Navegando Posts em Notícias

Diretoria surpreende e acerta contratação de Cuca, que estava sem clube desde que deixou o Palmeiras, em outubro do ano passado

Cuca é o novo técnico do Santos. O anúncio foi feito pela diretoria nesta segunda-feira, exatamente uma semana após a demissão de Jair Ventura. Cuca estava sem clube desde outubro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras. Será a segunda passagem de Cuca pelo Santos como treinador. Ele jogou no clube em 1993 (era meio-campista).

– Feliz com o acerto com o Santos após um ano sem trabalhar para poder resolver questões pessoais. Estou renovado e motivado por assumir este grande desafio. Muito feliz e muito confiante. Amanhã estarei aí – disse Cuca, por mensagem.

Coube ao executivo de futebol, Ricardo Gomes, fazer o anúncio da contratação de Cuca. O contrato vai até o fim do ano que vem.

– Estamos aqui (para anunciar) um acordo com o Cuca. Isso foi uma boa escolha para o clube, para o Cuca. A expectativa é tê-lo já no treino de amanhã (terça) e no jogo da quarta-feira (contra o Cruzeiro). O contrato é válido até dezembro de 2019 – disse Ricardo Gomes, em entrevista coletiva.

– Começamos a negociação hoje pela manhã. Depois de duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso (…) É um treinador competente, com experiência, com títulos. É ofensivo. Reúne todas essas qualidades para o nosso trabalho – completou o dirigente.

O anúncio da contratação de Cuca foi feito pelo Santos no Twitter às 14h02, 21 minutos após o GloboEsporte.com publicar esta matéria bancando o acerto. No post, o Peixe reproduz uma frase dita por Cuca, que usou a camisa 10 do time em sua passagem como jogador:

– Quando você entrava no vestiário da Vila Belmiro, tinha um armário lacrado, do Pelé. Vestir a camisa 10 é um baque. Toda sua infância passa dentro de você. Eu falo que muitas coisas têm seu preço e algumas o seu valor. Essa tem um valor inestimável.

O time está num momento decisivo da temporada: pega o Cruzeiro pelas quartas de final da Copa do Brasil na quarta-feira, luta para se afastar da zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e tem, em agosto, os dois duelos contra o Independiente, da Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Passagem ruim pelo Santos em 2008

Ex-jogador do Santos no início dos anos 90, Cuca treinou o time em 2008, em substituição a Emerson Leão. E não foi bem. Depois de ganhar destaque como comandante do Botafogo, ele só treinou o Peixe em 14 partidas, com três vitórias, quatro empates e sete derrotas. Com Cuca, o time esteve o tempo todo na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro – acabou se safando da degola na penúltima rodada.

A despedida do treinador ocorreu após derrota de 3 a 2 para o Atlético-MG na Vila Belmiro. Logo depois do jogo, Cuca fez um pronunciamento e anunciou seu desligamento:

– Conversei com a diretoria e entendemos que é o momento de sair do Santos. Não é da maneira como a gente queria. Queria tocar o campeonato até o final, começar a trabalhar um grupo zerado, como gostamos de fazer. Infelizmente não foi possível. Falta pouco mais de um turno, tempo hábil para se fazer uma remodelagem. Deixo as portas abertas para um outro profissional pode tocar esse trabalho.

Cuca foi substituído por Márcio Fernandes, que conseguiu evitar o rebaixamento – o Santos terminou aquele campeonato em 15º.



Ricardo Gomes explica contratação de Cuca no Santos: “Competente, com experiência e títulos”

O Santos surpreendeu ao anunciar a contratação de Cuca como novo técnico nesta segunda-feira. Em entrevista no CT Rei Pelé, o executivo de futebol do Peixe, Ricardo Gomes, comentou a escolha pelo comandante de 55 anos. O vínculo do treinador será válido até dezembro de 2019.

– É um treinador competente, com experiência, com títulos. Tem o anseio da torcida do Santos, de ser ofensivo. Ele reúne todas essas qualidades para nosso trabalho. (…) Ele teve vários convites e não aceitou – disse Ricardo Gomes.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Ricardo Gomes explicou a demora do Santos para acertar a chegada de Cuca e admitiu que o clube tinha outros dois nomes.

– O nome chegou há poucos dias. Saí daqui, na segunda, e falei que tinha dois nomes. Trabalhei nesses dois nomes. Depois, apareceu essa terceira possibilidade. Começamos a trabalhar. Não foi difícil. Hoje pela manhã, começamos a negociar. Em duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso. – comentou Ricardo Gomes.

O executivo do Santos afirmou confiar na capacidade de Cuca dar respostas rápidas nas competições.

– A busca por resultados é imediata. Essa parte da tabela não é o nosso lugar. Estamos longe da realidade. Não é a primeira vez que o Cuca passa por isso. Ele já provou competência. Conhece bem a situação, o time. Isso é importante. Vamos sair dessa.

O dirigente afirmou que vê em Cuca um estilo que casa com o elenco do Santos.

– O Cuca tem uma maneira de trabalhar que vai ajudar bastante. Acho que combina bastante com o modelo do Cuca de trabalhar: jogadores rápidos, o meio vai ficar ainda melhor para ele desenvolver o que pensa. Todo mundo vai sair mais forte.

Ricardo Gomes disse também que conta com o cumprimento de todo o período de contrato com Cuca – ou seja, até o final do ano que vem.

– Vou fazer de tudo para que o Cuca cumpra o contrato. Isso vai ser bom para mim, para o Santos e para o Cuca. Todos ganham nessa situação. Seria melhor (ele ter começado antes). Teria mais jogos e mais tempo para trabalhar. Temos uma pressa de resultados, de entrosamento, dos conceitos que ele vai implantar. Quero conversar com vocês em dezembro com tudo certo.


Técnico não resiste à pressão da torcida e à sequência ruim de atuações e resultados no Peixe

Fim da linha: Jair Ventura não é mais técnico do Santos. O treinador, que já estava bastante pressionado no cargo por parte dos torcedores, também perdeu o apoio da diretoria santista. O comandante não resistiu às más atuações da equipe após a pausa para a Copa do Mundo e foi desligado na tarde desta segunda-feira.

No duelo contra o Flamengo, na quarta-feira, o time será comandado interinamente pelo auxiliar Serginho Chulapa.

O clube anunciou nas redes sociais o desligamento do técnico santista.

– A direção do Santos Futebol Clube comunica que Jair Ventura não é mais treinador da equipe profissional. O Clube agradece o profissionalismo do técnico durante o tempo em aqui esteve no comando do Peixe – diz o comunicado.

Zé Ricardo, livre no mercado após pedir demissão no Vasco, é o nome que mais agrada a diretoria do Peixe. Abel Braga também já teve seu nome citado em reuniões recentes, mas não planeja assumir nenhum clube após se desligar do Fluminense.

No Santos, Jair Ventura somou 39 jogos, sendo 14 vitórias, 10 empates e 15 derrotas, um aproveitamento de 44,4%.

Jair Ventura iniciou seu trabalho no Santos no dia 3 de janeiro deste ano, na reapresentação do elenco das férias. Ele foi o primeiro técnico da gestão do presidente José Carlos Peres.

O técnico chegou ao Peixe após ótimo trabalho realizado no Botafogo. Por isso, a expectativa dos santistas sobre o comandante era grande, mas não se tornou realidade.

Parte da diretoria já defendia a demissão de Jair ainda no primeiro semestre, alegando que o time não tinha um padrão de jogo e que o famoso “DNA ofensivo” havia sido extinto.

Um dos problemas vividos por Jair no Santos foi a falta de um camisa 10. A diretoria do Peixe buscou atletas para repor a vaga deixada por Lucas Lima no ano passado por mais de sete meses, até contratar Bryan Ruiz, atleta que o comandante nem conseguiu utilizar. Nesses mais de seis meses de trabalho, o técnico testou diversos jogadores na função, mas nenhum engrenou.

Jair deixa o Santos com o time perto da zona de rebaixamento. O Peixe ocupa a 15ª colocação, com 15 pontos, mas com um jogo a menos, a ser disputado com o Vasco após a Copa do Mundo. O América-MG, primeiro clube da degola, tem um ponto a menos.


Técnico faz acordo e parcela multa de rescisão com Botafogo

Jair Ventura é o novo técnico do Santos. O Peixe anunciou, na manhã desta quarta-feira, a contratação do comandante para 2018. A rescisão com o Botafogo foi assinada na terça-feira, e Jair fez um acordo para parcelar a multa, de cerca de R$ 800 mil. O valor, porém, cai quase pela metade pois teve o abatimento de férias, 13º e premiações atrasadas.

O acordo foi feito pelo Botafogo diretamente com Jair, sem a participação do Santos, mas pessoas próximas ao treinador garantem que o Peixe é quem irá arcar com a multa, dividida em duas parcelas. O Alvinegro carioca informou ao GloboEsporte.com que ainda não recebeu.

As negociações com o comandante foram conduzidas pelo novo presidente do Santos, José Carlos Peres, e o executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira. Jair chega com o auxiliar Emílio Faro e o preparador físico Ednilson Sena, seus companheiros de trabalho na equipe carioca. Ele será apresentado oficialmente pelo Peixe nesta sexta-feira, juntamente com Gustavo Vieira.

Mesmo com o carinho pelo Botafogo, Jair Ventura estava preocupado com a próxima temporada. Fora da Libertadores e sem dinheiro, o clube carioca não pretende fazer grandes investimentos e vem perdendo peças importantes, como Roger, Victor Luis e Bruno Silva.

Jair Ventura tem 38 anos e chegou ao Botafogo em 2009, como auxiliar técnico de Ney Franco. Antes de ser efetivado, em agosto de 2016, trabalhou como preparador físico, técnico do sub-20 e treinador interino na equipe carioca.

Ele chamou a atenção do Santos por conta da boa temporada que fez com o Botafogo em 2017. Com um elenco limitado, conseguiu levar o time às quartas de final da Libertadores, semifinal da Copa do Brasil, além de ter mantido uma regularidade durante grande parte do Campeonato Brasileiro.

O técnico começa os trabalhos no Santos nesta quarta-feira, quando o elenco se reapresenta das férias. Ele terá 14 dias de preparação antes do seu primeiro compromisso oficial. O Peixe estreia no Campeonato Paulista em 17 de janeiro, contra o Linense, em Lins.


Agora é de verdade. Levir Culpi não é mais técnico do Santos. Por volta das 20h45 desse sábado, pouco depois da derrota do Peixe para o São Paulo no Pacaembu, o clube divulgou uma nota oficial em que confirma a demissão do treinador. O auxiliar Luiz Matter e o preparador físico Rodolfo Mehl também foram desligados. Elano comandará o time no próximo sábado, contra o Atlético-MG, de forma interina.

Não é a primeira vez que a diretoria decide demitir Levir Culpi. Recentemente, o presidente Modesto Roma Júnior foi demovido da ideia após uma reunião com os jogadores. O próprio técnico já chegou a afirmar que pensou em ‘abandonar o barco’ e, nesse sábado, reclamou de uma cobrança excessiva, na sua visão, em cima da equipe alvinegra.

Sob o comando de Levir Culpi desde o início de junho, o Santos fez 25 jogos, conquistou 11 vitórias, 11 empates e sofreu apenas três derrotas. A equipe acabou eliminada pelo Flamengo, na Copa do Brasil, e pelo Barcelona-EQU, na Copa Libertadores da América, ambas nas quartas de final em plena Vila Belmiro.

No Campeonato Brasileiro, Levir deixa o time provisoriamente na terceira colocação, com 53 pontos. Os quatro tropeços nos últimos cinco jogos da competição por pontos corridos acabaram frustrando os santistas que ainda sonham em buscar o líder Corinthians e pesaram na decisão da diretoria.

Confira a nota oficial do Santos:

“O técnico Levir Culpi não é mais o treinador do Santos FC. Logo após a partida contra o São Paulo, na noite deste sábado (28), válida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o ex-comandante foi desligado do comando do Peixe pelo presidente Modesto Roma Júnior. Além do técnico, o auxiliar Luiz Matter e o preparador físico Rodolfo Mehl também foram demitidos. Elano assume o time até o término do Campeonato Brasileiro.”

O Alvinegro Praiano agradece o trabalho de Levir Culpi nestes quatro meses no clube e deseja boa sorte ao treinador que comandou o Peixe no Campeonato Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil.


O Santos já havia decidido demitir Levir Culpi na manhã desta sexta-feira. Porém, após um pedido do elenco, o presidente Modesto Roma Júnior mudou de ideia e decidiu manter o técnico no cargo.

Após o empate em 1 a 1 com o Sport, na última quinta-feira, a delegação santista chegou a São Paulo sob forte protestos de torcedores no começo da tarde. Na descida da serra, o elenco soube da decisão da diretoria de demitir Levir.

O treinador já sabia da demissão, mas seria informado formalmente somente quando a delegação chegasse ao CT Rei Pelé. O assessor de Levir, Adriano Rattmann, inclusive, chegou a publicar uma nota oficial confirmando a saída.

Porém, durante a reunião entre Modesto e Levir, o elenco entrou e solicitou a permanência do treinador. Mesmo contrariado, o presidente acabou aceitando o pedido e decidiu manter o comandante até o final do ano.