Navegando Posts marcados como Antonio Accioly

Atlético-GO 1 x 1 Santos

Data: 06/02/2021, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 35ª rodada
Local: Estádio Antônio Accioly, em Goiânia, GO.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique.
Auxiliares: Michael Correia e Luiz Claudio Regazone.
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda.
Cartões amarelos: João Victor (A); Alison e Felipe Jonatan (S).
Cartão vermelho: Matheus Vargas (A).
Gols: Jean (32-1, de pênalti); Marcos Leonardo (33-2, de pênalti).

ATLÉTICO-GO
Jean; Dudu, João Victor, Éder e Nicolas; Marlon Freitas (Oliveira), Willian Maranhão e Matheus Vargas; Wellington Rato (Danilo Gomes) (Gilvan), Janderson (Chico) e Zé Roberto (Vitor).
Técnico: Marcelo Cabo

SANTOS
João Paulo; Pará, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Ivonei), Vinicius Balieiro (Marcos Leonardo), Lucas Braga (Ângelo) e Arthur Gomes (Jean Mota); Soteldo e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuca



Santos empata com o Atlético-GO com um a mais e se complica por vaga na Libertadores

O Santos empatou em 1 a 1 com o Atlético-GO neste sábado, no Estádio Antônio Accioly, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Jean e Marcos Leonardo, ambos de pênalti.

O lance que originou o gol do Dragão foi polêmico. Houve falta de Zé Roberto em Luan Peres na origem da jogada e o toque de Arthur Gomes em Dudu pode não ter sido o suficiente para a queda.

Na segunda etapa, o Peixe ficou com um a mais logo aos 17 minutos quando o meia Matheus Vargas foi expulso. E uma nova penalidade foi marcada aos 31, em toque com a mão de Éder. Marcos Leonardo discutiu com Soteldo, ficou com a bola e converteu.

O empate não aproxima o Alvinegro da vaga na próxima Libertadores da América. O Peixe é o 10º, com 47 pontos, enquanto o Dragão fica no 12º lugar, com 46.

O jogo

A partida foi muito fraca tecnicamente no primeiro tempo. E o gol só saiu aos 32 minutos porque a arbitragem marcou um pênalti. Arthur Gomes tocou em Dudu e a penalidade máxima foi convertida pelo goleiro Jean.

Os jogadores do Santos reclamaram demais da marcação, não apenas por Arthur não ter sido acintoso na marcação e também por uma possível falta na origem do lance.

Após o gol, o Peixe tentou criar, mas não conseguiu. Jean não foi exigido. Nenhuma finalização foi ao gol do Atlético-GO.

Logo aos três minutos, o Santos assustou o Atlético-GO pela primeira vez. Felipe Jonatan cruzou, Jean Mota se antecipou ao goleiro Jean e cabeceou para fora. No minuto 9, Zé Roberto saiu a cara com João Paulo, mas chutou torto.

Aos 17 minutos, o Atlético-GO ficou com um a menos. Matheus Vargas entrou por cima em Luan Peres e foi expulso após o árbitro Marcelo de Lima Henrique rever a jogada e anular o cartão amarelo.

Com um a mais, o Santos se lançou ao ataque, terminou o jogo sem um volante e conseguiu empatar. Éder tocou com o braço na área quando o placar marcava 31 jogados. Marcos Leonardo insistiu com Soteldo para bater o pênalti e converteu. 1 a 1.

E o Peixe quase virou. No minuto 37, Soteldo cruzou e Láercio cabeceou no segundo pau para ótima defesa de Jean. Aos 42, Ângelo cruzou e Jean Mota, sozinho, finalizou por cima. No fim, 1 a 1 e empate amargo para o Santos.

Cuca avalia empate do Santos com o Atlético-GO: “Era para ter ganho pelo que produzimos”

Cuca valorizou o esforço do Santos no empate do Santos em 1 a 1 com o Atlético-GO neste sábado, em Goiânia, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe saiu atrás no primeiro tempo e empatou com Marcos Leonardo, de pênalti, na etapa final. Matheus Vargas, meia do Dragão, foi expulso e o Alvinegro teve quase 40 minutos para tentar a virada.

“Primeiro tempo com campo encharcado, pesado. E foi equilibrado. Saíram na frente numa penalidade discutível. Equipe bem organizada pelo Marcelo, saída de bola boa e velocidade em contra-ataque. Com placar adverso, nos expomos para pressionar no campo do adversário e reverter o placar. Fizemos segundo tempo muito bom, domínio completo antes da expulsão. Abrimos as jogadas, concluímos diversas vezes e infelizmente a bola do gol da vitória acabou não entrando. Nesse tipo de jogo, lamentamos o resultado, um empate normal aqui, mas era para ter ganho pelo que produzimos e iríamos ao oitavo lugar”, disse Cuca.

“Temos três jogos decisivos em casa agora: Coritiba, Corinthians, Fluminense e encerra lá com o Bahia. Grupo está muito fechado, consciente do que deve fazer, que é estar na Libertadores. Não vai faltar esforço por essa vaga. E os jogos de hoje e do Grêmio foram prova disso. Muito difíceis e jogamos bem, principalmente no segundo tempo de hoje”, completou.

Com personalidade, Marcos Leonardo garante ponto para o Santos: “Goiânia me ilumina”

Marcos Leonardo, aos 17 anos, mostrou personalidade de sobra no empate do Santos em 1 a 1 com o Atlético-GO neste sábado, em Goiânia, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Soteldo bateria o pênalti, mas o centroavante insistiu e até discutiu com o camisa 10 para assumir a responsabilidade. Ele finalizou no meio superou o goleiro Jean.

“Goiânia me ilumina. Fiz meu primeiro gol aqui e pude ajudar com mais um gol hoje. Valorizar um ponto, o importante é somar e agora é aproveitar os três jogos em casa para chegarmos no nosso objetivo, que é a Libertadores”, disse o centroavante, ao Premiere.

Cuca mantém dúvida sobre permanência no Santos: “Temos que pensar com cuidado”

O técnico Cuca mantém a dúvida sobre a permanência no Santos na próxima temporada. Seu contrato termina em 25 de fevereiro, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao ser perguntado sobre o que o deixaria indeciso, Cuca falou sobre os problemas financeiros do clube e a pressão por resultados positivos nesse momento de reformulação administrativa com o presidente Andres Rueda.

“São coisas internas que conversei com o presidente e o Quaresma (José Renato, membro do Comitê de Gestão). Sempre jogo muito aberto, franco. Quero cumprir meu contrato, vim pelo prazer do trabalho e desafio. Estou muito contente com o retorno, principalmente dos jogadores. Uma pena não termos torcedor ao lado pela pandemia. É uma pergunta que cabe um tempo mais para responder. Santos, hoje, vive problemas seríssimos e gravíssimos. O que acontece? Duas ou três punições da Fifa para serem pagas. Dívidas com jogadores para serem pagas e não há receitas. Qual a receita? Vender jogadores. Lucas Veríssimo, Diego Pituca, daqui a pouco mais um e não dá conta, tem que vender dois. E não pra contratar, para pagar contas, salários e transfer ban” disse Cuca, após o empate em 1 a 1 com o Atlético-GO.

“A próxima temporada é de arrumar a casa, como falei. E não se arruma a casa colocando móveis, mas a estrutura, que não está nada legal. Santos tem que competir com São Paulo, Corinthians, Palmeiras. Não se pode perder enquanto arruma a casa. Derrotas têm consequência para treinador e emocional dos meninos. Vento a favor é uma coisa, contra a outra. Temos que pensar com carinho, com cuidado. Tenho falado como amigo com o presidente, Quaresma, Jorge (Andrade, gerente de futebol). Temos conversado muito sobre isso aí”, completou o treinador.

Cuca anuncia João Paulo titular no Santos até o fim do Brasileirão: “Senti John abatido”

O técnico Cuca promoveu a volta de João Paulo ao time titular do Santos no último sábado, no empate em 1 a 1 com o Atlético-GO, em Goiânia, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

John se recuperou da covid-19, enfrentou Goiás, Atlético-MG, Palmeiras e Grêmio e voltou para o banco de reservas. O treinador explicou a decisão em entrevista coletiva.

“No último jogo, em Porto Alegre (3 a 3 com o Grêmio), senti o John abatido. Um pouco para baixo. Resolvi preservá-lo. É um grande goleiro, um grande ser humano, assim como João Paulo e Vladimir. Então, por esse motivo, eu e o preparador de goleiros (Arzul) resolvemos colocar o João. E é ele quem vai jogar até o fim do campeonato”, disse Cuca.



Santos procura novo técnico, mas quer Cuca até o fim do Campeonato Brasileiro ( Em 08/02/2021 )

O Santos procura um novo técnico, mas quer Cuca até o fim do Campeonato Brasileiro. O Peixe tem quatro jogos para tentar vaga na próxima edição da Libertadores da América.

O Alvinegro sabe da saída de Cuca e começa a buscar opções no mercado. O clube, porém, adota cautela e espera ter Cuca nessa transição.

O Santos sinalizou aumento salarial e descanso entre o fim do Brasileirão e o início do Paulistão, mas Cuca está disposto a sair. Há quem ainda tente convencê-lo no Peixe. A chance é remotíssima.

Cuca sabe das limitações financeiras do Santos e não quer correr o risco de ficar e ser cobrado por bons resultados durante a reformulação no clube. Ele entende que o Peixe foi além da expectativa diante de tantos problemas nos últimos meses e agora seria difícil dar um passo atrás e fazer o torcedor compreender a possível perda de competitividade.

O vice-campeonato da Libertadores para o Palmeiras abalou o técnico, que já pensava em sair antes mesmo da decisão. O Alvinegro perdeu Lucas Veríssimo e Diego Pituca e pode vender mais titulares.


Atlético-GO 1 x 0 Santos

Data: 04/04/2019, quinta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – 3ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio Antonio Accioly, em Goiânia, GO.
Público: 10.525
Renda: R$ 212.185,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior
Auxiliares: Luciano Roggenbaum e Rafael Trombeta.
Cartões amarelos: Moraes, Lucas Rocha e Gilvan (A); Gustavo Henrique, Cueva e Soteldo (S).
Cartão vermelho: Gustavo Henrique (S, 06-2).
Gol: Jorginho (36-2).

ATLÉTICO-GO
Maurício Kozlinski; Jonathan, Lucas Rocha, Gilvan e Moraes (Reginaldo); Pedro Bambu, Washington (André Luis) e Jorginho; Matheus, Pedro Raul e Mike (Gilsinho).
Técnico: Wagner Lopes

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Yuri (Alison), Jean Lucas e Cueva (Derlis González); Rodrygo (Luiz Felipe), Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Com um a menos, Santos perde para o Atlético-GO e precisa de virada na Vila

Com um a menos, o Santos perdeu por 1 a 0 para o Atlético-GO na noite desta quinta-feira, em Goiânia, pela ida da terceira fase da Copa do Brasil. O gol foi marcado por Jorginho, aos 36 minutos do segundo tempo.

Gustavo Henrique recebeu o segundo cartão amarelo aos seis minutos da etapa final. Mesmo assim, o Peixe teve algumas chances e equilibrou a maior parte do jogo, mas levou o gol no fim.

A partida de volta ocorrerá na próxima quinta-feira, na reinauguração da Vila Belmiro. Como não há gol qualificado, qualquer decisão levaria a decisão para os pênaltis. Antes o Alvinegro enfrentará o Corinthians, segunda, no Pacaembu, pela volta da semifinal do Campeonato Paulista. Na ida, o rival venceu por 2 a 1.

O jogo

O primeiro tempo de 0 a 0 entre Atlético-GO e Santos teve emoção no início e no fim, com poucas chances na maior parte do tempo.

Logo aos quatro minutos, Pedro Raul recebeu sozinho na entrada área, tentou encobrir e deu no peito do goleiro Everson. Aos 15, Victor Ferraz rolou para Cueva isolar.

No minuto 25, Rodrygo fez boa jogada pela direita e cruzou para Sasha não alcançar na pequena área. Na sequência, o camisa 11 foi bem de novo pela ponta, achou Soteldo e o venezuelano rolou para Cueva bater fraco, de esquerda, para boa defesa de Mauricio Kozlinski.

No fim, o zero quase saiu do placar. Pedro Raul, de novo, cabeceou para boa defesa de Everson. No contra-ataque, Jorge fez boa jogada individual e chutou cruzado, Moraes afastou a bola que ia na direção do gol.

O Atlético-GO voltou a ter a primeira chance, aos cinco minutos. Pedro Raul deu bom passe para Matheuzinho chutar no pé da trave. E segundos depois, Gustavo Henrique foi expulso.

O zagueiro, amarelado por reclamação no primeiro tempo, agarrou Pedro Raul no contra-ataque e foi expulso justamente. Sampaoli imediatamente tirou Rodrygo e recompôs a defesa com Luiz Felipe.

E mesmo com um a menos, o Peixe ficou perto do gol aos 14. Alison chutou cruzado e Sasha, livre na pequena área, chutou mal de canhota antes de Lucas Rocha afastar o perigo.

Aos 27, o Atlético-GO ficou muito perto do primeiro gol. Jonathan chutou de fora da área, a bola desviou em Lucas Veríssimo e raspou a trave. Everson estava vendido no lance.

E no minuto 36, o Santos sucumbiu à pressão. Jonathan cruzou, Jorge ficou exposto contra dois adversários e Jorginho cabeceou para o fundo das redes.

Quando o placar marcava 43, o Atlético quase ampliou. Reginaldo recebeu cara a cara com Everson, se atrapalhou e o goleiro santista defendeu.

Sampaoli explica ‘mistão’ e diz que derrota ajudará a escalar Santos para clássico

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, explicou a decisão de time misto na derrota por 1 a 0 para o Atlético-GO na noite desta quinta-feira, em Goiânia, pela ida da terceira fase da Copa do Brasil.

O argentino diz que essa escalação o ajudará a decidir a equipe para enfrentar o Corinthians, segunda-feira, no Pacaembu, pela volta da semifinal do Campeonato Paulista. Na ida, o Peixe perdeu por 2 a 1 em Itaquera.

“Pensamos em tudo (não só no jogo de segunda). Nós temos uma viagem agora, temos que treinar amanhã, voltar, só dois dias para treinar para enfrentar o Corinthians. São jogadores que estão jogando muito. A equipe teve muita autoridade, contra uma boa equipe. Viemos buscar o resultado, como sempre, mas voltamos sem gol”, disse Sampaoli.

“Todo jogo é importante para todos os que vêm. Cada rival é diferente. Deste jogo teremos conclusões para termos a melhor equipe para segunda (contra o Corinthians) e na quinta (volta da Copa do Brasil)”, completou.

O treinador também comentou sobre a expulsão de Gustavo Henrique, aos seis minutos do segundo tempo. O gol de Jorginho ocorreu aos 37.

“Influenciou em muitos aspectos. Tive que sacar um atacante como Rodrygo para colocar um (zagueiro) central. Isso muda a partida. Foi outra partida. O rival se entusiasmou com a vantagem numérica e ganhou a partida”, concluiu.

Gustavo Henrique reclama de “árbitro rígido” após expulsão pelo Santos

Gustavo Henrique reclamou da rigidez do árbitro Paulo Roberto Alves Júnior na expulsão durante a derrota do Santos por 1 a 0 para o Atlético-GO, em Goiânia, pela ida da terceira fase da Copa do Brasil.

O zagueiro recebeu o cartão amarelo no primeiro tempo, por reclamação. E aos seis da etapa final, agarrou Pedro Raul em contra-ataque e foi expulso.

“O árbitro foi rígido. Todo mundo conversa com a arbitragem… Difícil falar. Ele me deu amarelo porque saí do meu setor para falar com ele. Fui conversar educadamente com ele, mas recebi o amarelo”, disse Gustavo, à Globo.

O Peixe precisará de uma vitória simples para levar aos pênaltis ou dois gols de vantagem para avançar na próxima quinta, na Vila Belmiro.

Everson diz que expulsão não justifica derrota do Santos para o Atlético-GO

Everson não vê a expulsão de Gustavo Henrique como justificativa para a derrota do Santos por 1 a 0 para o Atlético-GO na noite desta quinta-feira, em Goiânia, pela ida da terceira fase da Copa do Brasil.

O zagueiro recebeu o segundo cartão amarelo aos seis minutos do segundo tempo. O gol da vitória atleticana, de Jorginho, ocorreu aos 37 da etapa final.

“(A expulsão) Não justifica o placar, mas atrapalha. Poderíamos mesmo com um a menos termos feito um melhor jogo. Infelizmente sofremos o gol e agora temos que reverter esses dois jogos (Corinthians e Atlético-GO)”, disse Everson, ao SporTV.