Navegando Posts em Libertadores

Santos 0 x 1 LDU

Data: 01/12/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Diego Bonfá e Gabriel Chade (ambos da ARG).
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Cartões amarelos: Alison, Soteldo e John (S); Ayala e Caicedo (L).
Cartão vermelho: Aguirre (L) e Luiz Felipe (S).
Gol: Zunino (23-2).

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Alison, Diego Pituca e Soteldo (Sandry); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge (Bruno Marques).
Técnico: Cuquinha (interino)

LDU (EQU)
Gabbarini; Perlaza (Zunino), Ordóñez, Caicedo e Ayala (Cruz); Villarruel (Aguirre), Alcívar, Quintero e Julio; Arce (Caicedo) e Martínez.
Técnico: Pablo Repetto



Santos perde para a LDU na Vila, mas se classifica às quartas da Libertadores

O Santos perdeu por 1 a 0 para a LDU (EQU) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, mas se classificou para as quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe “usou” o gol qualificado. Como venceu por 2 a 1 em Quito, o Alvinegro avançou mesmo com a derrota por 1 a 0 em casa. Nos minutos finais, os donos da casa levaram alguns sustos e correram risco.

O Santos enfrentará Grêmio ou Guaraní (PAR) nas quartas. O Tricolor venceu por 2 a 0 como visitante e tem grande chance de fazer esse duelo nacional com o Peixe em busca de uma vaga na semifinal.

O jogo

O Santos dominou as primeiras ações. Sem administrar a vantagem adquirida em Quito, o Peixe empilhou chances. Na primeira, Pará cruzou e Kaio Jorge quase acertou o cabeceio aos seis.

No minuto 13, Diego Pituca finalizou com categoria de fora da área e Gabbarini foi no ângulo espalmar. Na sequência, Soteldo cruzou e Luan Peres e Kaio não alcançaram.

Aos 22, outra chance claríssima: Pará fez bonita enfiada para Kaio Jorge. O centroavante saiu cara a cara com Gabarrini, mas parou no goleiro. Terceira oportunidade desperdiçada.

A partir da segunda metade da primeira etapa, a LDU equilibrou as ações. No minuto 24, Borja finalizou por cima na frente de John. Quando o placar marcava 28, Lucas Braga acertou o travessão de cabeça.

O Santos não conseguiu controlar mais a partida na etapa final. E sofreu o gol aos 19 minutos, quando Zunino aproveitou bate-rebate e bateu forte. A arbitragem precisou de quatro minutos para confirmar o lance com auxílio do VAR.

Aos 34 minutos, o Peixe sofreu um enorme susto. A bola sobrou para Zunino, que, quase na pequena área, isolou. O 2 a 0 classificaria a LDU às quartas da Libertadores da América.

Nos lances finais, o Santos se defendeu como deu e conseguiu avançar, com direito a conflito entre os times nos acréscimos. Foi por pouco.

Bastidores – Santos TV:

Cuquinha elogia 1º tempo ‘primoroso’ do Santos e diz: “Podíamos não ter corrido risco”

Comandante do Santos nesta terça-feira, Cuquinha elogiou o primeiro tempo na derrota por 1 a 0 para a LDU (EQU), na Vila Belmiro, pelo jogo de volta das oitavas de final da Libertadores da América.

O Peixe desperdiçou chances, sofreu um gol e correu risco até o fim. Alvinegro e se classificou em função do 2 a 1 em Quito e do gol qualificado.

“Até o gol era jogo controlado, com pouco risco. Primeiro tempo foi primoroso, parabenizei eles pelo primeiro tempo. E depois de um gol é difícil, dá medo, qualquer bola gera perigo. Classificação foi conquistada no primeiro jogo e no primeiro tempo de hoje. No geral, time não correu muito risco. Tivemos muitas chances, cinco, seis, sete oportunidades no primeiro tempo. Podíamos não ter corrido risco no segundo tempo. Jogo se tornou perigoso. Depois do gol, jogaram por uma bola. Tudo faz parte. Jogamos 180 minutos e fomos melhores que a LDU. Temos que valorizar. Jogo de igual para igual lá, nós melhores no primeiro tempo aqui. É tirar lições para o próximo mata-mata”, disse Cuquinha.

“No segundo tempo controlamos até o gol. E no primeiro tempo controlamos. Até paramos achando que estava impedido, não podemos parar. John não pegou uma bola difícil. Perigo era bola alçada. Depois do gol, qualquer lance é perigoso. Se tomar gol fica fora, só por isso”, completou.

Cuquinha dirigiu o Santos em função de confusão nos testes de covid-19 de Cuca. Com PCR positivo, a Conmebol vetou o técnico da decisão mesmo sem poder infectar alguém ou ter algum sintoma.

Marinho lamenta chances desperdiçadas e susto do Santos em classificação: “Chato correr até o fim”

Marinho lamentou as chances desperdiçadas pelo Santos na derrota por 1 a 0 para a LDU (EQU) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro.

O Peixe se classificou em função do 2 a 1 em Quito e do gol qualificado.

“Sabíamos que a equipe da LDU é boa, sabíamos que jogariam o jogo da vida. Sabemos que é difícil de jogar contra, mesmo no Brasil. Equipe acostumada a jogar Libertadores. Não podemos desperdiçar oportunidades. Continuamos em cima, fizeram um gol e depois foi aquela correria no fim. Fizemos jogo incrível lá, poderíamos ter feito 1 a 0 aqui”, disse Marinho.

“A gente poderia estar mais tranquilo no segundo tempo. Se não fizermos o gol, corremos o risco e é chato correr até o fim, pedindo para acabar o jogo. Criamos oportunidades, eu mesmo concluí mal”, completou.

O Santos enfrentará Grêmio ou Guaraní (PAR) nas quartas. O Tricolor venceu por 2 a 0 como visitante e tem grande chance de fazer esse duelo nacional com o Peixe em busca de uma vaga na semifinal.


LDU 1 x 2 Santos

Data: 24/11/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Auxliares: Ezequiel Brailovsky e Julio Fernandez (ambos da ARG).
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Cartões amarelos: Vega, Alcívar, Aguirre e Ordoñez (L); Luiz Felipe, Wagner Leonardo, Felipe Jonatan e Soteldo (S).
Gols: Soteldo (06-1) e Jhojan Julio (46-1); Marinho (13-2).

LDU (EQU)
Gabbarini; Perlaza (Zunino), Caicedo, Ordoñez e Cruz (Ayala); Villarruel, Alcivar, Vega (Caicedo), Quintero (Aguirre) e Billy Arce; Jhohan Julio e Martínez Borja.
Técnico: Pablo Repetto

SANTOS
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Lucas Braga); Alison, Diego Pituca e Jean Mota (Wagner Leonardo); Marinho (Lucas Lourenço), Soteldo (Vinicius Balieiro) e Kaio Jorge.
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Santos vence a LDU na altitude de Quito e abre vantagem nas oitavas da Libertadores

O Santos venceu a LDU por 2 a 1 na noite desta terça-feira, no Estádio Casa Blanca, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Soteldo e Marinho. Os visitantes balançaram as redes com Jhojan Julio.

O Peixe superou os desfalques e a altitude de 2850 metros em Quito, no Equador. Depois de primeiro tempo com muitos espaços na marcação, o Alvinegro voltou melhor para a etapa final, quando desempatou e sofreu menos na defesa.

Como o gol fora de casa é qualificado na Libertadores, o Santos pode empatar ou até perder por 1 a 0 para avançar às quartas de final. A decisão ocorrerá na próxima terça, também às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro. 2 a 1 levaria a eliminatória para os pênaltis.

O Santos suportou a pressão inicial da LDU e aproveitou a primeira chance criada. Pará fez bonita jogada individual e cruzou para Soteldo fazer o gol aos cinco minutos.

A partir daí, a LDU dominou o jogo. Com a posse de bola e melhor fisicamente, a equipe dona da casa empilhou chances. No minuto 27, Perlaza bateu para boa defesa de John. E nos acréscimos, veio o empate.

O Santos cedeu um contra-ataque no último lance da etapa inicial. Billy Arce avançou e bateu para ótima defesa do goleiro John. No rebote, Jhojan Julio subiu mais que Diego Pituca e Marinho e empurrou para as redes de cabeça.

O Santos teve novamente a primeira chance. Dessa vez, porém, Gabbarini foi bem finalização forte de Marinho de fora da área aos dois minutos. Na sequência, Alcívar bateu forte e John segurou mais uma.

E quando o Peixe parecia longe do gol, Marinho apareceu. O atacante bagunçou a defesa da LDU e sofreu (e converteu) o pênalti. 2 a 1 em Quito para os brasileiros aos 13 jogados.

O Alvinegro ajustou a defesa e pouco sofreu. Quando a LDU assustou, o goleiro John defendeu. A saída de Jean Mota para a entrada de Wagner Leonardo foi decisiva para o resultado. John, Pará, Marinho e Soteldo foram os destaques da equipe de Marcelo Fernandes. Vantagem para a decisão na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes explica substituição decisiva no Santos e valoriza estratégia: “Deu tudo certo”

Marcelo Fernandes foi “ousado” na vitória do Santos por 2 a 1 sobre a LDU na noite desta terça-feira, em Quito, no Equador, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América.

O auxiliar, substituto de Cuca, tirou Jean Mota por cansaço no fim do primeiro tempo. Segundos depois, a LDU empatou. Na segunda etapa, porém, a alteração se mostrou decisiva. Com Wagner Leonardo na lateral e Felipe Jonatan no meio-campo, o Peixe pouco sofreu defensivamente.

“Jean Mota pela esquerda foi opção, para explorarmos a escapada do Soteldo por dentro também. Troca foi num momento preciso. Jean Mota deu tudo, é esforçado, grande futebol. Mas como lado direito da LDU estava forte, fizemos essa substituição. Foi uma alteração que eu falei com Jean e ele entendeu. Sofremos com muitas jogadas pela direita. Algum poderia sentir efeito da altitude. Jean tentou coibir essas jogadas, deu tudo, mas colocou a mão no joelho para buscar o ar e optamos pela saída. Cumpriu sua função perfeitamente. É menino de ouro, grande jogador, qualquer um poderia ter sentido a altitude”, disse Marcelo Fernandes.

O técnico ainda valorizou o planejamento do Santos. A estratégia foi comprometida pelo surto de covid-19, mas o Peixe conseguiu superar a altitude de 2850 metros mesmo assim.

“Tivemos a infelicidade do gol no fim do primeiro tempo depois da troca. Voltamos para o segundo tempo com a mesma estratégia, tentando ficar com a posse de bola. O que meninos fizeram hoje é de tirar o chapéu. Sempre honram a camisa. Fico orgulhoso de participar desse trabalho comandado pelo Cuca. Grupo é muito coeso e determinado. Estratégia era ficar com a bola e termos nossos extremos Marinho e Soteldo. E foi assim com o Marinho, que sofreu o pênalti e conseguimos vencer”, afirmou.

“Preparação foi feita lá atrás. Planejamento de vir no domingo. Tentamos adiar o jogo e não conseguimos, até poderíamos vir mais cedo. Tivemos o surto de covid, foi tarefa difícil. Preparação foi bem pensada há muito tempo, para vir dias antes pela ambientação. E com certeza deu tudo certo”, concluiu.

Como o gol fora de casa é qualificado na Libertadores, o Santos pode empatar ou até perder por 1 a 0 para avançar às quartas de final. A decisão ocorrerá na próxima terça, também às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro. 2 a 1 levaria a eliminatória para os pênaltis.

Marinho valoriza vantagem do Santos na Libertadores, mas diz: “Cabecinha no lugar e pezinho no chão”

Marinho valorizou a vantagem do Santos nas oitavas de final da Libertadores, mas destacou a necessidade de não se acomodar com o resultado. O Peixe venceu a LDU (EQU) por 2 a 1 na noite desta terça-feira, em Quito, e decidirá a vaga daqui a uma semana, na Vila Belmiro.

“Independentemente da altitude, Marcelo Fernandes falou para tentarmos vencer. LDU é equipe forte aqui, mas nós sabemos do nosso potencial. Foi grande jogo. Tivemos a felicidade de vencer. E vamos manter os pés no chão, trabalhando forte porque no Brasil também vai ser difícil. Cabecinha no lugar e pezinho no chão, disse Marinho” em entrevista coletiva.

“Comprometimento. Equipe fez o melhor, de acordo com a estratégia. Todos correram e se dedicaram. Todos abraçaram o trabalho, brigamos pela causa e fizemos grande jogo. Fomos merecedores dessa vitória”, completou.


Santos 2 x 1 Defensa Y Justicia

Data: 20/10/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leodán González (URU)
Auxiliares: Richard Trinidad e Nicolás Taran (ambos do URU).
Cartões amarelos: Jobson, Lucas Braga e Diego Pituca (S); Braian Romero e David Martínez (DJ).
Gols: Braian Romero (05-2), Lucas Braga (32-2) e Marcos Leonardo (46-2)

SANTOS
João Paulo; Pará (Marcos Leonardo), Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Lourenço); Arthur Gomes (Lucas Braga), Soteldo e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

DEFENSA Y JUSTICIA (ARG)
Unsain; Frias, Paredes e David Martínez; Rius, Enzo Fernández (Acevedo), Pizzini (Camacho), Isnaldo e Benítez; Hachen (Merentiel) e Braian Romero.
Técnico: Hernán Crespo



Santos vence Defensa y Justicia de virada e termina invicto a fase de grupos

Já classificado, o Santos terminou a fase de grupos da Libertadores da América com vitória de virada por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia (ARG) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro. Os gols foram marcados por Braian Romero, Lucas Braga e Marcos Leonardo.

Com vaga garantida nas oitavas de final com uma rodada de antecedência, o Peixe desperdiçou chances no primeiro tempo e piorou na etapa final, quando sofreu o gol, aos cinco minutos. Na parte final, o Alvinegro cresceu e virou aos 32 e 46.

O Santos termina a fase na liderança do Grupo G, com 16 pontos. O Delfín (EQU) venceu o Olímpia, aproveitou a vitória santista e também avançou.

O Peixe pode terminar a primeira fase na melhor colocação geral se o Palmeiras não vencer o Tigre (ARG) nesta quarta-feira. A posição daria a vantagem do Alvinegro decidir todas fases no mata-mata. Os confrontos serão definidos em sorteio e não têm data definida.

O jogo

A primeira chance foi do Santos, em boa jogada de Arthur Gomes. O ponta cruzou e Kaio Jorge se antecipou e finalizou perto da trave. No minuto 11, Arthur roubou a bola na entrada da área e finalizou com desvio.

Quando o placar marcava 28 jogados, o Defensa y Justicia assustou pela primeira vez. Hachen driblou Jobson e bateu para defesa de João Paulo. Aos 35, Braian Romero avançou sem marcação e chutou com perigo.

No minuto 36, a melhor chance do Santos. Kaio Jorge puxou contra-ataque e cruzou. Soteldo, sozinho no segundo pau, não alcançou.

O Defensa y Justicia adiantou as linhas para a etapa final e abriu o placar cedo. Aos cinco minutos, Pizzini cruzou e Braian Romero, sozinho, só desviou para o gol. 1 a 0.

Aos 11 minutos, Felipe Jonatan cruzou na cabeça de Kaio Jorge, que cabeceou para fora. No minuto 15, Soteldo deixou Kaio em boas condições, mas o centroavante furou. Na sequência, Isnaldo recebeu sozinho e errou o alvo.

Quando o empate parecia distante, o Santos buscou o gol. Aos 32, Pará cruzou, Lucas Braga cabeceou e Unsain defendeu. No rebote, Wagner Leonardo cruzou e o próprio Braga empurrou.

Nos minutos finais, o Peixe aproveitou os espaços deixados pelos argentinos e virou com Marcos Leonardo, aos 46 jogados, com assistência de Lucas Braga.

Bastidores – Santos TV:

Cuca se irrita com pergunta sobre poupar no Santos: “Perder jogos com meninos é diferente”

Cuca se irritou com uma pergunta na entrevista coletiva após a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia (ARG) na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O técnico foi questionado sobre poupar jogadores diante dos argentinos, já que o Peixe já estava classificado. Jobson recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso para as oitavas de final.

“Hoje eu tinha três a menos no banco porque não temos elenco grande. Testar novos jogadores porque não é ele que é treinador. Se fosse o treinador, não iria testar. Perder jogos com meninos é diferente. Se perde mais do que a partida”, disse Cuca.

Cuca também não gostou da pergunta sobre a chance de ser campeão da Libertadores.

“Começar com uma pergunta assim é duro. Temos que ser realistas, equipe é jovem. Não temos tantas opções, mas temos sido criativos, dado opções aos meninos. Usamos sempre mais de meia dúzia, muitos improvisados como o Palha (Wagner Leonardo). Zagueiro entrou com força para fazer a jogada e deu a assistência. Com Lucas Braga, que é um atacante e entrou na lateral direita para fazer esse corredor. Fez o gol e deu assistência. Improvisos deram certo, mas nem sempre vão dar. Sou realista, mas estou muito feliz com a campanha. Jogamos contra campeão equatoriano, paraguaio e time argentino muito bom e muito bom treinado”, afirmou.

“Estamos indo passo a passo, não sei o que vai acontecer no jogo do Palmeiras. Seremos primeiro ou segundo melhores de todos os times. Algo a comemorar, ponto. Depois vem o mata-mata, com vantagem de decidir em casa. Estou muito contente com os meninos, mas temos déficit. em número de jogadores, temos improvisado desde o início e não podemos fortalecer elenco. Só olho para meu interior e extrair o máximo deles. Se o máximo for o suficiente para ganhar, vamos fazer o máximo”, completou.

Cuca analisou a partida e a “oscilação natural” diante do Defensa y Justicia.

“Nos primeiros 25 minutos fizemos jogo muito bom. Dos 25 em diante tomaram conta do jogo. E tomaram em duas bolas de segurança que cedemos. O jogo é dividido em momentos. Momento seu, que comanda. Emocionalmente quando se quer fazer algo diferente e perde, muda tudo. E naquele minuto eu falei ‘cuidado’ para o banco. Tiveram escanteios, são altos e fortes, e jogo mudou. No segundo tempo com as mexidas começamos a jogar mais, com mais movimentação. Encaixou melhor o jogo e conseguimos a vitória”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Fluminense no sábado, no Maracanã, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Pela Libertadores, não há data definida para as oitavas de final. Os confrontos serão definidos mediante sorteio.


Delfín-EQU 1 x 2 Santos

Data: 24/09/2020, quinta-feira, 23h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 4ª rodada
Local: Estádio Jocay, em Manta, Equador.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Kevin Ortega (PER).
Auxiliares: Michael Orue e Jonny Bossio (ambos do PER).
Cartões amarelos: Cangá e Nazareno Valencia (D); Lucas Veríssimo e Marinho (S).
Cartão vermelho: Rodríguez (D).
Gols: Marinho (18-1); Rojas (29-2) e Jean Mota (36-2).

DELFÍN SC (EQU)
Corozo; Jonathan Gonzalez (Cifuente), Cangá, Carlos Rodriguez e Geovanny Nazareno; Charles Velez, João Ortiz, Villalva (Rojas) e Corozo; Garcés e Valencia (Benítez).
Técnico: Miguel Ángel Zahzú

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo (Alex Nascimento), Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Lucas Lourenço) e Arthur Gomes (Raniel); Marinho, Kaio Jorge (Jean Mota) e Soteldo.
Técnico: Cuca



Santos vence o Delfín e encaminha vaga nas oitavas da Libertadores

Com um a mais desde o primeiro tempo, o Santos venceu o Delfín por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Equador, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O Peixe abriu o placar com Marinho, não aproveitou as chances criadas e sofreu na etapa final, quando o Delfín empatou com o Rojas. Só que o Alvinegro reagiu rápido e desempatou com Jean Mota.

O Santos segue líder do Grupo G, agora com 10 pontos e com vaga encaminhada nas oitavas de final, dependendo de um empate. O Defensa y Justicia tem seis, o Olimpia cinco e o Delfin segue na lanterna com um.

O jogo

O Santos dominou a etapa inicial do início ao fim. Teve 63% de posse de bola, criou as principais chances e só sofreu um pouco em contra-ataques.

Soteldo, que havia tentado duas vezes, conseguiu a assistência na terceira boa jogada pela esquerda. Ele cruzou na cabeça de Marinho no segundo pau. 1 a 0 para o Peixe aos 18 minutos.

O Alvinegro seguiu em cima, mas o goleiro Corozo pouco trabalhou. A situação ficou mais tranquila quando Rodríguez recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso com 40 jogados.

O Santos quase ampliou aos cinco minutos. Felipe Jonatan cruzou, a bola passou por todo mundo e chegou em Marinho. O camisa 11, sozinho, exagerou na força.

Aos 10, o Delfín respondeu. Valencia cruzou na segunda trave, Corozo cabeceou no segundo pau. A bola passou perto da trave direita do goleiro João Paulo.

O Santos não aproveitou os espaços, diminuiu o ritmo e levou o empate de uma equipe inferior tecnicamente e com um a menos em campo.

No minuto 29, Corozo fez jogada individual, ganhou o bate-rebate e a bola sobrou limpa para Rojas empurrar para o fundo das redes. 1 a 1 em Manta.

O Peixe acordou e conseguiu o desempate aos 36 minutos jogados, quando Raniel fez boa jogada pela direita e Jean Mota, segundos depois de entrar, finalizou no segundo pau. 2 a 1.

Nos minutos finais, o Alvinegro administrou a vitória e agora tem vaga encaminhada nas oitavas de final da Libertadores da América.

Bastidores – Santos TV:

Cuca valoriza vitória do Santos no Equador, mas diz: “Não precisávamos sofrer”

Cuca valorizou a vitória do Santos sobre o Delfín no Equador, mas lamentou o susto no segundo tempo da partida válida pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O Peixe controlou o jogo desde o primeiro minuto, abriu o placar com Marinho e ficou com um a menos ainda na etapa inicial. Nos 45 minutos finais, porém, não aproveitou as chances, sofreu o empate com Rojas e reagiu depois do susto. Jean Mota desempatou.

“Importante de hoje é a vitória. Jogo muito bem jogado dentro do possível, mas poderíamos ter aproveitado as chances. Não precisávamos sofrer”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Tivemos que mexer, coloquei dois meias, Jean Mota e Lucas Lourenço. Entraram bem. Jean no primeiro toque fez o gol da vitória”, completou.

O Santos segue líder do Grupo G, agora com 10 pontos e com vaga encaminhada nas oitavas de final, dependendo de um empate. O Defensa y Justicia tem seis, o Olimpia cinco e o Delfin segue na lanterna com um.

Na próxima rodada, o Peixe visitará o Olimpia, quinta, no Paraguai. O Delfin, eliminado, jogará novamente em casa contra o Defensa y Justicia.

Marinho valoriza “família” do Santos após vitória no Equador: “Feliz por tudo”

Um dos destaques do jogo, Marinho valorizou a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Delfín na noite desta quinta-feira, no Equador, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O camisa 11 fez o primeiro gol. Jean Mota desempatou após o susto do Delfín. Com os três pontos, o Peixe lidera o Grupo G, com 10, e fica a um empate da classificação às oitavas de final. O Alvinegro ainda enfrentará Olímpia (no Paraguai) e Defensa y Justicia (na Vila Belmiro).

“É uma família incrível, um grupo fantástico. Glória a Deus pela grande partida. Feliz por tudo”, disse Marinho, em entrevista para a Conmebol.

“Grande jogada do Soteldo. Eu, como oportunista, estava no lugar certo e pude fazer o gol. Agora teremos mais um jogo difícil (Olimpia). Temos que desfrutar essa vitória de hoje e pensar jogo a jogo”, completou o atacante.

Jean Mota, do Santos, faz um gol após 15 meses e diz: “Me dá confiança para prosseguir”

Jean Mota foi o herói da vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Delfín na última quinta-feira, no Equador, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O meia entrou aos 35 minutos do segundo tempo e, segundos depois, apareceu no segundo pau para aproveitar cruzamento de Raniel e desempatar.

“Sabíamos que seria difícil. Tínhamos que igualar na vontade. Tivemos chances, não matamos, mas não deixamos de nos doar. Ponto forte dessa equipe é a vontade e união de todos. Por isso conquistamos esses três pontos”, disse Jean.

“Todos são importantes. Elenco forte, eu busco meu espaço em todos os jogos. É um gol que me dá confiança para prosseguir. Temos muitos jogos e terei outras oportunidades. Campeonato é longo, mais de uma competição”, completou.

Jean Mota foi alvo do Bahia, mas a negociação não avançou.

“Sempre declarei que queria ficar. Tenho mais dois anos de contrato. Sempre há especulações, mas sou jogador do Santos e vou honrar a camisa. Se não contarem mais comigo, vou seguir meu caminho. Mas enquanto tiver contrato, vou honrar”, concluiu.

Cuca vê Kaio Jorge polivalente no Santos: “Sabe fazer um 8 ou 10”

Cuca vê Kaio Jorge capaz de desempenhar mais de uma função no Santos. O jogador de 18 anos é centroavante desde as categorias de base.

Kaio foi titular na vitória por 2 a 1 sobre o Delfín, no Equador, e no segundo tempo recuou para Raniel atuar como camisa 9.

“Eu sinto que ele não é um centroavante centroavante, sabe fazer um 8 ou 10, vir de trás, às vezes precisa de centroavante para jogar e ter a qualidade técnica aflorada. Por isso coloquei Raniel, para matar o jogo e deixei o Kaio Jorge”, explicou Cuca.

Kaio Jorge treinou e atuou como ponta sob o comando de Jesualdo Ferreira. Com Cuca, tem sido incentivado a jogar também mais recuado, no meio-campo.


Santos 0 x 0 Olimpia-PAR

Data: 15/09/2020, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leodán Gonzalez (URU)
Auxiliares: Nicolas Taran e Richard Trinidad (ambos do URU).
Cartões amarelos: Marinho (S); Candia e De La Cruz (O).
Cartões vermelhos: Rodrigo Rojas (O).

SANTOS
João Paulo; Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Alison (Lucas Lourenço), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Raniel (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca

OLIMPIA (PAR)
Azcona; Otálvaro, Leguizamón, Alcaraz e Torres; Ortiz, Rodrigo Rojas, Candia (De La Cruz) e Alejandro Silva (Derlis González); Camacho (Caballero) e Roque Santa Cruz (Pitta).
Técnico: Daniel Garnero



Santos pressiona Olimpia, mas não consegue sair do 0 a 0 no retorno da Libertadores

O Santos não conseguiu vencer o Olimpia, nesta terça-feira na Vila Belmiro, pela retomada da Libertadores. Defendendo a liderança do grupo, o Peixe pressionou os paraguaios, mas saiu com empate por 0 a 0.

Em jogo travado com muitas faltas dos visitantes, a equipe de Cuca atuou por boa parte do segundo tempo com um homem a mais, mas não conseguiu tirar proveito da superioridade numérica para furar o bloqueio do adversário.

Com o resultado, o Peixe manteve a liderança do grupo G, mas perdeu o aproveitamento de 100%. Os santistas têm sete pontos, após duas vitórias e um empate, contra cinco do Olimpia, que aparece na segunda colocação.

O jogo

Com pouca criação no início, o Santos viu o Olimpia criar a primeira chance de gol da partida. Aos nove minutos, Ortiz finalizou de fora da área para boa defesa de João Paulo.

O Peixe só conseguiu chegar aos 24 minutos. Marinho fez belo lançamento para Soteldo na ponta esquerda, o venezuelano cruzou para trás e encontrou Diego Pituca após corta-luz de Raniel. O volante pegou de primeira, mas o chute saiu no meio do gol, para defesa fácil de Azcona.

Em seguida, aos 26, o Olimpia recebeu com pancada de Pitta do bico da área, para mais uma intervenção de João Paulo.

A principal chance santista veio aos 37 minutos. Soteldo recebeu na ponta esquerda, deixou com Raniel e correu para receber a devolução dentro da área. O venezuelano bateu na saída do goleiro mas a bola pegou no pé direito da trave e por pouco não entrou.

De volta do intervalo, o Santos se postou no campo de ataque e passou a pressionar o Olimpia em busca do gol. A maior parte da criação surgiu pelas pontas, com Marinho pela direita e Soteldo pela esquerda.

Aos dez minutos, o venezuelano escapou pela lateral da área e cruzou na segunda trave para Sánchez, que ajeitou com o peito para Raniel. O atacante não conseguiu alcançar a bola e perdeu boa chance de marcar.

Aos 20, Rodrigo Rojas fez falta dura, por trás, em Marinho na entrada da área, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Na cobrança, Sánchez acertou a barreira e desperdiçou outra boa oportunidade.

Com um homem a mais, o Peixe não conseguiu transformar a superioridade em chances para marcar. Os paraguaios esfriaram o jogo com faltas e a equipe de Cuca não encontrou os espaços.

Na parte final, entraram Lucas Lourenço, Marcos Leonardo e Jean Mota para reforçar o ataque, mas o Peixe não chegou mais nenhuma vez com perigo à meta paraguaia.

Nos minutos finais, Jean Mota cobrou falta com perigo aos 40, Pituca arriscou chute de fora da área aos 43 e Madson tentou batida cruzada já nos acréscimos, mas nada surtiu efeito. 0 a 0 na Vila Belmiro.

Confrontos – Santos TV:

Santos apela para cruzamentos e só acerta dois: “Era o que sobrava”, diz Cuca

Diante da forte marcação do Olimpia (PAR), o Santos apelou para os cruzamentos na Vila Belmiro. E a estratégia não funcionou no empate em 0 a 0, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O Peixe cruzou 28 vezes na área. E acertou duas delas, de acordo com o Sofascore. Apenas Marinho (um de oito) e Pará (um de três) foram corretos no fundamento.

“Era o que sobrava, cruzamento. Por dentro estavam fechados. Queriam que afunilássemos. Jogo é diferente. Até entender a arbitragem se fica nervoso, o pau come. Para lá e para cá, é preciso entrar no espírito da Libertadores. Olimpia não perde nada aos grandes times que vão disputar competição a nível de ganhar. Time de tradição, forte, equipe muito boa”, disse o técnico Cuca, em entrevista coletiva.

“Tenho três lances na cabeça. O primeiro que fizemos a parede, a única certa. Jogo estava pedindo essa jogada, lado de campo estava fechado e por dentro tínhamos tabela. Quando aconteceu com Raniel e Soteldo, bola bateu na trave. E no segundo tempo duas chances, uma que Sánchez ajeitou e Raniel não definiu e uma última com Madson, com Marcos Leonardo livre e na hora de cruzar erra o cruzamento. Pecamos nesse passe final, três chance claríssimas. Se acertássemos uma delas, teríamos ganhado”, completou.

Cuca vê desequilíbrio no elenco do Santos e lamenta noite ruim do meio-campo

Cuca avaliou o empate do Santos em 0 a 0 com o Olimpia na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O técnico destacou o desequilíbrio no elenco para encontrar variações táticas e lamentou o jogo ruim do meio-campo diante dos paraguaios.

“Difícil. Quando se tem opções para mudar taticamente a equipe, dois centroavantes ou dois armadores (…). Temos dificuldades. Bom plantel, mas sem equilíbrio em alguns setores. Não preciso dizer, vocês sabem. Buscamos criar essas oportunidades”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Conseguimos chegar nesse jogo com a equipe principal. Raniel ficou 10 dias parado (em quarentena em função do novo coronavírus), há uma queda física e técnica. Mas tecnicamente não fizemos grande jogo no meio-campo, na criação, na individualidade. Nos faltou isso”, completou.

Madson e Lucas Lourenço? Cuca explica titularidade para Pará e Alison no Santos

Parte da torcida do Santos pede por Madson e Lucas Lourenço no time titular, com Pará e Alison no banco de reservas e Diego Pituca como primeiro volante. Cuca, neste momento, discorda.

O técnico valoriza Pará e Alison, capitães do elenco. Ambos foram substituídos no segundo tempo do empate em 0 a 0 com o Olimpia.

“Discordo que Madson seja mais ofensivo. Madson tem fundo melhor, Pará entra muito bem na diagonal e por dentro, por termos um ponta aberto. Aproveita mais esse espaço que Madson. Motivo de ter jogado é esse. Saiu machucado e era titular, questão de coerência e confiança no jogador”, disse Cuca, antes de falar sobre Alison.

“Depende da maneira que se joga. Se jogar com poucos atacantes, não tem problema. Mas pela maneira com que se joga, time fica vulnerável sem um defensor no meio-campo. Nós tiramos o Alison durante o jogo. Melhorou depois que ele saiu? Quantas chances tivemos a mais? Não se trata de culpar um jogador”, completou.

Líder do Grupo G da Libertadores da América com sete pontos, o Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo, domingo, no Engenhão, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Soteldo vê bom jogo do Santos contra o Olimpia: “Esse é o caminho”

Yeferson Soteldo gostou da atuação do Santos no empate em 0 a 0 com o Olimpia na noite desta terça-feira, na Vila Belmiro, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O Peixe teve um a mais na metade final do segundo tempo e, mesmo assim, não conseguiu vencer. O Alvinegro segue líder do Grupo G, agora com sete pontos.

“No começo não estávamos ligados. Sabemos que a Libertadores não é como o Brasileiro, é mais difícil, o árbitro não apita tudo. Depois a gente entendeu, começou a jogar, eles passaram dos 30 minutos do 1º tempo até o fim com todo mundo atrás.
Não foi suficiente, mas a gente tentou, jogou bem. Todos os caras hoje jogaram muito bem, fiquei contente, no segundo tempo mais que tudo. Hoje não deu certo, mas esse é o caminho”, à Conmebol TV.