Navegando Posts marcados como Campeonato Paulista

Santos 2 x 1 Ituano

Data: 13/03/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Salim Fende Chavez
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Bruno Silva de Jesus.
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.
Cartões amarelos: Marcos Leonardo, Soteldo e Pará (S).
Gols: Lucas Braga (13-1), Branquinho (15-1) e Vinicius Balieiro (32-1).

SANTOS
John; Vinicius Balieiro, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan (Alex); Sandry (Alison), Pirani e Jean Mota (Pará); Ângelo (Soteldo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan

ITUANO
Edson; Jeferson, Léo Santos, Suéliton e Breno Lopes; Tárik (Bruno Lima), Fillipe Soutto e Fernando Medeiros (Roni); Branquinho (Fernandinho), Iago (Kadu) e Bruno Lopes (Victor Rangel).
Técnico: Vinicius Bergantin



Santos bate o Ituano e vence a primeira no Paulistão

Ariel Holan apostou em uma escalação repleta de jovens e conseguiu levar o Santos a sua primeira vitória no Campeonato Paulista na noite deste sábado.

Com a cabeça na decisão pela Libertadores da América, o Peixe fez 2 a 1 em cima do Ituano, na Vila Belmiro, em partida marcada por gols e grandes lances no primeiro tempo, mas pouca inspiração na etapa final.

O resultado levou o Peixe aos cinco pontos, mas ainda na terceira colocação do Grupo D. O time de Itu, que perdeu sua invencibilidade, é o líder do Grupo C, com sete pontos, mas terá de secar o Bragantino para manter o posto.

O jogo

O primeiro tempo foi daqueles de não deixar ninguém piscar. Era lá e cá, chances claras, times ofensivos e abertos.

O goleiro John foi fundamental para o Santos conseguir abrir o placar com Lucas Braga, de cabeça, após cobrança de escanteio.

Pouco depois, porém, não teve jeito para o arqueiro santista, que viu Branquinho mandar para as redes ao completar belo contra-ataque e passe de Bruno Lopes.

Antes do intervalo, Edson se chocou com Ângelo e a bola ficou limpa para Vinicius Balieiro colocar os mandantes na frente, novamente.

Ainda teve mais defesas de John, gol bem anulado de Marcos Leonardo e o zagueiro Léo Santos salvando o Ituano em cima da linha.

Ângelo não marcou, mas foi um dos grandes destaques pelas jogadas individuais em um grande primeiro tempo.

Na etapa final, o panorama mudou radicalmente. As equipes, aparentemente, cansaram. Foram muitas substituições e o Santos, principalmente, piorou. O ritmo caiu e as finalizações a gol também.

Soteldo entrou, chegou a 100 jogos com a camisa do Santos, mas esteve pouco inspirado. Ainda assim, serviu Lucas Braga duas vezes, mas o atacante desperdiçou ambas, cara a cara.

Apesar da queda, o jovem time do Santos garantiu os três pontos.

Bastidores – Santos TV:

Vinicius Balieiro comemora oportunidades no Santos: “Eles não têm medo de colocar a base”

Vinicius Balieiro marcou seu segundo gol em quatro jogos pelo Santos. O lateral de 21 anos garantiu a vitória alvinegra sobre o ituano neste sábado, pelo Campeonato Paulista, depois de brilhar também na Libertadores.

“Estou muito feliz porque venho me preparando muito forte por muito tempo para receber oportunidades, e estou feliz”, disse o jogador ao Premiere, antes de citar a marca santista de colocar os atletas oriundos da base para jogar.

“Esse é o diferencial do Santos. Eles não têm medo de colocar a base, e torcida sempre está com a gente, os Meninos da Vila”.

Jean Mota ganha confiança com Holan e espera repetir 2019 pelo Santos

Jean Mota foi titular do Santos neste sábado. Em meio a tantos jovens jogadores, o meio-campista foi responsável por dar equilíbrio ao meio de campo e um pouco de “casca” para uma equipe tão desfalcada e com a cabeça na Libertadores da América.

“Com 27 anos eu era o mais velho do time titular ali. É gratificante estar com essa meninada de ouro, jogadores que têm qualidade para um dia defenderem a Seleção Brasileira. Fico feliz de estar desfrutando e também passando um pouco de experiência em um momento como esse. É muito bom”.

Foi dele o passe que culminou com o segundo gol santista na vitória sobre o Ituano. No lance, Vinicius Balieiro aproveitou dividida de Ângelo com o goleiro Edson.

“Até falei com ele (Ângelo): ‘Poxa, você não gosta de fazer gol?’ Toquei a bola para ele, ele meio que parou um pouco, depois saiu e dividiu. Teve um outro lance também que ele limpou e eu gritei ‘chuta, chuta’. É um menino que tem muita qualidade. Quem sabe na terça ele não desencante”.

Pouco a pouco, o elenco do Santos vai conhecendo a filosofia do técnico Ariel Holan, que conseguiu levar o time à primeira vitória no Campeonato Paulista. E Jean Mota está inserido neste trabalho.

“Muito importante, uma nova filosofia, é tudo novo. Ter essa confiança do treinador para poder estar atuando, ajudando é gratificante. Espero continuar tendo essa confiança”.

Assim, quem sabe, Jean Mota não repete atuações como as de duas temporadas atrás, quando acabou eleito o craque do Paulistão.

“Espero que sim. Jogo a jogo, sempre evoluindo, procurando fazer aquilo que o treinador pede. Quem sabe no final a gente esteja na seleção do campeonato, como em 2019, mas é mais difícil, não estou como falso 9, não tenho tantas oportunidades de gol, fico mais na contensão, mas vou estar sempre brigando, jogo a jogo, para estar ajudando a equipe”.

Com chegada de Holan, Santos busca dominar seus adversários a partir da posse de bola; confira números

O Santos em seus últimos jogos tem mais a bola que seus adversários. Segundo o Footstats, a equipe tem a quarta maior média de posse de bola do Campeonato Paulista com 57.6%, atrás apenas de Bragantino, São Paulo e Palmeiras.

Se com o interino Marcelo Fernandes o Peixe já buscava propor o jogo, com a chegada de Holan o cenário não mudou. Em todos os jogos sob o comando do técnico chileno, o alvinegro praiano teve mais a bola que seus adversários.

Foram 54% de posse contra o São Paulo no Morumbi, 67% contra o Deportivo Lara e 63% contra o Ituano. Conhecido por ter um estilo de jogo ofensivo, Holan parece que não vai abdicar de controlar o jogo a partir da posse da bola para ter sucesso no Santos.

Santos pode garantir quase R$ 5 milhões com eventual vaga na Libertadores

Nessa terça-feira, o Santos vai visitar o Deportivo Lara, na Venezuela. Na Vila Belmiro, o Peixe venceu por 2 a 1 e embolsou US$ 350 mil, cerca de R$ 1,9 milhão, como prêmio pago pela Conmebol.

A eventual classificação à segunda fase do torneio continental vai garantir mais US$ 500 mil, aproximadamente R$ 2,7 milhões.

Ou seja, eliminar o Deportivo Lara, além de manter o time vivo na Libertadores, vai ajudar o clube no fluxo de caixa, com o recebimento de algo em torno de R$ 4,6 milhões.

Veja, abaixo, a premiação paga pela Conmebol por cada fase:
Fase 1: US$ 350 mil por jogo como mandante.
Fase 2: US$ 500 mil por jogo como mandante
Fase 3: US$ 550 mil por jogo como mandante.
Fase de grupos: US$ 1 milhão por jogo como mandante.
Oitavas de final: US$ 1,05 milhão
Quartas de final: US$ 1,5 milhões
Semifinais: US$ 2 milhões
Vice-Campeão: US$ 6 milhões
Campeão: US$ 15 milhões


São Paulo 4 x 0 Santos

Data: 06/03/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 3ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Arbitragem: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Alex Ang Ribeiro.
VAR: José Cláudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Pablo (SP).
Gols: Gabriel Sara (04-2), Luan Peres (27-2, contra), Pablo (30-2) e Tchê Tchê (41-2).

SÃO PAULO
Tiago Volpi; Arboleda (Rojas), Bruno Alves e Léo; Igor Vinícius, Rodrigo Nestor (Luan), Daniel Alves, Gabriel Sara (Bruno Rodrigues) e Reinaldo; Luciano (Tchê Tchê) e Pablo (Toró).
Técnico: Hernán Crespo

SANTOS
John; Sandro, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonathan; Alison, Sandry e Jean Mota (Marcos Leonardo); Bruno Marques (Pirani) Lucas Braga e Soteldo.
Técnico: Ariel Holan



São Paulo goleia Santos em estreia de Holan e vence primeiro clássico da nova temporada

O São Paulo venceu com autoridade seu primeiro clássico da nova temporada. Recebendo o Santos neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista, o Tricolor entrou em campo precisando se afirmar contra um adversário da mesma prateleira após a goleada sobre a Inter de Limeira no meio de semana e não decepcionou o técnico Hernán Crespo, garantindo mais uma goleada, pelo mesmo placar, 4 a 0. Gabriel Sara, Luan Peres (contra), Pablo e Tchê Tchê balançaram as redes.

Pela segunda vez consecutiva, o São Paulo saiu de campo sem sofrer gols. Novamente o time foi a campo com três zagueiros, esquema que vem se comprovando eficaz. Além da solidez defensiva, o Tricolor também foi muito bem no ataque mais uma vez, encontrando alternativas e agredindo com diferentes jogadores.

O Santos, por sua vez, segue sem vencer no Campeonato Paulista. Depois de empatar os dois primeiros jogos, desta vez o time acabou derrotado por um placar elástico em plena estreia do argentino Ariel Holan, que ainda busca conhecer melhor o elenco e as possibilidades que ele oferece.

O jogo

O primeiro tempo foi comprometido pela chuva torrencial que caiu na região do Morumbi pouco antes da partida. Com um gramado cheio de poças d’água, Santos e São Paulo travaram uma disputa com poucas emoções nos minutos iniciais, composta quase que exclusivamente por bolas aéreas, desarmes e raras chances claras de gol.

Já que não dava para assustar o adversário com a bola nos pés, o jeito era testar o goleiro chutando de onde era possível. Soteldo entendeu bem isso e logo no primeiro minuto de jogo, após jogada individual pela esquerda e cruzamento rebatido pela zaga, acabou finalizando direto, mas Tiago Volpi não teve dificuldades para fazer a defesa. Pouco depois, em cobrança de falta de longa distância, o goleiro são-paulino novamente interveio sem grande esforço.

A blitz santista continuou no início do jogo e só não foi revertida em gol porque aos nove minutos uma das poças d’água instauradas no gramado do Morumbi jogou a favor dos mandantes. Arboleda vacilou dentro da área e foi desarmado por Soteldo, mas o mau estado do campo impediu a continuação da jogada.

Já o São Paulo chegou com perigo pela primeira vez aos 16 minutos. Pablo recebeu lançamento e, pela esquerda, deixou Luan Peres para trás, invadido a área. Mas, na hora de ajeitar para bater para o gol, a poça d’água desta vez foi a favor do Santos, atrapalhando o ritmo do lance e minando qualquer chance de o camisa 9 tricolor abrir o placar.

Daí em diante a única outra oportunidade mais aguda foi do Santos, aos 26 minutos, quando Soteldo novamente apareceu bem pela esquerda do ataque, fez jogada individual dentro da área e arrumou um mínimo espaço para bater no cantinho de Tiago Volpi, mas mandou para fora.

O São Paulo veio com novidade para a etapa complementar. Arboleda, que sofreu um pisão no primeiro tempo, foi substituído por Rojas. Mas, quem acabou fazendo a diferença foi Gabriel Sara. Após cobrança de escanteio de Daniel Alves, o jovem meio-campista apareceu no meio da área para cabecear para o fundo do gol, sem chances para o goleiro John, abrindo o placar no Morumbi.

Pouco depois, Rojas recebeu na direita, driblou Luan Peres dentro da área, levou para o meio e bateu cruzado, mas pegou mal na bola, desperdiçando uma grande oportunidade para ampliar o marcador.

Embalado com o gol, o São Paulo seguiu pressionando o Santos no campo de ataque. Aos 16 minutos, Gabriel Sara chegou livre pela esquerda e cruzou na área, mas Luciano e Pablo não conseguiram completar para o gol. Depois, aos 23, foi a vez de Léo perder uma chance clara dentro da pequena área ao “furar” a bola e vê-la bater em sua perna de apoio, facilitando a defesa de John.

De tanto insistir, o Tricolor foi premiado aos 27 minutos. Luciano fez ótima jogada individual, limpando a marcação, invadindo a área e batendo pro meio do gol na intenção de algum companheiro completar para o fundo das redes. Mas, quem fez isso foi Luan Peres, que tentou cortar, mas jogou contra o próprio time, ampliando para o São Paulo.

Mal deu tempo de o Santos sacudir a poeira, e o terceiro gol dos donos da casa veio. Igor Vinícius fez grande lançamento direto para Pablo, que saiu sozinho e aproveitou o fato de o goleiro John ainda estar voltando para a sua meta para bater de longe e aumentar ainda mais a vantagem são-paulina no clássico.

Como se não bastasse, antes do apito final Tchê Tchê ainda teve tempo de fechar a conta com um golaço, transformando a elástica vitória em goleada. O volante, que entrou na vaga de Luciano, cortou para o meio e bateu colocado, no ângulo, de fora da área, para encerrar a noite tricolor com chave de ouro.

Alison evita desculpas após goleada do Santos para o São Paulo: “Não podemos admitir”

O capitão Alison evitou dar desculpas após o Santos perder por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

Foi a estreia de Ariel Holan no comando do Peixe.

“Mesmo sendo o início de trabalho e um time recheado de garotos, isso não serve de desculpa. Não podemos admitir uma derrota assim, mesmo com gramado alagado. Não conseguimos colocar em prática o que fizemos nos treinos. Precisamos superar a derrota. Perder jogo assim, ainda mais um clássico, é difícil. Precisamos nos reerguer porque terça temos um jogo importante pela Libertadores”, disse Alison, ao Premiere, antes de não conseguir comentar o motivo dos quatro gols sofridos no segundo tempo.

“É difícil explicar. Não conseguimos colocar em prática o que trabalhamos e acabamos sofrendo”, completou.

Ariel Holan avalia estreia com goleada para o São Paulo: “O Santos não conseguiu encontrar a maneira de jogar”

Estreante no Santos, Ariel Holan avaliou a goleada do São Paulo por 4 a 0 neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

O Peixe fez um bom primeiro tempo no gramado encharcado. No intervalo, o Tricolor tirou Arboleda para a entrada de Rojas e fez quatro gols com o campo em melhor condição.

“Acho que o campo estava muito difícil para os dois times. No primeiro tempo, fizemos boa partida. No segundo tempo, sofremos gols aos três minutos em escanteio. E foi um golpe cedo e nos custou reagir. Tivemos erros individuais que custaram a ampliação do resultado. O Santos não conseguiu encontrar a maneira de jogar. O resultado, para primeiro jogo e clássico, obviamente não é o desejado, mas claramente foi uma partida depois de pouco treinamento e fim de folga necessária. Tivemos três ou quatro treinos praticamente e, realmente, o primeiro tempo nos deixou satisfeitos pela atitude. E no segundo tempo, depois do gol cedo, nos desacomodamos. Não voltamos ao jogo depois do segundo gol. 47 minutos com boa atitude, o Santos que queremos e jogando como se pode num campo assim. E no segundo tempo estranho e São Paulo aproveitou bem”, disse Holan.

“Presidente foi claro quando disse que o primeiro semestre será duro. Temos que trabalhar muito e estamos seguros e convencidos que, trabalhando muito, vamos melhorar para fazermos jogos como o Santos pode e precisa. Começo não é o desejado, mas só começamos. Dói perder assim, mas vamos trabalhar duro para melhorar”, completou.

Holan evita avaliar Luiz Felipe e prevê mudanças no Santos para a Libertadores: “Jogamos na água”

O técnico Ariel Holan evitou avaliar a atuação ruim de Luiz Felipe na derrota do Santos por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

O argentino iniciou a semana com Kaiky, de 17 anos, ao lado de Luan Peres. Na sequência, porém, optou por Luiz nos treinamentos de quinta e sexta-feira. E a experiência “venceu” antes do clássico.

Para enfrentar o Deportivo Lara (VEN) na próxima terça-feira, na Vila Belmiro, Holan prevê mudanças, até pelo cansaço do gramado encharcado no San-São. A partida é válida pelo jogo de ida da Pré-Libertadores da América.

“Vamos fazer uma avaliação completa amanhã. Mais do que o desempenho individual, vamos fazer alterações porque serão poucas horas de descanso e jogamos na água hoje. Tivemos um custo físico e na terça jogarão os que estiverem melhor”, disse Holan.

“Vamos analisar essa partida a partir de amanhã. Primeiro tínhamos o São Paulo, com compromisso muito importante. Amanhã veremos como resolver o Lara. Equipe que mudou jogadores, equipe nova. Veremos como se arma e como nos armaremos nós. Pensando, insisto, na partida dura de hoje, com condição no campo difícil. Teremos que ser inteligentes para a equipe estar dinâmica e rápida. Respeitamos os rivais, mas primeiro pensaremos na nossa recuperação para terça”, completou.

Holan não descarta João Paulo no Santos para a Libertadores e vê possibilidade de revezamento com John

O técnico Ariel Holan admitiu a possibilidade de um revezamento entre John e João Paulo no Santos. O primeiro largou na frente e foi titular na derrota por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

John e João Paulo travaram um bom duelo na última temporada, mas João terminou como titular. E a escolha do novo técnico foi por John neste início de trabalho.

“É uma possibilidade (o revezamento). São muitos jogos. Pode ocorrer isso também em outras posições. Veremos partida a partida como armar a equipe na copa (Libertadores) e também pela recuperação no Paulista”, disse Holan, em entrevista coletiva.


Santos 1 x 1 Ferroviária

Data: 03/03/2021, quarta-feira, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Leonardo Tadeu Pedro.
VAR: Marcio Henrique de Gois
Cartões amarelos: Vinicius Balieiro (S); Bruno Mezenga (F).
Gols: Sabino (28-1); Felipe Marques (20-2).

SANTOS
Vladimir; Vinicius Balieiro, Alex, Sabino e Wagner Palha (Jhonnathan); Kevin Malthus, Ivonei (Lucas Lourenço) e Tailson (Bruno Marques); Ângelo, Allanzinho (Fernandinho) e Arthur Gomes (Guilherme Nunes).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)

FERROVIÁRIA
Saulo; Diogo Matheus, Matheus Salustiano, Xandão e Arthur Henrique; Higor Meritão, Vinícius Zanocelo (Rogério) e Renato Cajá (Anderson); Felipe Marques (Fellipe Mateus), Hygor (Yuri) e Bruno Mezenga (Everton).
Técnico: Pintado



Jovens do Santos saem na frente, mas sofrem empate da Ferroviária na Vila Belmiro

O Santos empatou em 1 a 1 com a Ferroviária nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O Peixe abriu o placar com Sabino. Felipe Marques deixou tudo igual.

Sob o comando de Marcelo Fernandes, o Alvinegro foi a campo com time inteiramente formado pela base, enquanto os titulares se preparam para enfrentar o São Paulo no sábado, às 17h, no Morumbi, na estreia de Ariel Holan.

O Santos fez um primeiro tempo seguro na defesa, mas de pouca criatividade com Tailson de meia e Arthur Gomes de falso 9. Na etapa final, o Peixe foi encurralado pela Ferroviária, sofreu o empate e poderia até ter perdido.

O Santos somou o segundo ponto em duas rodadas e é o segundo colocado do Grupo D, atrás do Mirassol (4). A Ferroviária vai a quatro pontos e divide a liderança do Grupo B com o São Paulo.

O jogo

O Santos foi seguro defensivamente contra a Ferroviária, mas teve dificuldade para criar chances. As opções com Tailson de meia e Arthur Gomes de falso 9 não funcionaram.

A Ferroviária só chegou uma vez, quando Vinicius Zanocelo recebeu de Renato Cajá e obrigou Vladimir a fazer boa defesa. E o Peixe assustou apenas na bola parada.

Com bons cruzamentos de Ivonei, o Santos chegou em escanteios consecutivos, mas foi numa falta que o meia colocou a bola na cabeça de Sabino. O zagueiro desviou e abriu o placar aos 29 minutos.

A Ferroviária voltou melhor para a etapa final e jogou o Santos para o campo de defesa. O Peixe deixou de ter a bola e passou a não controlar a partida na Vila.

A Ferrinha foi ganhando espaço até empatar. Em jogada bem trabalhada, Felipe Marques recebeu de Renato Cajá e bateu forte para vencer Vladimir. 1 a 1.

Nos minutos finais, o Santos não levou perigo a Saulo, enquanto a Ferroviária deu alguns sustos em Vladimir, como num chute perigoso de Rogerio aos 38 jogados. No fim das contas, um time foi melhor em cada tempo e o 1 a 1 no placar.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes passa o bastão para Holan no Santos: “Meninos provaram que nossa base é forte”

Após três jogos à frente do Santos, o auxiliar Marcelo Fernandes passa o bastão para o novo técnico Ariel Holan antes do clássico contra o São Paulo no próximo sábado, às 19h (de Brasília), no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

Marcelo comandou o Peixe na derrota para o Bahia e nos empates com Santo André e Ferroviária.

“Meninos deram muita conta do recado nesses dois jogos e também contra o Bahia. Dão conta sempre que requisitados. Meninos valem ouro, provaram que nossa base é forte. Ariel viu tudo que a molecada está fazendo e isso é muito bom. Molecada precisa estar sempre motivada para agarrar as chances sempre que possível”, disse o auxiliar, depois do empate em 1 a 1 com a Ferroviária nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Marcelo Fernandes também comentou sobre o cuidado de Holan com a atual comissão técnica.

“Ariel é o treinador do Santos. Se preocupou desde o início com o melhor do clube. Discutimos, chegamos em comum acordo e quer sempre ter nosso feedback. Ele precisa estar o quanto antes sabedor de todas as qualidades dos jogadores. Conversamos sobre o time, substituições, pede muita coisa a gente e cabe a nós aceitar e ajudar. Ele é qualificado, tem estafe forte e quem ganha com isso é o Santos”, afirmou.

“Ariel nos deixou muito à vontade, agregou, deixou ambiente leve. Foi muito bom para o Santos. Nós passamos a bola para o trabalho dele fluir o quanto antes”, completou.

Depois de rodar o elenco e promover a estreia de vários jovens, o Santos contará com o retorno dos titulares na estreia de Holan no San-São.

O provável Peixe é João Paulo (John), Sandro, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry e Gabriel Pirani; Lucas Braga, Soteldo e Jean Mota.

Marinho e Pará (covid-19), Raniel, Sánchez, Jobson, Madson, Laércio e Kaio Jorge (departamento médico) e Marcos Leonardo e Renyer (seleção sub-18) são desfalques.

Sabino se emociona com estreia e gol: “Santos me acolheu, meu sonho sempre foi retribuir”

Aos 24 anos, Sabino estreou como jogador profissional do Santos nesta quarta-feira, no empate em 1 a 1 com a Ferroviária na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

E o Menino da Vila estreou com gol de cabeça. Ele foi reintegrado após dois anos de empréstimo no Coritiba e se emocionou em entrevista.

“Emocionado. Estou aqui desde 2012, há 10 anos o Santos me acolheu e meu sonho foi sempre retribuir da melhor maneira possível. É para isso que sou pago”, disse Sabino, ao Premiere.

Ivonei se anima com chegada de Holan ao Santos: “Acho que vai aproveitar a gente”

Ivonei está animado com a chegada de Ariel Holan ao Santos. O novo técnico já mostrou que utilizará vários atletas da base e vê o Campeonato Paulista como laboratório.

Ivonei foi um dos poucos destaques do empate do Peixe em 1 a 1 com a Ferroviária nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Estadual. Ele deu a assistência para o gol de Sabino.

“A gente fica feliz pela oportunidade. A gente luta na base por isso. Mostrando o futebol que a gente fazia na base, acho que o Holan vai gostar e aproveitar a gente no profissional”, disse o meio-campista, ao Premiere.


Santo André 2 x 2 Santos

Data: 28/02/2021, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 1ª rodada
Local: Estádio do Canindé, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Humberto José Junior.
Cartões amarelos: Léo Costa e Rone (SA); Kevin Malthus e Sandro (S).
Gols: Vitinho (02-1), Jean Mota (04-1) e Gabriel Pirani (24-1); Ramon (06-2).

SANTO ANDRÉ
Fernando Henrique; Marcos Martins, Rodrigo, Willian Goiano e Giovanni Palmieri; Wesley Fraga (Léo Costa), Vitinho (Rone), Marino (Paulo Roberto) e Gegê (Rafael Vinicius); Minho e Ramon (Tiago Marques).
Técnico: Paulo Roberto Santos

SANTOS
Vladimir; Sandro, Kaiky (Robson), Alex e Wagner Leonardo; Vinícius Balieiro, Kevin Malthus (Tailson), Gabriel Pirani (Ivonei) e Jean Mota (Bruno Marques); Ângelo e Arthur Gomes (Allanzinho).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Sob o olhar de Holan e com o time reserva, Santos empata com o Santo André na estreia do Paulistão

O Santos subiu a serra neste domingo para estrear pelo Campeonato Paulista. Jogando no Canindé e com o time reserva, o Peixe enfrentou a equipe do Santo André. Em jogo movimentado e de muitos gols, as duas equipes ficaram no empate por 2 a 2.

Ainda sem Ariel Holan, que acompanhou a partida da arquibancada, Marcelo Fernandes comandou o Peixe e mandou o time reserva ao campo, dando oportunidade para muitos meninos da Vila.

O jogo

O jogo começou quente no Canindé! O Santo André abriu o marcador logo no primeiro ataque, com dois minutos de bola rolando. Após cobrança de escanteio, a bola seguiu viva na grande área e Vitinho aproveitou a sobra para balançar a rede.

A reposta do Peixe foi imediata e, aos quatro minutos, o setor ofensivo rodou a bola até a ponta direita e cruzou para Jean Mota infiltrar e deixar o marcador igualado.

O jogo continuou aberto e movimentado, e foi na velocidade que o Santos conseguiu a virada ainda no primeiro tempo. Aos 24 minutos, o jovem Gabriel Pirani conduziu pelo meio e apenas deslocou o goleiro para anotar seu primeiro gol com a camisa alvinegra.

A vantagem santista durou até o início do segundo tempo, quando o Ramalhão surpreendeu mais uma vez. Com cinco minutos, Marino tocou por cima do goleiro Vladimir e Ramon completou para o fundo da rede.

Após o gol de empate, o Santo André se fechou e apostou no contra-ataque para buscar a vitória. Ramon apareceu mais uma vez no ataque do Ramalhão para marcar, mas a bandeira levantou e o gol foi anulado.

O jogo seguiu aberto. Os mandantes pararam em Vladimir, o Santos não conseguiu ser eficiente e o empate seguiu até o apito final.

Empate na estreia do Paulistão mostra potencial de jovens da base

O torcedor santista talvez tenha estranhado a escalação do Peixe neste domingo. A equipe estreou no Campeonato Paulista diante do Santos André, 2 a 2, e com um time formado em sua maioria por jovens da base. A exceção foi Jean Mota e o goleiro Vladimir.

Mais experientes, coube a Jean Mota e Vladimir liderar os meninos da Vila na estreia do Paulista. Com protagonismo de ambos – gol do meia e grande atuação do goleiro – o Santos reagiu diante do Santo André e ficou no empate por 2 a 2.

Dos 19 jogadores relacionados para a partida, Jean Mota foi o único não formado nas categorias de base da Vila e o meia destacou a atuação dos jovens: “Foi uma boa estreia, se portaram bem. Fizemos gols de bola trabalhada. Pelo todo, o time está de parabéns”.

Destaque também pela dinâmica formada no meio-campo, com Gabriel Pirani, Kevin Malthus e Vinicius Balieiro. Os três participaram diretamente dos gols do Peixe.

O empate serviu para mostrar que o futuro treinador da equipe, Ariel Holan, poderá contar com o pessoal mais novo para a sequência da temporada que se inicia. O argentino, inclusive, acompanhou o confronto nas arquibancadas do Canindé.

Marcelo Fernandes destaca boa apresentação de meninos da Vila

Apesar do empate na estreia do Paulistão, por 2 a 2 contra o Santo André, a equipe do Santos trouxe esperança ao torcedor alvinegro. O Peixe entrou em campo com o time reserva, repleto de jovens, e os meninos da Vila deram conta do recado.

Com Ariel Holan ainda sem assumir e acompanhando o jogo da arquibancada, Marcelo Fernandes comandou o time da baixada e gostou do que viu.

“Muito feliz com o que a rapaziada apresentou hoje. A equipe que entrou em campo tinha uma média de 20 anos de idade, mesmo com Vladimir e Jean Mota. Eles tomaram um gol com dois minutos e tiveram personalidade para empatar e virar ainda no primeiro tempo”, disse o treinador.

“Sabíamos que o segundo tempo seria difícil por conta do condicionamento físico. Mas acho que o Santos está muito bem servido pelo sua base, são jogadores que vão agregar muito no trabalho do Ariel Holan”, completou Marcelo Fernandes.

Futuro treinador do Santos, mas ainda sem previsão para assumir a equipe, Ariel Holan visitou neste domingo a Vila Belmiro e se reuniu com o presidente Andres Rueda. Em seguida, subiu até São Paulo para acompanhar a partida diante do Santo André.

“Após a saída do Cuca, já comecei o contato com o Ariel Holan imediatamente. Ele se mostrou uma pessoa muito participativa, muito humilde, que quer agregar com aqueles que já estão aqui. Nosso papel é dar munição para ele, contar o que está acontecendo. Temos conversado bastante, um excelente treinador”, disse Marcelo Fernandes sobre o argentino.

Marcelo Fernandes explica transição de trabalho e participação de Ariel Holan

Após o empate na estreia do Paulistão, diante do Santo André, o comandante da noite Marcelo Fernandes falou sobre a transição de trabalho que vem acontecendo para que Ariel Holan assuma o cargo.

Marcelo Fernandes mostrou entusiasmo e confiança no trabalho do argentino. Ariel Holan ainda não assumiu o trabalho, mas tem participado internamente.

“Ariel tem conversado com a gente desde que viajamos para a Bahia. Trocamos ideia, ele pergunta o que a gente acha, explicamos a situação e ele deixa a gente sempre muito a vontade”, disse o auxiliar fixo.

Ariel Holan visitou neste domingo a Vila Belmiro e se reuniu com o presidente Andres Rueda. Mais tarde, o argentino subiu para São Paulo e acompanhou a estreia no Peixe no Canindé.

“Ele tem um grupo de análise e desempenho que trabalha junto e já tem todos os perfis traçados dos jogadores. Ele conversou com a gente de querer ver esse jogador ou aquele em tal posição. Cabe a gente fazer o que ele pediu durante o jogo, mas conseguimos atender todos os pedidos – escalação ou situações durante o jogo. Acho muito importante a participação dele, querendo trabalhar e agregar, quem ganha com isso é o Santos”, concluiu.

A estreia de Ariel Holan na beira do campo ainda não tem previsão, mas o Santos volta a campo na próxima quarta-feira, às 17h, na Vila Belmiro, quando recebe a Ferroviária pela segunda rodada do Paulistão.

Jean Mota destaca postura de jovens na estreia do Paulistão: “Se portaram bem”

Neste domingo, o Santos estreou no Campeonato Paulista empatando com o Santo André, por 2 a 2. O jogo serviu de oportunidade para alguns meninos da Vila – foi o caso de Gabriel Pirani, autor do segundo gol alvinegro.

Com o time reserva e recheado de jovens, coube aos mais experientes liderarem o Peixe em campo. Jean Mota comprou a briga e foi o autor do primeiro gol. O meia comentou após o jogo a postura dos mais novos dentro de campo.

“A molecada não vinha jogando, falta um pouco de ritmo. Mas foi uma boa estreia, se portaram bem. Fizemos gols de bola trabalhada. Pelo todo, o time está de parabéns. Agora é acertar o que a gente errou para não sermos surpreendidos”, comentou Jean Mota.

Ainda na saída para o intervalo, Gabriel Pirani também falou sobre a emoção de ter balançado a rede pelo primeira vez com a camisa do Santos: “Fico feliz de fazer gol. Trabalhei a vida inteira. São 10 anos no clube. O trabalho que está sendo realizado é bem feito”.

Jean Mota recusa folga e começa Paulistão com gol no Santos: “Decidi ficar para ajudar”

Jean Mota começou bem o Campeonato Paulista. Na função de falso 9, o meia fez o primeiro gol do Santos no empate em 2 a 2 com o Santo André no último domingo, no Canindé.

Jean optou por não folgar para ajudar o Peixe neste início de competição. João Paulo, John, Pará, Luiz Felipe, Luan Peres, Felipe Jonatan, Alison, Sandry, Soteldo e Lucas Braga ganharam um recesso e voltam nesta terça-feira. Marinho está com covid-19 e Kaio Jorge, Laércio, Madson, Jobson, Carlos Sánchez e Raniel se recuperam no departamento médico. Marcos Leonardo e Renyer estão com a seleção brasileira sub-18.

“Pelas circunstâncias, foi uma estreia proveitosa. Um time muito jovem, que não costuma jogar junto, e que mesmo assim soube se portar dentro de campo. Queríamos ter saído com a vitória, mas empatar fora de casa numa estreia não só do campeonato, mas de muitos pelo profissional também, não foi um resultado ruim, por todas as circunstâncias envolvidas. Fico feliz de ter jogado, de ter passado um pouco da minha experiência e acredito que todos têm potencial para dar alegrias ao torcedor santista num futuro próximo”, disse Jean.

“Foi uma escolha minha. O Marcelo Fernandes me deu essa opção e, conversando com a minha esposa, decidi ficar para ajudar o Santos. Essa sempre foi a minha prioridade, ajudar este clube dentro ou fora do campo, seja treinando ou seja jogando”, completou.

Jean Mota deve continuar no “comando” do jovem time do Santos contra a Ferroviária na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 2ª rodada do Paulistão.

Polivalente, Pirani se surpreende com ascensão no Santos: “Sensação incrível”

Gabriel Pirani está surpreso com a própria ascensão no Santos. O meia-atacante de 18 anos estreou como profissional no intervalo do jogo contra o Bahia e foi titular diante do Santo André, quando fez seu primeiro gol.

Em alta, o Menino da Vila é polivalente: pode atuar como meia, pelas pontas ou até como falso 9.

“Uma sensação incrível balançar as redes pela primeira vez com essa camisa gigante, e fazer isso logo no meu segundo jogo foi inesquecível. Não esperava acontecer tudo isso tão rápido, mas eu sempre trabalhei muito para chegar aqui e fico feliz desse gol ter acontecido no momento certo. Foi ótimo saber que o professor estava na arquibancada assistindo o jogo de perto. Quero abraçar essa oportunidade. Fico feliz não só por ele ter visto o meu trabalho, mas sim o de todo o grupo. Muitos meninos subiram e estamos fazendo de tudo para agradar. Tenho certeza que o Holan terá um excelente grupo nas mãos”, disse Pirani.

“Claro que o jogo contra a Ferroviária será muito importante, já que os titulares ainda não estarão à disposição. Mas acho que temos que mostrar qualidade diariamente. Precisamos ir bem contra a Ferroviária e também nos treinos do dia a dia para seguir recebendo oportunidades da temporada. Estou pronto para jogar onde a comissão preferir”, completou o meia.

Gabriel Pirani deve ser titular mais uma vez contra a Ferroviária na próxima quarta-feira, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O Peixe terá os reservas e o comando do auxiliar Marcelo Fernandes.

Os titulares retornam da folga nesta terça, no primeiro treinamento de Ariel Holan. A estreia do técnico deve ocorrer apenas no domingo, diante do São Paulo, no Morumbi.

João Paulo, John, Pará, Luiz Felipe, Luan Peres, Felipe Jonatan, Alison, Sandry, Soteldo e Lucas Braga ganharam o recesso. Marinho está com covid-19 e Kaio Jorge, Laércio, Madson, Jobson, Carlos Sánchez e Raniel se recuperam no departamento médico. Marcos Leonardo e Renyer estão com a seleção brasileira sub-18.


Santos 1 x 3 Ponte Preta

Data: 30/07/2020, quinta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de final – Jogo único
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Salim Fende Chavez.
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Fabrini Bevilaqua Costa.
VAR: José Claudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Marinho, Arthur Gomes e Pará (S); Jeferson (PP).
Cartão vermelho: Marinho (S) aos 42-1.
Gols: Marinho (05-1); Bruno Rodrigues (04-2), Moisés (15-2) e João Paulo (42-2).

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Jobson), Diego Pituca (Jean Mota) e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

PONTE PRETA
Ivan; Apodi, Henrique Trevisan, Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni; Dawhan, Jeferson (Moisés), Vinícius Zanocelo (Bruno Reis) e João Paulo (Danrley); Bruno Rodrigues e Alison Safira (Roger).
Técnico: João Brigatti



Marinho é expulso, Vladimir falha, e Santos é eliminado pela Ponte Preta

O Santos perdeu por 3 a 1 e foi eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista nesta quinta-feira, em plena Vila Belmiro.

O Peixe abriu o placar com Marinho, mas o próprio atacante caiu na pilha, recebeu dois cartões amarelos e foi expulso no fim do primeiro tempo.

Com um a menos em campo pela quarta vez consecutiva, o Alvinegro se desorganizou por completo e sofreu a virada na etapa final com gols de Bruno Rodrigues, Moisés e João Paulo. O goleiro Vladimir falhou nos dois primeiros lances.

O Peixe, eliminado em casa, agora aguarda pelo Campeonato Brasileiro. A Ponte Preta enfrentará o Palmeiras na semifinal do Paulistão.

O jogo

O Santos começou em cima da Ponte Preta, mas foi a Macaca quem assustou primeiro. Logo no segundo minuto de jogo, Jeferson cabeceou no travessão.

Aos 5, porém, o Peixe abriu o placar. Soteldo cruzou na cabeça de Marinho no segundo pau. O goleiro Ivan, vendido, só viu a bola morrer no fundo da rede.

Com a vantagem parcial, o Alvinegro passou a administrar, sem criar muitas chances e sem sofrer. Até que veio a quarta expulsão consecutiva…

Marinho, irritado com as faltas sem parar da Ponte, recebeu dois cartões amarelos. O segundo veio aos 42 da etapa inicial.

Com um a menos, assim como contra o Novorizontino, o Santos desabafou. A Ponte Preta virou em 15 minutos: Bruno Rodrigues empatou aos 4 e Moisés virou aos 15. Em ambos os casos, falha do goleiro Vladimir.

Jesualdo fez alterações, tentou fazer o Peixe reagir, e nada adiantou. A Ponte ficou mais perto do terceiro que os donos da casa do segundo.

Sem reação, o Santos não criou nada e ainda sofreu o terceiro gol. João Paulo, livre, teve tempo para ajeitar, pensar e chutar de fora da área para matar a classificatória.

Santos eliminado em plena Vila Belmiro.

Marinho pede perdão ao torcedor do Santos: “Expulsão infantil”

Marinho pediu perdão ao torcedor do Santos pela expulsão ainda no primeiro tempo da derrota por 3 a 1 para a Ponte Preta nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

O próprio Marinho abriu o placar, mas recebeu dois cartões amarelos e deixou o Peixe com um a menos. O Alvinegro foi eliminado nas quartas de final.

“Infelizmente, o futebol tem dessas coisas. O que era para ser uma noite especial, e começou assim, se tornou um pesadelo. Peço desculpas ao torcedor pela expulsão, que foi infantil e reconheço. Deveria ter tomado mais cuidado em um momento como aquele da partida. Só tenho que pedir desculpas ao grupo e à comissão técnica por isso. Todos batalharam muito nos últimos dias para que pudéssemos chegar à final e conquistar o estadual. Somos humanos e falhamos. Dessa vez, aconteceu comigo e em um momento decisivo. Perdão, do fundo do meu coração”, escreveu Marinho, no Instagram.

Juiz aponta xingamentos de Marinho, do Santos: “Você veio roubar aqui”

O árbitro Salim Fende Chavez apontou xingamentos de Marinho na súmula de Santos x Ponte Preta, pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

O camisa 11 foi expulso ainda no primeiro tempo da derrota do Peixe por 3 a 1. Incomodado com as faltas consecutivas da Macaca, ele recebeu dois cartões amarelos.

“Seu m…, ladrão, filho da p… Você veio roubar aqui. Foram 10 faltas em cima de mim, seu b…”, disse Marinho, de acordo com o juiz.

Autor do gol do Alvinegro, Marinho pode ser punido pelas palavras ditas ao árbitro. Sem ele em campo, os donos da casa sofreram a virada e acabaram eliminados.

Jesualdo diz que Santos merecia ir mais longe: “Não há motivo para desistir”

O técnico Jesualdo Ferreira acredita que o Santos deveria ter ido mais longe no Campeonato Paulista. O Peixe foi eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

O treinador lamentou o quarto jogo consecutivo com expulsão. Desta vez, Marinho recebeu o segundo cartão amarelo.

“Não era nada disso que eu esperava. Primeiro tempo competitivo, nosso adversário muito agressivo, violento. Arbitragem não comandou bem. Marinho sofreu várias faltas e nada aconteceu. E com 10, no segundo tempo, foi difícil. Esse é o quarto jogo que o Santos começa ganhando e depois não ganha, por ficar com 10. O psicológico pesou muito no segundo tempo. Acho que merecíamos ir mais longe. Muitos problemas, como todos sabemos, mas vamos ter de resolver internamente”, disse Jesualdo, ao SporTV.

“O que a equipe fez na semana passada, primeiro tempo de hoje… Não há motivo para desistir e achar que tudo está terminado”, completou.

O Santos agora aguarda pelo Campeonato Brasileiro. O Peixe enfrentará o Red Bull Bragantino no dia 9 de agosto, na Vila Belmiro.

Jesualdo pede compreensão no Santos

O técnico Jesualdo Ferreira pediu compreensão após o Santos ser eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista, em plena Vila Belmiro.

O português falou sobre nova expulsão, dessa vez de Marinho, e sobre o aspecto psicológico.

“Fizemos um gol, tivemos ocasião de fazer mais em jogo picado. Muita agressividade do nosso adversário. Juiz não controlou, tiraram vantagem disso com a expulsão do Marinho. Não tiramos mérito da Ponte Preta, que fez seu trabalho. No segundo tempo, houve queda psicológica, equipe não foi capaz de reagir e ficou à espera, foi reativa. Tínhamos esperança de ganhar e saímos de forma inglória. Não lembro de quatro expulsões seguidas, no primeiro tempo ou no começo do segundo”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

“Questão passa pelo grupo entender os caminhos a seguir. De fato há três competições. Não acabou. Santos tem muitos jogos e não pode perder sem começar de fato o trabalho. De 15 até 60 ou 70 falta muito. E há muito tempo a recuperar. Não admito que alguém desista porque eu não desisto. Estamos todos tristes, revoltados. Espero que o torcedor entenda o que jogador tem passado com essa pandemia e condições todas. Tivemos problemas e vamos tentar resolver internamente. Não vou arranjar desculpas. A verdade é que equipe perdeu, não merecia perder enquanto conseguiu jogar. Sobre ponto de vista psicológica, está mal. Contra o São Paulo, ganhávamos. Depois mesma coisa. É no mínimo preocupante, mas nos deixa na dúvida do que será. E será nosso trabalho descobrir”, completou.

Jesualdo Ferreira também falou sobre “justiça” na análise da eliminação.

“Continuar treinando bem para recuperar os jogadores. Se forem justos, vão estar de acordo comigo: fizemos sempre, enquanto tivemos 11, jogos bons. E com resultados bons. O que eu quero que aconteça é que seja uma norma. Que seja essa a ideia. Trazer todos para o primeiro patamar. Que é o que vínhamos fazendo antes das expulsões”, concluiu.

Vladimir ganha apoio de Jesualdo no Santos: “Plena confiança”

Vladimir ganhou o apoio do técnico Jesualdo Ferreira após falhar em dois dos três gols da Ponte Preta nos 3 a 1 contra o Santos na última quinta-feira, na Vila Belmiro.

O goleiro não demonstrou segurança na primeira decisão depois de assumir a vaga deixada por Everson, que entrou na Justiça contra o Peixe. O Alvinegro foi eliminado nas quartas de final.

“Vladimir está numa fase de adaptação. Estava sem jogar há muito tempo, jogou um jogo antes disso (da pandemia). Está se adaptando, precisa continuar trabalhando. Ele trabalha bem. Temos plena confiança”, disse Jesualdo.

Além da confiança de Jesualdo Ferreira, o Santos nem poderia contratar outro goleiro. O Peixe está bloqueado pela Fifa por causa da dívida com o Hamburgo, da Alemanha, por Cleber Reis.

Jesualdo não teme demissão no Santos: “Diretoria está à vontade”

O técnico Jesualdo Ferreira não teme a demissão no Santos após a eliminação para a Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista.

“Não temo nada. Diretoria está à vontade. Nem sequer me preocupa. Que façam o que quiserem”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

A Gazeta Esportiva ouviu membros da diretoria santista e, ao menos neste momento, não se fala em mudança no comando técnico.

Jesualdo tem contrato até 31 de dezembro e deve ter o vínculo rescindido ao menos até o fim do Campeonato Brasileiro, em fevereiro.

Jesualdo explica “sumiço” de Venuto e cita “desequilíbrio” no Santos

O técnico Jesualdo Ferreira explicou as poucas chances dadas ao atacante Lucas Venuto no Santos. Ele atuou apenas uma vez na temporada.

Venuto jogou por 11 minutos na derrota por 2 a 0 para o Ituano, em fevereiro. E entrou como lateral-direito.

“Temos tido poucos jogos. E porque na construção do plantel, há mais para algumas posições e menos para outras. Esse equilíbrio deve ser estabelecido”, disse Jesualdo.

O treinador português prefere outras opções além de Marinho e Soteldo: Raniel, Arthur Gomes, Tailson e até Renyer, alternativa antes de cirurgia no joelho.

Ao falar em “estabelecer equilíbrio no elenco”, Jesualdo sinaliza a possível saída de Lucas Venuto. Até o momento, porém, não houve proposta. O contrato termina em 31 de dezembro de 2022.