Santos 2 x 1 Defensa Y Justicia

Data: 20/10/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leodán González (URU)
Auxiliares: Richard Trinidad e Nicolás Taran (ambos do URU).
Cartões amarelos: Jobson, Lucas Braga e Diego Pituca (S); Braian Romero e David Martínez (DJ).
Gols: Braian Romero (05-2), Lucas Braga (32-2) e Marcos Leonardo (46-2)

SANTOS
João Paulo; Pará (Marcos Leonardo), Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Arthur Gomes (Lucas Braga), Soteldo e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

DEFENSA Y JUSTICIA (ARG)
Unsain; Frias, Paredes e David Martínez; Rius, Enzo Fernández (Acevedo), Pizzini (Camacho), Isnaldo e Benítez; Hachen (Merentiel) e Braian Romero.
Técnico: Hernán Crespo



Santos vence Defensa y Justicia de virada e termina invicto a fase de grupos

Já classificado, o Santos terminou a fase de grupos da Libertadores da América com vitória de virada por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia (ARG) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro. Os gols foram marcados por Braian Romero, Lucas Braga e Marcos Leonardo.

Com vaga garantida nas oitavas de final com uma rodada de antecedência, o Peixe desperdiçou chances no primeiro tempo e piorou na etapa final, quando sofreu o gol, aos cinco minutos. Na parte final, o Alvinegro cresceu e virou aos 32 e 46.

O Santos termina a fase na liderança do Grupo G, com 16 pontos. O Delfín (EQU) venceu o Olímpia, aproveitou a vitória santista e também avançou.

O Peixe pode terminar a primeira fase na melhor colocação geral se o Palmeiras não vencer o Tigre (ARG) nesta quarta-feira. A posição daria a vantagem do Alvinegro decidir todas fases no mata-mata. Os confrontos serão definidos em sorteio e não têm data definida.

O jogo

A primeira chance foi do Santos, em boa jogada de Arthur Gomes. O ponta cruzou e Kaio Jorge se antecipou e finalizou perto da trave. No minuto 11, Arthur roubou a bola na entrada da área e finalizou com desvio.

Quando o placar marcava 28 jogados, o Defensa y Justicia assustou pela primeira vez. Hachen driblou Jobson e bateu para defesa de João Paulo. Aos 35, Braian Romero avançou sem marcação e chutou com perigo.

No minuto 36, a melhor chance do Santos. Kaio Jorge puxou contra-ataque e cruzou. Soteldo, sozinho no segundo pau, não alcançou.

O Defensa y Justicia adiantou as linhas para a etapa final e abriu o placar cedo. Aos cinco minutos, Pizzini cruzou e Braian Romero, sozinho, só desviou para o gol. 1 a 0.

Aos 11 minutos, Felipe Jonatan cruzou na cabeça de Kaio Jorge, que cabeceou para fora. No minuto 15, Soteldo deixou Kaio em boas condições, mas o centroavante furou. Na sequência, Isnaldo recebeu sozinho e errou o alvo.

Quando o empate parecia distante, o Santos buscou o gol. Aos 32, Pará cruzou, Lucas Braga cabeceou e Unsain defendeu. No rebote, Wagner Leonardo cruzou e o próprio Braga empurrou.

Nos minutos finais, o Peixe aproveitou os espaços deixados pelos argentinos e virou com Marcos Leonardo, aos 46 jogados, com assistência de Lucas Braga.

Bastidores – Santos TV:

Cuca se irrita com pergunta sobre poupar no Santos: “Perder jogos com meninos é diferente”

Cuca se irritou com uma pergunta na entrevista coletiva após a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia (ARG) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O técnico foi questionado sobre poupar jogadores diante dos argentinos, já que o Peixe já estava classificado. Jobson recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso para as oitavas de final.

“Hoje eu tinha três a menos no banco porque não temos elenco grande. Testar novos jogadores porque não é ele que é treinador. Se fosse o treinador, não iria testar. Perder jogos com meninos é diferente. Se perde mais do que a partida”, disse Cuca.

Cuca também não gostou da pergunta sobre a chance de ser campeão da Libertadores.

“Começar com uma pergunta assim é duro. Temos que ser realistas, equipe é jovem. Não temos tantas opções, mas temos sido criativos, dado opções aos meninos. Usamos sempre mais de meia dúzia, muitos improvisados como o Palha (Wagner Leonardo). Zagueiro entrou com força para fazer a jogada e deu a assistência. Com Lucas Braga, que é um atacante e entrou na lateral direita para fazer esse corredor. Fez o gol e deu assistência. Improvisos deram certo, mas nem sempre vão dar. Sou realista, mas estou muito feliz com a campanha. Jogamos contra campeão equatoriano, paraguaio e time argentino muito bom e muito bom treinado”, afirmou.

“Estamos indo passo a passo, não sei o que vai acontecer no jogo do Palmeiras. Seremos primeiro ou segundo melhores de todos os times. Algo a comemorar, ponto. Depois vem o mata-mata, com vantagem de decidir em casa. Estou muito contente com os meninos, mas temos déficit. em número de jogadores, temos improvisado desde o início e não podemos fortalecer elenco. Só olho para meu interior e extrair o máximo deles. Se o máximo for o suficiente para ganhar, vamos fazer o máximo”, completou.

Cuca analisou a partida e a “oscilação natural” diante do Defensa y Justicia.

“Nos primeiros 25 minutos fizemos jogo muito bom. Dos 25 em diante tomaram conta do jogo. E tomaram em duas bolas de segurança que cedemos. O jogo é dividido em momentos. Momento seu, que comanda. Emocionalmente quando se quer fazer algo diferente e perde, muda tudo. E naquele minuto eu falei ‘cuidado’ para o banco. Tiveram escanteios, são altos e fortes, e jogo mudou. No segundo tempo com as mexidas começamos a jogar mais, com mais movimentação. Encaixou melhor o jogo e conseguimos a vitória”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Fluminense no sábado, no Maracanã, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Pela Libertadores, não há data definida para as oitavas de final. Os confrontos serão definidos mediante sorteio.


Coritiba 1 x 2 Santos

Data: 17/10/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, PR.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ).
Auxiliares: Michael Correia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ).
Cartões amarelos: Nathan Silva, William Matheus, Hugo Moura e Ricardo Oliveira (C); Jobson e Lucas Braga (S).
Gols: Kaio Jorge (04-1) e Soteldo (26-1); Giovanni Augusto (28-2).

CORITIBA
Wilson; Natanael (Matheus Galdezani), Henrique Vermudt, Nathan Silva e William Matheus; Hugo Moura (Ricardo Oliveira), Matheus Sales (Matheus Bueno), Giovanni Augusto, Yan Sasse (Nathan) e Robson; Rodrigo Muniz (Neílton).
Técnico: Jorginho

SANTOS
João Paulo; Madson, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Arthur Gomes); Lucas Braga (Lucas Lourenço), Soteldo (Wagner Leonardo) e Kaio Jorge (Luiz Felipe).
Técnico: Cuca



Soteldo marca de cavadinha em despedida e Santos vence o Coritiba

Na noite deste sábado, o Santos foi até a capital paranaense e arrancou uma boa vitória por 2 a 1 contra o Coritiba no Couto Pereira, em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo balançou as redes em cobrança de pênalti, de cavadinha. Kaio Jorge anotou o outro gol santista, enquanto Giovanni Augusto diminuiu no segundo tempo.

Depois de uma semana complicada com a derrota para o Atlético-GO e a repercussão negativa da contratação de Robinho, a vitória traz um respiro para o clube. Com o resultado, o Peixe chega aos 27 pontos e sobe para a quinta colocação. Por outro lado, o Coritiba se mantém na zona do rebaixamento, com 16 pontos, em 17º lugar.

O jogo

Mesmo fora de casa, o Santos começou em cima do Coritiba e não demorou para balançar as redes. Logo na primeira chegada, aos quatro minutos, Soteldo acionou Felipe Jonatan pela esquerda, e o lateral cruzou na medida para Kaio Jorge apenas completar para o gol e abrir o placar.

Em desvantagem, o Coritiba quase igualou o placar aos 16, mas João Paulo fez excelente defesa no cabeceio de Rodrigo Muniz. Assim, o Peixe chegou ampliou o marcador aos 26, depois que a arbitragem assinalou mão de Hugo Moura dentro da área na checagem do VAR. Em seu último jogo pelo Peixe, Soteldo foi para a bola e cobrou com cavadinha para anotar o segundo da equipe no jogo.

Para correr atrás do prejuízo, o Coritiba se lançou à frente para ocupar o campo de ataque. O time até criou boas oportunidades, mas tinha dificuldade na finalização. A melhor chance veio com Giovanni Augusto, que carimbou a trave santista aos 44.

Na volta do intervalo, o Coritiba tentava forçar jogadas pelas laterais, mas o Santos fortaleceu a marcação, mesmo sem abaixar as suas linhas. A partida ficou mais pegada, aumentando o número de faltas, mas o Peixe controlava os avanços do adversário.

Mesmo assim o Coxa conseguiu diminuir o placar em um verdadeiro golaço, aos 28 minutos. Giovanni Augusto recebeu passe de Neílton na entrada da área e bateu com precisão, mandando no ângulo de João Paulo.

A partir de então, o Coritiba se lançou ao ataque para tentar o gol de empate de qualquer maneira. Jorginho colocou Ricardo Oliveira em campo nos minutos finais, mas mesmo assim o Coxa não conseguiu balançar as redes, e o Santos confirmou a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Cuca destaca Santos como visitante: “Campanha formidável”

Cuca destacou o desempenho do Santos como visitante após a vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba no último sábado, no Couto Pereira, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe perdeu pela última vez fora de casa para o Palmeiras, por 2 a 1, no Allianz Parque, no dia 23 de agosto.

“A última partida que perdemos fora foi contra o Palmeiras, depois ganhamos cinco e empatamos uma se eu não me engano. É campanha formidável. Dentro das dificuldades, encontrando soluções. Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem. Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

O Santos de Cuca atuou 10 vezes como visitante, com seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Um aproveitamento de 66,7%.

Veja as partidas do Peixe fora de casa sob o comando de Cuca:

Internacional 2 x 0 Santos – Brasileiro
Sport Recife 0 x 1 Santos – Brasileiro
Palmeiras 2 x 1 Santos – Brasileiro
Ceará 0 x 1 Santos – Brasileiro
Botafogo 0 x 0 Santos – Brasileiro
Delfín 1 x 2 Santos – Libertadores
Olimpia 2 x 3 Santos – Libertadores
Goiás 2 x 3 Santos – Brasileiro
Corinthians 1 x 1 Santos – Brasileiro
Coritiba 1 x 2 Santos – Brasileiro

Sandry ressurge no Santos e se anima por mais minutos com Cuca

Sandry foi a principal novidade do Santos nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. O volante estreou sob o comando de Cuca e ganhou a primeira “sequência”.

O Menino da Vila entrou no segundo tempo dos jogos contra Atlético-GO, na Vila Belmiro, e Coritiba, no Couto Pereira – um total de 30 minutos.

“Meninos não entraram bem na quarta-feira, hoje os mesmos meninos entraram bem (contra o Coritiba). Me dá uma alegria muito grande ver isso, ver essa experiência ganha. Não sei até qual lugar chegaremos, mas sei que está muito gostoso trabalhar com eles. Entregam tudo que podem. É a coisa mais salutar para o treinador. Falta uma coisa ou outra às vezes, mas entrega é exemplar”, disse Cuca.

Sandry tem 18 anos e esperou dois meses para estrear com Cuca. Com duas participações consecutivas, a expectativa é de se firmar como opção no meio-campo. Os concorrentes na posição são Diego Pituca, Jobson, Alison e Ivonei.

A última partida antes deste mês ocorreu na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino, no dia 26 de julho, pelo Campeonato Paulista. Sandry tem apenas quatro jogos em 2020.


Santos 0 x 1 Atlético-GO

DATA: 14/10/2020, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Igor Junior Benevenuto de Oliveira (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Marcus Vinicius Gomes (ambos de MG).
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Cartões amarelos: Pará, Diego Pituca e Sandry (S); Marlon Freitas (A).
Gol: Chico (22-2).

SANTOS
João Paulo; Madson, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Pará (Sandry) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Lucas Braga (Tailson), Arthur Gomes (Marcos Leonardo) e Kaio Jorge (Anderson Ceará).
Técnico: Cuca

ATLÉTICO-GO
Jean, Dudu, João Victor, Éder e Nicolas; Willian Maranhão, Marlon Freitas e Chico (Natanael); Janderson (Junior Brandão), Gustavo Ferrareis (Matheus Vargas) e Zé Roberto (Hyuri).
Técnico: Eduardo Souza



Sob olhares de Robinho, Santos perde invencibilidade para o Atlético-GO

O Santos perdeu por 1 a 0 para o Atlético-GO na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol da vitória dos visitantes foi marcado por Chico, no segundo tempo.

O Peixe perdeu também uma invencibilidade de 12 partidas. O Dragão, do técnico interino Eduardo Souza, vence a primeira depois da saída de Vagner Mancini para o Corinthians. O Alvinegro segue em sexto. O Atlético sobe para 10º.

Sob os olhares de Robinho, à espera da liberação do Conselho Deliberativo, o Santos pouco criou. A equipe sentiu as ausências de Jobson (suspenso), Marinho (desconforto muscular na coxa esquerda) e Soteldo (na seleção da Venezuela).

O jogo

Os primeiros 48 minutos foram de pouquíssima emoção. O Santos até ensaiou uma pressão nos minutos iniciais, mas parou na boa marcação do Atlético-GO.

O Peixe só assustou em finalizações de fora da área e cruzamentos. Na defesa, foi pouco exigido e o goleiro João Paulo praticamente não trabalhou.

A opção do técnico Cuca pelo lateral-direito Pará no meio-campo não se mostrou eficaz. E o Alvinegro sentiu a falta de Lucas Veríssimo e Marinho, fora por problemas musculares, e Soteldo, na seleção venezuelana.

A partida continuou morna, mesmo com as substituições de Cuca, e foi o Atlético-GO quem criou a primeira chance clara do jogo na Vila Belmiro.

Aos 18 minutos, o Dragão puxou contra-ataque com Chico, Nicolas cruzou e Matheus Vargas, sem goleiro, debaixo da trave, conseguiu chutar por cima.

No minuto 22, o Santos foi punido pela partida ruim em casa. Janderson fez fila e rolou para Chico. O meia chutou com categoria no ângulo do goleiro João Paulo. 1 a 0.

O Peixe foi ao ataque como deu, mas seguiu sem nenhuma criatividade. A única oportunidade veio com Marcos Leonardo, quase nos acréscimos. O Atlético-GO se defendeu bem, assustou em contra-ataques e garantiu a vitória.

Cuca admite culpa por derrota do Santos: “Jamais jogarei a responsabilidade para os meninos”

Cuca admitiu a culpa pela derrota do Santos por 1 a 0 para o Atlético-GO na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe foi melhor no primeiro tempo, mas voltou pior para a segunda etapa. Lucas Lourenço entrou no lugar de Jean Mota no intervalo. O técnico ainda colocou Marcos Leonardo, Tailson, Anderson Ceará e Sandry. Todos da base.

“Primeiro tempo foi bom, bem jogado, temos pecado na hora de fazer o gol. Deveríamos e merecíamos ter feito o gol que mudaria a postura do adversário. No segundo, com as mexidas que eu fiz, o time não se encaixou mais. Sempre tentamos um jogador descansado, um fato novo para ter alguma vantagem. Não aconteceu. O time se perdeu nas mexidas. Demos muito contra-ataque para o Atlético. A culpa da derrota é minha. Não vou, jamais, jogar a responsabilidade para os meninos. Não tem como vir aqui e não assumir a responsabilidade por essa derrota”, disse Cuca.

O Alvinegro sentiu os desfalques de Lucas Veríssimo, Jobson, Marinho e Soteldo e perdeu uma invencibilidade de 12 jogos. A equipe voltará a campo para enfrentar o Coritiba no sábado, no Couto Pereira.



Cuca relacionou Robinho e planejava estreia em Santos x Atlético-GO ( Em 16/10/2020 )

Robinho estava na lista de relacionados do Santos para a partida contra o Atlético-GO na última quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cuca planejava a estreia do atacante nos últimos 15 ou 20 minutos da partida. E só soube do desfalque na tarde de quarta, na concentração no CT Rei Pelé.

O técnico conversou com o presidente Orlando Rollo sobre o impedimento estatutário: como o Peixe vive período eleitoral, o Conselho Deliberativo precisa aprovar qualquer contratação ou venda de atletas.

Cuca sugeriu uma videoconferência para ter Robinho em campo e foi avisado sobre a necessidade da liberação em reunião oficial. O treinador ficou incomodado com a situação.

Os conselheiros se reunirão na próxima quarta-feira, em encontro virtual. O aval, antes dado como certo, agora é uma dúvida diante de uma matéria publicada pelo GE nesta sexta.

O site publicou transcrições de interceptações telefônicas e um grampo no carro de Robinho, ambos autorizados pela Justiça Italiana. Robinho confirmou a participação em ato sexual no dia 22 de janeiro de 2013, numa boate em Milão. Uma mulher albanesa acusou o jogador e quatro amigos de estupro coletivo.

A condenação em primeira instância, no ano de 2017, foi de nove anos de prisão e Robinho se defende em liberdade. A Corte de Apelo de Milão vai analisar o processo em segunda instância no dia 10 de dezembro.

Robinho é julgado junto ao amigo Ricardo Falco. Os demais suspeitos saíram da Itália durante a investigação e são alvos de processo diferente. De acordo com os documentos detalhados pelo GE, o atacante santista admitiu a relação sexual com a vítima, mas negou o estupro.

Na transcrição, porém, Robinho comenta sobre a mulher estar alcoolizada.

Ricardo Falco: “Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela.
Robinho: “O (NOME DE AMIGO 1) tenho certeza que gozou dentro dela”.
Falco: “Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si”.
Robinho: “Sim”.

Robinho foi avisado sobre a investigação por Jairo Chagas, músico naquela noite na boate, e disse:

Robinho: “Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”.
Robinho: “Olha, os caras estão na merda… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros fod… ela, eles vão ter problemas, não eu… Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2)…. Eram cinco em cima dela”.

Em janeiro de 2014, o músico Jairo Chagas voltou a comentar sobre o caso com Robinho.

Robinho: “A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa”.
Jairo: “Mas você também transou com a mulher?”.
Robinho: “Não, eu tentei”.
Jairo: “Eu te vi quando colocava o pênis dentro da boca dela”.
Robinho: “Isso não significa transar”.

Robinho foi anunciado pelo Santos no sábado, em contrato até fevereiro. O clube defendeu, por meio de Orlando Rollo e de nota oficial, a contratação. Não houve nova manifestação depois da publicação do GE.

O Peixe perdeu um patrocinador, a Orthopride, e perderá a Kicaldo se não rescindir com Robinho, de acordo com o UOL. Os demais anunciantes são: Philco (costas), Oceano B2B (barra frontal), Foxlux (barra traseira), Tekbond (esterno), Casa de apostas (omoplata), Unicesumar (calção) e Kodilar (meião).


Santos 2 x 1 Grêmio

Data: 11/10/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Gil e Éder Alexandre (ambos de SC).
VAR: Wagner Reway (PB)
Cartões amarelos: Jobson e Marinho (S); Robinho, David Braz e Rodrigues (G).
Cartão vermelho: David Braz (G).
Gols: Marinho (19-1, de pênalti); Diego Souza (27-2) e Marinho (33-2, de pênalti).

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Laércio); Diego Pituca, Jobson e Jean Mota (Madson); Marinho, Arthur Gomes e Kaio Jorge (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuca

GRÊMIO
Vanderlei; Orejuela, Paulo Miranda (Rodrigues), David Braz e Bruno Cortez (Diogo Barbosa); Lucas Silva (Maicon), Thaciano e Robinho (Isaque); Luiz Fernando, Pepê e Diego Souza (Everton).
Técnico: Renato Gaúcho



Com dois gols de Marinho, Santos vence Grêmio e entra no G6 do Brasileiro

Neste domingo, o Santos recebeu o Grêmio na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saiu com a vitória pelo placar de 2 a 1. Com dois gols marcados por Marinho, o Peixe conquistou os três pontos e chegou ao 12º jogo consecutivo sem derrota. Diego Souza fez para os visitantes.

Com o resultado, a equipe comandada pelo técnico Cuca chega a 24 pontos conquistados e sobe para a sexta colocação, entrando na zona de classificação para a próxima edição da Copa Libertadores. O Tricolor Gaúcho, por sua vez, estaciona nos 17 pontos e aguarda os outros resultados para saber qual posição vai ocupar ao final da rodada.

O jogo

O Santos criou a primeira boa chance da partida logo aos dois minutos. quando Arthur Gomes cabeceou por cima do gol após cruzamento na medida de Pará. Aos 13, o Peixe chegou bem mais uma vez. Kaio Jorge dominou na entrada da área depois de desvio da defesa, ajeitou e bateu com força para boa defesa de Vanderlei.

E aos 17 minutos, os donos da casa não perdoaram. Kaio Jorge recebeu em profundidade pelo lado direito, tentou fazer o cruzamento e viu a bola bater no braço de Paulo Miranda. O árbitro Braulio da Silva Machado viu a infração e marcou a penalidade máxima, cobrada e convertida pelo atacante Marinho.

O Grêmio quase deixou tudo igual aos 31 minutos. Robinho bateu escanteio fechado, Diego Souza subiu sozinho e, de cabeça, mandou raspando no pé da trave. Pouco depois, o Santos respondeu com Jean Mota, que chutou colocado após passe de Kaio Jorge e acertou o poste.

Diego Pituca, em bela finalização de letra para completar cruzamento de Marinho, e Lucas Silva, em chute forte da entrada da área, ainda criaram boas chances para suas equipes. Contudo, o placar de 1 a 0 persistiu até a saída para o intervalo.

O Alvinegro Praiano quase ampliou a vantagem aos cinco minutos do segundo tempo. Arthur Gomes arrancou em velocidade e soltou para Jean Mota, que fez o cruzamento rasteiro, para trás, e achou Marinho. Na marca do pênalti, o camisa 11 bateu de primeira e acertou o travessão.

No entanto, foi o Tricolor Gaúcho que marcou o segundo gol do jogo. Aos 27 minutos, Diogo Barbosa fez boa jogada e encontrou Isaque, que rolou para Pepê. O atacante tocou na entrada da área para a chegada de Diego Souza, que chegou batendo firme, de primeira, e acertou o canto esquerdo de João Paulo, sem chances para o goleiro alvinegro.

Cinco minutos depois, porém, o árbitro viu, com o auxílio do VAR, uma falta de David Braz em Marinho dentro da área e assinalou outro pênalti para o Santos. O artilheiro do Peixe foi para a cobrança, deslocou Vanderlei e recolocou os donos da casa na frente.

O arqueiro gremista ainda salvou os visitantes em duas oportunidades, ao defender finalização de Madson após cruzamento rasteiro de Marinho e cabeceio de Lucas Veríssimo em cobrança de escanteio do camisa 11. Nos acréscimos, foi a vez de João Paulo evitar o gol adversário em belo chute de Maicon e garantiu a vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

Cuca elogia atuação do Santos contra o Grêmio e comenta contratação de Robinho

Neste domingo, o Santos conseguiu uma boa vitória contra o Grêmio, na Vila Belmiro, pelo placar de 2 a 1, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Cuca elogiou a atuação da equipe alvinegra no confronto, apesar da dificuldade imposta pelos adversários na segunda etapa.

“Eu vi um bom jogo, um jogo bem jogado, bem disputado, com duas equipes tentando a vitória. Nós, lógico, por estarmos jogando em casa, saímos para o jogo. O primeiro tempo foi muito bem jogado por parte do Santos. A gente teve saída de bola, chegadas pelos dois lados, infiltrações, diagonais. Fizemos um gol, pecamos em não fazer o segundo, e quando você joga contra uma equipe como o Grêmio, você pode ser surpreendido a qualquer momento”, declarou o comandante.

“O segundo tempo foi mais difícil. O Renato é um cara que tem o time na mão, já está há muitos anos à frente do Grêmio. Ele sentiu que tinha que jogar mais à frente. E tudo isso vai surtindo efeito, são grandes jogadores. Um jogo bem pensado pelo treinador do outro lado também. Tivemos uma dificuldade maior, mas, mesmo tomando o gol de empate, continuamos a jogar e buscar o gol. Criamos chances, botamos duas bolas na trave e acabamos sendo premiados com o segundo gol”, acrescentou.

Por outro lado, Cuca lamentou as oportunidades perdidas pelo Peixe, que poderiam ter deixado a situação dos donos da casa mais tranquila. O treinador citou os chutes na trave de Marinho e Jean Mota, e a finalização de letra de Diego Pituca como bolas que “eram para entrar”.

“A gente tem pecado na definição. Temos criado muitas chances, mas pecamos na definição. A gente tem trabalhado nesse quesito, o pouco que dá, porque não tem tempo. Tem dia que o jogador vai ser feliz na conclusão, e tem dia que ele não vai ser tão feliz. A bola do Jean Mota era uma bola para entrar e bateu na trave, a bola do Marinho era para entrar e deu na trave, a bola do Pituca de letra era para entrar e passou a meio metro. São pequenas diferenças que fazem o resultado final”, disse.

O comandante santista ainda comentou a contratação do atacante Robinho. Para o técnico, o jogador de 36 anos, condenado a nove anos de prisão por violência sexual na Itália, em 2017, pode ajudar a equipe “dentro e fora de campo”.

“Eu recebi (a notícia) ontem (sábado) à tarde. Eu estava na Vila, reunido com o pessoal e recebi a notícia dele lá. A gente espera que ele nos ajude muito dentro e fora de campo. Como é uma pessoa de índole e caráter maravilhoso, sem dúvida nenhuma vai nos ajudar. Ainda não pensei em como utilizar o Robinho, requer um tempo, ele tem que entrar em condição de jogo primeiro. Tudo isso tem tempo para depois a gente conversar e entender o que é melhor”, apontou Cuca.


Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 07/10/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Neo Química Arena, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhães de Miranda
Cartões amarelos: Roni e Danilo Avelar (C); Lucas Braga, Lucas Lourenço e John (S).
Gols: Madson (10-1) e Danilo Avelar (45-1).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Lucas Píton; Gabriel, Roni (Camacho) e Luan (Cazares); Gustavo Mantuan (Mateus Vital), Léo Natel (Gustavo Mosquito) e Jô (Boselli).
Técnico: Dyego Coelho

SANTOS
João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson, Madson e Lucas Braga (Ivonei); Jean Mota (Tailson) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço).
Técnico: Cuquinha (auxiliar técncico)



Santos sai na frente, mas Corinthians arranca o empate em Itaquera

Corinthians e Santos ficaram no empate por 1 a 1, nesta quarta-feira, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Neo Química Arena. O Timão acumulou, com isso, quatro partidas seguidas sem vencer, enquanto o Peixe aumentou a série de invencibilidade para 11 jogos.

Com a igualdade, o Corinthians chega aos 15 pontos, ainda muito perto da zona de rebaixamento, na 14ª colocação, que ainda pode mudar até o fim da rodada. Já o Santos é o quinto colocado, com 21 pontos, e também pode cair na tabela.

O jogo

Fora de casa, sem seus principais jogadores e com o desfalque até de Cuca no banco de reservas. Nada disso foi problema para o Santos no primeiro tempo. O domínio amplo a partir do apito inicial foi coroado com um gol logo aos 10 minutos. Jean Mota cruzou da esquerda e Madson venceu Piton já dentro da pequena área.

O Corinthians, espaçado em campo, perdido, com a sexta escalação diferente em seis jogos sob o comando de Dyego Coelho, se mostrava preza fácil naquele momento.

Inexplicavelmente, o Peixe não soube aproveitar o momento e preferiu diminuir o ritmo. Assim, mesmo com enorme dificuldade, o Timão passou a ocupar mais o campo de ataque.

O castigo aos santistas veio no último lance agudo antes do intervalo. Gil ganhou de Luiz Felipe no alto, depois de cobrança de escanteio, e o goleiro João Paulo perdeu para Danilo Avelar no alto. Um gol bizarro, que gerou muita reclamação dos visitantes, consulta do VAR, mas, no fim, foi validado.

Na etapa final, o resultado de substituições dos técnicos foi favorável ao Corinthians, que apresentou evolução pelo que vinha fazendo em campo. O Santos se manteve organizado, mas passou a ficar mais tempo no campo de defesa, com dificuldade em chegar ao gol de Cássio.

A partida teve uma nova polêmica por causa de uma falta marcada pelo juiz em cima de Gustavo Mosquito. A princípio, a dúvida era se a infração tinha ocorrido dentro ou fora da área. O árbitro, porém, voltou atrás e não deu a falta após consultar o replay. Em tese, o VAR não pode ser usado para este fim.

A partir disso, o jogo não apresentou mais grandes emoções. Mateus Vital, nos acréscimos, exigiu uma linda defesa de João Paulo. E foi só.

Bastidores – Santos TV:

Após maratona, Santos ganha respiro na tabela: “Importantíssimo”

Após maratona de jogos e viagens, o Santos tem um respiro na tabela do Campeonato Brasileiro após o empate em 1 a 1 com o Corinthians na última quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada.

O Peixe terá quinta, sexta e sábado antes de enfrentar o Grêmio no domingo, às 16h. A partida ocorrerá diante do Atlético-GO, na quarta, novamente na Vila Belmiro.

O Santos teve três jogos consecutivos fora de casa em uma semana, com duas viagens longas: Olimpia, no Paraguai, Goiás, em Goiânia, e Corinthians, em São Paulo.

“Importantíssimo. Haja visto segundo tempo como não mantivemos o nível, marcar pressão, chegar com qualidade (no clássico). Tempo é fundamental para trabalhar. Temos que enaltecer os meninos, terminamos com cinco meninos. São polivalentes, de um lado e do outro e ajudam. É muito desgaste. Passamos muito tempo fora de Santos. 11 partidas de invencibilidade não é fácil. Temos que enaltecer o trabalho bem feito, essa dedicação dos meninos. Tudo isso nos deixa orgulhosos”, disse o auxiliar Cuquinha, em entrevista coletiva.

O Santos se reapresenta para treinamento na tarde desta quinta, no CT Rei Pelé. O Peixe não perde há 11 partidas e é o sétimo no Brasileirão, com 21 pontos.

Cuquinha nega ordem para recuar e elogia dedicação do Santos: “Bonito de ver”

Técnico do Santos na ausência de Cuca por suspensão, o auxiliar Cuquinha valorizou o empate em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe começou bem, abriu o placar e depois diminuiu o ritmo. O segundo tempo dos donos da casa foi melhor.

“Proposta foi vencer, fazer pressão e conseguir vitória no primeiro tempo. Fizemos isso bem até 30/35 minutos, foi caindo. Viagens, jogos, fomos sentindo. Tomamos o gol no fim do primeiro tempo e depois foi outro jogo. Não encaixamos bem, mas fizemos segundo tempo digno, com algumas oportunidades. Corinthians foi um pouco melhor no segundo tempo, nós muito melhores em 30 minutos. Resultado acabou justo. E não há nenhum pedido para recuar. Jogadores sentem um pouco, é normal”, disse Cuquinha.

“Corinthians pressionado, fora de casa, inúmeras baixas. Não podemos desprezar um ponto. Poderíamos ter ganho, mas não é fácil. Adrenalina toma conta dos guris, perna pesa, não dormem à noite. Estamos felizes com o resultado. Poderia ter sido melhor, mas foi um resultado justo”, completou.

Cuquinha também valorizou o esforço do elenco diante das dificuldades. O Santos utilizou sete Meninos da Vila ao longo do clássico: João Paulo, Kaio Jorge, Ivonei, Marcos Leonardo, Lucas Lourenço, Tailson e Wagner Leonardo.

“Nossa realidade é a final de domingo contra o Grêmio. Cada jogo é uma final. Se a gente se programar para depois, vamos perder parte do foco. Temos que somar pontos e estar na parte de cima, onde o Santos merece. Sabemos da dificuldade dentro e fora de campo, mas é trabalhar e enaltecer os meninos. Dedicação é algo bonito de ver, nunca falta. Se entregam, banco joga junto. Isso constrói 11 jogos de invencibilidade e quem sabe 12 ou 13 e assim por diante?”, concluiu o auxiliar.

Pituca vê bom clássico do Santos e diz: “Empate vai ajudar lá na frente”

Diego Pituca aprovou a atuação e valorizou o empate do Santos em 1 a 1 com o Corinthians nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe teve nove desfalques: o técnico Cuca, Lucas Veríssimo, Marinho, Alison, Raniel, Carlos Sánchez, Soteldo, Arthur Gomes, Vladimir e Renyer.

“Entramos muito desfalcados, sim, mas quem entrou ajudou. Fizemos um bom jogo, sabíamos que seria difícil contra o Corinthians. Mas o empate vai nos ajudar lá na frente”, disse Pituca, ao Premiere.