Navegando Posts marcados como América-RN

Santos 2 x 0 América-RN

Data: 05/11/1997, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 24ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.521 pagantes
Renda: R$ 76.960,00
Árbitro: Francisco Dacildo Mourão (CE)
Cartões amarelos: Zetti, Narciso, Ronaldão e Caio (S); Nelson (A).
Gols: Muller (31-1) e Caio (13-2).

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean (Sandro), Ronaldão e Dutra; Narciso, Marcos Assunção, Caíco (João Santos) e Arinelson (Alexandre); Muller e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

AMÉRICA-RN
Emerson; Dinho, Nelson, Gito e Denys; Washington Lobo, Carioca, Moura e Biro-Biro (Wanderley); Richardson (Paloma) e Gian.
Técnico: Júlio César Leal



Santos vence e garante a classificação

O Santos derrotou o América-RN por 2 a 0, ontem à noite, na Vila Belmiro, e garantiu matematicamente a sua classificação entre os oito times que vão disputar a próxima fase do Brasileiro. Com a vitória, o Santos chegou aos 40 pontos e passou para da sétima para a sexta posição na tabela de classificação, assumindo o lugar o Palmeiras.

O time santista pressionou desde o início da partida, apesar da marcação especial preparada pelo técnico Júlio César Leal, do América, sobre Muller e Caíco.

Muller, ainda comemorando a convocação para a seleção brasileira, abriu o marcador após interceptar uma bola cruzada do zagueiro Gito para o lateral Nelson na frente da área. Ele girou rápido e surpreendeu o goleiro Emerson.

O atacante Caio, que nas últimas 12 partidas havia marcado apenas um gol -ele tinha, no total, cinco gols em 18 jogos-, ampliou o placar no segundo tempo.

Na primeira jogada de aproximação feita pela lateral, Muller preparou a bola para Baiano, que surgiu de trás e mandou para Caio marcar de voleio o seu sexto tento neste Brasileiro.

As chances do América durante toda a partida, embora o time tenha esboçado uma reação no segundo tempo após ficar fechado na defesa na etapa inicial, se restringiram às cobranças de falta do zagueiro-artilheiro Gito, que não estava no seu dia de sorte, além de dois lances ofensivos próximo do final da partida.

Impedido, o meia Arinelson chegou a fazer um gol também de voleio aos 7min do primeiro tempo, apesar do estado ruim do campo. O aproveitamento da equipe é de 55,5% em 24 jogos disputados.

O Santos volta a jogar no sábado, contra o Cruzeiro, na Vila Belmiro. Com três cartões amarelos, Zetti, Narciso, Caio e Ronaldão vão desfalcar a equipe.

Atletas pendurados conseguem forçar suspensão

O Santos atingiu todos os seus objetivos na partida contra o América-RN. Além da classificação, quatro dos nove jogadores que estavam pendurados com dois cartões amarelos forçaram o terceiro: Zetti, Ronaldão, Narciso e Caio.

“Deu para forçar o cartão. Pena que o João Santos e o Sandro não receberam o terceiro cartão. É importante entrar na próxima fase com força máxima”, disse o goleiro Zetti.

Se não tivessem recebido o terceiro amarelo no jogo de ontem, eles corriam o risco de serem suspensos na primeiras partidas da próxima fase. Eles vão cumprir suspensão no jogo de sábado, contra o Cruzeiro, que já não tem importância para a classificação.

O atacante Muller -convocado para a seleção brasileira- marcou seu nono gol no Brasileiro e vibrou com a classificação. “O Santos fez por merecer a vaga. O time cresceu na hora certa. A partir de agora, temos uma nova meta: o título”, disse o atacante.

O técnico Wanderley Luxemburgo já definiu que, na segunda-feira, levará o grupo para treinar em Atibaia (65 km de SP) até a estréia na segunda fase.



Santos utiliza Muller como motivação (Em 05/11/1997)

O técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, quer usar a convocação do atacante Muller para a seleção brasileira como “uma motivação a mais” para a partida decisiva contra o América-RN, hoje, às 21h40, na Vila Belmiro. O Santos precisa da vitória para garantir a vaga para a próxima fase com uma rodada de antecipação.

Muller volta ao ataque após cumprir suspensão. Luxemburgo fará outras duas alterações em relação à equipe que perdeu para o Vitória, no sábado, por 2 a 0. O volante Baiano será improvisado na lateral direita, e Arinélson recupera a condição de titular no meio-campo, substituindo João Santos, que tem características mais defensivas.

“O América vem realizando boa campanha, tem chance de ficar com a oitava vaga. Só que dentro da Vila Belmiro temos que impor o nosso futebol”, afirmou Arinélson. “Cada jogador sabe o que terá que fazer em campo para garantir a classificação.”

A intenção de Luxemburgo é ter um time mais ofensivo, procurando o gol desde o início e impedindo a retranca adversária.

“O Santos é um time grande, sempre toma a iniciativa. Espero o apoio da torcida”, salientou o treinador. “Mas que o torcedor tenha paciência. Não há jogo fácil no Brasileiro”, declarou.

Dentro de casa, o Santos só perdeu para o Botafogo: 1 a 2, de virada. E está há quatro partidas invicto. Dos oito gols marcados por Muller, artilheiro do time, sete foram na Vila Belmiro: Grêmio, Criciúma, Botafogo, União São João e Guarani (2 gols em cada jogo).

Velocidade

A improvisação de Baiano na lateral tem como objetivo dar velocidade ao setor. “O professor (Luxemburgo) dá liberdade para atacar. Tenho atuado mais na lateral do que no meio-campo. Não vou encontrar dificuldade”, disse Baiano.

O lateral Ânderson, o volante João Santos e o atacante Macedo, que deixam o time, ficam à disposição do treinador, com possibilidade de serem aproveitados no decorrer da partida.

Quatro titulares e cinco reservas estão pendurados com dois cartões amarelos: Zetti, Narciso, Ronaldão e Caio, mais Ânderson, João Santos, Ronaldo Marconato, Sandro e Rogério Seves.

O goleiro Zetti havia sido o último jogador santista convocado pelo técnico Mario Jorge Lobo Zagallo. Do atual grupo do Santos, os zagueiros Narciso e Ronaldão e os atacantes Macedo e Caio já defenderam a seleção brasileira.

Dinho e Nelson são novidades do América

O América-RN terá duas alterações para enfrentar o Santos. Dinho, que cumpriu suspensão automática, volta no lugar de Airton. Nelson entra no lugar do zagueiro Marcelo Fernandes, expulso no jogo contra o São Paulo.

A derrota por 3 a 1 para o time paulista, no domingo passado, foi a primeira sofrida pelo América em 12 partidas disputadas em casa neste Campeonato Brasileiro. Dessas 11 partidas, havia vencido 5 e empatado 6. No ano passado, quando disputava a Série B do Campeonato Brasileiro, a equipe do Rio Grande do Norte manteve-se invicta nas nove partidas que jogou em seu estádio.

A campanha do América neste campeonato -no qual ainda possui remotas chances de classificação para a próxima fase- é a melhor na história do clube em disputas nacionais.


América-RN 1 x 6 Santos

Data: 26/09/1973
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Castelo Branco, em Natal, RN.
Público: 41.736
Renda: 240.831,00
Árbitro: Luís Carlos Félix (RJ).
Cartões amarelos: N/D
Gols: Pelé (12-1), Mazinho (18-1), Eusébio (30-1) e Pelé (44-1); Santa Cruz (29-2), Hermes (39-2) e Pelé (45-2).

AMÉRICA-RN
Ubirajara; Mário Braga, Scala, Djalma e Chico; Afonsinho, Careca e Almir (Bagadão); João Daniel (Santa Cruz), Élcio e Gílson Porto.
Técnico: Sebastião Leônidas

SANTOS
Carlos; Hermes, Carlos Alberto Torres (Bianchi), Vicente e Zé Carlos; Clodoaldo e Léo Oliveira (Brecha); Mazinho, Eusébio, Pelé e Edu.
Técnico: Pepe


América-RN 1 x 2 Santos

Data: 12/12/1971, 17h00
Competição: Amistoso
Local: Estádio Juvenal Lamartine, em Natal, RN.
Público: N/D
Renda: N/D
Gols: Amorim (35-1), Edu (44-1) e Pelé (46-2).

AMÉRICA-RN
Florio; Ivo, Claudio, Duda e Pimentel; Osmar e Covar; Bagadão, Petinha, Boia e Amorim.
Técnico:

SANTOS
Cejas; Orlando, Paulo, Oberdan e Rildo; Léo e Dicá; Jadir, Edu, Pelé e Ferreira.
Técnico: Mauro Ramos



O estádio esteve lotado para ver pela primeira vez Pelé atuar no Rio Grande do Norte.