Navegando Posts marcados como Arena do Grêmio

Grêmio 3 x 2 Santos

Data: 29/06/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 13.088 pagantes (14.865 presentes)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Alessandro A Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Edilson, Douglas e Wallace (G); Lucas Lima, Zeca e Yuri (S).
Gols: Giuliano (02-1) e Douglas (44-1); Copete (19-2), Zeca (38-2) e Marcelo Hermes (44-2).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Fred, Rafael Thyere (Marcelo Hermes) e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Éverton (Guilherme); Luan (Bobo).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato (Jean Mota), Thiago Maia, Vitor Bueno (Jonathan Copete) e Lucas Lima; Gabriel e Rodrigão.
Técnico: Dorival Junior



Grêmio vence confronto direto na Arena e toma vaga do Santos no G4

O Grêmio reagiu diante de seu torcedor após duas derrotas seguidas e interrompeu a ascensão momentânea do Santos no Campeonato Brasileiro. Em confronto direto pela briga no topo da tabela, nesta quarta-feira, o Tricolor levou a melhor com uma vitória emocionante e dramática por 3 a 2 em cima do alvinegro praiano. Além de acabar com a chance do Peixe de assumir a liderança do nacional nesta 12ª rodada após 10 anos e 2 meses, os gaúchos ainda tomaram a vaga santista dentro do G4, independentemente dos resultados dos outros jogos.

O Santos pagou pela falta de concentração em momentos cruciais do duelo na Arena, em Porto Alegre. Logo aos 3 minutos, o time de Dorival Júnior levou o primeiro gol depois de Giuliano aproveitou rebote dado por Vanderlei. E quase nos acréscimos da primeira etapa, em lance muito parecido, foi a vez de Douglas aproveitar rebatida do goleiro alvinegro. O Peixe descontou no segundo tempo com o atacante Jonathan Copete, que fez sua estreia ao entrar no intervalo e não desperdiçou desvio de Gustavo Henrique em escanteio pela esquerda. Nos minutos finais, Zeca marcou um golaço de fora da área e empatou tudo, mas Lucas Lima perdeu uma bola dominada no campo de defesa e Hermes levou os gremistas ao delírio já aos 44 do segundo tempo.

O jogo

A expectativa antes da bola rolar era de jogão em Porto Alegre devido as duas equipes estarem tão próximas na tabela de classificação. Mas, enquanto o Grêmio entrou em campo preparado para uma decisão, o Santos acabou pagando pela desatenção nos minutos iniciais. Os defensores de Dorival Júnior não resistiram a pressão na saída de bola e foram surpreendidos. Éverton recebeu pela esquerda, limpou e bateu forte. Vanderlei espalmou e Giuliano não perdoou no rebote: 1 a 0 Tricolor com apenas 2 minutos de jogo.

O Peixe demorou para entrar no ritmo da partida e por pouco não viu o prejuízo ficar ainda pior no minuto seguinte. Douglas dominou dentro da área, após escanteio e cruzou na cabeça do zagueiro Rafael, que jogou por cima do travessão e por pouco não ampliou a vantagem.

Só a partir daí os santistas, até então atordoados, conseguiram ter calma e colocar a bola no chão. Aos 7 minutos, Lucas Lima serviu Victor Ferraz na direita. O lateral cruzou para trás e Rodrigão bateu com perigo. Era o início do domínio alvinegro, ao menos no quesito posse de bola, já que o chute do centroavante foi a única jogada furou a defesa gremista em todo o primeiro tempo.

Com a nevoa de volta à Arena, como vem ocorrendo em muitos jogos do Grêmio em sua casa, o ritmo diminuiu e as disputas passaram a ficar concentradas no meio de campo. Apenas Giuliano conseguiu se sobressair ao sistema defensivo aos 28 minutos, nas costas de Victor Ferraz, mas Vanderlei salvou com uma bela defesa a queima roupa.

E quando todos pareciam aguardar o apito do árbitro para descansar nos vestiários, os gaúchos marcaram de novo em lance muito parecido com o primeiro gol. Aos 44, Éverton passou por Luis Felipe e Victor Ferraz e bateu cruzado. Vanderlei voltou a rebater a finalização e Douglas ‘pregou’ o goleiro, sem deixar a bola cair, em amis um rebote.

Com o placar de 2 a 0 contra, Dorival Júnior resolveu mexer já no intervalo e promoveu a estreia do atacante colombiano Jonathan Copete. Vitor Bueno foi sacado. Em campo, porém, as coisas continuaram ruim para os paulistas. O Grêmio repetiu a dose de pressionar nos primeiros minutos e Éverton quase marcou depois de receber cruzamento de Marcelo Oliveira e bater cruzado. A bola raspou a trave de Vanderlei.

O goleiro preciso trabalhar ainda mais duas vezes nos primeiros 10 minutos em finalizações de Giuliano e Edilson. O Santos não conseguia ser criativo, apesar de ter Lucas Lima na armação e três atacantes na frente.

Só aos 19 minutos o Peixe chegou. Gabriel fez jogada individual pela direita e encheu o pé. Marcelo Grohe evitou o gol santista. Mas, na cobrança do escanteio, o goleiro gremista nada pôde fazer. Gustavo Henrique ganhou no alto e a bola sobrou para Copete, que teve liberdade para dominar e estufar as redes. 2 a 1 e um novo jogo na Arena.

A pressão mudou de lado e o Santos se lançou de vez ao ataque. Dorival, para isso, ainda colocou Yuri no lugar de Gustavo Henrique para que o ex-jogador do Audax pudesse fazer o papel de zagueiro, mas usar sua técnica refinada para ajudar na saída de bola. O Grêmio só respondeu aos 27 minutos, quando Luan recebeu cruzamento de Douglas e desperdiçou uma grande chance, de cabeça.

E quem não faz, toma. Já diria o ditado popular. E mais uma vez foi assim dentro de campo. Aos 37 minutos, Zeca apareceu na diagonal e arriscou de fora da área. O lateral esquerdo, que é destro, ‘pegou na veia’, sem chance para o goleiro gremista, e decretou a igualdade no placar. Desta forma, o Santos mantinha sua vaga dentro do G4 e deixava o rival de fora.

Mas, para concluir uma partida emocionante e digna de duas equipes que prometem brigar pelo título nesta temporada, um gol aos 44 minutos mudou todo o cenário. Lucas Lima perdeu a bola no campo de defesa e complicou a zaga santista. Giuliano serviu Hermes, que bateu de primeira na saída de Vanderlei e fez os quase 15 mil torcedores nas arquibancadas explodirem de alegria, principalmente depois do apito final, que veio após quatro minutos dramáticos de acréscimo.

Santistas não culpam Lucas Lima e valorizam postura ousada em derrota

O Santos fez o mais difícil nesta quarta-feira. Buscou o empate na casa do adversário depois do Grêmio abrir 2 a 0 no placar. Mas, já nos minutos finais, Lucas Lima prendeu excessivamente a bola no campo de defesa e acabou dando o contra-ataque ao Tricolor Gaúcho, que foi fatal. Marcou o terceiro gol e decretou a vitória nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o apito final, ao invés de frustração, veio a surpresa. Os jogadores do Peixe estavam orgulhosos do que fizeram em campo, apesar da derrota.

“Não (frustração), o time jogou bem, no segundo tempo impôs o jogo, mas infelizmente não conseguimos o empate ou a vitória, perdemos por 3 a 2. Saímos de cabeça erguida e vamos trabalhar para poder conseguir o próximo resultado”, comentou Zeca, autor do segundo gol alvinegro, ao Sportv.

“Fomos ousados e valentes. Se fosse outro time, ia tentar segurar o empate, mas é o nosso estilo de jogo e fomos para cima. Tentamos a vitória e acabamos levando o gol”, avaliou Gabriel, antes de eximir Lucas Lima de qualquer culpa pelo terceiro gol gremista. “Uma infelicidade nossa. Tentamos o terceiro gol jogando para frente, para vencer e, em um lance bobo, eles fizeram o gol. Queríamos a vitória, fizemos um bom jogo, mas perdemos”, completou.

O lateral esquerdo também fez questão de sair em defesa de Lucas Lima. “Foi uma bola que a gente treina isso, de sair tocando a bola, treinamos diariamente, toque de bola, mas infelizmente perdemos a bola e eles fizeram o gol. Temos certeza que vamos nos encaixar e ganhar o próximo jogo”, explicou.

Talvez o jogador que mais lamentou os pontos perdidos em Porto Alegre foi o experiente e capitão Renato. O volante não se abateu, mas não conseguiu esconder a decepção com o gol levado nos minutos finais depois de uma reação surpreendente. “Sabíamos que era um jogo difícil, buscamos o empate, eles (Grêmio) fizeram o terceiro. Brasileirão é isso. Era importante fazer um ponto. Infelizmente fomos castigados”, concluiu o volante.

Dorival rasga elogios ao Santos e fala em cabeça erguida após revés

Nem parece que o Santos perdeu na noite desta quarta-feira. Depois dos próprios atletas enaltecerem a postura da equipe no revés para o Grêmio por 3 a 2, em Porto Alegre, em seguida foi a vez do técnico Dorival Júnior não poupar elogios aos seus comandados pela forma como o time de comportou nesta 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo a saída do Peixe do G4 fez com que o treinador se preocupasse.

“O Santos jogou perante uma equipe competitiva. Grêmio teve competência no início e no fim. Conseguiu definir a partida. Gol no primeiro momento. O Santos foi guerreiro e não se abateu em momento nenhum. Procurou penetração e encontrou movimentação. Poderíamos sair para o terceiro na jogada em que eles fizeram o último gol. Estou satisfeito com a equipe e com o espetáculo de futebol”, disse Dorival. “O Santos não sai daqui com a cabeça baixa. Buscamos o resultado, e era isso que eu queria ver”, completou.

O comandante santista entendeu o gol gremista nos minutos finais como uma fatalidade do esporte e preferiu, a cada resposta, valorizar o que sua equipe fez de bom no jogo, principalmente no segundo tempo, quando buscou um resultado surpreendente.

“Alcançamos o empate e queríamos o terceiro gol. Nos abrimos, fomos para cima, jogamos com a intensidade de sempre, criamos, com posse de bola, e infelizmente fomos penalizados nesse último minuto. Paciência. temos de trabalhar, reequilibrarmos nossas melhores condições já para o jogo de domingo”, avaliou.

“Até porque eu não tenho o que lamentar. Eu tenho que enaltecer aquilo que a equipe fez dentro de campo, saindo de um 2 a 0, um resultado muito complicado, frente uma grande equipe, mesmo assim, a equipe procurou a todo instante o gol que nos daria uma condição muito favorável”.

A análise final de Dorival Júnior não fez com que o técnico não enxergasse aquilo que seus jogadores não fizeram tão bem nesta quarta. E a maior crítica veio pelo desempenho do time do primeiro tempo, quando o Peixe teve mais posse de bola, mas pouco entrou na área adversária.

“Nós tínhamos a posse de bola, mas faltava a penetração, as trocas de passes com um pouco mais de dinâmica acima de tudo e as movimentações para que um companheiro pudesse estar em condições de finalizar a jogada. Isso que faltou”, concluiu Dorival.

Grêmio 1 x 0 Santos

Data: 15/10/2015, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 8.837 pagantes (10.496 presentes)
Renda: R$ 257.109,55
Árbitro: Marielson Alves da Silva (BA)
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e Marcos Rocha de Amorim (ambos da BA).
Cartões amarelos: Geromel, Douglas e Moisés (G); Vanderlei, David Braz e Gabriel (S).
Cartão vermelho: Gabriel (S).
Gol: Bressan (26-1).

GRÊMIO
Bruno Grassi; Galhardo, Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano, Douglas (Maxi Rodriguez) e Luan (Moisés); Bobô (Pedro Rocha).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Vanderlei; Zeca, David Braz, Werley e Chiquinho; Thiago Maia (Serginho), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Neto Berola), Leandro (Nilson) e Gabriel.
Técnico: Dorival Júnior.



Santos cai diante do Grêmio no Sul, mas não perde vaga no G4

Um gol de cabeça do zagueiro Bressan ainda no primeiro tempo definiu a vitória do Grêmio em cima do Santos nesta 30º rodada do Campeonato Brasileiro. A partida disputada em Porto Alegre contou pouco mais de 10 mil pessoas nas arquibancadas devido aos estragos que as fortes chuvas causaram na Capital gaúcha nesta quinta-feira. O jogo inclusive esteve perto de ser cancelado pela CBF.

A vitória mantém o Tricolor Gaúcho tranquilo na terceira colocação, agora com 55 pontos, a quatro do vice-líder Atlético-MG. Já o Peixe estaciona nos 46 pontos, mas, por causa dos tropeços de seus concorrentes, segue na quarta colocação pela segunda rodada seguida.

O jogo

Como já é de costume, o Grêmio iniciou a partida pressionando e partindo para a cima. Logo aos 20 segundos, Vanderlei salvou o Santos em chute rasteiro de Luan. No lance seguinte, novamente o time da casa chegou com perigo depois de uma tabela de Marcelo Oliveira com Douglas. O lateral entrou na área e rolou para o meio. Sozinho, Giuliano isolou e perdeu a segunda grande oportunidade de abrir o marcador com apenas 1 minuto de jogo.

Passado os sustos, o Peixe foi se encontrando em campo e, com toque de bola, tentava frear o ímpeto dos gaúchos. Aos 7 minutos, Thiago Maia infiltrou Marquinhos Gabriel e o meio bateu com perigo, por cima do gol. Dois minutos depois, Lucas Lima fez linda jogada individual, arrancando do campo de defesa até a entrada da área tricolor, onde sofreu falta. Na cobrança, o meia bateu por fora da barreira e acertou a trave.

O jogo já era equilibrado, quando uma indecisão de Werley com Vanderlei proporcionou um escanteio ao Grêmio. E na sequência da jogada, Bressan testou no ângulo, sem chances para o goleio do Peixe. 1 a 0.

O Santos, então, se lançou ao ataque, mas o máximo que conseguiu foi assutar com um chute de fora da área de Gabriel, aos 41, que acabou facilmente defendido por Bruno Grassi.

Na segunda etapa, o Santos ignorou o fato atuar na casa gremista e foi em busca do empate. A equipe de Dorival Júnior pressionou desde o apito do árbitro, mas viu o Grêmio se fechar com muita organização. Apesar de ter o domínio das ações, o Peixe não levou perigo ao gol.

Com o passar do tempo, o treinador paulista resolveu apostar no banco de reservas. Nilson, Neto Berola e Serginho entraram nas vagas de Leandro, Marquinhos Gabriel e Thiago Maia, respectivamente. Porém, quem por pouco não balançou as redes foi Pedro Rocha, substituiu Bobô.

O atacante do Grêmio recebeu uma linda assistência de Wallace e, na cara do gol, acertou o peito de Vanderlei, que se jogou à frente do atacante. Aos 28, de novo Pedro Rocha arriscou, desta vez de longe, e viu a bola passar perto do travessão.

No fim, o jogo caiu de rendimento. Gabriel ainda assustou Grassi com uma bomba cruzada, mas que acabou indo para fora. O Santos ainda lutou até o fim, mas o sistema defensivo gaúcho suportou a pressão sem grandes dificuldades e garantiu a vitória em casa.

Já depois do apito final, Gabriel foi tirar satisfação com o árbitro e acabou expulso.

Dorival reconhece superioridade gremista e vê Peixe abaixo do normal

Grêmio e Santos fizeram um jogo bastante equilibrado na noite desta quinta-feira e que acabou decidido por um gol do zagueiro Bressan, após cobrança de escanteio. Apesar da derrota, o técnico do Peixe admitiu que sua equipe não apresentou o futebol vistoso das últimas rodadas e concordou que o time da casa mereceu a vitória.

“ O primeiro tempo nosso foi bem abaixo do que vínhamos jogando, muito em razão da postura do Grêmio, que foi mais equipe, fez o resultado. No segundo tempo o jogo inverteu, tomamos uma outra postura, tivemos uma outra condição, nos movimentamos muito mais, procuramos jogar dentro das condições que vínhamos apresentando. Mas não tivemos felicidade nas chances que aparaceram”, analisou Dorival Júnior, enaltecendo a qualidade do espetáculo.

“Foi um grande jogo. Acho que temos que enaltecer aquilo que as duas equipes fizeram. Reconhecer que foi uma grande partida, bem jogada, com bola no chão, e buscar a recuperação já no domingo”, completou.

Para o comandante santista, o posicionamento errado da equipe em campo acabou dificultando seu jogo. As constantes perdas na segunda bola, aquela que sobra na intermediária, normalmente, acabaram deixando a equipe exposta.

“Realmente isso aconteceu. As movimentações aconteceram, mas não tivemos a posse de bola necessária para colocar os jogadores em condições de definições. O Grêmio estava ganhando a segunda bola e isso causa um prejuízo grande, porque as jogadas já iniciavam no meio campo. Isso estava causando muita dificuldade”, confirmou Dorival.

A derrota não tira o Peixe do G4, mas deixa o time a nove pontos do próprio Grêmio, terceiro colocado na tabela do Campeonato Brasileiro. Por isso, para Dorival Júnior, o resultado desta quinta-feira deixa a briga pela classificação à próxima Libertadores da América restrita a uma vaga.

“Ainda está em aberto uma das vagas. Poderia ter outra em disputa, se tivéssemos a felicidade de termos o resultado. Traríamos mais uma equipe para esta condição. Estaríamos abrindo uma condição de disputa maior. Agora, cabe a nós corrermos atrás, tirarmos essa diferença, jogar dentro das nossas condições”, conclui o técnico.

Expulso, Gabriel diz que não dá para usar “educação que a mãe ensinou”

O Santos não poderá contar com David Braz e Gabriel na partida contra o Goiás, domingo, na Vila Belmiro. Ambos levaram o terceiro cartão amarelo nesta quinta-feira, durante a derrota para o Grêmio por 1 a 0, em Porto Alegre. No caso do atacante, a situação ficou ainda pior. Isso porque depois do apito final, o camisa 10 do Peixe se dirigiu ao árbitro Marielson Alves da Silva para tirar satisfação de alguns lances do jogo. E, por causa disso, acabou recebendo o cartão vermelho.

“Acho que não precisava, não. Estava de cabeça quente. Acho que ele foi muito severo”, comentou o jogador, já mais calmo, depois de sair do vestiário.

Questionado se havia xingado ou falado algum palavrão em direção ao árbitro, Gabriel voltou a negar qualquer ofensa, mas admitiu que não usou de sua melhor educação para protestar.

“É normal dentro de campo falar palavrão. Não tem como falar “por favor”. Mas não fiquei querendo desrespeitar ele. Só quis conversar um pouquinho sobre os cartões, várias faltas, principalmente no Lucas Lima, o lance do gol, que teve a falta”, explicou o jogador de 19 anos, que estava de costas quando foi advertido com o cartão vermelho.

“Não tinha visto. Fui ver na TV. Acho que não precisava, não. Dentro de campo não dá para falar educadamente, como minha mãe me ensinou, me pai me ensinou”, encerrou.

Dorival Júnior preferiu não entrar em qualquer polêmica e sequer falou sobre o lance de Gabriel após o jogo. O técnico preferiu cobrar uma ação do árbitro em outra jogada isolada.

“Sobre arbitragem não falo, não. Não vou comentar. Acho só que teve um erro fatal, na primeira jogada de perigo nossa, com o Lucas Lima, passível de punição. Ele não deu. Logo em seguida, o zagueiro deles tomou um cartão, que seria o segundo. Poderia modificar o jogo, mas de modo geral, não tenho o que falar, não”, disse o treinador.

Sobre o gol de Bressan, que decretou a vitória do Tricolor Gaúcho, Dorival Júnior apenas reproduziu as opiniões que seus jogadores externaram.

“Não vi ainda o vídeo da partida. A minha impressão é que o Bressan fez um gesto de empurrar, com as duas mãos, e depois sim saltou completamente livre para fazer o gol. Mas não tenho como te falar. Estou indo pelo que ouvi no vestiário”, finalizou.

Além de Braz e Gabriel, o Santos dificilmente contará com Victor Ferraz e Geuvânio. O lateral tenta se recuperar de um problema na coluna, enquanto o atacante está em fase final da recuperação de uma lesão grau 2 na coxa direita e tem previsão de retorno para a quarta-feira da próxima semana, no primeiro duelo contra o São Paulo, pelas semifinais da Copa do Brasil.

Ricardo Oliveira, que desfalcou o time nesta quinta por causa do desgaste causado enquanto defendia a Seleção Brasileira, volta à equipe normalmente.

Árbitro cita ofensa de santista Gabriel em súmula: “Só fazem m…”

O árbitro Marielson Alves Silva não teve dúvidas ao expulsar o atacante Gabriel mesmo após o apito final. Sacramentada a derrota de 1 a 0 fora de casa, diante do Grêmio, o santista, que já tinha cartão amarelo, invadiu o campo para questionar a conduta da arbitragem e acabou expulso. Na súmula, o juiz baiano relatou o protesto do atacante que, dependendo do julgo, pode trazer complicações futuras.

Se enquadrado dentro do artigo 258, no que concerne ao desrespeito à arbitragem, Gabriel pode pegar gancho de uma a seis partidas. No entanto, como não apelou para uma linguagem chula como os xingamentos, é possível que o santista passe desapercebido pelo tribunal. O documento pós-jogo, redigido por Marielson Alves da Silva, tenta explicar melhor o caso.

“Expulsei de forma direta o senhor Gabriel Barbosa Almeida, número 10 do Santos FC, por após o término da partida se dirigir ao quarteto de arbitragem proferindo as seguintes palavras: ‘vocês só fazem m…, vocês só fazem m…’ Após essas palavras, o mesmo se retirou de campo sem maiores problemas”, alegou o árbitro ao escrever a lauda de pós-jogo.

Ao se encaminhar ao túnel dos vestiários, Gabriel falou ao SporTV e, só aí, foi avisado da expulsão. “Eu fui expulso?”, perguntou o jogador a uma repórter, ao deixar o gramado. Na zona mista, já mais calmo, Gabriel analisou o lance e viu rigor excessivo na conduta adotada por Marielson. “Acho que não precisava, não. Estava de cabeça quente. Acho que ele foi muito severo”, comentou.

Se Dorival Jr. preferiu não comentar sobre assuntos relacionados à arbitragem, após o revés, Gabriel admitiu que tentou argumentar com o juiz para ponderar alguns erros. “É normal falar palavrão dentro de campo, não tem como falar “por favor”. Não fiquei querendo desrespeitar ele, só quis conversar um pouquinho sobre os cartões, várias faltas, principalmente no Lucas Lima, o lance do gol, que teve a falta”, declarou.

Para a partida contra o Goiás, na Vila Belmiro, Dorival Jr. não poderá contar nem com Gabriel e nem com David Braz, já que ambos terão que cumprir suspensão. É possível que, na volta à Vila, Neto Berola ganhe uma chance na linha de frente, enquanto Werley ou Paulo Ricardo podem substituir Braz na zaga.

Grêmio 0 x 0 Santos

Data: 18/09/2014, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 22ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 21.107 presente (18.834 pagantes)
Renda: R$ 481.563,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Celso Luiz da Silva e Marcus Vinícius Gomes (ambos de MG).
Cartões amarelos: Matheus Biteco e Ramiro (G).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Matías Rodríguez (Walace), Geromel, Rhodolfo e Pará; Ramiro, Fellipe Bastos (Riveros) e Matheus Biteco; Luan (Fernandinho), Lucas Coelho e Dudu.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Zeca; Arouca, Souza e Lucas Lima (Alan Santos); Gabriel (Stefano Yuri), Leandro Damião (Geuvânio) e Robinho.
Técnico: Enderson Moreira



Em noite de vaias a Aranha, Grêmio e Santos ficam no empate em jogo fraco

Apesar da recepção hostil da torcida adversária, goleiro faz boas defesas e tem participação importante para o resultado

Três semanas depois de sofrer ofensas racistas por parte de alguns torcedores do Grêmio, o goleiro Aranha voltou à Arena nesta quinta-feira, pelo Brasileirão. Muito vaiado pela torcida, o goleiro do Santos fez algumas boas defesas, que garantiram à sua equipe um empate por 0 a 0 em Porto Alegre, em um jogo fraco e repleto de erros de passe de ambos os times.

O episódio ocorrido com Aranha na partida do dia 28 de agosto, pela Copa do Brasil, tornou o jogo muito tenso na Arena. Na primeira etapa, o Grêmio teve mais chegadas perigosas, mas não chegou a pressionar. O jogo foi muito disputado e truncado, e o panorama seguiu parecido na etapa complementar, que viu o duelo decair ainda mais de nível técnico.

Com o empate, o Grêmio não entra no G-4, mas sobe uma posição: agora é quinto, com 36. O Santos permanece em nono, com 30. O Tricolor volta a jogar na Arena neste domingo, diante da Chapecoense. Já o Peixe enfrentará o Figueirense, na Vila Belmiro.

O jogo

Foi uma noite de reencontros na Arena. Não apenas de Aranha com a torcida do Grêmio, mas do técnico Enderson Moreira, hoje no Peixe, com o Tricolor, clube o qual dirigiu até o final de julho. Ambos foram muito vaiados pelos gremistas, bem como Leandro Damião, ex-centroavante do Inter. A surpresa no Grêmio foi a ausência de Barcos, desfalque de última hora por conta de dores na coxa. Lucas Coelho atuou em seu lugar.

Devido ao episódio ocorrido na Copa do Brasil, o jogo foi tenso e muito disputado, com poucas chegadas de perigo de lado a lado. No primeiro tempo, só o Grêmio teve conclusões a gol. Aos sete minutos, Dudu bateu na rede por fora após boa tabela com Lucas Coelho. O centroavante gremista ainda teve duas boas chances: aos 18, bateu a gol e Aranha salvou com a ponta dos dedos; aos 19, acertou a trave. O Santos só chegou à área gaúcha aos 14, em belo toque de Damião para Gabriel, mas Marcelo Grohe saiu do gol e evitou a conclusão.

O Grêmio tentou apertar o ritmo na volta do intervalo. Logo a um minuto, Lucas Coelho enfiou boa bola para Dudu completar, mas Aranha defendeu. O goleiro santista pegaria outra bola decisiva aos seis, quando Lucas Coelho recebeu lançamento livre na área e chutou fraco. Logo, porém, a partida caiu bruscamente de ritmo e os erros de passe de lado a lado é que imperaram. Só aos 34 houve uma chegada de relativo perigo, com Robinho ganhando de Geromel na velocidade, mas Grohe saiu bem e abafou a jogada.



Grêmio 0 x 2 Santos

Data: 28/08/2014, quarta-feira, 20h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 30.294 (28.091 pagantes)
Renda: R$ 814.899,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Auxiliares: Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Carlos Berkenbrock (Esp.-SC).
Cartões amarelos: Ramiro e Pará (G); Edu Dracena, Alison e David Braz (S).
Gols: David Braz (37-1) e Robinho (42-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto (Matías Rodríguez); Walace (Matheus Biteco), Ramiro e Giuliano; Luan (Alán Ruiz), Barcos e Dudu.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Alan Santos), Gabriel (Leandro Damião) e Robinho (Rildo).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Grêmio desperdiça chances, Santos vence no Sul e abre vantagem

Com gols de David Braz e Robinho, time paulista fez 2 a 0 em duelo válido pela Copa do Brasil, nesta quinta-feira

O Santos deu um passo enorme para se classificar para as quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quinta-feira, o Peixe foi mais eficiente que o Grêmio: enquanto o Tricolor perdeu gols demais o jogo todo, a equipe santista chegou poucas vezes com perigo, mas as converteu e venceu por 2 a 0. Os gols foram marcados por David Braz e Robinho.

O Grêmio mandou em quase todo o primeiro tempo, mas perdeu chances demais e viu o Santos, nas duas chegadas que teve, abrir 2 a 0 nos minutos finais. Na etapa final, a pressão foi intensa do início ao fim, mas o Tricolor seguiu desperdiçando as inúmeras oportunidades criadas e acabou derrotado em casa.

Agora, o Grêmio só se classifica se vencer por três gols de diferença na volta, ou por dois gols, desde que marque ao menos três vezes. Os dois times voltam a se encontrar na quarta que vem, na Vila Belmiro. Pelo Brasileiro, o Tricolor recebe o Bahia na Arena, enquanto o Peixe visitará o Botafogo, no Maracanã. Ambos os jogos ocorrerão no domingo.

O jogo

Com forte apoio da torcida na Arena, o Grêmio tomou a iniciativa das ações. A primeira boa chegada veio aos quatro minutos, com Zé Roberto se projetando na área e chutando para defesa de Aranha. Dois minutos mais tarde, Giuliano recebeu de Barcos, fez fila na área santista e chutou raspando a trave. Aos 10, em mais uma boa jogada coletiva do Tricolor na frente da área rival, Giuliano chutou rasteiro, para fora, com Aranha dando apenas um golpe de vista.

O Santos tratava de cadenciar e jogar nos contragolpes. O primeiro veio aos 19, com Gabriel, mas Robinho escorregou na hora de finalizar e chutou torto. Na jogada seguinte, Dudu deu lindo de toque de calcanhar e ligou contra-ataque com Giuliano. O meia invadiu a área e passou para Luan, que chutou, livre, mas Mena tirou em cima da linha.

O Grêmio seguia melhor, jogando em alta velocidade. Aos 27, Dudu girou sobre a marcação e invadiu a área. O cruzamento rasteiro veio para Giuliano, mas Aranha defendeu no reflexo. Barcos tentou na sobra, a zaga cortou e Ramiro soltou a bomba, que explodiu na marcação. O Peixe, então, em sua primeira conclusão perigosa marcou: Lucas Lima cobrou escanteio, David Braz deu peixinho sozinho na área e fez 1 a 0. Aos 42, o segundo: Lucas Lima escapou pela direita e cruzou para Robinho. Ele chutou, a bola bateu em Werley, voltou para Robinho e entrou.

O Grêmio voltou do vestiário com Alán Ruiz e Matheus Biteco nos lugares de Luan e Walace, e sem o técnico Luiz Felipe Scolari, expulso ao final do primeiro tempo por reclamar de toque de mão de Lucas Lima no segundo gol do Peixe. Em sua primeira jogada, Ruiz deixou Rhodolfo na cara do gol, mas Cicinho impediu o arremate em grande recuperação. Aos 3, David Braz travou na hora em que Giuliano ia chutar, após ótima jogada de Dudu.

A pressão seguia forte. Aos 14, David Braz salvou de cabeça quando Rhodolfo chegava pelo alto. A seguir, Dudu recebeu pela esquerda e bateu para boa defesa de Aranha. Aos 17, Zé Roberto puxou contra-ataque e deu a Alán Ruiz, que bateu. A bola desviou na zaga e David Braz quase fez contra. Na jogada seguinte, Giuliano cruzou e Werley cabeceou com perigo. Aos 18, Barcos recebeu liberado na área e chutou, mas Aranha fez ótima defesa.

Aos 21, Alán Ruiz bateu falta rasteira e Aranha salvou com a ponta dos dedos. Aos 28, o goleiro santista foi corajoso ao disputar com Giuliano na pequena área após toque de cabeça de Rhodolfo. O zagueirão gremista subiu livre aos 34, mas deu de coco na bola e ela subiu demais. Aos 39, Rildo quase matou o jogo após entrar livre em contra-ataque, mas Marcelo Grohe salvou. Aos 44, foi Damião quem obrigou o goleiro gremista a um milagre.

Aranha relata ofensas racistas de torcedores do Grêmio na Arena: ‘Macaco’

“Negro fedido, preto, cambada de preto, depois começaram a fazer barulho de macaco”, contou o goleiro do Santos

A vitória do Santos por 2 a 0 diante do Grêmio na noite desta quinta-feira, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil, foi ofuscada pelo racismo. O goleiro Aranha foi vítima de ofensas no segundo tempo por torcedores localizados atrás de seu gol na Arena do clube gaúcho, e chamou a atenção do árbitro Wilton Pereira Sampaio sobre o ocorrido. Uma câmera da ESPN Brasil flagrou uma garota chamando o jogador de “macaco”.

Após o jogo, Aranha deu seu testemunho sobre a atitude vinda das arquibancadas. “Da outra vez que a gente veio jogar, estava passando campanha contra o racismo no telão, não é por acaso. Eu estava no gol, xingar, pegar no pé, normal. Quando gritaram ‘preto fedido e cambada de preto’, eu tentei aguentar. Mas quando começou o corinho fazendo barulho de macaco, eu não aguentei. ‘Negro fedido, seu preto, cambada de preto’, depois começaram a fazer barulho de macaco. Pedi para filmarem o que estavam fazendo. É difícil, é duro, nunca imaginei passar por isso. Acho que mais importante é mostrar e registrar o que aconteceu aqui. Tenho consciência de que isso não parte da maioria da torcida do Grêmio. Sei que a intenção é desestabilizar, mas sou maduro o suficiente para manter meu comportamento em campo”, disse o goleiro.

O goleiro explicou também por que retrucou as ofensas e disse que foi mal interpretado pelo árbitro da partida. “Ele (o árbitro) veio falar que eu estava provocando a torcida. Quando me chamaram de macaco, de preto, bati no braço e disse que sou preto, sim”, revelou Aranha, lembrando que o fato acontece com frequência no Sul. “Não são todos, mas sempre tem um racista. Está dado o recado para ficarem espertos para a próxima partida.”

Aranha é o segundo jogador do Santos a ser alvo de ofensas racistas este ano. O volante Arouca também foi chamado de “macaco” por torcedores do Mogi Mirim em jogo pelo Campeonato Paulista, em março.

A acusação de Aranha à torcida do Grêmio também não é fato isolado. No começo deste ano, o zagueiro Paulão, do rival Internacional, também relatou ofensas após um Gre-Nal pelo Campeonato Gaúcho, no fim de março.




Grêmio é excluído da Copa do Brasil após julgamento por injúrias raciais ( Em 03/09/2014 )

Condenado de forma unânime por ofensas de torcedores contra Aranha, clube ainda pode recorrer ao Pleno do STJD; árbitro que não relatou em súmula leva gancho

O Grêmio está excluído da Copa do Brasil. A decisão ocorreu após julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na tarde desta quarta-feira. Em quase quatro horas de sessão no Rio de Janeiro, os auditores resolveram, unânimes em 5 a 0, pela punição após denúncia feita pela procuradoria, baseada no artigo 243-G (e seus parágrafos) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O caso ocorrera na última quinta-feira, quando o goleiro do Santos Aranha foi alvo de injúrias raciais por parte de torcedores gremistas, no 2 a 0 do clube paulista, pelo jogo de ida das oitavas – a volta estava suspensa. Assim, o Peixe está classificado para as quartas do torneio e enfrenta o Botafogo, que venceu o Ceará nesta quarta-feira. A chave está paralisada até o julgamento no Pleno, uma vez que o Grêmio irá recorrer.

O clube foi multado em R$ 50 mil, mas não perdeu mando de campo por “ato discriminatório”. Os torcedores identificados praticando atos racistas serão impedidos de frequentar jogos do time gaúcho por 720 dias. A decisão não é definitiva. Cabe recurso, com novo julgamento em segunda instância no Pleno do STJD, a ser marcado em 15 dias.

O quarteto de arbitragem também fora denunciado pela procuradoria por não ter colocado o episódio relatado por Aranha na primeira versão da súmula. Wilton Pereira Sampaio acabou suspenso por 90 dias, enquanto os auxiliares pegaram gancho de 60 dias. O Grêmio ainda foi julgado por arremesso de objeto, e o Santos, por atraso na volta do intervalo, ambos levando multas de R$ 2 mil e R$ 4 mil, respectivamente.

Como foi o julgamento

O julgamento começou com o pronunciamento do presidente da sessão Fabricio Dazzi. Depois, a procuradoria apresentou provas em vídeo. Entre eles, reportagens de televisão e depoimento de Aranha. O mesmo foi feito pela defesa do Grêmio, que mostrou matérias de sites com as ações promovidas pelo clube, além de vídeos institucionais e depoimentos de jogadores, como Zé Roberto e Matheus Biteco.

O presidente Fábio Koff foi o primeiro a sentar perante os auditores para esmiuçar a posição do Grêmio sobre as injúrias raciais. Com larga experiência na magistratura, Koff tratou de exaltar os exemplos de ícones negros no clube e disse que a instituição foi “pioneira na integração racial”.

– Estou aqui para dizer que a decisão desta tarde ela tem uma importância histórica. A decisão atinge um clube com 111 anos de existência que atinge uma escolinha de 1,1 mil crianças, do qual um terço é de cor. O prejuízo causado a imagem do clube é irreparável. Se a pena ocorrer, deve ter sentido pedagógico e não ultrapassar limites – afirmou.

Koff também valorizou uma das ações de sua gestão, de cortar privilégios de organizadas. Na segunda, a direção anunciou a suspensão dos direitos da Geral do Grêmio.

– O Grêmio foi precursor em cortar subsídios de organizadas e dificultar o acesso de torcedores que se escondem num grupo. O Grêmio não dá ingresso, não paga ingresso, não facilita a vida – defende.

Também julgado, assim como seus auxiliares, por só relatar as injúrias raciais em adendo na súmula, o árbitro Wilton Pereira Sampaio afirmou que ficou “assustado” ao ver as imagens após a partida, no hotel. Em campo, confirma que não havia visto nem ouvido as ofensas e lembrou que em jogos da Copa do Brasil não há árbitros auxiliares atrás das metas.

– Não presenciamos nada, foi por meio de um relato do jogador. Após o término do jogo, nenhum atleta veio me questionar. Pensei que não havia sido nada. A gente sempre assiste ao jogo depois e fiquei assustado com o ocorrido. Por isso, incluí o adendo na súmula. Nós achamos que, aos 42 minutos do segundo tempo, com o Santos ganhando o jogo, achei que era uma tentativa de passar o tempo – relatou, em meio a forte cobrança dos auditores.

O árbitro negou que Aranha tivesse respondido aos torcedores com xingamentos:

– O atleta se virou para a torcida, bateu no braço e cuspiu no gramado.

– No momento em que nos viramos para a torcida, já não eram mais ofensas racistas, eram xingamentos normais de jogo – disse o auxiliar Carlos Berkenbrock, que falou depois de Pereira Sampaio.

O suprocurador geral Rafael Vanzin tomou a palavra para reafirmar que considera o Grêmio responsável. Segundo ele, episódios de cunhos racistas não são de hoje, e cita o caso envolvendo o zagueiro do Inter Paulão, alvo de injúrias raciais de um torcedor no Gauchão, também na Arena.

Ainda citou as postagens no Twitter, feitas pelo vice-presidente Adalberto Preis, em que alegou que Aranha fizera “grande encenação” no episódio. Por fim, pediu a exclusão do clube da Copa do Brasil, além de pena para o quarteto de arbitragem.

– As palavras de Patrícia Moreira, que ainda não prestou depoimento, assim como as imitações de macaco, são flagrantes – Rafael Vanzin. – E as medidas tomadas pelo Grêmio não são suficientes.

Na vez de os advogados do Grêmio defenderem o clube, a pauta foi a preocupação da instituição em campanhas sociais, a ajuda nas investigações policiais e a preocupação em afirmar que a ação foi obra de uma minoria.

– Não fechamos os olhos para o que vem acontecendo. Não vamos usar o Grêmio como bode expiatório, como uma caça às bruxas – disse o adovgado do Grêmio Gabriel Vieira. – O racismo é um problema social. Quantos auditores negros temos aqui? Nenhum.

– Quatro torcedores em meio a 30 mil. O Grêmio não pode ser responsabilizado. Eles, sim, precisam ser punidos – reforçou Michel Assaf Júnior, contratado pelo clube especialmente para este caso. – Não se pode confundir extrema gravidade com a repercussão do fato, nem reincidência.

Entenda o caso

O incidente no jogo entre Grêmio e Santos, na Arena do Grêmio, ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo, quando Aranha reclamou com o árbitro Wilton Pereira Sampaio, alegando ter sido vítima de xingamentos por parte da torcida. O juiz mandou a partida seguir, mesmo sendo alertado por jogadores do Santos dos incidentes que ocorriam fora de campo.

A jovem mostrada pelas imagens do canal ESPN foi afastada do trabalho no Centro Médico e Odontológico da Brigada Militar. Patrícia Moreira era funcionária de uma empresa terceirizada e prestava serviços de auxiliar de odontologia na clínica da polícia militar gaúcha. As imagens da torcedora ofendendo o goleiro santista começaram a circular pelas redes sociais logo após a partida. Aranha registrou boletim de ocorrência na 4ª Delegacia de Polícia na sexta.

Diante da repercussão, Patrícia evitou dormir em casa nos últimos dias. Ela se refugiou em residências de parentes e amigos para evitar retaliação. Pedras foram jogadas em direção a sua casa na noite de sexta-feira. O GloboEsporte.com visitou a região na tarde de sábado e ouviu os vizinhos. Amigos negros da menina de 23 anos garantem que ela não é racista. Até agora, seis pessoas foram intimidas a depor, entre elas Patrícia.



Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 18/09/2013, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 22ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 13.641 (12.447 pagantes)
Renda: R$ 341.829,00
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e Ivan Carlos Bohn (PR).
Cartões amarelos: Cícero e Alison (S).
Gols: Elano (27-2) e Willian José (39-2).

GRÊMIO
Dida; Gabriel, Rhodolfo e Bressan (Elano); Pará, Souza, Riveros, Zé Roberto (Vargas) e Alex Telles; Kleber e Barcos (Yuri Mamute).
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Aranha; Rafael Galhardo (Bruno Peres), Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Alison (Pedro Castro), Arouca, Cícero e Montillo (Willian José); Gabriel e Thiago Ribeiro.
Técnico: Claudinei Oliveira



Reservas saem do banco e marcam no empate entre Grêmio e Santos

Elano marcou para os gaúchos e William José fez para o time paulista. Ambos entraram na segunda etapa de jogo

Na partida que abriu a 22ª rodada do Brasileirão, Grêmio e Santos ficaram no 1 a 1 na Arena, em Porto Alegre, nesta quarta-feira. A curiosidade fica por conta dos autores dos gols: Elano, ex-jogador do Peixe, fez o gol gremista, mas Willian José, ex-Tricolor, empatou no final do jogo. Ambos saíram do banco de reservas para marcarem os gols da partida.

A primeira etapa foi equilibrada e com poucas chegadas perigosas. Pouco criativo, o time gaúcho insistiu muito em cruzamentos para a área, facilitando o trabalho da zaga santista. Na etapa final, o Tricolor voltou mais ofensivo, mas seguia criando pouco. Renato então mexeu no time, pôs Vargas e Elano em campo, e numa jogada do chileno para o ex-santista saiu o gol gremista. Quando o time gaúcho dominava, Willian José girou em cima da zaga gaúcha e fez o gol de empate.

Com o empate, o Grêmio chega a 38 pontos, ainda na 3ª colocação, enquanto o Peixe sobe para 29. O Tricolor volta a campo no sábado, em Salvador, onde enfrenta o Vitória. Já o Peixe recebe o Criciúma, domingo, na Vila Belmiro.

O jogo

O primeiro tempo foi equilibrado. O Grêmio teve a primeira finalização logo a dois minutos, com Alex Telles, mas foi o Santos que tomou a iniciativa nos minutos iniciais: aos sete minutos, Thiago Ribeiro trouxe para dentro e chutou de fora da área, raspando o travessão. Aos nove, Gabriel recebeu passe após boa jogada de Galhardo, mas chutou sobre a zaga gremista.

A primeira boa chegada do Grêmio foi de bola parada. Aos 13, Pará levantou falta na cabeça de Rhodolfo, que tocou por cima com perigo. A partir daí, o time gaúcho ensaiou uma pressão, marcando a saída de bola santista, mas criava e finalizava pouco, como num cruzamento de Pará para Barcos, aos 27, no qual o argentino furou na pequena área e viu a zaga cortar.

A pressão gremista diminui no fim da etapa inicial, e o Peixe cresceu: aos 41, Alison driblou Rhodolfo e soltou uma bomba na trave de Dida. Foi a última chegada perigosa de algum dos dois times no primeiro tempo, que terminou sob vaias dos torcedores na Arena do Grêmio.

Com marcação adiantada, o Grêmio tentou ir para cima no segundo tempo, mas ao mesmo tempo passou a ceder espaços para o Santos. Aos oito minutos, Barcos fez boa jogada pela esquerda e cruzou, mas ninguém aproveitou. Na sequência, Pará cruzou, a zaga cortou mal e Zé Roberto chutou alto demais. O Peixe respondeu num bom chute de fora da área de Cícero, defendido por Dida com dificuldade.

Ainda com problemas criativos, Renato mexeu no Grêmio aos 16 minutos, tirando Bressan e colocando Elano, que voltou ao time após 38 dias. Com isso, o Tricolor passou do 3-5-2 para o 4-4-2. No entanto, a alteração não trouxe alteração significativa na articulação gremista. Aos 26, Vargas entrou para dar velocidade e agressividade ao time no lugar de Zé Roberto.

Logo em sua primeira chegada, o chileno abriu a defesa do Peixe, driblou três marcadores e serviu o outro reserva que havia entrado, Elano, que fuzilou Aranha: 1 a 0. Devido à sua história no Santos, Elano não comemorou, mas seguiu criando problemas para seu ex-clube: aos 28, ele cruzou na cabeça de Kleber, que entrou sozinho e cabeceou raspando a trave. Aos 32, o camisa 7 chutou da intermediária e quase surpreendeu Aranha.

O Santos saiu de trás para tentar o empate e passou a abrir espaços para o contragolpe. Num deles, aos 38, Vargas deu a Elano, que cruzou para Barcos, mas a zaga chegou na hora que o argentino iria concluir e impediu o gol. Na jogada seguinte, o empate: Willian José recebeu na entrada da área, girou e chutou no cantinho de Dida, empatando o jogo. No fim, Thiago Ribeiro perdeu a chance da virada, com grande defesa do goleiro gremista.

Bastidores – Santos TV:

Dracena elogia postura contra Grêmio e diz que Santos poderia ter vencido

Zagueiro do time santista elogiou o desempenho paulista até tomar o gol do Grêmio no empate desta quarta

Com um gol do atacante Willian José nos minutos finais da partida, o Santos empatou com o Grêmio, por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre. Mas, apesar do resultado ter sido obtido já próximo do último apito do árbitro, o zagueiro Edu Dracena acredita que o Peixe poderia, até mesmo, ter tido uma melhor sorte e saído vencedor, atuando fora de casa.

Para o capitão santista, o time praiano foi superior ao adversário em boa parte do jogo. “Estávamos bem até tomarmos o gol. No primeiro tempo, por exemplo, fomos muito superiores, inclusive acertando uma bola na trave (em chute do volante Alison). O Gabriel também teve uma boa oportunidade, cara a cara com o Dida. Conseguimos ter forças para buscar o empate, mas acho que o Santos poderia ter saído com a vitória (da Arena do Grêmio)”, analisou.

Dracena lembrou que uma vitória poderia ter contribuído para que os alvinegros se aproximassem ainda mais do G-4 do Brasileirão, que garante uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América.

“O raciocínio era vencer aqui, pois também estamos brigando com eles pelo G-4 e, com uma vitória, poderíamos entrar de vez na briga. Porém, nós vínhamos de duas derrotas consecutivas (Flamengo e Botafogo, respectivamente) e era importante somar pontos. Jogamos muito bem, criamos oportunidades para vencer e, o principal, é que em nenhum momento a equipe se abateu, mesmo perdendo”, concluiu.

‘Ficou um gostinho de quero mais’, diz Claudinei sobre empate contra o Grêmio

Treinador do Santos credita gol sofrido à falha no posicionamento e considera que a equipe poderia ter voltado de Porto Alegre com a vitória

O Santos conquistou o empate com o Grêmio nesta quarta-feira nos últimos minutos, graças ao gol do atacante Willian José. Ainda assim, o técnico do time paulista acredita que seus comandados poderiam ter voltado do Rio Grande do Sul com resultado melhor.

“Levamos um gol mal posicionados, mas fomos buscar o empate. Acertamos uma bola na trave e tivemos um gol anulado durante a partida… enfim, ficou um gostinho de ‘quero mais’. Não saímos com sabor de derrota, mas com um sentimento de que poderíamos ter conseguido algo ainda melhor”, afirmou Claudinei.

Porém, sem tempo para lamentar o resultado diante do Grêmio, Claudinei já concentra as atenções no próximo desafio santista no Campeonato Brasileiro. Será contra o Criciúma, domingo, a partir das 18h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

Neste compromisso pelo Brasileirão, o treinador não poderá contar com o volante Alison e o meia Cícero, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Com os desfalques, Claudinei ainda não sabe qual a melhor formação para ir a campo.

“Preciso pensar. Temos várias opções para as vagas deles e vamos escolher a melhor alternativa. Antes de tomar a decisão, vamos dar uma olhada no Criciúma. Sobre a partida, creio que será mais um jogo difícil, como tem sido todos no Brasileiro. Por isso, nós precisamos ter atenção para não sermos surpreendidos. Devemos entrar com a mesma determinação de todas as partidas”, concluiu.

Montillo valoriza empate no Sul em seu retorno ao Santos

Recuperado de uma contusão muscular, meia argentino já planeja ver a evolução do time santista nas próximas partidas em casa

Após três semanas afastado dos campos, por conta de uma lesão na coxa esquerda, o meia Montillo voltou a jogar pelo Santos , no empate com o Grêmio por 1 a 1 , na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre. Substituído no fim da partida pelo centroavante Willian José, autor do gol santista na Arena do Grêmio, o argentino comemorou o resultado alcançado em seu retorno ao time praiano.

“Foi o primeiro jogo depois da lesão, então não dá para avaliar direito. Quase nem treinei com o time, mas a equipe estava precisando. Fizemos um bom ponto fora de casa e tomara que domingo seja melhor, para que consigamos os três pontos em casa”, disse Montillo, projetando o duelo com o Criciúma , no próximo domingo, a partir das 18h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

“Acho que já me senti pior. Não senti nada ontem (quarta). Acho que, graças a Deus, a lesão ficou para trás. Agora é tratar de treinar com o grupo e pensar no jogo de domingo”, analisou o camisa 10 santista. Sobre o empate com o time gaúcho, Montillo elogiou a postura da equipe, destacando a proposta de jogo alvinegra, que privilegiou a busca pela vitória, mesmo atuando na casa do adversário.

“O time fez um bom jogo. Acho que o primeiro tempo foi bom e o segundo foi mais parelho. Com um pouco mais de chegada, poderíamos até ganhar o jogo. Agora, nós temos dois jogos (Criciúma e Náutico, partida atrasada da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro) em casa para vencer e ficar mais perto do G4”, encerrou.