Navegando Posts em Copa do Brasil

Ceará 1 x 0 Santos

Data: 04/11/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio do Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxilar: Jorge Eduardo Bernardi e José Eduardo Calza (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Vina, Leandro Carvalho e Pedro Naressi (C); Diego Pituca e Marinho (S).
Cartão vermelho: Sandry (S).
Gol: Vina (24-2).

CEARÁ
Fernando Prass; Eduardo, Tiago, Luiz Otávio e Bruno Pacheco (Kelvyn); Fabinho, Charles (Pedro Naressi) e Vina; Léo Chú (Leandro Carvalho), Fernando Sobral e Rafael Sobis (Felipe Vizeu).
Técnico: Guto Ferreira

SANTOS
João Paulo; Madson, Luiz Felipe (Pará), Luan Peres e Felipe Jonatan (Lucas Lourenço); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca



Ceará vence o Santos com golaço de Vina e avança às quartas da Copa do Brasil

O Ceará venceu o Santos por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, no Castelão, e avançou às quartas de final da Copa do Brasil. O gol (um golaço) foi marcado por Vina.

Depois do empate em 0 a 0 na Vila Belmiro, o Peixe fez um primeiro tempo de igual para igual em Fortaleza, mas caiu de rendimento na etapa final e sofreu o gol aos 24 minutos.

O Santos se lançou ao ataque, mas não teve reação. Desorganizado, viu o Vozão administrar bem o resultado, garantir a vaga nas quartas e embolsar R$ 3,3 milhões em premiação.

O jogo

Ceará e Santos fizeram um primeiro tempo muito movimentado, apesar do 0 a 0. O Peixe teve mais posse de bola (62%), mas o Vozão também criou chances de gol.

A primeira oportunidade foi santista, aos oito minutos, quando Jean Mota descolou bom passe para Soteldo. O camisa 10 bateud e esquerda, com perigo, à esquerda do gol de Fernando Prass.

No minuto 17, o Ceará respondeu. Léo Chú driblou Luiz Felipe e deixou Rafael Sóbis cara a cara com João Paulo. O goleiro saiu muito bem, fechou o ângulo e evitou o gol.

Quando o placar marcava 24 jogados, Luan Peres cruzou, Jobson ajeitou de cabeça e Soteldo emendou um voleio – bola assustou Prass novamente. A resposta chegou aos 32: Charles bateu sem ângulo e a bola raspou a trave de João Paulo.

O Santos voltou a ficar perto do gol aos 38, quando Fernando Prass saiu mal do gol e a bola sobrou para Marinho, que tentou de bicicleta. O gol estava aberto, mas a finalização saiu torta.

E no minuto 40, o Peixe teve sua melhor jogada. Kaio Jorge lançou Soteldo em contra-ataque. O venezuelano invadiu a área e, de frente para Prass, bateu de canhota por cima. Ainda deu tempo para Luiz Otávio, aos 44, perder chance clara de cabeça em escanteio.

O ritmo diminuiu na etapa final, principalmente pelo lado do Santos. Muita movimentação, marcação e poucas chances de gol. Até que Vina apareceu para o Ceará.

Aos 24 minutos, Fernando Sobral cruzou, Luan Peres tirou parcialmente e Vina emendou um lindo voleio. A bola foi na gaveta – o goleiro João Paulo nem se mexeu. 1 a 0.

O Santos se lançou ao ataque, mas de forma completamente bagunçada. O Ceará conseguiu administrar o resultado com certa tranquilidade nos minutos finais. Vozão nas quartas de final da Copa do Brasil. O sorteio ocorrerá na sexta-feira.

Cuca diz que Santos ‘se perdeu’ após o gol: “Caímos no jogo que o Ceará queria”

Cuca disse que o Santos se “perdeu” após sofrer o gol do Ceará, marcado por Vina, aos 24 minutos do segundo tempo, na eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O Peixe perdeu por 1 a 0 nesta quarta-feira, no Castelão, após o empate em 0 a 0 na Vila Belmiro. O Alvinegro pouco criou nos minutos finais da decisão.

“Primeiro tempo foi bem jogado, tivemos as ações, saída de bola até o último terço. Perdemos gols incríveis e não chutamos na direção do gol. Proposta era transição com velocidade. Não é time de contra-ataque, é que propõe. Se fizéssemos o gol, estaríamos mais perto da vitória. Não fizemos, tomamos o gol no segundo tempo em bola aérea. Houve discussão se teve falta ou não no Jean. Jogadores se perderam, ficaram nervosos. Ceará baixou as linhas, se defenderam bem. Não temos características para alçar bola e centroavante colocar bola para dentro. Tentamos o jogo com alternativas e praticamente não tivemos chances. Só uma bola com o Lucas Braga. De efetivo não tivemos depois do gol sofrido. Antes era jogo aberto e seria merecido um empate. Antes do gol”, disse Cuca.

“Ficou depois do gol (abaixo do máximo). Desequilibrou. E não temos jogo de força, jogadores de contato. Somos uma equipe leve. Jogamos a equipe para frente e fica pior. Perde-se a paciência de trabalhar a bola. Caímos no jogo que o Ceará queria”, completou.

Mais do que não avançar para as quartas de final, o Peixe deixa de receber R$ 3,3 milhões em premiação, dinheiro que seria fundamental para o pagamento dos salários de outubro.

Sem a premiação, a diretoria do Santos buscará formas de viabilizar o dinheiro suficiente para pagar a folha salarial. O quinto dia útil de novembro será na próxima segunda-feira. Não há, neste momento, recursos em caixa.


Santos 0 x 0 Ceará

Data: 28/10/2020, quarta-feira, 16h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).
Auxiliares: Thiago Henrique Neto Correa Farinha e Leandro Bizzio Marinho (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Jean Mota, Marinho e Luiz Felipe (S); Charles, Léo Chú, Fabinho e Rick (C).
Cartão vermelho: Lucas Veríssimo (S).

SANTOS
João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Luiz Felipe); Marinho, Soteldo (Arthur Gomes) e Lucas Braga (Tailson).
Técnico: Cuca

CEARÁ
Fernando Prass, Eduardo, Luiz Otávio, Tiago Pagnussat e Bruno Pacheco; Fabinho, Charles (Lima), Fernando Sobral (Wescley) e Vinícius Vina; Léo Chu (Rick) e Rafael Sóbis (Mateus Gonçalves).
Técnico: Guto Ferreira



Com um a menos, Santos segura empate com Ceará no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil

O Santos empatou em 0 a 0 com o Ceará na tarde desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe teve Lucas Veríssimo expulso no fim do primeiro tempo.

A partida de volta ocorrerá daqui a uma semana, no Castelão. Novo empate levaria a eliminatória para os pênaltis. Quem vencer avança às quartas da competição nacional.

O Peixe dominava as ações até a expulsão de Veríssimo, auxiliada pelo árbitro de vídeo. No segundo tempo, o Vozão criou as principais chances e não conseguiu vencer.

O jogo

A partida entre Santos e Ceará foi equilibrada desde o primeiro minuto. O Peixe com a bola e com o time todo no campo de ataque. E o Vozão pronto para contra-atacar.

A primeira chance mais perigosa foi do Ceará, com Léo Chú. O atacante recebeu sozinho e cabeceou para fora. Aos 22, Felipe Jonatan cruzou e não aproveitou no primeiro pau.

No minuto 29, a principal chance da etapa inicial. Soteldo fez fila e bateu colado. Fernando Prass defendeu no ângulo e, no rebote, Lucas Braga cabeceou por cima. Aos 36, Vina bateu rasteiro e João Paulo espalmou.

E perto dos acréscimos, tudo mudou. Lucas Veríssimo acertou a cabeça de Rafael Sóbis em contra-ataque. O árbitro deu cartão amarelo. Na sequência, viu o lance no VAR e, com o atacante cearense sangrando, expulsou o zagueiro santista.

Com um a mais, o Ceará mudou a postura e adiantou as linhas. Logo aos três minutos, Léo Chú aproveitou vacilo do Santos na saída de bola e bateu perto da trave de João Paulo. No minuto 8, o Peixe respondeu. Marinho bateu forte de fora da área e Prass fez outra grande defesa. Logo em seguida, Soteldo bateu com perigo.

Aos 13 minutos, outra boa oportunidade para o Santos. Felipe Jonatan roubou bola no campo de ataque, Soteldo cruzou e Marinho bateu mascado, mas exigiu Prass a fazer nova intervenção.

Quando o placar marcava 20 jogados, João Paulo saiu jogando errado. Vina tabela com Rafael Sóbis e é travado pelo goleiro, que se redime no lance na Vila Belmiro. Aos 23, Sóbis deixou Rick em boas condições, mas o atacante bateu por cima. Segundos depois, o próprio Rick recebeu em profundidade, ganhou de Luiz Felipe e fez o gol, porém, a arbitragem anulou o lance por toque de mão.

Nos minutos finais, o Santos se defendeu como deu e conseguiu o empate para levar a decisão até Fortaleza.

Bastidores – Santos TV:

Cuca valoriza empate do Santos com o Ceará: “Jogo igual, mesmo com um a menos”

O técnico Cuca valorizou o empate do Santos em 0 a 0 com o Ceará na tarde desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

O Peixe era melhor até a expulsão de Lucas Veríssimo, nos acréscimos do primeiro tempo. Na segunda etapa, o Vozão atacou mais.

“Jogo tem que ser dividido em partes. A parte 11×11 e 10×11. Começamos muito bem, dominando as ações e criando oportunidades. Jogamos com Jobson adiantado ao lado do Jean Mota, criaram movimentações interessantes e envolvemos o Ceará. Criamos muitas chances e precisamos definir quando criamos assim. Bola não entrou ou Prass pegou. A partir da expulsão do Lucas Veríssimo, é normal dar mais espaço ao adversário e há mais desgaste. Em termos de finalização e posse, foi parecido no fim mesmo assim. Dá uma conotação de empate justo. Poderíamos até ter ganho. Nos 30 ou 40 minutos Ceará teve chances, depois reequilibramos a equipe fisicamente e ficou aberto. Não abdicamos de jogar, marcamos pressão e tentamos até o final vencer. A decisão agora é no Ceará. Tudo aberto”, disse Cuca.

“Foi um jogo igual, mesmo com um a menos. Não se viu o Santos recuado. Propomos o jogo assim mesmo. Posse e conclusões foram parecidas. Vamos aguentar o máximo, adversários estão em apenas uma às vezes. Equipes jogam mais descansadas, um dia faz diferença. Quando equilibramos o time fisicamente com trocas, é pensando no amanha, no domingo”, completou.

A decisão ocorrerá na próxima quarta-feira, no Castelão. Novo empate levaria a decisão para os pênaltis. Não há gol fora qualificado na competição.

Cuca libera, e Santos aguarda aval do Conselho para emprestar Anderson Ceará ( Em 31/10/2020 )

O técnico Cuca liberou Anderson Ceará, do Santos, para negociar com o CRB. O presidente Orlando Rollo já havia dado o “ok” para o empréstimo até o fim da Série B do Campeonato Brasileiro, em janeiro de 2021.

O meia do Peixe pediu à diretoria e comissão técnica para ser liberado. O entrave é o Conselho Deliberativo, que precisa aprovar ou não a saída em função do período eleitoral no clube.

Há uma reunião virtual dos conselheiros marcada para quinta-feira, mas Anderson Ceará não está em pauta. O Comitê de Gestão pode solicitar a inclusão desse assunto no encontro.

Ceará tem 21 anos e atuou uma vez com Jesualdo Ferreira e outra vez com Cuca, além de uma partida pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes, na semana passada, contra o Corinthians. Três jogos em 10 meses.

O contrato de Anderson Ceará com o Santos termina em 31 de julho de 2023.


Santos 1 x 2 Atlético-MG

Data: 06/06/2019, quinta-feira, 20h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 16.857 pagantes
Renda: R$ 828.709,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Michael Correia (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ).
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Jean Lucas e Soteldo (S); José Welison, Adilson e Fábio Santos (A).
Gols: Gustavo Henrique (05-1) e Chará (36-1); Chará (39-2).

SANTOS
Everson, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Jean Mota), Gustavo Henrique e Jorge; Jean Lucas; Victor Ferraz, Carlos Sánchez (Soteldo), Diego Pituca e Marinho; Uribe (Eduardo Sasha).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-MG
Victor, Patric, Rever, Igor Rabello, Fábio Santos; José Welison (Adilson), Elias, Cazares e Luan (Geuvânio); Chará e Ricardo Oliveira (Alerrando).
Técnico: Rodrigo Santana



Atlético-MG vira, avança na Copa do Brasil e Santos é eliminado pela 3ª vez no Pacaembu em 2019

O Atlético-MG venceu de virada o Santos por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, e avançou para as quartas de final da Copa do Brasil. Os gols foram marcados por Chará, duas vezes. O do Peixe foi de Gustavo Henrique.

Essa foi a terceira eliminação do Santos no Pacaembu em 2019. Antes, o Peixe caiu para River Plate na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

As equipes voltam a se enfrentar no domingo, dessa vez pelo Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro, às 19h (de Brasília). O jogo é válido pela oitava rodada.

O jogo

O começo de jogo do Santos foi eletrizante. Com Marinho “on fire”, o Peixe pressionou o Atlético-MG e abriu o placar logo aos cinco minutos. Marinho cobrou escanteio com perfeição, na cabeça de Gustavo Henrique. O goleiro Vitor nem saiu do lugar.

O Alvinegro seguiu em cima e teve chance de ampliar com Diego Pituca, Jorge, Marinho e Sánchez, mas não o fez. E o Galo equilibrou o jogo.

Com Cazares cheio de espaço, o Atlético ensaiava o gol. Os lançamentos paravam em cortes providenciais da defesa santista. Até que Gustavo Henrique cochilou, Chará escapou e aproveitou saída equivocada de Everson para marcar.

Cada time ficou com uma “metade” da etapa inicial. O Atlético-MG foi para o vestiário com o empate e mais perto da virada do que do desempate do Santos.

Aos dois minutos, o árbitro fez a torcida comemorar ao expulsar José Welison por deixar o braço em Marinho. A decisão, porém, foi alterada depois da consulta no VAR e a cor do cartão mudou para amarelo.

A alteração de Jorge Sampaoli, tirar Aguilar para colocar Jean Mota, tornou o jogo ainda mais aberto. Aos 15, Cazares recebeu na área e buscou o ângulo – a bola passou com perigo. No minuto seguinte, Marinho e Jean Lucas levaram perigo em chutes da intermediária.

Quando o placar marcava 20 minutos jogados, Ricardo Oliveira recebeu um bolão de Cazares e bateu forte, mas no meio do gol, e Everson espalmou com segurança. E aos 25, mais uma chance atleticana: Luan bateu da entrada da área, Everson rebateu para frente e Chará se atrapalhou no rebote, quase na pequena área.

Aos 37, começou um momento decisivo do jogo. Lucas Veríssimo cabeceou muito perto do gol depois de cruzamento de Soteldo. Na sequência, Marinho recebeu na entrada da área, não viu Victor Ferraz sozinho e chutou no meio. E veio o castigo.

Jean Mota tentou chute improvável da intermediária, a bola bateu na defesa e o Galo puxou o contra-ataque. De Geuvânio, para Cazares, para Chará. De novo. Linha de passe na exposta defesa do Peixe no Pacaembu.

Todo aberto, o Santos buscou a reação, mas foi o Atlético-MG quem quase fez o terceiro, com Geuvânio. Everson salvou. No fim das contas, Galo nas quartas de final e a terceira eliminação do Peixe no Pacaembu em 2019.

Sampaoli evita desculpas, mas contesta diretoria do Santos por preço alto e decisão no Pacaembu

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, evitou dar desculpas para a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil diante do Atlético-MG, mas não poupou críticas à diretoria.

O Peixe não conseguiu transferir o mando de campo para a Vila Belmiro e colocou preço alto no Pacaembu, com arquibancadas a R$ 90. O resultado foi público total de 16.857.

“Jogamos domingo passado contra 60 mil pessoas do Ceará. Hoje estádio não estava de acordo para uma decisão. Dirigentes colocaram esse preço, a gente não é ouvido. Minha predileção pela Vila eu sempre disse, mas não creio que seja uma forma de esconder análise desportiva ou eliminação, mas sim tentar analisar o motivo do público do Santos não ir aos estádios”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sobre o jogo, o treinador santista viu injustiça em mais uma eliminação. Antes, o Peixe caiu para River Plate-URU na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

“Santos foi quem propôs mais, principalmente no segundo tempo. Tivemos muitos ataques, chutes e possibilidades não concretizados. Perdemos injustamente no contra-ataque, futebol é assim. A chave é o nervosismo para definir. Tiveram dois contra-ataques no segundo tempo depois de falhas na direito e depois na esquerda. Temos que ter tranquilidade quando gol vem, sem perder a forma. E isso ocorreu em outros jogos. A vontade tem que ser com fúria, mas com organização”, analisou.

Questionado sobre a ausência de Rodrygo, Sampaoli contemporizou. A CBF não desconvocou o atacante da seleção olímpica e o impediu de atuar.

“A federação tomou medida que correspondia. Se não pode jogar, não pode jogar. Não entendo, não posso criticar uma decisão pré-estabelecida”, concluiu.

Victor Ferraz vê falta de “capricho” e “competência” do Santos em eliminação

Capitão do Santos, Victor Ferraz viu falta de “capricho” e “competência” na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG nesta quinta-feira, no Pacaembu, com a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Essa foi a terceira queda do Peixe no Pacaembu em 2019. Antes, o Alvinegro foi derrotado para o River Plate-URU na Sul-Americana e Corinthians no Campeonato Paulista.

“Acho que a gente voltou melhor (para o segundo tempo), conseguimos pressionar. A gente sabia que eles iam jogar buscando o contra-ataque. Acho que faltou capricho na frente, faltou acertar na tomada de decisão”, disse Victor Ferraz, ao Premiere.

“Não fomos competentes, deixamos a desejar e deixamos escapar uma classificação importante. É levantar a cabeça, domingo tem de novo”, completou o lateral-direito.

Presidente do Santos dispara contra CBF: “Conseguiu o que queria, fomos desclassificados”

O presidente do Santos, José Carlos Peres, disparou contra a CBF na noite desta quinta-feira, depois da eliminação para o Atlético-MG nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Peres disse que a confederação conseguiu o que queria por dois motivos: não permitir a decisão na Vila Belmiro e não desconvocar Rodrygo da seleção olímpica para o Torneio de Toulon, já em andamento na França.

“CBF conseguiu o que queria. Fomos desclassificados. Nos roubaram o direito de jogar na Vila Belmiro. CBF jogou para frente e não respondeu. Nosso ofício está lá. E de quebra convocaram o Rodrygo. Terceira vez que levam para o sub-23. CBF conseguiu aquilo que esperava, nos desclassificar”, disse Peres.

“CBF tem que explicar o motivo de não liberar. Tribunal não nos deu a liminar. CBF não respondeu. Esperamos pelo bom senso do STJD. Se não está inscrito, qual é a razão de não desconvocar?”, completou.

O presidente do Santos ainda disse que pode indenizar a CBF. Com a eliminação, o Peixe deixou de receber R$ 3,1 milhões.

“Se não tiver explicação plausível, é indenizar. Nos tiraram a classificação, que nos daria uma boa fatia (de dinheiro)”, concluiu.

Peres minimiza preço do ingresso em eliminação do Santos: “Não justifica 16 mil”

O presidente do Santos, José Carlos Peres, minimizou o preço dos ingressos para a partida que culminou na eliminação do Santos na Copa do Brasil, com a derrota de 2 a 1 para o Atlético-MG no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

A entrada mais barata custava R$ 40 (inteira), no tobogã. As arquibancadas custaram R$ 90. O resultado foi o público total de 16.857 no Pacaembu, com renda de R$ 828.709,00.

“Um grande time vence em qualquer lugar, na Vila Belmiro ou no Maracanã. Grande público não compareceu hoje. Existe uma crise, mas não justifica 16 mil”, disse o presidente.

“Quem paga salário? Temos que ter time forte. Sabia que teríamos dificuldades, adaptação, sistema diferente. Essa reclamação não cabe (do valor)”, completou.

O Santos, com Campeonato Brasileiro como competição restante em 2019, voltará a enfrentar o Atlético-MG, domingo, na Vila Belmiro, pela oitava rodada. Dessa vez a arquibancada (portões 1/2, 7/8 e 26) custa R$ 60. A geral santista está por R$ 40.

De “corretíssima” à “culpada” por eliminação: Santos racha com a CBF após elogios

O presidente do Santos, José Carlos Peres, mudou completamente o discurso sobre a CBF entre o dia 27 de maio, em reunião do Conselho Deliberativo e 6 de junho, com a eliminação na Copa do Brasil para o Atlético-MG.

Em meio ao aparente ruído entre o Peixe e a confederação, Peres fez elogios e minimizou a briga pela desconvocação de Rodrygo da seleção olímpica. Dias depois, foi para cima e rachou a com a confederação.

“Sub-23 não é Data FIFA. Não é oficial. Não quero puxar saco da CBF, mas tem sido corretíssima comigo. Não dá para comparar Rodrygo com outros liberados. Se é convocado para a seleção principal, ok, é diferente, mas eu perdi jogadores várias vezes por causa do Sul-Americano. Sou generoso. Pedi para liberar, não liberaram, mas era oficial. Agora o próprio jogador demonstrou que não quer ir. Iria para a principal, oficial, só isso. Não foi nenhuma afronta com a CBF. Eu trabalhei na gestão do Marco Polo (Del Nero) por seis anos na Federação Paulista. Quem almoçava comigo? (Rogério) Caboclo, então gerente financeiro, e o (Walter) Feldman. Presidente e secretário-geral. Estamos bem, mas cada um defende seu pedaço. Entendo, de coração, mas não posso ser prejudicado mais uma vez”, disse o presidente.

Após a eliminação, porém, o tom foi outro. Além de não poder escalar Rodrygo, Peres lembrou da confusão pelo mando de campo. A CBF chegou a anunciar a Vila Belmiro para as oitavas de final, mas voltou atrás e manteve o Pacaembu.

“CBF conseguiu o que queria. Fomos desclassificados. Nos roubaram o direito de jogar na Vila Belmiro. CBF jogou para frente e não respondeu. Nosso ofício está lá. E de quebra convocaram o Rodrygo. Terceira vez que levam para o sub-23. CBF conseguiu aquilo que esperava, nos desclassificar”, afirmou Peres.

“CBF tem que explicar o motivo de não liberar. Tribunal não nos deu a liminar. CBF não respondeu. Esperamos pelo bom senso do STJD. Se não está inscrito (no Torneio de Toulon), qual é a razão de não desconvocar?”, concluiu.

Por meio do SJTD, o Santos ainda tentará ter Rodrygo novamente contra o Atlético-MG e também diante do Corinthians, ambos os jogos na Vila Belmiro pelas rodadas 8 e 9 do Campeonato Brasileiro. Se não obtiver êxito, o camisa 11 pode ter se despedido diante do Internacional sem saber.


Atlético-MG 0 x 0 Santos

Data: 15/05/2019, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte, MG.
Público: 11.176 pagantes
Renda: R$ 178.476,00
Árbitro: Rodrigo D’alonso Pereira (SC)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Kleber Lucio Gil (SC).
VAR: Heber Roberto Lopes (SC)
Cartões amarelos: José Welison e Elias (A).

ATLÉTICO-MG
Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos (Patric); José Welison, Elias e Luan (Nathan); Geuvânio (Cazares), Chará e Ricardo Oliveira.
Técnico: Rodrigo Santana

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Jean Lucas, Diego Pituca e Jorge; Rodrygo (Cueva), Derlis González (Soteldo) e Jean Mota (Eduardo Sasha).
Técnico: Jorge Desio



Atlético-MG e Santos empatam e decidirão em SP a vaga nas quartas

Atlético-MG e Santos empataram em a 0 a 0 na noite desta quarta-feira, no Estádio Independência, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

O Peixe foi melhor no primeiro tempo, o Galo no segundo. As equipes, porém, se anularam e criaram poucas chances de gol ao longo dos 90 minutos.

A decisão ocorrerá no dia 6 de junho, provavelmente na Vila Belmiro. Novo empate levaria a eliminatória para os pênaltis. Vitória simples garante classificação para as quartas.

O jogo

A pressão habitual do Atlético-MG no Horto não ocorreu. Quem dominou as ações desde o pontapé inicial foi o Santos, colocando os donos da casa no campo de defesa.

O Peixe, porém, pecou no último passe e sentiu demais a falta de um centroavante. A bola correu a área várias vezes sem ninguém finalizar. O Galo não teve chances claras.

No minuto 26, Victor Ferraz invadiu a área e chutou por cima. Aos 39, Jean Mota pedalou e bateu bonito, para Victor espalmar. No escanteio, Gustavo Henrique desviou e Guga interceptou antes de Derlis, sozinho, conseguir empurrar.

O ritmo caiu no segundo tempo. O Atlético-MG equilibrou as ações e melhorou com a entrada de Cazares na vaga de Geuvânio aos 15 minutos.

Aos 20, Cazares finalizou bem de fora da área, para Everson espalmar. No minuto 30, Elias chutou e a bola bateu no braço de Lucas Veríssimo. O VAR foi acionado, mas, como o zagueiro estava de costas, o pênalti não foi marcado.

Na metade final, quase nada ocorreu. Muita correria, pouca criatividade e um 0 a 0 justo de dois tempos distintos em Belo Horizonte.

Bastidores – Santos TV:

Auxiliar de Sampaoli valoriza empate do Santos: “Me parece justo”

Com Jorge Sampaoli expulso depois da expulsão diante do Vasco, em São Januário, o Santos foi comandado pelo auxiliar Jorge Desio no empate em 0 a 0 com o Atlético-MG na noite desta quarta-feira, no Estádio Independência, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Desio avaliou a atuação do Peixe e admitiu a queda de produção na segunda etapa em Belo Horizonte.

“Resultado não é ruim, tendo em conta a qualidade do mandante, os jogadores da equipe contrária. Não é um resultado para lamentar. Tentamos a vitória, como sempre, mas por ser visitante, não é algo ruim e me parece justo o resultado”, disse Jorge Desio.

“No primeiro tempo, pudemos manifestar o que a gente veio buscar. Tivemos controle, faltou um pouco mais de chegada com gente na área para concluir. No segundo, não conseguimos. Tiveram mais posse, tocaram mais. E fomos bem na defesa”, completou.

Convocado, Rodrygo diz que não deve desfalcar o Santos em decisão

Rodrygo não deve desfalcar o Santos contra o Atlético-MG, dia 6, no Pacaembu, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

A pedido do Peixe, o atacante deve ser desconvocado da seleção olímpica para o Torneio de Toulon, na França. Como antecipado pela Gazeta Esportiva, o camisa 11 prefere atuar pelo Alvinegro para não adiantar a despedida antes do Real Madrid.

“Espero jogar. Acho que vou jogar, sim”, disse Rodrygo, sem jeito, ao Premiere, depois do empate em 0 a 0 com o Galo na noite desta quarta-feira, no Estádio Independência.

O camisa 11 também falou sobre a atuação do Alvinegro e relatou uma pancada sofrida ainda no primeiro tempo.

“No segundo tempo, Atlético-MG veio mais ligado, encaixou o estilo deles. Dominamos no primeiro e no segundo não. Não sofremos gol, conseguimos empate e creio que é um bom resultado”, afirmou.

“Tomei uma pancada ainda no primeiro tempo, inchou um pouco, mas não é nada grave. É tratar e recuperar”, concluiu.

Santos conversa com presidente da CBF para tentar atuar com selecionados

O Santos conversa diretamente com Rogério Caboclo, presidente da Confederação Brasileira de Futebol, para tentar antecipar a decisão contra o Atlético-MG, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

O duelo está marcado para 6 de junho, no Pacaembu. Além de pedir o mando de volta para a Vila Belmiro, o Peixe quer atuar neste mês, até o dia 30.

O objetivo do Alvinegro é ter os selecionados à disposição: Aguilar, Cueva, Derlis González e Soteldo foram pré-convocados na Colômbia, Peru, Paraguai e Venezuela para a Copa América. Sánchez também pode ser chamado pelo Uruguai.

O Santos alega que é o clube brasileiro mais prejudicado. E ceder os atletas engrandece a competição continental a ser realizada no país, a partir do dia 14 de junho.

O Peixe trabalha nos bastidores para conseguir a mudança, mas sabe da dificuldade. O técnico Jorge Sampaoli pensa em alternativas para a provável falta dos estrangeiros.


Vasco 2 x 1 Santos

Data: 24/04/2019, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – 4ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 8.859 pagantes
Renda: R$ 181.098,00
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC).
Cartões amarelos: Cáceres e Lucas Mineiro (V); Alison, Soteldo e Yuri Lima (S).
Expulsão: Jorge Sampaoli (S).
Gols: Raul (12-1) e Ricardo Graça (38-1); Jorge (08-2).

VASCO
Fernando Miguel (Alexander); Raul Cáceres, Werley, Leandro Castán (Ricardo Graça) e Danilo Barcelos; Raul (Yan Sasse), Lucas Mineiro, Yago Pikachu e Lucas Santos; Marrony e Maxi López.
Técnico: Marcos Valadares

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Soteldo), Diego Pituca e Carlos Sánchez (Jean Lucas); Derlis, Jean Mota (Yuri) e Rodrygo.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos leva sustos contra o Vasco, mas avança às oitavas da Copa do Brasil

O Santos perdeu por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário, mas avançou às oitavas de final da Copa do Brasil. Os gols dos donos da casa foram de Raul e Ricardo Graça. Jorge fez o da classificação.

Depois dos 2 a 0 de vantagem na Vila Belmiro, o Peixe viu o Cruzmaltino abrir dois gols de diferença no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Alvinegro voltou um pouco melhor, diminuiu e conseguiu administrar o resultado. Nos acréscimos, o Vasco teve outro gol de Ricardo Graça bem anulado. No último segundo, Gustavo Henrique falhou e Maxi López perdeu chance clara.

Vasco e Santos agora têm a primeira rodada do Campeonato Brasileiro pela frente. Os cariocas visitarão o Atlético-PR, enquanto o Peixe enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre. Ambas as partidas serão no domingo.

O adversário do Santos nas oitavas de final da Copa do Brasil será decidido por meio de sorteio. Para a próxima fase, entrarão os brasileiros classificados para a Libertadores da América.

O jogo

O Santos, com 2 a 0 de vantagem da Vila Belmiro, começou o jogo no ataque. Linhas adiantadas, posse de bola e pressão na defesa adversária. Aos oito minutos, Jean Mota acertou um bonito chute na trave.

Aos 12, porém, tudo mudou. Aguilar errou na saída de bola, Lucas Mineiro tocou para Maxi rolar de calcanhar para Raul deslocar Everson e abrir o placar. Com o gol, o Peixe entrou em parafuso.

Muito mais intenso e concentrado, o Vasco acreditou na virada, foi mais perigoso e reverteu o 0-2 aos 38, em escanteio. Ricardo Graça fugiu da marcação de Derlis, contou com saída ruim de Everson e cabeceou para o fundo das redes.

O Santos voltou a campo mais ligado. Jorge Sampaoli tirou Alison, pendurado, e colocou Soteldo. A alteração não demorou a surtir efeito.

Aos oito minutos, Soteldo tabelou com Jorge e cruzou, a bola desviou e sobrou para o próprio lateral bater forte, de fora da área, e vencer o jovem Alexander.

Com a formação ofensiva do Peixe, o jogo ficou ainda mais aberto. No minuto 13, Marrony recebeu em profundidade, Everson saiu todo errado do gol, e o jovem do Vasco tentou encobrir, mas errou o alvo.

Dali em diante, as chances cessaram. Sampaoli recompôs a equipe com a entrada de Jean Lucas e os espaços diminuíram.

Aos 34 minutos, Jorge Sampaoli foi expulso por reclamação. Segundos depois, Diego Pituca escapou com espaço, conduziu e bateu forte, por cima do gol.

O jogo ficou aberto até o fim, mas, nervoso, o Vasco não conseguia reagir. Quando tudo parecia calmo, Ricardo Graça marcou em nova falha de Everson, mas a arbitragem assinalou o impedimento aos 47. E no último segundo, Gustavo Henrique furou e Maxi López perdeu chance claríssima.

Vitória merecida do Vasco, mas eliminação para o Santos na quarta fase da Copa do Brasil.

Após sufoco, Sampaoli cobra melhora do Santos e admite erro por expulsão

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está preocupado depois da derrota por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário. O Peixe se classificou às oitavas de final por causa do 2 a 0 da ida, na Vila Belmiro.

O argentino vê muita coisa a melhorar no Alvinegro antes do Campeonato Brasileiro.

“Temos que corrigir um monte de coisas. Temos que ter mais controle do jogo. Complicamos uma classificação que pareceu que estava muito mais tranquila. Temos que corrigir as coisas que prejudicaram hoje. Encontramos uma linha de cinco com os extremos avançada. Temos que nos plantar no campo adversário e que eles se preocupem com a gente. Tomamos um gol e encontramos momentos. Com certeza poderíamos ter empatado ou ganhado a partida. Tentamos jogar num 4-4-2, mas como o Vasco estava se impondo, me passou pela cabeça de corrigir (no intervalo, com Soteldo na vaga de Alison)”, disse Sampaoli.

“Esta noite não tivemos controle do jogo e quando tomamos o segundo gol entramos em desconserto. No segundo tempo, consertamos um pouco e a equipe teve chance de empatar a partida, mas terminamos o jogo sofrendo”, completou.

O treinador admitiu o erro pela expulsão no segundo tempo após reclamação acintosa com a arbitragem.

“Foi minha responsabilidade. A partida estava muito intensa e eu fui expulso merecidamente. Sofri muito. Me expulsaram por reclamação e tive que passar um momento muito difícil porque não pude ajudar os jogadores. O ímpeto deles jogarem a bola na área me deixou um pouco nervoso”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli fala em dúvida entre Vanderlei e Everson e volta a pedir Ricardo Oliveira

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, diz que ainda não sabe qual goleiro será titular contra o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Depois do rodízio com Vanderlei no Paulistão e Everson na Copa do Brasil, Sampaoli vai analisar como proceder daqui para frente. O camisa 22 não foi bem na derrota por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário.

“Ainda não (sei). Temos de pensar em uma análise de cada posição. São dois goleiros importantes. Vamos ver quem vai jogar no domingo já no início do Brasileirão, em um jogo muito difícil contra o Grêmio”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também voltou a pedir a contratação de Ricardo Oliveira, do Atlético-MG. A negociação foi intensificada nesta quarta-feira.

“Estamos procurando, insistindo, mas o presidente e as pessoas do clube sabem minha necessidade para um torneio muito duro e competitivo. A petição está formalizada e agora é esperar”, concluiu.

Herói na classificação, Jorge admite erros e diz que “Santos vai longe”

Jorge foi o herói da classificação do Santos para as oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe perdeu por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, mas avançou por causa do 2 a 0 na ida, na Vila Belmiro.

Novidade na escalação, o lateral-esquerdo fez o gol decisivo no início do segundo tempo. Ele admitiu os erros e falou que o Peixe irá longe.

“Sabíamos que seria difícil, contra equipe bem montada. Sabíamos que seria difícil por causa da derrota na final. Entrariam com tudo. Não queríamos perder, mas classificamos e temos que acertar o que erramos. Esse time vai longe”, disse Jorge, ao SporTV.

O goleiro Everson destacou a vitória em casa e diz não ter se surpreendido com a pressão do Vasco nos acréscimos. Os cariocas tiveram gol bem anulado de Ricardo Graça e perderam chance incrível com Maxi López no último minuto.

“Foi por conta do nosso primeiro tempo. Nas duas chegadas, fizeram gol em erros coletivos nossos. Resolvemos no vestiário. Nos últimos minutos, imaginávamos o sufoco. Tivemos oportunidade de matar, mas não concluímos. São dois jogos. No primeiro fomos melhor. No primeiro tempo de hoje, jogamos mal, depois melhoramos, jogamos de igual para igual e nos classificamos”, analisou Everson.

Após 25 jogos, Sampaoli ainda não repetiu escalação no Santos

Após 25 jogos, o técnico Jorge Sampaoli ainda não repetiu um time titular no Santos. Contra o Vasco, na noite da última quarta-feira, o argentino surpreendeu e escalou Jorge na vaga de Soteldo.

Desde o amistoso contra o Corinthians, ainda na pré-temporada, Sampaoli levou a campo 24 escalações. 24 diferentes da anterior.

A atual comissão técnica estuda o adversário e define o esquema e os titulares de acordo com as características esperadas. Diante do Vasco, na decisão pela Copa do Brasil, a opção foi por reforçar o meio-campo com Diego Pituca e deixar Jorge pelo lado. Para a segunda etapa, Soteldo entrou na vaga de Alison.

O próximo desafio do Peixe será diante do Grêmio, domingo, na arena em Porto Alegre, pela estreia no Campeonato Brasileiro. Uma das indefinições está no gol: depois do rodízio entre Vanderlei no Campeonato Paulista e Everson na Copa do Brasil, o treinador ainda não definiu o titular.

O aproveitamento de Sampaoli é de 60% após 14 vitórias, cinco empates e cinco derrotas na temporada.

Sampaoli “volta no tempo” ao usar esquema do Século 19 no Santos

Depois de vários testes ao longo do Campeonato Paulista, Jorge Sampaoli parece ter encontrado um esquema ideal para o Santos: o 2-3-5, com dois zagueiros, um volante, dois “laterais-volantes” e cinco à frente: dois pela ponta, dois pelo meio e um falso 9.

Em evento da CBF na última segunda-feira, Sampaoli admitiu o tédio pelo futebol atual e revelou o desejo de ver o Santos como no futebol antigo. “Quero que meu time volte no tempo”, disse. E, ao menos na teoria, o Peixe realmente voltou.

O argentino levou a “pirâmide” a campo pela primeira vez na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, pela semifinal do Campeonato Paulista, no Pacaembu. O Santos amassou o rival com mais de 70% e 33 finalizações, mas acabou eliminado nos pênaltis. A formação foi repetida nos 3 a 0 sobre o Atlético-GO e 2 a 0 diante do Vasco, na Vila Belmiro, e no primeiro tempo da derrota por 2 a 1 em São Januário.

A pirâmide teve origem no fim do século 19, no Reino Unido, em tentativa de organizar o esporte em campo. De acordo com o multicampeão Carlos Alberto Parreira, o esquema 2-3-5 “foi a primeira forma de noção tática registrada por um time. O início da inteligência no futebol”.

A criação do 2-3-5 gera dúvida entre escritores. O jornalista Jonathan Wilson, no livro “A Pirâmide Invertida: A História da Tática no Futebol”, afirma que o primeiro registro ocorreu em março de 1878, com o título do Wheham Football Club na Copa de País de Gales. O técnico húngaro Árpad Csanádi, na obra “Soccer”, relata a primeira pirâmide na Universidade de Cambridge, em 1883.

Independentemente da estreia, o 2-3-5 se disseminou e virou a formação da moda no século 20, como no título do Uruguai na primeira Copa do Mundo, em 1930. Daí em diante, as variações táticas tiveram início. 3-2-5, depois o 3-5-2, 5-3-2, e assim sucessivamente.

Argentina e Sevilla

Sampaoli surpreendeu os torcedores do seu país ao utilizar o 2-3-5 em um 6 a 0 sobre a seleção de Cingapura, no amistoso em 2017, quando chegou a alcançar 90% de posse de bola.

Depois de usar a pirâmide, o treinador criou o 2-3-3-2, repetido no Sevilla, com dois zagueiros, três meio-campistas defensivos, três meio-campistas ofensivos e dois atacantes.