Navegando Posts marcados como Atlético-PR

Athletico-PR 1 x 0 Santos

Data: 21/11/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 22ª rodada
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, PR.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhães de Miranda (RJ)
Cartões amarelos: Sandry e Marinho (S).
Gol: Thiago Heleno (29-1).

ATHLETICO-PR
Santos; Erick, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Wellington (Alvarado), Christian (Fabinho) e Léo Cittadini; Nikão (Felipe Aguilar), Reinaldo (Ravanelli) e Renato Kayzer (Bissoli).
Técnico: Paulo Autuori

SANTOS
John; Pará (Madson), Luiz Felipe, Laércio (Alex) e Wagner Leonardo; Vinicius Balieiro, Ivonei (Sandry) e Jobson (Jean Mota); Lucas Braga, Arthur Gomes e Marcos Leonardo (Marinho).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Com time alternativo, Santos perde para o Athletico-PR e pode deixar o G6

Neste sábado, Athletico-PR e Santos se enfrentaram na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ainda sem Cuca, que se recupera da covid-19, e com um time alternativo, o Peixe saiu derrotado por 1 a 0 para a equipe paranaense, que chegou à quarta vitória consecutiva na competição. Thiago Heleno marcou o gol.

Desse modo, o Rubro-Negro chega a 28 pontos conquistados e ocupa a nona colocação, enquanto o Alvinegro Praiano soma 34 pontos e aparece no sexto lugar. No entanto, o clube paulista ainda pode perder posições dependendo dos outros resultados da rodada.

O jogo

A partida começou com o Athletico pressionando a saída de bola do Santos e tentando se impor nos minutos iniciais. No entanto, a primeira boa chance do confronto foi criada pelos visitantes. Aos 12 minutos, Lucas Braga fez boa jogada pelo meio e deixou para Arthur Gomes, que bateu alto, mas viu o goleiro Santos defender com a cabeça.

Aos 23, Christian, lesionado, teve de ser substituído por Paulo Autuori e deu lugar ao atacante Fabinho. Quatro minutos depois, o Furacão quase tirou o zero do marcador. Nikão achou o passe em profundidade na área para Fabinho, que cruzou rasteiro para Renato Kayser. O camisa 79, porém, não conseguiu alcançar e apenas raspou na bola.

Os donos da casa seguiram mais incisivos no ataque, mas sem criar grandes oportunidades. O Peixe também não conseguiu voltar ameaçar a meta rubro-negra, o que manteve o empate sem gols no placar até o intervalo. Além disso, o Alvinegro também perdeu um jogador por lesão: o zagueiro Laércio deixou o campo para a entrada de Alex.

No segundo tempo, aos nove minutos, o Athletico desperdiçou chance incrível de sair na frente. Após cobrança da falta na barreira, Erick ficou com a sobra no meio da área. Ele finalizou na saída de John, mas mandou por cima do gol santista.

O Santos respondeu aos 13, quando Arthur Gomes fez linda jogada pela esquerda, cortou para o meio e arriscou o chute de fora da área, exigindo a defesa em dois tempo do arqueiro do clube paranaense. E aos 22, Marcelo Fernandes tentou dar uma nova cara à equipe ao colocar Marinho e Jean Mota nos lugares de Marcos Leonardo e Jobson.

Contudo, foram os mandantes que balançaram as redes. Aos 29 minutos, Ravanelli cobrou escanteio na área para Thiago Heleno subir alto e completar de cabeça. A bola ainda quicou na pequena área e complicou o goleiro John, que nada pôde fazer.

Nos lances seguintes, John salvou o Peixe em chute de Fabinho, e a trave evitou o gol de empate alvinegro em cabeceio de Madson. Depois, o goleiro Santos fez boa defesa em desvio de cabeça após cobrança de falta do camisa 13 visitante. Assim, o Athletico garantiu a vitória e os três pontos.

Contra o Athletico-PR, Santos completará 1.500 jogos pelo Campeonato Brasileiro ( Em 19/11/2020 )

Pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, Athletico-PR e Santos se enfrentam neste sábado, às 19h, na Arena da Baixada. Ao entrar em campo em busca da segunda vitória consecutiva, o Peixe completará 1.500 partidas pela competição nacional.

Sempre presente na primeira divisão do Brasileirão, o Alvinegro praiano é o clube que mais balançou as redes no torneio, com 2.230 gols. A equipe também é detentora do recorde de mais gols em uma mesma edição da competição. Em 2004, quando conquistou seu oitavo e último título brasileiro, o Santos fez 103 tentos em 46 partidas, média de 2,24 gols por duelo.

Em toda a história do Campeonato Brasileiro, o Peixe ficou de fora em apenas duas edições. Quando a competição era denominada como Taça Brasil, apenas os campeões estaduais do ano anterior participavam da competição. Como não conquistou o título paulista em 1959, o Santos não disputou o torneio em 1960.

Já em 1979, o Alvinegro, junto de outros clubes paulistas, não participou da competição nacional por conta de atritos com a antiga CBD (Confederação Brasileira de Desportos).

Ao todo, o clube da Vila Belmiro soma 1.499 jogos, 641 vitórias, 421 empates e 437 derrotas no Brasileirão, além de 2.230 gols marcados, 1.679 gols sofridos e oitos títulos.


Santos 3 x 1 Athletico-PR

Data: 16/08/2020, domingo, 19h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Cartões amarelos: Alison (S); Richard e Lucas Silvestre (A).
Gols: Soteldo (27-1) e Felipe Jonatan (39-1); Marinho (36-2) e Abner (41-2).

SANTOS
Vladimir (João Paulo); Pará, Lucas Veríssimo (Alex), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sanchez; Marinho (Jobson), Soteldo e Kaio Jorge (Tailson).
Técnico: Cuca

ATHLETICO-PR
Santos; Jonathan (Khellven), Thiago Heleno, Lucas Halter e Abner; Wellington, Léo Cittadini e Marquinhos Gabriel (Richard); Nikão (Geuvânio), Vitinho (Pedrinho) e Vinícius Mingotti (Carlos Eduardo).
Técnico: Lucas Silvestre



Com Marinho inspirado, Santos bate Athletico-PR e vence a primeira no Brasileiro

O Santos conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro na noite deste domingo. Na Vila Belmiro, com Marinho inspirado, a equipe comandada pelo técnico Cuca ganhou do Athletico-PR por 3 a 1 e enfim desencantou no torneio nacional.

Com seu primeiro triunfo, o Santos chega aos quatro pontos ganhos e figura no oitavo lugar da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Já o Athletico-PR, antes com 100% de aproveitamento no torneio, permanece com seis pontos e cai para a quinta posição.

O jogo

O Santos conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro aos 27 minutos do primeiro tempo. Em uma saída errada do Athletico-PR, Lucas Halter permitiu a retomada do Santos no campo de ataque. Marinho recebeu do lado direito e cruzou rasteiro para Soteldo apenas completar.

O time mandante cresceu após sair na frente e conseguiu aumentar a vantagem aos 39 minutos da etapa inicial. Marinho driblou pela direita e cruzou. A bola passou por Soteldo e chegou para conclusão certeira de Felipe Jonatan, no ângulo esquerdo do goleiro Santos.

O Santos conseguiu construir uma boa vantagem no primeiro tempo, mas perdeu o zagueiro Lucas Veríssimo e o goleiro Vladimir, substituídos por Alex e João Paulo, respectivamente. Nos acréscimos, Nikão pegou uma sobra na entrada da área, limpou a marcação e acertou a trave da meta alvinegra.

Encarregado de substituir o pai Dorival Júnior, afastado por covid-19, o auxiliar Lucas Silvestre voltou para o segundo tempo com Carlos Eduardo no lugar de Vinícius Mingotti. Em uma jogada individual dentro da área, o ex-atacante do Palmeiras caiu após contato de Diego Pituca, em lance considerado normal pela arbitragem.

O Santos conseguiu marcar seu terceiro gol aos 36 minutos da etapa complementar. Após salto errado de Lucas Halter para cortar lançamento no meio-campo, Marinho disparou em velocidade e definiu com precisão na cara do goleiro Santos.

O Athletico-PR diminuiu a vantagem do Santos na Vila Belmiro quatro minutos antes do final do tempo regulamentar. Em bela jogada individual pela direita, Geuvânio invadiu a área e cruzou para conclusão certeira de Abner. A reação do time paranaense, no entanto, não avançou.

Bastidores – Santos TV:

Cuca dá nota 7,5 ao Santos contra o Athletico-PR e sente melhora da autoestima

Da beirada do gramado da Vila Belmiro, Cuca viu o Santos ganhar por 3 a 1 do Athletico-PR na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Experiente, o treinador atribuiu uma nota ao próprio time e sentiu melhora na autoestima do elenco.

No primeiro tempo, o Santos saiu na frente por meio de Soteldo e Felipe Jonatan. Na etapa complementar, Marinho coroou sua grande atuação com o terceiro gol do Santos, mas Abner diminuiu para o Athletico-PR em lance que deixou Cuca insatisfeito.

“Dou um 7,5. Se não tomasse o gol no final, daria 8”, disse Cuca, sobre a nota do time. “É um relaxo natural que o jogador tem por estar no final e vencendo 3 a 0. Mas precisamos corrigir isso. O jogo só acaba no apito final. De repente, você toma um segundo gol e vira uma confusão. Já conversei com eles sobre isso”, declarou.

O triunfo sobre o Athletico-PR, até então invicto, foi o primeiro do Santos no Campeonato Brasileiro. Com quatro pontos ganhos na tabela de classificação, o time comandado por Cuca subiu para a oitava posição e, de acordo com o técnico, evoluiu do ponto de vista psicológico.

“No geral, acho que foi uma vitória merecida, porque a equipe jogou muito bem e em um momento delicado. O moral, você não adquire sem resultado. Acho que, hoje, recuperamos um pouco da autoestima, o que é importante para a gente melhorar a performance no torneio”, afirmou.

Cuca elogia jovens do Santos, mas faz alerta sobre elenco para a temporada

O técnico Cuca precisou usar dois atletas formados nas categorias de base logo primeiro tempo do triunfo sobre o Athletico-PR, alcançado na noite deste domingo, e ficou satisfeito com o desempenho. Por outro lado, ele aproveitou a situação para fazer um alerta sobre o elenco do time alvinegro após o duelo pelo Campeonato Brasileiro.

Com o placar ainda em 0 a 0, Vladimir e Lucas Veríssimo se chocaram para cortar um ataque adversário. O zagueiro acabou substituído por Alex, enquanto o goleiro ainda ficou em campo por mais alguns minutos, mas também precisou deixar o gramado para a entrada de João Paulo.

“Jogou um menino que estreou no profissional. É um zagueiro canhoto, que jogou com outro zagueiro canhoto. Entrou em um momento dificílimo, de jogo empatado em 0 a 0, sem nem sequer ter treinado. O goleiro, da mesma forma”, iniciou o experiente Cuca.

“São situações que mostram que você vai precisar de elenco. Se, na terceira rodada do Brasileiro, já está necessitando assim, imagina na 20ª, junto com Libertadores e Copa do Brasil. Força de elenco, a gente vai fazer. Esses jovens vão estreando e, assim, vamos seguindo”, declarou.

Pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos entra em campo para enfrentar o Sport a partir das 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, na Ilha do Retiro. Confiante nos jovens formados na base, Cuca conta com os atletas de mais rodagem para amparar os garotos.

“(O Santos) depende do Marinho, do Soteldo, do Sanchez, do Lucas. Depende dos caras mais experientes para carregar junto essa meninada. Os meninos são bons jogadores, mas precisam estar escorados e os mais experientes têm que agir com liderança”, afirmou.

Marinho vê vitória como ponto de partida para retomada do Santos na temporada

Com Marinho como protagonista, o Santos venceu o Athletico-PR por 3 a 1 na noite deste domingo, na Vila Belmiro. Na saída do gramado, o atleta manifestou o desejo de que o primeiro triunfo do clube no Campeonato Brasileiro marque um ponto de partida para a retomada na temporada.

No primeiro tempo, Marinho cruzou da direita e Soteldo tocou para o gol. Ainda na etapa inicial, em jogada parecida, Marinho cruzou para chute certeiro de Felipe Jonatan. Para completar, na metade final, ele mesmo marcou o terceiro do Santos no jogo.

“Creio que é uma vitória para a retomada. Sabemos da qualidade da equipe. Independentemente das coisas que aconteçam, estamos firmes e fortes. O grupo tem muitos garotos que vêm nos ajudando. Creio que, agora, vamos conseguir dar uma sequência boa, com confiança. Temos muita coisa pela frente”, afirmou, ao Esporte Interativo.

Eliminado nas quartas de final do Campeonato Paulista pela Ponte Preta, o Santos, agora comandado pelo técnico Cuca, tem Marinho como um dos pilares. Ao falar sobre sua boa fase, o jogador citou o português Jesualdo Ferreira, recentemente dispensado.

“É importante. Quero glorificar a Deus por isso e a todos os meus companheiros. A todos que me ajudaram, o Jesualdo me ajudou bastante. E, agora, o professor Cuca, que chegou passando confiança para a gente. Não podemos esquecer das pessoas que nos ajudaram”, afirmou Marinho, bem-humorado.

“O importante é que venho trabalhando. Independentemente de sair gol meu, o importante é que estou fazendo o meu melhor para ajudar a equipe. Mas que bom fazer gol. Cansei de botar nome em gol. O importante é glorificar a Deus por isso”, declarou.

Alex cita conselho de Cuca antes de “estreia surpresa” no Santos

Alex estreou como jogador profissional do Santos no último domingo, na vitória por 3 a 1 sobre o Athletico, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

O zagueiro substituiu Lucas Veríssimo ainda no primeiro tempo e aproveitou a ausência de Luiz Felipe no banco de reservas para atuar pela primeira vez.

Alex citou um conselho de Cuca e comemorou a estreia.

“Cuca me passou tranquilidade, falou para fazer o simples e fazer meu trabalho com confiança”, disse Alex.

“Eu venho me preparando há um bom tempo para essa oportunidade. Sensação é incrível de estrear com a camisa do Santos. Fiquei focado, concentrado para fazer um bom trabalho. E graças a Deus conseguimos a vitória”, completou.

Alex tem 21 anos, chegou ao Peixe para o sub-20 e tem contrato até dezembro de 2024.

Substituídos após choque, Veríssimo e Vladimir serão reavaliados nesta segunda

Em sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, o Santos ganhou do Athletico-PR por 3 a 1 na noite deste domingo, mas deixou a Vila Belmiro com motivos para preocupação. O goleiro Vladimir e o zagueiro Lucas Veríssimo, substituídos por lesão, serão reavaliados pelo departamento médico nesta segunda-feira.

Ainda no primeiro tempo, com o placar em 0 a 0, os dois companheiros se chocaram para cortar um ataque perigoso do Athletico-PR. Lucas Veríssimo acabou substituído por Alex. Vladimir ficou em campo por mais alguns minutos, mas precisou sair para a entrada de João Paulo.

Em sua entrevista, o técnico Cuca lamentou a situação. “Tivemos uma infelicidade muito grande de, em um único lance, perder dois jogadores. Foi incrível e não perdi os dois ao mesmo tempo. Então, queimei duas substituições no começo do jogo e isso faz falta no final”, declarou.

De acordo com o Santos, Lucas Veríssimo sofreu um ferimento no joelho esquerdo e a região foi suturada durante o intervalo da partida. O clube informou ainda que Vladimir tomou uma pancada no pé direito. Assim, os dois serão reavaliados nesta segunda-feira.

Apesar dos desfalques, o Santos conseguiu enfim desencantar no Campeonato Brasileiro. No primeiro tempo, após passes de Marinho, Soteldo e Felipe Jonatan marcaram. Na etapa complementar, o próprio Marinho aumentou e Abner descontou para o Athletico-PR.

Com seu primeiro triunfo, o Santos chega aos quatro pontos ganhos e figura no oitavo lugar da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

Luiz Felipe tem lesão na coxa e desfalca Santos por tempo indeterminado ( Em 17/08/2020 )

Luiz Felipe será desfalque do Santos por tempo indeterminado. O certo é que o zagueiro não estará à disposição nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro.

De acordo com o departamento médico do Peixe, Luiz sofreu uma “avulsão do tendão do adutor esquerdo”. Ele iniciou o tratamento da coxa e não há prazo para retorno.

Lucas Veríssimo teve um “ferimento corto contuso” no joelho esquerdo. Ele fez exame e aguarda por uma resposta. Há chance considerável dele ser desfalque contra o Sport nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Brasileirão.

Dessa forma, a dupla de defesa de Cuca pode ser formada por Alex Nascimento e Luan Peres.


Athletico-PR 1 x 0 Santos

Data: 04/12/2019, quarta-feira, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, PR.
Público: 29.746 pagantes (31.988 total)
Renda: R$ 931.620,00
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Leirson Peng Martins e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Léo Pereira e Márcio Azevedo (A); Luan Peres, Diego Pituca, Gustavo Henrique, Marinho e Jorge Sampaoli (S).
Cartão vermelho: Luan Peres (S).
Gols: Marco Ruben (02-2).

ATHLETICO-PR
Santos; Jonathan (Madson), Thiago Heleno, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Camacho, Wellington e Lucho González (Adriano); Marcelo Cirino (Bruno Guimarães), Rony e Marco Ruben.
Técnico: Eduardo Barros

SANTOS
Everson; Pará, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Luan Peres; Alison (Felipe Jonatan), Evandro (Eduardo Sasha) e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Jean Mota (Carlos Sánchez).
Técnico: Jorge Sampaoli



Athletico-PR melhora no segundo tempo e vence o Santos na arena

O Athletico-PR venceu o Santos por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 37ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Marco Ruben.

O Peixe fez primeiro tempo melhor, mas viu o Furacão voltar diferente do intervalo. Ruben abriu o placar aos dois minutos da etapa final. A situação piorou para o Alvinegro com a expulsão de Luan Peres, aos 23. A saída de Evandro ainda no primeiro tempo por problema muscular prejudicou o desempenho santista.

Bruno Guimarães, Marco Ruben e Marcelo Cirino se despediram da torcida. Bruno vai para o Atlético de Madrid (ESP), enquanto os atacantes não renovarão o contrato.

O Athletico, classificado antecipadamente para a Libertadores da América por causa do título da Copa do Brasil, sobe para a quarta colocação, com 63 pontos. O Santos, com 71, segue na vice-liderança.

O jogo

Athletico-PR e Santos fizeram jogo de muita marcação e poucas chances criadas. O Peixe começou e terminou melhor a etapa final, mas pecou no último passe. Enquanto isso, Everson não foi exigido.

A melhor oportunidade do Alvinegro ocorreu com Eduardo Sasha, em finalização cruzada sem força depois de passe de Soteldo. Jean Mota e Diego Pituca também assustaram de fora da área.

O Athletico só ofereceu algum perigo quando pressionou Everson e os defensores santistas. O time de Jorge Sampaoli insistiu em não dar chutão e obteve êxito na maior parte dos lances.

E depois de passar a etapa inicial inteira sem fazer Everson trabalhar, o Athletico foi letal na primeira chegada. Rony cruzou, Marco Ruben se antecipou a Aguilar e cabeceou bonito para abrir o placar aos dois minutos.

O Santos não demorou a responder. Soteldo cruzou bonito e Marinho acertou a rede, mas pelo lado de fora, no quinto minuto. Na sequência, porém, o Athletico se ajustou e o Peixe ficou travado no meio-campo. A saída de Evandro ainda no primeiro tempo se mostrou uma má opção de Sampaoli. A situação piorou ainda mais aos 23, quando Luan Peres recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

O Athletico-PR aproveitou a vantagem numérica, se defendeu bem e não foi ameaçado até o minuto final. 1 a 0 para os donos da casa.

Sampaoli vê derrota injusta do Santos para o Athletico: “Rival fez pouco”

O técnico Jorge Sampaoli classificou como “injusta” a derrota do Santos por 1 a 0 para o Athletico-PR na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez bom primeiro tempo, não aproveitou as chances e piorou na etapa final. Marco Ruben marcou no segundo minuto e Luan Peres foi expulso aos 23.

“Jogo que em nenhum momento fomos superados, tivemos mais chances. Rival fez pouco. Ações de arbitragem nos prejudicaram em jogo equilibrado, não aproveitamos chances e domínio do primeiro tempo. Derrota dói, jogadores se esforçaram até com 10 em campo difícil. Não considero justo o resultado”, disse Sampaoli, antes de avaliar a temporada.

“Feliz pelo grupo, por transcender inquietudes diferentes do costume e por terem assimilado. Hoje viemos a ganhar, como em todos os jogos. Faltou pontaria, rival converteu a única chance. Hoje jogamos como o primeiro do torneio e isso me deixa feliz. Ano de aprendizado, de trabalhar cultura do jogo, que não estavam acostumados. Nos desenvolvemos, começamos em janeiro e terminamos em dezembro. Isso é quase impossível no Brasil, cheio de processos quebrados”, completou.

Sampaoli chama especulações de filme: “Não falarei com ninguém antes do presidente do Santos”

O técnico Jorge Sampaoli voltou a dar declarações fortes diante das especulações sobre o futuro de sua carreira após a derrota do Santos para o Athletico-PR na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli afirmou que não conversou com nenhum clube e nem conversará antes do presidente do Peixe, José Carlos Peres. Há quem dê o treinador como fechado no Palmeiras.

“É um filme que não posso responder. Penso no jogo de domingo (contra o Flamengo). Tenho contrato e não falei com o clube sobre minha situação. Tudo que vocês contam são especulação sem procedimento. Não falei com ninguém e não falarei antes do presidente do Santos”, disse Sampaoli.

“Não tenho tempo para atender ninguém, tenho que atender o time. Jogamos em três dias com o campeão e temos que tentar ganhar na Vila. É o que mais me preocupa”, completou.

Jorge Sampaoli foi questionado sobre a possibilidade do torcedor santista sonhar com a sua permanência. E foi duro na resposta.

“Torcedores do Santos têm obrigação e direito de pedir o que querem. Mas precisam pedir que o Santos seja cuidado como merece. Ter equipe ano que vem para ser campeão. “Libertadores, Brasileirão, Paulista… Processo tem que ter base para o que venha. Que se aproveite o que foi feito neste ano”, concluiu.

Sampaoli tem contrato até 31 de dezembro de 2020, mas a multa rescisória de R$ 10,5 milhões só tem validade até o fim deste ano. O argentino está na mira do Palmeiras e do Racing.

Felipe Jonatan chama árbitro de ladrão e é expulso; Santos pode ter Jorge contra o Flamengo

Felipe Jonatan foi expulso após o apito final na derrota do Santos por 1 a 0 para o Athletico-PR nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 37ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro.

De acordo com a súmula assinada pelo árbitro Anderson Daronco, Felipe o chamou de ladrão: “Parabéns, seus ladrões. Conseguiram o que queriam”.

Depois da partida, por meio de sua assessoria, o jogador negou que tenha ofendido o árbitro.

“Tenho mais de 60 partidas como profissional e até hoje só havia recebido um cartão amarelo na minha carreira. Ao término da partida, apenas aplaudi a arbitragem. Não falei em nenhum momento o que foi divulgado na súmula. Desafio a ter qualquer imagem que me mostre chamando alguém de ‘ladrão’. Isso não é da minha índole. É preciso ter responsabilidade, mais respeito e, principalmente, jamais faltar com a verdade”, declarou.

Sem Felipe e Luan Peres, também expulso em Curitiba, o técnico Jorge Sampaoli pode utilizar Jorge, fora da equipe desde a agressão contra Eduardo Sasha no clássico contra o São Paulo, em 16 de novembro. A alternativa é improvisar Diego Pituca. Evandro sentiu a coxa esquerda e é dúvida.

O Peixe enfrentará o campeão Flamengo no domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela despedida no Brasileirão. O Alvinegro precisa de vitória simples para garantir o segundo lugar independentemente dos resultados do Palmeiras.

Santos não cumpre promessa e joga uma vez em SP no Brasileirão; veja histórico

O Santos não cumpriu a promessa de dividir pela metade os jogos entre Baixada Santista e São Paulo. E a situação é ainda pior com base nos mandos do Campeonato Brasileiro.

O Peixe só atuou uma vez na capital durante o Brasileirão – vitória sobre o Vasco, no Pacaembu. Nenhuma no segundo turno, com todas as partidas na Vila Belmiro.

Em novembro, o presidente José Carlos Peres disse à Gazeta Esportiva que 2020 será diferente e haverá uma “regra” por jogos em São Paulo, independentemente da comissão técnica. Jorge Sampaoli pediu publicamente para atuar em Santos nesta temporada. Mesma solicitação havia sido feita por Cuca.

A média de público do Santos em 2019 é de 11.853 – 15.558 no Pacaembu (10 jogos) e 10 mil na Vila Belmiro (20 partidas). A arrecadação total é de R$ 13 milhões.

Veja abaixo o histórico de jogos do Santos em São Paulo no Campeonato Brasileiro com pontos corridos:

2003 = 0
2004 = 6
2005 = 4
2006 = 2
2007 = 0
2008 = 0
2009 = 2
2010 = 3
2011 = 4
2012 = 2
2013 = 4
2014 = 4
2015 = 0
2016 = 3
2017 = 6
2018 = 7
2019 = 1


Santos 1 x 1 Athletico-PR

Data: 08/09/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.569 pagantes
Renda: R$ 476.930,00
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Diego Pituca, Lucas Veríssimo e Marinho (S); Léo, Adriano, Matheus Rossetto, Lucho González, Thonny Anderson e Tiago Nunes (A).
Cartão vermelho: Pablo Fernandez (Preparador físico do Santos).
Gols: Braian Romero (41-1); Carlos Sánchez (45-2, de pênalti).

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Pará), Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota (Venuto); Marinho, Eduardo Sasha e Uribe.
Técnico: Jorge Sampaoli

ATHLETICO-PR
Léo; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano (Abner); Matheus Rossetto, Lucho González (Erick) e Everton Felipe (Tomás); Vitinho, Braian Romero e Thonny Anderson.
Técnico: Tiago Nunes



Santos tenta até o fim, mas só empata com reservas do Athletico na Vila

O Santos empatou com o time reserva do Athletico-PR por 1 a 1 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram de Braian Romero, na etapa inicial, e Sánchez, de cavadinha em pênalti, nos acréscimos.

O Peixe sentiu as ausências de Victor Ferraz (suspenso), Evandro (machucado) e Jorge, Derlis e Soteldo (nas seleções do Brasil, Paraguai e Venezuela, respectivamente). O Furacão atuou melhor no primeiro tempo mesmo com os suplentes e contou com várias defesas de Léo na etapa final para segurar o empate.

Com o empate, o Alvinegro fica com 37, ainda em segundo, e a dois pontos do líder Flamengo (mas com desvantagem de 12 de saldo). O Athletico sobe para 26, na décima colocação.

O Santos voltará a campo para enfrentar justamente o Flamengo, no Maracanã, domingo. O Furacão tem a ida da final da Copa do Brasil contra o Internacional, quarta-feira, na Arena da Baixada, e depois recebe o Avaí, no domingo, no fechamento do turno.

O Santos acuou o Athletico-PR nos primeiros minutos. Com a linha de defesa no meio-campo, o Peixe jogava solto e parecia questão de tempo para abrir o placar. Parecia.

O Alvinegro teve grande chance aos sete minutos, quando o goleiro Léo saiu jogando errado, Marinho dominou e chutou forte, antes de Léo Pereira salvar de carrinho.

O Athletico adiantou as linhas, equilibrou a partida e passou a jogar melhor. No minuto 27, Everton Felipe buscou o ângulo e a bola passou perto. Aos 33, Everson fez duas grandes defesas em chutes de Thonny Anderson e Vitinho. Na sequência, o Santos sucumbiu.

Quando o placar marcava 41 jogados, Lucho González lançou Thonny Anderson, o atacante girou sobre Aguilar e chutou cruzado – Everson não alcançou e Braian Romero só empurrou.

Após sair atrás, o Santos buscou a reação e ficou perto com Uribe, aos 45, e Jean Mota, 47. Léo fez duas boas intervenções para salvar o Athletico.

O Santos voltou para o segundo tempo ainda desorganizado, mas disposto a reagir na base do “abafa”. Aos oito minutos, Gustavo Henrique cabeceou após escanteio e o goleiro Léo fez mais uma defesa impressionante. No minuto 10, Jean Mota cruzou e Uribe cabeceou perto da trave.

O Peixe seguiu em cima, mas continuava bem marcado pelo Athletico. O Alvinegro abusou dos cruzamentos e viu Léo continuar fazendo milagres.

Aos 32, Felipe Jonatan bateu cruzado e o goleiro espalmou. No minuto 33, Lucas Veríssimo cabeceou e Léo se esticou inteiro para defender. E quando o placar marcava 34, Uribe tentou e Léo defendeu novamente. Ainda deu tempo do colombiano, aos 34, cabecear sozinho por cima.

E no fim, a pressão funcionou. A arbitragem marcou pênalti em Marinho após acionar o VAR. Sánchez, de cavadinha, converteu aos 45. O Santos tentou a virada nos minutos finais, mas não conseguiu. Empate na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli condena “cera” do Athletico e minimiza discussão

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, reclamou da “cera” do Athletico-PR no empate em 1 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli valorizou o esforço do Peixe em busca da vitória até o último minuto. Sánchez empatou aos 45 minutos do segundo tempo, de pênalti.

“Buscamos desde o início ganhar contra uma equipe que tentou cortar o jogo. Só uma equipe quis jogar. Posturas defensivas são legais, mas cair ao chão mais de 50 vezes atrapalha quem busca a vitória. Recriminamos, cortaram o jogo o tempo todo. Desenvolvimento fica incômodo para quem quer protagonizar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Jorge Sampaoli também comentou sobre a discussão com Tiago Nunes, técnico do Athletico. O auxiliar Pablo Fernández foi expulso.

“Jogo foi tenso, respeito muito o trabalho dele. Jogo foi muito cortado, responsabilidade também dos que conduzem o jogo. A partida que nos tocou foi mais grosseiro, caíram o tempo todo. Partida acabou e não fica nenhum rancor”, concluiu.

Com o empate, o Alvinegro fica com 37, ainda em segundo, e a dois pontos do líder Flamengo. O Santos voltará a campo para enfrentar justamente o Rubro-Negro, no Maracanã, domingo.

Santistas analisam empate e destacam goleiro do Athletico

Os jogadores do Santos lamentaram a grande atuação do goleiro Léo no empate em 1 a 1 com o Athletico-PR neste domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os zagueiros Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique destacaram as chances criadas pelo Peixe e as intervenções do goleiro reserva do Furacão.

“Jogamos em cima deles, tivemos várias oportunidades. Jogamos bem, sim. Faltou capricho e a bola entrar. Goleiro deles estava em um grande dia. Mérito dele”, disse Veríssimo.

“Temos que ganhar sempre em casa, mas campeonato é difícil. Goleiro deles foi melhor em campo. Não foi falta de vontade, às vezes futebol não é como a gente quer”, avaliou o capitão Gustavo Henrique, antes de falar sobre a cera do goleiro Léo.

“Falei para o juiz que caíram toda hora. Goleiro caiu sete vezes, atrapalhou ritmo do jogo. Quem tenta ter intensidade… Fica difícil”, completou.

Sampaoli elogia estreante Venuto no Santos: “Entrou muito bem”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, aprovou a estreia de Lucas Venuto no empate em 1 a 1 com o Athletico-PR no último domingo, na Vila Belmiro, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro

Após quase um mês no clube, o atacante ex-Vancouver Whitecaps, do Canadá, entrou no segundo tempo e “colocou fogo” no jogo.

“Entrou muito bem. Tivemos esperança para ele entrar num jogo muito difícil. Fez diferença pelas pontas, teve o mesmo rendimento do Marinho e brigará por um lugar. Bom termos a possibilidade de ter um extremo com tanta intensidade e drible”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Venuto ganhará mais minutos, mas deve seguir entre os reservas contra o Flamengo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 19ª e última rodada do primeiro turno.

Com mais um tropeço na Vila, o Peixe agora está a dois pontos do Rubro-Negro e precisa vencer para terminar a primeira etapa da competição na dianteira.

Pituca recebe 3º amarelo e desfalca o Santos em “decisão”

Diego Pituca recebeu o terceiro cartão amarelo neste domingo, no empate do Santos com o Athletico-PR na Vila Belmiro, e não enfrentará o Flamengo, no próximo domingo, no Maracanã, pela 19ª rodada e última do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

A partida diante do Rubro-Negro será uma “decisão”. O Peixe está a dois pontos do rival na tabela e precisa vencer para reassumir a liderança e alcançar o título simbólico da primeira etapa da competição.

O técnico Jorge Sampaoli não contará com Pituca, mas, em compensação, terá Jorge, Derlis González e Soteldo de volta. O trio foi convocado para as seleções do Brasil, Paraguai e Venezuela, respectivamente.

Outros reforços devem ser Victor Ferraz e Evandro. O lateral-direito esteve suspenso e ainda teve um trauma no joelho direito. O meio-campista ficou fora por uma contratura na coxa esquerda. A dupla deve ficar à disposição no Maracanã.


Santos 1 x 0 Atlético-PR

Data: 30/09/2018, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 27ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.802 pagantes
Renda: R$ 141.257,00
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Auxiliares: Jean Marcio dos Santos e Vinicius Melo de Lima (RN).
Cartões amarelos: Paulo André, Lucho González, Nikão, Léo Pereira e Márcio Azevedo (A).
Gol: Carlos Sánchez (51-2, de pênalti).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu (Luiz Felipe), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Rodrygo, Bruno Henrique (Kaio Jorge) e Eduardo Sasha (Derlis González)
Técnico: Cuca

ATLÉTICO-PR
Santos; Diego, Léo Pereira, Thiago Heleno e Renan Lodi; Lucho González (Bruno Guimarães) e Wellington; Raphael Veiga, Marcinho (Rony), Nikão (Marcio Azevedo) e Marcelo Cirino
Técnico: Tiago Nunes



Na marra, Santos vence o Atlético-PR na Vila e fica mais perto do G-6

Na marra, o Santos venceu o Atlético-PR por 1 a 0 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, de pênalti, aos 51 minutos do segundo tempo. A penalidade em Dodô foi duvidosa e gerou muita reclamação.

O Peixe desperdiçou várias chances e só marcou no fim, quando tudo caminhava para o empate. Os três pontos fazem o alvinegro ficar mais perto da Libertadores da América em 2019, agora na oitava colocação, com 36. O Furacão caiu para o 12º lugar e está mais longe da competição continental.

O jogo

O Santos se lançou ao ataque desde o primeiro minuto e pressionou o Atlético-PR durante 20 minutos. Os visitantes equilibraram a partida por pouco tempo e depois voltaram a sofrer, sem conseguir contra-atacar. E o Peixe voltou a sofrer com um problema recorrente: o das finalizações.

Aos 15 minutos, Carlos Sánchez recebeu de Victor Ferraz e bateu forte, para boa defesa de Santos. Aos 36, também pela direita, Rodrygo avançou e chutou forte para outra defesa segura do goleiro atleticano.

Sem espaço para contra-atacar, o Atlético-PR assustou em duas finalizações de longe de Nikão: primeiro aos dois minutos e depois aos 43.

O cenário não foi alterado para o segundo-tempo, mas o Santos teve ainda mais dificuldade para criar jogadas diante de um Atlético-PR mais cauteloso.

Aos oito minutos, os santistas sofreram um susto. Nikão cobrou falta e Vanderlei falhou ao dar rebote para a pequena área. Lucho González fez o gol, mas a arbitragem assinalou o impedimento de forma correta.

Aos 12 minutos, o Santos voltou a pressionar, primeiro com Bruno Henrique, que por pouco não aproveitou cruzamento de Victor Ferraz, e na sequência por duas vezes com Carlos Sánchez, para duas boas defesas de Santos aos 13 e aos 15.

O jogo ficou mais aberto depois das chances do Santos. O Atlético-PR finalizou com Marcinho, por cima do gol, e, na volta, aos 17, Rodrygo chutou de esquerda para Santos defender de novo.

A emoção só voltou ao jogo no minuto 37, quando Nikão cruzou e Marcelo Cirino cabeceou perto da trave de Vanderlei. E quando tudo caminhava para o empate, Dodô sofreu pênalti e Carlos Sánchez, aos 51 minutos, bateu com categoria para converter.

Bastidores – Santos TV:

Após vitória, Cuca cita “espiritualidade” em Santos e pede clássico na Vila

Após a vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Atlético-PR neste domingo, na Vila Belmiro, o técnico Cuca voltou a fazer um pedido ao presidente José Carlos Peres: clássico contra o Corinthians, dia 13, na Baixada Santista.

O treinador cita seus motivos, ratifica o desejo dele e do elenco e deixa a decisão “para quem manda”.

“Conversamos com o presidente há alguns dias. Sabemos da força em São Paulo, torcida muito maior, ninguém quer dividir o Santos em dois, apenas tecnicamente falando, nó nos sentimos mais fortalecidos em casa. Que adversário desça a serra, venha na espiritualidade da Vila. É opinião da comissão e de todos os jogadores, mas quem manda é o presidente”, disse Cuca.

“Estamos no nosso habitat, concentramos a 5 minutos, no clima, sabemos do campo, torcida, família. Adversário viaja, pega comboio, entra nessa espiritualidade e é importantíssima. Pequenos fatores fazem diferença. É diferente de viajar, pegar hotel em SP, espera dia inteiro, vai ao Pacaembu onde nunca treina e às vezes joga. Por isso não jogamos tão bem lá quanto aqui. Temos que jogar às vezes lá, é minha opinião, mas clássico tem que ser na Vila, a não ser por necessidade ou outra e somos funcionários e vamos acatar. No Paulista, com Corinthians foi lá. Vamos torcer para que seja aqui. Se não for aqui, vai ser no Pacaembu”, completou.

Em uma das respostas, Cuca cometeu um “ato falho” ao citar o clássico na Vila. Um repórter o questionou e ele brincou.

“Temos condição de um certo alívio em vencer e agora encaminhar os próximos jogos. Vitória na sexta e depois o Corinthians na Vila… Pescou, né?”, concluiu.

Kaio Jorge vibra por estreia no Santos: “Não há palavras”

Aos 16 anos, Kaio Jorge estreou como jogador profissional do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR neste domingo, na Vila Belmiro, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A joia entrou aos 36 minutos do segundo tempo, no lugar de Bruno Henrique, e teve atuação discreta. Ele foi promovido neste mês ao elenco profissional.

“Hoje foi minha estreia pelo Santos, clube que me formou e hoje me deu a oportunidade de iniciar uma História como jogador Profissional. Não há palavras que descrevam esse sentimento, apenas a gratidão e o compromisso de que a cada dia vou me dedicar e honrar esse manto”, publicou Kaio nas suas redes sociais.

Cuca explicou a entrada do garoto. Sem Gabigol, suspenso, e Felippe Cardoso lesionado, o técnico sentiu a necessidade de um centroavante.

“Quando saiu o Sasha, sem condição dos 90 minutos, foi onde deu e estava caindo de produção com desgaste e campo pesado. Precisávamos de centroavante, tentamos com Bruno Henrique, não foi suficiente, precisávamos de um, o jogo pedia, estávamos cruzando muito. Precisávamos de definição. Era ele ou Yuri Alberto, optamos por ele para vê-lo pela primeira vez. Tudo é experiência, ele tem futuro promissor. Não é jogo de aparecer muito, Atlético jogou fechado e explorando contra-ataque, jogo perigoso, e não tem como pressionar e não dar contra-ataque. Tiveram duas ou três, mas soubemos comandar o jogo no campo adversário. O caminho era cruzar, por dentro estava congestionado, achamos superioridade numérica pelo lado direito e por ali cruzávamos, por isso colocamos centroavante para colocar a bola para dentro porque estava passando muito”, explicou Cuca.

Kaio Jorge tem contrato de formação até janeiro de 2020 e o primeiro acordo profissional está apalavrado. Falta o empresário voltar da Europa para assinar com o Santos.