da Libertadores. Maior ídolo da história do futebol, Pelé fez parte da preleção, o que, segundo o treinador, motivou ainda mais o elenco.

“Edinho é treinador do sub-23. Falei com o Edinho se o Pelé poderia falar um pouco com a gente. Não há motivação maior. Está debilitado, não se locomove sozinho. Ficou um pouco constrangido, mas insisti e ele falou com a gente depois da parte tática. Uma caixa de som, brincou com o pessoal. Falamos que ofereceríamos a vitória a ele. Quem diria? Oferecer uma vitória ao Pelé. É o maior orgulho que nós brasileiros temos no desporto geral. Não só no desporto, em tudo. É orgulho, é coisa boa. Ele dirigir palavras a nós. Falou de ter acima de tudo fé. Foi maravilhoso, todos aplaudimos e saímos para o jogo super motivados”.

O Rei Pelé participou da preparação do Santos para vencer o Boca Juniors (ARG) por 3 a 0 na Vila Belmiro e se classificar para enfrentar o Palmeiras na Libertadores da América.

Em entrevista coletiva, o técnico Cuca dedicou a vitória a Pelé.

“Agradeço ao Rei (Pelé) pelo que fez. Entrou ao vivo com o grupo na concentração. Como brasileiro falando, é o único orgulho que temos hoje, de falar que somos brasileiros pelo Pelé. Participou da nossa conquista nos motivando mesmo estando como ele está. É para você”, disse Cuca.

A festa no vestiário após a classificação para a final da Libertadores:

Soteldo lembra de ‘perrengues’ no Santos e manda recado ao Boca: “Aqui quem manda somos nós”

Eleito melhor em campo pela Conmebol, Soteldo lembrou dos “perrengues” do Santos após a vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O camisa 10 fez um dos gols da classificação do Peixe para enfrentar o Palmeiras na final da Libertadores da América.

“Me arrepia, a gente passou por muita coisa no começo do ano, mas Deus compensou hoje tudo o que a gente vem fazendo. É agradecer a Deus por esse prêmio que a gente ganhou, trabalhamos para isso, mas agora é trabalhar e pensar na final. Agradeço esse grupo, merecemos a classificação hoje”, disse Soteldo.

O venezuelano lembrou da ausência por covid-19 contra o Grêmio e mandou recado ao Boca.

“Feliz com o gol. Fiquei triste por não jogar contra o Grêmio, mas eu confiava nos meus companheiros. Esse time que a gente tem é muito forte”, afirmou.

“Na nossa casa não são bem-vindos, não vão jogar, aqui quem manda somos nós”, concluiu.

Marinho cobra salários atrasados do Santos a superintendente: “Quando vocês vão pagar a gente?”

Após vencer o Boca Juniors por um sonoro 3 a 0 e classificar para a final da Libertadores, o Santos parece ter problemas financeiros nos bastidores. Marinho aproveitou uma live realizada no Instagram para cobrar os salários atrasados.

Marinho comandou a live no Instagram após a classificação da equipe. A estrela do Santos chamou o superintendente de esportes, Felipe Ximenes, e perguntou: “Quando vocês vão pagar a gente?” – o diretor cravou: “Amanhã!”

O Santos deve direito de imagem, parte das férias e premiações atrasadas aos jogadores. Vale destacar que o direito de imagem é parte do salário para a maioria dos atletas.

Argentinos relatam foguetório de torcedores do Santos na frente do hotel do Boca Juniors

O embate entre Santos e Boca Juniors pela semifinal da Libertadores segue com polêmicas fora de campo. O jornal TyC Sports, da Argentina, informou nesta quarta-feira que torcedores do Peixe realizaram um foguetório nos arredores do local onde o elenco xenize está hospedado.

A publicação aponta que os fogos de artifício puderam ser ouvidos ao longo de toda a madrugada, atrapalhando o sono dos jogadores argentinos.

Esta não é a primeira polêmica envolvendo o duelo entre o Alvinegro e o Boca. Na semana passada, o Peixe relatou que o ônibus da delegação foi apedrejado na Argentina. A partida de ida também contou com problemas de arbitragem e com os testes de covid-19, com dois atletas do time brasileiro testando positivo logo após o jogo.

Boca Juniors sofre contra o Santos o mesmo número de gols de 11 jogos

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos da Libertadores da América. E o bom desempenho defensivo dos argentinos caiu por terra na Vila Belmiro.

O Boca sofreu os mesmos três gols em 50 minutos contra o Santos na derrota por 3 a 0 nesta quarta-feira. O Peixe avançou para enfrentar o Palmeiras na final da competição continental.

Palmeiras e Santos, inclusive, tiveram a melhor campanha da fase de grupos. A grande decisão será no dia 30 de janeiro, em partida única no Maracanã.

Cuca “agradece” bloqueio de contratações no Santos e destaca ascensão de jovens

Um dos grandes méritos do Santos para a arrancada até a final da Libertadores foi a boa utilização dos jovens da base. Sem poder contratar por conta de punições da Fifa, o Peixe precisou se voltar novamente para os atletas formados no clube, que não decepcionaram.

Em entrevista ao Sportv, o técnico Cuca comentou a situação e “agradeceu” a punição, que o fez dar mais oportunidades aos Meninos da Vila, que ajudaram a levar o clube a sua quinta final da principal competição do continente.

“Tivemos o transfer ban, não pudemos contratar e por isso eu digo que tudo que Deus faz é bom. Eu poderia não ter acertado em algumas contratações e os nossos jogadores não terem a mesma resposta desses meninos”.

O Santos chegou a se acertar com três reforços, que acabaram ficando em seus clubes: Elias (que rescindiu com o Bahia), José Welison (Botafogo) e Thaciano (Grêmio). Elias treinou por alguns dias no CT Rei Pelé.